Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
HydroDAnálise Hidrostática e Hidrodinâmica de Estruturas FlutuantesJoão Henrique Volpini MattosRegional Sales Manager - Ma...
Propósitos  HydroD é um programa interativo para análise de estabilidade e carregamento  de ondas em corpos flutuantes est...
Histórico   ANO EVENTO   1987              Cooperação técnica entre DNV e MIT, resultando na implementação do Wadam,      ...
Recursos do HydroD    Criação ou importação dos modelos     hidrodinâmicos e de massa.    Assistentes para a entrada de ...
Análise Hidrostática e                                    Estabilidade© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reserva...
Análise Hidrostática Atividades Típicas    - Definição das seções transversais    - Definição das condições de carregamen...
Análise Hidrostática - Resultados  Curva de braços de endireitamento  Momento de emborcamento  Distância das aberturas ...
Verificação de Estabilidade Análise de equilíbrio e estabilidade feita por cálculo direto, sem interpolação.  Estabilidad...
KG Permissível Centro de Gravidade Vertical (KG) Permissível       Defina uma curva de momento de emborcamento.       De...
Análise Hidrodinâmica© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados.   Slide 10
Análise Hidrodinâmica    Análise hidrodinâmica de corpos flutuantes estacio-     nários ou em movimento :        - Teoria...
Modelos Hidrodinâmicos                                                                           OBSERVAÇÕES              ...
Análise no Domínio da Frequência  A análise no domínio da frequência é utilizada para calcular as funções de   transferên...
Análise de Múltiplos Corpos  Para análise de múltiplos corpos no domínio da frequência é possível   utilizarmos até 15 di...
Região de Redução de Pressão  Aplicação de uma redução de pressão em uma região da embarcação   selecionada pelo usuário....
Análise Linear no Domínio do Tempo  Utilize a análise no domínio do tempo para   simular um estado físico de mar.  Crie ...
Análise Não-Linear no Domínio do Tempo (1)    Efeitos incluídos na análise não-linear :        - Pressão hidrostática e F...
Análise Não-Linear no Domínio do Tempo (2) Modelos de Morison são importantes para estruturas flutuantes que tenham  estr...
Análise Não-Linear no Domínio do Tempo (3) A importância do modelo de Morison– Mar calmo com 5º de banda. Nenhum         ...
Pontos de Análise Definidos pelo Usuário   Pontos de referência definidos pelo                                           ...
HidroD : Softwares DNV Relacionados  GeniE.Panel                                Modelagem do casco e                     ...
A Família HydroD© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados.   Slide 22
Wadam (1)                                        Wave Analysis by Diffraction and Morison Theory Análise hidrodinâmica da ...
Wadam (2)  Resultados do Wadam :    RAOs do movimento do corpo rígido.    RAO de pressão em painéis especificados.    R...
Wasim (1) Análise hidrodinâmica de embarcações com velocidade de avanço.  Teoria de radiação-refração 3D por Rankine.  S...
Wasim (2)  Cuidados Numéricos :    Densidade da grade    Extensão da grade    Passo do tempo        - Precisão        -...
Postresp Pós-processamento estatístico dos resultados hidrodinâmicos :      No domínio da frequência         – Funções de...
Interação Postresp-Wadam                                                             WADAM                                ...
Resposta de Curto Prazo                                                           PIERSON-MOSKOWITZ Espectro de ondas par...
Cálculos Estatísticos  Estatística de curto prazo     - Para uma determinada duração do estado de mar          - Calcule ...
Xtract  Os resultados hidrodinâmicos podem ser animados pelo Xtract.  Cada combinação frequência/direção é animada separ...
O software© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados.       Slide 32
Interface (GUI)                                                      Menus e barra de ferramentasDicas ebarra de status   ...
Ambiente                                                           Pastas de definição do ambiente                        ...
Modelagem Hidrodinâmica da Forma (1)      5 configurações de modelos hidrodinâmicos                                       ...
