Contabilidade gerencial

31,977 views

Published on

1 Comment
10 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
31,977
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
675
Comments
1
Likes
10
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Contabilidade gerencial

  1. 1. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Apostila de Contabilidade Assunto: CONTABILIDADE GERENCIAL Autor: PROFº CLAUDIO SAMEIRO 1
  2. 2. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Prof.: Claudio Sameiro Contabilidade Gerencial APOSTILA 2003.2 2
  3. 3. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Introdução Objetivos do Curso de Contabilidade Gerencial Ao final dessa disciplina, o aluno deve estar apto a:  Utilizar a Contabilidade de Custos como instrumento para fins gerenciais;  Aplicar a Contabilidade de Custos para as funções de controle, relacionadas ao estabelecimento de padrões e análises das variações observadas.  Criticar a implantação de sistemas de custos. Referências para Estudo _MARTINS, Eliseu. Contabilidade de custos. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2000. Outros textos indicados pelo Professor _Material Instrucional: slides / transparências _Seus apontamentos de sala de aula _Exercícios e exemplos trabalhados durante o Curso 3
  4. 4. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 1 A Contabilidade Gerencial, a Financeira e a de Custos (P.19-23)  Contabilidade Financeira ou Geral Até a Revolução Industrial, no século XVIII, quase só existia a Contabilidade Geral, que desenvolvida na Era Mercantilista, estava bem estruturada para servir às empresas comerciais. Para a apuração do resultado de cada período, o mais importante era o levantamento dos estoques físicos. CMV = EI + Compras - EF Com o advento das indústrias, tornou-se mais complexa a função do Contador que, para levantar um Balanço e apurar o Resultado, não tinham tão facilmente os dados para atribuir valor aos estoques; o valor das Compras na empresa comercial estava substituído por uma série de valores pagos pelos fatores de produção utilizados. Revolução Industrial Séc. XVIII ARTESÕES COMÉRCIO CONSUMIDOR INDÚSTRIAS COMÉRCIO CONSUMIDOR  Empresa Industrial A Empresa Industrial é aquela cuja atividade característica se concentra na transformação de matéria prima em produtos. Entretanto, não é apenas a transformação que caracteriza a produção industrial; ela pode ocorrer em função da transformação, do beneficiamento, da montagem, da restauração. Indústria de transformação: a transformação das matérias primas pode ocorrer por processo mecânico, técnico ou químico. Ex.: Indústrias de móveis (mecânico), Siderúrgicas (técnico) e Petrolífera (química). Indústria de Restauração ou Recondicionamento: são aquelas cuja atividade se concentra na recuperação de produtos usados ou mesmo deteriorados. Ex. Retifica de motores, Recauchutadores, Lanternagem e Pintura. Indústria de beneficiamento: a atividade industrial de beneficiamento é a operação que visa modificar, aperfeiçoar e até mesmo dar uma melhor aparência ao produto novo, sem que haja transformação. Ex.: Empresa de beneficiamento de arroz, trigo, cacau, etc. Indústria de montagem de peças: o produto final desse tipo de indústria resulta da montagem de peças produzidas normalmente pela indústria de transformação. Ex.: Indústrias Automobilísticas, de Rádios, de Televisores, etc. 4
  5. 5. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro  Da Contabilidade de Custos à Gerencial Surgiu da necessidade de adaptar à empresa industrial os mesmos critérios utilizados na comercial. Devido ao crescimento das empresas, com o conseqüente aumento da distância entre o Administrador e ativos e pessoas administrativas, passou a Contabilidade de Custos a ser encarada como uma eficiente forma de auxílio no desempenho dessa nova missão, a Gerencial. A Contabilidade de Custos tem duas funções relevantes: Auxílio no Controle e na ajuda às tomadas de decisões. No Controle, sua principal missão é fornecer dados para estabelecimento de padrões,orçamentos e outras formas de previsão e posteriormente, acompanhar o efetivamente ocorrido com os anteriormente orçados. No que tange à Decisão, sua importância, consiste na alimentação de informações sobre valores relevantes, c/ conseqüências a curto e longo prazo, visando, corte de produtos, definição de estoque máximo e mínimo, fixação de preços de venda, compras, fabricação, etc, etc. Com o significativo aumento de competitividade, devido a Globalização e mercados, sejam eles industriais, comerciais ou de serviços, os Custos tornam-se altamente relevantes quando da tomada de decisões em uma empresa, porque, quanto menor o custo, melhor será o preço de venda para o consumidor, não deixando de lado a qualidade. O conhecimento dos custos do produto, é vital para saber se, dado o preço, o produto é rentável; ou se não rentável, se é possível reduzi-los (os custos). Por tudo isso, a Contabilidade moderna, vem criando sistemas de informações, que permitam melhor gerenciamento de Custos, com informações rápidas e eficientes. Os Sistemas de Custos precisam sempre levar em consideração a qualidade do pessoal envolvido em sua alimentação e em seu processamento, à necessidade de informação do usuário final, à adequação de sua adaptação às condições específicas da empresa. 5
  6. 6. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Terminologias (P. 24-28)  Gasto - Sacrifício financeiro com que a entidade arca para a obtenção de um produto ou serviço qualquer, sacrifício esse representado por entrega ou promessa de entrega de ativos (normalmente dinheiro). (p. 25) Pode ser um investimento, custo ou despesa. Exemplos:  Gasto com Mão-de-obra  Aquisição de Mercadorias para revenda  Aquisição de Matéria-prima  Aquisição de Máquinas e equipamentos  Energia Elétrica  Aluguel  Investimento - Gasto ativado em função de sua vida útil ou de benefícios atribuíveis a futuros períodos. (p. 25) pode se transformar em custo, despesa ou perda. Exemplo: estoque de matéria- prima, máquinas e equipamentos. Exemplos:  Aquisição de Matéria-prima  Aquisição de Móveis e utensílios  Aquisição de Imóveis  Custo - Gasto relativo ao bem ou serviço utilizado na produção de outros bens ou serviços. Este gasto, só é reconhecido como custo, no momento de utilização dos fatores de produção, para fabricação de um produto ou execução de um serviço. (p. 25). Exemplos:  Matéria-Prima: foi um gasto na aquisição, que imediatamente se tornou um investimento durante sua estocagem, e quando consumido se tornou Custo.  A Energia Elétrica, é um gasto que quando consumido, passa imediatamente para Custo.  Salários do pessoal da produção.  Manutenção das Máquinas e Equipamentos de produção.  Depreciação das Máquinas e Equipamentos de produção.  Despesa - Bem ou serviço consumidos direta ou indiretamente para a obtenção de receitas. (p. 26) Exemplos:  Salários e encargos sociais, com pessoal de vendas  Salários e encargos sociais, com pessoal Administrativo  Gastos Administrativos  Conta de Telefone, Energia, Água, do escritório (administração / vendas)  Desembolso - Pagamento resultante de aquisição do bem ou serviço. Caracteriza-se pela entrega de numerário; pode ocorrer antes (pagamento antecipado), no momento (pagamento à vista) ou depois (pagamento a prazo) da ocorrência do gasto. (p. 26). 6
