Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

21,567 views

Published on

POP DE PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM REALIZADOS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DE PARACATU - MINAS GERAIS

Published in: Science
  • Be the first to comment

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE

  1. 1. Prefeitura Municipal de Paracatu Secretaria Municipal de Saúde POP Procedimentos Operacionais Padrão Para as Unidades Básicas de Saúde Paracatu-MG 2015
  2. 2. AGRADECIMENTOS À coordenadora da Atenção Primária, Adriana Vilela, as enfermeiras das Unidades Básicas e a todos os colaboradores da Secretaria Municipal de Saúde de Paracatu que participaram direta ou indiretamente deste trabalho.
  3. 3. EQUIPE GESTORA: Prefeito Municipal Olavo Remígio Condé Secretária Municipal de Saúde Maria Aparecida Sicupira Coordenadora de Atenção Primária Adriana Vilela da Cunha EQUIPE TÉCNICA Adriana Vilela da Cunha Alessandra Aparecida da Silva Santos Bruna Monteiro dos Santos Cinthia Ferreira Lima de Araujo Emília Nascimento Oliveira Ingridy Fátima Alves Rodrigues Flávia Alves Silva Lorrane Cardoso dos Santos Marília Martins Costa Maia Margareth Flávia Ferreira Renata Oliveira Silva Vânia Barbosa Vieira Soares Rejane Araujo Lopes Gilcilene de Oliveira Souza Luciana Tolentino de Oliveira Patrícia Villela
  4. 4. SUMARIO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP 001 - ORIENTAÇÕES BÀSICAS DE HIGIENE PESSOAL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE.............................................................................. 08 POP 002 - PRECAUÇÕES PADRÃO................................................................. 10 POP 003 - TÉCNICA DE HIGIENIZAÇÂO DAS MÃOS..................................... 11 POP 004 - TÉCNICA DE LIMPEZA E/OU DESINFECÇÃO DE SUPERFÍCIE.. 12 POP 005 - DESINFECÇÃO EM LOCAL COM RESPINGOS OU DEPOSIÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA (SANGUE, SECREÇÕES, EXCRETAS E EXSUDATO)....................................................................................................... 14 POP 006 - DESCONTAMINAÇÃO DE SUPERFÍCIES CONTAMINADAS........ 15 POP 007 - CUIDADOS A SEREM OBSERVADOS COM OS MATERIAIS E PRODUTOS DE LIMPEZA................................................................................. 16 POP 008 - TÉCNICA DE VARREDURA ÚMIDA................................................ 19 POP 009 - TÉCNICA DE LIMPEZA DE PISOS.................................................. 21 POP 010 - TÉCNICA DE LIMPEZA DE JANELAS E PORTAS.......................... 23 POP 011 - TÉCNICA DE LIMPEZA DO MOBILIÀRIO, BANCADAS E EQUIPAMENTOS............................................................................................... 25 POP 012 - TÉCNICA DE LIMPEZA DE TETOS E PAREDES........................... 27 POP 013 - TÉCNICA DE LIMPEZA DE BANHEIROS........................................ 29 POP 014 - TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE BEBEDOURO....... 32 POP 015 - TÉCNICA DE LIMPEZA MANUAL DE INSTRUMENTAL................. 34 POP 016 - TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE NEBULIZADORES (MÁSCARAS, COPINHO E TUBO DE CONEXÃO)........................................... 36 POP 017 - TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE ALMOTOLIAS....... 38 POP 018 - TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DOS UMIDIFICADORES DE OXIGÊNIO.................................................................... 39 POP 019 - TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE AMBÚ.................... 40 POP 020 - TRABALHO NA ÁREA DE PREPARO DE MATERIAIS................... 41 POP 021 - PREPARO E ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAL............................... 42
  5. 5. POP 022 - RECOLHIMENTO DOS RESÍDUOS................................................ 44 POP 023 - DILUIÇÃO DE HIPOCLORITO......................................................... 45 POP 024 - COLETA DE AMOSTRA DE ESCARRO.......................................... 46 POP 025 - ACOLHIMENTO NA UNIDADE BÀSICA DE SAÚDE (COM OU SEM ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA - ESF)........................................ 48 POP 026 - AGENDAMENTO DE CONSULTAS MÉDICAS DE DEMANDA ESPÓNTÂNEA NAS UBS.................................................................................. 49 POP 027 - ORGANIZAÇÃO DOS CONSULTÓRIOS DE GINECOLOGIA......... 50 POP 028 - ORGANIZAÇÃO DOS CONSULTÓRIOS GERAIS.......................... 51 POP 029 - SALA DE CURATIVO....................................................................... 52 POP 030 - RETIRADA DE PONTOS.................................................................. 53 POP 031 - VERIFICAÇÃO DE GLICEMIA CAPILAR........................................ 54 POP 032 - SALA DE INALAÇAO........................................................................ 56 POP 033 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA ENDOVENOSA...... 57 POP 034 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA INALATÓRIA.......... 59 POP 035 - ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA INTRADÉRMICA.......... 60 POP 036 - ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA INTRAMUSCULAR (IM)..................................................................................................................... 