Versailles 1685

2,117 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,117
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
673
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Versailles 1685

  1. 1. Versailles 1685 (1996)
  2. 2. EXERCÍCIO 2- Culturtainement| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Versailles 1685: A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV > Cryo Interactive Entertainement, Canal+ Multimédia, Réunion des Musèes Nationaux (RMN), 1996; > aventura histórica, na qual o jogador participa numa intriga que decorre no palácio de Versailles; > recriação do palácio em 1685, com artistas, ministros, nobres, favoritos, inimigos do rei...
  3. 3. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Descrição Formal Objectivos: > Missão: Bontemps (“valet de chambre” de Luís XIV) encarrega o jogador, no papel de Lanlande de desvendar o mistério, em 24h, em redor de vários panfletos que anunciam a destruição de Versailles, > Lalande explora o palácio à procura de personagens ou objectos que o ajudem na sua missão. Cabe ao jogador, explorar e recolher a informação necessária, de modo a ir juntando as várias componentes do mistério, que permitirão salvar o rei.
  4. 4. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Descrição Formal Procedimentos: > A personagem desloca-se em tempo real; é utilizado um motor 3D (omni 3D). Pode observar o espaço em 360º e deslocar-se no espaço com o auxílio de pontos pré-definidos. > Input: rato e teclado > O jogador pode realizar diferentes acções para explorar o espaço. As zonas pré-definidas são activadas quando aparece um símbolo a azul que indica a acção.
  5. 5. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV > acção: com este símbolo não é possível realizar qualquer movimento ou acção
  6. 6. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV deslocar/ mover funções: possibilita deslocar para esq, direita, frente (também para passar de uma divisão para outra)
  7. 7. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV ver (ampliação de uma zona chave) funções: permite ter uma visão próxima de objectos, ou olhar mais atentamente pinturas.
  8. 8. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV agir/ apanhar funções: interagir com os objectos da cena, ampliada ou não, e recolhê-los.
  9. 9. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV conhecer funções: quando é uma personagem, tem-se acesso a um ficheiro sobre a sua vida, se aparece nos zoom’s das obras de arte pode aceder-se à sua legenda.
  10. 10. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV dialogar funções: a personagem pode falar directamente com as personagens quando o ícone for activado. Para responder existem frases pré-definidas (3) na parte inferior do ecrã que se escolhe para continuar a conversa.
  11. 11. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV escutar funções: Lalande pode escutar a conversa que está a decorrer, uma possível pista para compreender as intrigas da corte
  12. 12. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Inventário: > Todos os objectos “apanhados” estão no inventário. > Quando se agarra um objecto assinalado com o símbolo, estes tornam-se pequenos ícones simplificados, desaparecem de cena e passam a incorporar o inventário.
  13. 13. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Interacção objectos/ personagens: > É necessário recorrer a personagens da corte com acesso a informações ou capacidades que as habilitam a auxiliar na descodificação das mensagens. Por vezes também são requeridos pequenos favores em troca da preciosa ajuda.
  14. 14. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV > Bontemps: ao longo do jogo é necessário procurá-lo, para receber mais instruções ou receber indicações sobre o que fazer.
  15. 15. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Interacção objectos/cena e objecto/ objecto: > para desbloquear partes do jogo, abrir portas, gavetas, armários, conseguir obter algum objecto , ou descodificar uma mensagem é necessário utilizar algum objecto do inventário; > retira-se o objecto traduzido por um ícone do inventário e carrega-se sobre o objecto/local onde queremos que actue.
  16. 16. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Descrição Formal Regras: > O jogo encontra-se dividido em capítulos, consoante o dia do rei: Act I: waking the king Act II: from rising to Council Act III: from Council to Mass Act IV: Dinner Act V: the king at work Act VI: the promenade Act VII: from super to bedtime > Cada capítulo é correlativo do anterior: só se passa à fase seguinte se completadas todas as tarefas.
