Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes

232 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
232
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tabela matriz sessao1_alexandra_lopes

  1. 1. Práticas e Modelos de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares – Matriz – Fórum 1 Biblioteca Escolar – desafios e oportunidades no contexto da mudançaÁreas de intervenção Funções do professor O que a minha biblioteca já Factores favoráveis/ O que é preciso mudar.referidas nos textos e bibliotecário faz 0bstáculos à mudança Acções a implementarimplicadas na mudança O PB tem assento no Factores favoráveis: Início do ano: A colaboração entre o conselho Pedagógico ‐ Apoio e colaboração dos Divulgação da biblioteca órgãos de direcção e gestão do bibliotecário, os Agrupamento de Escolas. aos alunos que estão professores e a Direcção Colaboração da BE com os - Reconhecimento dos a ingressar na escola da Escola, isto é, a equipa Departamentos professores apresentando a biblioteca, pedagógica, torna-se curriculares, através da da importância da localização dos materiais, essencial para o êxito da participação ocasional em Biblioteca Escolar; regulamentos, biblioteca como recurso de reuniões. Obstáculos à mudança: normas e os recursos aprendizagem. - falta de tempo para reunir; disponíveis. Planeamento de algumas - dinamização de váriasIntegração na escola e no - Ter um papel activo no actividades em conjunto bibliotecas escolares do Ao longo do ano:processo de ensino/ processo da articulação com os professores. Agrupamentoaprendizagem curricular ( Plano de Acção ‐ Melhorar a comunicação da BE com o PE, PCA e Divulgação da oferta de entre a Biblioteca e os PAA). informação e de docentes promovendo serviços de informação reuniõesActions, not positions por parte da biblioteca periódicas;Ross Todd escolar; ‐ Procurar que os professores incluam a biblioteca e os seus recursos nas suas planificações e no Projecto Curricular de Turma.Alexandra Lopes – PB Agrupamento Elias Garcia Página 1
  2. 2. Práticas e Modelos de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares – Matriz – Fórum 1 Desafio formativo O professor bibliotecário Factores favoráveis: - Estimular a utilização de desempenha a função de ‐ motivação dos alunos ferramentas da Web 2.0 O professor bibliotecário suporte às aprendizagens, Obstáculos à mudança: que são fáceis de usar deve estabelecer, de uma desenvolvimento de - meios técnicos (mais aliciante e forma mais concreta, competências de - Dada a dificuldade em importante na resultados e metas a Informação sintetizar ideias, os alunos aprendizagem dos alunos). atingir ao nível de cada optam muitas vezes pelo processo mais simples: copiar e ano e ciclo de Projecto Aprender + visa colar a informação.Promoção da Literacia escolaridade, de forma a integrar as ferramentas da O professor bibliotecárioinformacional integrar a literacia da Web 2.0 e o ganha um papel informação através de desenvolvimento preponderante na•Knowledge space, not uma mais adequada curricular. formação para asinformation place gestão dos currículos. literacias e para oRoss Todd Utilização de Modelos de acompanhamento literacia informacional curricular e das Passa a desempenhar um aprendizagens dos alunos papel de orientador ou de supervisor, ajudando se necessário, mas permitindo a criação de autonomia. ‐ Divulgação do fundo Factores favoráveis: - Procurar uma instrução - Tratar e organizar fundo documental. integrada, em que o ‐ Receptividade da comunidade documental de modo a ‐ Incentiva a leitura educativa às iniciativas da bibliotecário e o professorCondições de Acesso proporcionar condições de formal. BE. planificam, implementam acesso facilitado. ‐ Incentiva o empréstimo e avaliam as actividades - Disponibilizar recursos de Domiciliário. em conjunto, comAlexandra Lopes – PB Agrupamento Elias Garcia Página 2
  3. 3. Práticas e Modelos de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares – Matriz – Fórum 1•Connections, not collections informação em diversos ‐ Desenvolve actividades Obstáculos à mudança: objectivos comuns eRoss Todd ‐ Insuficiência de recursos suportes. de promoção do livro e da partilhados. Humanos; leitura. - Uma certa resistência à ‐ Promove a participação mudança por parte de alguns dos alunos em concursos professores. diversos de promoção da leitura e da escrita. - Disponibiliza em diversos suportes do Catálogo da B.E; ‐ Dispõe de um Blogue das Bibliotecas do Agrupamento. Actividade sistemática de Tais práticas permitem: Ser prospectivo, estar recolha de informação Factores favoráveis:Avaliação - Gestão - atento e ter uma postura (evidências) que nos - Gerir para o sucesso de investigação e de permita ajuizar e decidir Implementação do modelo deMudança auto-avaliação das BEs educativo; para a melhoria aprendizagem contínua de forma fundamentada o das aprendizagens e doEntender o valor e o papel são factores críticos à rumo a dar à nossa acção. trabalho escolar.da avaliação na gestão da efectivação de uma boa Obstáculos à mudança:mudança. gestão e à prestação de Dificuldade em garantir a Alterar práticas de acordo - Gerir no sentido da serviços de qualidade. com a identificação dos recolha sistemática de evidências optimização dos processos pontos fortes e fracos, que produzam resultados•Evidence, not advocacy Desenvolver uma prática planeando acções que e impacto na qualidade da baseada em evidências promovam a melhoria. BE e dos serviços queRoss Todd prestamos.Alexandra Lopes – PB Agrupamento Elias Garcia Página 3
  4. 4. Práticas e Modelos de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares – Matriz – Fórum 1Alexandra Lopes – PB Agrupamento Elias Garcia Página 4

×