Novo Paradigma dos Serviços Públicos <ul><li>Paulo Sérgio de Moura Bastos </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>
Competitividade Brasileira ?
Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. Problemas Urbanos:
Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Flagelos Sociais: </li></ul>
Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Problemas Trabalhistas e Econômicos: </li></ul>
Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Problemas Comportamentais: </li></ul>
Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Problemas Ambientais: </li></ul>
Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Problemas Políticos e Culturais: </li></ul>
Necessidades Crescentes por Serviços Públicos. Saúde:
Necessidades Crescentes por Serviços Públicos. <ul><li>Transportes: </li></ul>
Necessidades Crescentes por Serviços Públicos. <ul><li>Saneamento Básico e infra-estrutura: </li></ul>
Necessidades Crescentes por Serviços Públicos. <ul><li>Educação e Cultura: </li></ul>
Forças Transformadoras: <ul><li>Alguns destaques: </li></ul>
Forças Transformadoras: <ul><li>Alguns destaques: </li></ul>
Forças Transformadoras: <ul><li>Alguns destaques: </li></ul>
Forças Transformadoras: <ul><li>Alguns destaques: </li></ul>
PARTICIPAÇÃO SOCIAL: <ul><li>Níveis de participação: </li></ul>Escala participativa dos indivíduos Sherry R. Arnstein (196...
NOVO PARADIGMA DO SERVI Ç O PUBLICO
Momentos dos Serviços Públicos: <ul><li>O Velho Serviço Público. </li></ul><ul><li>O Gerencialismo. </li></ul><ul><li>O No...
1. O Velho Serviço Público:
1. O Velho Serviço Público: <ul><li>O chefe executivo seria mais bem sucedido se  atuasse pela estrutura organizacional ca...
2. O Gerencialismo:
2. O Gerencialismo: <ul><li>É um grupo de idéias e práticas contemporâneas que buscam usar a abordagem dos negócios do set...
3. O Novo Serviço Público:
3. O Novo Serviço Público:
3. O Novo Serviço Público:
3. O Novo Serviço Público: <ul><li>“Novo Serviço Público” é visto como um conjunto de idéias sobre a Administração Pública...
Alguns Conceitos Co-produção Concepção emergente no processo de prestação de serviços, o qual prevê o envolvimento direto ...
Na década passada, testemunhamos o crescimento das pressões sobre os governos urbanos, no sentido de proporcionar mais e m...
Entretanto, autoridades governamentais locais precisam assumir um delicado equilíbrio entre as capacidades fiscais da cida...
Algumas Soluções Drásticas  Tomadas por Muitas Municipalidades <ul><li>Eliminação de certos tipos de serviços; </li></ul><...
Estudiosos, Acadêmicos e Autoridades Municipais Identificaram Outra Alternativa: MAIS SERVIÇOS MENOS CUSTO Co-produção dos...
  Suplementação dos trabalhos, aumento da qualidade e eficiência dos serviços municipais. Co-produção dos Serviços Público...
Produtores Regulares Consumidores Retroalimentação Modelo  Tradicional  de Prestação de Serviços
Modelo de Co-produção de Prestação de Serviços A mistura  crí tica, o est á gio no qual os produtores regulares e consumid...
Co-produção pode ser entendida como  o envolvimento ativo do público em geral ( tanto dos cidadãos como de autoridades gov...
Participação x Responsabilidade  <ul><li>Desta forma, os cidadãos podem tornar-se mais aptos ao conhecimento de conteúdos,...
Co-produção Negativa x Positiva   <ul><li>Co-produção “negativa” consiste nas atividades dos cidadãos que têm impactos em ...
Cooperação x Aceitação <ul><li>Cooperação é voluntária, é um exercício de consciência.  </li></ul><ul><li>Na aceitação não...
A co-produção envolve voluntarismo, ação cooperativa na prestação de serviços.
<ul><li>Co-produção é uma concepção emergente no processo de prestação de serviços,  que  prevê o envolvimento direto dos ...
À Reflexão de Todos !!! <ul><li>Muito Obrigado </li></ul><ul><li>Paulo Sérgio de Moura Bastos </li></ul><ul><li>[email_add...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Novo paradigma dos serviços públicos

3,854 views

Published on

Novo Serviço Público
New Public Service

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,854
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
49
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Novo paradigma dos serviços públicos

