Mercado de CarbonoGuilherme M. FagundesGerência de Produtos Ambientais, Energia e Metais23/05/2012                        ...
Agenda   1.    Contexto   2.    Requisitos para a implantação do mercado de carbono   3.    Atuação da BM&FBOVESPA e o Índ...
1. Contexto:Transição para uma economia de baixo carbono    • Implica em inovação em processos produtivos e uso de tecnolo...
2. Requisitos para a implantação do mercado de   carbono                             REGULAÇÃO    ESTRUTURA DE MERCADO    ...
2.1 Regulação mínima necessária                                        •Avanço na implementação                           ...
2.2 Componentes da estrutura do mercado  Demanda   • Existência de empresas emissoras com metas  Oferta   • Offsets: defin...
2.3 Infraestrutura necessária                           Sistema de registro de     Sistema de negociação                  ...
3. Atuação BM&FBOVESPA    Ambiente de Negociação    Incentivos aos stakeholders: Índice Carbono Eficiente                 ...
3.1 Ambiente de Negociação•   Sistema de negociação: ambiente transparente e de fácil acesso aos    participantes locais e...
3.2 Índice Carbono Eficiente - ICO2  • Lançado em Dezembro de 2010 pela BM&FBOVESPA em parceria com o BNDES  • Definição: ...
Impactos esperados do ICO2Nas companhias:• Preparar as companhias para um ambiente  competitivo em uma economia de baixo c...
Metodologia de Cálculo do ICO2             • Composição da carteira: empresas do IBrX-50 que aderiram ao               ICO...
Resumo da evolução da metodologia de  contabilização das emissões                Realização de             Limite do Escop...
Empresas Participantes da Carteira vigente                                             14
Performance do Índice Carbono Eficiente – ICO2 1300 1200 1100 1000  900  800  700                           IBOVESPA   IBR...
4. Considerações Finais • Economia de baixo carbono nos traz:     • Desafios:         • ICO2: dar continuidade ao processo...
www.bmfbovespa.com.br gfagundes@bvmf.com.br                         17
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Sustentar bvmf - 230512 - guilherme fagundes-final

586 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
586
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sustentar bvmf - 230512 - guilherme fagundes-final

