Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Catolicismo

3,715 views

Published on

  • Be the first to comment

Catolicismo

  1. 1. CatolicismoProveniente do Cristianismo mais disseminada no mundo, o Catolicismo é a religiãoque tem maior número de adeptos no Brasil. Baseia-se na crença de que Jesus foi oMessias, enviado à Terra para redimir a Humanidade e restabelecer nosso laço deunião com Deus (daí o Novo Testamento, ou Nova Aliança). E também é uma doutrinaintrinsecamente ligada ao Judaísmo. Seu livro sagrado é a Bíblia, dividida em Velho eNovo Testamento. Do Velho Testamento, que corresponde ao período anterior aonascimento de Jesus, o Catolicismo aproveita não somente o Pentateuco (livrosatribuídos a Moisés), mas também agrega os chamados livros "deuterocanônicos":Tobias, Judite, Sabedoria, Eclesiástico, Baruque, Macabeus e alguns capítulos de Daniele Ester. Esses livros não são reconhecidos pelas religiões protestantes.O termo grego KATHOLICÓS significa “universal”, e foi aplicado à Igreja no sentido desua universalidade geográfica e conceitual. O termo “apostólica” vem da continuidadeda tradição e trabalho dos apóstolos, e o termo “romana” vem do fato da sedeprincipal estar situada em Roma.Este termo começou ser usada no século 2 da Era Cristã, traduzindo a idéia de que a fécristã já se achava disseminada por todo o planeta. No século 4 d.C., Santo Agostinhousou a designação "católica" para diferenciar a doutrina "verdadeira" das outras seitasde fundamentação cristã que começavam a surgir.Mas foi somente no século 16, mais precisamente após o Concílio de Trento (1571),que a expressão "Igreja Católica" passou a designar exclusivamente a Igreja que temseu centro no Vaticano. Cabe esclarecer que o Concílio de Trento aconteceu comoreação à Reforma Protestante, incitada pelo sacerdote alemão Martin Lutero.O Catolicismo ensina que o fiel deve obedecer as leis (dogmas) e não se manter nopecado. Mas quais são, afinal, os pecados? Pecar é não obedecer aos 10 Mandamentosde Moisés, incorrer num dos Sete Pecados Capitais, desrespeitar os 5 Mandamentos daIgreja ou ignorar os Mandamentos da Caridade.MANDAMENTOS DA CARIDADE: 1. AMARÁS AO SENHOR TEU DEUS DE TODO O TEU CORAÇÃO, DE TODA A TUA ALMA E DE TODA A TUA MENTE. 2. AMARÁS A TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO.SETE PECADOS CAPITAIS:Ira, gula, luxuria, avareza, inveja, soberba e preguiça.OS DEZ MANDAMENTOS DA LEI DE DEUS:Ensinada atualmente na catequese da Igreja Católica:
  2. 2. 1º Amar a Deus sobre todas as coisas2º Não invocar o Santo Nome de Deus em vão3º Guardar domingos e festas de guarda4º Honrar pai e mãe5º Não matar6º Guardar castidade nas palavras e nas obras7º Não roubar8º Não levantar falsos testemunhos9º Guardar castidade nos pensamentos e nos desejos10º Não cobiçar as coisas alheiasOS CINCO MANDAMENTOS DA IGREJA CATÓLICA:1- Participar da Missa aos Domingos e outras festas de guarda, ficando livre detrabalhos e de atividades que pudessem impedir a santificação desses diasNo Brasil os dias santos de guarda são:Santa Maria, Mãe de Deus - 01 de janeiroSantíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpus Christi) - data variável entre maio ejunho: 1ª quinta-feira após o domingo da Santíssima TrindadeImaculada Conceição de Maria - 08 de dezembroNatal de Nosso Senhor Jesus Cristo - 25 de dezembroO termo "Missa" vem de missão, uma vez que, para os primeiros cristãos , o cultoprestado a Deus é a vida em ação de graças.É um ato solene com que os católicoscelebram o sacrifício de Jesus Cristo na cruz. O ritual revive dois momentos da Paixãode Cristo: A Última Ceia, quando Jesus celebra o Pessach, pronunciando a bençãosobre o pão e o vinho, antecipando o seu sacrifício da Cruz e concretizando o desejo deperpetuar a sua presença junto dos discípulos e se põe em lugar do cordeirosacrificado em memória da libertação do povo hebreu da escravidão do Egito atravésdas obras divinas e a Crucificação quando Jesus se oferece como cordeiro puro eimaculado para o sacrifício expiatório dos pecados de toda a humanidade, sela a NovaCriação. Por isso também se diz que a Santa Missa é sacrifício incruento, é ritual desacrifício de uma vítima expiatória, que carrega para si as penas e os pecados daquelesque o oferecem, mas sem derramamento de sangue. Assim, pelo mistério daordenação de Cristo que mandou os cristãos celebrar este mistério e fundamentadono ensinamento da sinagoga (João 6, 54-58), o sacrifício da Missa é, para os cristãos, omesmo sacrifício da Cruz.2- Confessar-se ao menos uma vez por ano.3- Receber o sacramento da Eucaristia (COMUNHÃO) pelo menos pela Páscoa4- Abster-se de comer carne e observar o jejum nos dias estabelecidos pela IgrejaDias de jejum: quarta-feira de cinzas e sexta-feira santa.Dias de abstinência de carne: sextas-feiras da quaresma.
