Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 3

771 views

Published on

Evento organizado pelo IEA polo Ribeirão Preto.

Tema: I Workshop em pressão intracraniana

Palestra do professor Sérgio Perez

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

IEA - I Workshop em pressão intracraniana - Parte 3

  1. 2. Fisiologia do Exercício e PIC I Workshop em Pressão Intra Craniana – PIC FMRP-USP / IEA Sergio E A Perez UFSCar / 2011
  2. 6. A Segurança do Treinamento Resistido: Fatores Hemodinâmicos e Incidentes Cardiovasculares
  3. 7. CARGA de VOLUME CARDÍACO ESTRESSE de ALONGAMENTO CARGA de PRESSÃO CARDÍACA ESTRESSE de TENSÃO MIOC .
  4. 8. DIFERENTES RESPOSTAS PRESSÓRICAS ENTRE !!!!!! AERÓBICOS X RESISTIDOS 20 300 200 mmHg 180 80 mmHg
  5. 9. Maior Pressão Registrada 470 / 350 mmHg 1 O Lugar
  6. 10. Efeito da Manobra de Valsalva
  7. 14. P I C Exercício Não Resistido x Resistido
  8. 15. Pressão Transmural
  9. 16. PAM = 93 mmHg PIC = 0 mmHg Repouso  = 93 mmHg
  10. 17. PAM = 110 mmHg PIC = 0 mmHg Aeróbico  = 110 mmHg
  11. 18. PAM = 110 mmHg PIC = 0 mmHg Aeróbico  = 110 mmHg
  12. 19. PAM = 183 mmHg PIC = 0 mmHg Resistido  = 183 mmHg 30
  13. 20. PIC = 83 mmHg Resistido + MV  = 100 mmHg PAM = 183 mmHg
  14. 21. Med. Sci. Sports Exerc., Vol. 35, No. 1, pp. 65–68, 2003.
  15. 22. Objetivo <ul><li>To examine the acute effects of resistance exercise (RE) performed without a Valsalva maneuver (VM) versus a VM performed alone on systolic pressure, intracranial pressure (ICP), and cerebrovascular transmural pressure (CVTMP) (i.e., the important pressure that stresses the cerebral arterial and aneurysmal walls and calculated as systolic pressure minus ICP). </li></ul>
  16. 23. Método <ul><li>The subjects for this study consisted of seven (mean SD, Age: 39 14 yr) fully alert, cooperative, and clinically stable individuals who recently underwent various neurosurgical operations. Heart rate, systolic pressure, ICP, and CVTMP were obtained at rest, during a VM, and during submaximal (8.0 3.0 kg performed for 18 10 repetitions) unilateral bicep curl RE. </li></ul>
  17. 28. Tempo de hipertensão em exercícios aeróbicos!
  18. 29. Duração do exercício (minutos  Horas) 35 Pressão Sistólica Pressão Díastólica 120 80
  19. 32. 40
  20. 34. Featherstone et al., 1993 (n=12) pacientes pós IAM <ul><li>ER até a falha entre 40 a 100% 1RM x Incremental de Esteira (n=12) </li></ul><ul><li> </li></ul><ul><li>Nenhuma evidência de isquemia avaliada pela depressão do segmento ST no ER, mas 5 dos 12 tiveram depressão maior que 1mm na Esteira. </li></ul>
  21. 35. Revisão 27 trabalhos com pacientes portadores da DAC <ul><li>6 – 26 semanas; </li></ul><ul><li>30 – 60 minutos/ dia </li></ul><ul><li>25 – 80% 1RM </li></ul><ul><li>Significativos aumentos na Força, porém não significativa a diferença entre 80 – 40% 1RM. </li></ul>
  22. 36. <ul><li>Não houve incidência de angina, isquemia, arritmias  Indicação que o treinamento de força  seguro para portadores da DAC (estável). </li></ul><ul><li>Até 1999  Participação Após cirurgia e/ou IM  deveria ser evitada até 4 – 6 meses pós evento cardíaco. [28,29] </li></ul><ul><li>Entretanto após 3 semanas do IM o TR  é seguro, indicando que o mesmo deve ser iniciado com cautela. </li></ul>

×