Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
P R O F . Í T A L O C O L A R E S
LÓGICA
Na charge abaixo há duas formas de poder: o poder da
força e o poder das ideias...
I. O QUE É LÓGICA?
• Lógica vem do grego “palavra”, “expressão”,
“pensamento”, “conceito”, “discurso”, “razão”.
• ARISTÓTE...
• O estudo dos métodos e princípios da
argumentação.
• A investigação das condições em que a
conclusão de um argumento se ...
Segundo Aristóteles a LÓGICA se divide em:
• FORMAL OU SIMBÓLICA: que estabelece
a forma correta das operações do
pensamen...
II. TERMOS, PROPOSIÇÃO E
ARGUMENTOS.
• ARGUMENTO – em psicologia é chamada
de raciocínio, é uma sequência de
proposições. ...
• Quanto à qualidade, são afirmativas ou
negativas.
• Quanto à quantidade são gerais –
universais ou totais - ou particula...
Exemplificando...
• “Todo cão é mamífero”.
•  Proposição universal afirmativa.
• “Nenhum animal é mineral”.
•  Universal...
QUADRADO LÓGICO.
Cada proposição tem dois TERMOS.
• É preciso também observar a EXTENSÃO
dos termos.
• A extensão é a amplitude de um termo...
• É preciso também observar a EXTENSÃO
dos termos.
• A extensão é a amplitude de um termo,
isto é, a coleção de todos os s...
• TODO BRASILEIRO É SUL-AMERICANO
• TODO PAULISTA É BRASILEIRO
•  LOGO, TODO PAULISTA É SUL-AMERICANO
*****
• NENHUM BRAS...
• O termo BRASILEIRO é total na primeira
premissa (todo brasileiro). E particular na
segunda premissa, porque é como se
es...
O SILOGISMO, por sua vez, compõem-se de
três termos...
• TODO BRASILEIRO É SUL-AMERICANO
• TODO PAULISTA É BRASILEIRO
•  ...
III. VERDADE E VALIDADE
• É PRECISO MUITA ATENÇÃO NO USO DE
VERDADEIRO/FALSO, VÁLIDO/INVÁLIDO.
• As proposições podem ser ...
Para entendermos isso melhor, precisamos das
REGRAS DO SILOGISMO.
• 1) Todo silogismo contém somente três termos:
maior, m...
III.TIPOS DE ARGUMENTAÇÃO
• Tradicionalmente dividimos os
argumentos em dois tipos, os DEDUTIVOS
e os INDUTIVOS, sendo que...
DEDUÇÃO
• Em um argumento dedutivo correto, a
conclusão é inferida necessariamente das
premissas. Ou seja, o que está dito...
INDUÇÃO
• Enquanto na dedução as premissas
constituem razão suficiente para se derivar a
conclusão, na indução, ao contrár...
ANALOGIA
• É uma indução parcial ou imperfeita, na
qual passamos de um ou de alguns fatos
singulares não a uma conclusão u...
IV. FALÁCIAS
• É um tipo de raciocínio incorreto, apesar de ter
a aparência de correção. É conhecida
também como sofisma, ...
• As falácias formais ocorrem quando as regras do
raciocínio correto são contrariadas ou não se
atende às regras da inferê...
• São diversos os tipos de falácias não formais:
muitas decorrem da irrelevância das
premissas, que não estabelecem a
conc...
• ARGUMENTO DE AUTORIDADE;
• ARGUMENTO CONTRA O HOMEM;
• FALÁCIA DE ACIDENTE OU GENERALIZAÇÃO
APRESSADA;
• FALÁCIA DE CONC...
V. PRINCÍPIOS DA LÓGICA
• Para compreender as relações que se
estabelecem entre as proposições,
foram definidos os primeir...
• O princípio de identidade, se um
enunciado é verdadeiro, então ele é
verdadeiro.
• O princípio de não contradição, afirm...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Lógica filosófica

14,545 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Lógica filosófica

  1. 1. P R O F . Í T A L O C O L A R E S LÓGICA
  2. 2. Na charge abaixo há duas formas de poder: o poder da força e o poder das ideias...
