4ª Edição

433 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
433
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
52
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

4ª Edição

  1. 1. Edição Trimestral dezembro de 2011 Coordenação: Rosário Agra Fernando Cordeiro Preço: 1 SoproNESTA EDIÇÃO:Gincana Rock in Rio - Pág. 2Notícias da Biblioteca - Pág. 3Dia da Alimentação- Pág. 4 ouvir o vento passar, vale a pena ter nasci- E D ITOR I AL do”. N Num momento em que a palavra mais um momento de grande austeridade falada e ouvida é “crise”, compete a cadaEficiência Energética - Pág. 6 e de sacrifícios para muitos, é um de nós, mobilizar as energias e capaci- necessário fazer um esforço para tornar o dades para, coletivamente, encontrarmos o dia a dia de todos nós menos caminho que permitirá melhorar as condi- “opressivo”… ções de vida, tendo presente que, como A resiliência, a esperança, a boa vonta- disse Thomas Hardy, “ a felicidade não de, a interajuda, a harmonia e a solidarie- depende do que nos falta, mas do bom uso dade são os ingredientes essenciais para que fazemos do que temos”. tornar o ano de 2012 repleto de momen-Projeto Lançar Pontes - Pág. 9 Neste momento de dificuldades, também tos serenos e menos angustiantes. o nosso Jornal sentiu necessidade de se É fundamental manter a esperança e ajustar ao custo real de produção, com a diminuição do número de páginas a que nos acreditar, transformando as dificuldades habituou , tentando, contudo, manter a qua- com que nos deparamos em oportunida- lidade e transmitindo de forma divertida e des de mudança e melhoria, acreditando atraente as inúmeras atividades que conti- que, como escreveu Fernando Pessoa, nuam a ser realizadas pelos diversos atores da comunidade escolar. “As vezes ouço passar o vento; e só deNatal no Agrupamento - Pág. 11
  2. 2. Pá g in a 2 E di ç ã o T r i m e s tr a l C ORTA M A TO E S CO LAR — F AS E E SCO LA O Corta Mato Escolar da Escola Básica n.º2 de Aguada tes do 1º, 2º e 3º CEB, de ambos os sexos, assim distribuí- de Cima, atividade integrante do Programa Anual de dos pelos diversos escalões: Infantis A Fem (21); Infantis A Atividades da Escola e do Programa de Atividades do Masc (28); Infantis B Fem (19); Infantis B Masc (36); Ini- Clube do Desporto Escolar, realizou-se no dia 2 de ciados Fem (11); Iniciados Masc (34); Juvenis Fem (3); dezembro de 2011. Juvenis Masc (14). Esta atividade teve como principais objetivos preparar Os alunos cumpriram e participaram ativamente nesta os alunos para a prática desportiva e para situações de atividade, tendo apreciado a mesma, existindo bastante competição, atividade física e desporto; dinamizar a competição saudável, fair-play. atividade desportiva da Escola e proporcionar aos alunos Os primeiros seis classificados de cada Escalão/Sexo irão a possibilidade de condições de convívio com outras representar a Escola no Corta-Mato Fase Equipa de Apoio escolas através da participação em provas regionais/ às Escolas, em local e data ainda a definir. nacionais. A atividade contou com a presença de 166 participan- A BIBLIOTECA VEIO À ESCOLA No dia 12 de outubro, a escola rece- partir desse momento, tornaram-se podem-se divertir a brincar com coi- beu a visita da senhora Isabel que bons amigos. A senhora Isabel trou- sas simples. Gostaram muito da pertence à biblioteca municipal Dr. xe algumas das suas coleções que apresentação da história por parte Manuel Alegre de Águeda. Veio trazer eram muito variadas: porta chaves, da senhora Isabel que mais uma vez o baú dos livros e contar uma histó- chaves, búzios, pedras, penas, lápis, encantou os alunos com a sua sim- ria chamada: “ A colecção”. A história afiadeiras, piões, maracas, cartas, patia e profissionalismo. Saíram da falava de um menino que gostava de peças de puzzle, legos, marcadores sala de aula com vontade de fazer colecionar coisas. Um dia, na escola de livros, pacotes de açúcar, semen- uma