Edição 26 - Petrobras em Ações - n° 01/2008

442 views
396 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
442
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Edição 26 - Petrobras em Ações - n° 01/2008

  1. 1. Relacionamento com Investidores • Ano VII • nº 26 Petrobras em Ações Petrobras em Ações Petrobras é a maior DESTAQUES Sexta empresa de energia do mundo ■ A Petrobras subiu do 11º para o sexto lugar empresa em valor de no ranking da consultoria PFC Energy 50, que lista as maiores empresas de petróleo do mundo, com base nos valores de mercado no final de 2007. mercado na América Latina A A companhia aparece à frente de empresas como BP divulgação dos resultados do quarto trimestre e do exercício de e Total. A PFC Energy é uma consultoria de energia 2007 da Petrobras revelou um novo recorde: ela é a maior com atuação junto a empresas e governos em todo o mundo há mais de 20 anos (ranking disponível em empresa de valor de mercado na América Latina www.pfcenergy.com). – R$ 430 bilhões (aproximadamente US$ 243 bilhões). Esse valor repre- senta um crescimento de 87% em relação a 2006. Concluída emissão Dois motivos foram os principais responsáveis para alcançar essa em Global Notes marca: as descobertas de novas fronteiras ■ A Petrobras, por intermédio de sua subsidiária exploratórias (áreas de Tupi e Júpiter, na Petrobras International Finance Company (PIFCo), região denominada pré-sal, na Bacia de concluiu uma emissão, reabrindo o título do tipo Santos), que podem colocar o Brasil como Global Notes no mercado internacional de capitais um dos principais países produtores de com vencimento em 01/03/2018, no formato de dívida sênior não subordinada, sem garantia petróleo, e o crescimento dos investimen- (unsecured), no valor de US$ 750 milhões. Esta tos previstos no Planejamento Estratégico reabertura constituirá uma emissão única e fungível da companhia, principalmente no desen- com o US$ 1 bilhão lançado em 01/11/2007. No total, volvimento da produção. haverá US$ 1 bilhão e 750 milhões em títulos da Isso fez com que o retorno total aos emissão com vencimento em 01/03/2018, o que acionistas também fosse recorde na representa o menor custo histórico de uma companhia história recente da Petrobras: 83,9% aos brasileira no mercado de dívida em dólares. acionistas (PETR4) e 131,4% aos detento- Pagamento de antecipação de res de ADRs (PBR), considerando o reinves- juros sobre capital próprio timento dos dividendos recebidos. As ■ Em 23/01/08, a Petrobras pagou a primeira ações preferenciais da compa- parcela da antecipação dos juros sobre o capital nhia superaram pelo quarto ano próprio aos detentores de ações ordinárias ou consecutivo o índice Ibovespa, da preferenciais, na data-base 17/08/07, com valor total Bolsa de Valores de São Paulo – Bovespa. bruto de R$ 0,5034 por ação. O pagamento da No caso dos recibos ordinários, 2007 foi o segunda parcela ocorreu no dia 31/03/08 aos quinto ano seguido em que esses papéis detentores de ações ordinárias ou preferenciais na data-base 05/10/07, com valor total bruto de superaram o Amex Oil, benchmark Sede da Petrobras R$ 0,5130 por ação. É preciso observar as retenções do setor. Nos Estados Unidos, a valori- de Imposto de Renda, exceto aos acionistas que se zação das ações da Petrobras, comerciali- incluem nas categorias imunes ou isentos. zadas na Bolsa de Nova York (Nyse), tam- bém foi expressiva. Recorde em geração de energia Esses resultados demonstram o êxito do Plano de Investimen- ■ A Petrobras registrou em fevereiro de 2008 novo tos da companhia e criam perspectivas positivas para 2008. A conjuga- recorde de geração de energia elétrica para o Sistema ção do planejamento feito com os investimentos em curso contribuirá Interligado Nacional (SIN). Foi produzido um total de 4.040 MW em usinas a gás natural, óleo diesel e para garantir o crescimento futuro e sustentável da Petrobras. óleo combustível, contra a marca de 2.900 MW em novembro de 2007. Contribuíram para o resultado a entrada em operação do gasoduto Cabiúnas Mais de dois Sucesso Referência (RJ)–Vitória (ES), o uso de unidades mais eficientes e a diminuição no consumo interno da companhia. milhões de exploratório no entre as barris por dia pré-sal petroleiras PÁG. 3 PÁG. 3 PÁG. 4