62 POP 037 - ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA OCULAR....................... 65 POP 038- ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA ORAL............................. 67 POP 039 - ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA SUBCUTÂNEA (SC).................................................................................................................... 68 POP 040 - CATETERISMO VESICAL DE ALÍVIO............................................. 70 POP 041 - CATETERISMO VESICAL DE DEMORA......................................... 72 POP 042 - CAUTERIZAÇÃO CICATRIZ UMBILICAL........................................ 75 POP 043 - COLETA DE EXAME CITOLÓGICO CERVICO-VAGINAL (PAPANICOLAU)................................................................................................ 77 POP 044 - COLETA DE TESTE DO PEZINHO (PKU)....................................... 82 POP 045 – CURATIVO....................................................................................... 85
  6. 6. POP 046 - REALIZAÇÃO DE TRIAGEM PRÉ-NATAL – EXAME DE TOXOPLASMOSE.............................................................................................. 88 POP 047 - MEDIDA DE CIRCUNFÊRENCIA DE CINTURA.............................. 91 POP 048 - VERIFICAÇÃO DE PULSO............................................................. 92 POP 049 - MEDIDA DE PERIMETRO TORACICO............................................ 94 POP 050 - MEDIDA DE PERIMETRO CEFALICO............................................. 95 POP 051 - VERIFICAÇÃO DA RESPIRAÇÃO................................................... 96 POP 052 – VERIFICAÇÃO DE TEMPERATURA AXILAR................................. 98 POP 053 - MEDIDA DE CIRCUNFERÊNCIA DE QUADRIL.............................. 99 POP 054 - AFERIÇÃO DE ESTATURA............................................................. 100 POP 055 - AFERIÇÃO DE PESO....................................................................... 102 POP 056 - AFERIÇÃO DE PRESSÃO ARTERIAL............................................. 105 POP 057 - OXIGENOTERAPIA POR CATETER NASAL.................................. 108 POP 058 - PREPARO E ADMINISTRAÇÃO DE SOLUÇÃO PARENTERAL.... 109 POP 059 - TROCA DE BOLSA DE ESTOMIA................................................... 112 POP 060 – ELETROCARDIOGRAMA................................................................ 114 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS.................................................................. 116 ANEXO 1 - USO DO HIPOCLORITO EM DIVERSOS ARTIGOS/EQUIPAMENTOS.............................................................................. 118
  7. 7. 7 I. APRESENTAÇÃO A Secretaria Municipal de Saúde de Paracatu, órgão vinculado à Prefeitura Municipal de Paracatu, Estado de Minas Gerais, tem como objetivo principal conduzir o Sistema Único de Saúde com competência, autonomia e resolutividade. A coordenação da Atenção Primária juntamente com as enfermeiras das unidades básicas de saúde verificou a necessidade da implantação dos Procedimentos Operacionais Padrão (POP), que são procedimentos escritos de forma clara e objetiva que estabelecem instruções sequenciais para a realização de ações rotineiras e específicas, visando padronizar e uniformizar os procedimentos realizados nas Unidades Básicas de Saúde do município. A implantação dos POPs irá melhorar a qualidade do atendimento prestado em nossas Unidades de Saúde, visando oferecer ao cidadão um atendimento de excelência, que é o que primamos como gestão de saúde. Maria Aparecida Sicupira Secretária Municipal de Saúde
  8. 8. 8 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 001 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ÁREA 1 - HIGIENE E ANTISSEPSIA ORIENTAÇÕES BÀSICAS DE HIGIENE PESSOAL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE EXECUTANTE: Todos os profissionais da equipe de saúde ÁREA: Higienização e antissepsia. OBJETIVO: Garantir a higienização pessoal, o bem estar do profissional e evitar a transmissão de infecções PASSOS: Higiene pessoal: Deve o profissional de saúde manter a higiene corporal, que está diretamente ligada à aparência pessoal. Cuidados com o corpo: Através da execução do serviço de assepsia entra-se em contato com microrganismos que ficam aderidos à pele, unhas e cabelos. Somente o banho poderá eliminar o suor, sujidades e os microrganismos e tornar a aparência agradável. Cuidados com os cabelos: Os cabelos devem estar limpos e, presos, se compridos. A touca, que consta do uniforme, deverá cobrir todo o cabelo pois seu objetivo é a proteção dos cabelos. Cuidado com as unhas: As unhas devem estar sempre aparadas para evitar que a sujidade fique depositada entre as unhas e a pele dos dedos. Deve-se dar preferência ao uso de esmaltes transparentes para visualizar a sujidade e poder eliminá-la. Deve-se evitar a retirada de cutículas para se manter a pele íntegra. Cuidados com o uniforme: Todo trabalho requer esforço físico, o suor é inevitável, portanto, o uniforme deverá ser trocado todos os dias e todas as vezes que se fizer necessário.
  9. 9. 9 Deve-se observar no uniforme a limpeza com ausência de manchas, odor e descostura. A roupa de trabalho deverá ser lavada separadamente da roupa doméstica. Cuidados com os sapatos: Devem ser fechados e impermeáveis, para proteger os pés.
