Curso Refresh/ Perestroika

1,172 views

Published on

Aula: Economia Criativa e as oportunidades de futuro que ela traz
Porto Alegre, RS, 03 de Julho de 2012.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,172
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Curso Refresh/ Perestroika

  1. 1. Economia Criativa e o Futuro que ela traz Perestroika - Refresh Porto Alegre, 3 de julho de 2012 Lala Deheinzelin Enthusiasmo Cultural www.laladeheinzelin.com www.criefuturos.com
  2. 2. Especialista em Economia Criativa, Sustentabilidade e Futuros DesenvolvimentoCriatividade e Cultura Sustentável Corporações Terceiro Comunicação Setor ONGs Linguagens Artísticas Governos Desenvolvimento Local Sociedade Cooperação em Rede Internacional Empreendedorismo Estudos de Futuro
  3. 3. Por que falamos de FUTURO ? Pois ... .... ele é fruto dos sonhos do passado e escolhas do presenteLala Deheinzelin , 2011
  4. 4. Vendo o “passado doFuturo” fica claro que opresente é fruto do quesemeamos no imaginário.Home theater …France- 1883
  5. 5. 1906, o bisavô do twitter ou SMS : “telégrafo wireless, permitedeclarações de amor à distância… Lala Deheinzelin , 2012
  6. 6. 1912, França Lala Deheinzelin , 2012
  7. 7. Imaginamos internet, skype , antenas , mega cidades 1921-EUA
  8. 8. São dezenas de imagens que sonharam as telecomunicações atuais Anos 30 - EUA Popular Mechanics Mechanics Today Lala Deheinzelin , 2012
  9. 9. São dezenas de imagens que sonharam as tecnologias atuais Flash Gordon 1937Lala Deheinzelin , 2012
  10. 10. Diagnóstico e tratamento de saúde por ondas eletromagnéticas 1923-EUA 1921-EUA Lala Deheinzelin , 2011
  11. 11. Sonhamos cidades em escala inumana eo domínio do automóvel Amazing stories 1932 -EUA 1939-EUA
  12. 12. Computadores individuais na sala de aula + manutenção do esquema escolar tradicionalMudam os produtos… Mas não mudam os processos Lala Deheinzelin , 2012
  13. 13. CRIE FUTUROS:Futuros desejáveis, sonhos, geram inovação e mudança de modelo www.criefuturos.com
  14. 14. Que tal transportar cidades de uma local para outro ?Lala Deheinzelin , 2012
  15. 15. Tatorantes: sofisticadas experiências para os cinco sentidos... Angela Léon, 2012
  16. 16. Futuros desejáveis para a vida em 2042ganhar – governar – habitar – cuidar - educar - relacionar
  17. 17. Por que falamos de FUTURO ? Pois... .... o futuro chega cada vez mais rápido. Estamos cometendo equívocos?Lala Deheinzelin , 2011
  18. 18. Século XIX – Londres, fraldas para cavalos? Século XX – Carros substituem cavalos ... Século XXI – É importante evitar “fraldas decavalos”, evitar trabalhar com premissas do passado... Lala Deheinzelin , 2012
  19. 19. Visão de futuro ? Pois ... .... Podemos estar deixando de ver muita coisa ...Lala Deheinzelin , 2012
  20. 20. FÍSICO – NATURAL Bio Diversidade TANGÍVEL “HARDWARE” VISÃO SISTÊMICASISTEMAS INTERDEPENDENTES SÓCIOCULTURAL Diversidade Cultural INTANGÍVEL “SOFTWARE”
  21. 21. Ecossistema SOCIEDADEinterdependente: IntangívelDuas coordenadas “Software” equivalentes PROCESSUAL USAR AMBIENTE Tangível “Hardware” ESTRUTURAL TER
  22. 22. SÓCIO - POLÍTICA Intangível Direitos + Governabilidade 4 dimensões da ECONÔMICA vida Monetária + Solidária ECONOMIA 4D AMBIENTAL SUSTENTABILIDADENatural + Tecnológico 4D Tangível SIMBÓLICO - CULTURAL Conhecimento + Cultura
