Ubiquitous Grid
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Ubiquitous Grid

on

  • 1,041 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,041
Views on SlideShare
1,041
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
11
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ubiquitous Grid Ubiquitous Grid Presentation Transcript

  • Towards 'Ubiquitous' Ubiquitous Computing: an aliance with 'the Grid' Lucas Alberto Souza Santos Introdução ao Processamento Paralelo e Distribuído Prof. Cláudio Geyer
  • Computação Ubíqua A Computação Ubíqua para ser amplamente utilizada, necessita de uma série de fatores não disponíveis atualmente como: Uma infraestrutura comum de sistemas distribuídos. ● Problemas: ●Tecnologias proprietárias ●Pouca experiência com os padrões existentes Solução: ●Aliança com a Computação em Grid
  • The Grid - o passado e o futuro  A tecnologia Grid tinha como foco o compartilhamento de recursos computacionais para atingir elevada capacidade computacional.  Agora, o Grid se tornou uma plataforma genérica para o compartilhamento de qualquer tipo de recurso em rede.
  • The Grid - o passado e o futuro Nas palavras de Ian Foster: “a hardware and software infrastructure that provides dependable, consistent, pervasive and inexpensive access to high-end computational capabilities.” The Grid: BluePrint for a new Computing Infraestructure, 1998 “cordinates resources that are not subject to centralized control ... using standard, open, general-purpose protocols and interfaces ... to deliver non-trivial qualities of services” What is the Grid? A Tree Point Checklist, 2002
  • A visão do Grid A Computação em Grid e a Ubíqua possuem objetivos em comum:  Incrementar o ambiente com grande número de dispositivos e serviços, sob uma gerência não centralizada.  A interação dos dispositivos e serviços deve realizada de forma coordenada e através de uma especificação padrão de interação, para tratar a heterogeneidade do sistema.
  • Sinergia entre Computação Grid e Ubíqua  Heterogeneidade e Interoperabilidade  Escalabilidade  Adaptabilidade e Tolerância a Falhas  Gerência de Recursos e Composição de Serviços  Descoberta de Recursos(Dispositivos e Serviços)
  • Sinergia entre Computação Grid e Ubíqua  Segurança  Comunicação  Audit Trails - Auditoria  Pagamento $$$ Mesmo assim, existe pouca preocupação na comunidade Grid com os problemas cruciais da Computação Ubíqua, por exemplo, as limitações de certos recursos como os dispositivos embarcados.
  • Usando Tecnologias Grid  Embora existam uma variedade plataformas Grid, comerciais e não- comerciais como: • Globus v2 • Legion • Avaki  Há atualmente um esforço da comunidade Grid na construção de arquitetura comum: Open Grid Services Architecture(OGSA).
  • OGSA – Open Grid Services Architecture  Projeto do Global Grid Forum(GGF)  Objetiva a criação de um padrão aberto para interoperabilidade entre sistemas Grid.  A OGSA já provê algumas funcionalidades básicas para a construção de Grids computacionais, mas o projeto ainda está em padronização.  As interfaces padrões para os serviços propostos na OGSA, estão sendo definidas na Open Grid Services Infraestructure(OGSI).
  • Exemplo de Computação Ubíqua Descrição:  John sofre de uma doença pulmonar crônica, que requer acompanhamento médico durante toda a sua via.  John é monitorado por um computador vestível, no qual suas informações vitais são coletadas e enviadas para um conjunto de softwares.  Quando uma anomalia é captada pelo dispositivo, o próprio John é alertado, ou em caso grave, a equipe médica é informada pelo sistema.
  • Computador Vestível
  • Experimentos Ubíquos em OGSA  Jaqueta com sensores  Componentes do sistema distribuído construído como Grid services, usando o Globus Toolkit 3(GT3).
  • Interface Web
  • As vantagens do Grid  Para a Computação Ubíqua, o uso de Grid é promissor: • Recursos • Contexto • Comunidade • Políticas As aplicações ubíquas ganham: • Escalabilidade, recursos , colaboração, saindo dos testes isolados em laboratórios sob condições artificiais.
  • Conclusão  Enquanto progressos significantes já foram feitos na Computação Ubíqua, ainda não existe uma plataforma uniforme para suportar o desenvolvimento de aplicações nesta área.  A Computação em Grid pode ser uma rota viável para a acelerar o progresso da Computação Ubíqua.  Embora a o Grid não permita a construção de aplicações avançadas, o protótipo mostrou que é possível pequenas aplicações ubíquas.