Jesus, o bom pastor

7,970 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
7,970
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
29
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Jesus, o bom pastor

  1. 1. Jesus o Bom PastorJoão 10:1-11IntroduçãoEste texto expressa o amor de Deus pelas pessoas. A parábola do pastor e suas ovelhas é umadas mais belas que Jesus trouxe aos seus discípulos.Podemos aprender muito com esse ensinamento tanto para examinarmos a nossa vida comoovelhas do rebanho do Senhor ou como pastores de um pequeno aprisco e que tem aresponsabilidade de oferecer segurança e vida as ovelhas.Vamos estudar quatro palavras que Jesus aplicou para entendermos o que Jesus queria dizercom esta parábola:Comentário:Aprisco: era um lugar circuncidado por pedras e ao céu aberto onde eram colocadas asovelhas durante a noite. Este lugar servia para proteger as ovelhas e abrigá-las durante a noite.Simboliza a salvação e vigilância sobre aqueles que estão debaixo da proteção de Deus. Jesusnos chama para um lugar de segurança.Muitos têm trocado de aprisco e decidem andar por outros caminhos. Deixam o aprisco de Jesusprocurando outros lugares para tentar obter segurança. Mas é uma segurança irreal, falha, quenão é verdadeira.Muitas vezes passamos lutas e dificuldades na presença de Deus, mas nunca devemos deixar oseu aprisco. Não saia da proteção de Deus, de sua segurança, pois Ele sempre está cuidando denós.Ovelhas: neste texto elas são usadas como um símbolo de mansidão, inocência eutilidade. Representam paciência e humildade.Características: As ovelhas são totalmente dependentes do seu pastor. Elas andam sempre embando e conhecem o seu pastor.Uma ovelha que caminha em um rebanho sempre ouve, conhece e obedece a voz do seu pastor.Estranho: significa ladrão, mercenário ou aquele que faz algo somente por interesse.O estranho não ama as ovelhas, ele está apenas interessado em lucrar com elas.
  2. 2. A ovelha verdadeira nunca segue estranhos, mas quando ela perde a sua característica de ovelhacomeça a dar ouvidos aos estranhos ao invés de ouvir o seu pastor. Esses estranhos não estãointeressados em ajudá-la e sim minar pensamentos e ideologias contrários à voz do bom pastor.Você pode até estar atravessando o vale da sombra da morte, mas o seu pastor está cuidando devocê. Jesus está te protegendo para que você esteja seguro e possa entrar em seu grande aprisco.Pastor: protetor, aquele que protege. Essa é a principal definição de um pastor.Jesus é o nosso supremo pastor e uma definição sobre ele pode ser elaborada da seguinteforma:Harmonioso, manso, gentil, observador, simples, ousado, feliz, poético e inteligentíssimo.Todas essas características faziam parte da personalidade de Jesus. Por isso Ele é o nossogrande exemplo como o grande pastor das ovelhas, pois sabia como cuidar e zelar por elas.Mas como está o nosso rebanho? Como estamos cuidando da nossa família, esposa, filhos oudiscípulos? Como tenho pastoreado aqueles que estão perto de mim? Sabemos que o bom pastoré capaz de entrar em uma batalha contra as feras para que suas ovelhas não sejam atacadas.Como Jesus explica em sua parábola “...o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas...”.ConclusãoQuando aprendermos a sentir este mesmo amor que Jesus, o bom pastor atribui a nossas vidasestaremos conduzindo um grande rebanho para o aprisco do Senhor.Se você sente-se hoje como uma ovelha ferida, machucada, sem alimento e que precisa de ajuda,o bom pastor estará te tomando nos braços e te conduzindo novamente ao seu rebanho. Elecuidará de você, curará suas feridas e lhe dará o bom pasto e a água fresca para que sua vida sejauma vida abundante.Quem é o Culpado pela Homossexualidade?Deus fez ao homem reto, porém eles buscaram muitas astúciasAlgumas pessoas sugerem perversamente que o Deus e Pai de Nosso SenhorJesus Cristo é “culpado” pela homossexualidade. “Culpado” requer transgressão da lei, e,portanto, culpa, mas o Todo-Poderoso não pode pecar ou mesmo ser tentado ao pecado. Todosos caminhos de Jeová são “justos e retos”, pois “Deus é a verdade, e não há nele injustiça”(Deuteronômio 32:4). Assim, a Escritura, com retórica e indignação, pergunta “Ó homem, quemés tu, que a Deus replicas?” (Romanos 9:20).
