• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Private Content
Edição 21 - Petrobras em Ações - n° 02/2006
 

Edição 21 - Petrobras em Ações - n° 02/2006

on

  • 597 views

 

Statistics

Views

Total Views
597
Views on SlideShare
597
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Edição 21 - Petrobras em Ações - n° 02/2006 Edição 21 - Petrobras em Ações - n° 02/2006 Document Transcript

    • Petrobras em Ações RELACIONAMENTO COM INVESTIDORES • ANO VI • N º 21 / SETEMBRO 2006 Plano de Negócios 2007-2011 DESTAQUES Petrobras no DJSI I A Petrobras conquistou o direito de, a partir O de 18 de setembro, compor o Índice Mundial de Plano de Negócios 2007-2011, aprovado em junho pelo Sustentabilidade da Dow Jones (DJSI), o mais Conselho de Administração, prevê investimentos totais de importante índice de sustentabilidade no mundo, US$ 87,1 bilhões – 66% acima do estabelecido no plano que serve como parâmetro para análise dos anterior (2006-2010) – o equivalente à média anual de US$ 17,4 bilhões. investidores sócio e ambientalmente responsáveis. Trata-se de um plano de alta sustentabilidade a longo prazo e extrema- O ingresso no índice abre um mercado potencial de investidores em empresas social e ambientalmente mente rentável para os acionistas”, destaca o presidente da Petrobras responsáveis de mais de US$ 4 trilhões, segundo José Sergio Gabrielli. Do total de investimentos, US$ 75 bilhões (86%) dados da Organização das Nações Unidas, e mais serão aplicados no Brasil e US$ 12,1 bilhões no exterior. de US$ 5 bilhões de investimentos baseados em A Petrobras mantém uma política de preços de vendas de seus empresas pertencentes aos índices DJSI. produtos em linha com o mercado internacional, o que permite estimar Emissão de Bonds uma geração própria de caixa de US$ 86,7 bilhões no período (líquido I A Petrobras, através da PIFCo, sua subsidiária de pagamento de dividendos), recursos suficientes para financiar pratica- integral, concluiu no dia 27 de setembro uma mente a totalidade do Plano de Investimentos. As captações no mercado colocação privada de títulos no mercado de financeiro serão de US$ 12,6 bilhões. A amortização das dívidas absorverá capitais japonês no montante de 35 bilhões de ienes US$ 12,2 bilhões. (aproximadamente 300 milhões de dólares). O Plano de Negócios mantém as metas agressivas de crescimento da Reabrir o mercado japonês, acessar uma nova base de investidores e alcançar um custo competitivo Companhia e, pela primeira vez, estabelece meta de produção de longo com base na sua condição de investment grade prazo, de 4.556 mil barris de petróleo e gás por dia em 2015, o que foram os principais objetivos da Companhia nesta mostra uma mudança de escala. ”É um salto absolutamente operação, que apresenta cupom semi-anual de fantástico para a Petrobras”, afirma o presidente. A taxa de 2,15% ao ano, prazo de vencimento de 10 anos crescimento de 7,5% ao ano, prevista até 2011, é a mais alta da indústria (bullet) e garantia parcial do JBIC (Japan Bank for de petróleo. Também, pela primeira vez, a estratégia corporativa da International Cooperation). Companhia incorpora metas para energia renovável, incluindo-se aí plan- Recompra de Títulos tas de biodiesel, H-Bio, alcooldutos, energia eólica e solar. Os investi- I Em 25 de julho foi concluída uma oferta de mentos previstos em desenvolvimento energético de fontes renováveis e recompra de cinco séries de notas de emissão biocombustíveis somam US$ 700 milhões. da Petrobras International Finance Company Além do expressivo crescimento nos investimentos em Exploração (PIFCo), subsidiária integral da Petrobras, no valor total de US$ 1.216 milhões. Como resultado, e Produção (63%) e no Abastecimento (62%), destaca-se ainda a expan- a companhia reduzirá de US$ 2.950 milhões para são em Gás e Energia (56%), para atendimento da crescente demanda US$ 1.734 milhões o valor ainda em circulação de gás no País, e em Distribuição (131%) visando assegurar a liderança destas séries, reduzindo e simplificando o perfil e expansão da Companhia neste segmento. Ao ajustar as estratégias e os de sua dívida. Os bancos Morgan Stanley e UBS objetivos corporativos a Petrobras avança no mercado externo tanto em atuaram como coordenadores da transação, Exploração e Produção como na área de Refino, com projetos de aquisição o The Bank of New York como depositário e agente de Luxemburgo e o D.F. King & Co. como de três refinarias. O valor de mercado da Companhia, atualmente de agente de informação para a oferta. US$ 83,4 bilhões, deverá dobrar até 2011. Resultados do Petrobras em Governança e 1º semestre Buenos Aires Sustentabilidade PÁG. 2 PÁG. 4 PÁG. 4