  7. 7. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro  Perda - Bem ou serviço consumidos de forma anormal e involuntária. (p. 26) A perda não se trata de despesa ou custo. Não é despesa porque não se destina a obtenção de receita, e não é custo porque não entra no processo de produção. A perda é contabilizada diretamente à conta de Resultado. Exemplos: Sinistros, estoques obsoletos, PDD, etc.  Definição de Preço - Valor estabelecido e aceito pelo vendedor para transferir a propriedade de um bem ou para prestar um serviço. Custo ou despesa para o adquirente é o preço para o vendedor. Gerencialmente não se faz distinção entre custo e despesa. O preço e o custo podem ser iguais, o preço sob a ótica do vendedor e o custo sob a ótica do comprador. Considerando-se apenas o vendedor, o custo é menor e o preço é a maior porque contém o lucro.  Definição de Receita - A receita de um bem é o seu preço de venda multiplicado pela quantidade vendida e a receita de vários bens é o somatório das multiplicações dos diferentes preços de venda pelas respectivas quantidades vendidas. Exemplo: A matéria prima, que é uma receita para o vendedor, é para o comprador um gasto com investimento no ato da compra, um desembolso no ato do pagamento que pode ser a vista ou a prazo, um custo no ato de sua aplicação na produção e uma despesa no ato da venda do produto que ela integra.  Definição de Sucata - Bens que se encontram desgastados, com defeito, fora de uso ou sobras, que serão vendidos no mercado, como bens sucateados, sendo o preço de venda acordado com o comprador, geralmente por valores bem abaixo do normal, e são registrados como Outras Receitas. Demonstração de Resultados na Indústria (P. 47-50) --- Vendas Líquidas (-) Custo dos Produtos Vendidos (CPV) Custo de Produção do Período (+) Estoque Inicial de Produtos em Elaboração (-) Estoque Final de Produtos em Elaboração (=) Custo da Produção Acabada no Período (+) Estoque Inicial de Produtos Acabados (=) Custo dos Produtos Disponíveis (-) Estoque Final de Produtos Acabados (=) Lucro Bruto ---  Custos de Produção – Podem ser separados em: Material Direto (MD), Mão-de-Obra Direta (MOD) e Custos Indiretos de Fabricação (CIF).  Custo de Produção do Período - É a soma dos custos incorridos no período dentro da fábrica. (p. 51).  Custo da Produção Acabada – é a soma dos custos contidos na produção acabada no período. (p. 51). 7
  8. 8. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro  Custo dos Produtos Vendidos – é a soma dos custos incorridos na fabricação dos bens que só agora estão sendo vendidos. (p. 51). 8
  9. 9. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Exercícios QUESTÃO 1 - Assinale com um ‘X’ a classificação correta de cada fato, se é: custo, despesa, investimento, desembolso ou perda: Fato Gasto Custo Desp invest Desemb Perda Pagou a fatura do anúncio que colocou no jornal deste fim de semana. Colocou anúncio no jornal desta semana, mas só vai pagar no fim do mês. Comprou matéria prima a prazo. Transferiu a matéria prima do almoxarifado para a fábrica para iniciar a produção. Apurou os cartões de ponto dos empregados da fábrica. Apurou os cartões de ponto do pessoal do escritório. Energia elétrica da fábrica consumida este mês. “Perda” normal de matéria prima no processo de fabricação. Deterioração de matéria prima em razão de greve dos operários. Obsoletismo de estoques de materiais. Salário do porteiro da fábrica. 9
  10. 10. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 2 Separação entre Custos e Despesas (P. 51-56)  Separação entre Custos e Despesas – os gastos relativos ao processo de produção são custos, e os relativos à administração, às vendas e aos financiamentos são despesas. (p. 43)  Onde terminam os custos de produção? A regra é simples, bastando definir-se o momento em que o produto está pronto para a venda. Até aí, todos os gastos são custos. A partir desse momento, todos os gastos serão tratados como despesas necessárias para a realização da venda. (p. 45) CUSTOS DESPESAS Produtos VENDAS Acabados  Classificação dos Custos em Diretos e Indiretos  Custos Diretos – podem ser diretamente apropriados aos produtos, bastando haver uma medida de consumo. (p. 52)  Custos Indiretos – não oferecem condição de uma medida objetiva, e qualquer tentativa de alocação tem de ser feita de maneira estimada e muitas vezes arbitrária. (p. 53)  Classificação dos Custos em Fixos e Variáveis  Custos Fixos – são os que num período têm seu montante fixado não em função de oscilações na atividade. (p. 56)  Custos Variáveis – o valor varia de acordo com o volume de produção. (p. 54)  Classificação das Despesas em Fixas e Variáveis  Despesas Fixas – é um valor fixo por período, isto é, definido não em função do volume de atividade (o volume de atividade, para essa despesa, são as vendas e não a produção). (p. 55)  Despesas Variáveis – quanto maior a quantidade vendida, maior o seu consumo. 10
  11. 11. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Outras Nomenclaturas de Custos  Custos Primários – são os custos principais do produto em si, ou seja, a matéria-prima e a mão-de- obra Direta. A embalagem é um custo direto mas não é primário, ou seja, não pertence ao produto produzido. (p.56)  Custos de Transformação – soma de todos os custos de produção, exceto os relativos a matérias- primas e outros eventuais adquiridos e empregados sem nenhuma modificação pela empresa, como por exemplo: componentes adquiridos prontos, embalagens compradas, etc. As embalagens produzidas, podem ser consideradas como custo de transformação, mas embalagens utilizadas somente quando da venda são "Despesas". (p. 56). Representa, estes custos de transformação, o valor do esforço da própria empresa no processo de elaboração de um determinado item (mão-de-obra direta e indireta, energia, materiais de consumo industrial, etc.). Resumo: Matéria-Prima = Custo Direto / Custo Primário / Material Direto Embalagem = Custo Direto / Material Direto / Custo de Transformação (qdo produzidas) / Despesa M.O.D. = Custo Direto / Custo Primário / Custo de Transformação M.O.I. = Custo Indireto / Custo de Transformação. Elementos Básicos de Custos Basicamente, os componentes de custo industrial podem ser resumidos em três elementos:  MD - Materiais Diretos (matéria prima, material secundário, embalagens)  MOD / MOI - Mão de Obra Direta e Indireta  Gastos Gerais de Fabricação (energia elétrica, aluguéis, seguros, telefone, manutenção, lubrificantes, etc) Os Materiais e a Mão-de-obra Direta formam os Custos diretos, e, os Custos Indiretos de Fabricação como o próprio nome já define formam os Custos Indiretos. O somatório dos Custos Diretos mais os Custos Indiretos denominamos em custos de Custo de Produção ou Fabril. Pode também ser conhecido através da seguinte fórmula: CP = CD + CI  Material Direto - é o custo de qualquer material diretamente identificável com o produto e que se torne parte integrante dele. Exemplo: matéria-prima, material secundário, embalagens. O custo de material é obtido por meio da seguinte fórmula: MD = EI + C - EF Onde: MD = materiais diretos EI = estoque inicial C = compras EF = estoque final 11
  12. 12. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro  Tipos de Material Direto Os materiais utilizados na fabricação podem ser classificados em:  Matéria-prima: são os materiais principais no processo de transformação de uma indústria. Ex.: na indústria de confecção: tecidos.  Materiais Secundários: são os materiais aplicados juntamente com a matéria prima, porém em menor quantidade. Ex.: na indústria de confecção de: agulha, linha, fechos, etc).  Materiais de Embalagens: são os materiais destinados a acondicionar ou embalar os produtos. Ex.: na indústria de confecção: sacos plásticos, cx de papelão, papéis, etc.  Mão-de-obra Direta - compreende os gastos com o pessoal envolvido na produção da empresa industrial englobando salários, inclusive encargos sociais (décimo terceiro, férias, FGTS, INSS). É a mão- de-obra empregada na transformação do material direto em produto acabado.  Diferença entre Mão-de-obra Direta e Indireta Mão-de-obra Direta é aquela relativa ao pessoal que trabalha diretamente sobre o produto em elaboração, desde que sejam possíveis à mensuração do tempo despendido e a identificação de quem executou o trabalho, sem necessidade de qualquer apropriação indireta ou rateio. Se houver qualquer tipo de alocação por meio de estimativas ou divisões proporcionais, desaparece a característica de Direta.  Gastos Gerais de Fabricação - compreendem os demais gastos necessários para a fabricação dos produtos, como: aluguéis, energia elétrica, depreciação, manutenção da fábrica, seguros diversos, material de limpeza, óleos e lubrificantes para as máquinas, pequenas peças para reposição, telefones e comunicações etc. Exercícios QUESTÃO 1- A empresa Esperança S.A. apresenta os seguintes dados: MD/ Gastos $ C/ D F/ V D/ I MOD/ CIF Remuneração do diretor administrativo 25.000 Remuneração do diretor na fábrica 22.000 Mão de obra direta 15.000 Aluguel de máquinas usadas na fábrica 8.000 Conservação e manutenção da fábrica 7.000 Depreciação das máquinas industriais 15.000 Depreciação do edifício da sede da empresa 35.000 Água e energia da fábrica 3.000 Despesas com veículos da fábrica 2.500 Despesas com veículos de vendas 2.000 Mão de obra indireta 5.000 Seguro dos equipamentos fabris 2.000 Despesas com telefone da administração 7.000 12
