Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
134Cf i c h atécnica               48             AutoresCarlos Coutinho e M. Mouta Faria   Propriedade: D.R.A.E.D.M.     ...
A raposa é um animal astuto. Porisso, não perde a oportunidade deassaltar um galinheiro (se tiver poronde entrar). No enta...
A águia-de-asa-redonda e o milhafre--preto apanham grande variedade depresas (ratos, lagartixas, cobras, rãs,etc.). Comem ...
Muita gente tem medo das cobras,mas não há razão para isso; elas não                                                      ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

48 animais auxiliares da agricultura

3,318 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

48 animais auxiliares da agricultura

  1. 1. 134Cf i c h atécnica 48 AutoresCarlos Coutinho e M. Mouta Faria Propriedade: D.R.A.E.D.M. Edição e distribuição:Div. Doc. Inf. e Relações PúblicasTerceira edição: Junho de 2005 Tiragem: 10 000 exemplares O ouriço-cacheiro (22 a 27 cm) é um animal de hábitos nocturnos, que se esconde na sua toca durante o dia. Com o seu faro apuradíssimo, procura insectos, lagartas, lesmas e caracóis. Também gosta de fruta caída no chão, mas não é verdade que trepe às árvores nem que a transporte espetada nos espinhos, como às vezes se diz. Não causa qualquer prejuízo à agricultura. Antes pelo contrário...Há muitos animais úteis à agricultura que vivem em liberdade nos campos e bouças, dos quais muitas vezes nem nos apercebemos. No entanto, são de grande importância para o equilíbrio do ambiente agrícola.A sua utilidade está no facto de caçarem animais (sobretudo ratos e insectos), que se multiplicam em grande número à custa dos produtos agrícolas e que nem sempre é possível controlar só com pesticidas.Por vezes, alguns destes animais nossos amigos, como as doninhas e as toupeiras, também nos causam alguns dissabores. Mas, devido aos serviços que prestam, é no nosso próprio interesse que os devemos proteger.Por isso, é necessário conservar os seus habitats: silvados e moitas em volta dos campos, buracos dos muros, tocas subterrâneas e troncos de árvores velhas, presas e tanques de rega e mesmo os sótãos e recantos das casas e instalações agrícolas. As limpezas que é preciso fazer de vez em quando, devem ser realizadas de forma a não prejudicar a sua reprodução. Os habitats semi-naturais diversificados são muito importantes para os animais auxiliares. Cobra-de-água-de colar. Todas a cobras são animais úteis, e apenas uma espécie é potencialmente perigosa.
  2. 2. A raposa é um animal astuto. Porisso, não perde a oportunidade deassaltar um galinheiro (se tiver poronde entrar). No entanto, a sua Raposavariada alimentação compõe-se (corpo: 65 cmsobretudo de ratos do campo, cauda: 40 cm)insectos e frutos de plantasespontâneas.A geneta, ou gineto, é umpredador de hábitos nocturnos,parecida com o gato e, tal comoele, é especialista em deslocar-senos ramos das árvores, à procurade pequenas aves. Caçatambém uma quantidadeimportante de roedores ecomplementa a sua alimentaçãocom grande variedade de frutossilvestres.A fuinha, ou papalvo,também é responsável por Genetaassaltos às galinhas e aos (corpo: 53 cmcoelhos, podendo fazer cauda: 45 cm)grandes razias. Mas, se ostivermos bem protegidos,a fuinha continuará acaçar ratos, vermes e ovosde pássaros, queconstituem a base da suaalimentação.A doninha é uma grande caçadora deratos do campo, que comem uma Fuínhaparte importante das produções de (corpo: 45 cm cauda: 26 cm)frutos e cereais. Se mantivermos sebese vegetação em volta dos campos epomares, onde ela se possa esconder,continuaremos a ter a sua preciosaajuda.Ao cair das noites de Primavera eVerão, os morcegos saem dos seusrefúgios em minas, grutas e casasvelhas e caçam grande quantidadede insectos, voando sem descansodurante várias horas. Pode-se dizer quecontinuam o trabalho que as avesinsectívoras tiveram durante o dia. Sefor preciso tapar um dos seus refúgios,deve-se deixar uma abertura Doninha (corpo: 17 cmsuficientemente grande por onde cauda: 6 cm)possam entrar e sair.A toupeira é muito perseguida (emorta) por causa dos danos causados Morcegos (a maioria entre 4 e 7 cmpelas galerias que escava, em busca envergadura: 25 a 35 cm)das minhocas e de insectos. Noentanto, as toupeiras destroem algunsinsectos que causam gravesproblemas nas culturas: o alfinete nomilho e na batata, os ralos e as roscasna couve e na batata. É mais Toupeiravantajoso suportar os estragos das (9,5 a 14 cm)toupeiras, do que os dos insectos!
