Justiça divina e justiça dos homens 2014

4,486 views

Published on

Published in: Education
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
  • C A L O T E J U D I C I A L AO RESPONDER À PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO DA JUSTIÇA NO BRASIL, É IMPERIOSO TORNAR PÚBLICO O FATO QUE SE SEGUE; PORQUE DEUS SABE QUE ENQUANTO HOUVER INJUSTIÇA ENTRE OS HOMENS, NÃO HAVERÁ PAZ NA TERRA: Saiba todo o Povo Desperto que as principais Autoridades que se assenhorearam do poder da justiça, como titulares do STF e do CNJ, além da própria Presidência da Republica; já têm conhecimento formal do caso, e se mantém coniventes na consumação de mais uma injustiça: Depois de ter sido julgado favoravelmente em última Instância, pela 3ª. Região do STF; o Processo no. 88026001-2 de 1988, foi sumariamente sepultado vivo pela 14ª. vara da justiça federal em São Paulo/SP, por falta de IRRESIGNAÇÃO; constituindo-se em prova formal e inconteste de um vergonhoso calote judicial, perpetrado por pura maldade contra um jornaleiro-Pai de família, sacrificando particularmente órfãos e viúva que dependerão da respectiva aposentadoria para sobrevivência; corroborando o injusto e desumano estado de direito que tem imperado nessa babilônia brasileira. (GL.4.30) – Contudo, que diz a Escritura? (SL.68.5) – Pai dos órfãos e juiz das viúvas é Deus em sua santa morada; (PV.21.23) – porque o Senhor defenderá a causa deles e tirará a vida aos que os despojam:(SL.33.14) Do lugar da sua morada, observa todos os moradores da terra: (1CR.16.14) – Ele é o Senhor nosso Deus; (RM.2.6) – que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento: (DT.27.19) – Maldito é aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão e da viúva: (EC.34.26) – Quem tira a um Homem o pão que ele ganhou com o seu amor, é como o que mata seu o próximo: (HB.10-30) – Ora, nós conhecemos Aquele que disse: A mim pertence a vingança, eu retribuirei; (LS.1.15) – porque a justiça é perpetua e imortal: (JB.15.25) – Isto, porém, é para que se cumpra a palavra escrita na sua lei; (JR.4.27) - pois assim diz o Senhor: (ML.3.5) - Chegar-me-ei a vós outros para juízo; serei testemunha veloz contra os feiticeiros, contra os adúlteros. contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o salário do jornaleiro, e oprimem a viúva e o órfão, e torcem o direito do estrangeiro e não me temem, diz o Senhor dos Exércitos: (PV.28.20) –O Homem fiel será acumulado de bênçãos, mas o que se apressa a enriquecer não passará sem castigo: (JR.16.21) – Portanto, eis que lhes farei conhecer, desta vez lhes farei conhecer a minha força e o meu poder; e saberão que o meu nome é Senhor Arnaldo Ribeiro; (FL.2.6) – pois ele, subsistindo na forma de Deus, não julgou como usurpação ser igual a Deus; (LS.2.23) – porquanto Deus criou o Homem inexterminável, e o fez à imagem da sua semelhança: (JÓ.16.19) – Agora já sabei que a minha testemunha está no céu; e, nas alturas quem advoga a minha causa. (JB.15.22) SE EU NÃO VIERA, NEM LHES HOUVERA FALADO, PECADO NÂO TERIAM, MAS AGORA NÃO HÁ DESCULPA DO SEU PECADO: À exemplo de toda injustiça intencional e covarde, esta macula já se expõe como uma ferida indelével, gravando a consciência daqueles que pensam estar exercendo o juízo para práticar a justiça; assim como, daqueles que assumem a responsabilidade de dirigir a nossa vida, sem conhecer a Lei de Deus; (EC.28.7) PORQUE A CORRUPÇÃO E A MORTE ESTÃO A CAIR SOBRE AQUELES QUE QUEBRANTAM OS MANDAMENTOS DO SENHOR; (RM.10.30) PORQUANTO, DESCONHECENDO A JUSTIÇA DE DEUS E PROCURANDO ESTABELECER A SUA PRÓPRIA, NÃO SE SUJEITARAM A QUE VEM DE DEUS: (JB.6.65) POR CAUSA DISTO, (OS.4.2) O QUE SÓ PREVALECE É PERJURAR, MENTIR, MATAR, FURTAR, ADULTERAR E HÁ ARROMBAMENTOIS, E HOMICIDIOS SOBRE HOMICIDIOS: (JB.19.37) ELES VERÃO AQUELE A QUEM TRASPASSARAM, (2CO.5.10) PORQUE