  13. 13. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Despesas com telefone e fax da fábrica 2.000 Aluguel da área ocupada pela fábrica 40.000 Despesas financeiras 5.000 Matéria prima consumida 50.000 Calcule e, assinale na tabela acima, os: a) custos e despesas; b) custos fixos e variáveis; c) custos diretos, indiretos; d) custos de produção; e) despesas fixas e variáveis. QUESTÃO 2 - Numa fábrica de solventes no mês de agosto de 2001 foram apurados os seguintes gastos: Matéria prima consumida no processo: $120.000,00 Mão de obra apontada: $70.000,00 Energia elétrica da fábrica: $25.000,00 Salário da administração: $35.000,00 Depreciação de máquinas da fábrica: $12.000,00 Despesas de entrega: $45.000,00 Analisando os dados acima, podemos concluir que o Custo da Produção do Período foi de: QUESTÃO 3 - Apresentamos os gastos de um determinado mês da Empresa Palmas S.A.: Salários dos contadores: $110.000 Matéria-prima consumida na produção: $40.000 Mão-de-obra dos operários: $90.000 Comissões aos vendedores: $6.000 Frete (para entrega de produtos vendidos): $4.000 Depreciação de máquinas da fábrica: $3.500 Energia elétrica consumida na produção: $30.000 Propaganda: $25.000 Apure os totais dos custos e das despesas. QUESTÃO 4 - A empresa Aimoré, está com dificuldade em classificar as Despesas, os Custos Diretos e Indiretos. A empresa resolve pedir a um contador que faça esta tarefa com cuidado. Sabe-se que o total dos Custos Indiretos será igual ao total das Despesas. As despesas e os custos a serem classificados são: Gastos Valores Despesas C Diretos C Indiretos Matéria-prima consumida 40.000,00 Energia elétrica 20.000,00 Depreciação das máquinas utilizadas pela 15.000,00 fábrica Honorário da diretoria 30.000,00 Seguros da fábrica 10.000,00 13
  14. 14. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Mão-de-obra na produção 25.000,00 Salários da administração 15.000,00 14
  15. 15. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 3 Esquema Básico de Contabilização de Custos (P. 57-64)  Pelo critério simples: 1º Passo → Separação entre custos e despesas; 2º Passo → Apropriação dos custos diretos aos produtos; 3º Passo → Rateio dos custos indiretos. CUSTOS DESPESAS CUSTOS CUSTOS INDIRETOS DIRETOS RATEIO PRODUTO A PRODUTO B PRODUTO C CPV VENDAS RESULTADO DO EXERCÍCIO Exemplo: Suponhamos que estes sejam os gastos de determinado período da Empresa X: Gastos $ Comissão de vendedores 80.000 Salários da fabrica 120.000 Matéria-prima consumida 350.000 Salários da administração 90.000 Depreciação na fábrica 60.000 Seguros da fábrica 10.000 Despesas financeiras 50.000 Honorários da diretoria 40.000 Honorários diversos – fábrica 15.000 Energia elétrica da fábrica 85.000 Manutenção da fábrica 70.000 Despesas de entrega 45.000 Correios, telefones e telex 5.000 Material de consumo do escritório 5.000 Total dos gastos 1.025.000 15
  16. 16. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Passo 1: Separação entre custos e despesas $ Custos de Produção: Salários da fabrica 120.000 Matéria-prima consumida 350.000 Depreciação na fábrica 60.000 Seguros da fábrica 10.000 Materiais diversos – fábrica 15.000 Energia elétrica da fábrica 85.000 Manutenção da fábrica 70.000 Total 710.000 Despesas Administrativas: Salários da administração 90.000 Honorários da diretoria 40.000 Correios, telefones e telex 5.000 Material de consumo do escritório 5.000 Total 140.000 Despesas de Vendas: Comissão de vendedores 80.000 Despesas de entrega 45.000 Total 125.000 Despesas Financeiras: Despesas financeiras 50.000 Total 50.000 As despesas que totalizaram $ 315.000 serão contabilizadas diretamente no resultado do período. Não serão alocadas aos produtos. Passo 2: Apropriação dos custos diretos aos produtos Suponhamos que nossa empresa fabrique 3 produtos: A, B e C e mantenha um controle do consumo de custos diretos utilizados em cada produto. Sabe-se que neste exemplo parte da mão-de-obra e da energia elétrica é direta e outra parte indireta. Custos Produto A Produto B Produto C Indiretos Totais Salários 22.000 47.000 21.000 30.000 120.000 Matéria-prima 75.000 135.000 140.000 350.000 Depreciação 60.000 60.000 Seguros 10.000 10.000 Materiais diversos 15.000 15.000 Energia elétrica 18.000 20.000 7.000 40.000 85.000 Manutenção 70.000 70.000 Total 115.000 202.000 168.000 225.000 710.000 16
  17. 17. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Os custos diretos já estão alocados aos produtos, mas os custos indiretos, no valor de $ 225.000, ainda precisarão ser alocados aos produtos. Passo 3: Apropriação dos custos indiretos aos produtos No exemplo, a alocação dos custos indiretos aos produtos será proporcional ao que cada um já recebeu de custos diretos. Teremos então: Produtos Custos Diretos Custos Indiretos Custo Total A 115.000 23,71% 53.351 23,71% 168.351 B 202.000 41,65% 93.711 41,65% 295.711 C 168.000 34,64% 77.938 34,64% 245.938 Totais 485.000 100,00% 225.000 100,00% 710.000 Exercícios QUESTÃO 1- A empresa Esperança S.A. apresenta os seguintes dados: MD/ Gastos $ C/ D F/ V D/ I MOD/ CIF Remuneração do diretor administrativo 25.000 Remuneração do diretor na fábrica 22.000 Mão de obra direta 15.000 Aluguel de máquinas usadas na fábrica 8.000 Conservação e manutenção da fábrica 7.000 Depreciação das máquinas industriais 15.000 Depreciação do edifício da sede da empresa 35.000 Água e energia da fábrica 3.000 Despesas com veículos da fábrica 2.500 Despesas com veículos de vendas 2.000 Mão de obra indireta 5.000 Seguro dos equipamentos fabris 2.000 Despesas com telefone da administração 7.000 Despesas com telefone e fax da fábrica 2.000 Aluguel da área ocupada pela fábrica 40.000 Despesas financeiras 5.000 Matéria prima consumida 50.000 Calcule e, assinale na tabela acima, os: a) custos e despesas; b) custos fixos e variáveis; c) custos diretos, indiretos; d) custos de produção. 17
  18. 18. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro QUESTÃO 2- A empresa Arco-Íris Ltda apresentou, em setembro de 20X3, as informações descritas como segue: MD/ MOD/ Fatos Gastos D/ C F/ V D/ I CIF Matéria-prima consumida 1.500.000 Mão-de-obra dos operários da fábrica 400.000 Salários dos supervisores da fábrica 20.000 Energia elétrica medida nas máquinas fabris 5.000 durante a produção Aluguel da fábrica 20.000 Seguro de equipamentos fabris 3.000 Comissão dos vendedores 50.000 Gastos com propaganda 10.000 Outros gastos administrativos 50.000 Calcule e, assinale na tabela acima, os: a) custos e despesas; b) custos fixos e variáveis; c) custos diretos, indiretos; d) custos de produção. QUESTÃO 3- Arte & Aço S.A. é uma empresa que fabrica armações em aço para a construção civil. Em agosto de 200X, a empresa apresentou os seguintes dados: Produto A Produto B Totais Matéria-prima AS 110.000 94.000 204.000 Matéria-prima BS 105.000 55.000 160.000 Mão-de-obra direta 20.000 15.000 35.000 Energia direta 5.000 3.500 8.500 Total C. Diretos Total CIF 700.000 Custo Total Quantidade Produzida 1.000 850 - Custo Unitário - Sabendo que para produzir ‘A’ foram utilizadas 300h e para produzir ‘B’ foi utilizadas 200h, faça o rateio dos CIF proporcionalmente as horas trabalhadas. Calcule também os custos unitários de cada produto. QUESTÃO 4 - A empresa Delta Sete Ltda, industria moveleira, produz dois tipos de cadeira: cadeira giratória e cadeira fixa. Apresentou em seu registro contábil em out/ 20X3, o seguinte: Material Direto: MOD: CIF totais - $ 12.000 Cadeira Giratória - $7.000 Cadeira Giratória - $ 500 Cadeira Fixa - $8.000 Cadeira Fixa - $ 800 Calcule o custo total de cada produto, sabendo que o critério de rateio dos custos indiretos é proporcional à mão-de-obra utilizada. 18