  3. 3. 5- Atender às necessidades materiais da Igreja, cada qual segundo as própriaspossibilidades.(DÍZIMO)No Catolicismo, o dogma é uma verdade revelada por Deus. Com isto o Dogma éimutável e definitivo (não pode ser revogado). Para que um ensinamento da Igrejaseja considerado um dogma é necessárias duas condições:1. O Sentido deve estar suficientemente manifestado;2. Esta doutrina deve ser definida pela Igreja como revelada.(PELO ESPIRITO SANTO)Lista dos dogmas proclamados pela Igreja Católica A Existência de Deus “A ideia de Deus não é inata em nós, mas temos a capacidade para conhecê-Lo comfacilidade, e de certo modo espontaneamente por meio de Sua obra" A Existência de Deus como Objeto de Fé “A existência de Deus não é apenas objeto do conhecimento da razão natural, mastambém é objeto da fé sobrenatural” A Unidade de Deus"Não existe mais que um único Deus "Deus é Eterno"Deus não tem princípio nem fim"Santíssima Trindade"Em Deus há três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo; e cada uma delas possui aessência divina que é numericamente a mesma "Jesus Cristo é verdadeiro Deus e filho de Deus por essência"O dogma diz que Jesus Cristo possui a infinita natureza divina com todas suasinfinitas perfeições, por haver sido engendrado eternamente por Deus."Jesus Cristo, ainda que homem, é Filho natural de Deus"O Pai celestial quando chegou a plenitude, enviou aos homens seu Filho, Jesus Cristo"através do Espírito Santo.Cristo imolou-se a si mesmo na cruz como verdadeiro e próprio sacrifício"Cristo, por sua natureza humana, era ao mesmo tempo sacerdote e oferenda, mas porsua natureza Divina, juntamente com o Pai e o Espírito Santo, era o que recebia osacrifício."
  4. 4. Cristo nos resgatou e reconciliou com Deus por meio do sacrifício de sua mortena cruz"Jesus Cristo quis oferecer-se a si mesmo a Deus Pai, como sacrifício apresentadosobre a ara da cruz em sua morte, para conseguir o eterno perdão da humanidade."Ao terceiro dia depois de sua morte, Cristo ressuscitou glorioso dentre osmortos."ao terceiro dia, ressuscitado por sua própria virtude, se levantou do sepulcro"Cristo subiu em corpo e alma aos céus e está sentado à direta de Deus Pai."ressuscitou dentre os mortos e subiu ao céu em Corpo e Alma"Tudo o que existe foi criado por Deus a partir do Nada"A criação do mundo do nada, não apenas é uma verdade fundamental da revelaçãocristã, mas também que ao mesmo tempo chega a alcançá-la a razão com apenas suasforças naturais, baseando-se nos argumentos cosmológicos e sobretudo no argumentoda contingência."Caráter temporal do mundo"O mundo teve princípio no tempo "Conservação do mundo"Deus conserva na existência a todas as coisas criadas "O homem é formado por corpo material e alma espiritual"a humana como comum constituída de corpo e alma"O pecado de Adão se propaga a todos seus descendentes por geração, não porimitação"Pecado, que é morte da alma, se propaga de Adão a todos seus descendentes porgeração e não por imitação, e que é inerente a cada indivíduo"O homem caído não pode redimir-se a si próprio"Somente um ato livre por parte do amor divino poderia restaurar a ordemsobrenatural, destruída pelo pecado"A Imaculada Conceição de Maria"A Santíssima Virgem Maria, no primeiro instante de sua conceição, foi por singulargraça e privilégio de Deus onipotente em previsão dos méritos de Cristo Jesus,Salvador do gênero humano, preservada imune de toda mancha de culpa original"Maria, Mãe de Deus"Maria gerara a Cristo segundo a natureza humana, mas quem dela nasce, ou seja, osujeito nascido não tem uma natureza humana, mas sim o suposto divino que asustenta, ou seja, o Verbo. Daí que o Filho de Maria é propriamente o Verbo quesubsiste na natureza humana; então Maria é verdadeira Mãe de Deus, posto que o
