Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Ginástica de Solo

44,261 views

Published on

Trabalho da disciplina de Educação Física, sobre Ginástica de Solo.
Aproveitem! (:

Published in: Sports
  • Login to see the comments

Ginástica de Solo

  1. 1. GINÁSTICA DE SOLO Educação Física 11º R Tony Abreu
  2. 2. • O termo “ginástica” vem do grego “gymnos”. • A primeira federação de ginástica deu-se em 1832 na Suíça. • Em Portugal só em 1950 surgiu a federação portuguesa de ginástica. • A Humanidade desde sempre se dedicou à prática de ginástica. Os Egípcios que possuíam profissionais, executavam exercícios gímnicos para animarem as suas festas, e também realizavam este tipo de exercícios como preocupação higiénica, respiratória, corretiva educativa e desportiva.  A ginástica de solo, é uma área incluída nos programas de educação física, com o objetivo de dotar os estudantes de capacidades motoras que lhes permitam um desenvolvimento harmonioso. • O aluno que pratica esta modalidade deve seguir todas as indicações dadas pelo professor, e realizar um aquecimento dos correto membros inferiores e superiores.
  3. 3. Melhores Ginastas  Masculinos: Mitsuo Tsukahara Nasceu em Tóquio, no dia 22 de Dezembro de 1947, foi um ginasta que competiu em provas de ginástica artística pelo Japão. Tsukahara é tri-campeão olímpico e mundial por equipa e bicampeão da barra fixa em Jogos Olímpicos. Ao todo, o ex-ginasta foi por nove vezes medalhista olímpico e por cinco vezes medalhista em Mundiais, sendo quatro delas de ouro.
  4. 4.  Femininas: Larissa Semyonovna Latynina Nasceu em Kherson, a 27 de dezembro de 1934 é uma ex ginasta soviética, nascida na Ucrânia, que participou de três Jogos Olímpicos (Melbourne 56, Roma 60 e Tóquio 64) representando a antiga União Soviética e neles conquistando um total de dezoito medalhas - sendo nove de ouro - que a transformaram na maior campeã olímpica de todos os tempos. Também foi uma das ginastas mais bem sucedidas em campeonatos mundiais e europeus - catorze no total, em ambas as competições, sendo dez delas, em mundiais, de ouro.
  5. 5. Rolamento engrupado à frente  Como fazer? • Colocar as palmas das mãos no solo, à largura dos ombros, à frente das pernas e com os dedos afastados. • Elevar o rabo e apoiar a nuca no tapete. Rolar o corpo sobre as costas, mantendo o queixo junto ao peito. • Avançar o tronco e os braços para sair do solo sem a ajuda das mãos.
  6. 6. Rolamento à frente com saída de pernas afastadas e estendidas  Como fazer? • Fletir as pernas e apoiar no tapete, à largura dos ombros, com dedos afastados e virados para a frente; • Manter as pernas unidas, abrindo-as apenas na parte final do movimento; • Empurrar o tapete, com as mãos colocadas o mais longe possível dos pés, projetando o tronco para a frente. Através de um salto, juntar as pernas e definir posição de equilíbrio.
  7. 7. Apoio facial invertido (pino) com rolamento à frente  Como fazer? • Apoiar as palmas no solo à largura dos ombros, com dedos bem afastados, os braços estendidos e dar balanço com perna de impulsão, elevando a perna livre; • Na posição de equilíbrio, realizar extensão completa dos diferentes segmentos corporais (apoio invertido), com pernas juntas, as pontas dos pés estendidas e o olhar dirigido para as mãos, colocadas na linha de projeção dos ombros (corpo contraído); • Desequilibrar o corpo e executar rolamento à frente.
  8. 8. Roda  Como fazer? • Executar afundo da perna de impulsão, seguido de elevação rápida da perna de balanço; • Apoiar as mãos no solo, uma após a outra, em linha reta com braços no prolongamento do corpo; • Passar por apoio invertido com pernas afastadas e estendidas, mantendo o olhar dirigido para as mãos; • Fazer a receção no solo em dois tempos: primeiro a perna de balanço e depois a perna de impulsão, chegando ao solo com o corpo virado para o ponto de partida e os braços em elevação lateral obliqua superior.
  9. 9. Avião  Como fazer? • Eleva uma das pernas atrás com pé em flexão plantar; • Extensão completa dos membros inferiores; • Flete o tronco à frente; • Olhar dirigido para a frente; • Membros superiores em extensão e afastados lateralmente; • Tonicidade geral elevada; • Mantém a posição durante 3 segundos.
  10. 10. PONTE  Como fazer? • Planta dos pés apoiadas no solo; • Mãos apoiadas ao lado da cabeça com os dedos afastados e orientados para os pés; • Extensão dos membros superiores e membros inferiores; • Elevação da bacia; • Membros inferiores unidos; • Cabeça acompanha o movimento de extensão da coluna; • Olhar dirigido para as mãos
  11. 11. Minitrampolim - salto em extensão (vela)  Como fazer? • Após a corrida preparatória, realizar a impulsão no centro da tela, com pés paralelos e pernas ligeiramente fletidas ; • Sair do aparelho com pernas estendidas e olhar dirigido em frente; • Contactar o solo em equilíbrio, com pernas afastadas à largura dos ombros, com ligeira flexão dos membros inferiores e braços junto ao corpo;
  12. 12. Minitrampolim - salto engrupado  Como fazer? • Após corrida preparatória, realizar impulsão no centro da tela, com pés paralelos e as pernas ligeiramente fletidas; • Puxar os joelhos ao peito e tocar as pernas com os braços, imediatamente abaixo dos joelhos, no ponto mais alto do voo; • Após definição da figura de Engrupado, realizar a abertura através de movimento enérgico das pernas juntas e estendidas, com os braços ao lado do corpo; • Contactar o solo em equilíbrio, com as pernas afastadas à largura dos ombros e com ligeira flexão dos membros inferiores e braços junto ao corpo.
  13. 13. Minitrampolim - salto em carpa  Como fazer? • Chamada energética com pés paralelos (ligeiramente afastados) joelhos em semi-flexão no centro do trampolim, ombros ligeiramente recuados em relação ao apoio dos pés; • No ponto mais alto do voo realizar a “espargata” frontal, com os braços estendidos na direção dos pés; • As costas devem inclinar-se ligeiramente à frente e os membros inferiores devem subir para o plano horizontal. • Abertura rápida da posição para a receção (equilibrada a pés juntos com ligeira flexão dos membros inferiores no momento do contacto dos pés no solo); • Finalização na posição de sentido.
  14. 14. Minitrampolim - salto em meia pirueta  Como fazer? • Chamada a pés juntos no mini-trampolim com flexão dos membros inferiores; • Extensão dos membros inferiores na saída do mini-trampolim e rápida elevação dos membros superiores; • Rotação de 360º no ponto mais alto do voo; • Receção em equilíbrio, amortecendo a queda com uma semi-flexão dos membros inferiores; • Terminar com os membros superiores em elevação superior.
  15. 15. Aparelhos BoqueMinitrampolim Plinto Trampolim sueco Banco sueco Espaldar
  16. 16. Colchão Tapete Barra fixa Trampolim reuter Cavalo com arções Trave olímpica
  17. 17. Colchão de quedas Cavalo de saltos Argolas Barras paralelas assimétricas Barras paralelas simétricas

×