Successfully reported this slideshow.

Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quê

3

Share

Loading in …3
×
1 of 58
1 of 58

More Related Content

Related Books

Free with a 14 day trial from Scribd

See all

Related Audiobooks

Free with a 14 day trial from Scribd

See all

Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quê

  1. 1. Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: para quê?
  2. 2. 1985 2017 2007 2015 1990 1994 1995 1997 2005 2012 2002 2020 2018
  3. 3. Plano de Ação para a Transição Digital
  4. 4. Transformação digital do tecido empresarial Digitalização do Estado #1 #2 #3
  5. 5. Resolução do Conselho de Ministros n.º 30/2020 Subpilar I.1 - Educação digital Subpilar I.2 - Formação profissional e requalificação Subpilar I.3 - Inclusão e literacia digital Medidas • Programa de Digitalização para as Escolas; • Programa de formação intensiva e especializada na área digital de 3.000 profissionais - UpSkill; • Programa de Inclusão Digital de 1 milhão de adultos; • Tarifa social de acesso a serviços de Internet;
  6. 6. Programa de digitalização para as Escolas • Equipamento individual + conectividade móvel gratuita para alunos, docentes e formadores; • Plano de capacitação digital de professores e formadores • RED (manuais escolares, cadernos de atividades, testes interativos, preparação para exames, relatório de progresso para encarregados de educação); • Ambientes digitais colaborativos • Provas de avaliação externa em ambiente digital
  7. 7. TIC como: 1º Artefactos 2º Conteúdo 3º Competências Hoje Práticas social É LONGA A BUSCA PELA MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA EDUCATIVO PORTUGUÊS!
  8. 8. Integrar o digital: Para quê?
  9. 9. Digital na Educação:
  10. 10. Digital na Educação:
  11. 11. Capacitação Docente = Melhoria das Práticas de Ensino (requer) Factores intrínsecos: Conhecimento Cientifico-Pedagógico-Tecnológico, motivação, envolvimento Factores extrínsecos: Condições laborais, Dinâmicas organizacionais, lideranças escolares
  12. 12. Estudo longitudinal (2009-13) Objetivo: testar a influência do fator tempo na atenuação/intensificação dos efeitos do envolvimento em ações de formação, nas atitudes e práticas de utilização das TIC pelos professores (Santos, 2015)
  13. 13. Conclusões: A participação em de ações de formação demonstrou exercer efeitos favoráveis no sentido de competência e nas práticas de utilização das tecnologias por parte dos professores, sendo esses efeitos positivos consistentes a curto e a médio prazos. No entanto, não se encontra extensão desses efeitos a longo prazo. Pelo contrário, cerca de um ano após o término da formação, os índices de autoeficácia dos professores desceram para valores mais baixos do que se tinham registado antes de se ter iniciado a formação. Os efeitos revelaram diluir-se igualmente nas práticas de utilização das tecnologias. (Santos, 2015)
  14. 14. • Os alunos que usam computadores com muita frequência na escola obtêm resultados piores do que os alunos que os usam moderadamente • Não se registam “melhorias apreciáveis" em Leitura, Matemática ou Ciências nos países que investiram mais fortemente em TIC • Entre os 7 países com o nível mais alto de uso da internet na escola, 3 revelam estagnação no desempenho em Leitura (Espanha, Noruega e Dinamarca) e 3 revelam um declínio significativo (Austrália, Nova Zelândia e Suécia) • Os sistemas escolares de alto desempenho (ex. China, Coreia do Sul e Japão) têm os níveis mais baixos de utilização de computadores na escola • Singapura apresenta o maior índice de Competências digitais e revela somente um nível moderado de utilização de tecnologia na escola.
  15. 15. Integrar o digital: Para quê?
  16. 16. O digital é uma delas
  17. 17. Digital Literacy Key Competences: a European Reference Framework (2018)
  18. 18. Key Competences (rev. 2018) identify, understand, express, create and interpret concepts, feelings, facts and opinions in both oral and written forms, using visual, sound/audio and digital materials across disciplines and contexts
  19. 19. Key Competences: a European Reference Framework (2018) Digital Education Action Plan (2021-27) Digital Literacy
  20. 20. Digital skills at large.
  21. 21. • basic digital skills and competences from an early age • digital literacy, including tackling disinformation • computing education • good knowledge and understanding of data-intensive technologies, such as Artificial Intelligence • advanced digital skills, which produce more digital specialists
  22. 22. Key Competences: a European Reference FrameworK (2018) Digital Education Action Plan (2021-27) Global Initiative on Decent Jobs for Youth (Int. Labor Organization - UN Agency) Digital Literacy
  23. 23. Global Initiative on Decent Jobs for Youth
  24. 24. Integrar o digital: Para quê?
  25. 25. Integrar o digital: Como?
  26. 26. Naturalização
  27. 27. ▪ IBL ▪ PbL ▪ Peer-Inst. ▪ PjbL ▪ Flipped Classroom ▪ GbL ▪ Gamification ▪ Design Thinking …
  28. 28. Europe priorities 6 Key Enabling Technologies
  29. 29. Neuza Pedro | IEULisboa | nspedro@ie.ulisboa.pt

×