  5. 5. Verbo é Deus. Cristo: Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem"A Assunção de Maria"A Virgem Maria foi assumpta ao céu imediatamente depois que acabou sua vidaterrena; seu Corpo não sofreu nenhuma corrupção como sucederá com todos oshomens que ressuscitarão até o final dos tempos, passando pela decomposição."O Culto a Maria e aos santosAlém do culto a Jesus, o Catolicismo enfatiza o culto à Virgem Maria (mãe de JesusCristo) e a diversos santos. Este, aliás, foi um dos pontos de divergência mais sériosentre a Igreja Católica e outras correntes cristãs. Para os evangélicos, por exemplo, acrença no poder da Virgem e dos santos enquanto intermediadores entre Deus e oshomens constitui uma verdadeira heresia. No entanto, os teólogos católicosdiferenciam muito bem a adoração e a veneração: eles explicam que, na liturgiacatólica, somente Deus é adorado, na pessoa de Jesus, seu filho unigênito. O respeitoprestado à Virgem Maria e aos santos (estes últimos, pessoas que em vida tiveramuma conduta cristã impecável e exemplar) não constitui um rito de adoração.Vale ressaltar que o processo de canonização - que consagra uma pessoa como "santa"- é minucioso, estende-se ao longo de vários anos e baseiam-se numa série de relatos,pesquisas e provas testemunhais.A Igreja foi fundada pelo Deus e Homem, Jesus Cristo"Cristo fundou a Igreja, que Ele estabeleceu os fundamentos substanciais da mesma,no tocante a doutrina, culto e constituição"Cristo constituiu o Apóstolo São Pedro como primeiro entre os Apóstolos ecomo cabeça visível de toda Igreja, conferindo-lhe imediata e pessoalmente oprimado da jurisdição"O Romano Pontífice é o sucessor do bem-aventurado Pedro e tem o primado sobretodo rebanho"O Papa possui o pleno e supremo poder de jurisdição sobre toda Igreja, nãosomente em coisas de fé e costumes, mas também na disciplina e governo daIgreja"Conforme esta declaração, o poder do Papa é: de jurisdição, universal, supremo,pleno,ordinário, episcopal, imediato"O Papa é infalível sempre que se pronuncia ex-cátedra."Para compreender este dogma, convém ter na lembrança:Sujeito da infalibilidade papal é todo o Papa legítimo, em sua qualidade de sucessor dePedro e não outras pessoas ou organismos (ex.: congregações pontificais) a quem oPapa confere parte de sua autoridade magistral.O objeto da infalibilidade são as verdades de fé e costumes, reveladas ou em íntimaconexão com a revelação divina.A condição da infalibilidade é que o Papa fale ex-cátedra:
  6. 6. - Que fale como pastor e mestre de todos os fiéis fazendo uso de sua supremaautoridade.- Que tenha a intenção de definir alguma doutrina de fé ou costume para que sejaacreditada por todos os fiéis. As encíclicas pontificais não são definições ex-cátedra.A razão da infalibilidade é a assistência sobrenatural do Espírito Santo, que preserva osupremo mestre da Igreja de todo erro.A consequência da infalibilidade é que a definição ex-cátedra dos Papas sejam por simesmas irreformáveis, sem a intervenção ulterior de qualquer autoridade."A Igreja é infalível quando faz definição em matéria de fé e costumes"Estão sujeitos à infalibilidade: - O Papa, quando fala ex-cátedra - O episcopado pleno,com o Papa cabeça do episcopado, é infalível quando reunido em concílio universal oudisperso pelo rebanho da terra, ensina e promove uma verdade de fé ou de costumespara que todos os fiéis a sustentem".Os SacramentosO Batismo é verdadeiro Sacramento instituído por Jesus Cristo"Foi dado todo poder no céu e na terra; ide então e ensinai todas as pessoas,batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo"A Confirmação(CRISMA) é verdadeiro e próprio Sacramento"Este Sacramento concede aos batizados a fortaleza do Espírito Santo para que seconsolidem interiormente em sua vida sobrenatural e confessem exteriormente comvalentia sua fé em Jesus Cristo."A Confissão Sacramental dos pecados está prescrita por Direito Divino e é necessáriapara a salvação"Basta indicar a culpa da consciência apenas aos sacerdotes mediante confissãosecreta"A Igreja recebeu de Cristo o poder de perdoar os pecados cometidos após o Batismo"Foi comunicada aos Apóstolos e a seus legítimos sucessores o poder de perdoar e dereter os pecados para reconciliar aos fiéis caídos depois do Batismo" (através doEspírito Santo) A Eucaristia( comunhão) é verdadeiro Sacramento instituído por Cristo"Aquele que come Minha Carne e bebe Meu Sangue tem a vida eterna" Cristo está presente no sacramento do altar pela Transubstanciação de toda asubstância do pão em seu corpo e toda substância do vinho em seu sangue"Transubstanciação é uma conversão no sentido passivo; é o trânsito de uma coisa aoutra. Cessam as substâncias de Pão e Vinho, pois sucedem em seus lugares o Corpo eo Sangue de Cristo. A Transubstanciação é uma conversão milagrosa e singulardiferente das conversões naturais, porque não apenas a matéria como também aforma do pão e do vinho são convertidas; apenas os acidentes permanecem sem