coleção. do menino apareceu uma menina tes, postais antigos, moedas antigas (Trabalho realizado pela turma do 2º, chinesa. Era a primeira vez que ela e muitas outras coisas… Com isto, a 3º e 4º anos - EB 1 de Aguada de frequentava aquela escola. Para senhora Isabel quis mostrar a todos comunicar com ela, o menino resol- que para fazer uma coleção não Baixo) veu mostrar-lhe as suas coleções. A precisam de gastar muito dinheiro e Chegou o Gincana Rock in Rio! A nossa escola está a participar no projeto “Gincana Rock in Rio” que tem como objetivo a sensibilização, reciclagem e defesa ambiental, envolvendo toda a comunidade educativa. Este projeto é composto por seis tarefas: recolher e separar resíduos de embalagens do ecoponto amarelo; vender pulseiras para angariar verbas para um projeto de cariz social; reduzir o consumo de água e de energia na escola; recolher resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE); e participar no jogo da Gincana Online. Toda a informação e calendarização das fases da Gincana estão disponíveis no site www.rockinriolisboagincana.com Este projeto está a ser dinamizado pelas professoras Ana Domingues, Cristina Gonçalves e Madalena Cláudio e prolongar-se-á até ao dia vinte e três de Março. Não percam a oportunidade de provar que a sustentabilidade já não tem segredo para a nossa escola. Esta é uma experiência divertida, dinâmica, cheia de energia positiva, com prémios e bilhetes para o Rock in Rio-Lisboa 2012. Participem! Todos juntos por um mundo melhor!
  3. 3. Pá g in a 3 N OTÍ CI AS DA B I BLI OT EC A C O NCURS O S outubro “Christmas Crackers”A Biblioteca Escolar, em articulaçãocom o grupo de Inglês, promoveu os Os vencedores serão divulgados noconcursos para comemorar o início do 2º período.“Halloween” e o Natal. “Halloween Tree”Vencedores: 1º CICLO: E. B. 1 de Mafalda Mota (5ºC) novembroBelazaima do Chão (turma B); 2º TOP Leitor +CICLO: Inês Verdade e Mafalda Mota(5º C); 3º CICLO: Mariana Santiago Como já é habitual, a Biblioteca(7ºE) distingue, mensalmente, o Top Lei- tor +. Este ano, é divulgada, igual- mente, a Turma +, ou seja, a que regista o maior número de participa- ções no concurso. Aqui ficam os Gonçalo Baptista (5ºB) vencedores já apurados de outubro e Novembro. Outros leitores +: Sandra Rocha (6ºB) Turma +: Outubro: 5ºC Novembro: 6ºBO RAP DO A LF US Q UEI ROOs alunos do 6º C foram convidados descontraído momento musical, aplaudi-para animar a sessão de apresentação do por todos os presentes na Bibliotecado livro "O Diabo do Alfusqueiro" de Municipal Manuel Alegre, no passado diaMaria da Conceição Vicente. Os alunos 22 de outubro.leram, previamente, a lenda nas aulasde Língua Portuguesa, com a professo- Alfusqueiro é um riora Lisete Pais. Sob a orientação do De humor variávelprofessor Luís Amaral, recriaram, nas No inverno é infernoaulas de Educação Musical, o texto No verão é afável.num moderno rap. O resultado foi umL I TER A CI A DA I NF OR M AÇ ÃO A literacia da informa- da vida, a professora bibliotecária propôs ção, enquanto capaci- desenvolver com todas as turmas do 5º dade para aceder e ano um Plano de Desenvolvimento da usar a informação em Literacia da Informação.variados suportes, é cada vez mais No 1º período, foram já abordados osuma competência de sobrevivência conteúdos: “Modelo de pesquisa Big6” epara os cidadãos na Sociedade da “Como pesquisar nas enciclopédias”,I n f o r m a ç ã o . estando calendarizadas as restantes ses-Com o objetivo de contribuir para que sões para os 2º e 3º períodos.os alunos conheçam o mundo da infor- Todos os alunos têm acesso à informaçãomação e sejam capazes de identificar transmitida nas sessões, através da con-e manusear fontes potenciais de infor- sulta dos tutoriais de apoio disponíveis nomação de forma efectiva e eficaz, ava- blogue da BE (http://be-liem criticamente a informação, sejam aguadadecima.blogspot.com/) , na páginaaprendizes independentes e ao longo "Guiões de apoio".