  19. 19. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Giratória Fixa Totais Material Direto Mão-de-obra Direta Custos Indiretos Custo Total QUESTÃO 5 - Beta S/A Indústria, fabrica três tipos de refrigeradores: Ice 150, Ice 350 e Ice 450. Apresentou os seguintes custos diretos durante o mês anterior: Ice 150: $200.000 Ice 350: $ 700.000 Ice 450: $600.000 Os custos Indiretos que foram alocados aos produtos são provenientes de : Aluguel da fabrica: $ 10.000 Energia Indireta: $ 5.000 Salários da supervisão: $ 3.000 A distribuição dos CIF’s será baseada na proporção das horas utilizadas para a fabricação: Ice 150: 50 horas Ice 350: 120 horas Ice 450: 145 horas QUESTÃO 6 - A empresa Alfa S.A. fabrica os produtos A e B. Os custos indiretos do período totalizaram $421.000,00. Foram identificados os seguintes custos diretos para cada produto: Custos Produto A Produto B Matéria-prima 315.000,00 383.000,00 Mão-de-obra direta 170.000,00 245.000,00 Energia elétrica direta 173.125,00 176.375,00 Totais Diretos 658.125,00 804.375,00 19
  20. 20. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro O critério de rateio adotado é a alocação dos custos indiretos aos produtos A e B proporcionalmente ao que cada um já recebeu de custos diretos. Determine o custo indireto e o custo total de cada produto. QUESTÃO 7 - A Cia Botões do Ceará produz botões com quatro e dois furos em um único departamento. Segundo suas estatísticas, os seguintes custos foram incorridos: Custos Botões 4 furos Botões 2 furos Total Mão-de-obra 450.000,00 225.000,00 675.000,00 Matéria-prima 200.000,00 320.000,00 520.000,00 CIF 1.800.000,00 Custo Total 2.995.000,00 Tempo total de Fabricação 8.000 h 5.000 h 13.000 h Pede-se completar o mapa de Custo dos Produtos, utilizando como critério de rateio as horas totais de fabricação. QUESTÃO 8 - A empresa Beta S.A., fabricante dos produtos C, D e E, tem os seguintes custos diretos: Produto C = $ 90.000,00 Produto D = $ 87.000,00 Produto E = $ 64.000,00 Total = $ 241.000,00 Os custos indiretos a serem alocados aos produtos são: Depreciação de equipamentos = $ 32.000,00 Energia elétrica indireta = $ 46.000,00 Supervisão de fábrica = $ 27.000,00 Total = $105.000,00 A distribuição dos custos indiretos aos produtos será proporcional à quantidade de horas de mão-de- obra direta que cada produto consome para ser terminado: Produto C = 690 horas Produto D = 1.150 horas Produto E = 460 horas Total = 2.300 horas Pede-se calcular o custo indireto alocado aos produtos C, D e E, e seus custos totais. QUESTÃO 9 - Apresentamos os gastos de um determinado mês da Empresa Palmas S.A.: Salários dos contadores: $110.000 Matéria-prima consumida na produção: $40.000 Mão-de-obra dos operários: $90.000 Comissões aos vendedores: $6.000 Frete (para entrega de produtos vendidos): $4.000 Depreciação de máquinas da fábrica: $3.500 Energia elétrica consumida na produção: $30.000 Propaganda: $25.000 20
  21. 21. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Apure os totais dos custos e das despesas. QUESTÃO 10 - A empresa Aimoré, está com dificuldade em classificar as Despesas, os Custos Diretos e Indiretos. A empresa resolve pedir a um contador que faça esta tarefa com cuidado. Sabe-se que o total dos Custos Indiretos será igual ao total das Despesas. As despesas e os custos a serem classificados são: Gastos Valores Despesas C Diretos C Indiretos Matéria-prima consumida 40.000,00 Energia elétrica 20.000,00 Depreciação das máquinas utilizadas pela 15.000,00 fábrica Honorário da diretoria 30.000,00 Seguros da fábrica 10.000,00 Mão-de-obra na produção 25.000,00 Salários da administração 15.000,00 QUESTÃO 11 - Numa fábrica de solventes no mês de agosto de 2001 foram apurados os seguintes gastos: Matéria prima consumida no processo: $120.000,00 Mão de obra apontada: $70.000,00 Energia elétrica da fábrica: $25.000,00 Salário da administração: $35.000,00 Depreciação de máquinas da fábrica: $12.000,00 Despesas de entrega: $45.000,00 Analisando os dados acima, podemos concluir que o Custo da Produção do Período foi de: 21
  22. 22. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 4 Departamentalização (P. 67-83)  Departamento É a unidade mínima administrativa para a Contabilidade de Custos, representada por homens e máquinas (na maioria dos casos), que desenvolve atividades homogêneas. (p. 70) Os departamentos podem ser divididos em dois grandes grupos:  Departamentos de Produção – Chamados também de produtivos, atuam diretamente sobre o produto modificando-o.  Departamentos de Serviços. (p. 70-71) – Também chamados de auxiliares. Existem basicamente para execução de serviços e não para atuação direta sobre o produto, portanto não têm seus custos alocados diretamente aos produtos. Por prestarem serviços a outros departamentos, têm seus custos transferidos aos departamentos-cliente.  Centros de Custos – Normalmente, departamentos são centros de custos, onde são acumulados os custos indiretos para posterior alocação aos produtos. Esquema Básico de Contabilização de Custos (P. 78-80)  Pela Departamentalização: 1º Passo → Separação entre custos e despesas; 2º Passo → Apropriação dos custos diretos aos produtos; 3º Passo → Apropriação dos custos indiretos que pertencem, visivelmente, aos departamentos, agrupando, à parte, os comuns; 4º Passo → Rateio dos custos indiretos comuns e dos da Administração Geral da produção aos diversos departamentos, quer de produção quer de serviços; 5º Passo → Escolha da seqüência de rateio dos custos acumulados nos departamentos de serviços e sua distribuição aos demais departamentos; 6º Passo → Atribuição dos custos indiretos que agora só estão nos departamentos de produção aos produtos segundo critérios fixados. 22
  23. 23. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Esquema de Contabilização de Custos - Departamentalização Custo de Produção Despesas Indiretos Diretos R Comuns Alocáveis diretamente aos Departamentos Dep Serviço A R Dep Serviço B R Dep Produção C R Dep Produção D R Prod. X Prod. Y Estoque R Rateio CPV Vendas Resultado do Período 23
  24. 24. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Exemplo 1: A empresa Alfa S/A produz três tipos de produtos, A, B e C. Alocou aos produtos os seguintes custos diretos: Custos Produtos Diretos A 500.000 B 300.000 C 450.000 Totais 1.250.000 Deverão ser alocados os seguintes custos indiretos: Custos Indiretos $ Depreciação de equipamentos 200.000 Manutenção de equipamentos 350.000 Energia elétrica 300.000 Supervisão da fábrica 100.000 Outros custos indiretos 200.000 Total 1.150.000 Como a maior parte dos custos indiretos é relativo aos equipamentos, decidiu-se fazer a alocação dos CIFs aos produtos pelo critério das horas-máquina utilizadas em cada produto. Veja: Produtos HM % A 400 40 B 200 20 C 400 40 Total 1.000 100 Portanto o mapa de custos ficaria desta forma: Custos A B C Totais Diretos 500.000 300.000 450.000 1.250.000 Indiretos 460.000 230.000 460.000 1.150.000 Total 960.000 530.000 910.000 2.400.000 No entanto, ao se analisar com mais cuidado o processo de produção, verifica-se que existe uma disparidade no cálculo dos custos de cada produto. Esta disparidade é devido ao fato de que os gastos não são uniformes entre os setores nos quais são produzidos os produtos A, B e C; e, nem estes possuem o mesmo tratamento em cada setor por onde passam. Veja a hora-máquina de cada produto nos departamentos por onde passaram: 24
  25. 25. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Corte Montagem Acabamento Total Produtos HM % HM % HM % HM % 33,3 16,6 A 100 50 250 62,5 400 40 3 7 66,6 B 200 - - - - 200 20 7 83,3 C - - 250 150 37,5 400 40 3 1.00 Totais 300 100 300 100 400 100 100 0 Note que agora o critério de rateio dos CIFs será o das horas-máquina de cada departamento por onde os produtos passaram. Para este novo cálculo deverão ser considerados os custos apropriados a cada um dos setores. Veja a distribuição dos custos indiretos aos departamentos produtivos: Custos Indiretos Corte Montagem Acabamento Total Depreciação 100.000 30.000 70.000 200.000 Manutenção 200.000 30.000 120.000 350.000 Energia 60.000 40.000 200.000 300.000 Supervisão 50.000 20.000 30.000 100.000 Outros Custos Ind. 40.000 30.000 130.000 200.000 Total 450.000 150.000 550.000 1.150.000 Agora, deverá ser levada em consideração a participação de cada produto em cada departamento. Veja a nova distribuição dos custos indiretos aos produtos: Departament Produto A Produto B Produto C Total os % $ % $ % $ % $ 33,3 149.85 66,6 300.15 Corte - - 100 450.000 3 0 7 0 16,6 83,3 Montagem 25.005 - - 124.995 100 150.000 7 3 62,5 343.75 37,5 Acabamento - - 206.250 100 550.000 0 0 0 518.60 300.15 1.150.00 Total - - - 331.245 - 5 0 0 Note que os custos totais de cada produto mudaram. Veja: Critério A B C Total Sem Departamentalização 460.000 230.000 460.000 1.150.000 Com Departamentalização 518.605 300.150 331.245 1.150.000 Diferença 58.605 70.150 (128.755) - 25