  10. 10. 10 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 002 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 PRECAUÇÕES PADRÃO EXECUTANTE: Todos os profissionais da equipe de saúde ÁREA: Higienização e antissepsia OBJETIVO: Garantir o cumprimento das práticas assépticas, evitando a transmissão de infecções Lavar as mãos ou usar soluções anti-sépticas antes e depois de qualquer procedimento. Usar luvas quando tocar em sangue e secreções corporais, mucosas ou lesão de pele de qualquer usuário, quando realizar punção venosa periférica. Usar avental quando houver risco de contaminação do uniforme com sangue e secreções corporais. Usar máscara, touca e protetor de olhos quando houver risco de respingos de sangue e secreções na face. Desprezar agulhas e instrumentos cortantes em recipientes rígidos e nunca reencapar agulhas
  11. 11. 11 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 003 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE HIGIENIZAÇÂO DAS MÃOS EXECUTANTE: Todos os profissionais da equipe de saúde ÁREA: Higienização e antissepsia OBJETIVO: Garantir a higienização das mãos, evitando a transmissão de infecções PASSOS: 1. Retirar relógios, joias e anéis das mãos e braços (sob tais objetos acumulam- se bactérias que não são removidas mesmo com a lavagem das mãos); 2. Abrir a torneira com a mão dominante sem encostar-se a pia para não contaminar a roupa, quando na ausência de dispensador de pedal; 3. Molhar as mãos; 4. Colocar em torno de 3 a 5 ml de sabão líquido nas mãos; 5. Ensaboar as palmas das mãos, friccionando-as entre si; 6. Esfregar a palma da mão direita contra o dorso da mão esquerda (vice-versa) entrelaçando os dedos e friccionando os espaços interdigitais; 7. Esfregar o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta (e vice- versa), segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem; 8. Esfregar o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda (e vice- versa), utilizando movimento circular; 9. Friccionar as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (e vice-versa), fazendo movimento circular; 10.Esfregar o punho esquerdo, com o auxílio da palma da mão direita (e vice- versa) utilizando movimento circular; 11.Enxaguar as mãos, seguindo pelos punhos; 12.Retirar duas toalhas de papel, enxugar as mãos seguindo pelos punhos; 13.Fechar a torneira com a toalha de papel, desprezando-a em seguida.
  12. 12. 12 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 004 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ÁREA 2 - HIGIENIZAÇÃO, DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO TÉCNICA DE LIMPEZA E/OU DESINFECÇÃO DE SUPERFÍCIE EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Realizar a limpeza e a higienização de superfícies PASSOS: Lavar as mãos com água e sabão líquido e aplicar álcool a 70% friccionando por 30 segundos: • Antes de iniciar as tarefas de limpeza; • Ao constatar sujidade; • Antes e após uso de toalete; • Após tossir, espirrar ou assoar o nariz; • Antes de se alimentar; • Após término das atividades. Não comer ou fumar quando executar tarefas de limpeza; Evitar o uso de bijuterias, joias e relógios durante a execução do trabalho. Usar uniforme durante o trabalho e o equipamento de proteção individual (EPI) de acordo com as circunstâncias de risco. Preparar previamente todo o material necessário ao procedimento de limpeza e desinfecção a ser executado. Remover o lixo do recinto, as roupas sujas e o material usado para os locais devidos, antes de iniciar a limpeza. Não agitar peças de roupas, sacos de lixo, ou qualquer material contaminado, não espanar e não fazer varredura a seco nas áreas internas das Unidades de Saúde. Iniciar pelo mobiliário e/ ou paredes e terminar pelo piso. Limpar com movimentos amplos, do lugar mais alto para o mais baixo e da parte mais distante para a mais próxima. 10.Começar a limpeza sempre do fundo dos recintos, salas e corredores e prosseguir
  13. 13. 13 em direção à saída. 11.Limpar primeiro uma metade do recinto e depois a outra metade, deixando espaço livre para passagem de pessoas, remoção de equipamentos e mobiliários.
  14. 14. 14 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 005 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 DESINFECÇÃO EM LOCAL COM RESPINGOS OU DEPOSIÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA (SANGUE, SECREÇÕES, EXCRETAS E EXSUDATO). EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Garantir a retirada de sujidades PASSOS: 1. Utilizar luvas de autoproteção (látex); 2. Retirar o excesso da matéria orgânica em papel absorvente; 3. Desprezar o papel em saco de lixo para resíduo infectante; 4. Aplicar o desinfetante e deixar o tempo necessário – 10 min; 5. Remover o desinfetante com pano molhado; 6. Proceder à limpeza com água e sabão.
  15. 15. 15 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 006 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 DESCONTAMINAÇÃO DE SUPERFÍCIES CONTAMINADAS EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Realizar a retirada de sujidades e focos de contaminação de superfícies PASSOS: 1. Utilizar luvas de autoproteção (látex); 2. Retirar o excesso da matéria orgânica em papel absorvente; 3. Desprezar o papel em saco de lixo para resíduo infectante; 4. Aplicar solução desinfetante e deixar o tempo necessário – 10 min; 5. Remover a solução desinfetante com pano molhado; 6. Proceder à limpeza com água e sabão.
  16. 16. 16 REFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 007 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 CUIDADOS A SEREM OBSERVADOS COM OS MATERIAIS E PRODUTOS DE LIMPEZA EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Garantir a limpeza, assepsia e organização dos materiais e produtos a serem utilizados no processo de limpeza da unidade. PASSOS: Pano de chão: Utilizado para varrer, lavar e secar pisos. Deve ser de tecido forte, branco, embanhado ou aurelado e de tamanho suficiente para envolver o rodo ou vassoura. • Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Fazer desinfecção com hipoclorito de sódio a 1%, por 30 minutos; • Enxaguar • Colocar para secar. Pano para limpeza: Tecido macio embainhado ou aureolado, usado para remover poeira; pode ser umedecido em água, solução desinfetante ou álcool a 70%. • Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Fazer desinfecção com hipoclorito de sódio a 1%, por 30 minutos • Enxaguar; • Colocar para secar. Vassoura de fio sintético: Usada juntamente com o pano de chão. • Limpeza e conservação:
  17. 17. 17 • Lavar com água e sabão; • Colocar para secar pendurada pelo cabo. Vassoura de vaso sanitário: Utilizada para limpeza da parte interna do vaso sanitário. • Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Fazer desinfecção com hipoclorito de sódio a 1% por 30 minutos; • Lavar novamente; • Colocar para secar pendurada pelo cabo. Esponjas: Esponjas de aço: Usada para limpeza de superfícies com manchas ou resíduos. É descartável. Esponja sintética: Usada na limpeza de superfícies que sofrem danos com esponjas de aço. Escadas: Devem ser antiderrapantes com degraus emborrachados. Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Secar com pano limpo. Baldes: Devem ser de plástico rígido. • Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Colocar emborcados para secar. Pás de lixo: São de metal ou plástico com cabo longo de plástico ou madeira, usado para recolher pequenas porções de lixo e pó. • Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Esfregar com esponja de aço; Guardar pendurada pelo cabo.
