Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Ciec

883 views

Published on

Published in: Travel, Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Ciec

  1. 1. 1º Congresso Internacional em Estudos da Criança “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância Rute L. Moura [email_address] Fevereiro de 2008
  2. 2. Enquadramento Narrativas e Infância Metodologia Considerações Finais “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância Fevereiro de 2008 1º Congresso Internacional em Estudos da Criança Perspectiva Intergeracional Perspectiva Geracional
  3. 3. <ul><li>Sociologia da Educação </li></ul><ul><li>Concepções de infância </li></ul><ul><li>Panorama Literatura para a infância </li></ul><ul><li>Questões orientadoras </li></ul>Enquadramento Narrativas e Infância Metodologia Considerações Finais Enquadramento “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância Perspectiva Intergeracional Perspectiva Geracional
  4. 4. <ul><li>Questões orientadoras: </li></ul><ul><li>De que forma as narrativas têm estado presentes nas famílias ao longo das três gerações (avós, pais e crianças); </li></ul><ul><li>Qual o papel da família como mediador entre a criança e as narrativas de expressão oral e escrita da literatura para a infância; </li></ul><ul><li>Como têm as narrativas sido transmitidas ao longo das gerações. </li></ul>Enquadramento Pierre Pratt “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  5. 5. <ul><li>Literatura para crianças </li></ul><ul><li>Construção histórica da infância </li></ul><ul><li>Infâncias </li></ul><ul><li>Categoria Geracional </li></ul>Enquadramento Narrativas e Infância Metodologia Considerações Finais Narrativas e Infância Perspectiva Intergeracional Perspectiva Geracional “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  6. 6. <ul><li>O desenvolvimento da literatura para crianças está ligado à escolaridade e aos seus objectivos, à legislação sobre sistemas educativos e às grandes correntes dos estudos de psicologia infantil (Rocha, 2001). </li></ul>Narrativas e Infância <ul><li>A construção histórica da infância foi o resultado do processo complexo de produção de representações sobre as crianças, da estruturação dos seus quotidianos, dos seus mundos de vida e de constituição de organizações sociais para elas (Sarmento, 2004). </li></ul><ul><li>A conquista de um novo lugar para a criança na família , a preocupação crescente com a sua escolarização , a obrigatoriedade do ensino , o aparecimento de saberes e disciplinas especialmente destinadas a ela e a criação de instituições como a creche e o jardim-de-infância , fizeram eclodir uma renovada noção de infância que se repercutiu também no aumento de narrativas especialmente destinadas às crianças . </li></ul>Carll Cneut “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  7. 7. <ul><li>Ao crescerem as crianças abandonam a colectividade social de que fazem parte (em que constroem e partilham uma cultura que lhes é específica), mas outras vêm tomar o seu lugar: o espaço das crianças permanece e contém a sua cultura (Montandon, 2005). </li></ul><ul><li>A infância é independente das crianças (Sarmento, 2005) </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>Existência de infâncias e não de uma única infância (Sarmento, 2004; Soares & Tomás, 2004) </li></ul>Narrativas e Infância <ul><li>A infância é simultaneamente o período em que as crianças vivem as suas vidas e uma categoria da sociedade , tal como a classe social (Corsaro, 2005). </li></ul><ul><li>As crianças são os actores sociais concretos que em cada momento integram a categoria geracional; ora, por efeitos da variação etária desses actores, a ‘geração’ está continuamente a ser ‘preenchida’ e ‘esvaziada’ dos seus elementos constitutivos concretos (Sarmento, 2005). </li></ul>Carll Cneut “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  8. 8. <ul><li>Estudo de Caso </li></ul><ul><li>Colaboraram neste estudo 12 famílias com um filho a frequentar uma sala de jardim-de-infância de uma IPSS em Almada </li></ul><ul><li>Entrevistas semi-estruturadas às três gerações de cada família: avós, pais, crianças . </li></ul>Enquadramento Narrativas e Infância Metodologia Considerações Finais Metodologia Perspectiva Intergeracional Perspectiva Geracional “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  9. 9. Metodologia Habilitações Literárias dos adultos Idade e género das crianças Idade e género dos adultos “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância 20 7 12 Total 1 0 1 Mestrado 7 2 5 Licenciatura 1 0 1 Bacharelato 3 0 3 12º Ano 0 0 0 11º Ano 1 0 1 10º Ano 2 2 0 9º Ano 1 0 1 8º Ano 3 3 0 4º Ano Total Avós Pais   12 4 8 Total 2 0 2 6 anos 4 1 3 5 Anos 6 3 3 4 Anos Total Masculino Feminino   24 5 19 Total 2 2 0 71 – 75 2 0 2 66 – 70 4 1 3 61 – 65 2 1 1 56 – 60 2 0 2 51 – 55 0 0 0 46 – 50 1 0 1 41 – 45 4 0 4 36 – 40 5 1 4 31 – 35 2 0 2 26 – 30 Total Masculino Feminino  
