Apresentação mariana martinho_p slideshare

298 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
298
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação mariana martinho_p slideshare

  1. 1. + SIME (2ºano) PDMME Universidade de Aveiro 24.02.2012QUESTIONAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DE QUÍMICA um estudo segundo o género Mariana Matias Martinho marianamartinho@ua.pt Orientação: Doutora Patrícia Albergaria Almeida Prof. Doutor José Joaquim Cristino Teixeira Dias
  2. 2. + AGENDA 1. Projeto a. Definição do tema b. Enquadramento c. Objetivos d. Questões de investigação e. Metodologia f. Cronograma e ponto da situação 2. Disseminação 3. Outras formações a. Enquanto formanda b. Enquanto formadora c. Publicações resultantes Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  3. 3. + 1. Projeto a. Definição do tema QUESTIONAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DE QUÍMICA: um estudo segundo o género Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  4. 4. + 1. Projeto b. Enquadramento (1/5) Questionamento Urge desenvolver nos estudantes capacidades e competências-chave. (Cuccio-Schirripa & Steiner, 2000; Pedrosa de Jesus et al, 2003; Biggs & Tang, 2007) ... entre as quais a capacidade para continuar a adquirir, ao longo da vida, novos conhecimentos e práticas, o que pressupõe, entre outras, a competência de questionamento. (Teixeira-Dias et al, 2009) Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  5. 5. + 1. Projeto b. Enquadramento (2/5) Vantagens do desenvolvimento da competência de Questionamento A formulação de questões de elevado nível cognitivo é importante numa aprendizagem ativa. (Chin & Osborne, 2008; Scholl, 2010) Aprendizagem centrada (Hofstein et al, 2005; Teixeira-Dias et al, 2009) no estudante indicador mais significativo do • Espírito crítico mais alto e crítico nível de • Resolução de problemas raciocínio do estudante • Questionamento (Zoller, 1987; Pedrosa de Jesus et al, 2003; Almeida et al, 2010) Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  6. 6. + 1. Projeto b. Enquadramento (3/5) Vantagens do desenvolvimento da competência de Questionamento Promoção do Pode melhorar Pode melhorar espírito de qualidade do qualidade da questionamento ensino aprendizagem dos estudantes Através do incentivo à formulação de questões em momentos de avaliação, os alunos sentem uma evolução positiva: capacidade para comunicar capacidade para integrar factos pensamento crítico (Wilson, 2004) motivação para leituras adicionais Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  7. 7. + 1. Projeto b. Enquadramento (4/5) Vantagens do questionamento em ambientes online favorecem - aprendizagem Atividades que requerem a - avaliação formulação online de promovem - aprendizagem ativa (Barak & Rafaeli, 2004) questões - crítica construtiva - partilha de conhecimentos O estímulo ao questionamento dos estudantes, através dos recursos multimédia online, atribuindo aos alunos funções de formuladores, críticos e adaptadores das questões de colegas, resulta em aprendizagens mais motivantes, com maior potencial cognitivo. (Yu et al, 2005) Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  8. 8. + 1. Projeto b. Enquadramento (5/5)Questionamento segundo o géneroReconhecida existência de diferenças de género na comunicação verbal. (Tannen, 1990; Wood, 2009) Poucas pesquisas e não consensuais: Raparigas Rapazes têm Rapazes colocam Não é colocam (+) (-) receio de e respondem a (+) claro qual questões do que colocar questões do que dos sexos rapazes em questões do raparigas em coloca (+) ambientes que raparigas ambientes online questões presenciais (Pearson et al, 1995) (Jones et al, 2000) (Blum, 1999) (Blum, 1999) Em Portugal… Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  9. 9. + 1. Projeto c. Objetivos (1/2) (i) Identificar e caracterizar perfis de questionamento (número e tipo de perguntas) de rapazes e raparigas na Química, no 1º ano universitário, em ambientes presenciais e ambientes online; (ii) Identificar e caracterizar abordagens à aprendizagem de rapazes e raparigas na aprendizagem de Química, no 1º ano universitário; (iii) Identificar concepções de rapazes e de raparigas sobre o papel do questionamento no processo de ensino, aprendizagem e avaliação; (iv) Identificar e caracterizar relações entre o perfil de questionamento dos estudantes (rapazes e raparigas) e o seu papel no processo de construção de conhecimento (processo de ensino, aprendizagem e avaliação); Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  10. 10. + 1. Projeto c. Objetivos (2/2) (v) Analisar a relação entre perfis de questionamento de rapazes e raparigas e as classificações da disciplina de Química; (vi) Conceber, produzir, implementar e avaliar estratégias de ensino, aprendizagem e avaliação com vista à promoção da competência de questionamento dos estudantes, e à optimização da aprendizagem de rapazes e raparigas, em contexto universitário; (vii) Analisar as implicações das estratégias de ensino, aprendizagem e avaliação de incentivo ao questionamento nas abordagens à aprendizagem dos estudantes de ambos os géneros. Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  11. 11. + 1. Projeto d. Questões de Investigação (1/2) Principais • Que diferenças existem entre os perfis de questionamento das alunas e dos alunos de Química, no 1º ano universitário? • Que estratégias e práticas de ensino podem promover o questionamento dos estudantes, consoante o género, com vista a optimizar a aprendizagem de Química, no Ensino Universitário? Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  12. 