  17. 17. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Regras: > Para passar ao nível seguinte as pistas determinantes, panfletos e mensagens, devem ser entregues a Bontemps. > Enquanto uma mensagem codificada não for resolvida não pode ser inventariada. > Só se avança na história se as combinações certas forem postas em acção. > É necessário acabar todas as tarefas e diálogos executados antes de um personagem passar para a parte seguinte.
  18. 18. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Descrição Formal Conflito: > São importantes as decisões tomadas: o jogador tem que lidar com a desconfiança; > Se desconfiar de todos os personagens e não se comprometer a ajudar alguns, os salões tornam-se becos sem saída. > As decisões chave são a escolha de um percurso.
  19. 19. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Descrição Formal Limites: > Os limites do jogo estão relacionados com o espaço; > À medida que vão sendo completados mais enigmas, mais amplo será o espaço a percorrer; > O jogador é alertado dos limites a ultrapassar através de avisos escritos e das conversas com os guardas.
  20. 20. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Descrição Formal Desfecho: > O jogo pode ter dois fins distintos: se Lalande não conseguir desarmar a bomba no tempo dado, perde o jogo e Versailles arde e o vilão Scaparella ganha; se conseguir, vence o jogo e Lalande é submetido pela primeira vez à presença do Rei Sol.
  21. 21. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Cena final em que Lalande salva Versailles, recebe os parabéns do Rei
  22. 22. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Cena final em que Lalande não consegue desarmar a bomba e o vilão Scaparella congratula-se com a sua vingança.
  23. 23. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Estética/ Experiência de jogo* Hardware: > 2 CD-ROM para PC ou MAC OS 9. > computador com leitor de cd’s, com pelo menos 16 MB de RAM e 2 MB de espaço de disco. * (análise segundo Konzac, Lars (2002), Computer Game Criticism: A Method for computer game analysis)
  24. 24. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Estética/ Experiência de jogo Funcionalidades: > As combinações são constantes em aplicação dinâmica: o jogo é intratextonic dynamic (Espen J. Aarseth). As combinações apresentadas ao jogador são constantes (o número de dados disponíveis mantém-se obstante a reacção do utilizador). A aplicação é dinâmica: as reacções do interface podem variar consoante o input do jogador. > O jogo é determinado, o resultado das acções ou conjunto é sempre o mesmo. > Quanto ao tempo, o jogo é intransiente: para existir qualquer mudança no jogo, é necessária a acção do utilizador. No último capítulo, como referido, o tempo é um factor a considerar (5 min em contagem decrescente para salvar o palácio), então a aplicação passa a transiente.
  25. 25. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Funcionalidades: > A perspectiva é pessoal: o jogador desempenha o papel de Lalande. > O acesso é controlado, os dados que o utilizador recebe são faseados; > As ligações são condicionais: o utilizador tem que executar uma sequência de acções antes de seguir o jogo. > Versailles 1685 é interpretativo, e configurativo, pois o jogador escolhe entre duas ou mais propostas.
  26. 26. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Estética/ Experiência de jogo Gameplay: > Versailles 1685 foi desenvolvido para um jogador apenas. > Recursos: os panfletos que estão escondidos, outros documentos anónimos encriptados. Também outros objectos que auxiliam as tarefas (chaves, um escadote, uma corda, etc). > Dialogar ou ouvir outras personagens também se pode tornar um recurso valioso, para ajudar a decifrar códigos mais complexos.
  27. 27. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Um dos panfletos que Lalande acha no jogo
  28. 28. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Mapa do Labirinto do Acto VI (pista essencial para descobrir enigma final)
  29. 29. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Gameplay: > Espaço virtual: os salões, quartos e jardins de Versailles onde Lalande se desloca. > O “playground” é constituído pelo jogador e computador e rato > Não existe qualquer pressão temporal na tomada de decisões (à excepção do último acto), o limite é apenas a paciência do jogador; > O objectivo é claro: Lalande deve salvar Versailles, > O jogador não é penalizado a não ser pelo sentimento de perda de tempo > A recompensa não se materializa para além de ir passando para fases seguintes, avançar na história e ir conhecendo mais espaços do palácio.