    • LUCRATIVIDADE Resultados do 1º semestre de 2006 O lucro líquido consolidado no cimento da produção, que deverá reto- sendo R$ 7.195 milhões no desen- primeiro semestre foi de mar seu curso normal no 3º trimestre. volvimento de sua capacidade de produ- R$ 13,6 bilhões, 37% O aumento da receita líquida foi ção de petróleo e gás natural no país. superior ao apurado de janeiro acompanhado por um crescimento Verificou-se um superávit na balança a junho de 2005, suportado pelo dos custos dos produtos vendidos, comercial de petróleo e derivados de 76 crescimento de 7% na produção de seguindo o mercado mundial. Também mil barris dia. petróleo e líquido de gás natural (LGN) no aumentaram os gastos com participa- As ações ordinárias e preferenciais País. A receita operacional líquida ções governamentais, fruto do aumento acumularam, no período, valorização de alcançou R$ 73,8 bilhões no semestre, da produção nacional de petróleo e 17,2% e 16,0%, respectivamente, 19% superior a igual período de 2005 gás natural em novos campos de alta enquanto o Ibovespa subiu 9,5% – o em função, principalmente, do aumento produtividade, como Barracuda e Cara- desempenho positivo das ações da dos preços de petróleo e derivados nos tinga, e do aumento dos preços de Petrobras foi determinado pela escalada do mercados interno e externo. referência utilizados pela ANP para petróleo no mercado internacional e pelo A produção nacional de petróleo e cálculo das alíquotas de participação aumento em sua liquidez. LGN aumentou 7% em relação ao especial, que são referenciados ao preço O endividamento líquido consolidado, mesmo período de 2005, principal- internacional do óleo Brent. em 30.06.2006, foi de R$ 20,8 bilhões, mente devido à entrada em produção A companhia manteve sua política 3% inferior ao saldo em 31.03.2006 das plataformas P-43 (Barracuda), P-48 de preços de alinhamento com o (R$ 21,5 bilhões), reflexo, principalmen- (Caratinga), P-50 (Albacora Leste) e mercado internacional no médio prazo, te, da amortização de financiamentos. FPSO-Capixaba (Golfinho). A concen- evitando o repasse de variações sazonais Este desempenho resultou em queda de tração de paradas programadas em nove ou localizadas geograficamente. dois pontos percentuais na alavancagem unidades produtoras em maio e junho No primeiro semestre de 2006 a financeira e de três pontos percentuais impactou negativamente a curva de cres- Petrobras investiu R$ 13.644 milhões, na estrutura de capital. Variação Nominal das Ações Dados Econômico-Financeiros RESULTADOS & RETROSPECTIVA 1º semestre 272,2% (Petrobras PN) 266,7% (Petrobras ON) Em R$ Milhões 2006 2005 Variação (%) 480 225,1% (Ibovespa) Vendas brutas 96.401 82.444 17 Vendas líquidas 73.834 62.256 19 430 Lucro bruto 32.930 27.767 19 380 Lucro operacional* 23.277 18.268 27 Lucro líquido 13.634 9.951 37 330 Lucro líquido por ação (R$) 3,11 2,27 37 280 Geração de caixa operacional 21.509 14.731 46 Ebitda 27.727 22.174 25 230 Valor de mercado (controladora) 202.635 126.543 60 180 Total de investimentos 13.644 10.990 24 Endividamento líquido 20.808 33.316 -38 130 Estrutura de capital 80 (capital de terceiros / passivo total) 45% 54% -9 pp * Antes das receitas e despesas financeiras e da equivalência patrimonial. Dez-02 Mai03 Jun-03 Jul-03 Ago-03 Set-03 Out-03 Nov-03 Dez-03 Mai-04 Jun-04 Jul-04 Ago-04 Set-04 Out-04 Nov-04 Dez-04 Mai-05 Jun-05 Jul-05 Ago-05 Set-05 Out-05 Nov-05 Dez-05 Mai-06 Jun-06 Jan-03 Jan-04 Jan-05 Jan-06 Fev-03 Fev-04 Fev-05 Fev-06 Mar-03 Abr-03 Mar-04 Abr-04 Mar-05 Abr-05 Mar-06 Abr-06 Variação Real Acumulada* Resultados Operacionais 1º semestre 800% I Ibovespa Em mil barris de óleo equivalente/dia 2006 2005 Variação (%) 699,5% 700% I Petrobras PN Produção de petróleo, LGN e gás natural I Petrobras ON 2.276 2.175 5 600% Produção de derivados 1.908 1.791 7 500% 386,3% Exportação (Importação) líquida de petróleo 400% e derivados 76 54 41 300% Capacidade de utilização das refinarias 200% – no Brasil 91% 85% 6 pp 100% 78,6% 53,9% Capacidade de utilização das refinarias 23,7% 47,3% 4,6% 18,0% 15,6% – no exterior 81% 79% 2 pp 0% 10 Anos 5 Anos 1 Ano Participação do óleo nacional -100% na carga processada 80% 80% – * Como deflator foi utilizado o IGP-DI