  3. 3. Deus criou o homem santo e reto, e fez todas as coisas “muito boas” no início (Gênesis 1:31),incluindo a criação da nobre instituição do casamento entre um homem e uma mulher para avida (Gênesis 2:24; Mateus 19:4-6; Hebreus 13:4).No entanto, como disse Salomão, “Deus fez ao homem reto, porém eles buscarammuitas astúcias” (Eclesiastes 7:29), incluindo pornografia, fornicação, adultério,estupro, bestialidade, pedofilia, sodomia e lesbianismo.Paulo, um apóstolo de Jesus Cristo, fala acerca das “paixões infames” do lesbianismo (“até assuas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza”) e da sodomia(“semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram emsua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendoem si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro”) (Romanos 1:26-27). O Catecismo Maiorde Westminster do Presbiterianismo cita versículos como prova de que “a sodomia e todas aspaixões infames” estão entre aqueles “pecados proibidos no sétimo mandamento” (P & R 139).Tão longe está Deus de ser “culpado” pela homossexualidade que Ele culpa aqueles acusadospelas suas “paixões infames” e torpeza (Romanos 1:26-27) e os pune. No entanto, não apenas oshomossexuais receberão “o julgamento de Deus”; idólatras, inventores de males, caluniadores,soberbos, murmuradores, detratores, desobedientes aos pais e às mães, presunçosos,enganosos, avarentos, invejosos, cheios de malignidade etc., também estão debaixo “da ira deDeus” (Romanos1:18-32).Felizmente as Escrituras nos revelam a justiça perfeita de outro, o Filho de Deusencarnado, que é imputada à nossa conta mediante a fé. O evangelho de Cristo “é opoder de Deus para salvação de todo aquele que crê”, incluindo o homossexualarrependido (Romanos 1:16-17).Como podemos ajudar os cristãos que estãolutando com os desejos homossexuais?
  4. 4. Cristãos com sentimentos homossexuais ...Gostaria de incentivá-los a tomar cuidado para não se definirem como "homossexuais ". Nãodiga: "Eu sou gay", ou "eu sou homossexual". Diga, sim, "Eu luto com os desejoshomossexuais."Isso tem uma pequena e enorme diferença.Havia um irmão em nossa igreja que tinha AIDS, devido à sua história no estilo de vidahomossexual. O Senhor maravilhosamente o salvou, e ele me ensinou muitas coisas ao longo dos10 anos que estivemos juntos. Ele também me ajudou a redigir uma declaração de uma páginade convicção e compaixão em relação à homossexuais.Ele, Joe, me disse: "Nunca deixe alguém dizer que ele é homossexual, sempre corrija seuvocabulário, porque em Cristo Jesus, não sou eu quem vive, mas sim em Cristo Jesus eu souuma nova criatura... "Assim como John Piper é uma nova criatura em Cristo, embora ele ainda lute com o pecado daimpaciência, da luxúria e do orgulho, os cristãos que lutam com desejos homossexuais não sãohomossexuais. Em Cristo são novas criaturas que lutam contra as tentações dahomossexualidade. E eu só quero estar ao lado deles e dizer: "Consigo entender o seuparadigma, e vamos lutar juntos na castidade e na pureza até a morte."Quem sabe quando pode vir a cura? Há um artigo que li recentemente na revista CristianismoHoje sobre o ministério da Exodus International. Ele fala sobre pessoas que vivem emverdadeira mudança, de cura e vitória sobre as tentações homossexuais. Isso não significa queesses sentimentos vão embora completamente, mas muitos, com o tempo são capazes dedesfrutar de vida heterossexual ou vida de solteiro, contentemente, apesar de uma história dopecado homossexual.Eu não quero criar a impressão de que este é um assunto tabu na minha igreja, ou que eu nãovou ser paciente e compassivo com aqueles que estão lutando com ele. Eles já tem sua própriacarga suficiente.Eu só ouvi falar de outro jovem que está em depressão suicida por causa de quem ele pensa queé. Tudo que eu quero é dizer a ele:" Eu estarei com você todo o caminho, para o túmulo ou para a sua sepultura,mas não desista dessa batalha e não acho que Deus não quer tê-lo aqui, com essaluta , para um propósito que você pode encontrar e florescer dentro"