  30. 30. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Estética/ Experiência de jogo Significado: > A narrativa é essencial. Esta transporta o jogador para o séc. XVII, daí a veracidade histórica da maioria dos elementos e personagens. > Recorre-se a pequenas narrativas (cut-scenes), no início de cada capítulo para caracterizar o ambiente. > A narrativa apesar de complexa apresenta dados sintetizados: pequenas animações , possibilidade de aceder a mais informação. > Diferenciação dos ambientes consoante as horas e sons. > No menu principal acede-se à zona de documentação: documentos acessíveis no jogo por temáticas.
  31. 31. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Cronologia da Zona de Documentação
  32. 32. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Informação acessível durante o jogo sobre um dos espaços: Escadaria dos Embaixadores
  33. 33. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Informação acessível durante o jogo sobre uma personagem: um “guarda-costas”
  34. 34. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Estética/ Experiência de jogo Referencialidade: > aventura histórica; > role-playing game (RPG): o jogador controla uma única personagem, tendo uma perspectiva na primeira pessoa; > jogo de mimicry, segundo Roger Callois; > identificação com o conceito de agôn, embora aqui o jogador se desafie a ele próprio;
  35. 35. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Referencialidade: > Para jogar um jogo de aventura é necessária certa habituação; > Os jogos de aventura histórica caracterizam-se pela validação histórica e por esta característica de descoberta de um espaço, que levará a completar puzzles, físicos (como no caso do “Myst”) ou mentais, como em Versailles; > O jogo explora situações em que o jogador toma decisões comparáveis às do cenário real, transportando-o para a realidade histórica de Versailles > O jogador pode salvar o jogo, e voltar quando quiser. Há a possibilidade de manipular e expandir o tempo de jogo.
  36. 36. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Referencialidade: > Em 2002, foi lançada uma segunda versão do jogo “Versailles 2: Testament of the King”. > O jogo envolveu uma equipa de especialistas: historiadores, conservadores, game designers, programadores e músicos. > A equipa estudou pinturas, gravuras, plantas e planos arquitectónicos, memórias, da época; > As personagens históricas são retratadas fielmente segundo retratos. > Cerca de 200 telas e estatuária representadas fielmente
  37. 37. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV Análise crítica: > Mergulha-se no interior de um mundo de privilégios e rivalidades: uma quantidade admirável de informação é veiculada e apreendida sem esforço. O jogador pode decidir se quer conhecer mais ou não. > Existe em Versailles 1685, o luxo, o encanto, sensações mais intensas que numa visita ao palácio. Há espaços com o labírinto do final do jogo e a escadaria dos Embaixadores que se encontram destruídos. > A estrutura do jogo indica uma característica da vida na corte: o dia do rei regulava as diferentes acções de homens nobres. > Mostrar locais desconhecidos do palácio, como o sótão e passagens desconhecidas.
  38. 38. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV > Muitas das tramas do jogo estão concentradas nas querelas artísticas: Le Brun (na imagem) e Mignard e Lully e Racine. Com concentração menor nas seguintes intrigas: políticas e amorosas, o que torna a narrativa menos motivante.
  39. 39. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV > As personagens são menos cativantes que o cenário: representação limitada aos recursos da época. Os diálogos são limitados. A música barroca e as personagens prejudicam o gameplay, assim como a inexistência de georeferenciação (é dificil perceber onde estão as personagens ou o próprio Lalande).
  40. 40. EXERCÍCIO 2- Culturtainment| Versailles 1685, A Game of Intrigue at the Court of Louis XIV > Exemplo válido e interessante de um edutainment game. Apresenta um modo dinâmico e fácil de compreender e viver o maravilhoso e cruel mundo da corte de Luís XIV, o Rei Sol.

×