  18. 18. 18 Rodo: Utilizado para a remoção de água e limpeza de piso com pano. Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Fazer desinfecção com hipoclorito a 1% se necessário; • Colocar para secar pendurado pelo cabo; Desentupidor de vasos e pias: É constituído de material emborrachado com cabo de madeira ou plástico. Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Fazer desinfecção com hipoclorito de sódio a 1% por 30min.; • Enxaguar; • Deixar secar pendurado pelo cabo. Escova manual de fios sintéticos: Usada para lavar superfícies com reentrâncias. • Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Fazer desinfecção com solução de hipoclorito de sódio 1% por 30min sempre que necessário; • Enxaguar. Luvas de auto proteção: Utilizada para contato com sangue ou líquidos corporais (material biológico). • Limpeza e conservação: • Lavar com água e sabão; • Fazer desinfecção com solução de hipoclorito a 1% por 30 minutos; • Enxaguar; • Secar; • Guardar em local próprio.
  19. 19. 19 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 008 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE VARREDURA ÚMIDA EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Visa remover a sujidade do chão, devendo ser feita com pano limpo umedecido em água e sabão, a fim de evitar suspensão de partículas de poeira e dispersão de microrganismos MATERIAIS: • Dois baldes • Vassoura e rodo • Dois panos limpos • Água e detergente líquido • Pá de lixo • Luvas • Botas • Touca PROCEDIMENTO: 1. Colocar os EPIs. 2. Preparar o ambiente para limpeza e reunir mobiliário leve para deixar a área livre; 3. Encher os baldes até a metade, um com água limpa e o outro com água e detergente líquido. 4. Imergir o pano no balde com solução detergente, retirar o excesso e enrolar na vassoura ou rodo.
  20. 20. 20 5. Passar o pano no piso, sem retirar o pano do chão, iniciando do fundo da sala e se dirigindo para a porta, de forma que todas as áreas do piso sejam limpas. 6. Recolher a sujidade e jogar no lixo. 7. Imergir outro pano no balde de água limpa, torcer e enrolar na vassoura. 8. Retirar o sabão do piso, iniciando do fundo da sala e se dirigindo para aporta. 9. Secar o piso usando o pano bem torcido. 10.Limpar os rodapés. 11.Recolocar o mobiliário no local original. 12.Limpar o material de trabalho e guardar em local apropriado. - Este procedimento deve ser realizado diariamente; OBSERVAÇÕES: Toda área que permanece úmida ou molhada tem mais condições de albergar e reproduzir germes gram negativos e fungos, as áreas empoeiradas podem albergar germes gram positivos, micobactérias e outros. Conclui-se dessa forma que deve-se evitar excesso de água na limpeza, secar muito bem o piso e abolir varredura seca nos Estabelecimentos de Saúde.
  21. 21. 21 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 009 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA DE PISOS EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Visa remover a sujidade dos pisos mediante escovação. MATERIAIS: • Dois baldes • Vassoura e rodo • Panos limpos • Escova manual • Água e detergente líquido • Luvas de autoproteção • Botas • Touca PROCEDIMENTO: 1. Colocar EPI; 2. Preparar o ambiente para a limpeza: 3. Afastar os móveis da parede; 4. Reunir o mobiliário leve para desocupar a área. 5. Encher a metade dos baldes, um com água limpa e outro com água e detergente líquido; 6. Colocar um pano seco na entrada da sala; 7. Imergir outro pano no balde com solução detergente e, sem retirar o excesso, enrolar na vassoura ou rodo; 8. Passar o pano no piso, molhando toda a área a ser escovada; 9. Esfregar a vassoura no piso, começando dos cantos em direção à porta;
  22. 22. 22 10.Retirar a água suja, com rodo, até o ralo de escoamento; 11.Repetir toda operação até que a área fique limpa; 12.Limpar os rodapés com escova manual, se necessário; 13.Enxaguar o piso até retirar todo o sabão, utilizando o pano embebido em água limpa e enrolando no rodo ou vassoura; 14.Secar o piso, utilizando um pano limpo enrolado na vassoura ou rodo; 15.Recolocar o mobiliário no local original; 16.Limpar o material de trabalho e guardar no local apropriado; - Este procedimento deve ser realizado quinzenalmente.
