Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal

142 views

Published on

Lei de adoração

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

2016 02-05-ciclo ce-lei-de_adoracao_prece_evangelho-marisal

  1. 1. Lei de Adoração Prece e Evangelho Ciclo Conhecendo o Espiritismo http://www.kardecian.org/
  2. 2. Lei de Adoração: Em que consiste a Adoração. Maneira de adorar a Deus segundo o Espiritismo. Prece: Conceito de Prece Importância Eficácia e Ação Envagelho No Lar: Ato de adoração a Deus. Importância. ROTEIRO DO ESTUDO
  3. 3. As Leis Morais Lei Divina ou Natural • Lei de Adoração • Lei do Trabalho • Lei de Reprodução • Lei da Conservação • Lei da Destruição • Lei da Sociedade • Lei do Progresso • Lei da Igualdade • Lei da Liberdade • Lei da Justiça, Amor e Caridade
  4. 4. LEI DE ADORAÇÃO - “É sentimento inato, como o da Divindade. O homem é levado pela consciência de sua fraqueza a curva-se ante Aquele que o pode proteger.” -“Não. Jamais houveram povos ateus. Todos compreendem a existência de um ser supremo, acima deles próprios.” LE 650. A adoração resulta de um sentimento inato ou é produto do ensino? LE 651. Houve povos desprovidos de qualquer sentimento de adoração?
  5. 5. LEI DE ADORAÇÃO “Ela está na lei natural pois é resultado de um sentimento inato no homen. Por isto a encontrais em todos os povos, posto que sob formas diferentes. ” deuses vingativos; deuses guerreiros; deuses que necessitavam de agrados; - animais ferozes; fenômenos da natureza, etc. LE 652. Pode considerar-se a adoração como tendo sua fonte na lei natural?
  6. 6. LEI DE ADORAÇÃO O processo de adoração acompanha a evolução da criatura humana, uma vez que, como o homem evolui intelecto e moralmente, aperfeiçoa também sua concepção de Deus e a sua forma de adorá-lo.
  7. 7. LEI DE ADORAÇÃO Dicionário Houaiss: culto que se rende a alguém ou a algo considerado divindade Segundo o espiritismo: consiste na elevação do pensamento a Deus. Os Espíritos superiores nos esclarecem que adoração verdadeira é do coração. Em todas as vossas ações, lembrai-vos sempre de que o Senhor tem sobre vós o olhar. (LE 653) Todos os homens são irmãos e filhos de Deus. Deus chama a si todos que seguem sua lei seja qual for a forma sob a qual esta é expressa. INTENÇÃO
  8. 8. Década de 60: os homens estavam tão inebriados com o progresso científico que, em diversos jornais e revistas, foram publicados artigos que decretavam a morte de Deus. Nos dias atuais: a Ciência é incapaz de atender as necessidades crescentes do homem sejam físicas, emocionais, afetivas, sociais ou espirituais LEIS NATURAIS LEI DE ADORAÇÃO
  9. 9. IDÉIA DE DEUS NA HUMANIDADE 653 A adoração tem necessidade de manifestações exteriores? A verdadeira adoração é a do coração. LEI DE ADORAÇÃO Politeísmo Monoteísmo
  10. 10. Conceito de Prece (cont.) • “(…) a prece deve ser uma expansão íntima da alma para com Deus, um colóquio solitário,uma meditação sempre útil, muitas vezes fecunda. É por excelência o refúgio dos aflitos, dos corações magoados…” (Léon Denis – Depois da Morte – 5a. Parte cap. LI (A prece)
  11. 11. PRECE LE - 659 - Qual é o caráter geral da prece? – A prece é um ato de adoração. Orar a Deus é pensar n’Ele; é se aproximar d’Ele; é se colocar em comunicação com Ele. PRECE PEDIR AGRADECER Prece de louvor a Deus pela beleza, pela natureza, pela perfeição, por puro amor ao pai, é uma mensagem de carinho, de afeto e de ternura, por entender o que é amar a Deus sobre todas as coisas é necessário saber o que pedir, o que se deve e o que não se deve pedir; é muito importante perceber a resposta, que muitas vezes não é a que nós queremos, mas é a que nós necessitamos. Agradecer aquilo que temos, que recebemos, as oportunidades, os talentos, as bênçãos. Louvar
  12. 12. Pai Nosso • O Pai Nosso representa o mais perfeito modelo de concisão, verdadeira obra-prima de sublimidade e simplicidade.  Jesus (Mateus 6:9-13) 12