  4. 4. Pá g in a 4 E di ç ã o T r i m e s tr a l N OTÍ CI AS … P ELOS A L UN OS D O 1 º CI C LO Dia Mundial da Alimentação O DIA MUNDIAL DA ALIMENTA- humanidade da difícil situação que ÇÃO é celebrado no dia 16 de outubro enfrentam as pessoas que passam de cada ano para comemorar a cria- fome e promover em todo o mundo a nacionais e privadas patrocinam o Dia ção, em 1945, da Organização das participação da população na luta Mundial da Alimentação e, em quase Nações Unidas para a agricultura e a contra a fome. todas as comunidades, existem grupos alimentação. Todos os anos mais de 150 países locais que participam ativamente. O objetivo do Dia Mundial da celebram este evento. Nos vários Carolina Carreira Alimentação é consciencializar a países, organizações voluntárias E.B. nº 1 de Aguada de Cima–4º G Aguada de Baixo - Dia da Alimentação entre as quais as espetadas, que a No dia dezasseis de Outubro, “Dia da Alimentação”, a nossa escola professora achou interessante. organizou uma atividade muito espe- Todos lavamos as mãos e cial para termos uma boa saúde começamos o trabalho. A professo- alimentar. Assim, as professoras ra descascava a fruta e cortava-a pediram a cada aluno para trazer em pequenos pedaços. Nós fazía- uma peça de fruta, de forma a ficar mos as espetadas, combinando os uma fruteira bastante variada e colo- frutos para dar um aspeto mais rida. colorido. Antes de começar a atividade, No final, fomo-nos sentar na que para nós era segredo, a nossa escadaria, da parte da frente da professora deu-nos uma tarefa. escola, onde saboreámos esta deli- Recortar as partes da roda dos ali- ciosa sobremesa com todas as pro- mentos e de seguida montar o puzzle fessoras e auxiliares. numa folha A4. Estivemos a analisar Assim, podemos concluir que, a cada uma das fatias da roda, para relembrar os alimentos que a consti- tuem e aqueles que devemos comer em maior e menor quantidade. Das fruta é uma fonte de vitaminas que fatias maiores, legumes, frutas e nos ajuda na prevenção de certas massas, a professora pediu algumas doenças, tornando-nos mais fortes e sugestões para confecionar uma saudáveis. sobremesa com as frutas. (Trabalho realizado pela turma do Surgiram diferentes opiniões, 3º/4º Anos) O OUTON O castanhas e nozes. No outono já não podemos brincar tanto como era no ver televisão, vou para a cama, deito-me a dormir, a ouvir o som da chuva a cair O outono começa a 22 de setem- verão, mas este ano que é 2011, o outo- suave nas telhas e a deslizar com um bro e dura três meses. Termina a 20 no é muito mais quente do que nos barulho de pluf, pluf. de dezembro. anteriores, veem-se pessoas sentadas Eu adoro o nosso outono frio. Fazem-se as vindimas, começam nos bancos e jardim e as crianças a Gonçalo Martins – 4º G as aulas para nós revermos os colegas andar de balancé, escorrega e sobe e desce. E.B. nº 1 de Aguada de Cima e a professora e aprendermos coisas novas. Os caçadores levantam-se da cama As árvores ficam sem folhas e os muito cedo e vão para os campos de dias são mais pequenos. O sol aquece caça para caçar coelhos, javalis, etc. menos, caem as primeiras chuvas para No outono faz-se o magusto. Lá em nós nos divertirmos, com as galochas, minha casa eu levanto-me da cama, aos bonequinhos, a saltar nas poças tomo o pequeno almoço e vou apanhar de água. As andorinhas voam para castanhas para me sentar à noite a outros países mais quentes, por exem- comê-las. plo: América. Eu gosto do outono porque é no Há romãs, abóboras, dióspiros, há outono que há dias chuvosos e eu fico a