  1. 1. Novo Paradigma dos Serviços Públicos <ul><li>Paulo Sérgio de Moura Bastos </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>
  2. 2. Competitividade Brasileira ?
  3. 3. Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. Problemas Urbanos:
  4. 4. Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Flagelos Sociais: </li></ul>
  5. 5. Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Problemas Trabalhistas e Econômicos: </li></ul>
  6. 6. Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Problemas Comportamentais: </li></ul>
  7. 7. Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Problemas Ambientais: </li></ul>
  8. 8. Algumas reflexões sobre o momento atual da humanidade. <ul><li>Problemas Políticos e Culturais: </li></ul>
  9. 9. Necessidades Crescentes por Serviços Públicos. Saúde:
  10. 10. Necessidades Crescentes por Serviços Públicos. <ul><li>Transportes: </li></ul>
  11. 11. Necessidades Crescentes por Serviços Públicos. <ul><li>Saneamento Básico e infra-estrutura: </li></ul>
  12. 12. Necessidades Crescentes por Serviços Públicos. <ul><li>Educação e Cultura: </li></ul>
  13. 13. Forças Transformadoras: <ul><li>Alguns destaques: </li></ul>
  14. 14. Forças Transformadoras: <ul><li>Alguns destaques: </li></ul>
  15. 15. Forças Transformadoras: <ul><li>Alguns destaques: </li></ul>
  16. 16. Forças Transformadoras: <ul><li>Alguns destaques: </li></ul>
  17. 17. PARTICIPAÇÃO SOCIAL: <ul><li>Níveis de participação: </li></ul>Escala participativa dos indivíduos Sherry R. Arnstein (1969) Controle do cidadão 8 Delegação de poder 7 Níveis de poder do cidadão Parceria 6 Pacificação 5 Consulta 4 Níveis de concessão mínima de poder Informação 3 Terapia 2 Não-participação Manipulação 1 Dimensões Participativas Tipologia Gr
  18. 18. NOVO PARADIGMA DO SERVI Ç O PUBLICO
  19. 19. Momentos dos Serviços Públicos: <ul><li>O Velho Serviço Público. </li></ul><ul><li>O Gerencialismo. </li></ul><ul><li>O Novo Serviço Público </li></ul><ul><li>(Co-produção do bem público). </li></ul>
  20. 20. 1. O Velho Serviço Público:
  21. 21. 1. O Velho Serviço Público: <ul><li>O chefe executivo seria mais bem sucedido se atuasse pela estrutura organizacional caracterizada pela unidade de comando, autoridade hierárquica e uma estrita divisão do trabalho. </li></ul><ul><li>O trabalho do executivo público era determinar a melhor divisão do trabalho e então desenvolver os apropriados métodos de coordenação e controle. </li></ul><ul><li>A eficiência era o ponto de valor aceito por todos, escritores e práticos. </li></ul>
  22. 22. 2. O Gerencialismo:
  23. 23. 2. O Gerencialismo: <ul><li>É um grupo de idéias e práticas contemporâneas que buscam usar a abordagem dos negócios do setor privado no setor público. </li></ul><ul><li>O “Novo Gerenciamento Público” se tornou um modelo normativo, sinalizando uma profunda mudança em como nós pensamos sobre os administradores públicos, a natureza de sua profissão e como e porquê nós fazemos o que fazemos. </li></ul><ul><li>A aplicação destas idéias tem sido o uso de mecanismos e tecnologias de mercado, onde o relacionamento entre as agências públicas e seus clientes é entendido similarmente ao que ocorre em mercado. </li></ul><ul><li>As reformas substituem a tradicional regra baseada em autoridade e processos conduzidos pelas de mercado, competição e táticas. </li></ul><ul><li>Neste novo modelo, os gestores públicos são desafiados tanto para encontrar formas inovadoras de alcançar resultados quanto privatizar funções outrora oferecidas pelo governo. </li></ul>
  24. 24. 3. O Novo Serviço Público:
  25. 25. 3. O Novo Serviço Público:
  26. 26. 3. O Novo Serviço Público:
  27. 27. 3. O Novo Serviço Público: <ul><li>“Novo Serviço Público” é visto como um conjunto de idéias sobre a Administração Pública no governo, que toma lugar no serviço público, no governo democrático e tendo o engajamento cívico também em seu centro. </li></ul>
  28. 28. Alguns Conceitos Co-produção Concepção emergente no processo de prestação de serviços, o qual prevê o envolvimento direto dos cidadãos na formação e oferecimento dos serviços municipais através de agentes profissionais. Manifestação daqueles que definem a cidade, os cidadãos locais (comunidade local). Governo Auto-serviço Constitui uma redefinição dos padrões tradicionais de prestação de serviço .
