Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Locais para aplicação de  Medicação intramuscular e  para punção venosa e arterial
<ul><li>Antes de escolher o local para administrar a medicação ou de realizar uma punção o profissional deve considerar: <...
<ul><li>A via IM é muito utilizada, devido sua rápida absorção. </li></ul><ul><li>Em geral há riscos de  ocorrer necrose t...
<ul><li>Região glútea posterior (dorsoglútea) </li></ul><ul><li>Músculo: Glúteo médio </li></ul><ul><li>Localização: Quadr...
<ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>Risco de lesão do nervo ciático e artéria glútea; </li></ul><ul><li>Tecido subcutâ...
<ul><li>Nervo ciático </li></ul>
<ul><li>Região ventroglútea </li></ul><ul><li>Músculo: Glúteo médio </li></ul><ul><li>Obs: É a região mais indicada. </li>...
 
<ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>Isenta de nervos e vasos sanguíneos importantes; </li></ul><ul><li>Acomoda grandes qu...
<ul><li>Menos dolorosa; </li></ul><ul><li>Camada mais fina de tecido subcutâneo. </li></ul><ul><li>Desvantagens: </li></ul...
<ul><li>Região vasto lateral </li></ul><ul><li>Músculo: Vasto lateral da coxa </li></ul><ul><li>Localização: Face ântero-l...
<ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>Músculo grande e bem desenvolvido; </li></ul><ul><li>Fácil acessibilidade; </li></ul>...
<ul><li>“ Isenta de vasos sanguíneos e nervos importantes”.    Nervo cutâneo lateral da coxa com suas ramificações </li></...
<ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>Risco de lesão do nervo cutâneo lateral da coxa; </li></ul><ul><li>Mais dolorosa; ...
Locais para punção venosa <ul><li>Punção venosa: </li></ul><ul><li>A administração por esta via permite efeito farmacológi...
<ul><li>Punção venosa em MMII: </li></ul><ul><li>Não é utilizada para administração de medicação em adultos. </li></ul><ul...
<ul><li>A veia femural pode ser utilizada para procedimentos como monitorização da PVC (Pressão Venosa Central), acesso pa...
<ul><li>Em crianças: </li></ul><ul><li>Escolhe-se um local que restrinja menos os movimentos; </li></ul><ul><li>Evitar as ...
<ul><li>Nas situações em que os líquidos </li></ul><ul><li>são urgentemente necessários e há  </li></ul><ul><li>grande dif...
<ul><li>Procedimento na veia safena (com ocorrência de varizes): </li></ul>
<ul><li>Punção arterial: </li></ul><ul><li>Artéria mais utilizada nos MMII: Artéria Femural. </li></ul><ul><li>Indicações:...
<ul><li>Complicações: </li></ul><ul><li>Trombose arterial (é a mais comum); </li></ul><ul><li>Hematoma; </li></ul><ul><li>...
<ul><li>Punção da artéria femural em angioplastia </li></ul>
Referências <ul><li>MENESES, Abel Silva de; MARQUES, Isaac Rosa. Proposta de um modelo de delimitação geométrica para a in...
<ul><li>SOUZA, N. de et al . Complicações da cateterização arterial em crianças.  Rev. Assoc. Med. Bras. ,  São Paulo,  v....
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Administração De Medicamentos

