Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aula1 revolucao industrial_01

4,034 views

Published on

  • Be the first to comment

Aula1 revolucao industrial_01

  1. 1. Ciência, Tecnologia e Sociedade Aula“A Primeira Revolução Industrial: transição para o capitalismo. Manufatura e Grande Indústria. O nascimento da fábrica”
  2. 2. Plano da aula Apresentar conceitos Revolução Industrial no séc. xviii  Ambiente de organização social e econômica  Por que na Inglaterra  Principais transformações
  3. 3. 1- Posicionamento do tema (um quadro para se posicionar)Período Meio de Forma de Modo de Principaise Local produção organização produção indústrias da produção1770 a máquina fabril capitalis Têxtil,1810 s mo metalurgiInglaterr a, carvão,a ferroviário
  4. 4. 2- A transição para o modocapitalista de produção e a acumulação primitiva do capital
  5. 5. Conceitos Capital, Riqueza e patrimônio Criação de valor Excedente e lucro Mercado interno Divisão internacional do trabalho Protecionismo
  6. 6. Conceitos Bens de capital  Bens que servem para a produção de outros bens, tais como máquinas, equipamentos, material de transporte etc Bens Intermediários  Bens manufaturados ou m.p. processadas que são empregados para a produção de outros bens ou produtos finais: lingote de aço, energia Bens de produção  Capital + intermediários + matérias primas
  7. 7. O que é a acumulação primitiva- Separação entre os detentores e os não-detentores dos meios de produção- Acumulação primitiva é a história dessa separação. Uma vez estabelecida, este modo de produção é mantido e reproduzido- O cerne do processo é a expropriação de um meio de produção fundamental- reorganização da base fundiária (processo longo, mais de dois séculos)- É a dissolução completa da estrutura feudal
  8. 8. O Processo de expropriação• Prelúdio: fim do séc. XV e início do XVI – transformação de lavouras em pastagens para indústria da lã pelos senhores feudais em busca de dinheiro- Séc. XVI Reforma Protestante e secularização das terras da Igreja- Séc. XVII Rev. Gloriosa de 1688 apropriou-se de terras do Estado- Séc. XVIII os cercamentos ou enclousers- Termina com o clearing of Estates
  9. 9. Uma nova condição social- A produção agrícola passa a ser para o mercado- Crescimento das cidades e nelas de mão-de-obra disponível para o trabalho assalariado- Maior interesse na valorização do dinheiro por meio da produção – novo status- Estímulo aos mercados interno e externo; estímulo à acumulacão e ao investimento produtivo- Mas por que na Inglaterra e por que naquele momento?
  10. 10. 3- As origens da Revolução Industrial
  11. 11. A Inglaterra no séc. XVIII- Era uma nação de lojistas, por isso mesmo muito voltada ao comércio- Forte relação entre Estado, Guerra e Comércio- Proprietários de terra passam a ter interesse na indústria e o poder político dos produtores manufatureiros era maior que o dos mercadores- Assim, houve forte protecionismo à indústria, antes do liberalismo…
  12. 12. 4- As condições que viabilizaram a RI
  13. 13. Fatores principais: mercado interno, mercado externo e governoA) mercado interno:- papel gradual, ampla diversificação e especialização da produção; construção de infra-estrutura, demanda por alimento e combustível, bens de toda ordem- transportes – canais, estradas de rodagem e de ferro. No final do séc. toda a Inglaterra estava cortada por canais e estradas- Agricultura para mercado e agroindústria- Carvão e ferro – cidades e máquinas e estradas de ferro- “O mercado interno supriu a fogueira de combustível e de ventilação suficientes” (H, p 45)
  14. 14. Fatores principais…B) mercado externo:- expandiu-se enormemente, aumentando à razão geométrica.- Entre 1780 e 1800, exportações passam de 14 para 42 milhões de Libras- “o país que conseguisse concentrar os mercados de exportação de outros povos tornava a RI não só viável como automática” (H, p 46)- com isto eliminava a possibilidade de outras nações o fazerem