  26. 26. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro 26
  27. 27. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Exercícios QUESTÃO 1 - Uma fábrica produz 3 tipos de postes de cimento. Os custos levantados para uma fabricação de 1.000 postes de cada tipo foram: MD MOD Hora- POSTES Unitári Unitári Máquina o a Modelo 1.400 400 400 1 Modelo 1.000 300 300 2 Modelo 700 200 200 3 Totais 3.100 900 900 Os CIF’s incorridos são: Dados obtidos na fábrica com relação à distribuição dos CIF por departamento: ITENS Depto A Depto B Total Depreciação 30.000 70.000 100.000 máquina Manutenção 10.000 40.000 50.000 Energia Elétrica 100.000 130.000 230.000 Materiais Indiretos 50.000 20.000 70.000 Administração 200.000 150.000 350.000 fábrica Totais 390.000 410.000 800.000 A Fábrica tem dois departamentos: ‘A’ e ‘B’, que operam com a seguinte tabela de homem-hora (hm): POSTE Depto A Depto B Total Modelo 1 120 hm 280 hm 400 hm Modelo 2 130 hm 170 hm 300 hm Modelo 3 80 hm 120 hm 200 hm Totais 330 hm 570 hm 900 hm Pede-se: Fazer a apuração e apropriação dos CIF‘s a) Sem departamentalização, com rateio em relação a MOD; b) Com departamentalização, com rateio em relação à hora máquina (hm); c) Apresentar um comentário final. 27
  28. 28. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro RESOLUÇÃO: a) Sem departamentalização: Custos Modelo 1 Modelo 2 Modelo 3 Total MD 1.400.000 1.000.000 700.000 3.100.000 MOD 400.000 300.000 200.000 900.000 CIF 355.520 266.640 177.840 800.000 Total 2.155.520 1.566.640 1.077.840 4.800.000 Custo Unitário 2.155,52 1.566,64 1.077,84 - Tabela de Rateio: %Modelo 1= 400.000 / 900.000 = 44,44% %Modelo 2= 300.000 / 900.000 = 33,33% %Modelo 3= 200.000 / 900.000 = 22,23% b) Com departamentalização: Custos Modelo 1 Modelo 2 Modelo 3 Total MD 1.400.000 1.000.000 700.000 3.100.000 MOD 400.000 300.000 200.000 900.000 CIF 271.278 275.901 252.821 800.000 Total 2.071.278 1.575.901 1.152.821 4.800.000 Custo Unitário 2.071,27 1.575,90 1.152,82 - Rateio do CIF aos departamentos: Depto A Depto B Total Poste % $ % $ $ Modelo 1 36,36 141.804 49,12 129.474 271.278 Modelo 2 39,39 153.621 29,83 122.280 275.901 Modelo 3 24,25 94.575 21,05 158.246 252.821 Totais 100,00 390.000 100,00 410.000 800.000 Tabela de Rateio: Departamento A: Modelo 1 = 120hm / 330hm = 36,36% Modelo 2 = 130hm / 330hm = 39,39% Modelo 3 = 80hm / 330hm = 24,25% Departamento B: Modelo 1 = 280hm / 570hm = 49,12% Modelo 2 = 170hm / 570hm = 29,83% Modelo 3 = 120hm / 570hm = 21,05% 28
  29. 29. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro QUESTÃO 2 - A Cia. Pasteurizadora e Distribuidora Genoveva processa e distribui leite tipo C e tipo B, conhecidos por Genoveva e Genoveva Super, respectivamente. Os Custos Diretos referentes a esses produtos, em certo mês, foram: Genoveva: $4.390.000,00 Genoveva Super: $2.520.000,00 Os Custos Indiretos foram os seguintes: Aluguel: $425.000 Materiais Indiretos: $260.000 Energia: $365.750 Depreciação: $240.000 Outros Custos Indiretos: $330.000 Sabe-se que:  Aluguel é distribuído aos Departamentos de acordo com as suas áreas.  Consumo de Energia é medido por Departamento  Os materiais indiretos, a depreciação e os demais custos indiretos têm como base de rateio o número de horas de mão-de-obra total utilizada em cada Departamento.  A Pasteurização e a Embalagem recebem cada um 40% dos custos da Administração da Produção, e 20% dos custos deste último Departamento são apropriados à Manutenção.  A Manutenção é realizada sistematicamente e, conforme se tem apurado, cabe à Embalagem uma quinta parte do total de seus custos. Dados coletados no período: Pasteurização Embalagem Manutenção Administração Total Área 11.000 m2 9.800 m2 1.500 m2 2.700 m2 25.000 m2 Consumo Energia 34.000 kW 28.200 kW 3.000 kW 1.300 kW 66.500kW Horas de MOD 48.000 h 24.000 h 4.000 h 4.000 h 80.000 h Pede-se elaborar o Mapa de Rateio dos Custos Indiretos de Fabricação. 29
  30. 30. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 5 Custos Indiretos: Critérios de Rateio e Problemas Comuns (P. 84-90) Todos os custos indiretos só podem ser apropriados, por sua própria definição, de forma indireta aos produtos, isto é, mediante estimativas, critérios de rateio, previsão de comportamento de custos, etc. Todas essas formas de distribuição contêm, em menor ou maior grau, certo subjetivismo; portanto, a arbitrariedade sempre vai existir nessas alocações, sendo que às vezes ela existirá em nível bastante aceitável, e em outras oportunidades só a aceitamos por não haver alternativas melhores.(p. 84) Assim, vemos que para a alocação dos custos indiretos de fabricação é necessário proceder a uma análise de seus componentes, e verificações de quais critérios melhor relacionam esses custos com os produtos.(p. 87)  Influência dos Custos Fixos e dos Custos Variáveis Exemplo (p. 87-89): o Departamento de Manutenção possui custo fixo mensal de $ 800.000, e custo variável de $ 500/hm. Para uma verificação do potencial que cada departamento representa como beneficiário dos serviços da Manutenção, a empresa elaborou uma média dos últimos cinco anos e concluiu:  o departamento de Furação tem sido responsável por 25% dos trabalhos da Manutenção;  o departamento de Fresagem por 40%;  a Pintura por 15%;  e o Laboratório por 20%. No presente mês, houve um trabalho total de 1.800 horas (530 para Furação, 880 para Fresagem e 390 para Laboratório, nada para a Pintura), e o custo total da Manutenção foi: Custo Fixo $ 800.000 Custo Variável $ 900.000 Custo Total $1.700.000 O rateio da Manutenção seria então feito: Furação Fresagem Pintura Laboratório Total Custo fixo com 25% 40% 15% 20% 100% base no potencial 200.000 320.000 120.000 160.000 800.000 Custo variável com 530 h x 880 h x 390 h x base no número 500/h = 500/h = 500/h = de horas - 265.000 440.000 195.000 900.000 Total 465.000 760.000 120.000 355.000 1.700.000 30
  31. 31. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro  Importância da Consistência nos Critérios A consistência na aplicação desses critérios é de extrema importância para avaliação homogênea dos estoques em períodos subseqüentes, de forma a não se artificializar resultados. (p. 92) Exercícios Questão 1 - O Departamento de Almoxarifado possui custo fixo mensal de $ 700.000, e custo variável de $ 200/hm. Para uma verificação do potencial que cada departamento representa como beneficiário dos serviços do Almoxarifado, a empresa elaborou uma média dos últimos cinco anos e concluiu:  o departamento de Calandragem tem sido responsável por 60% dos trabalhos do Almoxarifado;  o de Estamparia por 20%;  o de Corte por 2%;  e o Laboratório por 18%. No presente mês, houve um trabalho total de 1.000 horas (700 para Calandras, 150 para Estamparia e 150 para Laboratório, nada para a Corte), e o custo total do Almoxarifado foi: Custo Fixo $ 1.200.000 Custo Variável $ 1.000.000 Custo Total $ 2.200.000 O rateio da Manutenção seria então feito: Calandragem Estamparia Corte Laboratório Total Custo fixo Custo variável Total 31
  32. 32. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 6 Produção Contínua: Conceitos e Problemas Especiais (p. 167-172)  Produção Contínua – caracterizada pela fabricação de produtos iguais de forma contínua, fundamentalmente para estoque, isto é, para venda.  Equivalente de Produção – significa o número de unidades que seriam totalmente iniciadas e acabadas se todo um custo fosse aplicado só a elas, ao invés de ter sido usado para começar e terminar umas e apenas elaborar parcialmente outras. (p. 170) Exemplo: Suponhamos que um único produto seja elaborado, e que os seguintes dados estejam disponíveis:  Custos de Produção do Período (diretos e indiretos) = R$ 740.000  Unidades iniciadas no período = 50.000  Unidades acabadas no período = 30.000  Unidades em elaboração no fim do período = 20.000 (receberam metade de todo o processamento necessário)  Cálculo do Equivalente de Produção: - 30.000 unid. acabadas 30.000 - 20.000 unid. semi-acabadas receberam cada uma metade do processamento (20.000 x 50%) 10.000 Equivalente de Produção 40.000 unid. Cálculo do custo médio de cada unidade acabada: R$ 740.000 : 40.000 unid. = R$ 18,50/unid. Cálculo dos Estoques:  Estoque de Produtos Acabados: 30.000 unid. x R$ 18,50/unid. = R$ 555.000  Estoque de Produtos em Elaboração: 20.000 unid. x 50% x R$ 18,50/unid. = R$ 185.000 Estoques Equivalente de Produção Unidades Unidades $ Acabados 30.000 30.000 555.000 Semi-Acabados 20.000 10.000 185.000 Totais - 40.000 740.000 32
