Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Midias virtuais e educação on line diferenças e convergências entre ead e eol veronica damasceno

260 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Midias virtuais e educação on line diferenças e convergências entre ead e eol veronica damasceno

  1. 1. E-UNICURSO DE CAPACITAÇÃO EM ENSINO À DISTÂNCIADISCIPLINA: MÍDIAS VIRTUAIS E EDUCAÇÃO ON-LINECOORDENADOR: VICENTE WILLIAMS DO NASCIMENTO NUNESTUTORA: ROSANÉTE ALVES DE AZEVEDODISCENTE: VERONICA MIRANDA DAMASCENO4ª SEMANAATIVIDADE: DIFERENÇAS E CONVERGÊNCIAS ENTRE EAD E EOL Segundo a perspectiva de Lencastre e Araújo, oque se conhecia universalmentecomo Ensino ou Educação a Distância, hoje se denomina Aprendizagem a Distância e secaracteriza por enfatizar a aprendizagem do estudante. Um tipo de ensino distribuído que, naspalavras dos autores, “enfoca a comunicação entre um ensino mais tradicional e as tarefasfora da sala de aula” (Lencastre & Araújo, 2008, p.02). A educação online, segundo os autores,caracteriza-se pela “educação mediada por meios eletrônicos, comumente, mas erradamente,designada de e-Learning” (Lencastre & Araújo, 2008, p.02). Segundo o ponto de vista de Mehlecke e Tarouco, as ferramentas tecnológicas,responsáveis por promover a comunicação, “auxiliam professores e alunos no processo deensino e aprendizagem a distância, criando novas possibilidades de ensino não presencialatravés da Internet” (Mehlecke e Tarouco, Ambientes de suporte para educação a distânciap.02). Segundo as autoras, o sistema de Educação a distância requer quatro características quese fazem necessárias: o aluno, como centro do processo educativo; o docente, “motivador epossibilitador da aprendizagem cooperativa e comunicativa no ambiente virtual” (Mehlecke eTarouco, Ambientes de suporte para educação a distância p.02); a própria comunicação quepoderá ser por meio de material impresso, audiovisual, telemática, que compreende desde aInternet em geral, bem como os vídeos interativos e; por fim a tutoria, que faz a mediaçãoentre o presencial e o virtual. Os ambientes de Educação a Distância apresentam diversas ferramentas quepromovem a comunicação síncrona ou assíncrona. A comunicação assíncrona pode se daratravés de e mails, grupos ou listas de discussão, world wide web (WWW), FTP ou downloadcom arquivos de áudio, vídeo, textos, imagens; vídeo e áudio sob demanda, que possibilitamassistir assincronamente vídeos e áudios armazenados no servidor. A comunicação síncrona sedá por meio de chats ou bate-papos em tempo real com duas ou mais pessoas;
  2. 2. videoconferências, comunicação por áudio e vídeo via web, em tempo real, através decâmeras no computador; teleconferência, conferências a distância através de todo tipo detransmissão nas mais variadas mídias, em tempo real; áudio conferência, isto é, a transmissãode áudio para uma ou várias pessoas simultaneamente. Para Lencastre e Araújo, “a educação online está relacionada com o uso daInternet como meio para a publicação de material didáctico-pedagógico, para a realização decursos, comunicação com (e entre) estudantes, etc.” (Lencastre & Araújo, 2008, p.02). Noentanto, os autores ressaltam o fato de que inserir material online não é o mesmo queeducação online, mas o que Allen designa e-Publishing, justamente por carecer do elementoaprendizagem. Nesse sentido, para Lencastre e Araújo, a definição mais correta do ensinoonline é: “a distribuição de conhecimento cuidadosamente construído através dastecnologias”(Lencastre & Araújo, 2008, p.02) já que o ensino online requer o elemento daaprendizagem. Nesse sentido, o fator chave do ensino online, para Lencastre e Araújo é,precisamente, o ensino-aprendizagem. A Educação online requer, todavia, alguns elementos prioritários, pedagógicos ourelativos às estratégias de ensino-aprendizagem, tecnológicos que correspondem à utilizaçãode computadores, programas, transmissão de dados, recursos audiovisuais e organizacionais,que dizem respeito à estrutura, suporte ao aluno, planejamento, bem com os processossíncrono e assíncrono. Parece-me que, apesar de estarmos tratando aqui, sobretudo, das diferençasentre o Ensino a Distância e o Ensino online, ambas as práticas parecem servir-se, em grandeparte, de metodologias e estruturas de ensino muito semelhantes. Exemplo disso é o caso dacomunicação síncrona e assíncrona, que pode ser utilizada em ambas as práticas de Ensino.Entretanto, quer seja a metodologia utilizada em cada uma dessas práticas de Ensino, parece-nos que ambas, além do objetivo em comum, que segundo Lencastre e Araújo caracteriza aprópria definição do Ensino online, é o fato de não ser simplesmente um mero meio de inserirconteúdos de todo tipo na Internet, mas sim o elemento que os autores consideram comosendo chave nesse processo, a saber, a aprendizagem. Se o ensino-aprendizagem é o foco desses dois tipos de práticas de ensino, quechamarei aqui de alternativo ao ensino tradicional, tal como conhecemos, isto é, aquele noqual os alunos vão à Escola ou à Universidade para aprender com o Professor; então, tanto oensino a distância quanto o ensino online, apesar de suas diferenças, tem em comum oenfoque no aluno e a descentralização do papel do Professor na medida em que tanto oensino a distância quanto o online requerem uma estrutura organizacional que, emboravalorize também o Professor, não depende somente dele. Para ambas as modalidades
  3. 3. “alternativas” à prática de Ensino Tradicional, além do Professor, que nesse caso torna-se oCoordenador, requerem ainda a supervisão dos Tutores presenciais ou mesmo virtuais, e aindatoda uma equipe de suporte, já que a escrita é um dado fundamental, a maneira como vamosnos dirigir aos cursistas, dependendo do grau e do próprio curso, além é claro, das própriasferramentas tecnológicas em geral, imprescindíveis nesse processo de ensino-aprendizagem. Considero que, tanto o Ensino a Distância quanto o Ensino online são necessáriose importantes, principalmente para a sociedade na qual vivemos, já que ambos possibilitam ainteração e ao mesmo tempo preservam a individualidade, a diferença de cada um. Talvez sejauma questão de tempo, até encontramos uma espécie de mescla entre essas duasmodalidades, o que Lencastre e Araújo designam como b-Learning, uma vez que esse misto ouessa mistura parece já estar acontecendo e que talvez seja inevitável ou até mesmo a melhordas alternativas!REFERÊNCIAS:MEHLECKE, Querte Teresinha Conzi; TAROUCO, Liane Margarida Rockenbach. Ambientes desuporte para educação a distância. p. 1-13LENCASTRE, José Alberto & ARAÚJO, Maria José. “Educação on line” in: Proceedings of the IASKInternational conferences. Madrid: International association for the scientific knowledge.p.306-312.

×