  5. 5. O Plano de Deus para a Agenda GayO plano de Deus para muitos homossexuais é a salvação....Se você tem visto os títulos de manchetes de jornais nos últimos anos, talvez tenha observado oincrível aumento do interesse por afirmar a homossexualidade. Quer esteja no âmago de umescândalo religioso, de corrupção política, de legislação radical e da redefinição do casamento, ointeresse homossexual tem caracterizado a América. Isso é uma indicação do sucesso da agendagay. Mas, infelizmente, quando as pessoas se recusam a reconhecer a pecaminosidade dohomossexualismo — chamando o mal bem e o bem, mal (Is 5.20), elas o fazem em prejuízo demuitas almas e, talvez, de si mesmas.Como você deve reagir ao sucesso da agenda gay? Deve aceitar a tendência recente em direção àtolerância? Ou ficar ao lado daqueles que excluem os homossexuais e condenam com veemênciao pecado? A Bíblia nos exorta a um equilíbrio entre o que as pessoas consideram duas reaçõesopostas — condenação e compaixão. De fato, essas duas atitudes juntas são elementos essenciaisdo amor bíblico, do qual os homossexuais necessitam desesperadamente.Os defensores do homossexualismo têm sido notavelmente eficazes em promover suasinterpretações distorcidas de passagens da Bíblia. Quando você pergunta a um homossexual oque a Bíblia diz a respeito da homossexualidade — e muitos deles o sabem — percebe que elesabsorveram um interpretação que não é somente distorcida, mas também completamente
  6. 6. irracional.Os argumentos a favor dos homossexuais extraídos da Bíblia são nuvens de fumaça — à medidaque nos aproximamos deles, vemos com clareza o que está por trás.Deus condena a homossexualidade, e isto é muito evidente. Ele se opõe à homossexualidade emtodas as épocas. Na época dos patriarcas (Gn 19.1-28) Na época da Lei de Moisés (Lv 18.22;20.13) Na época dos Profetas (Ez 16.46-50) Na época do Novo Testamento (Rm 1.18-27; 1 Co6.9-10; Jd 70-8) Por que Deus condena a homossexualidade? Porque ela transtorna o planofundamental de Deus para as relações humanas — um plano que retrata o relacionamento entreum homem e uma mulher (Gn 2.18-25; Mt 19.4-6; Ef 5.22-33). Então, por que as interpretaçõeshomossexuais das Escrituras têm sido tão bem-sucedidas em persuadir inúmeras pessoas? Aresposta é simples: as pessoas se deixam convencer. Visto que a Bíblia é tão clara a respeitodeste assunto, os pecadores têm resistido à razão e aceitado o erro, a fim de acalmarem aconsciência que os acusa (Rm 2.14-16).Conforme disse Jesus: “Os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obraseram más” (Jo 3.19-20). Se você é um crente, não deve comprometer o que a Bíblia diz arespeito da homossexualidade — jamais.Não importa o quanto você deseja ser compassivo para os homossexuais, o seu primeiro amor éao Senhor e à exaltação da justiça dEle. Os homossexuais se mantêm em rebeldia desafiantecontra a vontade de seu Criador, que, desde o princípio, “os fez homem e mulher” (Mt 19.4). Nãose deixe intimidar pelos defensores do homossexualismo e por sua argumentação fútil — osargumentos deles não têm conteúdo. Os homossexuais e os que defendem esse pecado estãocomprometidos fundamentalmente em transtornar a soberania