IMPORTA QUE TODOS NÓS COMPAREÇAMOS PERANTE O TRIBUNAL DE CRISTO, PARA QUE CADA UM RECEBA SEGUNDO O BEM OU O MAL QUE TIVER FEITO POR MEIO DO CORPO: (1CO.9.8) FALO ISTO COMO HOMEM OU NÃO O DIZ TAMBÉM A LEI? (GL.4.16) TORNEI-ME, PORVENTURA, VOSSO INIMIGO POR VOS DIZER A VERDADE? (JB.15.23) QUEM ME ODEIA TAMBÉM ODEIA A MEU PAI, (JB.12.49) PORQUE EU NÃO TENHO FALADO POR MIM MESMO, MAS O PAI, QUE ME ENVIOU, ESSE ME TEM PRESCRITO O QUE DIZER E O QUE ANUNCIAR: (AT.19.36) ORA, NÃO PODENDO ISTO SER CONTRADITADO, CONVÉM QUE VOS MANTENHAIS CALMOS E NADA FAÇAIS PRECIPITADAMENTE; (JÓ.5.18) PORQUE ELE FAZ A FERIDA E ELE MESMO A ATA; ELE FERE E AS SUAS MÃOS CURAM: (TG.3.18) ORA, É EM PAZ QUE SE SEMEIA O FRUTO DA JUSTIÇA PARA OS QUE PROMOVEM A PAZ:
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
4,486
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
123
Actions
Shares
0
Downloads
162
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Justiça divina e justiça dos homens 2014

  1. 1. Justiça de Deus e Justiça dos Homens Comunhão Espírita de Brasília 22 de março de 2014
  2. 2. 2 Sumário 1. Justiça e Direitos Naturais (LE - Lei de Justiça, Amor e Caridade) 2. A Justiça Divina Segundo O Espiritismo (O Céu e o Inferno) 3. A Justiça dos Homens (Justiça – Michael J. Sandel) 4. Questões para Reflexão 5. Conclusões
  3. 3. 3 Obras Utilizadas 1ª Edição em 1857, com 501 questões. Na 4ª edição passou a ter 1018 Questões Publicado em 1865
  4. 4. 4 Por mim mesmo juro — disse o Senhor Deus — que não quero a morte do ímpio, senão que ele se converta, que deixe o mau caminho e que viva.” (EZEQUIEL, 33:11.)
  5. 5. 5 Obras Utilizadas
  6. 6. 6 Justiça e Direitos Naturais 873 O sentimento de justiça é natural ou é resultado de ideias adquiridas? – É tão natural que vos revoltais com o pensamento de uma injustiça. O progresso moral desenvolve, sem dúvida, esse sentimento, mas não o dá: Deus o colocou no coração do homem; por isso encontrareis, muitas vezes, nos homens simples e primitivos noções mais exatas de justiça do que naqueles que têm muito conhecimento. 874 Se a justiça é uma lei natural, por que os homens a entendem de maneiras diferentes, e que um considere justo o que parece injusto a outro? – É que à Lei se misturam frequentemente paixões que alteram esse sentimento, como acontece com a maior parte dos outros sentimentos naturais, e fazem o homem ver as coisas sob um falso ponto de vista.
  7. 7. 7 Justiça e Direitos Naturais 875 Como se pode definir a justiça? – A justiça consiste no respeito aos direitos de cada um. 875 a O que determina esses direitos? – São determinados por duas coisas: a lei humana e a lei natural. Tendo os homens feito leis apropriadas aos seus costumes e caráter, essas leis estabeleceram direitos que variaram com o progresso dos conhecimentos. Observai que as vossas leis atuais, sem serem perfeitas, já não consagram os mesmos direitos da Idade Média. No entanto, esses direitos antiquados, que vos parecem monstruosos, pareciam justos e naturais naquela época. O direito estabelecido pelos homens nem sempre, portanto, está de acordo com a justiça. Regula apenas algumas relações sociais, enquanto, na vida particular, há uma imensidão de atos unicamente inerentes à consciência de cada um.
  8. 8. 8 Justiça e Direitos Naturais 876 Fora do direito consagrado pela lei humana, qual é a base da justiça fundada sobre a lei natural? – O Cristo disse: ―Não façais aos outros o que não quereis que vos façam‖. Deus colocou no coração do homem a regra de toda a verdadeira justiça pelo desejo que cada um tem de ver respeitados os seus direitos. Na incerteza do que fazer em relação ao semelhante numa determinada circunstância, o homem deve perguntar-se como desejaria que se fizesse com ele na mesma circunstância: Deus não poderia lhe dar um guia mais seguro do que a própria consciência.