  29. 29. Na década passada, testemunhamos o crescimento das pressões sobre os governos urbanos, no sentido de proporcionar mais e melhor qualidade dos serviços, enquanto simultaneamente precisava m manter ou reduzir custos.
  30. 30. Entretanto, autoridades governamentais locais precisam assumir um delicado equilíbrio entre as capacidades fiscais da cidade e as expectativas por serviços à comunidade.
  31. 31. Algumas Soluções Drásticas Tomadas por Muitas Municipalidades <ul><li>Eliminação de certos tipos de serviços; </li></ul><ul><li>Amplos cortes em programas de gerenciamento. </li></ul><ul><li>Au mento das taxas existentes ; </li></ul>
  32. 32. Estudiosos, Acadêmicos e Autoridades Municipais Identificaram Outra Alternativa: MAIS SERVIÇOS MENOS CUSTO Co-produção dos Serviços Públicos
  33. 33. Suplementação dos trabalhos, aumento da qualidade e eficiência dos serviços municipais. Co-produção dos Serviços Públicos Serviços direcionados aos moradores urbanos + Trabalhos dos servidores públicos =
  34. 34. Produtores Regulares Consumidores Retroalimentação Modelo Tradicional de Prestação de Serviços
  35. 35. Modelo de Co-produção de Prestação de Serviços A mistura crí tica, o est á gio no qual os produtores regulares e consumidores se interseccionam. Co-produção Consumidores Produtores Regulares
  36. 36. Co-produção pode ser entendida como o envolvimento ativo do público em geral ( tanto dos cidadãos como de autoridades governamentais ) e, especialmente, por aqueles que são os beneficiários diretos dos serviços”.
  37. 37. Participação x Responsabilidade <ul><li>Desta forma, os cidadãos podem tornar-se mais aptos ao conhecimento de conteúdos, custos e das limitações dos serviços municipais e de suas responsabilidades conjuntas com os agentes de serviço. </li></ul><ul><li>Autores argumentam que o modelo de co-produção não implica numa resposta mecânica ao público por parte das autoridades às demandas dos cidadãos, mas a boa vontade das autoridades para trabalhar com os moradores para desenvolver suas capacidades enquanto potenciais prestadores de serviços. </li></ul>
  38. 38. Co-produção Negativa x Positiva <ul><li>Co-produção “negativa” consiste nas atividades dos cidadãos que têm impactos em detrimento nas condições da comunidade, como: vandalismo, emporcalhamento, gangues de jovens e afins; afetando os custos e a qualidade dos serviços de modo negativo,. </li></ul><ul><li>Co-produção “positiva” consiste nas ações cidadãs que aumentam a qualidade dos serviços. </li></ul>Políticas podem adotar procedimentos para atenuar os efeitos dos comportamentos reprováveis, através de organização de programas de co-produção positiva, por exemplo, prevenir o vandalismo ou manter vigilância informal em certas áreas.
  39. 39. Cooperação x Aceitação <ul><li>Cooperação é voluntária, é um exercício de consciência. </li></ul><ul><li>Na aceitação não há questionamento sobre a obediência às leis. Esta escolha, muitas vezes é involuntária, pelo fato dos cidadãos estarem sujeitos a sofrer sanções por suas recusas. </li></ul>
  40. 40. A co-produção envolve voluntarismo, ação cooperativa na prestação de serviços.
  41. 41. <ul><li>Co-produção é uma concepção emergente no processo de prestação de serviços, que prevê o envolvimento direto dos cidadãos na formação e oferecimento dos serviços municipais através de agentes profissionais. </li></ul><ul><li>Requer Participação e o Empoderamento dos cidadãos, liberdade e criatividade de construção normativa, bem como flexibilidade adaptativa, administrativa e tecnológica. </li></ul><ul><li>Requer o resgate dos indivíduos para a sua condição mais reflexiva, crítica, racional e sócio-política. </li></ul><ul><li>É o exercício pleno das liberdades e garantias individuais, grupais e coletivas, preconizadas em nossa Lei Maior de 88, nas quais os grupos têm condições de exercerem sua condição humana, com a construção social tendo o homem como centro decisório e não necessariamente o paradigma de mercado, sobre o qual se assentam inúmeras políticas públicas. </li></ul>
  42. 42. À Reflexão de Todos !!! <ul><li>Muito Obrigado </li></ul><ul><li>Paulo Sérgio de Moura Bastos </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>

×