  • Be the first to comment

Administração De Medicamentos

  1. 1. Locais para aplicação de Medicação intramuscular e para punção venosa e arterial
  2. 2. <ul><li>Antes de escolher o local para administrar a medicação ou de realizar uma punção o profissional deve considerar: </li></ul><ul><li>Ausência de lesões, necroses, abcessos ou processos inflamatórios na região; </li></ul><ul><li>Localização de grandes nervos e vasos sanguíneos; </li></ul><ul><li>Condição da massa muscular; </li></ul><ul><li>Tipo, quantidade e características da medicação; </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A via IM é muito utilizada, devido sua rápida absorção. </li></ul><ul><li>Em geral há riscos de ocorrer necrose tecidual, contratura de grupos musculares, fibrose, infiltrações no tecido subcutâneo e até perda de movimentos articulares. </li></ul><ul><li>Injeções intravasculares por engano podem ocasionar embolias, infecções e abcessos. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Região glútea posterior (dorsoglútea) </li></ul><ul><li>Músculo: Glúteo médio </li></ul><ul><li>Localização: Quadrante superior </li></ul><ul><li> externo. </li></ul><ul><li>Melhor posição: Decúbito ventral. </li></ul><ul><li>Vantagem: </li></ul><ul><li>Acomoda grandes quantidades de líquido. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>Risco de lesão do nervo ciático e artéria glútea; </li></ul><ul><li>Tecido subcutâneo espesso. </li></ul><ul><li> </li></ul><ul><li> Sequela Injeção Aplicada </li></ul><ul><li>Contra-indicações </li></ul><ul><li>Crianças menores de dois anos; </li></ul><ul><li>Idosos e indivíduos com imobilização no leito. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Nervo ciático </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Região ventroglútea </li></ul><ul><li>Músculo: Glúteo médio </li></ul><ul><li>Obs: É a região mais indicada. </li></ul><ul><li>Localização: </li></ul><ul><li>- Mão no trocânter maior do cliente, dedo médio formando um V com a crista ilíaca, e a medicação é aplicada no meio do V. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>Isenta de nervos e vasos sanguíneos importantes; </li></ul><ul><li>Acomoda grandes quantidades de líquido; </li></ul><ul><li>Afastada da região retal; </li></ul><ul><li>Indicada para adultos e crianças; </li></ul><ul><li>Facilmente acessível em crianças em decúbito dorsal, ventral ou lateral; </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Menos dolorosa; </li></ul><ul><li>Camada mais fina de tecido subcutâneo. </li></ul><ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>- Ansiedade dos pacientes por desconhecimento da técnica e apego às técnicas tradicionais. </li></ul><ul><li>- Os profissionais não são familiarizados com o local, provando grande necessidade de atualização. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Região vasto lateral </li></ul><ul><li>Músculo: Vasto lateral da coxa </li></ul><ul><li>Localização: Face ântero-lateral da coxa (terço médio) </li></ul><ul><li> Área para injeção intramuscular na região ântero-lateral da coxa </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Vantagens: </li></ul><ul><li>Músculo grande e bem desenvolvido; </li></ul><ul><li>Fácil acessibilidade; </li></ul><ul><li>Facilidade de auto-aplicação; </li></ul><ul><li>Indicada para adultos e crianças (local mais indicado). </li></ul>
  12. 13. <ul><li>“ Isenta de vasos sanguíneos e nervos importantes”. Nervo cutâneo lateral da coxa com suas ramificações </li></ul><ul><li>Obs: No terço superior </li></ul><ul><li>e na porção superior do </li></ul><ul><li>terço médio da coxa </li></ul><ul><li>passa ramificações do </li></ul><ul><li>nervo cutâneo lateral </li></ul><ul><li>da coxa. </li></ul><ul><li> Área proposta </li></ul>
  13. 14. <ul><li>Desvantagens: </li></ul><ul><li>Risco de lesão do nervo cutâneo lateral da coxa; </li></ul><ul><li>Mais dolorosa; </li></ul><ul><li>Risco de trombose da artéria femural. </li></ul>
  14. 15. Locais para punção venosa <ul><li>Punção venosa: </li></ul><ul><li>A administração por esta via permite efeito farmacológico imediato, controle da dose, admite grandes volumes, permite substâncias com pH diferente da neutralidade. </li></ul>
  15. 16. <ul><li>Punção venosa em MMII: </li></ul><ul><li>Não é utilizada para administração de medicação em adultos. </li></ul><ul><li>Risco de flebites, infecção, hematomas, trombose, embolia e até arritmias cardíacas. </li></ul>
