Texto para impressão
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Texto para impressão

on

  • 4,416 views

 

Statistics

Views

Total Views
4,416
Views on SlideShare
4,416
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
7
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Texto para impressão Texto para impressão Document Transcript

  • BANCO PRIVADO ATLÂNTICO DETECÇÃO DE NOTAS FALSAS • Dólar • Euro • Kwanza 1- INTRODUÇÃO
  • Notas e moedas são meios de pagamento emitidos pelos Estados para serem utilizados nas transacções económicas, sendo-lhes atribuído curso legal e poder liberatório. O curso legal decorre da lei que lhes confere capacidade para serem utilizadas como meio de pagamento num espaço territorial e torna obrigatória a sua aceitação pelo valor nominal. Poder liberatório é a capacidade legal que lhes é conferida para saldar ou pagar débitos e realizar pagamentos. Contrafacção e falsificação são crimes que afectam todas as moedas, sendo a sua dimensão proporcional ao valor, quantidade de notas em circulação e âmbito territorial de aceitação. Receber uma nota falsa como se fosse autêntica significa perder o seu valor. Esta situação mostra, por si só, a importância de saber reconhecer a autenticidade das notas no momento da sua recepção 2- DIFERENÇA ENTRE FALSIFICAÇÃO E CONTRAFACÇÃO Falsificação é a alteração parcial de uma nota genuína (Exemplo: Alteração do valor de uma nota de 1 para 10, de 5 para 50, etc.) Contrafacção é a reprodução completa de notas com a intenção de as colocar em circulação. Apesar de normalmente se utilizarem as expressões “moeda falsa”, “falsificação de notas” ou “nota falsa”, a contrafacção é o crime mais frequente, cuja dimensão é proporcional às medidas implementadas pelos governos para garantir a segurança das notas. Comparado com a contrafacção, o crime de falsificação não tem expressão nem justifica a adopção de medidas especiais de segurança. Contudo, como a expressão está generalizada, utilizaremos neste documento os termos “falsificação” e “falso” para referir contrafacção e contrafeito 3- US DOLAR
  • O dólar é a moeda mais utilizada no mundo e, também, a mais falsificada, surgindo com frequência novas falsificações, algumas com níveis elevados de sofisticação. Para combater a utilização da tecnologia ao alcance dos falsificadores, as autoridades dos EUA têm reformulado o desenho das notas, introduzido novos elementos de segurança ou alterado a sua localização na nota, com o objectivo de garantir a segurança do dólar e a confiança dos utilizadores. 3.1- Evolução das notas de dólar Em 1785 o dólar foi adoptado como moeda única dos EUA. Em 1913 foi criado o Federal Reserve como banco central que passou a emitir a nova moeda chamada “Federal Reserve Note”. Em 1929 foi uniformizada a dimensão das notas e o desenho de cada denominação, com o objectivo de facilitar a sua identificação pelos utilizadores. Em 1969 as autoridades monetárias anunciaram que as notas de 500, 1000, 5000 e 10000 dólares deixariam de ser distribuídas por falta de uso. Em 1990 o filete de segurança e a micro impressão foram introduzidos nas notas de 100, medidas que foram incluídas em todas as denominações em 1993, com excepção das notas de 1 e 2 dólares. Em 1996 foi alterado o desenho e introduzidos novos elementos de segurança nas notas de valor entre 5 e 100 dólares, para as tornar mais seguras contra falsificações. Foram introduzidas as seguintes alterações: retrato maior deslocado do centro, marca de água com a figura do retrato, alteração do número, adopção do selo do Federal Reserve System, tinta de cor variável (excepto nas notas de 5 dólares), mudança da localização do filete de segurança e da micro impressão e impressão de linhas finas no fundo do retrato e do desenho. Em 2004 as notas foram novamente alteradas com um desenho mais colorido e elementos de segurança adicionais para as tornar mais complexas e mais difíceis de falsificar; adição de cor, ampliação e reposicionamento do retrato são as diferenças mais visíveis, mantendo-se os restantes elementos de segurança com algumas variações. 3.2- Curso legal De acordo com a lei dos EUA todas as notas emitidas desde 1861 mantêm o curso legal e o valor facial da cédula, mesmo depois da entrada em circulação de novas notas. 3.3- Elementos de segurança das notas • O papel é de fabricação exclusiva feito de algodão e linho que lhe dá uma consistência e flexibilidade reconhecíveis ao acto e incorpora na sua textura fibras de seda vermelhas e azuis. • A tinta contém pigmentos metálicos que podem ser detectados com equipamento electrónico ou com um imã. • A impressão é efectuada em três etapas: calco gráfico para conferir relevo à nota (talhe doce); offset para gravação de fundo, retrato e florões e tipográfico para impressão da série, numeração e assinaturas.