  2. 2. LUCRATIVIDADE Resultados do quarto trimestre de 2007 O melhor desempenho das ven- incremento de 1%. Já a produção total dólar, aumentou 24%. Descontados os das nos mercados interno e de derivados aumentou 8%. No país, o efeitos da apreciação do real em 10%, externo impulsionou a receita aumento foi de 2% na comparação entre o custo do refino em reais aumentou operacional líquida (8% maior que 2007 e 2006. No âmbito internacional, 13%. Na esfera internacional, o custo em 2006). O lucro líquido consolida- houve, em 2007, significativo incremen- de refino aumentou 71% na compara- do anual foi afetado pela valorização to tanto da produção como da capaci- ção 2007/2006, devido à inclusão da do real, por custos com importação de dade instalada em função da aquisição refinaria nos EUA. petróleo e derivados e gastos extraor- da Refinaria de Pasadena, nos EUA. A dívida de curto prazo diminuiu dinários com pessoal (plano de pensão O volume de vendas no mercado 31%, e o endividamento total, 15%. Petros). A capacidade de geração ope- interno cresceu 3% em 2007. As ope- Mesmo com a redução das disponibili- racional de caixa (EBITDA) manteve-se rações offshore e da refinaria nos EUA dades em 53%, a geração de caixa estável em 2007. O montante total de impulsionaram o volume de vendas operacional (EBITDA) permite liquidar a investimentos atingiu o valor de internacionais no último ano, dívida total em nove meses e o endivi- R$ 45,3 bilhões em 2007, com que apresentou aumento de damento líquido em seis meses. O ano acréscimo de 34% em relação a 2006. 17% em relação a 2006, compen- de 2007 foi marcado por expres- A produção média de óleo e gás sando a exclusão de operações na sivas valorizações das ações da também se manteve estável em relação a Venezuela e das refinarias na Bolívia. As Petrobras tanto no Brasil quanto 2006, pois quatro dos cinco grandes exportações de petróleo e derivados nos EUA. projetos de produção previstos para apresentaram aumento de 5% e 7% A contribuição econômica fechou 2007 começaram a operar somente no respectivamente. Em termos financei- 2007 em patamar de relativa esta- final do ano, quando foi alcançado ros, o saldo foi positivo em US$ bilidade em relação a 2006. As partici- novo recorde diário de produção 73 milhões em 2007. pações governamentais no país diminuí- de óleo no Brasil – 2 milhões e 238 Os custos de extração cresceram ram 7% no mesmo período comparado, barris. Cinco novas unidades que devem 5% em reais (sem participação gover- refletindo a apreciação de 10% do real e entrar em operação em 2008 vão contri- namental) na comparação 2007/2006 aplicação de alíquota de Participação buir para o crescimento da produção. e 17% em dólar. No âmbito externo, Especial menor, decorrente da menor Em relação a 2006, o preço médio o lifting cost elevou-se 24% em 2007. produção devido ao declínio natural dos de realização dos derivados apresentou O custo unitário do refino no país, em principais campos produtores. Variação Nominal das Ações Dados Econômico-Financeiros RESULTADOS & RETROSPECTIVA Em R$ Milhões 2007 2006 Variação (%) 467% (Ibovespa) Vendas brutas 218.254 205.403 6 695% (Petrobras ON) 662% (Petrobras PN) Vendas líquidas 170.578 158.239 8 880 Lucro bruto 66.180 63.305 5 780 Lucro operacional * 40.591 42.237 -4 680 Lucro líquido 21.512 25.919 -17 580 Lucro líquido por ação (R$) 4,90 5,91 -17 Geração de caixa operacional 41.897 43.659 -4 480 Ebitda 50.275 50.864 -1 380 Valor de mercado (controladora) 429.923 230.372 87 280 Total de investimentos 45.285 33.686 34 180 Endividamento líquido 26.670 18.776 42 Estrutura de capital (capital de terceiros 80 líquido / passivo total líquido) 48% 47% 1 pp Dez-02 Mar-03 Jun-03 Set-03 Dez-03 Mar-04 Jun-04 Set-04 Dez-04 Mar-05 Jun-05 Set-05 Dez-05 Mar-06 Jun-06 Set-06 Dez-06 Mar-07 Jun-07 Set-o7 Dez-o7 * Antes das receitas e despesas financeiras e da equivalência patrimonial. Variação Real Acumulada* Resultados Operacionais 900% 840,8 Em mil barris de óleo equivalente/dia 2007 2006 Variação (%) 800% ■ Ibovespa Produção total de petróleo, LGN e 700% ■ Petrobras PN gás natural 2.301 2.297 – 600% ■ Petrobras ON Produção total de derivados 2.046 1.892 8 457,0 481,5 500% 445,1% Exportação líquida de petróleo e derivados 77 93 (17) 400% 314,3% 300% Capacidade de utilização das refinarias 200% 144,9% – no Brasil 90% 89% 1 pp 64,5 78,6 100% 33,1 Capacidade de utilização das refinarias 0% – no exterior 85% 81% 4 pp -100% 10 Anos 5 Anos 1 Ano Participação do óleo nacional na carga processada 78% 80% -2 pp * Como deflator foi utilizado o IGP-DI