  16. 17. <ul><li>A veia femural pode ser utilizada para procedimentos como monitorização da PVC (Pressão Venosa Central), acesso para suporte nutricional parenteral, acesso para hemodiálise e tratamento de varicocele (varizes no testículo). </li></ul><ul><li> Técnica para tratamento de varicocele </li></ul>
  17. 18. <ul><li>Em crianças: </li></ul><ul><li>Escolhe-se um local que restrinja menos os movimentos; </li></ul><ul><li>Evitar as veias do pé. </li></ul><ul><li>Veias usadas nos MMII: </li></ul><ul><li>Veia safena maior, </li></ul><ul><li>Arco venoso dorsal, </li></ul><ul><li>Veia marginal mediana. </li></ul>
  18. 19. <ul><li>Nas situações em que os líquidos </li></ul><ul><li>são urgentemente necessários e há </li></ul><ul><li>grande dificuldade de puncionar outra </li></ul><ul><li>veia, um cateter é inserido por </li></ul><ul><li>procedimento cirúrgico. </li></ul><ul><li>Veia de escolha: Safena interna. </li></ul><ul><li> Esquema mostrando a veia </li></ul><ul><li> safena interna e veias colaterais </li></ul><ul><li> na perna logo abaixo da pele. </li></ul>
  19. 20. <ul><li>Procedimento na veia safena (com ocorrência de varizes): </li></ul>
  20. 21. <ul><li>Punção arterial: </li></ul><ul><li>Artéria mais utilizada nos MMII: Artéria Femural. </li></ul><ul><li>Indicações: </li></ul><ul><li>▪ Coleta de sangue para gasometria; </li></ul><ul><li>▪ Monitorização contínua da PAM (pressão arterial média); </li></ul><ul><li>▪ Cateterismo; </li></ul><ul><li>▪ Angioplastia. </li></ul>
  21. 22. <ul><li>Complicações: </li></ul><ul><li>Trombose arterial (é a mais comum); </li></ul><ul><li>Hematoma; </li></ul><ul><li>Isquemia; </li></ul><ul><li>Necrose de extremidades; </li></ul><ul><li>Infecção; </li></ul><ul><li>Acidente vascular cerebral. </li></ul>
  22. 23. <ul><li>Punção da artéria femural em angioplastia </li></ul>
  23. 24. Referências <ul><li>MENESES, Abel Silva de; MARQUES, Isaac Rosa. Proposta de um modelo de delimitação geométrica para a injeção ventro-glútea. Rev. bras. enferm. ,  Brasília,  v. 60,  n. 5, Oct.  2007 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672007000500013&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 04  Dez.  2008. doi: 10.1590/S0034-71672007000500013. </li></ul><ul><li>ROCHA, ROGÉRIO PORTO DA et al . Distribuição do nervo cutâneo lateral da coxa na área de injeção intramuscular. Rev. Assoc. Med. Bras. ,  São Paulo,  v. 48,  n. 4, Dec.  2002 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302002000400044&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 04  Dec.  2008. doi: 10.1590/S0104-42302002000400044. </li></ul><ul><li>HOCKENBERRY, Marllyn J. Wong, Fundamentos de Enfermagem Pediátrica . Tradução de Daniele Cobett et. al. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006. </li></ul><ul><li>POTTER, Patrícia A. PERRY Anne G. Grande Tratado de Enfermagem Prática : Clínica e Prática Hospitalar. Tradução de Dra. Hildegard Thieman Buckup e Dra. Terezinha Oppido. São Paulo: Santos Livraria, 2004. </li></ul>
  24. 25. <ul><li>SOUZA, N. de et al . Complicações da cateterização arterial em crianças. Rev. Assoc. Med. Bras. ,  São Paulo,  v. 46,  n. 1, Mar.  2000 .   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302000000100006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 09  Dec.  2008. doi: 10.1590/S0104-42302000000100006. </li></ul><ul><li>CASSIANI, S.H.B.; RANGEL, S.M. Complicações locais pós-injeções intramusculares em adultos; revisão bibliográfica. Medicina , Ribeirão Preto, 32: 444-450, out./dez. 1999. Disponível em: www.fmpr.usp.br/revista/1999/vol32n4/complicações_locais_pos_injecoes.pdf. Acesso em: 05 Dez. 2008. </li></ul><ul><li>GODOY, Simone de; NOGUEIRA, Maria Suely; MENDES, Isabel Amélia Costa. Aplicação de medicamentos por via intramuscular: análise do conhecimento entre profissionais de enfermagem. Rev. Esc. Enferm. USP, São Paulo, v. 38, n. 2, Junho, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid+s0080-62342004000200003&Ing=en&nrm=iso. Acesso em: 05 Dez. 2008. doi: 10.1590/S0080-62342004000200003. </li></ul><ul><li>SWEARINGEM, Pamela L. HOWARD, Cheri A. Atlas Fotográfico de Procedimentos de Enfermagem . 3. ed. Porto alegre: Artmed, 2001. </li></ul>

×