  23. 23. 23 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 10 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA DE JANELAS E PORTAS EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Consiste em retirar a poeira e manchas das janelas e portas de madeira, vidro ou metal. MATERIAIS: • Escada • Dois baldes • Água • Detergente líquido • Esponja de aço fina • Panos de limpeza • Espátula • Panos de chão • Cinto de segurança • Touca • Botas • Luvas de autoproteção PROCEDIMENTO: 1. Colocar o EPI; 2. Preparar o ambiente para a operação; afastar os móveis e os equipamentos das janelas e portas; 3. Forrar o piso com pano de chão, colocando-o debaixo da janela ou porta; 4. Encher metade de dois baldes, um com água e outro com água e detergente
  24. 24. 24 líquido; 5. Imergir o pano no balde com água limpa e torcer; 6. Remover a poeira passando o pano de cima para baixo e da esquerda para a direita; 7. Imergir o outro pano no balde com solução detergente; retirar o excesso e passar no vidro, moldura da janela ou porta, soleira da janela e maçanetas; 8. Imergir o outro pano de limpeza no balde com água limpa; 9. Passar o pano em toda a extensão da janela ou porta para remover a solução detergente; 10.Secar a janela ou porta, com pano de limpeza seco; 11.Retirar o pano de chão colocado debaixo da janela ou porta; 12.Recolocar o mobiliário e equipamento no local original; 13.Limpar o material de trabalho e guardar em local apropriado. OBSERVAÇÃO: Este procedimento deve ser realizado quinzenalmente.
  25. 25. 25 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 11 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA DO MOBILIÀRIO, BANCADAS E EQUIPAMENTOS EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Consiste em retirar a poeira, lavar, retirar manchas, polir e escovar bancadas, móveis e equipamentos, diariamente. MATERIAIS: • Panos de limpeza • Dois baldes • Água • Detergente líquido • Escova • Touca • Botas • Luvas de autoproteção PROCEDIMENTOS: 1. Colocar o EPI; 2. Encher metade dos baldes, um com água limpa e outro com água e detergente líquido; 3. Retirar os objetos de cima e, se possível, do interior do móvel ou equipamento a ser limpo; 4. Retirar a poeira do móvel ou equipamento com o pano úmido dobrado, para obter várias superfícies de limpeza; 5. Imergir o outro pano na solução detergente e retirar o excesso; 6. Limpar o móvel ou equipamento, esfregando o pano dobrado com solução detergente; se necessário usar a escova;
  26. 26. 26 7. Retirar toda a solução detergente com pano umedecido em água limpa; 8. Enxugar o móvel ou equipamento; 9. Limpar o material de trabalho e guardar em local apropriado. OBSERVAÇÃO: Este procedimento deverá ser realizado diariamente e sempre que necessário.
  27. 27. 27 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 12 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA DE TETOS E PAREDES EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Consiste em retirar a poeira e substâncias aderidas ao teto, paredes, luminárias e interruptores MATERIAIS: • Escada; • Dois baldes; • Vassoura; • Três panos de chão; • Esponja de aço fina; • Escova; • Espátula; • Água; • Detergente líquido; • Touca; • Botas; • Luvas de autoproteção. PROCEDIMENTOS: 2. Colocar o EPI; 3. Preparar o local para limpeza; 4. Afastar os móveis e equipamentos das paredes 5. Forrar os móveis e os equipamentos 6. Encher metade dos baldes, um com água limpa e outro com água e
  28. 28. 28 detergente líquido; 7. Imergir um pano no balde com água limpa, retirar o excesso de água, enrolar na vassoura ou rodo; 8. Retirar o pó do teto e paredes, com o pano úmido fazendo movimentos em um único sentido; 9. Enxaguar delimitando pequenas áreas; 10.Imergir outro pano na solução detergente, torcer e enrolar o pano em uma vassoura; 11.Esfregar o pano no teto, sempre num mesmo sentido, iniciando de um dos cantos; 12.Imergir o pano limpo na água limpa, torcer e enrolar na vassoura 13.Retirar toda solução detergente do teto; 14.Imergir o pano na solução detergente, torcer e enrolar na vassoura; 15.Esfregar o pano na parede, sempre no mesmo sentido; 16.Enrolar na vassoura o pano com água limpa e retirar toda solução detergente da parede; 17.Verificar se o teto e as paredes estão bem limpos, se necessário repetir a operação; 18.Retirar a forração dos móveis e equipamentos; 19.Recolocar o mobiliário e os equipamentos no local original; 20.Limpar o material de trabalho e guardar no local apropriado. OBSERVAÇÕES: Deve-se dividir o local para limpeza em pequenas áreas para que seja feito o enxague antes de secar a solução detergente. Paredes: iniciar na parte superior (próximo ao teto) até a metade da parede e deste ponto até a parte inferior (próximo ao piso). Este procedimento deverá ser realizado mensalmente
  29. 29. 29 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 13 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA DE BANHEIROS EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Consiste em remover a sujidade, substâncias aderidas, detritos do teto, paredes, lavatórios, mictórios, instalações sanitárias e piso dos banheiros. Promove o controle de microrganismos, evitando transmissão de doenças, controla odores, mantém uma boa aparência e garante o conforto dos usuários. PASSOS: 1. Recolher o lixo (conforme rotina); 2. Limpar tetos e paredes (conforme rotina); 3. Limpar janelas e portas (conforme rotina); 4. Limpar pias: MATERIAIS: • Panos de limpeza; • Detergente líquido; • Saponáceo; • Esponja sintética; • Luvas de autoproteção; • Avental; • Botas; • Touca. PROCEDIMENTOS: 1. Colocar o EPI; 2. Umedecer a esponja de aço e espalhar o sapólio sobre ela;
