Cadeia de valor da mandioca reunião nacional

4,696 views

Published on

Published in: Technology, Spiritual
  • Be the first to comment

Cadeia de valor da mandioca reunião nacional

  1. 1. Cadeia de valor da Mandioca Instituto de Investigação Agrária de Moçambique Centro Zonal Nordeste
  2. 2. <ul><li>Mandioca e a principal cultura depois do milho, </li></ul><ul><li>Norte: Contribui com 85% da produção nacional, </li></ul><ul><li>Centro and Sul: 15% de produção nacional, </li></ul><ul><li>> 50% de população na regiao norte tem mandioca como cultura alimentar, </li></ul><ul><li>99% dos produtores são do pequenos produtores. </li></ul>Mandioca ( Manihot esculenta Crantz)
  3. 3. Funções básicas cadeia de valor
  4. 4. Provisão de insumos <ul><li>Adubos, fertilizantes e pestecidas. </li></ul><ul><ul><li>(+) aplicado pela investigação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ureia, insecticidas, fungicidas e termicidas </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Fornecidores </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Agroquimicos, </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Agrifocus. </li></ul></ul></ul>Fluxo de estaca-semente melhorada e local recomendada IIAM IITA DPA – SPER/SPA e ONG’s SDAE’s Sector Privado Produtores Individuais (Namina) ONG’s - CARE, VM, Save The Children, ESSOR, Africare, ADAP-SF, AENA Sector Privado – OLIMA, WISSA, Gastão, etc. Produtores e Organizações de produtores
  5. 5. Produção
  6. 6. Produção da mandioca (ton) em Nampula
  7. 7. Produção … <ul><li>Produtores individuais </li></ul><ul><li>99% Sector familiar </li></ul><ul><li>Area: 1.5ha </li></ul><ul><li>Sector privado </li></ul><ul><li>OLIMA - Ribaue (6ha) </li></ul><ul><li>WISSA - Mutivaze (2ha) </li></ul><ul><li>Gastão - Mogovolas (10ha) </li></ul><ul><li>Caiaia - Ribaue (10ha) </li></ul>
  8. 8. Flexibidade da época de plantio e de colheita da cultura de mandioca Épocas de plantação 2009 2010 2011 A S O N D J F M A M J J A S O N D J F M A M J J A Situação A X                       MS                         Situação B X                       P             MF         Situação C X                                               MS Situação D           X                           MF         Situação E           X                                     MS
  9. 9. Processamento <ul><li>Sector familiar (Makaka) </li></ul><ul><li>OLIMA (Amido, farinha) </li></ul><ul><li>WISSA (Farinha, Mathapa fresca, Mathapa pó) </li></ul><ul><li>Manuel Caetano - Carapira (Farinha) </li></ul><ul><li>Nacololo - Monapo (Farinha) </li></ul><ul><li>Monapo - sede (Farinha) </li></ul>
  10. 10. Processamento da mandioca seca no distrito de Monapo - Dezembro Local Quantidade (saco de farinha de 50 Kg) Proveniência da mandioca Destino da farinha de mandioca Preço de Moagem (MT/Kg) Preço da farinha (MT/Kg) Preço por saco de farinha (MT/50Kg) Nacalolo 300 Namuno Moma, Angoche, Mogincual e Ilha de Moçambique 0.5 6 300 Carapira 982 Chiúre Angoche e Moma 0.5 6 300 Monapo-sede 780 Namuno e Chiúre Moma, Angoche e Mogincual 1 9 450
  11. 11. Mapa dos canais de comercialização
