Adopt dtv inq-quantitativo_primeirosresultados_20110104

1,170 views

Published on

92% dos Portugueses não sabe quando vai ser desligado o sinal analógico terrestre de TV, a um ano do fim da transmissão
Num inquérito da responsabilidade da Universidade Lusófona é estimado que cerca de 92% dos Portugueses com mais de 18 anos desconheça quando vai ser desligado o sinal analógico de televisão, a um ano do fim da transmissão da TV terrestre analógica nas regiões onde reside a maior parte da população Portuguesa – previsto para 12 de Janeiro de 2012. Assim, apenas 7,8% dos participantes identificaram correctamente 2012 como o ano do desligamento do sinal analógico de TV terrestre – processo também conhecido por switchoff . Por outro lado, 85,4% dos inquiridos afirmaram não saber quando tal vai acontecer, 6,1% indicaram o ano de 2011 como a data do desligamento e 0,7% apontaram o ano de 2013.
Mais em: http://adoptdtv.ulusofona.pt/

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,170
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Adopt dtv inq-quantitativo_primeirosresultados_20110104

  1. 1. “ADOPT_DTV:
Barreiras
à
adopção
da
televisão
digital
no
contexto
da
 transição
da
televisão
analógica
para
o
digital
em
Portugal”

 (
PTDC/CCI‐COM/102576/2008)
 Inquérito
QuanFtaFvo
–
Janeiro
2011
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  2. 2. Sumário
 0)

Sumário
 1)  Caracterização
da
amostra
 2)  Primeiros
resultados
 3)  Dados
metodológicos
 4)  Ficha
técnica
1/5/11
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
‐ULHT
 2

  3. 3. 0)
Sumário
1/5/11
 3

  4. 4. 1)
Sumário
 Introdução
O
projecto
de
invesDgação
“ADOPT‐DTV:
Barreiras
à
adopção
da
televisão
digital
no
contexto
da
transição
da
televisão
analógica
para
o
digital
em
Portugal”
(PTDC/CCI‐COM/102576/2008)
tem
como
principal
objecFvo
compreender
quais
são
os
principais
factores
de
adopção
e
rejeição
de
uso
do
serviço
de
televisão
digital
no
contexto
de
transição
da
televisão
analógica
para
a
digital
em
Portugal,
na
perspecFva
das
principais
partes
interessadas.
O
projecto
é
coordenado
pelo
Centro
de
InvesDgação
em
Comunicação
Aplicada,
Cultura
e
Novas
Tecnologias
(CICANT)
da
Universidade
Lusófona
de
Humanidades
e
Tecnologias,
em
parceria
com
a
ANACOM
e
o
OBERCOM,
sendo
financiado
pela
Fundação
para
a
Ciência
e
Tecnologia
(FCT)
‐
mais
informações
em:
hfp://adoptdtv.ulusofona.pt/

O
presente
relatório
corresponde
à
apresentação
dos
primeiros
resultados
do
inquérito
quanFtaFvo
aplicado
a
uma
amostra
representaFva
da
população
portuguesa
em
meados
de
Novembro
de
2010,
sendo
esta
amostra
consDtuída
por
1.205
indivíduos.
Para
além
deste
inquérito,
o
projecto
ADOPT‐DTV
integra
mais
três
estudos
empíricos,
a
saber:
estudo
etnográfico
junto
de
uma
amostra
de
30
famílias
residentes
nas
zonas‐piloto
do
switchoff;
entrevistas
com
partes
interessadas/
stakeholders
no
campo
da
TV
digital;
estudo
de
usabilidade,
para
proceder
à
análise
comparaDva
da
eficácia
e
saDsfação
dos
principais
sistemas
de
TV
digital.
Ao
longo
de
2011,
a
equipa
de
invesDgação
do
projecto
ADOPT‐DTV
vai
proceder
a
uma
análise
mais
detalhada
dos
dados
apurados
através
deste
inquérito
–
porém,
entendeu‐se
ser
importante
divulgar
de
imediato
estes
primeiros
resultados,
tendo
em
consideração
o
seu
potencial
contributo
para
o
processo
de
switchover
em
Portugal.

 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 4
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  5. 5. 1)
Sumário
 Primeiros
resultados
TIPO
DE
ACESSO
À
TELEVISÃO
Dos
1198
inquiridos
que
afirmaram
ter
televisão
em
casa
(P.3),
45,3%
responderam
não
ter
televisão
paga
em
casa,
o
que
corresponde
543
indivíduos
da
amostra.