  5. 5. Pá g in a 5 S. Martinho na EB 1 de Aguada de CimaNo dia 11 de novembro comemorou- dicionais, jogos em Inglês com o voca-se o S. Martinho na E.B. nº 1 de Agua- bulário relativo ao tema, canções,da de Cima. Como, este ano, não entre outros. Depois de tanto cansaçotivemos verão de S.Martinho e esteve estivemos no salão polivalente a sabo-chover, fizemos diversas atividades rear as maravilhosas castanhas assa-relacionadas com o dia, como a deco- das com um copo de sumo oferecidoração de um castanheiro, a audição e pela Associação de Pais e umas filho-reconto da Lenda de S. Martinho em ses feitas por algumas mães. Só foiimagens, a confeção de cartuchos pena não podermos fazer a fogueirapara colocar as castanhas, jogos tra- do magusto na rua. Talvez para o ano!JARDIM DE INFÂNCIA DE A G UA D A DE B A I XO Para comemorar o Dia das Bruxas e colaborar com a Feira de Outono organizada pela Associação de Pais, os meninos do Jardim de Infância e do 1º Ano da Escola do 1º Ciclo de Agua- da de Baixo juntaram-se e decoraram várias abóboras assus- tadoras! Com o interior, fizeram doce de abóbora que foi depois ven- dido na Feira...F EI R A DE O U TO N O professora e a coordenadora da Todos os anos a nossa escola no escola tiveram de levar as castanhasdia onze de novembro costuma fazer para serem assadas no Paraísouma feira de outono, intitulada “ Social de Aguada de Baixo.Sabores de Outono”. Esta feira é A feira de outono realizou-se dasorganizada pela A.P.A.B. (Associação 12:00 horas às 17h:30m. Os pais ede Pais de Aguada de Baixo). outras pessoas da freguesia visita- Neste acontecimento tradicional, ram a nossa feira na escola e fize-toda a escola participou. Cada tur- ram compras dos produtos expostos.ma, individualmente ou em grupo, bolos. Trouxeram também de casa Foi um dia muito divertido e diferen-confecionou compotas e doces. A para vender na feira vegetais, ani- te.nossa turma, este ano, participou mais, fruta, entre outras coisas…fazendo marmelada. Na parte da manhã, trabalhamos Alguns pais colaboraram, fazendo na sala de aula, enquanto os pais montaram as barracas e prepara- ram tudo para a feira de outono. Na parte da tarde, enquanto a feira decorria, reunimo-nos no salão para comemorar o dia de S. Martinho e comermos castanhas assadas. Como estava a chover não foi possí- vel realizarmos o magusto no recreio da escola, por isso, a nossa
  6. 6. Pá g in a 6 E di ç ã o T r i m e s tr a l Eficiência Energética peratura, instalar lâmpadas económicas, distribuem a nossa energia, quer ela seja em vez de lâmpadas incandescentes para electricidade, gás natural ou outra, con- atingir o mesmo nível de iluminação. somem de alguma forma uma fonte de energia. A utilização abusiva das fontes A utilização das energias renováveis de energia de origem de combustíveis como fonte de energia para consumo das fosseis, como o petróleo (que representa necessidades energéticas, quer de clima- 37% do consumo), o carvão (27%), o gás tização como de aquecimento de águas natural e urânio, contribuem para a liber- quentes sanitárias e de piscinas é uma Eficiência Energética é uma atividade das formas mais eficientes de reduzir o tação de dióxido de carbono para a que procura optimizar o uso das fontes consumo de energias de combustíveis atmosfera trazendo graves consequên- de energia. fósseis. A instalação de painéis solares cias para o nosso planeta, como as chu- A utilização racional de energia, às vezes térmicos na cobertura dos edifícios pode vas ácidas, o aquecimento global e a chamada simplesmente de eficiência representar uma redução de 60% no redução da camada de ozono. energética, consiste em usar menos consumo de energia para aquecimento A adopção de soluções ou medidas efi- energia para fornecer a mesma quanti- de águas sanitárias. cientemente energéticas em edifícios dade de valor energético. A eficiência energética e as energias pode passar por exemplo, por colocar um Os equipamentos em nossa casa, escri- renováveis são os “ dois pilares “ da polí- isolamento térmico de modo consumir- tica energética sustentável. tório, o nosso carro, a iluminação das se menos energia para aquecimento e Carolina Carreira ruas e até as centrais que produzem e arrefecimento, mantendo a mesma tem- E.B. nº1 de Aguada de Cima - 4º G