  23. 23. TEMPO recurso escasso e não renovável SUSTENTABILIDADE Modus Operandi séc XXI 4 FORÇAS MOLDANDO O FUTUROSOCIEDADE EM REDE Descentralização DESMATERIALIZAÇÃO Centralidade do Intangível
  24. 24. No passado, o pensamento econômico e social vigente criava justificativas para a escravidão. Hoje , ter escravos é impensável...Num futuro próximo, é provável que “sustentável “ deixe de ser um adjetivo opcional e seja o modus operandi que vai embasar todos os aspectos da vida. Mas... Sustentabilidade como? Lala Deheinzelin , 2012
  25. 25. COLABORATIVO, REDES RIQUEZAModelos de negócios e chave: ampliar MULTIDIMENSIONAL 4D organização humana conceito e Patrimônios Sociais, indicadores de riqueza Culturais, Econômicos, Ambientais 4D intangíveis + novas tecnologias resultam em 4 PILARES DE UMA ECONOMIANOVAS TECNOLOGIAS DA PATRIMÔNIOS ABUNDÂNCIA Muitos mundos INTANGÍVEIS virtuais, Excedente Ativos Intangíveis, Cognitivo Diversidade Cultural, tornam-se visíveis e Experiência operacionais graças a
  26. 26. 4 Pilares de uma Economia da Abundância Lala Deheinzelin , 2012
  27. 27. DESMATERIALIZAÇÃO Centralidade do Intangível4 PILARES DE UMA ECONOMIA DA PATRIMÔNIOSABUNDÂNCIA INTANGÍVEIS Ativos Intangíveis, Diversidade Cultural, Experiência Lala Deheinzelin , 2012
  28. 28. SÉCULO XXI O INTANGÍVEL VALE MAIS QUE O TANGÍVEL Marcas mais valiosas lidam com intangíveis 75% DO VALOR DE UM PRODUTO ESTÁ EM SEUS INTANGÍVEIS Ladislaw Dowbor72% das capas de revistas brasileiras e internacionais tratam de intangíveis Daniel Domeneghetti
  29. 29. AVALIAÇÃO DE INTANGÍVEIS Valor de mercado das Empresas de Capital Aberto, Brasil Ano Intangíveis Tangíveis 1981 17% 86% 1998 71% 29% Gazeta Mercantil 10/06/08O que garante o valor de uma empresa é sua longevidade, sua capacidade de manter-se no mercado . Isso depende de sua “inteligência”, seus intangíveis .“
  30. 30. CAPITAL INTELECTUAL CAPITAL DE RELACIONAMENTOPatentes Negociação co fornecedoresP&D (Pesquisa e Desenvolvimento) Fidelidade dos ClientesCriatividade Relação com ImprensaInteligência Competitiva Acesso à CréditosLiderança Relação com AcionistasInovação Relação com ComunidadeConhecimento ATIVOS Relação com ColaboradoresTeses, Modelos, Metodologias INTANGÍVEIS Relação com Concorrentes Rotatividade de PessoalCAPITAL ORGANIZACIONAL Alianças e ParceriasModelo de negócio Lobby PolíticoGestão de Conhecimento CAPITAL INSTITUCIONALCRM (Gestão de Relacionamento com Marcas, SímbolosClientes) Imagem, ReputaçãoSIGE (Sistemas Integrados de Gestão Embaixadores CorporativosEmpresarial) Responsabilidade SocialProcesso de Seleção Feitos, MitosProcesso de Treinamento Daniel Domeneghetti, E- Consulting
  31. 31. Mas, quê inovação ? Nova Perspectiva - Poder do “Soft”, intangível PODER NACIONAL PODER “SOFT” – INTANGÍVEIS PODER “HARD” – TANGÍVEIS Funcionalidade Integração Estrutura MULTI CAPITAIS • Capital Natural Poder Econômico • Capital Social •Capital Humano CAPITAL “HARD” • Capital Cultural • Recursos materiais • Capital financeiro CAPACIDADE DE INOVAÇÃO SOFT TECH• Tecnologias de gestão organizacional Poder da Defesa Nacional• Tecnologias r de comercialização• Tecnologias diplomáticas Poder Hard” Tech• Tecnologias do conhecimento etc... AMBIENTE “HARD” AMBIENTE DE INOVAÇÃO SOFT TECH Infra – estrutura• Ambiente institucional: Base Industrialpolíticas, leis, regulamentação , indicadores Matéria Prima• Ambiente cultural outros “tangíveis”• Mercado local e internacional• Infraestrutura adequada para o intangível Jin Zhouying, Academy of Soft Technologies, Beijing, 2009