de Cristo neste mundo.Mas a rebelião deles é inútil, visto que o Espírito Santo afirma: “Ou não sabeis que os injustosnão herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros,nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes,nem roubadores herdarão o reino de Deus” (1 Co 6.9-10; cf. Gl 5.19-21). Então, qual a respostade Deus à agenda homossexual? O julgamento certo e final. Afirmar qualquer outra coisa, alémdisso, é adulterar a verdade de Deus e enganar aqueles que estão em perigo. Quando vocêinterage com homossexuais e seus simpatizantes, tem de afirmar a condenação bíblica.Você não está procurando lançar condenação sobre os homossexuais, está tentando trazerconvicção, de modo que eles se convertam do pecado e recebam a esperança da salvação paratodos nós, pecadores. E isso acontece por meio da fé no Senhor Jesus Cristo.Os homossexuais precisam de salvação. Não precisam de cura — o homossexualismo não é umadoença. Eles não carecem de terapia — o homossexualismo não é uma condição psicológica. Oshomossexuais precisam de perdão, porque a homossexualidade é um pecado.Não sei como aconteceu, mas algumas décadas atrás alguém rotulou os homossexuais com oincorreto vocábulo “gay”. Gay, no inglês, significava uma pessoa feliz, mas posso assegurar-lhe:os homossexuais não são pessoas felizes.Eles procuram felicidade seguindo prazeres destrutivos. Esta é a razão por que Romanos 1.26chama o desejo homossexual de “paixão infame”. É uma concupiscência que destrói o corpo,corrompe os relacionamentos e traz sofrimento perpétuo à alma — e o seu fim é a morte (Rm7.5). Os homossexuais estão experimentando o juízo de Deus (Rm 1.24, 26, 28) e, por isso, sãoinfelizes — muito, muito infelizes.1 Coríntios 6 é bem claro a respeito das conseqüências eternas que sobrevirão àqueles quepraticam a homossexualidade — mas existem boas-novas. Não importa o tipo de pecado, querseja homossexualidade, quer seja outra prática, Deus oferece perdão, salvação e esperança davida eterna àqueles que se arrependem e aceitam o evangelho. Depois de identificar oshomossexuais como pessoas que não “herdarão o reino de Deus”, Paulo disse: “Tais fostesalguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nomedo Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus” (1 Co 6.11).O plano de Deus para muitos homossexuais é a salvação. Nos dias de Paulo, havia ex-homossexuais na igreja de Corinto, assim como, em nossos dias, existem muitos ex-homossexuais em minha igreja e em igrejas fiéis ao redor do mundo. Eles ainda lutam contra atentação homossexual? Com certeza. Que crente não luta contra os pecados de sua vidaanterior? Até o grande apóstolo Paulo reconheceu essa luta (Rm 7.14- 25).
  7. 7. No entanto, ex-homossexuais assentam-se nos bancos de igrejas bíblicas em todo o mundo elouvam o Senhor, ao lado de ex-fornicadores, ex-idólatras, ex-adúlteros, ex-ladrões, ex-avarentos, ex-beberrões, ex-injuriadores e ex-defraudadores. Lembrem-se: alguns de vocêseram assim.Qual deve ser a nossa resposta à agenda homossexual? Oferecer-lhe uma resposta bíblica —confrontála com a verdade das Escrituras, que condena a homossexualidade e promete castigoeterno para todos os que a praticam.Qual deve ser a nossa resposta ao homossexual? Oferecerlhe uma resposta bíblica — confrontá-lo com a verdade das Escrituras, que o condena como pecador e lhe mostra a esperança dasalvação, por meio do arrependimento e da fé em Jesus Cristo. Permaneçam fiéis ao Senhor,quando reagirem à homossexualidade, honrando a Palavra de Deus e deixando com Ele osresultados.A profundidade da oraçãoO espetacular poder da oração!
