Modelo da apresentacao (definitivo)

278 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
278
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
44
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modelo da apresentacao (definitivo)

  1. 1. Iniciativas Estudantis http://bit.ly/iniciativas-estudantis
  2. 2. Iniciativas Estudantis – Programa Onda Digital 2 • Anderson Nogueira da Conceição (Sistemas de Informação, Bacharelado); • Felipe do Nascimento Baruch Pitanga (Sistemas de Informação, Bacharelado); • Lucas Cunha Rosário Goés de Araújo (Sistemas de Informação, Bacharelado); • Pablo Oliveira da Silva (Sistemas de Informação, Bacharelado); • Paulo Henrique S. Cardoso (Sistemas de Informação, Bacharelado); • Tiago Moraes (Sistemas de Informação, Bacharelado); • Vagner Ferreira (Sistemas de Informação, Bacharelado); • Victor Copque (Sistemas de Informação, Bacharelado).
  3. 3. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 3 Conceito: As empresas juniores surgiram com um grande propósito no meio acadêmico das universidades. Alunos ingressam nessas associações com o objetivo de contribuir para projetos que tragam benefícios ao nosso país. O convívio no meio dessas empresas traz ao aluno uma grande oportunidade de adquirir conhecimentos e experiência na sua área de atuação assim se tornando um grande beneficio ao mesmo. Destaque no Brasil: No Brasil uma EJ teve seu destaque como a melhor em estratégia no país, a ITA Júnior. Fundada em 1992 a ITA Júnior presta serviços de consultoria tecnológica, realizando projetos nas áreas de Engenharia e Informática. A EJ pertence ao Instituto Tecnológico da Aeronáutica e tem como referência projetos desenvolvidos para grandes empresas como a Microsoft e a Tetra Park.
  4. 4. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 4 Os estudantes que se inserem em empresa júnior levam uma grande bagagem de experiências ao término da sua graduação, pois têm a possibilidade de participar de decisões como líderes de uma empresa, desenvolvem habilidades gerenciais, oratória, criatividade, liderança e o respeito à liderança, pró- atividade, capacidade de trabalhar em grupo e de negociar com clientes e fornecedores, sendo uma experiência que antecipa funções profissionais que se estabelecem no mercado de trabalho e nas organizações. É importante considerar que muitos alunos trabalham em corporações como funcionários, estudam e ainda estão envolvidos em projetos da empresa júnior, o que lhes exige uma postura de dinamismo e responsabilidade importante. O discente também desenvolve o empreendedorismo, pois precisa vivenciar o mercado de trabalho e efetuar projetos, possivelmente transformando-se em um profissional mais qualificado para enfrentar os desafios do cotidiano.
  5. 5. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 4 • Uma outra definição : As EJ’s são associações civis entre alunos de graduação que visa realizar projetos e serviços sem fins lucrativos com o intuito de promover o desenvolvimento da sua região e país, tendo como benefício, a capacitação de seus membros e adaptação dos mesmos às situações de mercado. • Pioneirismo : A primeira Empresa Júnior surgiu na França no ano de 1967. Em 1969 foi criada a primeira confederação, a Confederação Francesa de Empresas Juniores que já reunia mais de 20 empresas na época. Na década de 1980, o conceito de empresa júnior chegou ao país e em 1988, nasce a Empresa Júnior Fundação Getúlio Vargas, pioneira no Brasil.
  6. 6. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 5 A “construção” do bom profissional é fruto da aliança entre a fundamentação teórica e o trabalho prático, e é nesse contexto que surge o “Movimento empresa Junior” (MEJ),que tem como um dos objetivos garantir que os alunos de graduação adquiram experiência prática de acordo com suas bases teóricas, capacitando-os .
  7. 7. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 6 As EJ se enquadram no terceiro setor da economia, pois estão enquadrados no setor privado (portanto não são do Primeiro Setor) Não têm por fim último o lucro (excluindo-se do Segundo Setor). Dessa forma, acabam por ter reduzidos custos operacionais e de tributação, podendo oferecer serviços de qualidade a um custo baixo. As EJ atendem principalmente o setor das micro e pequenas empresas, que costumeiramente não tem acesso a consultoria sênior quando enfrentam grandes dificuldades de gestão.