Modelagem Hidrodinâmica da Forma (2)            Montagem de todos os modelos utilizados nas análises, incluindo suas     ...
Modelo de Painéis (não válido para Wasim)                                                                           Window...
Modelo de Seções (todos os tipos de análises)         O modelo de seções descreve a geometria do modelo por um conjunto  ...
Exemplo do Modelo de Seções                                                            Até 100 seções podem ser utilizada...
Criação do Modelo de Painéis a Partir das Seções   Sugestão automática do núme-    ro de painéis necessários para    uma ...
Criação do Modelo de Painéis a Partir das Seções                                                           Sempre verifiqu...
Definição da Bolina© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados.   Slide 43
Condições de Carregamento  A condição de carregamento contém todos os dados relacionados a um certo  calado e ângulos de t...
Criando uma Condição de Carregamento            A condição de carregamento deve apresentar             equilíbrio entre a...
Modelo de Massas (1) Opção 1 : Dados de massa definidos pelo usuário       Os dados podem ser definidos        em diferen...
Modelo de Massas (2) Opção 2 : Distribuição de massas lida de arquivo                                                     ...
Modelo de Massas (3)  Opção 3 : Especifique a matriz de massas                                                           A...
Assistente – Hidrostática e Estabilidade                                                            Guia passo a passo at...
Assistente – Wadam                                                            Guia passo a passo através da              ...
Assistente – Wasim                                                                       Apenas o modelo de seções é     ...
Alguns Usuários HidroD/Wadam/Wasim© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados.   Slide 52
Dúvidas  www.dnv.com.br Salvaguardando a vida, a propriedade e o meio ambiente      João Henrique Volpini Mattos          ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Apresentação HydroD : Análise Hidrostática e Hidrodinâmica de Estruturas Flutuantes

2,160 views

Published on

Âpresentação da família de softwares HydroD para análise de estabilidade longitudinal e transversal e análise hidrodinâmica de estruturas flutuantes.

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Apresentação HydroD : Análise Hidrostática e Hidrodinâmica de Estruturas Flutuantes

  1. 1. HydroDAnálise Hidrostática e Hidrodinâmica de Estruturas FlutuantesJoão Henrique Volpini MattosRegional Sales Manager - Maritime & Offshore Solutions (South America), DNV SoftwareJulho 2012
  2. 2. Propósitos HydroD é um programa interativo para análise de estabilidade e carregamento de ondas em corpos flutuantes estacionários ou com velocidade de avanço.  Modelar o ambiente e preparar os dados de HydroD D1.3-04 Date: 31 May 2005 15:01:34 GZ-Curve entrada para análise hidrostática e hidrodinâmi- 4 ca. 3 -2 -1 0 1 2 GZ [ m]  Executar os cálculos hidrostáticos e de estabili- dade intacta e em avaria (incluindo efeito de superfície livre e impelidores laterais). 0 50 100 150  Calcular os esforços cortantes e momentos fleto- Heel Angle [deg] res em águas tranquilas.  Executar os cálculos hidrodinâmicas em corpos rígidos flutuantes, com e sem velocidade de avanço (coeficientes hidrodinâmicos, forças, des- locamentos, acelerações, etc.).  Transferir as cargas hidrostáticas e hidrodinâmi- cas para a análise estrutural.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 2