  3. 3. I. O QUE É LÓGICA? • Lógica vem do grego “palavra”, “expressão”, “pensamento”, “conceito”, “discurso”, “razão”. • ARISTÓTELES, é o filósofo que ampliou o estudo sobre a lógica. • A obra de Aristóteles dedicada à lógica chama-se ÓRGANON, que significa “instrumento”, e no caso, INSTRUMENTO PARA SE PROCEDER CORRETAMENTO NO PENSAR.
  4. 4. • O estudo dos métodos e princípios da argumentação. • A investigação das condições em que a conclusão de um argumento se segue necessariamente de enunciados iniciais, chamados premissas; • o estudo que estabelece as regras da forma correta das operações do pensamento e identifica as argumentações não válidas. Vejamos o que significa a LÓGICA, como instrumento do pensar...
  5. 5. Segundo Aristóteles a LÓGICA se divide em: • FORMAL OU SIMBÓLICA: que estabelece a forma correta das operações do pensamento. • MATERIAL: trata-se da aplicação das operações do pensando segundo a matéria ou a natureza dos objetos a conhecer.
  6. 6. II. TERMOS, PROPOSIÇÃO E ARGUMENTOS. • ARGUMENTO – em psicologia é chamada de raciocínio, é uma sequência de proposições. Em que existe uma relação entre as PREMISSAS e a CONCLUSÃO. • INFERÊNCIAS – É a passagem das premissas para a conclusão. • PROPOSIÇÃO – É um enunciado no qual afirmamos ou negamos um TERMO de outro. Ou seja, é aquilo que é proposto ou declarado, podendo ser verdadeira ou falsa.
  7. 7. • Quanto à qualidade, são afirmativas ou negativas. • Quanto à quantidade são gerais – universais ou totais - ou particulares. Estas últimas podem ser singulares caso se refiram a um só indivíduo: As proposições podem ser distinguidas pela QUALIDADE e pela QUANTIDADE:
  8. 8. Exemplificando... • “Todo cão é mamífero”. •  Proposição universal afirmativa. • “Nenhum animal é mineral”. •  Universal negativa. • “Algum metal não é sólido”. •  Particular negativa. • “Sócrates é mortal”. •  Singular afirmativa.
  9. 9. QUADRADO LÓGICO.
  10. 10. Cada proposição tem dois TERMOS. • É preciso também observar a EXTENSÃO dos termos. • A extensão é a amplitude de um termo, isto é, a coleção de todos os seres que o termo designa no contexto da proposição. É fácil identificar a extensão do sujeito, mas a do predicado exige maior atenção. • Observe os seguintes exemplos:
  11. 11. • É preciso também observar a EXTENSÃO dos termos. • A extensão é a amplitude de um termo, isto é, a coleção de todos os seres que o termo designa no contexto da proposição. É fácil identificar a extensão do sujeito, mas a do predicado exige maior atenção. • Observe os seguintes exemplos:
  12. 12. • TODO BRASILEIRO É SUL-AMERICANO • TODO PAULISTA É BRASILEIRO •  LOGO, TODO PAULISTA É SUL-AMERICANO ***** • NENHUM BRASILEIRO É ARGENTINO. • ALGUM BRASILEIRO É SUL-AMERICANO. •  LOGO, ALGUM SUL-AMERICANO NÃO É ARGENTINO.
  13. 13. • O termo BRASILEIRO é total na primeira premissa (todo brasileiro). E particular na segunda premissa, porque é como se estivéssemos dizendo: TODO PAULISTA É (algum) BRASILEIRO. • Já no segundo exemplo (NENHUM BRASILEIRO É ARGENTINO), tanto o termo BRASILEIRO como o termo ARGENTINO são totais, porque o conjunto de todos os BRASILEIROS é excluído do conjunto de todos os ARGENTINOS.
  14. 14. O SILOGISMO, por sua vez, compõem-se de três termos... • TODO BRASILEIRO É SUL-AMERICANO • TODO PAULISTA É BRASILEIRO •  LOGO, TODO PAULISTA É SUL-AMERICANO. TERMO MÉDIO TERMO MÉDIO TERMO MAIOR TERMO MENOR
  15. 15. III. VERDADE E VALIDADE • É PRECISO MUITA ATENÇÃO NO USO DE VERDADEIRO/FALSO, VÁLIDO/INVÁLIDO. • As proposições podem ser verdadeiras ou falsas: uma proposição é verdadeira quando corresponde ao fato que expressa. • Os argumentos são válidos ou inválidos (e não verdadeiros ou falsos): um argumento é válido quando sua conclusão é consequência lógica de suas premissas.
