Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aula de revisão 2º bimestre - Análise Projeto e Programação para Web - TSI

Diagramas de Colaboração, Atividade, Estado, Componentes e Implantação

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Aula de revisão 2º bimestre - Análise Projeto e Programação para Web - TSI

  1. 1. ANÁLISE PROJETO EPROGRAMAÇÃO PARA WEBProfª. Maria Alice JovinskiDIAGRAMAS DE COLABORAÇÃO, ATIVIDADE, ESTADO,COMPONENTES E IMPLANTAÇÃOAULA DE REVISÃO
  2. 2. DIAGRAMA DE COLABORAÇÃO
  3. 3. DIAGRAMA DE COLABORAÇÃO Define a estrutura de como os objetos estãovinculados ; Indica quais mensagens são trocadas entre objetos Não se preocupa com a temporalidade apenas coma organização estrutural dos objetos;
  4. 4. DIAGRAMA DE COLABORAÇÃO Objetos: Não há linha da vida nem ativação;minha_conta: Conta
  5. 5. DIAGRAMA DE COLABORAÇÃO Vínculos: Um dos principais objetivos do Diagrama deColaboração é identificar os vínculos; Vínculos são ligações existentes entre os objetosenvolvidos no processo: Envio de mensagens ; Recebimento de mensagens ; Ou ambos;
  6. 6. DIAGRAMA DE COLABORAÇÃO Representação de vínculo: Um vínculo é representado por uma linha unindo doisobjetos; Deve existir relacionamento equivalente no Diagramade Classes;curso_1: Curso Tturma_a: Turma
  7. 7. DIAGRAMA DE COLABORAÇÃOEXEMPLO:
  8. 8. DIAGRAMA DE ESTADOS
  9. 9. DIAGRAMA DE ESTADOS Representam o comportamento interno dasclasses; Correspondem a uma especificação de como asclasses devem ser implementadas; Constrói-se um diagrama descrevendo ocomportamento de cada classe do sistema todo oude casos de uso específicos;
  10. 10. DIAGRAMA DE ESTADOS ESTADO Um momento ou situação na vida do objeto: Momento em que foi criado; Momento em que fez uma inicialização; Momento em que fez uma solicitação; Momento em que foi destruído;
  11. 11. DIAGRAMA DE ESTADOS Notação UML
  12. 12. DIAGRAMA DE ESTADOS Identificação dos Estados Os estados são identificados através dos valores dosatributos;
  13. 13. DIAGRAMA DE ESTADOS Transição de estado Avanço de uma situação (estado) para outra; Caminhos no diagrama representam os fluxos deexecução de um objeto; Notação:Evento(argumentos) [Condição]/Ação
  14. 14. DIAGRAMA DE ESTADOS Exemplo de transição de estado com condições:
  15. 15. DIAGRAMA DE ESTADOS Estrutura: Sequência: fluxo de estados representados porencadeamentos de um estado e uma transição; Bifurcação: representa duas ou mais transiçõespartindo de um mesmo estado; Junção: representa duas ou mais transiçõesconduzindo a um mesmo estado; Repetição: um encadeamento cíclico de estados (loop);
  16. 16. DIAGRAMA DE ESTADOS Exemplo de sequência:
  17. 17. DIAGRAMA DE ESTADOS Exemplo de bifurcação/junção:
  18. 18. DIAGRAMA DE ESTADOS Exemplo de repetição:
  19. 19. DIAGRAMA DE ESTADOS Estado composto: Um estado constituído de um conjunto de sub-estados; Aparece em visões expandidas do diagrama deestados. Em uma visão normal, o estado composto émostrado sem seus subestados;
  20. 20. DIAGRAMA DE ESTADOS Exemplo de estado composto:
  21. 21. DIAGRAMA DE ESTADOS Concorrência Representa dois ou mais encadeamentos de estados etransições que são percorridos simultaneamente; Representa mais de um fluxo de controle implementado atravésde threads e utilizando serviços de multitarefa oumultiprocessamento do SO; Quando um objeto alcança um estado composto, imediatamenteabre-se a concorrência alcançando-se igualmente os estadosiniciais de todas as concorrências; Após isso, o estado composto só poderá evoluir quando todasas suas concorrências tiverem alcançado seus estados finais;
  22. 22. DIAGRAMA DE ESTADOS Notação de concorrência:
  23. 23. DIAGRAMA DE ATIVIDADE
  24. 24. DIAGRAMA DE ATIVIDADE Trata-se de um caso especial de diagrama deestado; Tudo ou a maioria dos estados é estado de ação; A maioria das transições é ativada por conclusãode ações nos estados precedentes; É útil quando se pretende descrever umcomportamento paralelo ou mostrar comointeragem comportamentos em vários casos deuso;
  25. 25. DIAGRAMA DE ATIVIDADE Propósitos de aplicação: Capturar o funcionamento interno de um objeto; Capturar o trabalho (ações) que será desempenhadoquando uma operação é executada; Mostrar como um processo de negócio funciona emtermos de atores, fluxos de trabalho, organização eobjetos; Mostrar como uma instância de caso de uso podeser realizada em termos de ações e mudanças deestado de objetos; Mostrar como um conjunto de ações relacionadaspode ser executado e como afetará objetos ao redor;