  3. 3. Histórico ANO EVENTO 1987 Cooperação técnica entre DNV e MIT, resultando na implementação do Wadam, baseado no código do Wamit. 1990 Cooperação técnica entre DNV e MIT, resultando na implementação do Wasim em 1996. 2004 HydroD 1.0, incluindo todas as funcionalidades do Wadam, exceto multi-corpos. 2006 HydroD 2.0, com amortecimento de ondas em surge, análise hidrostática e de estabilidade. 2008 HydroD 3.0 com inclusão do Wasim e várias melhorias na análise de estabilidade. 2008 HydroD 4.0 com análise de multi-corpos. 2009 HydroD 4.2 com amortecimento quadrático de balanço no Wadam, suporte para ondas de 5ª ordem de Stokes (profundidade infinita), Wadam e Wasim podem iniciar o Sestra (FEA Solver) a partir do HydroD. 2010 HydroD 4.3 com ondas de 5ª ordem de Stokes em profundidade finita e aumento do número de corpos acoplados no Wadam (até 15). 2011 HydroD 4.5 64 bits com região de redução de pressão definida pelo usuário e pontos definidos pelo usuário para cálculo dos resultados.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 3
  4. 4. Recursos do HydroD  Criação ou importação dos modelos hidrodinâmicos e de massa.  Assistentes para a entrada de dados mais complexos (ex.: amortecimento do balanço e modelos de casco duplo, modelos de Morrison, modelos de painéis, etc.).  Várias verificações de dados.  Cálculo dos calados, trim e banda para cada modelo de massas.  Verificação da estabilidade transversal por várias normas.  Front-end para Wadam (domínio da frequência) e Wasim (domínio do tempo).  Apresentação gráfica e tabular dos resultados.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 4
  5. 5. Análise Hidrostática e Estabilidade© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 5
  6. 6. Análise Hidrostática Atividades Típicas - Definição das seções transversais - Definição das condições de carregamento • Calado, trim e banda • Massa e conteúdo dos tanques e porões • Ferramentas de auto-balanceamento o Balanceie 3 ou mais tanques, minimizando o GM - Aberturas • Opções de estanqueidade - Crie e execute a análise de estabilidade • Análises múltiplas em paralelo (com várias CPUs) • Cálculo de momento devido ao vento - Execute as verificações pelas normas • Condições de estabilidade intacta e avaria - Faça a análise do KG permissível© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 6
  7. 7. Análise Hidrostática - Resultados  Curva de braços de endireitamento  Momento de emborcamento  Distância das aberturas à agua  Curvas longitudinais : - Momento fletor - Esforço cortante - Distribuição de massas - Flutuação  Dados hidrostáticos - KM, CB, CF - CG (com e sem conteúdo dos compartimentos) - Deslocamento - MTC - Áreas projetadas acima e abaixo da LA© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 7
  8. 8. Verificação de Estabilidade Análise de equilíbrio e estabilidade feita por cálculo direto, sem interpolação.  Estabilidade intacta e em avaria  Code checks por : - IMO geral - MARPOL intacta e avaria - IGC avaria - IBA avaria - NMD intacta e avaria - IMO MODU intacta e avaria - ABS MODU intacta e avaria - Regra definida pelo usuário© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 8
  9. 9. KG Permissível Centro de Gravidade Vertical (KG) Permissível  Defina uma curva de momento de emborcamento.  Defina as condições de carregamento, varrendo toda a faixa de calados.  Utilize os critérios de estabilidade da norma selecionada para determinar o KG permissível.  O KG que satisfaz cada critério é calculado. O mínimo destes valores é repor- tado como a curva de KG permissível.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 9
  10. 10. Análise Hidrodinâmica© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 10
  11. 11. Análise Hidrodinâmica  Análise hidrodinâmica de corpos flutuantes estacio- nários ou em movimento : - Teoria 3D radiação-difração no modelo de painéis e equação de Morison no modelo de barras. - O modelo dual permite que ambos os métodos sejam utilizados simultaneamente. - Teoria de ondas de Airy. - Interação hidrodinâmica entre vários corpos independen- tes.  Resultados - Funções de transferência complexas ou como resultados determinísticos para fases específicas da onda. - Respostas globais incluindo movimentos de corpo rígido, forças seccionais e momentos. - Pressões e acelerações. - As cargas (pressões e acelerações do corpo rígido) são automaticamente transferidas para a análise estrutural.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 11