  3. 3. PRODUÇÃO RECORDE Petrobras alcança produção de 2 milhões de barris/dia no Brasil A Petrobras registrou em dezem- Para alcançar este feito, somente diário alcançado bro mais um recorde diário em 2007 cinco novas plataformas pela companhia. de produção de petróleo no entraram em operação. Quando A média dos Brasil. Foram 2 milhões e 238 barris, alcançarem o pico de produção, elas campos terres- marca alcançada por poucos países acrescentarão 590 mil barris de óleo à tres tem oscila- produtores de petróleo no mundo. capacidade instalada. O recorde ante- do em torno de O recorde foi resultado do aumento rior foi alcançado em outubro de 230 mil barris progressivo da produção nos últimos 2006, com 1 milhão 912 mil barris. de petróleo por anos e representa mais um passo O ritmo de entrada de novos sis- dia. decisivo para a sustentabilidade da temas de produção no portfólio da Esse volume auto-suficiência brasileira nessa área. companhia crescerá em 2008, com o da produção ter- início das operações de cinco novas restre vem sendo plataformas. Uma delas será a P-51, mantido ao lon- a primeira plataforma inteira- go dos últimos mente construída no Brasil. anos, graças a novas tecnologias que Embora mais de 80% do petróleo a Petrobras vem desenvolvendo para produzido pela Petrobras no Brasil aumentar a vida útil de campos já venham dos campos marítimos, a maduros. Além disso, a Companhia produção terrestre também desem- prevê o crescimento da produção ter- penhou papel importante no recorde restre nos próximos anos. NOVA FRONTEIRA EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO Sucesso exploratório no pré-sal A pós a descoberta da área de Tupi, na Bacia de Santos, que passou a constituir uma das mais importantes províncias petrolíferas do mundo, a Petrobras anuncia outra importante descoberta: uma grande jazida de gás natural e condensado Descoberta na área denominada Júpiter, na mesma bacia. Isso reforça o potencial da região denominada pré-sal, na qual no Peru a companhia tem participação em 13 blocos em fase exploratória. Odescoberta de gás no Peru uma consórcio formado pela Petrobras (35,15%), Repsol (41% – operadora) e Burlington Resources (23,85%) realizou em poço exploratório na O poço pioneiro está a uma profundidade final de 5.252 metros, localizado a 290 km da costa do Rio de Janeiro e a 37 km da área do Tupi, em profundidade província de Cuzco. Os primeiros testes de produção, em anda- d’água de 2.187 metros. A área é explorada em consórcio mento, registraram vazão de 1 milhão de metros pela Petrobras (80% – operadora) e Galp Energia (20%), cúbicos de gás e 198 metros cúbicos de condensados por dia. de Portugal. A estrutura descoberta possui extensão superior a 22 quilô- Além disso, o consórcio comprovou a ocorrência de metros e aproximadamente 115 metros de reservatórios líqui- uma jazida de óleo leve em outra área da Bacia de dos de gás e condensados. Ainda que os dados disponíveis não Santos, também na região do pré-sal. O poço está locali- permitam definir com exatidão os recursos do descobrimento, zado a 280 km da costa de São Paulo, em lâmina d'água as dimensões da estrutura permitem acomodar volumes de de 2.234 metros, e a profundidade a partir do leito mari- cerca de 2 TCF (56 bilhões de metros cúbicos). A nova jazida nho é de 5.350 metros. Continuam os investimentos e ati- descoberta está próxima aos blocos 58 e 110, onde a Petrobras vidades necessários à verificação das dimensões das novas possui atividades exploratórias com 100% de participação. jazidas e das características dos reservatórios.