  32. 32. Mudança de Era RECURSOS NATURAIS, BENS MATERIAIS Tangível = Finito CONSUMIDOS COM O USO Economia da Escassez COMPETIÇÃOCRIATIVIDADE, CONHECIMENTO, EXPERIÊNCIA Intangível = Infinito MULTIPLICADOS COM O USO Economia da Abundância COLABORAÇÃO Lala Deheinzelin , 2012
  33. 33. Reserva de valor identificado e acessível Riqueza e TANGÍVEL qualidade de Economia TradicionalEx: Poço de petróleo vida Minas de minério processo adiciona valor Terras Reserva de valor identificado e acessível INTANGÍVEL Riqueza e Economia Criativa qualidade de valores de marca Diversidade cultural processo adiciona valor vida Conhecimento Experiências Tangível + Intangível MAIOR VALOR Lala Deheinzelin , 2012
  34. 34. Valor agregado por intangíveisMatéria Prima :Grão de Café : US$ 0, 1Produto:Pó de Café:US$ 0, 3A qualidade Da EXPERIÊNCIAmuda o valorServiço:Na lanchonete: US$ 1Experiência:No restaurante 5 * : US$ 5No Café Florian, Praça São Marcos, Veneza: US$ 15Diversidade é a chave .
  35. 35. Produtos e Serviços hoje: experiências Lala Deheinzelin , 2011
  36. 36. Economia Criativa: ciclo de geração de valor, que através de etapas onde ocorrem sinergias com outras áreas, ativa e concretiza as reservas de valor/patrimônios intangíveis + Produto Produto Marketing + 4$ 2$ Comunicação + Design Produto ECONOMIA CRIATIVA SÓ É POSSÍVEL ATRAVÉS DE AÇÃO INTEGRADA 8$ ESTA É A SUA NATUREZA Produto + $ Distribuidor
  37. 37. Processo integrado gera VALOR Adicionado Maior a qualidade e diversidade da experiência , maior o valorAlgodão Confecção Moda Alta Moda1kg= 1U$ 1kg= 20U$ 1kg= 200 U$ 1kg= 8000 U$
  38. 38. ECONOMIA CRIATIVA Economia cujo valor é criado a partir de recursos intangíveis : cultura, conhecimento, experiência , design, atributos,marca , reputação. pesquisa É uma chave para todo tipo de empreendimento CIDADES E TERRITÓRIOS CRIATIVOS INDÚSTRIA CRIATIVA Artes + Indústria Conteúdo + Serviços Criativos ARTES (o que chamamos “cultura”)Lala Deheinzelin , 2012
  39. 39. Alguns exemplos, cidades e territórios criativos• Barcelona pós Olimpíada de 1992 : economia criativa representa quase 25% do PIB da cidade• Nova Órleans : política prioritária de recuperação e desenvolvimento do estado, após a catástrofe do Katrina.• Colômbia: priorizar os intangíveis – educação e cultura – foi a maneira que o país encontrou para as questões de violência e drogas. Medellín e Bogotá são referência internacionais, investindo 40% de seus orçamentos em cultura e educação.•
  40. 40. P&D, Design Cultura e Mídia Consultoria Software Serviços de Internet Mercado Editorial ConsultoriaInformatização dos Serviços Museus Pesquisa de Mercado Artes e Artesanato Televisão, Difusão, Filmes e Convenções e ExposiçõesPesquisa & Desenvolvimento Audiovisual Consultoria em segurança Publicidade Literatura e Serviços ligados à Seguros Propriedade Intelectual Artes performáticas Serviços de Inovação e Tecnologia Serviços ligados à Arte e Cultura Arquitetura e Moda e Estilo de VidaPlanejamento Urbano Serviços De Beleza Serviços de Casamento/ Festas Indústrias Criativas Planejamento Urbano Fotografia em Shanghai Decoração Entretenimento em espaços fechados Lazer e recreação Serviços Turísticos
  41. 41. Patrimônios Intangíveis são estratégicos Dependem da diversidade cultural = Diversidade de experiências
