Roteiro Grupo 02

1,641 views

Published on

Published in: Spiritual, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,641
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Roteiro Grupo 02

  1. 1. PASTORAL DA JUVENTUDE Data : 30/06/07 Roteiro de Reunião DIOCESE DE MOGI DAS CRUZES Grupos de Base Página 1 de 2 Pastoral da Juventude Diocese de Mogi das Cruzes – www.pjmogi.com.br – pjmogi@yahoo.com.br A AMIZADE Se tu vens às quatro da tarde, Desde as três começarei a ser feliz. (Exupéry) OBJETIVO Permitir que os jovens partilhem vivências de amizade no grupo e fora dele. MATERIAL PARA A REUNIÃO Bíblia, textos do Livro “O Pequeno Príncipe” para todos os participantes, papel para cartaz, tinta ou giz de cera, caixa de sapato vazia, um espelho do tamanho da caixa, som. ACOLHIDA/ORAÇÃO O animador acolhe a todos com a música “Canção da América”, de Milton Nascimento, ou outra que fale da amizade. Enquanto isso, motiva os participantes a cumprimentarem-se desejando uma boa reunião e uma boa semana. Em seguida, uma cópia do texto abaixo, fragmento do livro “O Pequeno Príncipe”, será entregue para cada participante. Organiza-se duplas para fazer a leitura, um lendo para o outro. “Se tu vens às quatro da tarde, desde as três começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for passando, mais me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieto(a) e agitado(a): descobrirei o preço da felicidade. Agora, se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração. É preciso ter ritos.” (Exupéry) Enquanto fazem a leitura, o animador deve providenciar um clima aconchegante com música suave. REFLETINDO JUNTOS Geralmente não temos muitos amigos. Apesar de conhecermos muitas pessoas, as amizades verdadeiras são difíceis. Isso porque uma amizade exige tempo, é vagarosa, cheia de silêncios e de espera. E, sobretudo, exige de nós um voltarmo-nos para nós mesmos. O animador coloca no quadro uma ficha com a frase: “Conhecer é a base para amar a si e ao outro”. Dois a dois cochicham o que entenderam da frase, falam dos sentimentos que surgiram. O animador ilustra o que acabaram de fazer, com o texto: “Quando compartilho meus sentimentos, eu lhe dou a oportunidade de conhecer-me de uma nova maneira e de mudarmos através desse conhecimento”.
  2. 2. PASTORAL DA JUVENTUDE Data : 30/06/07 Roteiro de Reunião DIOCESE DE MOGI DAS CRUZES Grupos de Base Página 2 de 2 Pastoral da Juventude Diocese de Mogi das Cruzes – www.pjmogi.com.br – pjmogi@yahoo.com.br Técnica “Vendo-se no espelho” O animador passa para o grupo uma caixa de sapatos com um espelho dentro. Um por um, todos devem abrir a caixa em silêncio, observar e passar para a pessoa do lado até que todos tenham feito a experiência. No final da técnica, o animador chama o grupo a falar dos sentimentos ao verem a si mesmos no espelho. Algumas questões para discussão: • Como tenho me mostrado diante das pessoas que eu gosto? • Tenho mostrado somente uma “casca” ou tenho conseguido me colocar transparente e verdadeiro? • O que uma amizade exige de mim? • Tenho cativado amigos no meu grupo? • Como vai a amizade no grupo? VIVENDO A PALAVRA DE DEUS Ler todos juntos o versículo e partilhar os sentimentos de amizade dentro do grupo. “Um amigo era em qualquer tempo...” (Pv 17,17) CELEBRAR É COMPROMETER-SE Nesse momento, o animador pede para que todos se sentem no chão, formando um círculo. Entrega uma cor de tinta ou um giz de cera para cada participante, juntamente com um papel algo que simbolize a amizade para ele. Antes de terminar o desenho, pede para cada um passar o papel para a pessoa da direita e essa deverá continuar o desenho do outro. De 20 em 20 segundos, o animador repete o comando até que o desenho volte para o seu dono. Partilhar: • Gostei mais do meu desenho depois que passou por todas as mãos? • Quais os sentimentos ao rever o que comecei a fazer? Amarrar a discussão tentando descobrir se todos tiveram a preocupação de completar o desenho do próximo, se tiveram responsabilidade e respeito para com os sentimentos expressos no papel. Não somos todos iguais. Pelo contrário, somo pessoas diferentes em busca, muitas vezes, de sonhos diferentes. Mas isso não impede que sejamos amigos. Melhor que isso: é aqui que a amizade se revela. Completamo-nos uns aos outros. Ajudamo- nos nesse descobrimento de nós mesmos e da vida. Essa é a responsabilidade de uma amigo. Elaboração: Deire Carlos Assis

×