Destes
úlDmos,
96,7%
afirmaram
ter
TV
analógica,
enquanto
que
1,8%
dos
inquiridos
afirmaram
receber
o
sinal
de
TV
por
uma
parabólica
e
1,1%
afirmaram
receber
televisão
digital
terrestre,
com
0,7%
a
optarem
por
não
responder
e
0,2%
dos
inquiridos
a
idenDficarem
outro
Dpo
de
acesso
(P.9).
SATISFAÇÃO
COM
QUANTIDADE
DE
CANAIS
TV
Quando
quesDonados
sobre
se
gostariam
de
ter
mais
de
canais
de
televisão
(P.13),
86,9%
dos
inquiridos
responderam
que
não
querem
ter
mais
canais,
enquanto
que
13,1%
responderam
afirmaDvamente
a
esta
questão.
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 5
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  6. 6. 1)
Sumário
 Primeiros
resultados
SATISFAÇÃO
COM
QUALIDADE
DE
IMAGEM
E
SOM
DO
SINAL
DE
TELEVISÂO
Já
sobre
a
saDsfação
com
qualidade
de
imagem
e
som
do
sinal
de
televisão
que
recebem
em
casa
(P.16),
1,9%
dos
inquiridos
reportaram
estar
insaFsfeitos
ou
muito
insaFsfeitos
(avaliação
entre
0
a
4
valores,
numa
escala
de
0
a
10
na
qual
0
significa
“Completamente
insaDsfeito”
e
10
significa
“Completamente
saDsfeito”).
Já
13,6%
dos
respondentes
afirmaram
estar
moderadamente
saFsfeitos
(5
a
6
valores),
enquanto
que
83,9%
responderam
estar
muito
saFsfeitos
ou
completamente
saFsfeitos
(7
a
10
valores),
com
0,5%
dos
inquiridos
a
optar
por
não
responder.
INTERESSE
NA
TV
DIGITAL
Sobre
o
interesse
na
TV
digital
(P.19),
pediu‐se
a
todos
os
inquiridos
que
indicassem
até
que
ponto
estão
interessados
nesta
tecnologia
de
transmissão
de
sinal
de
televisão,
sendo
que
0
significa
“Nada
interessado”
e
10
significa
“Muito
interessado”.
Deste
modo,
8,6%
dos
inquiridos
indicaram
não
ter
interesse
ou
ter
pouco
interesse
na
TV
digital
(0
a
4
valores).
Os
moderadamente
interessados
(5
e
6
valores)
representaram
26,7%
da
amostra,
enquanto
que
58,5%
dos
inquiridos
manifestaram
ter
interesse
ou
muito
interesse
na
TV
digital
(7
a
10
valores),
com
6,2%
dos
inquiridos
a
optar
por
não
responder.

 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 6
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  7. 7. 1)
Sumário
 Primeiros
resultados
CONHECIMENTO
SOBRE
A
DATA
DO
DESLIGAMENTO
DO
SINAL
ANALÓGICO
DE
TV
(SWITCHOFF)
A
menos
de
ano
e
meio
para
o
desligamento
total
do
sinal
analógico
de
televisão
–
definido
para
26
de
Abril
de
2012
‐,
92,2%
dos
inquiridos
não
sabe
quando
vai
ocorrer
o
switchoff
(P.26).

Assim,
dos
1198
respondentes
ao
presente
inquérito,
7,8%
dos
parFcipantes
no
estudo
idenFficaram
correctamente
2012
como
o
ano
do
desligamento
do
sinal
analógico
de
TV
terrestre,
enquanto
que
85,4%
dos
inquiridos
afirmaram
não
saber
quando
tal
vai
acontecer,
6,1%
indicaram
o
ano
de
2011
como
a
data
do
desligamento
e
0,7%
apontaram
o
ano
de
2013.
ATITUDES
EM
RELAÇÃO
AO
SWITCHOFF
Os
custos
associados
à
TV
digital
são
a
preocupação
dominante
manifestada
pelos
respondentes
ao
inquérito,
com
60,6%
dos
inquiridos
a
concordar
com
a
afirmação
“A
minha
principal
preocupação
são
os
custos
que
vou
ter
com
esta
mudança”.
Segue‐se
do
conjunto
de
afirmações
pré‐definidas
sobre
o
processo
de
switchoff
(P.27),
a
preocupação
com
as
questões
práFcas
associadas
à
TV
digital,
como
a
cablagem
a
instalação
do
equipamento,
com
49,8%
de
todos
os
inquiridos
a
manifestarem
a
sua
preocupação
quanto
a
este
aspecto.
Destaque
para
os
53,7%
de
inquiridos
que
concordam
a
frase
“Acho
que
este
processo
deveria
ser
mais
demorado,
dando
mais
oportunidade
às
pessoas
para
adquirirem
mais
informação”
e
ainda
para
os
48,3%
que
concordaram
com
a
afirmação
“Estou
surpreendido
–
não
sabia
que
o
sinal
analógico
de
TV
ia
ser
desligado
em
breve”.