  33. 33. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Exercícios QUESTÃO 1: A empresa Rio das Pedras S.A. fabrica pisos industriais. Tendo iniciado suas atividades em março de 20X1, apresentou ao final do seu primeiro mês de produção os seguintes dados: Custo de produção= $1.500.000,00, Unidades iniciadas= 1.000.000 peças, Unidades acabadas= 700.000 peças. Sabendo que as peças em elaboração já foram processadas em 40%, pede-se: a) Custo unitário da peça pronta; b) Equivalente de produção; c) Valor dos estoques de produtos acabados e semi-acabados. Estoques Equivalente de Produção Unidades Unidades $ Acabados Semi-Acabados Totais QUESTÃO 2: Uma empresa tendo iniciado suas atividades em setembro de 20X1, apresentou ao final do seu primeiro mês de produção os seguintes dados: Custo de produção= $5.000.000,00, Unidades iniciadas= 4.000.000 peças, Unidades acabadas= 2.000.000 peças. Sabendo que as peças em elaboração já foram processadas em 30%, pede-se: a) Custo unitário da peça pronta; b) Equivalente de produção; c) Valor dos estoques de produtos acabados e semi-acabados. Estoques Equivalente de Produção Unidades Unidades $ Acabados Semi-Acabados Totais QUESTÃO 3: Dadas as seguintes informações: Custos de produção do mês: $500.000 Unidades iniciadas no mês: 40.000 unidades Unidades acabadas no mês: 36.000 unidades Unidades em elaboração no final do mês: 4.000 unidades (que já receberam 60% dos custos de produção). Através do cálculo do equivalente de produção em unidades e do custo médio, determine os valores dos estoques de produtos acabados e dos estoques de produtos em elaboração no final do mês. 33
  34. 34. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 7 Equivalente De Produção – Caso mais complexo Suponhamos que uma empresa inicie 120.000 unidades em seu primeiro mês de vida, das quais 30.000 não foram acabadas. Essas 30.000 unidades em elaboração receberam toda a matéria- prima, ½ da mão-de-obra e 2/3 dos custos indiretos. Custos de Produção do Período: matéria-prima R$ 30.000.000 mão-de-obra direta R$ 14.500.000 custos indiretos R$ 10.500.000 R$ 55.000.000 Cálculo do Equivalente de Produção:  Matéria-prima: unid. acabadas 90.000 unid. em processo (30.000 x 100%) 30.000 120.000 unid.  Mão-de-obra direta: unid. acabadas 90.000 unid. em processo (30.000 x 1/2) 15.000 105.000 unid.  Custos indiretos: unid. acabadas 90.000 unid. em processo (30.000 x 2/3) 20.000 110.000 unid. Cálculo do Custo Médio:  Matéria-prima: R$ 30.000.000 = R$ 250/unid. 120.000 unid.  Mão-de-obra direta: R$ 14.500.000 = R$ 138,10/unid. 105.000 unid.  Custos indiretos: R$ 10.500.000 = R$ 95,45/unid. 110.000 unid. Total = 250 + 138,10 + 95,45 = R$ 483,55/unid. Cálculo dos Estoques:  Estoque de Produtos Acabados: R$ 483,55/unid. x 90.000 unid. = R$ 43.519.500  Cálculo do Estoque de Produtos em Elaboração: 34
  35. 35. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Matéria-prima = R$ 250/unid. MOD = R$ 138,10/unid. x ½ = R$ 69,05/unid. CIF = R$ 95,45/unid. x 2/3 = R$ 63,63/unid. Total = 250 + 69,05 + 63,63 = R$ 382,68/unid. Estoque de produtos em elaboração = R$ 382,68/unid. x 30.000 unid. = R$ 11.480.400 Uma outra forma de calcular: Equivalente de Produção Descrição Unidades MD MOD CIF Total Unid. $ Unid. $ Unid. $ Acabados 90.000 90.000 22.500.000 90.000 12.428.550 90.000 8.590.860 43.519.410 Semi- 30.000 30.000 7.500.000 15.000 2.071.450 20.000 1.909.140 11.480.590 Acabados Totais 120.000 120.000 30.000.000 105.000 14.500.000 110.000 10.500.000 55.000.000 CÁLCULO DO CUSTO MÉDIO Unidades Custo Descrição Custo Equivalentes Médio Material Direto 30.000.000 120.000 250,000 Mão-de-obra Direta 14.500.000 105.000 138,095 Custos Indiretos 10.500.000 110.000 95,454 Totais 55.000.000 - - Exercícios QUESTÃO 1: Uma empresa iniciou 1.000.000 unidades em seu primeiro mês de atividades, das quais 300.000 não foram acabadas. Essas 300.000 unidades em elaboração receberam 70% da matéria- prima, 20% da mão-de-obra e 10% dos custos indiretos. Custos de Produção do Período: Matéria-prima R$ 50.000.000 Mão-de-obra direta R$ 20.000.000 Custos indiretos R$ 15.000.000 R$ 85.000.000 Equivalente de Produção Descrição Unidades MD MOD CIF Total Unid. $ Unid. $ Unid. $ Acabados Semi- Acabados Totais 35
  36. 36. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro CÁLCULO DO CUSTO MÉDIO Unidades Custo Descrição Custo Equivalentes Médio Material Direto Mão-de-obra Direta Custos Indiretos Totais QUESTÃO 2: A empresa Alfa S.A. tendo iniciado suas atividades no mês passado com uma produção de 20.000.000 unidades, somente concluiu 15.000.000. As unidades em elaboração receberam 80% de MP, 70% de MOD e 30% de CIF. Custos de Produção: Matéria-prima $ 80.000.000, MOD $ 20.000.000 e CIF $ 40.000.000. Equivalente de Produção Descrição Unidades MD MOD CIF Total Unid. $ Unid. $ Unid. $ Acabados Semi- Acabados Totais CÁLCULO DO CUSTO MÉDIO Unidades Custo Descrição Custo Equivalentes Médio Material Direto Mão-de-obra Direta Custos Indiretos Totais 36
  37. 37. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 8 Custeio por Ordem de Produção ou Por Encomenda (Pág. 157-166) Produz-se atendendo a encomendas dos clientes ou, então, produz também para venda posterior, mas de acordo com determinações internas especiais, não de forma contínua, já se terá incluído entre as de Produção por Ordem. (p. 157) A regra geral é a de acumulação dos custos para sua transferência ao resultado apenas por ocasião da entrega, quando há o reconhecimento também da receita. E esse deve ser o procedimento, sempre que possível. (p. 159)  Encomendas de Longo Prazo de Execução - Quando ocorrem esses contratos de longo prazo, deve-se fazer a apropriação do resultado de forma parcelada, durante a produção; reconhece-se o custo incorrido e apropria-se parte da receita para cada período. (p. 160)  Critério da Proporcionalidade do Custo Total - A empresa verifica quanto foi incorrido em cada período como parte do custo total previsto para o contrato, apropriando também a mesma porcentagem da receita total. Exemplo: -Custo total previsto: R$ 6.000.000 -Receita total contratada: R$ 11.100.000 (185% do custo) -No primeiro período, ocorreram custos reais de R$ 3.200.000. Apuração do resultado no primeiro período: Receitas (3.200.000 x 185%) 5.920.000 (-) Custos (3.200.000) (=) Lucro 2.720.000 No segundo período, ocorreram custos reais de R$ 3.800.000. O novo custo total previsto é de R$ 7.000.000. A receita agora corresponde a 158,57% do custo. Apuração do resultado no segundo período: Receitas (11.100.000 – 5.074.240) 6.025.760 Ajuste na receita do 1º período (3.200.000 x 158,57% = 5.074.240) (5.920.000 - 5.074.240) = (845.760) (-) Custos (3.800.000) (=) Lucro 1.380.000 APURAÇÃO DO RESULTADO 1º Período 2º Período Total Receita 5.920.000 6.025.660 11.945.660 Ajuste - (845.660) (845.660) Custos (3.200.000) (3.800.000) (7.000.000) Resultado 2.720.000 1.380.000 4.100.000 37
  38. 38. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Exercícios QUESTÃO 1: Uma empresa aeroviária, recebeu uma encomenda para a construção de um foguete de lançamento de satélite. Este projeto deveria ser concluído em duas etapas. Os custos estimados do projeto foram: Custo total de produção de $10.000.000,00; Receita total contratada de $ 14.000.000,00. Sabendo que na primeira etapa ocorreram custos de $5.000.000,00 e na segunda de $6.500.000,00, apure o resultado financeiro total e de cada etapa do projeto. APURAÇÃO DO RESULTADO 1º Etapa 2º Etapa Total Receita Ajuste Custos Lucro QUESTÃO 2: Uma empresa recebeu encomenda para a fabricação de um iate. Este projeto deveria ser concluído em duas etapas. Os custos estimados do projeto foram: Custo total de produção de $200.000,00; Receita total contratada de $280.000,00. Sabendo que na primeira etapa ocorreram custos de $120.000,00 e na segunda de $100.000,00, apure o resultado financeiro total e de cada etapa do projeto. APURAÇÃO DO RESULTADO 1º Etapa 2º Etapa Total Receita Ajuste Custos Lucro 38