12. + 1. Projeto d. Questões de Investigação (2/2) Secundárias • De que forma é que as concepções dos rapazes e das raparigas sobre o papel do questionamento no processo de ensino, aprendizagem e avaliação condicionam os seus perfis de questionamento? • Qual a influência que diferentes ambientes de aprendizagem (presencial ou online) exercem sobre o perfil de questionamento de rapazes e raparigas? • De que modo a utilização de estratégias promotoras do questionamento dos estudantes se reflete na abordagem à aprendizagem (tendencialmente mais profunda ou superficial) de rapazes e raparigas? • As classificações obtidas pelos estudantes (raparigas e rapazes) são influenciadas pelos seus perfis de questionamento? Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  13. 13. + 1. Projeto e. Metodologia (1/5)  Natureza da investigação: abordagem naturalista – etnográfica  Unidade de estudo: uma turma de 1º ano de “STE” (EQF, QG)  Método: Misto (qualitativo e quantitativo)  Técnicas de recolha: inquérito, observação e análise documental  Instrumentos: - guiões de entrevistas semiestruturadas - guiões de focus groups - grelhas de observação (não-participante) - gravação áudio e vídeo - diário do investigador - grelhas de registo de interações online - questionário (validado e traduzido) – ASSIST (Approaches and Study Skills Inventory for Students) Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  14. 14. + 1. Projeto e. Metodologia (2/5)  Atividades a desenvolver nas 3 fases da investigação - 1ª FASE (Março - Agosto 2011) • Revisão bibliográfica crítica; • Preparação dos instrumentos de recolha de dados; • Concepção de estratégias de ensino, aprendizagem e avaliação a implementar, quer em ambiente presencial, como em ambiente online. Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  15. 15. + 1. Projeto e. Metodologia (3/5)  Atividades a desenvolver nas 3 fases da investigação - 2ª FASE (Setembro 2011 – Janeiro 2013) Estudo-piloto: • Aplicação dos instrumentos na UC do 1º ano (1º sem.), EQF; observação aulas realização de focus groups análise interações online aplicação de questionários • Implementação, teste e validação de estratégias de ensino, aprendizagem e avaliação e dos instrumentos e técnicas de recolha; Mariana Martinho • Alteração e aperfeiçoamento dos anteriores. SIME (2ºano) - 24.02.2012
  16. 16. + 1. Projeto e. Metodologia (4/5)  Atividades a desenvolver nas 3 fases da investigação - 2ª FASE (Setembro 2011 – Janeiro 2013) Estudo-principal: • Aplicação dos instrumentos já aplicados, e entretanto aperfeiçoados, agora na UC do 1º ano (2º sem.), QG Entrevistas a alunos Entrevistas a professores • Momentos de debate e reflexão conjunta com docentes da disciplina • Tratamento e análise de dados Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  17. 17. + 1. Projeto e. Metodologia (5/5)  Atividades a desenvolver nas 3 fases da investigação - 3ª FASE (Janeiro 2013 – Dezembro 2014) • Análise integrada dos dados recolhidos durante estudo-piloto e estudo principal; • Escrita e apresentação da tese. Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  18. 18. + 1. Projeto f. Cronograma e ponto da situação
  19. 19. + 2. Disseminação  Artigo em revista internacional indexada Martinho, M., Almeida, P. & Teixeira-Dias, J. (in press). Students questions in Higher Education chemistry classes according to their gender. Procedia - Social and Behavioral Sciences.  Comunicação oral, apresentada numa summer school Martinho, M. (2011). Students’ questions in Higher Education Chemistry classes according to their gender. Apresentado na Summer School “Learning cultures, cultures of learning”, Universidade de Roskilde, Roskilde, Dinamarca, 15-19 de Agosto.  Comunicação em póster, apresentada num congresso internacional Martinho, M., Albergaria-Almeida, P. & Teixeira-Dias, J. J. C. (2011). Students’ questions in Higher Education Chemistry classes according to their gender. Póster apresentado na International Conference Science, Technology, Higher Education, and Society in the Conceptual Age (STHESCA), Cracóvia, 5 a 7 de Julho. Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  20. 20. + 3. Outras formações… a. … enquanto formanda  Summer school: “Learning cultures, cultures of learning”, Universidade de Roskilde, Dinamarca (15-19.08.2011)  Workshops, conferências e seminários: - Media Day do ICEM, workshop “iPad na Educação” (27.09.2011) - Conferência “Em causa: aprender a aprender”, integrada no Ciclo de Conferências “Questões-Chave da Educação ’11” (11.10.2011) - Seminário “Applying technological solutions to learning problems”, pela Professora Marina McIsaac (21.10.2011) - Seminário "Educational technologies in a time of crisis”, pelos professores Marina McIsaac e Piet Kommers (25.10.2011) Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  21. 21. + 3. Outras formações… b. … enquanto formadora  Escola Secundária Homem Cristo, Física e Química A, 11º ano (Set–Out 2011)  Timor-Leste, formação de professores do curso de bacharelato noturno, na área de Química (Nov–Dez 2011)  Formação prevista pelo Centro de Competências TIC da UA Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  22. 22. + 3. Outras formações… c. … publicações resultantes  Martinho, M. (2011). Sebenta de apoio à 8ª edição do curso de bacharelato para professores de Química no âmbito do plano de formação do bacharelato em Timor-Leste ao abrigo de protocolo celebrado entre a Universidade de Aveiro e o Instituto de Formação de Docentes e Profissionais da Educação (INFORDEPE). Mariana Martinho SIME (2ºano) - 24.02.2012
  23. 23. + “Lego / PhD” Março 2011 Setembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2011 Junho 2012 (início) (aplicação de (dados recolhidos) (tratamento de dados) (dados recolhidos) instrumentos) Fevereiro 2013 Junho 2014 Dezembro 2014(tratamento de dados) (análise de dados) (escrita, disseminação e apresentação)
  24. 24. + OBRIGADA!

×