Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Novo

6,475 views

Published on

Published in: Education, Travel, Technology
  • Be the first to comment

Novo

  1. 1. O arranque da Revolução industrial<br />História Escola Secundária Caldas Das Taipas<br />
  2. 2. Revolução Industrial<br />Termo utilizado por alguns historiadores para designar o conjunto das transformações tecnológicas e industriais que, de forma radical, ocorreu entre cerca de 1780 e 1850 na Inglaterra, alastrando, no decurso do século XIX, ao continente europeu, América do Norte e Japão.<br />
  3. 3. A hegemonia inglesa<br />Na segunda metade do século XVIII, a Inglaterra foi pioneira na revolução Industrial porque reunia um conjunto de condições que lhe permitiram iniciar profundas transformações no domínio da indústria.<br /> As condições que explicam esse pioneirismo são muitas e de diversa natureza:<br /><ul><li>A recente revolução agrícola que ajudou a um aumento do dinheiro e de capital;
  4. 4. Dispunha das matérias primas necessárias ao arranque industrial: carvão, hulha, ferro, lã, algodão, madeira;</li></ul>Inglaterra industrial<br />Inicio do século XIX<br />Produção de Hulha na Grã-Bretanha<br />
  5. 5. “O comércio e as manufacturas das cidades, em lugar de serem efeito da cultura e do melhoramento das terras, são a sua causa(…).<br /> Em particular, o comércio colonial tem a vantagem de oferecer um mercado vasto, ainda que longínquo, para os produtos da indústria inglesa que excedem a procura dos mercados mais próximos. Isto encoraja a Grã-Bretanha a aumentar continuamente os seus excedentes, portanto a quantidade de trabalho produtivo. Por sua vez, os operários das manufacturas, que têm assim emprego, formam um novo mercado interno para os produtos da terra.”<br />AdamSmith, A Riqueza das Nações,1776<br />As colónias eram uma fonte abastecedora de matérias – primas e o principal consumidor de produtos manufacturados;<br />Tinha uma importante rede de comunicações e transporte: bons portos, canais e condições de transporte;<br />Supremacia naval inglesa, com os actos de navegação e comércio que asseguravam a exclusividade aos navios ingleses para o transporte de mercadorias para o seu país;<br />
  6. 6. Crescimento demográfico, que resulta num acréscimo da mão-de-obra necessária á industrialização crescente da Inglaterra;<br />Avanços técnico-científicos no século anterior, tornaram-se fundamentais;<br />Avanços tecnológicos no sector têxtil (lã e algodão);<br />A População de Inglaterra e País de Gales<br />Tear mecânico<br />
  7. 7. O poder político, através de um regime parlamentarista, baseado na nobreza (agrária) e a burguesia (mercantil e manufactureira);<br />As condições geográficas: a localização da Inglaterra na parte ocidental da Europa facilita o acesso às mais importantes rotas de comércio internacional; <br />Um amplo mercado, quer externo quer interno;<br />Comércio triangular<br />
  8. 8. Mudanças e progressos<br />Produção em pequenas quantidades<br />Produção artesanal<br />Trabalho artesanal<br />Artesãos<br />Mecanização<br />Produção em Série<br />Trabalho repetitivo<br />Operários<br />Evolução do número de operários e artesãos<br />Progressos na indústria<br />
  9. 9. Eficácia e rapidez da produção<br />Progressos na Indústria<br />Aumento das vendas<br />Aparecimento de fábricas de grandes dimensões<br />Desenvolvimento da indústria metalúrgica<br />Interior de uma fábrica em Inglaterra, durante a revolução industrial<br />
  10. 10. Nasce uma nova paisagem, a Inglaterra passou de um país agrícola a uma sociedade<br />industrializada.<br />
  11. 11. Sectores de arranque<br />Sector algodoeiro<br /> A indústria têxtil, e em particular a algodoeira, funcionou como o primeiro sector de arranque da revolução industrial. A prioridade do algodão deve-se aos factos:<br /><ul><li> Não exige grandes investimentos iniciais;
  12. 12. Não exige qualificações técnicas extraordinárias;
  13. 13. A fibra de algodão revela-se adaptável ao tratamento mecânico;
  14. 14. Esta matéria prima era abundante nas colónias inglesas;
  15. 15. Aumento da procura interna e externa.</li></ul>Indústria têxtil<br />
  16. 16. A indústria Metalúrgica<br /> Numa segunda fase, que se iniciou entre 1830 e 1840 a indústria metalúrgica assumiu a liderança do processo industrial, estimulada pela enorme procura de :<br /><ul><li>ferramentas para a agricultura;
  17. 17. de máquinas para a indústria ;
  18. 18. equipamentos para os novos meios de transporte e vias de comunicação;</li></ul> A indústria metalúrgica acompanhou o desenvolvimento industrial, como fornecedora de máquinas e outros equipamentos.<br />Ponte de Coalbrookdale<br />
  19. 19.
  20. 20. Progressos técnicos<br />1733- lançadeira volante – JonhKay<br />1764- «spinning-jenny» - JamesHargreaves<br />1768- «water frame» - RichardArkwright<br />1774- «mule-jenny» - Samuel crompton<br />1709- fundição do coque - A. Darby<br />1739- fabrico do aço fundido – Munstman<br />1783-84- pudelagem- Henry Cort e Peter Onions<br />1767- Máquina a vapor - James Watt<br />Sector têxtil<br />Indústria metalúrgica<br />
  21. 21. A máquina a vapor<br /> Uma dos grandes pesos na revolução industrial foi a nova invenção de James Watt o criador da maquina a vapor, que mostrou ser um grandes investimento, contando com a facilidade de transporte. Inventor escocês (1736-1819), ficou célebre por o seu trabalho no sector industrial, melhorou a máquina a vapor de Newcomen.<br />Máquina a vapor de James Watt<br />
  22. 22. Progressiva concentração industrial nas cidades<br />Maior acesso á mão de obra, aos consumidores e ás vias de comunicação<br />Crescimento desordenado dos subúrbios, poluição, falta de alojamento<br />
  23. 23. Trabalho realizado por:<br /><ul><li>Anabela nº5
  24. 24. Margarida nº 15</li></ul>História A<br />11ºH- Línguas e humanidades<br />

×