  • • Os retratos, cuja impressão da efígie, moldura e fundo é complexa, são constantes desde 1929, permitindo a identificação fácil das notas. • O filete de segurança é uma fita vertical incorporada no papel, pode ser observado à transparência e brilha sob luz UV. • A micro impressão usa letras tão pequenas que só podem ser lidas com instrumentos ópticos, parecendo à vista desarmada uma linha fina que se transforma num borrão se for fotocopiada • A marca de água representa a figura do retrato e é observável à transparência. • A numeração das notas foi alterada em 1996, passando de A 12345678 B para AB 12345678 C. O número da nota pode ter uma estrela de cinco pontas à direita em vez da letra (A 12345678 * ou AB 12345678 *). A numeração está impressa na mesma cor do Selo do Tesouro. • O selo do Federal Reserve System foi adoptado em 1996 em substituição dos selos dos bancos emissores. • A tinta de cor variável está na frente da nota, no canto inferior direito, nos algarismos referentes ao valor da nota. • A cor das notas foi alterada; o verde e o preto são as cores dominantes das notas até 2004, ano a partir do qual foram introduzidas outras cores de fundo nas notas. 3.3.1- Figuras históricas e desenhos das notas NOTA RETRATO (Frente) DESENHO (Verso) $1 Washington The Great Seal of the United States $2 Jefferson Declaration of Independence $5 Lincoln Lincoln Memorial $10 Hamilton U. S. Treasury The White House
  • $20 Jackson $50 Grant U. S. Capitol $100 Franklim Independence Hall 3.3.2- Selo do Federal Reserve Federal Reserve Bank Letra Número (Banco emissor) Boston A 1 New York City B 2 Philadelphia C 3 Cleveland D 4 Richmond E 5 Atlanta F 6 Chicago G 7 St. Louis H 8 Minneapolis I 9 Kansas City, MO J 10 Dallas K 11 San Francisco L 12 4- EURO Em Janeiro de 2002 alguns Estados da U. E. adoptaram o Euro como moeda comum. Entretanto, o Euro vem sendo adoptado por outros Estados, tendo como objectivo tornar-se a morda única dos Estados da União Europeia. As notas são iguais em toda a área do euro, não havendo portanto especificidades nacionais. Apesar da sua juventude e dos elementos de segurança de que dispõem, as notas de euro são muito falsificadas.
  • 4.1- Denominações e especificações A primeira série de notas inclui sete denominações alusivas ao tema “Épocas e Estilos na Europa”, com as seguintes especificações de base: Nota Dimensões Cor dominante Estilo arquitectónico Comp/Larg (mm) 5 120 / 62 Cinzento Clássico 10 127 / 67 Vermelho Românico 20 133 / 72 Azul Gótico 50 140 / 77 Cor-de-laranja Renascentista 100 147 / 82 Verde Barroco e Rococó 200 153 / 82 Amarelo-torrado Arquitectura em ferro e vidro 500 160 / 82 Púrpura Arquit. moderna do século XX As sete denominações das notas de euro contêm a representação de pórticos e janelas na frente e de pontes no verso, representando exemplos dos diferentes períodos artísticos europeus. Nos outros elementos do design incluem-se: o símbolo da União Europeia, a designação da moeda nos alfabetos romano e grego, as iniciais do Banco Central Europeu nas línguas oficiais e a assinatura do Presidente do BCE. 4.2- Elementos de segurança das notas de euro Seleccione um exemplar de cada nota (nova ou em bom estado), identifique e analise os elementos de segurança que contêm: • O papel das notas é especial, incorpora fibras de algodão que lhe conferem uma textura particular reconhecível ao tacto. • A marca de água é visível à transparência e representa o motivo arquitectónico e o valor da nota.
  • • O talhe doce (relevo) é reconhecível ao tacto e utilizado em diversas partes na frente da nota. • Registo frente/verso são marcas irregulares impressas nos dois lados da nota que se completam quando observadas à transparência, formando os algarismos referentes ao valor da nota. • Filete de segurança é uma linha escura incorporada no papel observável à transparência e tem impressa a palavra EURO e o valor da nota. • Holograma é uma banda ou um elemento laminado de “efeito holográfico” existente na frente das notas, observável quando se inclina a nota. • As notas de 5, 10 e 20 euros têm banda holográfica com 8mm de largura; as notas de 50, 100, 200 e 500 euros têm elemento holográfico no canto inferior direito. • A banda iridescente, existente no verso das notas de 5, 10 e 20 euros, brilha quando se inclina a nota. • A tinta de cor variável dos algarismos do valor das notas de 50, 100, 200 e 500 euros, existentes no canto inferior direito do verso, muda de cor quando se inclina a nota. • Mini e micro impressão existem em várias partes da nota; as inscrições com 0,8mm (mini impressão) podem ser lidas a olho nu, enquanto as inscrições com 0,2mm (micro impressão) parecem uma linha fina que só pode ser lida com instrumentos ópticos. • Fluorescência é a reacção à luz ultra violeta. O papel das notas não é fluorescente, mas quando observado sob uma luz UV, evidencia os elementos fluorescentes nele incorporados. 5- KWANZA A Lei nº 11/99 de 12 de Novembro criou e deu curso legal à moeda nacional de Angola, o Kwanza, que constitui um elemento de soberania a par da bandeira, do hino, do território, do povo e do governo. As moedas previstas na lei (1, 2 e 5 kz e 10 e 50 cêntimos) praticamente não circulam dado o seu reduzido valor. 5.1- Denominações e características das notas As notas de kwanza são muito similares entre si, diferenciando-se pelas cores, pelas dimensões e pelas imagens de locais de Angola:
  • Notas Cor dominante Dimensões Imagens Comp/Larg (mm) (Verso) 5 Azul-claro 138 / 66 Serra da Leba 10 Vermelho 144 / 66 Palanca negra 50 Verde limão 150 / 66 Plataforma petrolífera 100 Amarelo-torrado 156 / 66 Sede do B. N. A. 200 Lilás 159 / 66 Av. 4 de Fevereiro – Luanda 500 Cor-de-laranja 161 / 66 Colheita de algodão 1000 Cor-de-rosa 163 / 66 Plantação de café 2000 Verde 166 / 66 Pesca artesanal 5.2- Elementos constantes das notas Os elementos a seguir indicados existem em todas as notas: • O papel e a marca de água exclusiva (pensador) • O design com motivos da cultura angolana • As efígies, na frente, ligeiramente sobrepostas com a inscrição “A vitória é certa” • Numeração tipográfica impressa a preto com duas letras e sete algarismos, com 3mm no canto superior esquerdo e com 3,25mm no canto inferior direito. • A designação “Banco Nacional de Angola” figura na frente da nota. • A insígnia da República de Angola figura no canto inferior esquerdo do verso 5.3- Elementos de segurança dos Kwanzas • O papel tem uma textura particular reconhecível ao tacto e incorpora fibras de seda azuis e vermelhas.
  • • A marca de água pode ser vista à transparência e representa o pensador • O filete de segurança pode ser visto à transparência e tem impressa a sigla BNA, com excepção das notas de 5 kz que não tem qualquer inscrição. • O registo frente/verso, existente no lado esquerdo da frente da nota, forma a sigla BNA se a nota for vista à transparência. • A mini e micro impressão são utilizadas em várias partes da nota; as inscrições com 0,8mm podem ler-se a olho nu, enquanto as com 0,2mm parecem uma simples linha. • O talhe doce (relevo) existe na frente da nota, nos algarismos referentes ao valor e na inscrição Banco Nacional de Angola. • Cor – Todas as notas têm diferentes tonalidades, salientando-se que a inscrição BANCO NACIONAL DE ANGOLA, existente na frente da nota, está impressa em duas cores, com excepção da nota de 5 kz que só tem uma cor. • Fluorescência é a reacção à luz ultra violeta. O papel das notas não é fluorescente, mas se for observado sob uma luz UV evidencia os elementos fluorescentes nele incorporados, na frente e no verso das notas 6- VERIFICAÇÃO DAS NOTAS Os elementos de segurança existentes nas notas permitem distingui-las facilmente das falsificações sem necessidade de recorrer a equipamento especial. A metodologia tocar, observar e inclinar torna possível, por si só, o despiste da maioria das notas falsas: • Toque e sinta a firmeza, flexibilidade e ligeira sonoridade do papel da nota (O toque não deve transmitir uma sensação cerosa) • Deslize os dedos ou raspe suavemente com a unha para sentir a impressão em relevo (talhe doce).
  • • Observe a marca de água, o filete de segurança e o registo frente/verso, segurando a nota contra a luz. • Olhando atentamente podem ver-se as fibras coloridas existentes no papel e a mini impressão. • A aparência da nota não deve ser lustrosa. • Incline a nota e observe os algarismos mudarem de cor, a banda iridescente e o holograma brilharem Se subsistirem dúvidas após a realização desta avaliação: • Compare a nota com outra genuína do mesmo valor e série. • Observe cuidadosamente a qualidade da impressão e a micro impressão com uma lupa ou um conta fios. • Utilize uma luz ultra violeta. 7- PASSAGEM DE NOTAS FALSAS A passagem de notas falsas pode ser feita de boa fé, por quem não sabe avaliar a autenticidade das notas, ou intencionalmente, por quem sabe que as notas que detém são falsas. Já houve casos em que os falsários utilizaram pessoas bem intencionadas para trocar notas falsas, utilizando, se resultar, essas instituições para o seu escoamento. Esta situação evidencia a importância de se saber reconhecer a autenticidade das notas no momento da sua recepção. 8- SUSPEITA DE NOTAS FALSAS Se suspeitar que uma nota é falsa adopte o seguinte procedimento: • Mantenha-se calmo e não se envolva em discussão com o passador • Verifique se a nota tem os elementos de segurança descritos, utilizando a metodologia tocar, observar e inclinar. A análise da impressão, micro impressão e da fluorescência permite concluir com elevado grau de certeza.
  • • Observar ostensiva e demoradamente a nota pode levar o passador intencional a fugir. • Se se confirmar a suspeita ou se tiver dúvidas não efectue a transacção; dê uma desculpa e informe o seu superior hierárquico. • Não devolva, não destrua, não inutilize nem marque as notas falsas ou suspeitas de o serem. • Mantenha as notas suspeitas sempre à vista no interior do balcão. • Observe, memorize e registe o aspecto do passador e de eventuais acompanhantes. • Peça apoio ao gerente ou colegas e chame a policia se necessário.