  10. 10. <ul><li>Processo de recolha e tratamento de dados </li></ul><ul><li>Estruturação do guião das entrevistas a partir das questões de pesquisa e eixos de análise do projecto de investigação. </li></ul><ul><li>Entrevista a elementos exteriores ao estudo para testar as questões da entrevista. </li></ul><ul><li>Autorização e contacto pessoal com os entrevistados. Entrevistas realizadas na instituição onde decorreu o estudo. </li></ul><ul><li>As entrevistas foram registadas em áudio e depois transcritas. </li></ul><ul><li>A duração das entrevistas é de 45 minutos a 1 hora e 30 minutos. </li></ul><ul><li>Explorámos a informação , tentámos detectar as ideias gerais e o fio condutor de cada entrevistado para depois encontrar os pontos comuns e eventuais contradições . </li></ul><ul><li>Análise de conteúdo das entrevistas sob duas perspectivas: contexto familiar intergeracional e contexto geracional . </li></ul>Metodologia Gémeo Luís “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  11. 11. Perspectiva Geracional <ul><li>Infância dos avós </li></ul><ul><li>Infância dos pais </li></ul><ul><li>Infância das crianças </li></ul>Enquadramento Narrativas e Infância Metodologia Considerações Finais Perspectiva Intergeracional Perspectiva Geracional “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  12. 12. <ul><li>Convívio mais privilegiado com as narrativas orais do que com as narrativas escritas. </li></ul><ul><li>Pouco contacto com os livros antes da entrada para a escola. </li></ul><ul><li>O manual escolar surge como tendo sido um dos primeiros e dos mais importantes meios de acesso às narrativas escritas. </li></ul><ul><li>A escola parece ter assumido um papel de relevo, apesar das declarações que transparecem que nem sempre esta terá sido um mediador promotor do prazer de ler e aprender. </li></ul>Infância dos avós Perspectiva Geracional “ os professores punham orelhas de burro, punham-nos à janela. Depois vinhamos à povoação, todos atrás a chamar burro ao miúdo.” (Avô da M.) Danuta Wojciechowska “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  13. 13. “ O meu irmão tinha mais 4 anos, portanto ele teria 8 ou já 9 eu teria 5, e já lia as histórias do Cavaleiro Andante. Lia as coisas dos mais velhos. Lembro-me de ter medo do Tintin.” (Avó da J.) <ul><li>Outras formas de acesso às narrativas escritas: </li></ul><ul><li>- livros e revistas dos irmãos mais velhos; </li></ul><ul><li>- literatura de cordel e folhetins nas feiras; </li></ul><ul><li>- pároco da aldeia que visitava as famílias e com ele levava um livro que as crianças viam durante a sua visita. </li></ul>Infância dos avós Perspectiva Geracional “ Ia à feira com a minha avó todos os anos e sempre o que eu pedia era histórias… havia lá um homenzinho com os livros espalhados no chão, uns azuis, o Touro Azul, eu adorava aquilo!” (Avó do To.) Danuta Wojciechowska “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  14. 14. <ul><li>Referências à existência de livros no seio familiar durante a infância (quantidade de livros diversificada de entrevistado para entrevistado mas em número claramente superior ao do mencionado pelos avós). </li></ul><ul><li>Continuam a existir alusões às narrativas contadas oralmente . Alguns entrevistados referem-nas como sendo as histórias que mais recordam da sua infância. </li></ul>Perspectiva Geracional Infância dos pais “ era a minha avó que quando me ia adormecer à tarde me contava as histórias do João Sem Terra e das quais eu mantenho uma recordação muito boa e muito carinhosa”. (Mãe do T.) Danuta Wojciechowska “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  15. 15. <ul><li>Apenas um entrevistado assinala o manual escolar como um dos primeiros contactos com as narrativas escritas. As referências a livros mais específicos surgem numa fase em que já dominavam o sistema convencional de escrita e de leitura . </li></ul>“ lembro-me que quando comecei a aprender a ler o meu avô ia à papelaria e comprava-me uns livros de histórias infantis pequeninos.” (Mãe da J.) Perspectiva Geracional Infância dos pais Danuta Wojciechowska “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância “ só tenho memória da leitura já na adolescência em que tínhamos 3 meses de férias… situações dos 14 anos, em que eu comecei a ler Os Maias.” ( Mãe da B.)