  8. 8. Os profetas da antigüidade, marcados por Deus, eram tremendamente conscientes da imensidãoe da impopularidade da sua tarefa. Insistindo na sua própria ineficácia e insuficiência, esentindo a pesada carga da mensagem de Deus, estes homens às vezes tentavam se livrar de tãogrande responsabilidade sobre suas almas.Moisés, por exemplo, tentou fugir do compromisso com uma nação inteira, argumentando teruma “língua pesada” ou gaga. Entretanto, Deus não aceitou sua fuga e lhe deu um porta-voz emArão.Jeremias, também, arrazoou que era apenas uma criança. E, como no caso de Moisés, a desculpanão foi aceita. Pois homens escolhidos por Deus não são enviados a câmaras especiais dasabedoria humana – onde suas personalidades podem ser polidas ou seu conhecimentoaperfeiçoado. Deus, pelo contrário, sempre encontra um jeito de fechar as saídas para eles e osdeixar enclausurados consigo mesmo.De acordo com o famoso poeta norte-americano, Oliver Wendell Holmes, a mente do homem,uma vez “esticada” através de uma nova idéia, nunca mais consegue voltar às suas dimensõesoriginais. O que diríamos, então, da alma que ouviu o sussurro da Voz Eterna? “As palavras queeu vos tenho dito são espírito e são vida” (Jo 6.63).Nossa pregação é muito debilitada hoje, por se basear mais em pensamentos emprestados dasmentes de pessoas mortas do que na inspiração do nosso Senhor. Livros são bons quando nosservem de guias, mas são péssimos quando se transformam em correntes.Assim como na energia atômica, os cientistas modernos encontraram uma nova dimensão depoder, da mesma forma, a igreja precisa redescobrir o poder ilimitado do Espírito Santo.Precisa-se, urgentemente, de algo novo, a fim de dar um golpe na maldade desta era impregnadade pecado, e de abalar a complacência dos santos adormecidos. Pregações vigorosas e vidasvitoriosas precisam ser geradas através de vigílias prolongadas no recinto secreto de oração.Alguém diz: “Ah, mas precisamos orar a fim de poder viver uma vida santa”. Isto está certo,mas do modo inverso, precisamos viver uma vida santa se quisermos orar. De acordo com Davi,“Quem subirá ao monte do Senhor? … O que é limpo de mãos e puro de coração” (Sl 24.3,4).O segredo da oração é orar em secreto. Livros sobre oração são excelentes, mas sãoinsuficientes. Livros sobre cozinhar podem ser muito bons, porém se tornam inúteis se nãohouver alimentos para se fazer algo prático; assim também é a oração. Pode-se ler umabiblioteca de livros sobre oração e não obter, como resultado, nenhum poder para orar.Precisamos aprender a orar, e para isso, é preciso orar.Enquanto estiver sentado numa cadeira, pode-se ler o melhor livro do mundo sobre saúde físicae, ao mesmo tempo, ir definhando cada vez mais. Igualmente, podemos ler sobre oração,admirar a perseverança de Moisés, ficar espantados diante das lágrimas e dos gemidos doprofeta Jeremias – e ainda não estar prontos, nem para o bê-á-bá da oração intercessória. Comouma bala de rifle que nunca foi usada jamais apanhará uma presa, tão-pouco o coração que orasem carga do Espírito conseguirá em tempo algum alcançar resultados.“Em nome de Deus, eu vos suplico, que a oração alimente vossa alma tal qual a refeição refazseu corpo!”, dizia o fiel Fenelon. Henry Martyn, certa vez, afirmou o seguinte: “Meu atualestado de morte espiritual pode ser atribuído à falta de tempo e tranqüilidade suficientes paraminhas devoções particulares. Oh, que eu fosse um homem de oração!”Um escritor de tempos passados declarou: “Grande parte da nossa oração é como o molequeque aperta a campainha da casa, mas corre antes de se abrir a porta”. Disso podemos estarcertos: A área de recursos divinos menos explorada até agora é o lugar da oração.Qual o Potencial da Oração?Quem pode calcular as dimensões do poder de Deus? Os cientistas fazem estimativas do pesototal do globo terrestre, os estudiosos da Bíblia chegam a decifrar as medidas da CidadeCelestial, os astrônomos contam as estrelas no céu, outros medem a velocidade do relâmpago edizem precisamente quando o sol se levanta e se põe – no entanto, é impossível estimar o poderda oração.