  3. 3. A águia-de-asa-redonda e o milhafre--preto apanham grande variedade depresas (ratos, lagartixas, cobras, rãs,etc.). Comem também os cadáveresde animais mortos que encontram, oque é muito importante para a limpezados campos. Fêmea Águia-de-asa-redonda (51 a 56 cmOs peneireiros capturam sobretudo env: 114 a 133 cm)ratos e insectos (gafanhotos,escaravelhos, etc.), mas não rejeitam Machooutros tipos de presas, como rãs,lagartos e pequenas aves queapanham no chão. Gavião (30 a 39 cm env: 58 a 77 cm)Os gaviões são caçadores muito ágeis,especializados na caça de pequenasaves, sobretudo pardais. Porém, assuas presas podem ser maiores, até ao Milhafre-pretotamanho de um melro ou de um (50 a 63 cmpombo. env: 135 a 160 cm)A coruja-das-torres faz muitas vezes oninho nas torres das igrejas, no sótão decasas antigas e em celeiros. Nas noitesde Primavera e Verão pode-se ver asua silhueta clara em voo e ouvir o seusopro assobiado. Um casal caça cercade 3000 ratos do campo por ano. Peneireiro (33 a 39 cm env: 68 a 80 cm)A coruja-do-mato captura não sógrande número de pequenos ratos,mas também de ratazanas. Prefere Coruja-do-matohabitar nas zonas de bosque ou de (38 cm)floresta, mas também pode ser vistanos campos. À noite ouve-se por vezes Coruja-das-torres (35 cm)a voz destas corujas comunicandoentre si.O mocho-galego é uma ave maispequena. Pode ser visto não só denoite, mas também durante o dia,altura em que caça grande númerode insectos. À noite apanha sobretudoratos e pequenas aves, mas aproveitaa luz dos candeeiros para apanhar osinsectos nocturnos que são atraídospor ela. Mocho-galego (23 cm)
  4. 4. Muita gente tem medo das cobras,mas não há razão para isso; elas não Cobra-de-escadanos podem fazer mal. (até 120 cm)Só as víboras podem ser perigosas porcausa do veneno, mas não é precisomatá-las. Elas afastam-se, a menosque estejam encurraladas. É fácilconhecê-las pelo desenho das costas. VíboraAs cobras alimentam-se de grande Cobra-de-água (até 60 cm) (até 70 cm)número de animais (ratos, pequenasaves, insectos, lesmas, etc.), alguns dosquais podem causar prejuízos.Os licranços parecem cobras, mas sãolagartos sem pernas. Diz-se que têm Machoveneno e peçonha, mas isso não éverdade. Comem sobretudo lesmas einsectos.As sardaniscas e os sardões tambémsão animais inofensivos que preferem Sardãoesconder-se a terem de se defender. (corpo: até 20 cmAlimentam-se de insectos, mas os cauda: até 50 cm)sardões também podem caçar ratos e Licranço Fêmeapequenas aves. As sardaniscas por (até 50 cm)vezes são comidas pelas cobras. Sardanisca (corpo: até 6,5 cm Rã-verde cauda: até 13 cm)Todos os anfíbios precisam de charcos, (até 10 cm)poças ou ribeiros para se reproduzirem.Põem os ovos na água e é aí quevivem, na forma de larvas, enquantonão atingem o estado adulto. Nestafase são chamados girinos, cabeçu-dos, ou caganatos. Rela (até 5 cm)As rãs, as relas e os sapos são bemconhecidos. No entanto, as salaman-dras ou saramelas e os tritões passam Sapo Tritão-marmorado (até 15 cm) (até 14 cm)uma vida mais escondida e, geralmen-te, apenas vão para a água durante oInverno, onde se reproduzem.Todos estes anfíbios se alimentam deinsectos e de muitos outros invertebra-dos. Embora não tenham grandesnecessidades alimentares, sãoauxiliares preciosos para controlar as Salamandrapopulações de insectos que nos (até 20 cm)incomodam. Tritão-de-barriga- -laranja (até 8 cm)

×