  30. 30. 30 3. Esfregar a esponja sintética com sapólio na parte interna da pia; 4. Passar a esponja com detergente líquido na torneira; 5. Esfregar a parte externa da pia, as torneiras e encanamentos sob a pia com pano umedecido em água e detergente líquido; 6. Enxaguar a parte interna e externa da pia com água limpa; 7. Secar a pia com um pano seco, polindo a torneira 8. Limpar o material de trabalho e guardá-lo em local apropriado; LIMPAR INSTALAÇÕES SANITÁRIAS: MATERIAIS: •Panos de limpeza; •Vassoura para vaso sanitário; •Escova sintética; •Dois baldes; •Água - detergente líquido; •Sapólio; •Hipoclorito de sódio a 1%; •Botas; •Luvas de autoproteção; •Avental; •Touca. PROCEDIMENTOS: 1. Colocar o EPI; 2. Encher metade dos baldes, um com água limpa e outro com água e detergente líquido; 3. Dar descarga no vaso sanitário; 4. Esfregar o tampo do vaso por cima e por baixo, com a escova sintética, usando solução detergente; 5. Espalhar sapólio no pano embebido em solução detergente; 6. Esfregar o assento do vaso, por dentro e por fora com pano; 7. Esfregar a parte externa do vaso com pano embebido em solução detergente
  31. 31. 31 e sapólio; 8. Enxaguar o tampo, o assento, a borda e a parte externa do vaso com água limpa; 9. Jogar solução detergente e sapólio dentro do vaso, esfregando-o com vassoura de vaso, iniciando pela borda interna do vaso e terminando na saída de água; 10.Dar descarga no vaso sanitário continuando a esfregar a parte interna com vassoura de vaso, até a água ficar limpa; 11.Lavar a alavanca ou botão de descarga com pano umedecido em água e detergente; 12.Retirar o detergente com pano umedecido em água limpa; 13.Secar o tampo e o assento do vaso sanitário com pano limpo; 14.Secar a parte externa do vaso e a alavanca ou botão de descarga com pano limpo; 15.Limpar o material de trabalho e guardá-lo no local apropriado; 16.Lavar o piso (conforme rotina); OBSERVAÇÃO: Este procedimento deverá ser realizado diariamente e sempre que necessário.
  32. 32. 32 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 14 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE BEBEDOURO EXECUTANTE: Auxiliar de serviços gerais ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Visa remover poeira e substâncias aderidas no bebedouro, com o objetivo de evitar a contaminação da água. MATERIAIS: • Dois baldes; • Três panos de limpeza; • Escova para reentrâncias; • Água; • Detergente líquido; • Touca; • Botas; • Luvas de autoproteção; • Álcool a 70%. PROCEDIMENTOS: 1. Colocar o EPI; 2. Desligar o bebedouro da tomada; 3. Encher metade dos dois baldes, um com água e outro com água e detergente; 4. Imergir o pano de limpeza no balde com solução detergente e torcer; 5. Passar o pano no bebedouro, fazendo movimentos retos, sempre de cima para baixo; 6. Molhar a escova no balde com solução detergente; 7. Utilizar a escova para lavar ao redor do dispositivo de saída da água e o
  33. 33. 33 acionador de água; 8. Passar o outro pano com água limpa no bebedouro e remover toda a solução detergente; 9. Friccionar álcool a 70% ao redor do dispositivo de saída de água, acionador de água e local de escoamento de água. Repetir o procedimento três vezes; 10.Ligar o bebedouro na tomada; 11.Limpar o material de trabalho e guardar em local adequado. OBSERVAÇÃO: Este procedimento deverá ser realizado diariamente e sempre que necessário.
  34. 34. 34 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 15 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA MANUAL DE INSTRUMENTAL EXECUTANTE: Equipe de enfermagem ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Realizar a limpeza do instrumental após a sua utilização MATERIAIS: • EPI (avental impermeável, máscara, touca, óculos, luvas de autoproteção) • Bacia, balde ou cuba de plástico de tamanho compatível com a quantidade de material • Escova de cerdas duras e finas • Compressas ou panos limpos e macios • Solução de água e detergente neutro ou detergente enzimático. PROCEDIMENTOS: 1. Usar EPI para iniciar a limpeza do instrumental; 2. Manipular o material cuidadosamente evitando batidas ou quedas; 3. Separar as pinças de pontas traumáticas (Pozzi, Backhaus) e lavar separadamente, evitando acidentes; 4. Imergir o instrumental aberto na solução de água e detergente (conforme orientação do fabricante), para remoção dos resíduos de matéria orgânica; 5. Observar para que o instrumental mais pesado e maior fique sob os pequenos e leves; 6. Lavar o instrumental peça por peça, cuidadosamente com escova, realizando movimentos no sentido das serrilhas. Dar atenção especial para as articulações, serrilhas e cremalheiras;
  35. 35. 35 7. Enxaguar rigorosamente o instrumental em água corrente, abrindo e fechando as articulações; 8. Enxugar as peças com compressa ou pano macio e limpo, em toda a sua extensão, dando especial atenção para as articulações, serrilhas e cremalheiras.