    • PLANO DE NEGÓCIOS 2007-2011 Novos projetos aceleram investimentos O aumento de US$ 34,7 bilhões na previsão dos investimentos Indicadores Média Média para os próximos cinco anos 2006-2010 2007-2011 Retorno sobre o Capital Empregado (ROCE) (%) 15 16 deve-se principalmente à entrada em Captação de Recursos por Financiamento de LP carteira de novos projetos, que somam (US$ Bilhão)* 2,9 3,1 US$ 17,4 bilhões. Mais US$ 7,8 bilhões Saldo de Caixa (final do período) referem-se ao acréscimo de custos, (US$ Bilhão) 4,4 3,5 devido ao aquecimento do mercado Alavancagem Financeira de equipamentos e serviços pertinentes (Dívida Líquida/Dívida Líquida + Patrimônio) (%) 28 25 à indústria de petróleo, e US$ 4,2 bilhões Fluxo de Caixa Operacional antes de Juros e Impostos/Juros 8,6 13,7 ao impacto da variação cambial. Além Fluxo de Caixa Operacional Livre (US$ Bilhão) 1,5 1,5 disso, projetos que seriam realizados em parceria com outras empresas serão feitos apenas pela Petrobras, o A demanda de gás natural, de acordo Internacional que significa um investimento adicional de US$ 2,9 bilhões. Já os projetos existen- tes receberão mais US$ 1,8 bilhões. com a previsão da Petrobras, deverá crescer 17% ao ano, saindo do atual patamar de 38,8 milhões de m3/dia para A buscar novas áreas estratégia para a área interna- cional é para negócios , fora das regiões tradi- Mudança de escopo de projetos com- 99,2 milhões de m 3/dia em 2011. cionais como América Latina, África e pleta a lista de fatores que levaram ao Os investimentos da Companhia na América do Norte. Mas o foco do cresci- aumento dos investimentos. cadeia de gás natural, considerando as mento da produção continua sendo a áreas de E&P e Gás e Energia, somarão parte americana do Golfo do México Indicadores US$ 17,9 bilhões no período, o que e Nigéria. A previsão de investimentos macroeconômicos significará a independência energética no mercado externo nos próximos P ara a elaboração do Plano de Negócios 2007-2011 a Petrobras reavaliou as tendências internacionais e brasileira na área de gás, afirma Gabrielli. Abastecimento cinco anos é de US$ 12,1 bilhões, 82% a mais que no planejamento anterior. Deste total, 70% destinam-se à área trabalhou com uma curva de preços e Distribuição de exploração e produção. A meta é do óleo Brent mais elevada do que no planejamento anterior, porém em uma faixa inferior a do mercado, passan- O s investimentos previstos para a área de Abastecimento nos próximos cinco anos somam US$ 23,1 bilhões, aumentar a atual produção de 259 mil bpd para 568 mil bpd em 2011. Para mais detalhes, acesse a apre- do de US$ 55/bbl, em 2007, para 62% a mais do que no planejamento sentação sobre o Plano de Negócios US$ 35/bbl no período 2009/2011. Essa anterior. Desse total, US$ 14,2 bilhões 2007-2011 no endereço http://www. estratégia leva a uma projeção de receita (61%) serão investidos somente no refino petrobras.com.br/ri – seção Conheça mais conservadora, mas proporciona e US$ 3,2 bilhões (14%) no setor a Petrobras – Estratégia Corporativa. maior garantia de financiabilidade, petroquímico, que desenvolve como argumenta o presidente da Petrobras, principal projeto o complexo petroquí- José Sergio Gabrielli. O Plano considera mico a ser construído em Itaboraí e São um crescimento do PIB Brasil de 4,0% Gonçalo, no Estado do Rio de Janeiro. e uma taxa de câmbio de R$/US$ 2,50. Outra proposta da Petrobras é expandir a participação no mer- Petróleo e gás natural cado de biocombustíveis, liderando a Á rea de maior investimento da companhia, a Exploração & Produ- ção absorverá US$ 40,7 bilhões, 63% a produção nacional de biodiesel e ampliando a participação no negócio de etanol. Em linha com esta estra- mais do previsto no plano anterior. tégia, o H-Bio, tecnologia recente- A estimativa de crescimento da deman- mente desenvolvida pela Companhia, da interna de derivados de petróleo é representa uma alavanca para o cresci- de 3,1% ao ano até 2011, quando atin- mento deste mercado. girá 2.117 mil bpd. Já a produção de O novo Plano de Negócios direcio- óleo e gás, no Brasil e no exterior, passa na US$ 2,2 bilhões à área de Distri- dos 2.403 mil bpd, previstos em 2006, buição, o que significa um aumento para 3.493 mil bpd, em 2011. A proje- sobre o planejamento anterior de ção para 2015 eleva-se a 4.556 mil bpd. 131%, o maior de todas as áreas.