  9. 9. A oração é tão vasta quanto o próprio Deus, porque é ele mesmo que está por trás dela. A oraçãoé tão poderosa quanto Deus, pois ele se comprometeu a respondê-la. Que Deus tenha compaixãode nós, por sermos tão gagos e hesitantes nesta que é a atividade mais nobre da língua e doespírito do homem. Se Deus não nos iluminar no nosso recinto privado de oração, andaremosem trevas. No tribunal de Cristo, o fato mais vergonhoso que o cristão haverá de enfrentar será apobreza da sua vida de oração.Leia este trecho majestoso do ilustre pregador do quarto século, Crisóstomo: “O imenso poderda oração já sujeitou a força do fogo; amarrou a ira de leões, acalmou as insurreições deanarquia, pôs fim a guerras, aplacou as forças selvagens da natureza, expeliu demônios, rompeuos grilhões da morte, expandiu os limites do reino dos céus, aliviou enfermidades, afastoufraudes, resgatou cidadãos da destruição, parou o sol no seu curso, e impediu o avanço do raiodestruidor.“A oração é uma panóplia (armadura) contra todo mal, um tesouro que nunca se diminui, umamina que jamais poderá ser esgotada, um céu sem qualquer obstrução de nuvem, um horizonteimperturbado por tempestades. É a raiz, a fonte, a mãe, de incontáveis bênçãos.”Estas palavras são mera retórica, tentando dar uma aparência superlativa a algo comum? ABíblia não conhece tais engenhosidades humanas.Oh, Por um Elias!Elias era um homem experimentado na arte da oração, que alterou o curso da natureza,estrangulou a economia de uma nação, orou e o fogo caiu, orou e o povo caiu, orou e a chuvacaiu. Precisamos hoje de chuva, chuva e mais chuva! As igrejas estão tão ressecadas que asemente não pode germinar. Nossos altares estão secos, sem lágrimas quentes de suplicantespenitentes.Oh, por um Elias! Quando Israel clamou por água, um homem feriu a rocha e aquela enormefortaleza de pedra se transformou numa madre, que deu à luz uma fonte de águas a dar vida.“Acaso para Deus há coisa demasiadamente difícil?” (Gn 18.14). Que Deus nos envie alguém quepossa ferir aquela rocha!De uma coisa estejamos certos: O recinto de oração não é lugar para simplesmente entregar aoSenhor uma lista de pedidos urgentes. A oração pode mudar as coisas? Certamente, mas, acimade tudo, a oração muda os homens. A oração não só tirou a desonra de Ana, mas a mudou –transformou-a de mulher estéril em frutífera, de pessoa tristonha em alguém cheio de gozo (1Sm 1.10 e 2.1); de fato, converteu o seu “pranto em dança” (Sl 30.11).Quem sabe, estamos orando para dançar quando ainda não aprendemos a lamentar! Estamosbuscando uma veste de louvor, quando Deus disse: “… e dar a todos os que choram … veste delouvor em vez de espírito angustiado” (Is 61.3, NVI). Se quisermos colher, a mesma ordem édada: “Quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seusfeixes” (Sl 126.6).Foi preciso um homem de coração partido, que lamentava profundamente, como Moisés, parapoder dizer: Ó Deus, este “povo cometeu grande pecado… Agora, pois, perdoa-lhe o pecado; ou,se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste” (Êx 32.31,32). Somente um homem quesentisse uma profunda carga de dor, como Paulo, poderia dizer: “… tenho grande tristeza eincessante dor no coração; porque eu mesmo desejaria ser anátema, separado de Cristo, poramor de meus irmãos, meus compatriotas, segundo a carne” (Rm 9.2,3).Se John Knox tivesse orado: “Dá-me sucesso!”, nunca mais teríamos ouvido falar dele. Porém,ele fez uma oração expurgada de desejos pessoais: “Dá-me a Escócia, senão eu morro!”, e assimmarcou as páginas da história. Se David Livingstone tivesse orado para conseguir abrir ocontinente africano, como prova de seu espírito indomável e habilidade com o sextante, suaoração teria morrido com o vento da floresta; porém, sua oração foi: “Senhor, quando serácurada a ferida do pecado deste mundo?” Livingstone vivia em oração e, literalmente, morreu dejoelhos, em oração.A solução para este mundo tão insaciável por pecado é uma igreja insaciável por oração.Precisamos explorar novamente as “preciosas e mui grandes promessas” de Deus (2 Pe 1.4).
  10. 10. Naquele grande dia, o fogo do juízo haverá de provar o tipo, e não a quantidade, da obra quefizemos. Aquilo que nasceu em oração passará pela prova.Na oração, tratamos com Deus e coisas acontecem. Na oração, fome de ganhar almas é gerada;quando há fome para ganhar almas, mais oração é gerada. O coração que tem entendimento ora;o coração que ora adquire entendimento. O coração que ora, reconhecendo sua própriafraqueza, recebe força sobrenatural do Senhor. Oh, que fôssemos pessoas de oração, tal qualElias – que era um homem sujeito aos mesmos sentimentos que nós! Senhor, ajuda-nos a orar!

×