  15. 15. Fatores principais…C) Governo:- Grã Bretanha disposta a subordinar toda a política externa a interesses econômicos- As guerras garantiram o monopólio sobre as colônias e criaram enorme demanda para o investimento privado, inclusive em infra-estrutura: “valia a pena para o empresário adotar métodos revolucionários para cumprir seus prazos”.(H 47)- Ademais, criou leis que favoreciam o crescimento econômico: - cercamentos via Parlamento, - legislação tarifária e de regulamentação favorável à indústria local
  16. 16. A Inglaterra era uma nação…- Politicamente reformada- Com um campesinato em decadência- Com grandes fluxos comerciais, inclusive no mercado externo- Com atividades manufatureiras em curso por várias regiões do país- Abundância de K com disposição para investimento produtivo
  17. 17. 5- Máquinas, maquinismo e grande indústria
  18. 18. Novos meios de produção e novas formas deorganização da produção Ampliação da escala de produção Especialização da produção Máquinas e maquinismo Organização em fábricas Assalariamento (na indústria e na agricultura) Sistema de fornecedores de mp e compradores de manufaturados
  19. 19. Qual a diferença entre uso de máquinas e maquinismo?- “O que é recente não são as máquinas, mas o maquinismo…Para que o maquinismo reine não basta que a máquina concorra para a produção: é preciso que ela se tenha convertido no fator essencial, que ela determine a quantidade, a qualidade e o preço de custo dos produtos” (M, p178-9)- A grande revolução foi a produção fabril em larga escala, o extraordinário acúmulo de capital e a separação de classes
  20. 20. Características da transição da Manufatura para a Grande IndústriaCaracterísticas Manufatura Grande Indústria-Período Séc. XVI a XVIII Séc. XVIII –-Sistema Doméstico Fabril-Capital empregado Comercial, fundiário, Comercial, fundiário, financeiro financeiro, industrial-Meio de produção Ferramentas e Máquinas – máquinas isoladas Maquinismo-Agricultura Subsistëncia, renda Capitalista – p/ mercado complementar-Atores sociais na Mestre artesão, Capitalista, proletariadoprodução mercador manuf.
  21. 21. Características da transição da Manufaturapara a Grande Indústria – Organização do TrabalhoManufatura Grande Indústria-Processo fabricação simples -Processo complexo-Ferramentas como extensão dos -Máquina comandabraços braços-Homem define ritmo -Máquina define ritmo-Trabalho em domicílio e -Concentração emfamiliar fábricas-Operários domiciliares -Proletariado industrial-Caráter individual da produção -Caráter coletivo-Tempos livres -Disciplina das fábricas
  22. 22. 6- Características do desenvolvimento tecnológico na Rev. Industrial
  23. 23. As principais indústriasIndústria têxtil do algodão:- gargalos tecnológicos criavam necessidade de inovação-desenvolvimento técnico pelo aprimoramento e invençãode novas máquinas – empirismo-Uma combinação do novo com o antigoForça motriz: da água para o vapor (fundamentocientífico)Fonte de energia: carvão mineralMetalurgiaEstradas de ferro
  24. 24. A máquina a vapor Desenvolvimento lento:  máquina de Savery 1698 para bombear água de minas;  Máquina de Newcomen 1705 (bomba de fogo e máquina hidráulica – criar vácuo)  James Watt – trabalho de 1764 a 1769 uso da pressão do vapor  1775 iniciam-se vendas (sociedade com investidor)  Apenas 1787 passa a ser rentável Esta máquina exigiu melhoramentos em todo o sistema produtivo Ela abriu a última e mais decisiva fase da RI, liberou o maquinismo de seus entraves qto à fonte de energia Trouxe a interdependência técnica ao novo sistema técnico que se inaugurava
  25. 25. ConclusãoProcesso longo, baseado na transformação da base socialde produçãoDeu início ao maquinismo que é a produção pelasmáquinas e a produção de máquinas por máquinasCrescimento dos mercados interno e externo, comocombustível e centelha, e estímulo do governoFoi uma revolução de natureza tecnológica e empírica, jáabrindo caminhos para o uso sistemático da ciência pelaindústria – tema fundamental da próxima aula
  26. 26. Por que uma Revolução? A grande revolução era a produção fabril em larga escala, a divisão do trabalho e oextraordinário acúmulo de capital e de separação de classes decorrente deste novo modo de produção  o capitalismo fabril.

×