  16. 16. <ul><li>Os relatos dos entrevistados salientam a existência de livros no contexto familiar . No entanto, não dispomos de dados concretos que permitam aferir a quantidade de livros existente. </li></ul><ul><li>Encontramos referencias que apontam para a coexistência de narrativas em diversos suportes para além dos livros (áudio, televisão e dvd). No entanto, também é de salientar as referências às narrativas transmitidas oralmente , que continuam a ter uma presença activa na vida familiar de algumas crianças. </li></ul>Perspectiva Geracional Infância das crianças “ a nossa casa está cheia de livros por todo o lado.” (Mãe da J.) Danuta Wojciechowska “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  17. 17. <ul><li>O jardim-de-infância é referido por avós, pais e crianças como mediador entre as crianças e as narrativas. </li></ul><ul><li>O momento de ler ou contar diariamente uma história aos filhos antes de adormecer é considerado pela maioria dos pais um hábito , rotina ou ritual . </li></ul>“ a Rita é a primeira coisa que diz «mãe quero uma história. Falta a história, mãe». Ela não descura isso.” (Mãe da R.) “ Eu gosto é de trazer livros para a escola!” (T.) Perspectiva Geracional Infância das crianças Danuta Wojciechowska “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  18. 18. <ul><li>Diversidade de contextos familiares </li></ul><ul><li>Migração </li></ul><ul><li>Mediadores de leitura </li></ul><ul><li>Leitura familiar </li></ul>Enquadramento Narrativas e Infância Metodologia Perspectiva Intergeracional Perspectiva Geracional Considerações Finais P. Familiar Intergeracional “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  19. 19. Carla Pott <ul><li>A migração dos avós do meio rural para o meio urbano, após o casamento, levou a que a geração dos pais e das crianças vivesse a infância num contexto diferente. </li></ul><ul><li>Existência de narrativas que têm sido transmitidas desde a geração dos avós. </li></ul><ul><li>A mãe e a avó são os mediadores das narrativas mais mencionados pelos entrevistados em qualquer uma das gerações. No entanto, é de salientar que na infância dos pais e principalmente na das crianças , ambos os pais também são mencionados como principais mediadores. </li></ul><ul><li>Se nos relatos dos avós as referências ao facto de ver os pais ler são inexistentes, estas começam a ser mais evidentes nos relatos dos pais e das crianças. </li></ul>P. Familiar Intergeracional “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  20. 20. Carla Pott <ul><li>Contar e ler histórias nas famílias em estudo: </li></ul><ul><li>surge com alguma regularidade desde a infância dos avós; </li></ul><ul><li>acontece com mais frequência desde a infância dos pais; </li></ul><ul><li>é pouco frequente desde a infância dos avós. </li></ul><ul><li>As narrativas surgem nas famílias, ao longo das gerações, de 3 formas distintas: </li></ul><ul><li>as narrativas escritas parecem ter ocupado o lugar das narrativas orais; </li></ul><ul><li>coexistência de ambas as formas de narrativas desde a geração das avós; </li></ul><ul><li>não existem declarações que tornem perceptíveis a existência de narrativas orais na infância dos avós, dos pais e das crianças. </li></ul>P. Familiar Intergeracional “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  21. 21. Considerações Finais <ul><li>Contexto familiar promotor da leitura </li></ul><ul><li>Narrativas orais e escritas </li></ul><ul><li>Família como mediadora </li></ul>Enquadramento Narrativas e Infância Metodologia Considerações Finais Perspectiva Intergeracional Perspectiva Geracional “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  22. 22. Gémeo Luís <ul><li>Nas famílias em estudo, encontram-se três formas do contexto familiar poder ser promotor de leitura ou do prazer de ler: </li></ul><ul><li>- através da existência de livros em casa , </li></ul><ul><li>- pelos momentos destinados à partilha de histórias entre pais e filhos ou avós e netos </li></ul><ul><li>- e ainda pelo facto de as crianças verem frequentemente os pais a lerem . </li></ul><ul><li>Não temos dados que nos permitam aferir as sequelas da existência de todas as variáveis ou apenas parte delas, na promoção do gosto pelas narrativas e pela leitura. </li></ul>Considerações Finais “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  23. 23. Gémeo Luís <ul><li>Na infância dos pais o manual escolar perdeu importância como forma primeira de contacto com as narrativas escritas. </li></ul><ul><li>Ao longo das gerações, parece existir: </li></ul><ul><li>- um crescente contacto com as narrativas escritas </li></ul><ul><li>- um contacto mais precoce com os livros </li></ul><ul><li>- um aumento de livros no contexto familiar </li></ul><ul><li>- o não desaparecimento das narrativas orais . </li></ul>Considerações Finais <ul><li>Forte presença da figura feminina (mãe e a avó) na mediação das narrativas e crescente referência a ambos os pais na infância dos pais e das crianças . </li></ul><ul><li>A família parece desempenhar a função de mediadora entre as narrativas de expressão oral e escrita ao longo das três gerações das famílias em estudo, mas tem partilhado essa responsabilidade com a escola e mais recentemente com o jardim-de-infância . </li></ul>“ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” - O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância
  24. 24. 1º Congresso Internacional em Estudos da Criança Rute L. Moura [email_address] Fevereiro de 2008 “ A nossa casa está cheia de livros por todo o lado!” O contexto familiar intergeracional e as narrativas de literatura para a infância

×