  7. 7. mudar: continuamos vendo o pão e o vinho, mas substancialmente já não o são,porque neles está realmente o Corpo, o Sangue, Alma e Divindade de Cristo."A Unção dos enfermos é verdadeiro e próprio Sacramento instituído por Cristo."Existe algum enfermo entre nós? Façamos a unção do mesmo em nome do Senhor" A Ordem é verdadeiro e próprio Sacramento instituído por Cristo"Existe uma hierarquia instituída por ordenação Divina, que consta de Bispos,Presbíteros e Diáconos"O matrimônio é verdadeiro e próprio Sacramento"Cristo restaurou o matrimônio instituído e bendito por Deus, fazendo que recobrasseseu primitivo ideal da unidade e indissolubilidade e elevando-o a dignidade deSacramento." ( onde os noivos que fazem os votos de cumprimentos da lei domatrimônio e o padre é somente testemunha de Deus.**************A Morte e sua origem"A morte, na atual ordem de salvação, é consequência primitiva do pecado"Céu e o InfernoA recompensa máxima esperada pelo fiel católico é a salvação de sua alma, que após amorte adentrará o Paraíso e lá gozará de descanso eterno, junto de Deus Pai, dossantos e de Jesus Cristo.No caso de um cristão morrer com algumas "contas em aberto" com o plano celestial,ele terá de fazer acertos - que talvez incluam uma passagem pelo Purgatório, espéciede reino intermediário onde a alma será submetida a uma série de suplícios epenitências, a fim de se purificar. A intensidade dos castigos e o período depermanência nesse estágio vão depender do tipo de vida que a pessoa levou na Terra.Mas o grande castigo mesmo é a condenação da alma à perdição eterna, que aconteceno Inferno. É para lá que, de acordo com os preceitos católicos, são conduzidos ospecadores renitentes. Um suplício e tanto, que jamais se acaba e inclui o convívio comSatanás, o senhor das trevas e personificação de todo o Mal.O Fim do mundo e a Segunda Vinda de Cristo"No fim do mundo, Cristo, rodeado de majestade, virá de novo para julgar os homens"A Ressurreição dos Mortos no Último Dia"Aos que crêem em Jesus e comem de Seu corpo e bebem de Seu sangue, Ele lhespromete a ressurreição"
  8. 8. O Juízo Universal"Cristo, depois de seu retorno, julgará a todos os homens."HIERARQUIA:O PAPA é o chefe supremo da Igreja Católica Apostólica Romana, e além de SupremoPontífice da Igreja Universal e soberano do Vaticano ele acumula os títulos de Bispo deRoma, Primaz da Itália, Arcebispo e Metropolita da Província Romana e Patriarca doOcidente. O cargo de Papa é vitalício, eleito pelo Santo Colégio dos Cardeais reunidosem Roma, e é o único cargo hierárquico que se manteve desde os dias do ImpérioRomano. O Papa é o sucessor do apóstolo Pedro, o primeiro Bispo de Roma, nomeadopor Jesus a pedra fundamental da Igreja em Mateus 16, 17-19.Que diz (17) E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas,porque tu não revelaste a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.(18) Poistambém eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e asportas do inferno não prevalecerão contra ela;(19) E eu te darei as chaves do reinodos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares naterra será desligado nos céus.A denominação CARDEAL apareceu no século VI e tem o significado de “superioreminente”, de onde provém o tratamento de “eminência”. O título é conferido a algunsBispos que funcionam como colaboradores e conselheiros imediatos do Papa, eservem como enviados, chefes de congregações e tribunais da Cúria Romana. A partirdo ano 1179, o Concílio de Latrão lhes conferiu o direito de eleger o papa no SacroColégio.O Cardeal pode provir de