  36. 36. 36 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 16 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE NEBULIZADORES (MÁSCARAS, COPINHO E TUBO DE CONEXÃO) EXECUTANTE: Equipe de enfermagem ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO: Realizar a limpeza do material de inalação após a sua utilização MATERIAIS: • EPI (avental impermeável, máscara, touca, óculos e luvas de autoproteção); • Solução de água e detergente; • Hipoclorito de sódio a 1%; • Recipiente com tampa; • Balde ou bacia plástica com tampa (opacos); • Compressas ou panos limpos e secos; • Seringa de 20 ml. PROCEDIMENTOS: 1. Colocar o EPI; 2. Desconectar as peças, lavando cada uma cuidadosamente com água e detergente; 3. Injetar a solução de água e detergente na luz do tubo com ajuda de uma seringa de 20 ml; 4. Enxaguar o tubo com água corrente, usando o mesmo processo anterior para parte interna; 5. Colocar para escorrer ou secar com ar comprimido; 6. Enxaguar as demais peças rigorosamente interna e externamente; 7. Deixar escorrer sobre um pano limpo, completar a secagem manualmente se
  37. 37. 37 necessário; 8. Imergir todas as peças em solução de hipoclorito a 1% por 30 minutos; no recipiente opaco e com tampa. 9. Retirar as peças da solução com luvas de procedimento e/ou pinça longa; 10.Enxaguar as peças rigorosamente em água corrente; 11.Secar com pano limpo e seco; 12.Acondicionar as peças montadas (máscaras de nebulização) em kit individual; 13.Desprezar a solução de hipoclorito, enxaguar e secar o recipiente; 14.Manter área limpa e organizada
  38. 38. 38 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 17 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE ALMOTOLIAS EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização OBJETIVO Realizar a limpeza e desinfecção nas almotolias após o término da solução e/ou semanalmente. MATERIAIS: • EPI (avental impermeável, touca, máscara, óculos e luvas de autoproteção); • 01 esponja macia de limpeza; • 01 escova para limpeza de mamadeira; • Solução de água e detergente; • Panos limpos e secos; • Balde ou bacia com tampa; • Hipoclorito de sódio a 1%. PROCEDIMENTOS: 1. Esvaziar as almotolias, desprezando a solução na pia; 2. Lavar externamente, incluindo a tampa, com solução de água e detergente usando a esponja de limpeza; 3. Usar o mesmo processo internamente utilizando a escova de mamadeira; 4. Enxaguar abundantemente por dentro e por fora em água corrente; 5. Colocar as almotolias e tampas para escorrer sobre o pano limpo e seco; 6. Imergir as almotolias em solução de hipoclorito de sódio a 1% por 30 minutos; 7. Retirar o material da solução de hipoclorito, enxaguar rigorosamente em água corrente e deixar escorrer sobre pano limpo e seco; 8. Guardar em recipiente com tampa ou reabastecer para uso. OBSERVAÇÕES: A quantidade de solução colocada nas almotolias deve ser suficiente apenas para uso diário ou semanal. Nunca reabastecer as almotolias sem limpeza e desinfecção prévia.
  39. 39. 39 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 18 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DOS UMIDIFICADORES DE OXIGÊNIO EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização. OBJETIVO: Realizar a limpeza do material de oxigeno terapia após a sua utilização. MATERIAIS: • EPI (avental impermeável, óculos, máscara, touca e luvas de autoproteção); • 01 esponja macia de limpeza; • Solução de água e detergente; • Panos limpos e secos; • Balde ou bacia; • Hipoclorito de sódio a 1%. PROCEDIMENTO: 1. Esvaziar os umidificadores, desprezando a solução na pia; 2. Lavar externamente, incluindo a tampa e tubo metálico, com solução de água e detergente usando a esponja de limpeza; 3. Usar o mesmo processo internamente utilizando a escova para limpeza de mamadeira 4. Enxaguar abundantemente por dentro e por fora em água corrente; 5. Colocar para escorrer sobre o pano limpo e seco; 6. Imergir em solução de hipoclorito de sódio a 1% por 30 minutos (somente o recipiente plástico); 7. Retirar o material da solução de hipoclorito, enxaguar rigorosamente em água corrente e deixar escorrer sobre pano limpo e seco; 8. Friccionar álcool a 70% por 3 vezes na parte metálica que acompanha o umidificador;
  40. 40. 40 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 19 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TÉCNICA DE LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE AMBÚ EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização. OBJETIVO: Realizar a limpeza no ambu e acessórios após a sua utilização. MATERIAIS: • EPI (avental impermeável, óculos, máscara, touca e luvas de auto proteção); • 01 esponja macia; • Solução de água e detergente neutro ou detergente enzimático; • Panos limpos e secos; PROCEDIMENTO 1. Desmontar o ambú (retirar a máscara e conexões); 2. Limpar a bolsa ventilatória externamente com pano úmido e sabão. Evitar penetração de água no interior da bolsa; 3. Lavar a máscara e conexões com água e sabão; 4. Enxaguar em água corrente e secar; 5. Imergir a máscara e conexões em solução de hipoclorito a 1% por 30 minutos; 6. Retirar da solução de hipoclorito e enxaguar em água corrente; 7. Secar e guardar em recipiente tampado; OBSERVAÇÃO: A desinfecção com hipoclorito é necessária somente em presença de matéria orgânica.
