Antropologia

3,459 views

Published on

Plano de Ensino da disciplina Antropologia, do curso de graduação em Direito na Faculdade Cambury (Goiânia, GO).

Published in: Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,459
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
14
Actions
Shares
0
Downloads
43
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Antropologia

  1. 1. MARCELO RODRIGUES SOUZA RIBEIRO ESCOLA DE DIREITO - FACULDADE CAMBURY - 2010/2º Direito Antropologia http://incinerrante.com/antropologia-direito/ 32 horas-aula Marcelo Rodrigues Souza Ribeiro Primeiro marcelo@incinerrante.com períodoEmentaConceitos básicos da antropologia: cultura, alteridade, diversidade cultural,etnocentrismo, relativismo cultural. O método etnográfico. O conceito de identidade ede identidade étnica. Os territórios étnicos (indígenas e quilombolas). Antropologia,direitos humanos e ética.ObjetivosA disciplina de Antropologia busca apresentar a antropologia e sua abordagem da vidasocial e cultural da humanidade, com os seguintes objetivos:1. Definir os principais conceitos da antropologia: cultura; identidade, diversidade, etnocentrismo e relativismo cultural.2. Delinear o campo da antropologia do direito ou antropologia jurídica.3. Propor formas de relação entre antropologia e direito: interdisciplinaridade e interculturalidade.4. Analisar e compreender os discursos e práticas em torno dos direitos humanos de uma perspectiva antropológica e multicultural.Para isso, serão apresentadas as críticas da antropologia às diversas formas e graus dedeterminismo biológico, no intuito de problematizar feixes de questões comoterritorialidade, etnia, raça, religiosidade, gênero e sexualidade, articulando a perspectivaantropológica a alguns dos principais embates jurídicos contemporâneos.Conteúdo programáticoUnidade 1: Introdução à antropologia1.1) A antropologia no quadro dos saberes1.1.1) Diferenças entre ciências naturais e ciências sociais1.2) Conceitos fundamentais da teoria antropológica contemporânea1.2.1) A cultura como organização simbólica da experiência e da ação humana1.2.2) Diversidade, relativismo e diferença cultural1.2.3) Etnocentrismo e identidade cultural1.3) Temas para debate na articulação entre antropologia e direito PÁGINA 1 DE 4 PLANO DE ENSINO DE ANTROPOLOGIA (DIREITO)
  2. 2. MARCELO RODRIGUES SOUZA RIBEIRO ESCOLA DE DIREITO - FACULDADE CAMBURY - 2010/2º1.3.1) Território, territorialidades e socialidades subalternas da nação brasileira: associedades indígenas e os “remanescentes das comunidades dos quilombos”1.3.2) Raça, racismo e ações afirmativas: as cotas para negros e índios1.3.3) Gênero e sexualidade: o pessoal é o político1.3.4) Religião, liberdade e (in)tolerância: público e privado na sociedade do espetáculoUnidade 2: Antropologia jurídica, direitos humanos e ética2.1) Direitos humanos e ética numa perspectiva multicultural2.1.1) Panorama histórico da emergência dos direitos humanos como tema na agendainternacional2.1.2) Cosmopolitismo multicultural: as articulações e as disjunções entre globalização elocalidade, entre universalismo e particularismo2.1.3) Ética, lei e moral como princípios diferentes2.1.4) O pluralismo jurídico como direito ao próprio direitoMetodologiaAs 32 horas-aula da disciplina serão (ou poderão ser) dedicadas a: • aulas expositivas e dialógicas baseadas em textos selecionados da bibliografia, com eventual exibição de imagens (entre outros recursos) e discussão em sala; • seminários de apresentação de textos por parte de estudantes; • exercícios em sala, resumos, resenhas e pesquisas sobre temas, autores e outras questões, podendo resultar em parte (de 10% a 30%) das notas de N1 e N2 (ver explicações no próximo item), que valem de 0,0 a 10,0; • provas individuais e sem consulta, resultando em parte ou na totalidade nas notas de N1 e N2, assim como na nota de N3 (exame final, valendo de 0,0 a 10,0 – ver explicações no próximo item). As provas e o exame final conterão tanto questões objetivas (estilo múltipla escolha ou verdadeiro-falso) quanto questões discursivas, incluindo questões conforme o modelo do ENADE.Como atividades complementares, serão ou poderão ser realizados: • discussões via internet por meio de fóruns, chats e outros procedimentos, no Espaço Virtual de Estudos que se encontra em http://incinerrante.com/eve/ • saídas para: museus e/ou galerias de exposição de arte e fotografia; sessões regulares, mostras e/ou festivais de cinema; palestras, oficinas e eventos relacionados à disciplina.Cada estudante deverá realizar o cadastramento de usuário ao acessar o Espaço Virtualde Estudos pela primeira vez, definindo um nome de usuário e uma senha pessoal(composta de letras e números, com um mínimo de oito caracteres) de sua preferência.Além disso, apenas no primeiro acesso à área específica para a disciplina de PÁGINA 2 DE 4 PLANO DE ENSINO DE ANTROPOLOGIA (DIREITO)