  42. 42. TRANSFORMAR PROBLEMAS EM SOLUÇÕES Barbacena, Minas GeraisCidade estigmatizada por ter um enorme manicômio
  43. 43. Cabaceiras, Paraíba“Problemas” transformados em solução Seca – bom pra filmagens Atraso – cidade cenário
  44. 44. Criatividade, Conhecimento e Cultura Economia Criativa RECURSOS QUE SE RENOVAM E MULTIPLICAM COM O USOSÓ ESTE FATO JÁ DEVERIA FAZER COM QUE FOSSEM PRIORIDADE ESTRATÉGICA E CHAVE PARA A SUSTENTABILIDADE Lala Deheinzelin , 2012
  45. 45. • Valor estará em experiências diferenciadas - e diversas.• Centralidade do Intangível traz a possibilidade de passar do TER ( economia de consumo) ao USAR ( economia da fruição)• Reconhecer o valor do que é local e próprio para garantir essa diversidade de experiências.• Economia de Nicho: diversidade + experiência resultam em muitas oportunidades de nichos – diversificação
  46. 46. SOCIEDADE EM REDE Descentralização 4 PILARES DE UMA ECONOMIANOVAS TECNOLOGIAS DA ABUNDÂNCIA Muitos mundos virtuais, Excedente Cognitivo
  47. 47. EXCEDENTE COGNITIVO, Clay Shirky, A cultura da Participação WIKIPEDIA = 100 milhões de horas !!! = comerciais na TV nos EUA em um fim de semana... Mundo: 1 trilhão de horas /ano na TV !!!Imagine tudo o que podemos fazer com essas horas de “excedente cognitivo” ? Democracia real – movimentos descentralizados
  48. 48. Passado - Centralizado Futuro - Em redeDe poucos para muitos De muitos para muitos• Economia de Escala ( Corp) • Economia de Nicho ( MPEs) o Gera PIB o Gera emprego e renda o Especialização o Diversificação• Mídia e Consumo de Massa • Mídia e consumo autoral• Público passivo (consumidor) • Público co-criador ( prosumer)• Público vem até nós • Vamos até o público• Setorial • Territorial• Ter • Usar• Competição • ColaboraçãoLala Deheinzelin , 2012
  49. 49. Ex:Transparência Hacker e Cruzalinhas Lala Deheinzelin , 2012
  50. 50. Ex:Transparência Hacker e Cruzalinhas Lala Deheinzelin , 2012
  51. 51. Cartão para permuta de serviços 2009 – 75.000 negócios no mundoNegociou US$ 2 bilhões , 20% + que em 2008
  52. 52. Em 1900, sonhamos calçadas que andam (lógico!!) mas isso não evoluiu,porque pensamos na forma ( carro) e não na função (transporte) . Lala Deheinzelin , 2012
  53. 53. Algumas tendências - Novas Tecnologias • Pensar na Função e se re-inventar à medida que mudam os suportes, a Forma – Ex: carro ( forma) ou transporte (função) • Massa X Pessoal • Prosumer - interativo • Produção on demand • Desafio da web agora é qualificar, tornar acessível – como ser achado no mar de possibilidades? Lala Deheinzelin , 2012
  54. 54. COLABORATIVO, REDESNovos modelos de negócios e organização humana Do Ter ao Usar TEMPO recurso escasso e não renovável 4 PILARES DE UMA ECONOMIA DA ABUNDÂNCIA
  55. 55. TEMPO único recurso não renovável Da “conquista do espaço à conquista do tempo”No Tempo acontece tudo que dá sentido à vida Vínculos, aprendizado, profundidade.Sustentabilidade é permanecer no Tempo Lala Deheinzelin , 2012
  56. 56. ECONOMIA TRADICIONAL Não considera a variável TEMPO José Eli da Veiga PRESENTE Curto Prazo FUTUROPASSADO Imediatista Insustentável Recursos Legado( Tangíveis e ( Tangíveis eIntangíveis ) Intangíveis )
  57. 57. Exemplo: PreçoSUSTENTABILIDADE da gasolina Considerar avariável TEMPO FUTURO Legado nas 4 dimensões SUSTENTABILIDADE PASSADO PRESENTE Recursos Escolhas conscientes nas 4 dimensões Lala Deheinzelin , 2012