  12. 12. Modelos Hidrodinâmicos OBSERVAÇÕES Tudo é calculado apenas pela teoria poten- Modelo de Painéis cial. Todo o modelo é em barras. Tudo é calcula- Modelo de Morison do pela equação de Morison. Parte do modelo é de painéis, parte em barras. A equação de Morison e a teoria Modelo Composto potencial são aplicadas a partes diferentes do modelo. Tudo é feito em painéis e em barras. Ambos Morison e a teoria potencial são aplicados a Modelo Dual todo modelo (obrigatório para análise estrutural).© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 12
  13. 13. Análise no Domínio da Frequência  A análise no domínio da frequência é utilizada para calcular as funções de transferência (RAOs).  A entrada é a “condição do domínio da frequência” - Conjunto de direções. - Conjunto de frequências. - Amplitudes.  Tarefas típicas (feitas no modelo hidrostático) - Seções de Morison. - Elementos de pressões nas áreas. - Pontos fora do corpo (pressão de onda, velocidade de partículas da onda). - Definição dos dados para Wadam. - Variáveis de resposta globais. - Transferência de carregamento.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 13
  14. 14. Análise de Múltiplos Corpos  Para análise de múltiplos corpos no domínio da frequência é possível utilizarmos até 15 diferentes corpos. Esta análise permite que o usuário especifique uma matriz adicional de acoplamento entre os corpos. Matriz adicional de acoplamento. Esta figura apresenta uma matriz de 12 x 12 para 2 corpos.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 14
  15. 15. Região de Redução de Pressão  Aplicação de uma redução de pressão em uma região da embarcação selecionada pelo usuário. - Este método é somente recomendado para a parte da embarcação que tenha costado plano, e portanto deve ser controlada pelo usuário. - Benefícios : Definida pelo usuário, em adição ao suporte às regras DNV. - Esta opção é disponível tanto para análises no domínio da frequência como no tempo. Costado plano indicado pelo usuário© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 15
  16. 16. Análise Linear no Domínio do Tempo  Utilize a análise no domínio do tempo para simular um estado físico de mar.  Crie “instantâneos” do carregamento.  O estado de mar pode ser definido por : G L v ie w 3 D P lu g i n - “Condição irregular no tempo” • Vagas (direção, espectro de ondas, função de [W a s i m _ l i n _ s e m i . v tf ] dispersão) • Ondulações oceânicas (swell) - “Conjunto de ondas regulares” (período, altura, GLview Plugin not installed. Press here to install plugin fase, direção) - Mar calmo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 16
  17. 17. Análise Não-Linear no Domínio do Tempo (1)  Efeitos incluídos na análise não-linear : - Pressão hidrostática e Froude-Krylov na superfície molhada exata. - Tratamento exato da inércia e gravidade. G L v ie w 3 D P lu g in - Termos quadráticos da equação de Bernoulli. - Amortecimento do jogo (roll) quadrático. [W a s i m _ n o n l i n _ s e m i . v t f] GLview Plugin not installed. Press here to install plugin RAO jogo sem amortecimento e com amortecimento quadrático Direção da onda 90º© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 17 Slide 17
  18. 18. Análise Não-Linear no Domínio do Tempo (2) Modelos de Morison são importantes para estruturas flutuantes que tenham estruturas reticuladas, causando arrasto apreciável. As forças de arrasto não lineares são consideradas no domínio do tempo, melhorando a representação do amortecimento. Utilizando a cinemática da onda incidente, a força é integrada até a superfície livre da onda. RAO jogo sem amortecimento e com amortecimento quadrático Embarcação de lançamento de pipelines, com stinger. Direção da onda 90º GLview Plugin not installed. Press here to install plugin© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 18