  7. 7. Pá g in a 7 Nós e o Rolhinhas Com um caixote de cartão e muitos desenhos pintados a castanho construímos o nosso Rolhinhas. Descobrimos que a cortiça é a casca do sobreiro. O fruto do sobreiro é a bolota O sobreiro é uma árvore que precisa de pouca água para crescer Demora muitos anos a dar cortiça A cortiça flutua na água Durante o primeiro período recolhemos 5 Kg de rolhas de cortiça Com as rolhas construímos conjuntos de 3, 5 e 10.A Educação pela Arte A partir de uma história que mexeu com aminha sensibilidade, a “história da nuvem quenão queria chover” que me fez chorar, rir e sentirafetividade num mundo cada vez mais materialis-ta e insensível, surgiu um desenrolar de activida-des motivadoras para o grupo. A arte é a auto- expressão lutandoUm projecto no Jardim de Infância para ser absoluta.Contei a história, exteriorizámos através da dan-ça criativa, expressão plástica, fizemos um powerpoint da história, enviámos por e-mail aos cole- Fernando Pessoagas das outras salas de Jardim de Infância, apre-sentámos aos pais na Festa de Natal e, o nome crianças (espero eu )…da MARINELA, a nuvem bela que não queriachover, nunca mais vai ser esquecido por estas As nossas emoções, o que sentimos através da arte, deverá ser o principal motor de educação das crianças para que consigam contemplar, apre- ciar e sentir, pois é através da sensibilidade artísti- ca que o ser humano continuará a evoluir como espécie única. A arte ficará sempre para a posterioridade… Educadora Ana Júlio Sala 2 do Jardim de Infância de Barrô
  8. 8. Pá g in a 8 E di ç ã o T r i m e s tr a l “ U M A A J U DA PRECIOSA ...” Como noticiado na edição anterior do locaram-se ao local, verificaram o que cada e empenhada, mostrando ser um CATAVENTO, as Assistentes Operacio- era necessário e operacionalizaram a exemplo para a sociedade. Assim se for- nais da Escola Básica n.º2 de Aguada de ajuda. O resultado foi um quarto melho- mam Homens e Mulheres … com senti- Cima, bem como os alunos do Clube rado, onde a cortina de tecido deu lugar mentos nobres e ações de grande valor Multifuncional (2010/2012), coordenado a uma porta, as telhas visíveis foram … deram sem nada receber … fizeram pela professora Rosário Agra, angaria- “ofuscadas” por um teto, as paredes em sem ninguém lhes pedir … trabalharam ram fundos, com o objetivo de ajudar tijolo transformaram-se em paredes com o sentimento... alguém que necessitasse. Uma atitude revestidas e pintadas … foram melhora- muito nobre e de grande valor que das condições de vida, a que todos deve- devemos ter sempre presente. Tendo ríamos ter acesso, mas que tal não acon- S conhecimento de uma situação de um jovem/adolescente cujo quarto necessi- tece… Um agradecimento muito especial às A NTE tava algo para alguns tão básico como Assistentes Operacionais que participa- S POI um teto, uma porta, uma parede… ram nesta iniciativa, assim como aos alguns elementos dos “grupos” atrás mencionados e alguns professores, des- alunos que frequentaram o Clube e que contribuíram de uma forma muito dedi- DE “VIVER UM PROJETO, CONSTRUIR UMA V I DA ” O Meu Estágio A Minha Experiência na Empresa No dia 25 de outubro iniciei o meu estágio na LAAC. No dia 20 outubro iniciei o meu estágio (atividade de despiste vocacional). Às terças feiras vou para a LAAC durante a manhã. No primeiro dia em que fui à empresa Asanfer estive a Faço o percurso até lá a pé e acompanhada por uma ver os trabalhadores a trabalhar com as máquinas. Depois funcionária, a dona Rosa. nas