  26. 26. DIAGRAMA DE ATIVIDADE Permite escolher a ordem pela qual as coisas devemser feitas; Indica meramente as regras essenciais de sequênciasque necessitam ser seguidas; A sequência entre as atividades é irrelevante e podemser executadas intercalamente e em paralelo; Representa o estado de execução do método; Tem como objetivo entender o algoritmo envolvido naexecução de um método;
  27. 27. DIAGRAMA DE ATIVIDADE Isso é importante para a modelagem de negócios.Os negócios têm, frequentemente, processos nãonecessariamente seqüenciais; Os diagramas de atividades também são úteis paraos programas concorrentes, uma vez que vocêpode projetar graficamente quais caminhos(threads) você tem e quando eles precisam sersincronizados;
  28. 28. DIAGRAMA DE ATIVIDADE São usados para detalhar atividade interna de umobjeto; Eventos externos surgem quando o objeto está emum estado de espera; Pode haver mais de um possível evento que tire oobjeto do estado de espera, o primeiro queacontecer dispara a transição;
  29. 29. DIAGRAMA DE ATIVIDADENOTAÇÃO UMLLigar MicroInicializar Jogo de MinasJogar[jogo inicializado comsucesso] [jogo com problemas]EstadoinicialEstadofinalEstado de ação oude atividade
  30. 30. DIAGRAMA DE ATIVIDADECONCORRÊNCIA Os diagramas de atividade podem modelaratividades concorrentes. Para tal utiliza-se oconceito de Forks e Joins: Os Forks e os Joins devem ser estar balanceados; Um fork representa a transformação de um único fluxo decontrole em vários; Um join representa a sincronização de dois ou mais fluxos decontroles concorrentes;
  31. 31. DIAGRAMA DE ATIVIDADECONCORRÊNCIA As atividades que sucedem o fork podem serrealizadas em qualquer ordem; As atividades associadas após um join só serãoiniciadas quando todas as atividades antes de umjoin forem concluídas;
  32. 32. Ligar MicroInicializar Jogo de MinasDesligar computadorInicializar InternetForkJoinDIAGRAMA DE ATIVIDADENOTAÇÃO FORK E JOIN
  33. 33. DIAGRAMA DE ATIVIDADEEXEMPLO:CancelarPedidoAutorizar formade pagamentoAvaliar item emestoqueRegistrarPedidoAceitar pedido[negado][ok][para cada item do pedido][em estoque][item existente em estoquee forma de pagamentoautorizada]*
  34. 34. DIAGRAMAS DE IMPLEMENTAÇÃO
  35. 35. DIAGRAMAS DE IMPLEMENTAÇÃO Representam a arquitetura física do sistema; Mapeam a arquitetura lógica de classes em termosde nós de processamento e comunicação e adependência entre eles; Representam o hardware (hw) e o relacionamentocom o software (sw);
  36. 36. DIAGRAMAS DE IMPLEMENTAÇÃO Respondem às questões: Quais computadores e outros dispositivos de hw estãoenvolvidos e como eles estão conectados? Onde estão localizados as classes e os respectivosobjetos? Quais são as dependências entre os arquivos quecontém código? Ou seja, quando a alteração de umarquivo implica na recompilação de outros?
  37. 37. DIAGRAMAS DE IMPLEMENTAÇÃO Diagrama de Componentes: mostram aspectossobre a estrutura em termos de código fonte; Diagrama de Implantação: mostram aspectossobre a estrutura em termos de tempo deexecução;
  38. 38. DIAGRAMA DE COMPONENTES Um módulo de sw com identidade e interface bemdefinidas:O nome pode vir dentro, sobreou abaixo, com a sintaxe:NomedoComponente :tipodocomponente
  39. 39. DIAGRAMA DE COMPONENTES Um diagrama de componentes é um gráfico decomponentes conectados por relacionamentos dedependência; Para cada modelo lógico existe um padrão quemapeia um artefato de implementação, o diagramade componentes pode ser utilizado para definir opadrão mais adequado para uma dada classe;
  40. 40. DIAGRAMA DE COMPONENTESEXEMPLO:Tela de AcessoTela de InícioConexao.classBDLançamento Entidade ContaBancáriaFormaPagamentoUsuário Categoria
  41. 41. DIAGRAMA DE COMPONENTESEXEMPLO:CategoriaTela.classCategoriaRN.classCategoriaVO.classCategoriaPers.classConexao.classBD
  42. 42. DIAGRAMA DE IMPLANTAÇÃO Mostram a organização do hw e a ligação do swcom os dispositivos físicos (computadores eperiféricos); Trata-se de um gráfico de nós conectados porassociações de comunicação; Cada nó pode conter instâncias de componentes;
  43. 43. DIAGRAMA DE IMPLANTAÇÃO Nó: Representa um recurso computacional com pelo menosmemória e capacidade de processamento; Pode-se ter uma instância desse tipo usandoNome_do_nó: Tipo_de_nó;
  44. 44. DIAGRAMA DE IMPLANTAÇÃOEXEMPLO:PC 01Processador Intel Core 2 DuoE4600 2,40 GHz2GB de RAMPlaca de rede 10/100 MbpsWindows XPR$ 1000,00Conexão ParTrançadoEthernet 10/100SwitchGerenciav el3COM 3C17300A26 potas 10/100gerenciav elR$ 689,00ConexãoFibra ópticaServ idor deAplicação e bancoSGBD FirebirdSUPERSERVER 731-400Processador Quad-Core IntelXeon X3330 2,66 GHz2 GB de RAM500 GB -HD SATAFonte ATX 400 WattsR$ 2.299,00USBImpressora Hp LaserJetP105R$ 409,00
  45. 45. BOA PROVA!

×