  9. 9. 9 Justiça e Direitos Naturais 877 A necessidade para o homem de viver em sociedade lhe impõe obrigações particulares? – Sim, e a primeira de todas é a de respeitar os direitos dos semelhantes. Aquele que respeitar esses direitos sempre será justo. Em vosso mundo, onde tantos homens não praticam a lei da justiça, cada um usa de represálias, e isso gera perturbação e confusão em vossa sociedade. A vida social dá direitos e impõe deveres recíprocos. 878 Podendo o homem se enganar sobre a extensão de seu direito, quem pode fazê-lo conhecer esse limite? – O limite do direito será sempre o de dar aos seus semelhantes o mesmo que quer para si, em circunstâncias iguais e reciprocamente.
  10. 10. 10 A Justiça Divina Segundo o Espiritismo  É, pois, nas sucessivas encarnações que a alma se despoja das suas imperfeições, que se purga, em uma palavra, até que esteja bastante pura para deixar os mundos de expiação como a Terra, onde os homens expiam o passado e o presente, em proveito do futuro;  Depende de cada um prolongar ou abreviar a sua permanência, segundo o grau de adiantamento e pureza atingido pelo próprio esforço sobre si mesmo  O livramento se dá, não por conclusão de tempo nem por alheios méritos, mas pelo próprio mérito de cada um, consoante estas palavras do Cristo: — A cada um, segundo as suas obras, palavras que resumem integralmente a justiça de Deus.
  11. 11. 11 A Justiça Divina Segundo o Espiritismo  Devido às suas imperfeições, o Espírito culpado sofre primeiro na vida espiritual, sendo-lhe depois facultada a vida corporal como meio de reparação.  A expiação no mundo dos Espíritos e na Terra não constitui duplo castigo para eles, porém um complemento, um desdobramento do trabalho efetivo a facilitar o progresso.  Do Espírito depende aproveitá-lo.  A concessão dessa liberdade é uma prova da sabedoria, da bondade e da justiça de Deus, que quer que o homem tudo deva aos seus esforços e seja o obreiro do seu futuro  que, infeliz por mais ou menos tempo, não se queixe senão de si mesmo, pois que a rota do progresso lhe está sempre franca.
  12. 12. 12 A Justiça Divina Segundo o Espiritismo  Deus é soberanamente justo. A soberana justiça não é inexorável absolutamente, nem leva a complacência ao ponto de deixar impunes todas as faltas; ao contrário, pondera rigorosamente o bem e o mal, recompensando um e punindo outro equitativa e proporcionalmente, sem se enganar jamais na aplicação.  A felicidade ou infelicidade futura é consequência rigorosa da justiça de Deus, pois a identidade de condições para o bom e para o mau seria a negação dessa justiça.
  13. 13. 13 A Justiça Divina Segundo o Espiritismo  Para estar de acordo com a rigorosa justiça, chegaremos, pois, à conclusão de que as almas mais adiantadas são as atrasadas de outro tempo, com progressos posteriormente realizados.  Segundo a Doutrina Espírita, de acordo mesmo com as palavras do Evangelho, com a lógica e com a mais rigorosa justiça, o homem é o filho de suas obras, durante esta vida e depois da morte, nada devendo ao favoritismo: Deus o recompensa pelos esforços e pune pela negligência, isto por tanto tempo quanto nela persistir.  A cada um segundo as suas obras, no Céu como na Terra: — tal é a lei da Justiça Divina.
  14. 14. 14 Justiça dos Homens TRÊS ABORDAGENS PARA A JUSTIÇA  "Para saber se uma sociedade é justa, basta perguntar como ela distribui as coisas que valoriza - renda e riqueza, deveres e direitos, poderes e oportunidades, cargos e honrarias."  "Uma sociedade justa distribui esses bens da maneira mais correta; ela dá a cada indivíduo o que lhe é devido.‖  "As perguntas difíceis começam quando indagamos o que é devido às pessoas e por quê.‖
  15. 15. 15 Justiça dos Homens TRÊS ABORDAGENS PARA A JUSTIÇA  ―Ao refletir sobre o certo e o errado‖ em várias perguntas difíceis ―identificamos três maneiras de abordar a distribuição dos bens:  a que leva em consideração o bem-estar,  a que aborda a questão pela perspectiva da liberdade  e a que se baseia no conceito de virtude‖
  16. 16. 16 Justiça dos Homens TEORIA 1: leva em consideração o bem-estar (Utilitarista) JUSTIÇA: maximizar a felicidade para o maior número de pessoas.  A coisa certa a fazer é aquela que maximizará o prazer ou a felicidade e que evite a dor ou o sofrimento  1°) Não respeita os direitos individuais  2°) Reduz tudo que tem valor moral em uma única escala de prazer/felicidade e dor/sofrimento
  17. 17. 17 Justiça dos Homens TEORIA 2: Liberdade JUSTIÇA: respeito à liberdade de escolha.  1ª) Libertária: maximização dos direitos individuais em especial relacionados ao livre mercado e a minimização do papel do Estado.  ―Se sou dono de meu corpo, da minha vida e da minha pessoa, devo ser livre para fazer o que quiser com eles.‖
  18. 18. 18 Justiça dos Homens TEORIA 2: Liberdade JUSTIÇA: respeito à liberdade de escolha.  2ª) Igualitária: Autonomia – agir com uma lei que imponho a mim mesmo (Immanuel Kant e John Rawls) A Lei:  o homem ou a humanidade teria um fim em si mesmo e não um meio.  Somos merecedores de respeito, não porque somos donos de nós mesmos, mas porque somos seres racionais, capazes de agir e escolher livremente.  Sem autonomia não há responsabilidade moral.