semanas seguintes fui eu que estive a trabalhar com Quando chego lá vou para o refeitório, onde me dão essas máquinas. Para fazer os trabalhos deram-me equi- as tarefas que tenho que fazer. pamento apropriado: umas botas de biqueira de aço, um As tarefas que faço são: colocar água nas jarras a par de luvas, uma fita métrica e uns óculos para proteger os olhos das máquinas. enrolar o guardanapo à volta dos talheres. Estou a gostar muito do que estou a fazer. Eu estou a gostar de lá estar. Ana Solange (9º C / 30-11-2011) André Correia Turma-(9ºC / 16/11/11) Registos do Estágio O Meu Primeiro dia de Trabalho Eu estou na Aquadoce a fazer o meu estágio. O meu primeiro dia de trabalho na empresa Solzai- No meu primeiro dia conheci os donos e os empregados. ma foi muito interessante. Foi muito bom. Na quarta-feira, às nove horas, comecei por tomar No primeiro dia limpei formas e no segundo dia estive a o café com o meu tio Alfredo. peneirar açúcar. Os meus colegas pregaram me uma partida. Fize- Eu estou a gostar muito ram-me andar com um carrinho, carregado com um rolo de cem quilos. César Santos (8º B / 16/11/11) Fábio Domingues (9ºC / 10-11-11) O meu Estágio No dia 8 de novembro comecei a estagiar no CENSI. Eu faço muitas tarefas, desde apoiar na lavandaria, no ATL com crianças e no berçário. Este estágio é realizado todas as terças-feiras no período da manhã. O transporte é feito pela carrinha da LAAC. Eu gos- to muito de lá estar a estagiar, porque aprendo muito e arran- jo novos amigos. Cátia Nunes (9ºA / 7-12-2011)
  9. 9. Pá g in a 9PROJETO LANÇAR PONTES Olá! Recordam-se de mim? Pois é, sou o Lançar Pontes Falar de Nós.Sabem, no dia 22 de outubro fiz 4 anos, estou a crescer! Para festejar o meu aniver-sário na Escola Básica de Aguada de Baixo, fizemos uma Caça ao Tesouro no dia 25,pois o dia 22 foi sábado e eu não tinha meninos na escola para partilhar comigo aalegria desse dia. Foi muito giro e todos gostaram de participar. Ora leiam o que osalunos escreveram sobre a Caça ao Tesouro: “No dia 25 de Outubro de 2011 festejamos o aniversário do projeto“Lançar pontes, falar de nós” que fez quatro anos de existência no dia 22 desse mês.Para comemorar esse aniversário, a professora Maria e a doutora Rosália organiza-ram um jogo chamado Caça ao tesouro. Os alunos da escola reuniram-se no salão polivalente e a professora Maria chamou um de cadavez e formou seis grupos. Cada grupo tinha uma professora responsável. A cada professora foi entregue um diário de bordo com a coratribuída ao grupo. O grupo da professora Marta tinha a cor azul escura, o grupo da professora Arminda tinha a cor azul clara, o grupoda professora Adelina tinha a cor verde, o grupo da professora Ana Pinto tinha a cor amarela, o grupo da professora Cristina tinha a corvermelha e o grupo da professora Anabela tinha a cor laranja. Tocou a campainha para que todos os grupos começassem o jogo aomesmo tempo. Cada grupo tinha que resolver vários enigmas e, por cada enigma que conseguia resolver, recebia uma peça de puzzle.Ao fim de oito enigmas, os grupos juntaram-se novamente no salão polivalente, cada um montou o seu puzzle e cantaram os parabénsao projeto. O tesouro encontrado por cada grupo foi um saco com chupa chupas. Foi um jogo muito divertido.”
  10. 10. Pá g in a 10 E di ç ã o T r i m e s tr a l É N A TA L . . . N O A G R U PA M E N T O Os alunos do 7º F não se esqueceram da épo- ca natalícia e deram o seu contributo pessoal para a decoração do átrio da escola. Este trabalho de ilustração coletiva, elaborado na Disciplina de Oficina de Artes, resultou de uma articulação com a disciplina de DPCI. A mensagem é bastante sugestiva e leva-nos a refletir sobre os valores intrínsecos ao Natal: amor, amizade, partilha, paz… Um FELIZ NATAL para todos!!!