  19. 19. Análise Não-Linear no Domínio do Tempo (3) A importância do modelo de Morison– Mar calmo com 5º de banda. Nenhum -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 amortecimento adiconal de jogo. Motion amplitude– Com o modelo de Morison, o movimento de jogo é amortecido. 0 20 40 60 80 100 120 Roll - CalmSeaRun_noMorison Time Roll - CalmSeaRun_Morison  A importância do amortecimento do jogo - Movimento de jogo em onda de 10 Stokes de 5ª ordem oblíqua (perío- 8.161 8 6 do 12s, altura 20 m), sem amorte- 4 1.8471 2 Motion amplitude cimento de jogo adicional. atribuído. 0 -2 - Com o modelo de Morison, temos -4 -6 maior resposta na fase inicial, mas -10 -8 se estabiliza devido ao amorteci- 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 150 160 170 180 190 200 mento do stinger. Roll - Stokes5_Morison Roll - Stokes5_noMorison Time© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 19
  20. 20. Pontos de Análise Definidos pelo Usuário  Pontos de referência definidos pelo Surge usuário para cálculo dos resultados: 1.4 1.2 - Maior flexibilidade pois o ponto de 1 Amplitude referência pode ser usado para o 0.8 cálculo de resultados hidrodinâmicos, 0.6 como movimentos, forças e RAOs. 0.4 0.2 - Aplicável a análises no domínio do 0 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 tempo e da frequência. Period Sway 1.4 1.2 1 Amplitude 0.8 0.6 0.4 Dois pontos de referência distintos 0.2 0 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 26 28 30 32 Period© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 20
  21. 21. HidroD : Softwares DNV Relacionados  GeniE.Panel Modelagem do casco e Modelo de massa Modelo de massa distribuição de massas. (Patran-Pre ou GeniE) (Patran-Pre ou GeniE) Modelo de  Wadam Análise hidrodinâmica da painéis & massas (Presel) iteração corpo-onda para corpos flutuantes estacio- Parâmetros HydroD da análise nários.  Wasim Análise hidrodinâmica de Wadam embarcações com veloci- dade de avanço. Estado de mar RAO Resposta Postresp - curto prazo  Postresp Pós-processamento esta- tístico. Resposta de longo prazo Diagrama de dispersão Postresp – longo prazo  Xtract Apresentação aperfeiçoa- da de resultados e anima- Transferência de Saída do Postresp: ção. cargas para análise  Estatísticas de longo prazo estrutural:  Gráficos de RAO  Cargas de inércia  Combinação de RAOs  Pressão de onda  Gráficos de espectro de resposta© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 21
  22. 22. A Família HydroD© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 22
  23. 23. Wadam (1) Wave Analysis by Diffraction and Morison Theory Análise hidrodinâmica da iteração entre ondas e estrutura (domínio da fre- quência) para corpos estacionários. Wadam = Wave Analysis by Diffraction and Morison Theory  Interação hidrodinâmica entre vários corpos independentes.  Estruturas fixas e flutuantes de formato arbitrário : • Semi-submersíveis • TLP • FPSO • SPARS • Gravity based  Teoria de radiação-difração 3D e de Morison.  Amortecimento viscoso.  Forças de excitação e resposta de 2ª ordem.  Geração das cargas para análise estrutural no Sestra.  Transferência de dados para o DeepC, Mimosa, Xtract, Postresp.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 23
  24. 24. Wadam (2) Resultados do Wadam :  RAOs do movimento do corpo rígido.  RAO de pressão em painéis especificados.  RAO das cargas globais (cargas seccionais).  Matrizes de massa, massa adicional, amortecimento e restauração.  Forças de excitação.  Força de arrasto médio. Análise de semisub avariada  Elevação da onda em pontos especificados.  Cinemática da onda em pontos especificados.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 24
  25. 25. Wasim (1) Análise hidrodinâmica de embarcações com velocidade de avanço.  Teoria de radiação-refração 3D por Rankine.  Solução no domínio do tempo com transferência para o domínio da frequência. Modelo linear – vista superior  Velocidade de avanço ilimitada sem planagem.  Análise linear e não linear. – Pressão hidrostática e Froude-Krylov na superfície molhada exata. – Tratamento exato da inércia e gravidade. Modelo linear – vista inferior – Termos quadráticos na equação de Bernoulli. – Amortecimento quadrático do balanço.  Formas arbitrárias de casco.  Água no convés. Sloshing.  Formulação de pressão de impacto.  Estado de mar irregular, regular ou calmo. Modelo não-linear – vista inferior© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 25