 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 7
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  8. 8. 1)
Sumário
 Primeiros
resultados
INTENÇÃO
DE
AQUISIÇÃO
OU
SUBSCRIÇÃO
DE
EQUIPAMENTOS
OU
SERVIÇOS
DE
TV
DIGITAL

Aos
525
inquiridos
sem
TV
paga
e
com
recepção
de
TV
analógica
por
antena
tradicional
perguntou‐se
se
estavam
a
considerar
comprar
equipamentos
ou
subscrever
um
serviço
para
receber
TV
digital
nos
próximos
12
meses
(P.28):

‐ 
45,5%
não
sabem
ou
não
respondem
se
têm
intenção
de
adquirir
equipamentos
e/ou
serviços
de
TV
digital,

‐ 
34,1%
dos
inquiridos
afirmaram
não
ter
intenção
de
adquirir
nenhum
dos
principais
equipamentos
e/ou
serviços
de
TV
digital.
Ainda,
23,4%
destes
inquiridos
afirmaram
ter
intenção
de
compra
ou
subscrição
de
equipamentos
ou
serviços
para
acesso
a
TV
digital:

‐
8%
dos
respondentes
a
optar
pela
compra
de
uma
caixa
descodificadora
de
TDT
e
7,8%
a
optar
pela
aquisição
de
um
televisor
com
TDT
integrada;
‐
já
em
relação
à
subscrição
de
serviços
de
TV
digital,
5,8%
pensam
optar
pela
subscrição
de
TV
por
cabo,
1,3%
consideram
a
possibilidade
de
ter
TV
por
fibra
ópDca,

0,4%
ponderam
a
opção
TV
satélite
e
nenhum
dos
inquiridos
idenDficou
a
opção
“IPTV‐ADSL”.
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 8
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  9. 9. 1)
Sumário
 Primeiros
resultados
PREVISÃO
DE
ADOPÇÃO
DE
TELEVISÃO
DIGITAL
TERRESTRE
(TDT)
Dos
inquiridos
sem
TV
paga
e
com
recepção
de
TV
analógica
via
antena,
53,1%
não
sabem
ou
não
respondem
quando
estão
a
considerar
comprar
um
televisor
ou
caixa
descodificadora
de
TDT,
enquanto
que
30,5%
destes
inquiridos
afirmaram
que
o
fariam
só
quando
for
obrigatório
(P.29).

Ainda,
12,4%
destes
inquiridos
afirmaram
que
nunca
irão
comprar
um
televisor
ou
caixa
descodificadora
de
TDT.
PRINCIPAIS
MOTIVOS
PARA
ADOPÇÃO
DE
TDT
Quanto
ao
principal
moDvo
para
ter
TDT
(P.30),
36,5%
dos
inquiridos
sem
TV
paga
e
que
recebem
TV
analógica
por
uma
antena
tradicional
não
sabem
ou
não
respondem
a
esta
questão.
Das
opções
idenDficadas
no
inquérito,
25,7%
dos
inquiridos
apontaram
o
corte
do
sinal
analógico
como
principal
moFvo
para
ter
TDT.
A
qualidade
de
imagem
e
som
foi
apontada
como
principal
moDvo
por
13,7%
destes
inquiridos
e
1,9%
idenDficaram
o
acesso
gratuito
a
TV
de
alta
definição.
A
sublinhar
que
23,6%
destes
inquiridos
afirmaram
não
encontrar
nenhum
moFvo
para
ter
TDT.

 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 9
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  10. 10. 1)
Sumário
 Primeiros
resultados
ATITUDES
DOS
INQUIRIDOS
SEM
MOTIVO
PARA
TER
TDT/
TV
DIGITAL
Aos
124
inquiridos
que
responderam
não
ter
moDvo
para
ter
TDT
–
o
que
representa
10,3%
da
amostra
total
deste
estudo
–
pediu‐se
que
manifestassem
o
seu
nível
de
concordância
com
um
conjunto
de
afirmações
que
visavam
compreender
melhor
o
porquê
da
sua
aparente
rejeição
de
adopção
da
TDT
e
TV
digital
(P.31).

Assim,
a
questão
dos
custos
foi
a
mais
apontada,
com
77,9%
destes
parFcipantes
a
concordarem
com
a
afirmação
“Quero
conFnuar
a
ter
TV
mas
é
uma
questão
de
custos”.
A
dificuldade
em
saber
o
que
fazer
para
ter
TV
digital
é
idenDficada
em
segundo
lugar,
com
62,1%
destes
inquiridos
a
concordar
com
a
afirmação
“Não
sei
como
ter
TV
digital
em
casa:
é
tudo
muito
complicado”.
De
notar
que
há
uma
percentagem
significaDva
destes
inquiridos
que
manifestaram
rejeitar
a
mudança
para
a
TV
digital:

‐
46,8%
dos
inquiridos
que
responderam
não
ter
moDvo
para
ter
TDT
concordaram
com
a
afirmação
“Não
quero
TV
digital
em
minha
casa”
(58
indivíduos
=
4,8%
da
amostra
total);
‐
40,2%
dos
inquiridos
que
responderam
não
ter
moDvo
para
ter
TDT
concordaram
com
a
afirmação

“A
televisão
não
é
importante
para
mim
e
não
vou
ter
o
trabalho
de
fazer
a
mudança
para
a
TV
digital”
(50
parDcipantes
no
estudo
=
4,1%
da
amostra
total).
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 10
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  11. 11. 1)
Sumário
 Primeiros
resultados
ASSUNTOS
PARA
CAMPANHA
DE
INFORMAÇÃO
SOBRE
TDT
Quanto
ao
Dpo
de
assuntos
que
os
inquiridos
consideram
importantes
obter
esclarecimento
numa
campanha
de
informação
sobre
a
TDT,
em
primeiro
lugar
foi
surge
“tarifários
e
custos
associados”,
com
46,7%
dos
parFcipantes
no
estudo
a
seleccionarem
esta
opção.
Segue‐se
a
opção
“O
que
é
a
TV
digital
e
a
Televisão
Digital
Terrestre”,
com
45,6%
dos
inquiridos
a
idenDficarem
estes
tópicos
como
importantes.
Como
realizar
a
conversão
dos
equipamentos
foi
apontada
por
31,3%
dos
respondentes,
enquanto
que
31,1%
idenDficaram
como
usar
a
TV
digital
como
um
tópico
importante
a
ser
respondido
numa
campanha
de
informação.
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 11
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  12. 12. 1)
Caracterização
da
amostra
1/5/11
 12