  8. 8. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 7
  9. 9. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 8
  10. 10. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 9 São uma iniciativa privada de utilidade pública, não fazem parte nem do primeiro setor (Estado) ou do segundo setor (Privado, o Mercado), a exemplo das ONGs. As EJ atendem principalmente o setor das micro e pequenas empresas, que costumeiramente não tem acesso a consultoria sênior quando enfrentam grandes dificuldades de gestão.
  11. 11. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 11 ASPECTOS LEGAIS DAS EJs Nenhuma lei especifica em vigor; Projeto de Lei do Senado nº 437, de 2012; Consideradas entidades sem fins lucrativos;Define-se como entidade sem fins lucrativos, a instituição de educação e de assistência socia que não apresente superávit em suas contas ou, caso o apresente em determinado exercício, destine referido resultado integralmente à manutenção e ao desenvolvimento dos seus objetiv sociais (Lei n o 9.532, de 1997, art.12 § 3 o , alterado pela Lei n o 9.718, de 1998, art. 10, e Lei Complementar n o 104, de 2001).
  12. 12. Iniciativas Estudantis – Empresas Juniores 12 A Brasil Junior (BJ) é a Confederação Brasileira de Empresas Juniores; Ela é formada atualmente por 14 federações, representando 13 estados e o Distrito Federal; A Brasil Júnior é o órgão nacional do Movimento Empresa Júnior, trabalhando para fomentar e dar suporte às empresas juniores em todo o Brasil e representá-las para potencializar os resultados
  13. 13. Iniciativas Estudantis – InfoJr UFBA O que é InfoJr ? 13
  14. 14. Iniciativas Estudantis – InfoJr UFBA 14 DIRETORIAS  Diretoria de Presidência  Diretoria Administrativa/Financeira  Diretoria de Projetos  Diretoria de Marketing  Diretoria de Recursos Humanos
  15. 15. Iniciativas Estudantis – InfoJr UFBA 13 Quais os serviços da InfoJr ?  Criação de websites  Desenvolvimento sistemas web 15
  16. 16. Iniciativas Estudantis – InfoJr UFBA 14 Como participar da InfoJr ? 16
  17. 17. Iniciativas Estudantis – InfoJr UFBA 15 BENEFÍCIOS EMPRESA X FUNCIONÁRIO 17
  18. 18. Iniciativas Estudantis – InfoJr UFBA 18 Gustavo Ziller – Alex Tabor – Alexandre Gomes – e muito mais
  19. 19. Iniciativas Estudantis - GRACO 19 ► Grupo de alunos, que mantém toda a infra-estrutura da rede DCC de forma autônoma e independente. ► SERVIÇOS OFERECIDOS - Serviço de email: https://webmail.dcc.ufba.br - Wiki para disciplinas: http://disciplinas.dcc.ufba.br - Listas de discussão: http://listas.dcc.ufba.br - Serviços de pasta (armazenador de arquivos na nuvem) - Sistema de suporte de rede
  20. 20. Iniciativas Estudantis - GRACO 20 ► Cerca de 120 maquinas clientes ► Mais de 1000 usuários cadastrados: - Professores - Pesquisadores Convidados - Alunos de Graduação - Mestrado - Doutorado ► Aberto de segunda a sexta e localizado na sala 133 do Instituto de Matemática
  21. 21. Iniciativas Estudantis - GRACO 21 Melhorias na estrutura e organização da rede acadêmica. Inicio bastante conturbado para tornar a rede acadêmica organizada. Incentivo da Professora Anna Friedericka, no apoio a melhorias na administração da rede DCC. Inicialização de projetos e serviços para um melhor ambiente acadêmico. Renovação e aperfeiçoamento dos equipamentos e sistemas da rede acadêmica. Destaque no meio acadêmico devida a grande dedicação dos seus colaboradores. Tornando-se referência para toda a Instituição, sendo um grupo em que os alunos podem adquirir bastante conhecimento e técnicas sobre rede e Linux. U M P O U C O D A H I S T Ó R I A