  12. 12. Produtor: Mandioca fresca (100MT/Saco de 25Kg Compradores ambulantes: (150 MT/saco de 25 Kg Grossista na cidade: (250 MT/saco de 25 Kg Retalistas da cidade: (Unidade de venda molho ou Kilo (300 MT/saco de 25 Kg Consumidor da mandioca fresca Canais de comercialização de derivados de mandioca Produtor: Mandioca seca ou Macaca (Abundância: 100 a 150 MT/saco de 50 Kg; Escassez 150 a 200MT/Saco de 50 Kg) Compradores ambulantes: (Abundância: 200 a 250 MT/saco de 50 Kg; Escassez: 300 a 450 MT/saco de 50 Kg) Armazenistas Moagem prestação serviços Moagem do armazenista Retalhistas Consumidores de farinha Retalhistas Consumidor da mandioca seca
  13. 13. Sazonalidade de derivados vs preço da Mandioca e Milho Derivados de Mandioca 2009 2010 A S O N D J F M A M J J A Fresca 150 a 200 MT/saco de 25Kg Seca 150 a 250 Kg/saco de 50Kg 250 a 450 MT/saco de 50 Kg Milho 250 a 350 MT/saco de 50 Kg
  14. 15. Onde queremos chegar Produção Ração animal processador Comercialização Raspa seca Rale Consumidores Avicultores e criadores de gado bovino Processamento Associações (Chica, ….. Sector privado (OLIMA, WISSA) Retalhistas Unidade de processamento Amido azedo e doce Mercados informais Supermercados Restaurantes Distribuidor Intermediários Farinha Produtores individuais Hoteís Panificadores Renda baixa Renda alta Renda média
  15. 16. ANÁLISE FOFA Forças Oportunidades Assistência técnica disponível; Existência de alguns financiadores dos programas; Condições agro-ecológicas favoráveis para cultura de mandioca; Disponibilidade de variedades melhoradas (CBSD a alto rendimento); Experiência na panificacão, usando a substituição parcial da farinha de trigo por farinha de mandioca; Parceiros e sector privado com vontade de colaborar; Procura de material vegetativo de mandioca tolerante a CBSD; Interesse do Governo em desenvolver a cultura de mandioca; Existência do grupo de mandioca ao nível da província de Nampula; Existência de mercado interno da mandioca e seus derivados;
  16. 17. ANÁLISE FOFA Fraquezas Ameaças Insuficiência de fundos; Deficiências do pessoal técnico especializado; A maior de tecnologias não promisoras; Poucas acções de treinamento; Insuficiência de fundos para aquisição de linhas completas de agro-processamento; Maneio inadequadas de cultivo, incluindo uso de variedades pouco produtivas. Acesso a tecnologia apropriada (maquinaria e equipamento) para processamento adequado, embalagens. Pouco conhecimento do consumo dos sub-produtos da mandioca; Infra-estruturas e vias de acesso. Mudanças climáticas e baixa fertilidade do solo; Deficiente funcionamento do sistema de informação sobre mercados; Acesso a credito.
  17. 18. Desafios <ul><li>Planificação conjunta entre parceiros para tornar a cadeia de valor de mandioca funcional; </li></ul><ul><li>Necessidade de um sistema funcional de produção do material vegetativo de mandioca, </li></ul><ul><li>Acompanhamento das tecnologias libertadas e continua assistência técnica, para aumento da produção e produtividade de mandioca; </li></ul><ul><li>Adicionar o valor através de melhoria de técnicas de agro-processamento; </li></ul><ul><li>Mudança de hábitos alimentares. </li></ul>
  18. 19. Colaboradores <ul><li>Instituições Governamentais: </li></ul><ul><ul><li>IIAM, UCODIN, DPA, DPIC, IPEX, IPEME, CEPAGRI. </li></ul></ul><ul><li>CGIAR Centers </li></ul><ul><ul><li>IITA </li></ul></ul><ul><li>ONG’s </li></ul><ul><ul><li>AFRICARE, Save The Children, World Vision, ADAP-SF, AENA, ESSOR, CARE. </li></ul></ul><ul><li>Sector Privado </li></ul><ul><ul><li>OLIMA, WISSA, GASTÃO. </li></ul></ul>

×