  13. 13. 1)
Caracterização
da
amostra
 Introdução
O
estudo
quanDtaDvo
foi
realizado
através
de
entrevistas
feitas
junto
de
1205
elementos
da
 população
portuguesa
com
idades
compreendidas
entre
18
e
os
92
anos
(média
idade=45,23;
 SD=17,38).
 Quanto
ao
género,
48,9%
dos
elementos
são
do
género
masculino
(n=589)
e
51,1%
são
do
 género
feminino
(n=616).

 No
que
respeita
a
nacionalidade,
96,3%
dos
entrevistados
possuem
nacionalidade
portuguesa,
 sendo
que
foram
entrevistados
também
elementos
com
nacionalidades:
brasileira,
ucraniana,
 caboverdiana,
outras
nacionalidades
(estrangeira).
 No
que
respeita
o
estado
civil,
60,7%
dos
elementos
são
casados,
23,5%
são
solteiros,
7,6%
são
 divorciados
e
8%
são
viúvos.

Os
inquiridos
foram
seleccionados
através
do
método
de
quotas,
com
base
numa
matriz
que
cruzou
 as
variáveis
Sexo,
Idade,
Instrução
(homens),
Ocupação
(mulheres),
Região
e
Habitat/Dimensão
 dos
agregados
populacionais.
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 13
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  14. 14. 2)
Primeiros
resultados
1/5/11
 14

  15. 15. 2)
Primeiros
resultados
 P.3.
Tem
em
sua
casa
algum
serviço
de
televisão
paga?
 %
 n
=
1198
SIM
 54,7%
 655
inquiridos
NÃO
 45,3%
 543
inquiridos
 Não

 45,3%
 Sim
 54,7%
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 15
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  16. 16. 2)
Primeiros
resultados
 P.9.
Qual
o
Dpo
de
acesso
à
televisão
gratuita
no
seu
agregado
 familiar?

(base:
543
inquiridos
sem
TV
paga)
 %
 n
=
543
Analógica,
sem
TV
por
 96,7%
 525
inquiridos
subscrição
Televisão
Digital
Terrestre
(TDT)
 1,1%
 6
inquiridos
Parabólica
gratuita
 1,8%
 10
inquiridos
Outro
Dpo
 0,2%
 1
inquiridos
NS/
NR
 0,7%
 4
inquiridos
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 16
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  17. 17. 2)
Primeiros
resultados
 P.19.
Até
que
ponto
está
interessado,
de
uma
forma
geral,
na
TV
Digital?
 UDlize
uma
escala
de
0
a
10
na
qual
0
significa
“Nada
interessado”
e
10
 significa
“Muito
interessado”
(nota:
6,2%
NS/
NR)
(n=
1198)
10
‐
Muito
interessado
 8,6%
 9
 8,4%
 8
 26,4%
 7
 15,1%
 6
 13,7%
 5
 13,1%
 4
 1,6%
 3
 2,6%
 2
 0,9%
 1
 1,1%
 0
‐
Nada
interessado
 2,4%
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 17
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  18. 18. 2)
Primeiros
resultados
 P.26.
Sabe
para
que
ano
está
previsto
o
switchover?
(n=
1198)
 %
 n
=
1198
Não,
não
sei
 85,4%
 1023
inquiridos
Sim,
para
2011
 6,1%
 73
inquiridos
Sim,
para
2012
 7,8%
 94
inquiridos
Sim,
para
2013
 0,7%
 8
inquiridos
Sim,
outro
ano
(qual?)

 0%
 0
inquiridos
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 18
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  19. 19. 2)
Primeiros
resultados
 P.27.
Até
que
ponto
concorda
com
cada
uma
destas
afirmações
sobre
 este
processo
de
switchover,
uDlizando
para
isso
a
escala
presente
 nesta
lista
(n=
1198)
 Discorda
 Não
concorda
 Concorda
 Discorda