  26. 26. Wasim (2) Cuidados Numéricos :  Densidade da grade  Extensão da grade  Passo do tempo - Precisão - Estabilidade  Duração da simulação - Transiente  Controle do movimento horizontal. – Molas – Matriz de restauração – Leme com autopiloto.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 26
  27. 27. Postresp Pós-processamento estatístico dos resultados hidrodinâmicos :  No domínio da frequência – Funções de transferência definidas pelo usuário Heave response – Estatísticas de curto e longo prazo – Espectro de ondas : Pierson-Moskovitsz , Jonswap, ITTC, Torsethaugen, Ochi-Hubble – Distribuições : Rayleigh, Rice, Weibull – Ondas longas ou cristas curtas – Fadiga espectral – Slamming  No domínio do tempo Pitch moment – Apresentação dos resultados em séries temporais – Transformações FFT – Valores extremos, ajuste por Weibull – Contagem de Rain-flow – Avaria por fadiga© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 27
  28. 28. Interação Postresp-Wadam WADAM • Valores significativos / Estado Função de esperados Resposta • Probabilidade de exceder de Mar Transferência um nível de resposta • Valores extremos POSTRESP – curto prazo • Fadiga Resposta Diagrama de • Valores extremos Dispersão • Operacionabilidade POSTRESP – longo prazo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 28
  29. 29. Resposta de Curto Prazo PIERSON-MOSKOWITZ Espectro de ondas para uma faixa de Tz - SW(ω)  Espectro de resposta para um - Pierson-Moskowitz determinado espectro de ondas - ISSC Sr(ω) = SW(ω) x (HW(ω))2 - Jonswap - Torsethaugen - Ochi-Hubble - Gamma generalizado© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 29
  30. 30. Cálculos Estatísticos  Estatística de curto prazo - Para uma determinada duração do estado de mar - Calcule a resposta mais provável - Calcule a probabilidade de exceder um valor - Número de cruzamentos zero - Para um dado nível de resposta - Calcule a probabilidade de exceder um valor - Para uma dada probabilidade de exceder um valor - Calcule o nível de resposta equivalente  Estatísticas de longo prazo - Defina a probabilidade em cada direção - Selecione o diagrama de dispersão - Selecione a função de espalhamento - Crie a resposta de longo prazo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 30
  31. 31. Xtract  Os resultados hidrodinâmicos podem ser animados pelo Xtract.  Cada combinação frequência/direção é animada separadamente.  Muito útil para verificação dos resultados.  Dados que podem ser apresentados: - Elevação da onda. - Pressão no modelo estrutural. - Movimento do corpo rígido. - Tensões, forças e deformações a partir da análise de elementos finitos. G L v ie w 3 D P lu g i n [W a d a m _ l i n _ s e m i . v t f] GLview Plugin not installed. Press here to install plugin© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 31
  32. 32. O software© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 32
  33. 33. Interface (GUI) Menus e barra de ferramentasDicas ebarra de status Navegador Área de trabalho Interface de linha de comandos© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 33
  34. 34. Ambiente Pastas de definição do ambiente  Air - Perfis de vento (análise hidrostática)  Directions - Conjunto de direções das ondas.  Water - Conjunto de frequências, espectro, correnteza, dispersão das ondas, etc. (análise hidrodinâmica)  Locations (uma ou mais) - Profundidade, densidade, gravidade - Subconjunto das frequências, direções, espectro, etc., definidos em Directions e Water© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 34
  35. 35. Modelagem Hidrodinâmica da Forma (1) 5 configurações de modelos hidrodinâmicos Modelo de Morison Modelo de painéis Modelo composto Modelo dual Modelo multi-corpos© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 35
  36. 36. Modelagem Hidrodinâmica da Forma (2)  Montagem de todos os modelos utilizados nas análises, incluindo suas propriedades  Definição dos modelos para análises multi-corpos - Reutilizando modelos hidrodinâmicos existentes • Estabilidade • Wasim© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 36