  3. 3. MARCELO RODRIGUES SOUZA RIBEIRO ESCOLA DE DIREITO - FACULDADE CAMBURY - 2010/2ºAntropologia, deverá ser informado o código de inscrição divulgado em sala de aula.Qualquer problema ou dúvida, basta entrar em contato com o professor.Tanto as atividades no Espaço Virtual de Estudos quanto as saídas, sempre que foremrealizadas, poderão resultar em parte (de 10% a 30%) das notas de N1 e N2.O calendário de aulas e atividades, incluindo informações sobre as avaliações, serádivulgado oportunamente por meio do Espaço Virtual de Estudos e na pasta dadisciplina na fotocopiadora.Avaliações e critérios para aprovação1. A frequência mínima é de 75% da carga horária, o que corresponde a 24 horas-aula. Qualquer estudante que faltar a mais de 25% das aulas, ou 8 horas-aula, está automaticamente reprovado/a.2. A média geral mínima para aprovação é de 7,0 pontos. Isso significa que a média aritmética das notas de N1 e N2 deverá ser maior ou igual a 7,0 para aprovação.3. Caso não alcance a média mínima para aprovação, o estudante poderá realizar o exame final (N3), que consiste numa prova individual e sem consulta, com questões objetivas e discursivas, sobre todo o conteúdo programático do curso. Para aprovação, a média aritmética da nota de N3 e da média de N1 e N2 deverá ser maior ou igual a 5,0.Bibliografia básicaDA MATTA, Roberto. Relativizando: uma introdução à antropologia social. Rio deJaneiro: Rocco, 1991.LAPLANTINE, François. Aprender antropologia. São Paulo: Brasiliense, 1994.LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Zahar,1997.Bibliografia complementarCUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC, 2002.GEERTZ, Clifford. A transição para humanidade. In: TAX, Sol (org.). Panorama daantropologia. Rio de Janeiro, São Paulo, Lisboa: Fundo de Cultura, 1966.GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A,2003.LEITE, Ilka Boaventura. Questões éticas da pesquisa antropológica na interlocução como campo jurídico. In: VÍCTORA, Ceres; OLIVEN, Ruben George; MACIEL, MariaEunice; ORO, Ari Pedro (orgs.). Antropologia e ética: o debate atual no Brasil. Niterói:EdUFF, 2004, p. 65-72. Disponível em: http://www.abant.org.br/.LÉVI-STRAUSS, Claude. Raça e história. In: __________. Antropologia EstruturalDois. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 1993. PÁGINA 3 DE 4 PLANO DE ENSINO DE ANTROPOLOGIA (DIREITO)
  4. 4. MARCELO RODRIGUES SOUZA RIBEIRO ESCOLA DE DIREITO - FACULDADE CAMBURY - 2010/2ºNOVAES, Regina (org.). Direitos humanos: temas e perspectivas. Rio de Janeiro:Mauad, 2001.NOVAES, Regina R.; LIMA, Roberto Kant de (orgs.). Antropologia e direitoshumanos. Niterói: EdUFF, 2001. Disponível em: http://www.abant.org.br/.ROCHA, Everardo. O que é etnocentrismo. São Paulo: Brasiliense, 2006.SALOMON, Marlon; SILVA, Joana Aparecida Fernandes; ROCHA, Leandro Mendes.Processos de territorialização: entre a história e a antropologia. Goiânia: Ed. da UCG,2005.SANTOS, Boaventura de Sousa (org.). Reconhecer para libertar: os caminhos docosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira: 2003.SEGATO, Rita Laura. Antropologia e direitos humanos: alteridade e ética nomovimento de expansão dos direitos universais. Mana, v. 12, n. 1, 2006, p. 207-236.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/mana/v12n1/a08v12n1.pdf.SILVA, Aracy Lopes da; GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. A temática indígena naescola. Brasília: MEC/MARI/UNESCO, 1995.SILVA, Joana Aparecida Fernandes (org.). Dossiê: Identidade indígena e território.Sociedade e Cultura: revista de pesquisas e debates em ciências sociais, v. 6, n. 2, jul/dez de 2003. Goiânia: Departamento de Ciências Sociais, FCHF/UFG, 2005. Disponívelem: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fchf/issue/view/397SILVA, Tomaz Tadeu da (org.). Identidade e diferença. Petrópolis: Vozes, 2000.Artigos em periódicos diversos disponíveis em http://www.scielo.br/. PÁGINA 4 DE 4 PLANO DE ENSINO DE ANTROPOLOGIA (DIREITO)

×