 Concorda
 NS/NR
 totalmente
 nem
discorda

 totalmente
1)
TUDO
BEM:
NÃO
HÁ
PROBLEMA
PARA
MIM
 5,4%
 15,5%
 21,6%
 36,3%
 5,9%
 15,1%
2)
ESTOU
SATISFEITO
COM
O
FIM
DA
TRANSMISSÃO
ANALÓGICA
DE
TELEVISÃO,
AINDA
QUE
HAJA
ALGUM
 7,3%
 21%
 28,3%
 26,6%
 2,6%
 13,9%
INCONVENIENTE
NA
SITUAÇÃO
3)
ESTOU
SURPREENDIDO
–
NÃO
SABIA
QUE
O
SINAL
 4,3%
 13,9%
 20,7%
 36,9%
 11,4%
 12,7%
ANALÓGICO
DE
TV
IA
SER
DESLIGADO
EM
BREVE
4)
ESTOU
ANSIOSO
E
DESCONTENTE
POR
SER
FORÇADO
 3,8%
 17,9%
 31,7%
 25,6%
 7,1%
 13,8%
A
FAZER
ESTA
MUDANÇA
5)
ACHO
QUE
ESTE
PROCESSO
DEVIA
SER
MAIS
DEMORADO
DANDO
OPORTUNIDADE
ÀS
PESSOAS
PARA
 1,3%
 8,1%
 22,1%
 35,6%
 17,9%
 15,1%
ADQUIRIREM
MAIS
INFORMAÇÃO
6)
A
MINHA
PRINCIPAL
PREOCUPAÇÃO
SÃO
OS
CUSTOS
 1,3%
 6,8%
 18,4%
 37,4%
 23,2%
 12,8%
QUE
VOU
TER
COM
ESTA
MUDANÇA
7)
ESTOU
PREOCUPADO
COM
AS
QUESTÕES
PRÁTICAS
COMO
TER
UMA
NOVA
ANTENA
OU
CABLAGEM
E
UM
 2,2%
 12,2%
 22,1%
 36,5%
 13,3%
 13,8%
NOVO
EQUIPAMENTO
A
FUNCIONAR
DEVIDAMENTE
8)
NÃO
ACREDITO
QUE
VÃO
DESLIGAR
O
SINAL
 2,6%
 11,9%
 33,3%
 22,3%
 4,2%
 25,6%
ANALÓGICO
DE
TV
EM
2012
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 19
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  20. 20. 2)
Primeiros
resultados
 P.28.
Quais
destes
equipamentos
ou
serviços
está
a
pensar
adquirir
 ou
subscrever
nos
próximos
12
meses?
(base:

525
inquiridos
sem
TV
 paga
e
com
recepção
de
TV
analógica)
 Televisor
com
TDT
 7.8%
Descodificador
de
TDT
 8%
 TV
por
Cabo
 5.9%
 TV
Satélite
 0.4%
 IPTV
‐
ADSL
 0%
 TV
Fibra
ÓpDca
 1.3%
 Nenhum
 34.1%
 Ns/
Nr
 45.5%
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 20
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  21. 21. 2)
Primeiros
resultados
 P.29.
Quando
pensa
comprar
um
televisor
ou
caixa
descodificadora
 para
ter
TDT?
(base:

525
inquiridos
sem
TV
paga
e
com
recepção
de
 TV
analógica)
 Daqui
a
um
mês
 0.4%
 Daqui
a
três
meses
 0.2%
 Daqui
a
seis
meses
 0.6%
 Daqui
a
um
ano
 2.1%
Só
quando
for
obrigatório
 30.5%
 Nunca
 12.4%
 Outra
 0.8%
 Ns/Nr
 53.1%
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 21
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  22. 22. 2)
Primeiros
resultados
 P.30.
Qual
é,
para
si,
o
principal
moDvo
para
ter
TDT?

 (base:
525
inquiridos
sem
TV
paga
e
com
recepção
de
TV
analógica)
 Ns/
Nr
 36.5%
 Outras
 1.3%
 Nenhum
 23.6%
 Serviços
de
interesse
 0.0%
Alta
definição
gratuita
 1.9%
 Corte
sinal
analógico
 25.7%
 Qualidade
e
som
 13.7%
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 22
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  23. 23. 2)
Primeiros
resultados
 P.31.
Até
que
ponto
concorda
com
cada
uma
das
afirmações
que
lhe
 vou
ler
em
seguida.
UDlize
a
escala
presente
nesta
lista

(base:
quem
 respondeu
“Nenhum”
na
pergunta
anterior;
n=124)
 Discorda
 Não
concorda
 Concorda
 Discorda

 Concorda
 NS/NR
 totalmente
 nem
discorda

 totalmente
1)
A
TELEVISÃO
NÃO
É
IMPORTANTE
PARA
MIM
E
NÃO
VOU
TER
O
TRABALHO
DE
FAZER
A
 3,2%
 21%
 21,8%
 36,2%
 4%
 13,7%
MUDANÇA
PARA
A
TV
DIGITAL
2)
NÃO
QUERO
TV
DIGITAL
EM
MINHA
CASA
 1,6%
 15,3%
 20,2%
 36,3%
 10,5%
 16,1%
3)
QUERO
CONTINUAR
A
VER
TV
MAS
É
UMA
QUESTÃO
DE
CUSTOS
 0,8%
 2,4%
 9,7%
 62,9%
 15,3%
 8,9%
4)
NÃO
SEI
COMO
TER
TV
DIGITAL:
É
TUDO
MUITO
COMPLICADO
 0%
 8,1%
 12,9%
 50,8%
 11,3%
 16,9%
5)
GOSTAVA
DE
CONTINUAR
A
VER
TV,
MAS
NÃO
SEI
COMO
INSTALAR
E
COLOCAR
A
 0,8%
 9,7%
 16,9%
 43,5%
 8,9%
 20,2%
FUNCIONAR
A
TV
DIGITAL
6)
GOSTAVA
DE
CONTINUAR
A
VER
TV,
MAS
ACHO
QUE
NÃO
VOU
SER
CAPAZ
DE
APRENDER
A
 1,6%
 15,3%
 23,4%
 27,4%
 8,1%
 24,2%
USAR
A
TV
DIGITAL
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 23
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  24. 24. 2)
Primeiros
resultados
 P.32.
Que
Dpo
de
assuntos
considera
importantes
ver
esclarecidos
 numa
campanha
de
informação
sobre
a
Televisão
Digital
Terrestre?
 (n=
1198)