  1. 1. Mercado de CarbonoGuilherme M. FagundesGerência de Produtos Ambientais, Energia e Metais23/05/2012 1
  2. 2. Agenda 1. Contexto 2. Requisitos para a implantação do mercado de carbono 3. Atuação da BM&FBOVESPA e o Índice de Carbono Eficiente 4. Considerações Finais 2
  3. 3. 1. Contexto:Transição para uma economia de baixo carbono • Implica em inovação em processos produtivos e uso de tecnologias com menor emissão de gases de efeito estufa; • Importância de medidas regulatórias e incentivos que estimulem as empresas a adotarem práticas mais eficientes e com menor impacto ao meio ambiente • Políticas públicas (taxação, linhas de financiamento diferenciadas, etc.) • Instrumentos de Mercado (Mercado de carbono, índices financeiros, etc.) 3
  4. 4. 2. Requisitos para a implantação do mercado de carbono REGULAÇÃO ESTRUTURA DE MERCADO INFRAESTRUTURA 4
  5. 5. 2.1 Regulação mínima necessária •Avanço na implementação das políticas: • Planos setoriais •Governança: • Definição de metas setoriais • Órgão regulador • Mecanismos de • Articulação entre iniciativas flexibilização do governo federal, estadual e municipal •Regulamentação do ativo • a ser negociado 5
  6. 6. 2.2 Componentes da estrutura do mercado Demanda • Existência de empresas emissoras com metas Oferta • Offsets: definir padrões elegíveis Interligação entre mercados estaduais e mercado nacional • Regulação • Acordos interestaduais Fases do mercado 6
  7. 7. 2.3 Infraestrutura necessária Sistema de registro de Sistema de negociação créditos dos créditos • Controle do lastro dos • Transparência Sistema de reporte das ativos elegíveis • Formação de preço do emissões crédito de carbono • Redução do risco de contraparte • Redução dos custos de transação 7
  8. 8. 3. Atuação BM&FBOVESPA Ambiente de Negociação Incentivos aos stakeholders: Índice Carbono Eficiente 8
  9. 9. 3.1 Ambiente de Negociação• Sistema de negociação: ambiente transparente e de fácil acesso aos participantes locais e internacionais • Leilões• Parceria com Santander para desenvolver outros produtos de pregãoPróximo leilão de RCE: 12/06/2012 • Leilão organizado em nome da Prefeitura de SP • Projeto Bandeirantes de Gás de Aterro e Geração de Energia em São Paulo • Lote: 530 mil RCE 9
  10. 10. 3.2 Índice Carbono Eficiente - ICO2 • Lançado em Dezembro de 2010 pela BM&FBOVESPA em parceria com o BNDES • Definição: indicador composto pelas ações das companhias participantes do IBrX- 50, com adesão voluntária, cuja ponderação das ações das empresas considera o grau de eficiência de emissões de GEE e o free float de cada uma delas. • Abordagem inclusiva do ICO2: as empresas são convidadas a participar e interagir para o desenvolvimento da metodologia; • Metodologia de cálculo de emissões tem caráter evolutivo: é revista periodicamente, no sentido de promover o progressivo engajamento das empresas nas políticas de mudanças climáticas. 10
  11. 11. Impactos esperados do ICO2Nas companhias:• Preparar as companhias para um ambiente competitivo em uma economia de baixo carbono;• Criar incentivos para as companhias elaborarem e publicarem suas emissões de GEE;• Incentivar as companhias a desenvolverem políticas internas de mudanças climáticas. No mercado: • Criar oportunidades de investimento para investidores mais sensíveis quanto às questões climáticas; • Mostrar para o mercado que as companhias brasileiras estão se preparando para um economia de baixo carbono. 11
  12. 12. Metodologia de Cálculo do ICO2 • Composição da carteira: empresas do IBrX-50 que aderiram ao ICO2 voluntariamente; • Peso da ação no ICO2 depende da: • participação da ação no IBrX-50 (valor de mercado do free float); • Coeficiente de emissão da companhia referentes ao ano base: Emissão (tCO2e)/Receita (R$ milhões); • Comparação do coeficiente acima com o coeficiente médio setorial e da carteira; 12
  13. 13. Resumo da evolução da metodologia de contabilização das emissões Realização de Limite do Escopo 3 Revisão/extrapolação inventário dos Dados • Não obrigatório • Transporte terrestre e • Revisão e cálculos estimadosCarteira viagens aéreas dos Escopos 1,2 e 3 feitoset. 2010 pelaTrucost • Transporte terrestre e • Revisão dos dados e cálculos • Obrigatório Escopos 1 eCarteira viagens aéreas estimados do Escopo 3 feito pela 2set. 2011 Trucost • Revisão dos dados de emissão • Transporte terrestre e pela GVces • Obrigatório Escopo 1, 2 Carteira viagens aéreas • Extrapolação calculada pela e3jan. 2013 empresa (limite 20% para cada escopo) •Transporte e viagens aCarteira • Obrigatório Escopo 1, 2 • Idem carteira jan.2013 negócio nos modaisjan. 2014 e3 terrestre, aéreo e hidroviário 13
  14. 14. Empresas Participantes da Carteira vigente 14
  15. 15. Performance do Índice Carbono Eficiente – ICO2 1300 1200 1100 1000 900 800 700 IBOVESPA IBRX 50 ICO2 15
  16. 16. 4. Considerações Finais • Economia de baixo carbono nos traz: • Desafios: • ICO2: dar continuidade ao processo evolutivo em consonância com a realidade das empresas • Empresas: fazer o dever de casa em um contexto de crise européia; • Mercado: aprender com as lições dos mercados internacionais • Oportunidades • O Brasil reúne qualificações para atuar como um importante ator no processo rumo à economia de baixo carbono. 16
  17. 17. www.bmfbovespa.com.br gfagundes@bvmf.com.br 17

×