  4. 4. PAINEL DE NOTÍCIAS Petrobras no SUSTENTABILIDADE Fórum Econômico Mundial O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, e o diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Almir Barbassa, participaram do encontro anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. O evento reuniu líderes empresariais e governamentais de todo o mundo, Urucu – Amazônia além de representantes da sociedade civil, para discutir os desafios para o desenvolvimento mundial. Um dos principais compromissos da Petrobras em Davos foi o Urucu, Amazônia Energy Summit, que recebeu dirigentes de algumas das maiores petrolíferas internacionais e governantes dos principais países produtores e consumidores de petróleo. Durante o evento, os executivos da companhia realizaram reuniões de trabalho para discutir temas relevantes do setor. A mais sustentável entre Parceria as petroleiras Novo combustível aditivado para logística em etanol A Petrobras foi reconhecida em pesquisa da Management & Excellence (M&E) como a petroleira A Petrobras lançou o combustível aditivado Add Cleaner, um novo produto destinado ao segmento A Petrobras aprovou a criação de uma empresa com a Mitsui e a Camargo Correa para a construção de um alcoolduto mais sustentável do mundo. Os crité- rios para o ranking levaram em conta a adequação a diversos padrões inter- industrial para ser utilizado entre Senador Canedo (GO) e Paulínia (SP). na geração de energia, por meio O projeto inclui ainda um segundo trecho nacionais. A M&E é uma consultoria da queima no processo de que interligará a Hidrovia Tietê-Paraná espanhola especializada em avaliação transformação (fornos e caldeiras). ao Terminal de Paulínia. A iniciativa é parte organizacional e uma das instituições Ele apresenta maior eficiência e do Corredor de Exportação de Etanol, que mais respeitadas pelo mercado de aumenta a vida útil do sistema abrangerá Goiás, Minas Gerais, São Paulo investidores e pela mídia nos Estados de combustão. Permite reduzir o e Rio de Janeiro. Unidos, Europa e América Latina. tempo de paradas para A capacidade de escoamento no tronco Esse resultado demonstra o reco- manutenção e limpeza de principal do alcoolduto será de até nhecimento do compromisso da com- equipamentos e o período entre 12 milhões de m3 de etanol/ano. A Petrobras panhia com as questões de governan- estas manutenções. Também é um colocará essa estrutura à disposição do ça, ética, transparência, responsabili- combustível mais limpo e mercado, sob a forma de um serviço de proporciona importantes transporte, possibilitando a chegada eficiente dade social e ambiental, e relaciona- benefícios ambientais. do etanol aos portos para exportação. mento com investidores e demais partes interessadas. Iniciativas Nesse contexto de sustentabilidade, a Biocombustíveis reduzem emissões de CO2 Petrobras aumentou o investimento em processos que permitem melhorar Petrobras tem como meta evitar a emissão de 21,3 milhões de toneladas A de CO2 entre 2007-2012. A companhia quer alcançar níveis de excelência na redução da emissão de gases de efeito estufa (GEE), contribuindo para a a ecoeficiência de suas operações. Em 2007, foi investido R$ 1,7 bilhão (em 2006, foi R$ 1,3 bilhão) na redução de sustentabilidade dos negócios e a mitigação das mudanças climáticas. Projeções indicam que o setor de transportes será o maior consumidor emissões de gases poluentes, gestão de mundial de petróleo no período 2005-2025 e a substituição parcial dos consumo de água e energia, e outros. combustíveis fósseis pelos chamados biocombustíveis, como o biodiesel, Em outra frente, a companhia, por é fundamental para a redução das emissões. A Petrobras tem investido no meio do Centro de Excelência Ambien- desenvolvimento do biodiesel e acredita tal da Amazônia (Ceap), do Ibama e do que em futuro próximo sua Governo do Pará, assinaram protocolo participação no setor de transportes de intenções para um trabalho integra- aumentará. do de gestão do conhecimento da Atualmente, legislações de vários região amazônica na área socioam- países determinam a mistura dos biental. Em 2008, o Ceap investirá cer- biocombustíveis ao combustível fóssil. No Brasil, 2% de biodiesel são ca de R$ 60 milhões na Amazônia, e misturados ao diesel. Esse percentual até 2012 o montante de recursos deve aumentará para 5% em 2013. chegar a R$ 120 milhões. Informativo publicado pela Gerência de Relacionamento com Investidores da Petrobras • Gerente executivo: Theodore Helms • Editor e jornalista responsável: Cláudio Paula (RJ-21059-JP) • Redação: Orlando Gonçalves Jr. • Colaboração: Ana Paula Carvalho e Fábio Rocha • Contato: Suporte ao Acionista Tels.: (21) 3224-1540/4914 e 0800 282 1540 • Fax: (21) 2262-3678 • Endereço: Av. República do Chile, 65 / Sala 2202-B • Centro – Rio de Janeiro – RJ – 20031-912 • E-mail: acionistas@petrobras.com.br • Projeto gráfico e diagramação: Estúdio Matiz Visite nosso site www.petrobras.com.br/ri

×