 %
O
QUE
É
A
TV
DIGITAL
E
A
TELEVISÃO
DIGITAL
TERRESTRE 

 45,8%
QUE
SERVIÇOS
INCLUI
A
TV
DIGITAL 

 26%
COMO
USAR
A
TV
DIGITAL
 31,1%
O
QUE
É
O
SWITCHOVER 

 22,5%
COMO
REALIZAR
A
CONVERSÃO
DOS
EQUIPAMENTOS 

 31,3%
OPÇÕES
DE
TARIFÁRIOS
E
CUSTOS
ASSOCIADOS 

 46,7%
QUE
TIPOS
DE
CONTEÚDOS
OFERECE
A
TELEVISÃO
DIGITAL
TERRESTRE 

 17,6%
NENHUM 

 2,4%
OUTROS.
QUAIS?
 0,6%
NS/
NR
 14,2%
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 24
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  25. 25. 3)
Dados
metodológicos
1/5/11
 25

  26. 26. 3)
Dados
metodológicos
 Universo
e
amostra
Universo
O
Universo
é
consDtuído
por
indivíduos
com
18
e
mais
anos,
residentes
em
Portugal
ConDnental.
Amostra
A
amostra
é
consDtuída
por
1.205
indivíduos,
com
a
seguinte
distribuição,
proporcional,
por
região
GfK
:
 Região
GfK
Metris
 Entrevistas
 

Norte
Litoral
 237
 

Grande
Porto
 162
 

Centro
Litoral
 204
 

Interior
 170
 Norte
Litoral
 

Grande
Lisboa
 324
 Grande
Porto
 

Alentejo
 60
 Centro
Litoral
 Interior
 

Algarve
 48
 Grande
Lisboa
 

Total
 1203
 Alentejo
 Algarve
Os
 respondentes
 foram
 seleccionados
 através
 do
 método
 de
 quotas,
 com
 base
 numa
 matriz
 que
 cruzou
 as
variáveis
 Sexo,
 Idade,
 Instrução
 (homens),
 Ocupação
 (mulheres),
 Região
 e
 Habitat/Dimensão
 dos
 agregados
populacionais.
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 26
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  27. 27. 3)
Dados
metodológicos
 Recolha
de
dados
• A
 informação
 foi
 recolhida
 através
 de
 entrevista
 directa
 e
 pessoal,
 em
 total
 privacidade,
 com
 base
 em
quesDonário
elaborado
pelo
Cliente
e
adaptado
pela
GfK,
a
parDr
dos
objecDvos
enumerados
e
com
base
nas
indicações
do
Cliente.