  16. 16. Para entendermos isso melhor, precisamos das REGRAS DO SILOGISMO. • 1) Todo silogismo contém somente três termos: maior, médio e menor; • 2) Os termos da conclusão não podem ter extensão maior que os termos das premissas; • 3) O termo médio não pode entrar na conclusão; • 4) O termo médio deve ser universal ao menos uma vez; • 5) De duas premissas negativas, nada se conclui; • 6) De duas premissas afirmativas não pode haver conclusão negativa; • 7) A conclusão segue sempre a premissa mais fraca; • 8) De duas premissas particulares, nada se conclui.
  17. 17. III.TIPOS DE ARGUMENTAÇÃO • Tradicionalmente dividimos os argumentos em dois tipos, os DEDUTIVOS e os INDUTIVOS, sendo que a ANALOGIA constitui um tipo de indução.
  18. 18. DEDUÇÃO • Em um argumento dedutivo correto, a conclusão é inferida necessariamente das premissas. Ou seja, o que está dito na conclusão é extraído das premissas, pois na verdade está implícito nelas. Como já vimos, na dedução lógica o enunciado da conclusão não excede o conteúdo das premissas, isto é, não se diz mais na conclusão do que já tinha sido dito nas premissas.
  19. 19. INDUÇÃO • Enquanto na dedução as premissas constituem razão suficiente para se derivar a conclusão, na indução, ao contrário, chega-se à conclusão a partir de evidências parciais. • A indução por enumeração é uma argumentação pela qual, a partir de diversos dados singulares constatados, chegamos a proposições universais. Nesse tipo de argumento ocorre uma generalização indutiva.
  20. 20. ANALOGIA • É uma indução parcial ou imperfeita, na qual passamos de um ou de alguns fatos singulares não a uma conclusão universal, mas a uma outra enunciação singular ou particular. • Da comparação entre objetos ou fenômenos diferentes, inferimos pontos de semelhança.
  21. 21. IV. FALÁCIAS • É um tipo de raciocínio incorreto, apesar de ter a aparência de correção. É conhecida também como sofisma, embora alguns estudiosos façam urna distinção, pela qual o sofisma teria a intenção de enganar o interlocutor, diferentemente da falácia, que seria um engano involuntário. • São inúmeros os tipos de falácia, e por isso vamos nos restringir a alguns poucos.
  22. 22. • As falácias formais ocorrem quando as regras do raciocínio correto são contrariadas ou não se atende às regras da inferência válida. • Exemplo: FALÁCIAS FORMAIS • TODOS OS HOMENS SÃO CALVOS. • ORA, EU SOU HOMEM •  LOGO, EU SOU CALVO.
  23. 23. • São diversos os tipos de falácias não formais: muitas decorrem da irrelevância das premissas, que não estabelecem a conclusão; outras são generalizações apressadas, que partem de falsas causas ou se baseiam em preconceitos; e assim por diante. Geralmente exercem a função psicológica de convencer, ao mobilizar emoções como entusiasmo, medo, hostilidade ou reverência. • Vejamos algumas delas. FALÁCIAS NÃO FORMAIS
  24. 24. • ARGUMENTO DE AUTORIDADE; • ARGUMENTO CONTRA O HOMEM; • FALÁCIA DE ACIDENTE OU GENERALIZAÇÃO APRESSADA; • FALÁCIA DE CONCLUSÃO IRRELEVANTE; • FALÁCIA DE PETIÇÃO DE PRINCÍPIO, OU CÍRCULO VICIOSO; • FALÁCIA DE AMBIGUIDADE; • FALÁCIA DE FALSA CAUSA;
  25. 25. V. PRINCÍPIOS DA LÓGICA • Para compreender as relações que se estabelecem entre as proposições, foram definidos os primeiros princípios da lógica, assim chamados por serem anteriores a qualquer raciocínio e servirem de base a todos os argumentos. Por serem princípios, são de conhecimento imediato e, portanto, indemonstráveis.
  26. 26. • O princípio de identidade, se um enunciado é verdadeiro, então ele é verdadeiro. • O princípio de não contradição, afirma que não é o caso de um enunciado e de sua negação. • O princípio do terceiro excluído, afirma que nenhum enunciado é verdadeiro nem falso

×