2º estudo de ciências - 7º ano – março

1,621 views
1,222 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,621
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
39
Actions
Shares
0
Downloads
38
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2º estudo de ciências - 7º ano – março

  1. 1. 2º Estudo de Ciências - Luiza Collet – Março - 7º ano – 2013 – 1º trimestre – 2013 2º Estudo de Ciências Luiza Collet – 7º ano – 2013 - Março – 1º trimestre – 2013 Parte I - A origem dos seres vivos 1 PANSPERMIA  Os primeiros seres vivos ou moléculas orgânicas tenham vindo de outras partes do Universo.  Chegaram trazidas por asteroides que se chocaram com a superfície da Terra. OS PRIMEIROS SERES VIVOS   Hipótese autotrófica – os primeiros seres vivos faziam fotossíntese e liberavam oxigênio para a atmosfera. Só depois deles, surgiram os seres heterotróficos, que se alimentam dos autotróficos. Hipótese heterotrófica - os primeiros seres vivos se alimentavam de substâncias que se formavam na água e só depois de muito tempo com o acúmulo de gás carbônico liberado na respiração celular desses seres heterotróficos que teriam surgido os heterotróficos, que usam esse gás na fotossíntese.
  2. 2. 2º Estudo de Ciências - Luiza Collet – Março - 7º ano – 2013 – 1º trimestre – 2013 ABIOGÊNESE X BIOGÊNESE 2 Abiogênese  Teoria da geração espontânea (por Aristóteles).  Princípio ativo – “poder” de gerar a vida.  Matéria – Passivo (matéria) - Ativo (“força vital”) Biogênese  A vida que origina a vida  Comprovação de que a Abiogênese estava errada (Louis Pasteur).  Francesco Redi (1626 – 1691)
  3. 3. 2º Estudo de Ciências - Luiza Collet – Março - 7º ano – 2013 – 1º trimestre – 2013  John Needham (1713 – 1781) 3  Lázaro Spallanzani (1728 – 1779)  Louis Pasteur (1822- 1895) e o fim da abiogênese
  4. 4. 2º Estudo de Ciências - Luiza Collet – Março - 7º ano – 2013 – 1º trimestre – 2013 TEORIA DA EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES  Criacionismo (Divindade)  4 Evolucionismo (Evolução das espécies)  LAMARK – Lei do uso e desuso (uso de certa estrutura ocasionaria seu desenvolvimento; e o desuso sua atrofia). - Transmissão das características adquiridas ao longo da vida do organismo passaria para sua descendência.  WALLACE – Os seres vivos apresentavam mecanismos de transformação de acordo com as alterações do ambiente.  DARWIN – mutações e Seleção natural - Os seres vivos apresentam variações em suas características dentro de uma espécie. As características e variações permitem favorecer os mais aptos.
  5. 5. 2º Estudo de Ciências - Luiza Collet – Março - 7º ano – 2013 – 1º trimestre – 2013 Parte II – Classificação dos seres vivos Os níveis taxonômicos (Não a um consenso) 5 -Taxonomia =parte da biologia que trata da classificação dos seres vivos. Grego tassaein (arranjo, ordem) nomos+ia (qualidade de). -Nomenclatura binomial = sistema que caracteriza e nomeia o gênero (que são espécies aparentadas) e a espécie (que são seres com características semelhantes específicas) do animal a partir de duas palavras em latim, temos a língua oficial científica. Ex.: Gênero – Panthera. Espécie – Panthera pardus e Panthera onca. (Esse também é o modo correto de se escrever – itálico e segundo nome em letra minúscula). Categorias taxonâmicas (ou níveis taxonâmicos)  ESPÉCIE – conjunto de indivíduos semelhantes entre si, que se reproduzem e são capazes de se reproduzir.  GÊNERO – conjunto de espécies aparentadas. Apesar de semelhanças, as espécies apresentam diferenças. Com isso a nomenclatura binomial identifica o gênero e o adjetivo o modifica.  FAMÍLIA – conjunto de gêneros semelhantes.  ORDEM - conjunto de famílias semelhantes.  CLASSE - conjunto de ordens semelhantes.  FILO – conjunto de classes semelhantes.  REINO - conjunto de filos semelhantes. Nomenclatura Binomial
  6. 6. 2º Estudo de Ciências - Luiza Collet – Março - 7º ano – 2013 – 1º trimestre – 2013 IMPORTANTE - Podemos afirmar que a espécie é o nível taxonômico onde encontramos mais semelhanças e o reino onde encontramos mais diferenças. Ex.: gato doméstico. Reino: Animalia. Filo: Chordata. 6 Classe: Mammalia. Ordem: Carnívora. Família: Felidal. Gênero: Felis. Espécie: Felis catus.
  7. 7. 2º Estudo de Ciências - Luiza Collet – Março - 7º ano – 2013 – 1º trimestre – 2013 Os cinco reinos Monera Estrutura celular Organização celular 7 Forma de obtenção de energia Exemplos Protista Animalia Plantae Fungi Procarionte Eucarionte Eucarionte Eucarionte Eucarionte Unicelular Unicelular e Pluricelular Pluricelular Pluricelular Unicelular e Pluricelular Heterótrofo Heterótrofo Heterótrofo Autótrofo Heterótrofo Bactérias e cianobactérias Protozoários (uni- celular) e algas (pluricelular) Borboletas, macacos, cobras, homem, sapos, etc Macieiras, samambaias e limoeiros (fungos) cogumelo, bolores e leveduras Os Vírus - Não são constituídos por células - Não sobrevivem fora de outros seres - Alguns cientistas não os consideram seres vivos. BOM ESTUDO!! Fonte: Jornadas. CIE, Carnevalle, Maíra Rosa – Editora Saraiva (1ª edição).

×