  11. 11. Pá g in a 11P A S S A T E M P O S . . . C U RI O S I DA D E S A Beleza da Matemática!!! 1x8+1=9 Como explicar a falta do 12 x 8 + 2 = 98 123 x 8 + 3 = 987 1234 x 8 + 4 = 9876 12345 x 8 + 5 = 98765 123456 x 8 + 6 = 987654 1234567 x 8 + 7 = 9876543 12345678 x 8 + 8 = 98765432 123456789 x 8 + 9 = 987654321 1 x 9 + 2 = 11 12 x 9 + 3 = 111 123 x 9 + 4 = 1111 1234 x 9 + 5 = 11111 12345 x 9 + 6 = 111111 123456 x 9 + 7 = 1111111 1234567 x 9 + 8 = 11111111 12345678 x 9 + 9 = 111111111 123456789 x 9 +10= 1111111111 9 x 9 + 7 = 88O que é? 98 x 9 + 6 = 8881. O que é, o que é, que passa na frente do sol e não faz sombra ? 987 x 9 + 5 = 8888 9876 x 9 + 4 = 888882. O que é, o que é, que pode encher uma sala mas não pode encher uma 98765 x 9 + 3 = 888888 colher ? 987654 x 9 + 2 = 88888883. O que é que tem quartos mas não tem salas, tem meias mas não tem pés 9876543 x 9 + 1 = 88888888 ? 98765432 x 9 + 0 = 8888888884. O que é que ninguém pode ver mas está sempre na nossa frente ? Brilhante, não?5. O que é, o que é, uma casinha sem porta e sem janela, onde lá dentro vive E veja esta simetria: duas donzelas, uma branca e outra amarela ? 1x1=1 11 x 11 = 1216. O que é, o que é, que sempre aumenta nunca mais nunca diminui ? 111 x 111 = 123217. O que é, o que é, que é torto e se finge de morto para pegar os vivos ? 1111 x 1111 = 1234321 Vento; 2. Fumo; 3. Relógio; 4. Futuro; 5. Ovo; 6. Idade; 7.Anzol. 1. 11111 x 11111 = 123454321 Soluções: 111111 x 111111 = 12345654321 1111111 x 1111111 = 1234567654321 11111111 x 11111111 = 123456787654321 Descobre as 7 diferenças
  12. 12. Agrupam ento de Escolas deAguada de CimaMorada:Rua do Engenho Nº 5093750—049 AGUADA DE CIMAMail:info@eps-aguada-cima.rcts.pthttp://www.eps-aguada-cima.rcts.pt CALENDÁRIO DAS APLICAÇÕES DOS TESTESTel: 234 666800 INTERMÉDIOS - 2012Fax: 234 667630Endereços relacionados:http://www.be-aguadadecima.blogspot.comhttp://www.EcoAEAC.blogspot.comhttp://cefiosiaeac.blogspot.comhttp://pesaeac.blogspot.com/ UM ANO DE M UDANÇ AS . . . Com o novo ano surgem as mudanças à demonstrada pelas escolas, não deixa de pairar muito anunciadas, sendo que a educação não um clima de espetativa e receio. ficará de fora. A educação, como se sabe, é uma área sensí- As mudanças são essenciais para uma socie- vel, em que se trabalha com crianças e jovens dade que se quer atual e ativa. Porém, nem em fase de formação, na construção da sua sempre estamos preparados para as mesmas, identidade, do seu projeto de vida. Formam-se “Crescimento nem sempre as recebemos com agrado, nem cidadãos, prepara-se o futuro.Sustentado: Eu, a minha sempre as consideramos necessárias. Apesar do contexto estamos certos que com Escola e o Mundo” A capacidade de adaptação é um imperati- espírito de abertura e postura construtiva, os vo para a acomodação da mudança. Na educa- alunos, docentes e não docentes do Agrupa- ção, temos convivido com mudanças contí- mento darão o seu melhor para prestar um bom nuas. Surgem alterações após alterações e, serviço à comunidade e ajudar o país a encon- pese embora a capacidade de adaptação trar o caminho para um futuro melhor. VOTOS DE UM BOM ANO

×