  37. 37. Modelo de Painéis (não válido para Wasim) Windows Explorer  Utilizado nos cálculos hidrostáticos ou hidrodinâmicos pela teoria poten- cial.  O modelo de painéis default é o modelo do Sesam (T*.FEM).  Um modelo de painéis na formatação do Wamit (GDF) também pode ser utilizado.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 37
  38. 38. Modelo de Seções (todos os tipos de análises)  O modelo de seções descreve a geometria do modelo por um conjunto de curvas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 39
  39. 39. Exemplo do Modelo de Seções  Até 100 seções podem ser utilizadas  Importação de DXF (lines, polylines, lwpolylines)© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 40
  40. 40. Criação do Modelo de Painéis a Partir das Seções  Sugestão automática do núme- ro de painéis necessários para uma análise ótima : - Quando criando o modelo de pai- néis de um modelo de seções. - Baseado nas dimensões do mo- delo e critérios de malha.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 41
  41. 41. Criação do Modelo de Painéis a Partir das Seções Sempre verifique o vetor normal© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 42
  42. 42. Definição da Bolina© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 43
  43. 43. Condições de Carregamento A condição de carregamento contém todos os dados relacionados a um certo calado e ângulos de trim/banda:  Posição da superfície livre  Modelo de massas  Enchimento de tanques  Pontos fora do corpo  Compartimentos Condição de carregamento mostrando a superfície livre média© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 44
  44. 44. Criando uma Condição de Carregamento  A condição de carregamento deve apresentar equilíbrio entre a flutuação e a massa - Definida no modelo de massas - Explicitamente definida pelo usuário  Um modelo de massas é necessário para todas as estruturas flutuantes© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 45
  45. 45. Modelo de Massas (1) Opção 1 : Dados de massa definidos pelo usuário  Os dados podem ser definidos em diferentes sistemas de coordenadas  Massa e CG (x, y) podem ser calculados do modelo de painéis. Outros dados devem • 2 • 1 ser fornecidos manualmente - Todos os dados devem ser calculados assumindo uma densidade homogênea do modelo de painéis - A massa e CG devem ser definidos pela flutuação© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 46
  46. 46. Modelo de Massas (2) Opção 2 : Distribuição de massas lida de arquivo Apresente o modelo de massas com o modelo de painéis para verificar a consistência dos sistemas de coordenadas. Massas pontuais podem ser apresentadas.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 47
  47. 47. Modelo de Massas (3) Opção 3 : Especifique a matriz de massas Alguns recursos são especialmente úteis para trim/banda© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 48
  48. 48. Assistente – Hidrostática e Estabilidade  Guia passo a passo através da modela- gem.  Seleção da norma de verificação (navios e plataformas, intacta e avariada).© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 49
  49. 49. Assistente – Wadam  Guia passo a passo através da modelagem.  Quatro tipos de modelos principais podem ser utilizados : - Modelo de painéis - Modelo de Morison - Modelo composto - Modelo dual  Ajustes individuais para cada tipo de modelo.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 50
  50. 50. Assistente – Wasim  Apenas o modelo de seções é utilizado© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 51
  51. 51. Alguns Usuários HidroD/Wadam/Wasim© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 52
  52. 52. Dúvidas www.dnv.com.br Salvaguardando a vida, a propriedade e o meio ambiente João Henrique Volpini Mattos ? Engenheiro Naval DNV Software - Maritime & Offshore Solutions Regional Sales Manager – South America  joao.volpini@dnv.com  +55 21 3722 7337  +55 21 8132 8927 • Slide 53© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 53

×