• Os
 trabalhos
 de
 campo
 decorreram
 entre
 os
 dias
 12
 e
 23
 de
 Novembro
 de
 2010,
 e
 foram
 realizados
 por
 68
entrevistadores,
recrutados
e
treinados
pela
GfK,
que
receberam
uma
formação
adequada
às
especificidades
deste
estudo.
• A
recolha
incidiu
nos
dias
úteis
entre
as
18H
e
as
22H
e
nos
fins‐de‐semana
durante
todo
o
dia.
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 27
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  28. 28. 3)
Dados
metodológicos
 Status
social
• O
status
foi
determinado
com
base
no
nível
de
escolaridade
e
na
ocupação
do
respondente.
• A
estrutura
do
quesDonário
relaDvamente
às
perguntas
para
determinar
status
é
a
seguinte:
• É
perguntado
qual
o
grau
de
instrução
e
qual
a
sua
ocupação.
• As
ocupações
possíveis
classificam‐se
de
acordo
com
a
seguinte
lista:
 • 01
‐
Patrão/proprietário
(agricultura,
comércio,
indústria,
serviços)
(empresa/loja/exploração
com
6
ou
mais
trabalhadores)
 • 02
‐
Quadros
superiores
(responsável
por
6
ou
mais
trabalhadores)
‐
Administrador,
Presidente,
Director,
Gerente
 • 03
‐
Quadros
superiores
(responsável
por
5
ou
menos
trabalhadores)
‐
Administrador,
Presidente,
Director,
Gerente
 • 04
 ‐
 Profissões
 liberais
 e
 similares:
 Médicos,
 Advogados,
 Arquitectos,
 Engenheiros,
 Contabilistas,
 Economistas,
 ArDstas,
 Fotógrafos,
Decoradores,
etc.
 • 05
‐
Quadros
médios
(responsável
por
6
ou
mais
trabalhadores)
‐
Chefe
de
secção,
Chefe
de
serviços
 • 06
 ‐
 Patrão/proprietário
 (agricultura,
 comércio,
 indústria,
 serviços)
 (empresa/loja/exploração
 com
 5
 ou
 menos
 trabalhadores)
 • 07
‐
Profissões
técnicas,
cien•ficas
e
ar•sDcas
por
conta
de
outrem:
Perfil
semelhante
ao
código
04,
mas
trabalhando
por
 conta
de
outrem
 • 08
‐
Quadros
médios
(responsável
por
5
ou
menos
trabalhadores)
‐
Chefe
de
secção,
Chefe
de
serviços
 • 09
‐
Empregados
de
escritório
 • 10
‐
Reformados
 • 11
 ‐
 Empregados
 trabalhando
 sem
 ser
 em
 escritórios,
 isto
 é
 serviços/trabalhadores
 especializados:
 Lojistas,
 Vendedores,
 Polícias,
etc.
 • 12
‐
Trabalhadores
manuais
e
similares
por
conta
própria
Canalizadores,
Carpinteiros,
Sapateiros,
Pintores,
etc.
 • 13
‐
Desempregados
 • 14
‐
Trabalhadores
manuais:
Operários,
Trabalhadores
agrícolas,
etc.
 • 15
‐
DomésDcas
 • 16
‐
Estudantes
• Com
base
nestes
códigos
e
na
instrução
obtém‐se
a
seguinte
matriz:
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 28
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  29. 29. 3)
Dados
metodológicos
 Status
social
 OCUPAÇÃO 10+ 1 2 3 4 5+6 7+8 9 15+ 11 12 13 14 16 Analfabeto Instrução Primária Incompleta C D E Instrução Primária Completa INSTRUÇÃO 6º Ano (2º Antigo) 9º Ano (5º Antigo) 11º/12º Ano (7º Antigo) Curso Médio / Politécnico A Universitário B ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 29
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  30. 30. 3)
Dados
metodológicos
 Universo
e
amostra
Exemplo
de
leitura:
Pertencem
ao
Status
A
todos
os
inquiridos
que
respeitem
as
seguintes
condições:
Tenham
uma
das
seguintes
ocupações
e
pelo
menos
o
9º
ano
(5º
ano
anDgo)
completo.
01
‐ 
Patrão/proprietário
(agricultura,
comércio,
indústria,
serviços)
(empresa/loja/exploração
com
6
ou
mais
trabalhadores)
02
‐ 
Quadros
superiores
(responsável
por
6
ou
mais
trabalhadores)
‐
Administrador,
Presidente,
Director,
Gerente
Tenham
uma
das
seguintes
ocupações
e
pelo
menos
o
11º/12º
ano
(7º
ano
anDgo)
completos.
01
‐ 
Patrão/proprietário
(agricultura,
comércio,
indústria,
serviços)
(empresa/loja/exploração
com
6
ou
mais
trabalhadores)
02
‐ 
Quadros
superiores
(responsável
por
6
ou
mais
trabalhadores)
‐
Administrador,
Presidente,
Director,
Gerente
03
‐ 
Quadros
superiores
(responsável
por
5
ou
menos
trabalhadores)
‐
Administrador,
Presidente,
Director,
Gerente
04
‐ 
Profissões
liberais
e
similares:
Médicos,
Advogados,
Arquitectos,
Engenheiros,
Contabilistas,
Economistas,
ArDstas,
Fotógrafos,
 Decoradores,
etc.
Tenham
uma
das
seguintes
ocupações
e
pelo
menos
o
curso
médio/politécnico
completos.
01
‐ 
Patrão/proprietário
(agricultura,
comércio,
indústria,
serviços)
(empresa/loja/exploração
com
6
ou
mais
trabalhadores)
02
‐ 
Quadros
superiores
(responsável
por
6
ou
mais
trabalhadores)
‐
Administrador,
Presidente,
Director,
Gerente
03
‐ 
Quadros
superiores
(responsável
por
5
ou
menos
trabalhadores)
‐
Administrador,
Presidente,
Director,
Gerente
04
‐ 
Profissões
liberais
e
similares:
Médicos,
Advogados,
Arquitectos,
Engenheiros,
Contabilistas,
Economistas,
ArDstas,
Fotógrafos,
 Decoradores,
etc.
05
‐ 
Quadros
médios
(responsável
por
6
ou
mais
trabalhadores)
‐
Chefe
de
secção,
Chefe
de
serviços
06
‐ 
Patrão/proprietário
(agricultura,
comércio,
indústria,
serviços)
(empresa/loja/exploração
com
5
ou
menos
trabalhadores)
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
 1/5/11
 30
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  31. 31. 3)
Dados
metodológicos
 Controlos
de
qualidade
Foi
realizado
um
controlo
de
qualidade,
respeitando‐se
as
seguintes
etapas:
1.
Em
relação
ao
desenho
do
quesDonário,
foi
verificado
o
correcto
ajustamento
entre
os
objecDvos
do
projecto
 e
 o
 quesDonário,
 bem
 como
 idenDficadas
 as
 perguntas
 que
 respondem
 a
 cada
 um
 dos
 objecDvos.
 Foi
 igualmente
 feita
 uma
 revisão
 da
 consistência
 entre
 as
 perguntas
 e
 as
 categorias
 de
 resposta,
 da
 sequência
 lógica
das
respostas
e
dos
filtros.
2.
 Os
 entrevistadores
 Dveram
 formação
 prévia.
 A
 incorporação
 de
 novos
 entrevistadores
 não
 superou,
 em
 nenhum
caso,
mais
de
25%
do
total
das
entrevistas.
3.
As
entrevistas
foram
distribuídas
por
diversos
entrevistadores,
de
forma
a
evitar
que
uma
%
significaDva
das
 entrevistas
fosse
feita
somente
por
um
ou
dois
entrevistadores.
4.
 Após
 darem
 entrada
 no
 Departamento
 de
 Campo,
 os
 quesDonários
 foram
 imediatamente
 revistos,
 com
 o
 objecDvo
de
detectar
eventuais
erros
de
preenchimento
ou
ausência
de
informação.
Caso
a
caso,
foi
feita
uma
 avaliação
dos
procedimentos
a
adoptar,
que
puderam
ir
de
um
novo
contacto
com
o
inquirido
(obtenção
da
 informação
 em
 falta)
 à
 simples
 anulação
 da
 entrevista
 (por
 exemplo
 se
 se
 verificasse
 uma
 taxa
 de
 não
 resposta
anormal
em
relação
ao
total
das
perguntas).
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 31
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  32. 32. 3)
Dados
metodológicos
 Controlo
de
qualidade
5.
Foi
realizada
uma
supervisão
de
cerca
de
20%
do
trabalho
de
cada
entrevistador
através
de
um
novo
contacto
 directo
 ou
 telefónico
 com
 o
 entrevistado.
 Para
 esse
 efeito,
 uDlizou‐se
 um
 quesDonário
 de
 supervisão
 cuja
 concepção
visou
verificar
se
foram
respeitadas
as
indicações
apresentadas
em
relação
a:
local
de
entrevista,
 método
de
selecção
do
entrevistado,
condições
de
realização
da
entrevista,
quesDonário
e
tempo
de
duração
 da
entrevista.
6.
Após
terem
sido
revistos
e
supervisionados,
os
quesDonários
deram
entrada
no
Departamento
de
Codificação
 onde
 foram
 codificados,
 pergunta
 a
 pergunta,
 realizando‐se
 um
 primeiro
 teste
 em
 relação
 à
 consistência
 e
 arDculação
da
informação
obDda.
No
caso
das
perguntas
abertas,
foi
feita
uma
transcrição
de
cerca
de
50%
 das
respostas,
de
forma
a
fazerem‐se
os
planos
de
codificação
respecDvos
(para
cada
pergunta
deste
Dpo).
7.
Depois
de
codificados,
os
quesDonários
foram
gravados
em
suporte
informáDco.
De
seguida,
já
com
base
no
 ficheiro
global
do
estudo,
foi
feita
uma
validação
do
ficheiro
informáDco,
testando‐se
a
consistência
dos
dados
 recolhidos
 a
 dois
 níveis:
 validação
 dos
 códigos
 das
 respostas,
 pergunta
 a
 pergunta,
 e
 uma
 validação
 da
 arDculação
entre
as
perguntas
(saltos
e
filtros),
respeitando‐se
a
estrutura
do
quesDonário
uDlizado.
Em
caso
 algum
 foram
 