  39. 39. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 9 Custeio Variável ou Custeio Direto (P. 214-222) No Custeio Direto ou Variável, só são alocados aos produtos os custos variáveis, ficando os fixos separados e considerados como despesas do período, indo diretamente para o Resultado; para os estoques só vão, como conseqüência, custos variáveis. (p. 216) Exemplo: uma indústria, fabricante de um único produto, produziu 60.000 unidades em um mês. Conseguiu vender 40.000 unidades, e permaneceram no estoque 20.000 unidades no final do mês. As seguintes informações foram obtidas: - Custos variáveis: R$ 32/unid. - Custos fixos: R$ 1.500.000/mês - Preço de venda: R$ 60/unid. APURAÇÃO DO RESULTADO Unitário Total Volume (Qde) - 40.000 Und. Vendas 60 2.400.000 (-) Custos Variáveis (32) (1.280.000) Margem de Contribuição 28 1.120.000 (-) Custos Fixos (37,5) (1.500.000) (=) Resultado (9,5) (380.000)  Vantagens e Razões do Não-Uso do Custeio Variável nos Balanços: Do ponto de vista decisorial, verificamos que o Custeio Variável tem condições de propiciar muito mais rapidamente informações vitais à empresa... Mas os Princípios Contábeis, hoje aceitos, não admitem o uso de Demonstrações de Resultados e de Balanços avaliados à base do Custeio Variável... Mas essa não-aceitação do Custeio Variável não impede que a empresa o utilize para efeito interno...(p. 220) Decisões sobre Comprar ou Produzir (p. 238-240 e 242-244)  Uso dos Conceitos do Custeio Variável na Fixação do Preço de Venda Mostraremos num exemplo, como poderia o conceito de Margem de Contribuição ser de grande valia num processo como esse. Exemplo: Uma empresa, antes de lançar um novo produto, faz uma pesquisa de mercado, e prevê: se o produto for colocado a R$ 1.200/unid., provavelmente serão vendidas 10.000 unid. por mês; se colocar a R$ 1.100/unid., provavelmente se conseguirá vender 11.000 unid. por mês. Os custos variáveis são de R$ 800/unid. Sendo os custos fixos os mesmos para as duas alternativas (R$ 3.000.000/ mês), qual delas é a melhor? 39
  40. 40. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro 1a hipótese: 10.000 unid. a R$ 1.200/unid. Margem de contribuição = 1.200 – 800 = R$ 400/unid. M.C.Total = 10.000 unid. x R$ 400/unid. = R$ 4.000.000 2a hipótese: 11.000 unid. a R$ 1.100/unid. Margem de contribuição = 1.100 – 800 = R$ 300/unid. M.C.Total = 11.000 unid. x R$ 300/unid. = R$ 3.300.000 A melhor hipótese é a primeira (maximiza a receita). APURAÇÃO DO RESULTADO 1ª Hipótese 2ª Hipótese Volume (Qde) 10.000 11.000 Vendas 12.000.000 12.100.000 (-) Custos Variáveis (8.000.000) (8.800.000) Margem de Contribuição 4.000.000 3.300.000 (-) Custos Fixos (3.000.000) (3.000.000) (=) Resultado 1.000.000 300.000  Comprar ou Fabricar Exemplo: Suponhamos que uma empresa esteja fabricando 10.000 unid. de determinado componente, que usa na fabricação de um certo produto. Dados de custos:  Componente: custos variáveis: R$ 800/unid. custos fixos: R$ 300/unid. R$ 1.100/unid.  Produto: custos variáveis: R$ 2.700/unid. custos fixos: R$ 1.300/unid. Custo Total: R$ 5.100/unid.(1.100 + 2.700 + 1.300) A empresa está estudando a oferta de um fornecedor, que lhe propõe entregar o componente por R$ 900/unid. Mesmo aceitando a proposta, não haverá alteração nos custos fixos. Deve aceitar? -Custo do componente comprado do fornecedor = R$ 900 (preço) + R$ 300 (custos fixos) = R$ 1.200/unid. -Custo do componente fabricado pela empresa = R$ 1.100/unid. É melhor continuar fabricando o componente. 40
  41. 41. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Custo do Componente Comprar Fabricar Custos Variáveis 900 800 Custos Fixos 300 300 Custos totais 1.200 1.100 Custo Total do Produto Comprar Fabricar CV (componente) 900 800 CV (outros) 2.700 2.700 CF (componente) 300 300 CF (outros) 1.300 1.300 Custos totais 5.200 5.100 Exercícios QUESTÃO 1: A rede de lojas Moda & Estilo S.A., está planejando ampliar seus negócios. Para isto está montando uma estratégia de vendas onde deverá reduzir o preço de venda de seus produtos para incrementar as vendas. A diretoria de marketing encomendou uma pesquisa mercadológica onde foi constatado o seguinte em relação a seu principal produto: se o preço de venda for $ 20,00 o volume será de 500.000/mês, mas se o preço for $ 15,00 o volume aumentará para 800.000 de peças por mês. Sabendo que os custos variáveis unitários são $7,00/peça e que os custos fixos serão, na primeira hipótese, de $3.000.000,00, e na segunda, de $ 5.000.000,00, monte uma planilha comparando as duas hipóteses, e diga qual a melhor estratégia que permitirá um resultado financeiro melhor. APURAÇÃO DO RESULTADO 1ª Hipótese 2ª Hipótese Volume (Qde) Vendas (-) Custos Variáveis Margem de Contribuição (-) Custos Fixos (=) Resultado QUESTÃO 2: Uma indústria automobilística produz um motor que é utilizado como componente na montagem de seus veículos. Com a necessidade de reduzir os custos de fabricação, a diretoria industrial resolveu fazer um levantamento para decidir se continua produzindo ou passará a encomendar este componente de outro fabricante. A produção média de motores é de 5.000 unidades/ mês , com custos fixos de $4.000.000,00/mês e custos variáveis de $1.200,00/ unidade. Sabendo que a empresa recebeu uma proposta de um fornecedor que lhe entregará o componente por $ 1.800,00/ unidade e que isto não implicará em alteração dos demais custos dos automóveis, diga qual a melhor opção que será tomada pela diretoria. 41
  42. 42. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Custo do Componente Comprar Fabricar Custos Variáveis Custos Fixos Custos totais QUESTÃO 3: The Blue Ice S.A., é uma indústria de refrigeradores domésticos. Ela produz um compressor que é utilizado como componente na montagem de seus refrigeradores. Com a necessidade de reduzir os custos de fabricação, a diretoria industrial resolveu fazer um levantamento para decidir se continua produzindo ou passará a encomendar este componente de outro fabricante. A produção média de compressores é de 20.000 unidades / mês , com custos fixos de $600.000,00/mês e custos variáveis de $70,00/unidade. Sabendo que a empresa recebeu uma proposta de um fornecedor que lhe entregará o componente por $ 90,00/unidade, que a empresa ainda terá com o componente um custo fixo de $100.000/ mês, e também que isto não implicará em alteração dos demais custos do refrigerador, diga qual deverá ser a melhor escolha que a diretoria deverá tomar. Custo do Componente Comprar Fabricar Custos Variáveis Custos Fixos Custos totais QUESTÃO 4: A fábrica de móveis Pau Brasil, fabricante de móveis por encomenda, recebeu dois pedidos: um para produzir dois armários de cozinha e outro para produzir 300 cadeiras, com o prazo de entrega de um mês. A fábrica poderá trabalhar somente em uma das encomendas por limitação da capacidade produtiva, já que está com suas vendas comprometidas para os próximos seis meses. Os orçamentos de gastos e receitas para os dois casos são os seguintes: Pedido Itens Armários Cadeiras Matéria-prima e mão-de-obra direta $1.600,00/u $30,00/u Custos indiretos de Produção variáveis $100,00/u $2,00/u Impostos e taxas s/ venda $850,00/u $10,00/u Preço de venda por unidade $8.500,00/u $100,00/u Volume de vendas 2/u 300/u Pede-se analisar e informar qual dos dois pedidos você aceitaria e fundamentar a sua decisão. Para fundamentar sua análise, você ainda dispõe das seguintes informações adicionais: a) o tempo de produção dos armários e das cadeiras é praticamente o mesmo; b) os custos e despesas fixas totais do mês equivalem a $50.000,00. QUESTÃO 5: Departamento de Pesquisa de Mercado de uma determinada empresa, antes de lançar um novo produto, realiza um levantamento em que prevê duas alternativas: 42
  43. 43. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Alternativa n° 1: se o produto for colocado no mercado ao preço unitário de $240,00, provavelmente serão vendidas 35.000 unidades por mês. Alternativa n° 2: se o produto for colocado no mercado ao preço unitário de $200,00, provavelmente serão vendidas 40.000 unidades por mês. Sabendo que os custos variáveis são de $80,00 por unidade vendida, para as duas alternativas, pede- se aplicar o conceito de margem de contribuição total para definir qual a melhor alternativa, justifique sua escolha. QUESTÃO 6: A Cia Maringá de Equipamentos está atualmente produzindo e vendendo 9.600 unidades por ano. Após fazer uma pesquisa de mercado, verificou que precisaria diminuir o preço de venda de $3.000/u para $2.900/u para conseguir elevar suas vendas para o máximo da sua capacidade de produção, que é de 12.000 u/ ano. Sabendo que os custos e despesas variáveis são de $2.100/u e que os fixos totalizam $500.000/mês, fora a depreciação, que é de $840.000/ano, calcule o lucro por unidade e elabore os outros cálculos que julgar necessários para análise da situação. 43