  13. 13. FINALIDADES DA PRECE Pedido: por nós ou por outra pessoa  é necessário saber pedir;  A resposta muitas vezes não é a que nós queremos, mas a que necessitamos. Reconhecimento ou agradecimento  agradecer o que temos, o que recebemos: as oportunidades, os talentos, as bênçãos etc Louvor  prece de louvor a Deus pela beleza, pela natureza, pela perfeição, por puro amor ao pai, é uma mensagem de carinho, de afeto e de ternura, por entender o que é amar a Deus sobre todas as coisas 13
  14. 14. – O Espírito daquele que ora age pela sua vontade de fazer o bem. Pela prece, atrai bons Espíritos que se associam ao bem que quer fazer. LE 662 . PRECE É VÁLIDO ORAR PARA OUTRA PESSOA?
  15. 15. MECANISMO DA PRECE Todos nos estamos mergulhados no fluido universal, que ocupa o espaço todos os seres, encarnados e desencarnados, tal qual nos achamos, neste mundo, dentro da atmosfera. Esse fluido recebe da vontade uma impulsão; ele é o veículo do pensamento, como o ar o é do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao passo que as do fluido universal se estendem ao infinito O Espiritismo torna compreensível a ação da prece, explicando o modo de transmissão do pensamento.
  16. 16. “(...) A ENERGIA DA CORRENTE GUARDA PROPORÇÃO COM A DO PENSAMENTO E DA VONTADE. É ASSIM, QUE OS ESPÍRITOS OUVEM A PRECE QUE LHE É DIRIGIDA, QUALQUER QUE SEJA O LUGAR ONDE SE ENCONTREM (...)” MECANISMO DA PRECE
  17. 17. Energias Elevadas Estado de Prece METABOLIZAÇÃO 17
  18. 18. LUGAR ESPECIAL PARA SE FAZER A PRECE O templo fundamental da cada ser humano é o seu coração. A prece sentida não exige locais. Ninguém pode imaginar, enquanto na Terra, o valor, a extensão e a eficácia de uma prece nascida na fonte viva do sentimento Emmanuel - (Reformador - 6/953) [55 - página 151]
  19. 19. ATITUDE PERANTE A PRECE “O (…) trabalho da prece é mais importante do que se pode imaginar no círculo dos encarnados. Não há prece sem reposta. É a oração, filha do amor, não é apenas súplica. É comunhão entre o criador e criatura, constituindo, assim, o mais poderoso influxo magnético que conhecemos.” ( Os Mensageiros de André Luiz – Cap. 25)
  20. 20. O QUE É EVANGELHO NO LAR CONCEITO oÉ uma reunião da família em dia e hora certos, para estudo do Evangelho e oração em conjunto. o É uma reunião familiar de estudo e reflexão dos ensinamentos de Jesus, interpretadas à luz da Doutrina Espírita, na qual se utiliza a prece como instrumento de ligação com o Senhor da Vida. ” (Missionários da Luz – André Luiz, Cap. 6)
  21. 21. IMPORTÂNCIA DO EVANGELHO NO LAR • “Não é somente a moradia dos corpos, mas, acima de tudo, a residência das almas. • santuário doméstico que encontre criaturas amantes da oração e dos sentimento elevados, converte-se em campo sublime das mais belas florações e colheitas espirituais” (Missionários da Luz – André Luiz, Cap. 6) No Lar que realiza o Evangelho :
  22. 22. A presença deve ser sempre espontânea e jamais imposta. Ainda que seja uma única pessoa deve-se fazer o Evang. No Lar QUEM PARTICIPA DO EVANGELHO NO LAR ?
  23. 23. ROTEIRO PARA A REALIZAÇÃO DO EVANGELHO NO LAR Desenvolvimento: Prece inicial Leitura e comentário de Uma página do evangelho. A reunião pode ser enriquecida, conforme o caso, com poesia, história ou narrativa de fatos reais Prece de encerramento (ocasião em que se pode orar pelos que não puderam estar presentes: parentes, amigos, vizinhos, etc..
  24. 24. RECOMENDAÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DO EVANGELHO NO LAR Não ultrapasse uma hora de duração; Abster-se de manifestações de Espíritos; Pode-se colocar águar para que seja magnetizada pelos Benfeitores Espirituais; Realizar a reunião semanalmente em dia e horário marcado;
  25. 25. EVANGELHO NO LAR Nunca poderemos enumerar todos os benefícios da oração.
  26. 26. -Quem tem Medo da Morte, Richard Simonetti -Evangelho Segundo o Espiritismo, Alan Kardec (cap. XVII) -Apostila do ESDE Módulo IX – Lei de Adoração -Os Missionários da Luz- André Luiz - Cap. 6 A Oração -Os Mensageiros– André Luiz – Cap. 25 e Cap. 37 -Conhecendo o Espiritismo - Adenáuer Novaes –Cap. 18 BIBLIOGRAFIA

×