qualquer Ordem secular, portanto há Cardeais Bispos,Cardeais Presbíteros (maior número dentro do Sacro Colégio, encarregados dosdeveres pastorais e administrativos no Vaticano) e Cardeais Diáconos (númerolimitado de cardeais encarregados das missões de ajuda aos pobres na cidade deRoma).O termo BISPO vem da palavra grega EPISKOPOI, que significa“supervisor”, e os Bispos são considerados os sucessores dos Apóstolos, aos quaisJesus confiou a tríplice missão de magistério, ordem e jurisdição. Os Bispos sãonomeados pelo Papa, recebendo jurisdição ordinária sobre os fiéis de sua Diocese ouCircunscrição Eclesiástica, composta por Paróquias.Diocese: oriundo da palavra grega “ DIOKESIS” que significa administração da casa,esta denominação antiga das províncias administrativas romanas depois foi aplicadaàs circunscrições eclesiásticas da Igreja Católica. O administrador da antiga dioceseromana se chamava VIGARIUS, um funcionário da ordem eqüestre diretamentecomandada pelo Imperador, e posteriormente o termo VIGÁRIO também foi aplicadoao religioso administrador de uma diocese católica
  9. 9. Paróquias: termo derivado do grego PAROIKIA, que significa a “ segunda casa” , e seaplica na Igreja Católica às subdivisões da Diocese, cada uma delas confiada a umPároco.A pedra do anel do bispo é a ametista, símbolo de fidelidade à Igreja, seu Báculo oubastão pastoral representa sua função de conduzir o rebanho de fiéis a ele confiado, eo uso de uma Cruz peitoral, meias e sandálias vermelhas, luvas de púrpura e mitra sedeve a antigas tradições orientais. Ao assumir, cargo episcopal, cada Bispo escolhe umbrasão de armas e um lema que definirá o ideal de seu ministério. Alguns Bisposassumem autoridade sobre outros Bispos da região, e são denominados Arcebispos,outros assumem as funções de Cardeal.Na extremidade final da linha hierárquica da Igreja, existem duas Ordens: o clerosecular, ou Ordens Maiores, e o clero regular, ou ordens fechadas, cujos religiosos sesubmetem a regras específicas de vida ou tipos de atividades, como é o caso dosmonges.As ordens Maiores se compõem de: • Diáconos (DIACONATO) • Padres (PRESBITERATO) • BISPOS (EPISCOPADO)As Ordens Regulares são: • Ordem de São Bento (monges beneditinos) • Companhia de Jesus (padres jesuítas) • Irmãos Maristas • Irmãos Rogacionistas • Ordem dos Salvatorianos • Ordem dos Franciscanos • Irmãos Dominicanos • Ordem dos Salesianos • Irmãs PaulinasLeigos (fiéis)
  10. 10. A maioria dos membros da Igreja Católica são leigos, que têm a missão detestemunhar e difundir o Evangelho, bem como uma vocação própria a de procurar oReino de Deus iluminando e ordenando as realidades temporais segundo Deus,correspondendo assim ao chamamento à santidade e ao apostolado, dirigido a todosos batizados. Mas, mesmo assim, eles devem também participar das mais diversasformas no governo e administração das suas igrejas locais. A origem da palavra leigo,vem do grego "Laos theon", que significa o "Povo de Deus".Antigamente relegado para um papel secundário pela hierarquia eclesiástica, os leigoshoje, tornaram-se cada vez mais importantes e influentes no seio da vida eclesialporque, desde o Concílio do VaticanoII, eles gozam de igualdade em relação ao clero,em termos de dignidade, mas não de funções. Desde então, os leigos tornaram-se,como por exemplo, mais ativos e dinâmicos na administração das igrejas, naangariação de fundos, na organização e participação de expressões de culto (sendo,como por exemplo, acólitos, leitores ou membros da cantoria) e de outras atividadesparoquiais ou diocesanas, na catequese, no apostolado, na evangelização, nasolidariedade social, entre outras áreas.Atualmente, os leigos podem ser divididos em dois grupos: o dos católicos nãopraticantes, que tende ser cada vez maior nos países desenvolvidos e ocidentais; e odos católicos praticantes. Mas esta classificação não está oficializada pela IgrejaCatólica.Fontes de consulta:http://www.brazilsite.com.br/religiao/catolica/cat02.htmhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Hierarquia_catolicahttp://pt.wikipedia.org/wiki/Dogmas_da_Igreja_Catolica

×