  58. 58. Para Ganhar Tempo.... Para ganhar Tudo... TEMPOúnico recurso não renovável Colaboração Produção Colaborativa Novos Modelos Novas Tecnologias Lala Deheinzelin , 2012
  59. 59. Formas de organização colaborativasFeiras, compras de material equipamentos, divulgação Lala Deheinzelin , 2011
  60. 60. Do TER, ao USARCompartilhar o excedente de tempo, espaços,objetos, habilidades, conhecimento.Novos negócios “software”:usam estruturas ou materiais existentes e entram com a “inteligência” Lala Deheinzelin , 2012
  61. 61. www.meshing.it Negócios Mesh = Trama Do ter, ao usarArvores de Natal, Casas em FériasUso compartilhado de automóveis Lala Deheinzelin , 2012
  62. 62. Inventar mídias sustentáveis Jornal Cultural em Saco de pão• Otimiza recursos• Cria novos veículos• Gera novos públicos Lala Deheinzelin , 2011
  63. 63. RIQUEZA MULTIDIMENSIONAL 4D Patrimônios Recursos, resultados e valor 4D Sociais, Culturais, Financeiros e4 PILARES DE Ambientais UMA ECONOMIA DAABUNDÂNCIA SUSTENTABILIDADE Modus Operandi séc XXI
  64. 64. Como medir a Economia Criativa?Percebemos que o Patinho Feio é cisne... ...desde que se saiba o que está medindo... Setor? Atividade? Ex: dança e dançar Lala Deheinzelin , 2011
  65. 65. Sistema Produtivo Total na Sociedade Industrial (Bolo em camadas, com cobertura) PIB do Setor privado se apóia em PIB- Monetizado ½ do bolo Setor privado duas camadass PIB do Setor Público superiores Setor Público se apóia em Economia Informal Economia da Soldariedade Social e Colaborativo Não -Monetizado “Love Economy”½ Produtiva do Bolo se apóia emDuas camadas inferiores Mãe Natureza Natureza e seus recursos All rights reserved. www.ethicalmarkets.com www.ethicalmarkets.tv Copyright© 1982 Hazel Henderson
  66. 66. Novos Indicadores para avaliar Riqueza e Sustentabilidade Exemplo: FIB • Felicidade Interna BrutaCompendio de Sustentabilidade das Nações. Anne Louette Português e Inglês www.compendiosustentabilidade.com.br Lala Deheinzelin , 2012
  67. 67. SUSTENTABILIDADE 4D+ SÓCIO - POLÍTICA ( 4 dimensões da vida) Direitos + Governabilidade Economia 4D+ (4 tipos de riquezas) Intangível Valor “muda de estado” em AMBIENTAL cada ECONÔMICANatural + Tecnológico dimensão Monetária + Solidária Tangível SIMBÓLICO - CULTURAL Conhecimento + Cultura
  68. 68. Hazel Henderson, Economia da 2008 solidariedade US$ 16 trilhõesServiços feitos pelo Planeta SÓCIO POLÍTICO US$ 34 trilhões AMBIENTAL Soma é MAIOR do que o PIB mundial $? 2008 ECONÔMICO CULTURAL SIMBÓLICO
  69. 69. SÓCIO - POLÍTICA ECONÔMICADIREITOS + GOVERNABILIDADE MONETÁRIA + SOLIDÁRIAConexões, contatos, acesso InvestimentoRepresentação política Financiamento, CréditoReputação, visibilidade Mercados/ distribuiçãoInstitucionalidade PermutasArticulação/aliançasAção coordenada Voluntariado, Banco de horas Moedas complementares RECURSOSAMBIENTAL 4D SIMBÓLICO - CULTURALNATURAL + TECNOLÓGICO CONHECIMENTO + CULTURABio diversidade, natureza Conhecimento formalMatérias primas e resíduos Saberes e FazeresEspaços, estrutura, equipamentos Reputação/ marcaCorpo e saúde HistóriaTecnologias “Hard” Linguagens artísticas Tecnologias “Soft”
  70. 70. riquezasconsiderando avariável TEMPO deixo para o FUTURO Valor: Patrimônios 4D + ou - Impactos 4D Sustentabilidade 4 D + Economia 4D + recebo do gero no PASSADO PRESENTE Recursos 4D+ Resultados 4 D+ Soma é = Soma é = Patrimônios 4D+ Impactos 4D+
  71. 71. SER ou ESTAR, eis a questão... SOMOS ricos...Por que não ESTAMOS ricos? Lala Deheinzelin , 2012