  22. 22. Iniciativas Estudantis – DAComp 22 Diretório Acadêmico de Computação • É a entidade de representação direta dos estudantes dos cursos de graduação lotados no Departamento de Ciência da Computação junto aos órgãos da UFBA. • Todo estudante de computação da UFBA faz parte • Há eleições todo ano para a diretoria • Sala: IM, Sala 24 (D.A 03)
  23. 23. Iniciativas Estudantis – DAComp 23 Diretório Acadêmico de Computação • GREP – Grupo de Estudos em Programação
  24. 24. Iniciativas Estudantis – DAComp 24 Diretório Acadêmico de Computação • CIPROG – Campeonato Interno de Programação
  25. 25. Iniciativas Estudantis – DAComp 25 Diretório Acadêmico de Computação • Maratona de Programação
  26. 26. Iniciativas Estudantis – Programa Onda Digital 26 Sobre o Programa O Programa Onda Digital foi criado em 2004, sob a coordenação do Departamento de Ciência da Computação (DCC) do Instituto de Matemática, como um programa permanente de extensão da Universidade Federal da Bahia (UFBA), tem como principal objetivo contribuir com a inclusão sociodigital na Bahia, envolvendo a Universidade em ações educativas e de difusão da filosofia do Software Livre.
  27. 27. Iniciativas Estudantis – Programa Onda Digital 27 Objetivos e Projetos: A sua missão é promover o uso das tecnologias de informação e comunicação como meio de contribuir para sustentabilidade e desenvolvimento sociocultural e econômico local, potencializando ações de reutilização e descarte adequado do lixo tecnológico.
  28. 28. Iniciativas Estudantis – Programa Onda Digital 28 Projeto Onda Solidária de Inclusão Digital (POSID) Cursos de Informática Básica com uso de software livre e de Manutenção de Computadores para comunidades internas e externas a Universidade, envolvendo os estudantes da UFBA como instrutores, despertando neles a função de estudantes- educadores. Com as experiências realizadas são montados modelos de cursos que podem ser aplicados em diversas realidades de acordo com as demandas.
  29. 29. Iniciativas Estudantis – Programa Onda Digital 29 EducanDow Resultado da uma parceria entre a UFBA e a empresa DOW Brasil. Trata-se de uma experiência piloto, cujas ações exigem uma articulação entre o currículo escolar e as habilidades requeridas no campo da Ciência e Tecnologia para propiciar uma efetiva mudança metodológica do ensino. Atualmente esta em teste o ambiente TecCiência (www.tecciencia.ufba.br) , uma rede social construída na plataforma livre Noosfero, que permite os professores, alunos, gestores e comunidade usarem redes sociais dentro do processo de ensino e aprendizagem.
  30. 30. Iniciativas Estudantis – Programa Onda Digital 30 Inclusão Pré-Digital. Visa capacitar alunos e professores da rede estadual de ensino em formação básica de informática, mediante o desenvolvimento de atividades lúdicas e eficientes, com base no livro 'Computer Science Unplugged An enrichment and extension programme for primary-aged children' de Tim Bell, Ian H. Witten e Mike Fellows. O livro foi traduzindo para o português como um dos resultados deste projeto e pretende-se expandir a aplicação das atividades do livro para que se promova a absorção dos conceitos fundamentais da computação através de elementos didáticos que dispensem o computador.
  31. 31. Iniciativas Estudantis – Programa Onda Digital 31 Talentos-Comp Busca a descoberta e formação de jovens talentos nas escolas de ensino fundamental e médio de Salvador que possam futuramente atuar como pesquisadores ou profissionais qualificados na área de computação. Preparar o jovem para não simplesmente usar o computador, mas trabalhar neste jovem a capacidade de raciocínio para que possa desenvolver soluções computacionais para problemas complexos. Também, estimula a participação dos alunos na Olimpíada Brasileira de Informática.

×