  44. 44. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 10 Custos Fixos e Variáveis (Pág. 269-275)  Ponto de Equilíbrio – (também denominado Ponto de Ruptura – Break-even Point) nasce da conjugação dos Custos Totais com as Receitas Totais. (p. 273) Até esse ponto, a empresa está tendo mais custos e despesas do que receitas, encontrando- se, por isso, na faixa do Prejuízo; acima, entra na faixa do Lucro. Esse ponto é definido tanto em unidades (volume) quanto em reais.(p. 274) PE = Despesas Fixas + Custos Fixos Margem de Contribuição Unitária Exemplo: -Preço de venda = R$ 600/unid. -Despesas + Custos Variáveis = R$ 350/unid. -Despesas + Custos Fixos = R$ 540.000/mês P.E. = R$ 540.000____ = 2.160 unid. (R$ 600 – R$ 350) Para sua transformação em reais de receitas totais, basta fazer: 2.160 unid. x R$ 600/unid. = R$ 1.296.000 $ $2.400.000 RT $1.940.000 CT Lucro PE $1.296.000 RT = CT Prejuízo $540.000 CF 2.160 Und 4.000 Und Volume 44
  45. 45. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Relação Custo / Volume / Lucro (Pág. 277-279)  Ponto de Equilíbrio Contábil P.E.C. = Despesas + Custos Fixos____ Margem de Contribuição Unitária  Ponto de Equilíbrio Econômico P.E.E. = Despesas + Custos Fixos + Lucro Desejado_ Margem de Contribuição Unitária  Ponto de Equilíbrio Financeiro P.E.F.= Desp.+Custos Fixos–Itens que não são desembolsos de caixa Margem de Contribuição Unitária Exercícios QUESTÃO 1: Uma loja deseja realizar uma grande oferta de preços de sua principal mercadoria, mas precisa saber quando ocorrerá seu ponto de equilíbrio, a fim de iniciar a promoção. Sabendo que normalmente vende por mês 600 unidades ao preço de $ 40,00, com custos variáveis de $15,00 e custos fixos de $ 5.200,00/mês, ajude o gerente da loja na tomada de decisão levantando as seguintes informações: a) Ponto de equilíbrio contábil; b) Ponto de equilíbrio econômico, com lucro desejado de $4.000,00; c) Ponto de equilíbrio financeiro, sabendo que os custos/ despesas sem desembolso de caixa são $1.200,00. QUESTÃO 2: Uma loja deseja realizar uma grande oferta de preços de sua principal mercadoria, mas precisa saber quando ocorrerá seu ponto de equilíbrio, a fim de iniciar a promoção. Sabendo que normalmente vende por mês 1.000 unidades ao preço de $ 30,00, com custos variáveis de $15,00 e custos fixos de $ 2.000,00/mês, ajude o gerente da loja na tomada de decisão levantando as seguintes informações: a) Ponto de equilíbrio contábil; b) Ponto de equilíbrio econômico, com lucro desejado de $5.000,00; c) Ponto de equilíbrio financeiro, sabendo que os custos/ despesas sem desembolso de caixa são $500,00. QUESTÃO 3: Obtemos os seguintes dados da empresa Pluft & Cia.: Custos +despesas variáveis = $12.000,00/ unidade Custos + despesas fixos = $8.000.000,00/ ano Preço de venda unitário = $16.000,00/ unidade Lucro anual mínimo desejado = $2.000.000,00/ ano Depreciação (já incluída no total dos custos fixos) = $1.600.000,00/ ano Pede-se calcular: 45
  46. 46. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro a) O ponto de equilíbrio contábil; b) O ponto de equilíbrio econômico; c) O ponto de equilíbrio financeiro. QUESTÃO 4: Uma empresa industrial apresentou as seguintes informações em um determinado período para produzir 1.000 unidades. Calcule o ponto de equilíbrio contábil em unidades e a margem de contribuição unitária. Custos fixos totais $2.400,00 Custo Variável unitário $30,00 Preço unitário de venda $50,00 QUESTÃO 5: A Cia Armando Cruz fabrica apenas um tipo de lâmpada, cuja estimativa de custos para 20X2 é a seguinte: Custos e despesas fixas 3.456.000/ano Custos e despesas variáveis 6,00/unidade O balanço da companhia, em 31-12-20X1, apresentava os seguintes saldos (sintéticos): Ativo Passivo Circulante 880.000 Circulante 400.000 Permanente 900.000 PL 1.380.000 Total 1.780.000 Total 1.780.000 O preço de venda (médio) estimado é de $9,00/unidade. Pede-se: a) Determinar o ponto de equilíbrio; b) Qual deverá ser seu volume de vendas para que obtenha um lucro de 10% sobre o Patrimônio Líquido, após considerar o imposto de renda na base de 30% do lucro? QUESTÃO 6: Considere uma Empresa com os seguintes dados: Custos + despesas variáveis $750,00/unidade Custos + despesas fixas $500.000,00/ano Preço de venda $1.000,00/unidade Supondo que a empresa acima tem um patrimônio líquido de $1.250.000,00, que, se aplicado a juros de mercado obteria um ganho de 10%a.a., calcular o ponto de equilíbrio contábil e o ponto de equilíbrio econômico; 46
  47. 47. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro Capítulo 11 Considerações Adicionais sobre a Relação Custo/ Volume/ Lucro (Pág. 289-303)  Estruturas Diferenciadas e Relações Custo/ Volume/ Lucro Estruturas diferenciadas em termos de composição de Custos e Despesas Fixos e Variáveis provocam diferenciadas condições de resistências a oscilações nos volumes e preços de venda. Empresas com maior M.C. unitária tendem a ser mais resistentes, vencendo normalmente suas concorrentes, apesar de correrem maior risco se seu faturamento estiver na faixa de prejuízo. (p. 303)  Limitações ao Uso do Ponto de Equilíbrio Na hipótese da existência de diversos produtos sendo elaborados pela empresa, o assunto se complica, já que os custos e despesas variáveis são diferenciados também para cada um, o que provoca a impossibilidade de cálculo de um Ponto de Equilíbrio global. (p. 296) O máximo que se pode fazer é calcular o PE Específico de cada produto, quando há Custos e Despesas Fixos Identificados com cada um. Mesmo assim, persiste o problema sem solução de um único PE para a cobertura dos CIF comuns. (p. 303) Custeio Baseado em Atividades – ABC (Pág. 93-112) O ABC é uma ferramenta que permite melhor visualização dos custos através da análise das atividades executadas dentro da empresa e suas respectivas relações com os produtos. (p. 112)  Identificação das Atividades Relevantes Uma atividade é uma combinação de recursos humanos, materiais, tecnológicos e financeiros para se produzirem bens ou serviços. É composta por um conjunto de tarefas necessárias ao seu desempenho. (p. 100)  Atribuição de Custos às Atividades O custo de uma atividade compreende todos os sacrifícios de recursos necessários para desempenhá-la. (p. 101) A atribuição de custos às atividades deve ser feita da forma mais criteriosa possível, de acordo com a seguinte ordem de prioridade:  Alocação direta;  Rastreamento;  Rateio. (p. 102)  Alocação Direta A alocação direta se faz quando existe uma identificação clara, direta e objetiva de certos itens de custos com certas atividades. (p. 102) 47
  48. 48. www.ResumosConcursos.hpg.com.br Apostila: Contabilidade Gerencial – por Profº Claudio Sameiro  Rastreamento O rastreamento é uma alocação com base na identificação da relação de causa e efeito entre a ocorrência da atividade e a geração dos custos. Essa relação é expressa através de direcionadores de custos ... (p. 102)  Rateio O rateio é realizado apenas quando não há a possibilidade de utilizar nem a alocação direta nem o rastreamento. (p. 102)  Identificação e Seleção dos Direcionadores de Custos Direcionador de custos é o fator que determina a ocorrência de uma atividade. (p. 103)  Atribuição dos Custos das Atividades aos Produtos Para tanto, faz-se necessário o levantamento da qualidade e quantidade de ocorrência dos direcionadores de atividades por período e por produto. (p. 107) Exemplo: Levantamento dos Direcionadores de Atividades Departamento Atividades Direcionadores Comprar materiais n° de pedidos Compras Desenvolver fornecedores n° de fornecedores Receber materiais n° de recebimentos Almoxarifado Movimentar materiais n° de requisições Programar produção n° de produtos Adm. Produção Controlar produção n° de lotes Cortar tempo de corte Corte e Costura Costurar tempo de costura Acabar tempo de acabamento Acabamento Despachar produtos apontamento de tempo 48

×