Os grandes compartimentos do relevo brasileiro

21,069 views

Published on

Os grandes compartimentos do relevo brasileiro

Published in: Education
1 Comment
9 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
21,069
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
423
Comments
1
Likes
9
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Talude: Gênese a partir de processos fluviais – ambiente continental Falésia: Gênese a partir de processos marinhos – ambiente costeiro
  • Magma: material ígneo que está no interior da crosta terrestre e que deu origem às rochas eruptivas que se encontram no globo terrestre
  • Os grandes compartimentos do relevo brasileiro

    1. 1. Os grandes compartimentos do relevo Brasileiro
    2. 2. O Brasil apresenta três grandes macroformas de relevo (Ross, 1999)
    3. 3. Os dois “Brasis” morfotectônico e as grandes unidades de relevo segundo Ab’Saber (1963)
    4. 4. Unidades dos Planaltos O que é um Planalto? Extensão de terrenos mais ou menos Planos, situado em altitude variável. É, por conseguinte, uma superfície levemente ondulada, constituída de rochas cuja a estrutura é, no seu conjunto, horizontal ou levemente sub-horizontal Segundo Ross (1999) quatro unidades de planaltos se destacam no território brasileiro: 1- Bacias Sedimentares; 2- Intrusões e coberturas residuais de Plataforma; 3- Núcleo Cristalino arqueados; 4- Cinturões Orogênicos.
    5. 5. Planalto em bacia sedimentar Bacia constituem depressões de forma variada ou conjunto de terras pouco inclinadas, podendo ser ocupada ou não por rios, lagos, etc. O termo pode ainda ser tomado em vários aspecto: bacia fluvial; bacia estrutural; bacia sedimentar; bacia tectônica, etc.
    6. 6. Planalto em bacia sedimentar: espacialização no território brasileiro Planalto da Amazônia Oriental Planaltos e Chapadas da Bacia do Paraná Planaltos e Chapadas da Bacia do Parnaíba P. 37-38
    7. 7. Intrusões e coberturas residuais de plataforma Plataforma estrutural: Aquela cuja topografia coincide com a estrutura geológica colocando em destaque as camadas duras Plataforma continental: Zona ou faixa da margem continental que se estende com gradiente topográfico suave do cordão litorâneo até o topo do talude continental onde apresenta profundidades da ordem de 200m Plataforma de abrasão: Zona costeira onde por processo marinho ocorre o processo de erosão Plataforma insular: Região submarina que vai do nível zero até a cota negativa de 200 metros Ao redor de uma ilha
    8. 8. Planaltos em Intrusões e coberturas residuais de plataforma: espacialização no território brasileiro <ul><li>Correspondem por coberturas residuais de prolongados processos erosivo e por pontilhado de serra e morros isolados associados a intrusões graníticas, derrames vulcânicos antigos e residuais de dobramento. p. 39 </li></ul>Planalto da Chapada dos Parecis Planalto Residuais Norte-Amazônicos Planalto Residuais Sul-Amazônicos
    9. 9. Núcleo Cristalino arqueados As rochas cristalinas são rochas magmáticas nas quais aparecem um grande número de cristais que constituem o corpo da rocha. Sua origem é resultante da subida do magma em estado de fusão e de posterior resfriamento Essa unidades comportam-se como maciços antigos intensamente trabalhados por processos erosivos. A conformação dessa unidade no Brasil em geral do pio dômica Os domos correspondem: a formas de montanhas arredondas produzida pelo efeito da erosão; elevação da superfície de forma semelhante a uma meia esfera Aspecto da superfície de erosão do platô central. Foto F.F.M. Almeida
    10. 10. Núcleo Cristalino arqueados : espacialização no território brasileiro Planalto da Borborema Planalto Sul-Rio-Grandense p.39
    11. 11. Cinturões Orogênicos Orogênico, relativo à orogênese que é um conjunto de fenômenos que no ciclo geológico leva a formação de montanhas ou cadeias de montanhas. Geralmente em prega-se esta denominação as formações montanhosas originadas pelas atividades vulcânicas ou mesmo pela erosão. No Brasil essa unidades está relacionada à faixas de orogenia antiga correspondendo a relevo residuais sustentado por litologias diversas em áreas de estrutura dobrada onde se encontram inúmeras serras
    12. 12. Planaltos em Cinturões Orogênicos : espacialização no território brasileiro Planalto e Serras do Atlântico-Leste-susdeste Planalto e Serras de Goiás-Minas Serras Residuais do Alto Paraguai p.40
    13. 13. Unidades das Depressões Depressão são áreas do relevo situadas abaixo do nível do mar ( depressão absoluta) ou abaixo do nível das regiões que estão próximas (depressão relativa) Vista aérea do compartimento Serras e Depressões, em sua porção centro-oeste. Mostra conjunto de serras com cumeadas alinhadas. Os perfis são retilíneos e convexo-côncavos, enquanto os vales são encaixados e com formatos em “V”. No Brasil as depressões foram formadas por processos circundenudacionais com atuação mais acentuadas nos contatos das bordas das bacias sedimentares.
    14. 14. Planaltos em Unidades das Depressões : espacialização no território brasileiro Depressão da Amazônia Ocidental Depressão marginal do norte da Amazônia Depressão marginal do Sul da Amazônia Depressão do Araguaia Depressão Cuiabana Depressão Sertaneja e do São Francisco Depressão do Alto Paraguai e Guaporé Depressão do Miranda Depressão do Tocantins Depressão Periférica da Borda Leste da bacia do Paraná Depressão Periférica Sul-Rio-Grandense p. 41
    15. 15. Unidades das Planícies Planícies são terrenos mais ou menos planos onde os processos de agradação superam os de degradação. Existem planícies que podem estar a mais de 1000 metros de altitude, que constituem as chamadas planícies de base local, ou planícies de montanhas. São, normalmente constituídas por sedimentos recentes do quaternário Classificam –se em: Planície de inundação; Planície deltaica; Planície marginal de alagamento; Planícies de restinga;
    16. 16. Planície de inundação e Planície marginal de alagamento Planície de inundação: Superfície pouco elevada acima do nível médio das águas, sendo freqüentemente inundada por ocasião das cheias. A planície de inundação é, também, chamada terraço, várzea, leito maior etc. Planície marginal de alagamento: Banqueta de forma plana, inclinada levemente na direção de jusante e situada acima do nível das águas, na estação seca.
    17. 17. Planície deltaica Planície deltaica : Forma-se na embocadura de um rio, nos deltas fluviais. O desenvolvimento de diques naturais que bordejam os cursos fluviais nas desembocaduras, resultantes do transbordamento e deposição devidos às cheias, vai inundando as depressões das planícies.
    18. 18. Planícies de restinga: As restingas correspondem as formações vegetais que colonizam as planícies arenosas e os campos de dunas ao longo do litoral. Planícies de restinga
    19. 19. Unidades das Planícies : espacialização no território brasileiro Planície do Rio Amazonas Planície do Rio Araguaia Planície e Pantanal do Rio Guaporé Planície e Pantanal Mato-grossense Planície e Tabuleiros litorâneos Planície da lagoas do Patos e Mirim p.43

    ×