 feitas
 correcções
 automáDcas
 da
 informação.
 A
 parDr
 deste
 momento,
 o
 ficheiro
 informáDco
 ficou
apto
a
ser
tabulado
e
tratado
com
base
em
so•ware
concebido
para
o
efeito.
8.
 O
 relatório
 final
 entregue
 ao
 Cliente
 foi
 revisto
 pelo
 técnico
 responsável
 pelo
 estudo
 e
 pelo
 respecDvo
 Account
Manager.
9.
Os
quesDonários,
em
papel,
serão
guardados
durante
um
ano.
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 32
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT

  33. 33. 4)
Ficha
técnica
1/5/11
 33

  34. 34. 4)
Ficha
técnica
 Equipa
de
invesDgação

‐
Inquérito
quanDtaDvo
ADOPT‐DTV
Universidade
Lusófona
de
Humanidades
e
Tecnologias
 InvesDgador
responsável:
Manuel
José
Damásio
 Coordenação‐geral:
Célia
Quico
 InvesDgadores:
Sara
Henriques,
Iolanda
Veríssimo,
Carlos
Poupa

Obercom
 Vera
Araújo,
Gustavo
Cardoso
Anacom
 Mário
de
Freitas,
João
de
Castro
GfK
Metris
 
Account
Manager:
Carmen
Castro

 
ExecuDve
Researcher:
João
Costa
 ADOPT‐DTV:
Inquérito
QuanFtaFvo,
Janeiro
2011
1/5/11
 34
 Relatório
preparado
por
equipa
de
invesDgação
CICANT‐ULHT


×