Por trás do
“Jornalismo” com humor                    • Custe o que custar                       - "Caiga quien Caiga“ Argentino      ...
Estrutura              1° bloco –                    2° bloco –               Escalada                       apresentaçã...
Cada apresentador tem uma “especialidade””Marcelo tas (Âncora)                     Marco luque / oscar filho   Fala mais ...
MIB – Homens de preto (terno preto e óculos escuros)
Segredo, conspiração, suspense e aventura
“Eles estão a solta, mas nós “Eles estão a solta, mas nós  estamos correndo atrás”   estamos correndo atrás”              ...
>> Símbolo decolméia de abelhas.OrganizaçãoOrdemJustiçaSegurança
Primeira temporada - 2008       Terceira Temporada - 2010   http://www.youtube.com/        http://www.youtube.com/    wa...
Realça o sentido de vigilânciaVinhetas, abertura, quando o cenário é visualizado emplano aberto, cenas da bancada e durant...
 Luzes Linguagem informal  ▪ Gírias / Metáforas Narrativas encenadas /  dramatizadas Os destaques são dados às  aborda...
 Recursos videográficos e sonoros Humor = estratégia para a veiculação da crítica a  serviço do telejornalismo    Intens...
 Proximidade com o   telespectador  “Guardiões”  Vinculo / segurança    ▪ “Proteste Já” – intermediador      entre soci...
InovaçãoAs informações antes passadas de formaséria e impessoal tomam nova forma,descontraída, com o humor e sarcasmo.Prob...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Narratividade do programa CQC

351 views

Published on

Estudo sobre a narratividade do programa CQC

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Narratividade do programa CQC

  1. 1. Por trás do
  2. 2. “Jornalismo” com humor • Custe o que custar - "Caiga quien Caiga“ Argentino • 2008 - Rede Bandeirantes de Televisão • Segundas-feiras às 22h15 • “Resumo semanal de noticias” voz off abertura
  3. 3. Estrutura  1° bloco –  2° bloco – Escalada apresentação + Como nos programas matérias + jornalísticos onde são quadros fixos anunciadas as principais noticias para chamar a atenção do  3° bloco – publico e prender o matérias + telespectador quadros fixos  4° bloco – >> Merchandising >> Merchandising “Top Five” + são anunciados são anunciados encerramento dentro dos blocos dentro dos blocos pelos próprios pelos própriosPrograma integrantes. integrantes.Programa
  4. 4. Cada apresentador tem uma “especialidade””Marcelo tas (Âncora) Marco luque / oscar filho Fala mais elaborada  Comentários soltos e encenações/dramatizações
  5. 5. MIB – Homens de preto (terno preto e óculos escuros)
  6. 6. Segredo, conspiração, suspense e aventura
  7. 7. “Eles estão a solta, mas nós “Eles estão a solta, mas nós estamos correndo atrás” estamos correndo atrás” Planos de Câmera: auxiliam na construção da >> Evoca ooefeito, próprio do >> Evoca efeito, próprio do transparência e do campo jornalístico, de “guardião do campo jornalístico, de “guardião do realismo, explicitando a mundo”, também acionado pelos mundo”, também acionado pelos própria construção do real, apresentadores durante todo o apresentadores durante todo o sem angulação e em outros processo enunciativo: “eles estão a processo enunciativo: “eles estão a momentos ao jornalismo solta, mas nós estamos correndo solta, mas nós estamos correndo convencional atrás” atrás” (Marcelo Tas, em 26.05.08) (Marcelo Tas, em 26.05.08)
  8. 8. >> Símbolo decolméia de abelhas.OrganizaçãoOrdemJustiçaSegurança
  9. 9. Primeira temporada - 2008 Terceira Temporada - 2010 http://www.youtube.com/  http://www.youtube.com/ watch?v=mAfem64M95A watch?v=EtnKoxPvzWs quarta Temporada - 2011 Atual temporada – 2013 (símbolo do patrocinador)  http://www.youtube.com/  http://www.youtube.com/ watch?v=V-hGRrvldX4 watch?v=IHPQb1JT5w4
  10. 10. Realça o sentido de vigilânciaVinhetas, abertura, quando o cenário é visualizado emplano aberto, cenas da bancada e durante as reportagensem substituição aos cortes secosA figura da mosca utilizadacomo metáforaMosca + óculos escuro = repórter que pode estar em todosos lugares e a qualquer hora e que, geralmente, não émuito bem vindo; o repórter que tudo vê e, que se infiltraem locais não permitidos.
  11. 11.  Luzes Linguagem informal ▪ Gírias / Metáforas Narrativas encenadas / dramatizadas Os destaques são dados às abordagens e não ao conteúdo informativo >> Abordagens são superficiais
  12. 12.  Recursos videográficos e sonoros Humor = estratégia para a veiculação da crítica a serviço do telejornalismo Intensificam o propósito discursivo Intensificam o propósito discursivo conduzindo uma opinião (nunca implícita no jornalismo) conduzindo uma opinião (nunca implícita no jornalismo) Processo de cobertura  não procura apenas cobrir os acontecimentos semanais, o relevante não é o fato em si, mas a construção da narrativa do próprio processo de cobertura.
  13. 13.  Proximidade com o telespectador  “Guardiões”  Vinculo / segurança ▪ “Proteste Já” – intermediador entre sociedade e poderAlertar, questionar aasociedade sobre os problemas que aaenvolve. Alertar, questionar sociedade sobre os problemas que envolve.O destaque éédado para aaabordagem eenão ao conteúdo informativo. O destaque dado para abordagem não ao conteúdo informativo.>> A proposta ééinteressante, porém aaabordagem éésuperficial. >> A proposta interessante, porém abordagem superficial.
  14. 14. InovaçãoAs informações antes passadas de formaséria e impessoal tomam nova forma,descontraída, com o humor e sarcasmo.Problemas“democracia historicamente frágil” =ridicularização dos políticosDescrédito com a população... por outro ladoAtrai o público para os assuntos do“mundo da política”.

×