  19. 19. 19 Justiça dos Homens TEORIA 3: Virtude e Vida Boa (justa) JUSTIÇA: definir direitos e deveres a partir do aprofundamento dos questionamentos morais envolvidos.  Liberdade de escolha não é uma base para uma sociedade justa  Princípios de justiça neutros são um equívoco
  20. 20. 20 Justiça dos Homens TEORIA 3: Virtude e Vida Boa (justa) JUSTIÇA: definir direitos e deveres a partir do aprofundamento dos questionamentos morais envolvidos. Sociedade justa – Política do bem comum  1- Cidadania: incentivar nos cidadãos a preocupação com o todo;  2- limites morais dos mercados (através do debate público): mercado é um instrumento mas não deve regular todas as questões  3- virtude cívica e solidariedade contra desigualdades: através de uma infraestrutura de renovação cívica.
  21. 21. 21 O BONDE DESGOVERNADO - situação 1 Suponha que vc seja o motorneiro de um bonde desgovernado avançando a sobre os trilhos a quase 100 km/h. Adiante, você vê cinco operários em pé sobre os trilhos, com as ferramentas na mão. Você tenta parar, mas não consegue. Os freios não funcionam. Você se desespera porque sabe que, se atropelar esses cinco operários, todos eles morrerão. (Suponhamos que você tenha certeza disso.) De repente, você nota um desvio para a direita. Há um operário naqueles trilhos também, mas apenas um. Você percebe que pode desviar o bonde, matando esse único trabalhador e poupando os outros cinco. O que você deveria fazer?
  22. 22. 22 O BONDE DESGOVERNADO - situação 2 Suponha que vc é um espectador, de pé numa ponte acima de trilhos de bonde. De repente você vê um bonde desgovernado avançando a sobre os trilhos a quase 100 km/h. Adiante, você vê cinco operários em pé sobre os trilhos, com as ferramentas na mão. Os freios do bonde não funcionam e ele está preste a atropelar os funcionários. Você se desespera porque sabe que, se esses cinco operários forem atropelados, todos eles morrerão. (Suponhamos que você tenha certeza disso.) Você se sente impotente para evitar o desastre - até que nota, perto de você, na ponte, um homem corpulento. Você poderia empurrá-lo sobre o trilho, no caminho do bonde que se aproxima. Ele morreria, mas os cinco operários seriam poupados. (Você pensa na hipótese de pular sobres os trilhos, mas se dá conta de que é muito leve para parar o bonde.) O que você deveria fazer?
  23. 23. 23 Conclusão ―Em vez de evitar as convicções morais e religiosas que nossos concidadãos levam para a vida pública, deveríamos nos dedicar a elas mais diretamente – às vezes contestando-as as vezes ouvindo-as e aprendendo com elas. Isso não é garantia de que haverá um consenso ou de que haverá a apreciação das concepções morais e religiosas dos demais de outro ou ainda que ao aprender mais sobre a doutrina moral de outro nos leve a gostar menos.‖
  24. 24. 24 Conclusão Ezequiel, Cap. 18  5. Se um homem for justo, se proceder segundo a equidade e a justiça;  7. Se não magoar nem oprimir ninguém; se entregar ao seu devedor o penhor que este lhe houver dado; se não tomar nada do bem de outrem por violência; se dá o seu pão a quem tem fome; se veste os que estão nus;  8. Se não se presta à usura e não percebe mais do que tem dado; se desvia sua mão da iniquidade e promove um juízo conciliatório entre dois que contendem;  9. Se caminha segundo a pauta dos meus preceitos e observa as minhas ordens para obrar conforme a verdade, esse homem é justo e viverá mui certamente, disse o Senhor Deus.
  25. 25. 25 Tenham todos uma BOA SEMANA Nossos materiais de trabalho da REUNIÃO DE PAIS encontram-se disponíveis no blog: http://grupodepaisceb.blogspot.com.br

×