  72. 72. Ser ou Estar, eis a questão….Japão:País que é “Pobre” , mas está rico. Por quê? Capital Social ativa outros capitaisExemplo: Tsunami , Celebração centenário .Principais recursos: voluntários
  73. 73. RIQUEZA MULTIDIMENSIONAL• Tangibilizar o intangível• Mudar maneiras de “medir”, com “réguas” adequadas ( métricas para o tangível não servem ao intangível )• Criar novas métricas e indicadores para valor e resultados, nas quatro dimensões da sustentabilidade • Possibilidade de sintetizar o que já existe ( empresarial, 3º. Setor, Setor ambiental ) = índice de riqueza 4D• Mudar maneira de medir a riqueza das nações e empresas• RE- INVENÇÃO DA ECONOMIA
  74. 74. Rede e Movimento Fora Do Eixohttp://www.foradoeixo.org.br/Time: 19-28 anos27 estados do Brasil120 coletivos200 festivais independentes5.000 eventos realizados em 2010Simulacros re-significandoUniversidade Fora do EixoBanco – Moedas + Banco de HorasPartido – PcultMídia -Música, Literatura, Teatro, Cinema,Poéticas Visuais, Ambiente,Software Livre; Distribuição;
  75. 75. Dando uma mãzinha ao futuro CINCO “COMOS”1. CUIDAR é o propósito2. Ambientes e processos de CONFIANÇA são a base3. Trabalhar sobre as POTÊNCIAS já existentes é o recurso4. FLUXO justo e acessível dos recursos é o objetivo5. Processos COLABORATIVOS e em rede são o mecanismo
  76. 76. Futuros desejáveis para a vida em 2042ganhar – governar – habitar – cuidar - educar - relacionar
  77. 77. Dando uma mãzinha ao futuro CINCO “COMOS”1. CUIDAR é o propósito
  78. 78. As Fontes Públicas forma retomadas e são ponto de encontro Angela Léon , 2012
  79. 79. Dispersador de perfume en paradas de bus, Uruguai
  80. 80. Dando uma mãzinha ao futuro CINCO “COMOS”1. CUIDAR é o propósito2. Ambientes e processos de CONFIANÇA são a base
  81. 81. CONFIANÇACAPITAL SOCIAL COLABORAR Lala Deheinzelin , 2012
  82. 82. Profissão de FuturoPERSONAL TRUSTER(Criado em treinamentode Criar Futuros na BASF) Lala Deheinzelin , 2011
  83. 83. Alguns futuros desejáveis criados
  84. 84. Dando uma mãzinha ao futuro CINCO “COMOS”1. CUIDAR é o propósito2. Ambientes e processos de CONFIANÇA são a base3. Trabalhar sobre as POTÊNCIAS já existentes é o recurso
  85. 85. Logística Reversa: Mesmo sistema de entrega serve para coletar.Lala Deheinzelin , 2012
  86. 86. 3 VISÕES DE FUTUROSPARA O MINHOCÃOPraia em cima, parque em baixoAngela Léon , 2012
  87. 87. Dando uma mãzinha ao futuro CINCO “COMOS”1. CUIDAR é o propósito2. Ambientes e processos de CONFIANÇA são a base3. Trabalhar sobre as POTÊNCIAS já existentes é o recurso4. FLUXO justo e acessível dos recursos é o objetivo
  88. 88. Times Square: divulgando a riqueza multidimensional Angela Léon , 2012
  89. 89. Cidadania exercida em todos os locais e através das TICs: votando ou discutindo as leis e o orçamentosLala Deheinzelin , 2012
  90. 90. Dando uma mãzinha ao futuro CINCO “COMOS”1. CUIDAR é o propósito2. Ambientes e processos de CONFIANÇA são a base3. Trabalhar sobre as POTÊNCIAS já existentes é o recurso4. FLUXO justo e acessível dos recursos é o objetivo5. Processos COLABORATIVOS e em rede são o mecanismo
  91. 91. SEREMOS NÓS OSISTEMA NERVOSO DE GAIA?
  92. 92. MUNDO no século XXI: Um outro mundo é possível:Temos recursos, conhecimento e pessoas !! SEREMOS NÓS O SISTEMA NERVOSO DE GAIA?
  93. 93. OBRIGADA !www.laladeheinzelin.com.br vídeo artigos publicacões Lala Deheinzelinlala@enthusiasmo.com.br

×