    • PAINEL DE NOTÍCIAS H-BIO – Tecnologia Petrobras SUSTENTABILIDADE E GOVERNANÇA A Petrobras desenvolveu um novo processo de refino em suas unidades operacionais a partir do processamento de óleo vegetal. Este processo – denominado H-BIO – utiliza o óleo vegetal como insumo para a obtenção de óleo diesel. O novo processo, desenvolvido pelo Cenpes, foi testado durante 18 meses na Refinaria Governança e Gabriel Passos (MG). A Refinaria do Paraná já está produzindo o novo combustível. Sustentabilidade são reconhecidas A Petrobras conquistou no primeiro trimestre de 2006 a 2ª posição na classificação mundial entre as Pesquisa com 15 maiores empresas de petróleo no Acionistas mundo, nos itens de sustentabilidade Em pesquisa recentemente e ética, em pesquisa realizada pela realizada com acionistas e agência Management & Excellence detentores de cotas de fundos (M&E). Esta posição superou gigantes FMP-FGTS Petrobras, a empresa do mundo do petróleo, como Exxon, alcançou um bom indicador geral, Chevron e Statoil. Financiamentos para Na última pesquisa a Petrobras com média de 86% de satisfação. Os indicadores melhor avaliados, ampliação da Revap estava em 7º lugar. A nova classificação com notas superiores a 90%, APetrobras vai investir deixou a Petrobras junto com a British foram: Lucratividade, Visão de R$ 4,1 bilhões na ampliação e Petroleum (BP) com pontuação global futuro, Tecnologia e Atuação no modernização da Refinaria Henrique de 85,82%, enquanto a média geral exterior. Já os indicadores que Lage (SP). Cerca de 77% destes das empresas ficou em 52,8%. obtiveram notas inferiores a 80% investimentos serão direcionados A Petrobras no item Governança foram: Governança corporativa, a equipamentos e processos Corporativa recebeu a nota máxima Responsabilidade Ambiental, voltados à preservação do meio de 83,3%, enquanto a média da Diversidade Energética e ambiente. Estes investimentos irão indústria em geral ficou em 58,61%. Apoio Social. gerar maior eficiência operacional, Esta marca supera todas as demais na qualidade e segurança. classificação geral. Outro fator significativo foi em rela- ção ao item Transparência, em que a Petrobras obteve uma pontuação muito Petrobras em Buenos Aires superior ao mercado, cuja média foi de A Petrobras recebeu em abril autorização da Bolsa de Comércio 54%, onde a da Companhia teve uma de Buenos Aires (BCBA) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pontuação de 82,44%. para negociar suas ações ordinárias e preferenciais no mercado O estudo de pesquisa realizada é argentino, diversificando assim a sua base acionária. Essa abertura baseado em critérios objetivos, de mercado não significa emissão de novas ações. Os investidores relacionando 280 itens de abordagem locais podem investir diretamente em ações da Petrobras e, até abrangendo as áreas de governança 31 de julho, o valor negociado ultrapassou 300 milhões de pesos. corporativa, responsabilidade social corporativa, ética nas relações e transparência no processo de gestão, o que corrobora e ratifica as ações da Petrobras reforçando a confiabili- dade das informações junto aos seus diversos públicos de interesse e partes interessadas. Informativo publicado pela Gerência de Relacionamento com Investidores da Petrobras • Gerente Executivo: Raul Campos • Coordenador: Marcos Vinícius Guimarães • Edição: Gerência de Comunicação Institucional da Petrobras • Editores Responsáveis: Cláudio Paula e Tereza Lobo • Contato: Suporte ao Acionista Tel.: (21) 3224-1540/4914 • Fax: (21) 2262-3678 • 0800 282-1540 • Av. República do Chile, 65 / 2202-A • Centro – Rio de Janeiro – RJ – 20031-912 • E-mail: acionistas@petrobras.com.br • Projeto Gráfico e Diagramação: Estúdio Matiz Visite nosso site www.petrobras.com.br/ri