  41. 41. 41 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 20 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 TRABALHO NA ÁREA DE PREPARO DE MATERIAIS EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização. OBJETIVO: organizar o processo de trabalho do pessoal da área de preparo, lavagem e secagem de materiais, instrumentais. PASSOS: 1. Higienizar as mãos e friccionar álcool a 70% ou álcool gel antes e após executar as atividades; 2. Usar EPI (jaleco, touca e luvas de procedimento); 3. Realizar desinfecção das mesas, bancadas, estantes, e armários com álcool a 70% antes de iniciar as atividades; 4. Verificar a quantidade de material necessário à execução das atividades e providenciar a reposição; 5. Confeccionar os pacotes conforme a técnica do envelope; 6. Identificar os pacotes colocando no rótulo: 7. Nome do pacote de acordo com a padronização; 8. Data da esterilização e validade (serão preenchidas quando for esterilizado) 9. Assinatura legível do funcionário que preparou o pacote. OBSERVAÇÕES: Preencher a identificação antes de fixar no pacote, fixar o rótulo no pacote, em local visível e plano, observando para que a fita teste não cubra a identificação.
  42. 42. 42 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 21 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 PREPARO E ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAL EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização. OBJETIVO: Promover completa eliminação ou destruição de todas as formas de microorganismos presentes: vírus, bactérias (nas formas vegetativas e esporuladas), protozoários, fungos, para um aceitável nível de segurança. MATERIAIS: • Autoclave; • Água destilada; • Material a ser esterilizado; • Papel crepado; • Fita teste; PROCEDIMENTO: 1. Verificar o funcionamento da autoclave e solicitar manutenção e reparo quando necessário, comunicar a Enfermeira o motivo e o possível conserto realizado; 2. Montar as caixas (curativo, sutura, retirada de pontos, sondagem vesical, etc) conforme kit de material, verificando condições de uso dos mesmos e se necessário, comunicar a Enfermeira responsável à necessidade de troca; 3. Identificar todos os pacotes a serem esterilizados e colocar data de esterilização/nome de quem preparou; 4. Colocar os materiais para serem esterilizados em autoclave de acordo com suas especificidades; 5. Esterilizar:
  43. 43. 43 6. Selecionar o ciclo de esterilização, de acordo com o material a ser esterilizado; 7. Verificar se constam todas as identificações necessárias (identificação do material data de esterilização data de validade, assinatura de quem preparou); 8. Inspecionar todos os pacotes quanto às condições da confecção, verificando se estão bem fechados, não muito apertados, sem furos ou remendos e se não há misturas de materiais dentro dos pacotes; 9. Checar o nível de água destilada; 10.Introduzir o material a ser esterilizado, respeitando a capacidade máxima da autoclave (dois terços - 70% da capacidade da câmara da autoclave); 11.Dar início à esterilização fechando a porta da autoclave e programando o ciclo; 12.Acompanhar todo o ciclo observando os dados do display e se houver qualquer alteração o ciclo deve ser invalidado e procurar a causa; 13.Ao término do ciclo de esterilização, abrir a porta da autoclave deixando-a entre aberta para o término da secagem; 14.Após a secagem abrir totalmente a porta e retirar o material; 15.Verificar se os indicadores químicos indicam contato com o vapor (se as listrar da fita de autoclave ficaram negras); 16. Armazenar os materiais depois de frios em recipiente com tampa. OBSERVAÇÕES: Se houver dúvidas no processo (as listras da fita de autoclave não enegrecerem), a esterilização deste lote deverá ser invalidada; Em caso de dúvidas quanto ao ciclo de esterilização consultar o manual do equipamento e ou solicitar a avaliação técnica do equipamento.
  44. 44. 44 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 22 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 RECOLHIMENTO DOS RESÍDUOS EXECUTANTE: Auxiliares de serviços gerais. ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização. OBJETIVO: Consiste em recolher todos os resíduos de uma Unidade, acondicionando-os de forma adequada e manuseando-os o mínimo possível. É a operação que precede todas as rotinas técnicas de limpeza e desinfecção. Deve ser iniciada, sempre, da área menos contaminada para a mais contaminada. MATERIAIS: • Botas; • Sacos de lixo de material plástico; • Luvas de autoproteção. • Colocar o EPI; PROCEDIMENTO: 1. Recolher o saco de lixo que se encontra na lixeira, amarrando bem as bordas; 2. Colocar um saco de lixo novo na lixeira, fixando-o firmemente nas bordas; 3. Transportar o lixo recolhido até o depósito para a remoção pela coleta externa. OBSERVAÇÕES: As lixeiras devem ser lavadas com água e sabão, semanalmente e sempre que necessário; Verificar as regras básicas de acondicionamento do lixo de acordo com o tipo de resíduos; Deve-se evitar, durante o transporte de resíduos, o cruzamento com pessoas e/ou material limpo nos corredores.
  45. 45. 45 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 23 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 DILUIÇÃO DE HIPOCLORITO EXECUTANTE: Equipe de enfermagem ÁREA: Higienização, desinfecção e esterilização. OBJETIVO: Diluir o hipoclorito a concentração de 1%. MATERIAIS: • EPI (avental impermeável, máscara, touca, óculos e luvas de autoproteção); • Recipiente milimetrado; • Hipoclorito de sódio a 1%; • Recipiente com tampa; • Água; PROCEDIMENTO: A formula é: C1xV1= C2xV2: C1= Concentração inicial que você tem. V1= o volume que irá precisar. C2= a concentração desejada. V2= O volume final. EXEMPLO: Se a concentração é de 12% e será preciso produzir 500 ml de uma concentração a 1%, deverá ser feito esse cálculo: Então serão necessários 42 ml de solução de hipoclorito a 12% para completar com 500 ml de agua para se ter uma concentração a 1%. 12% x V1 = 500ml V1=500/12 = 41,66
  46. 46. 46 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 24 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 AREA 3 – ASSISTÊNCIA À SAÚDE COLETA DE AMOSTRA DE ESCARRO (local de coleta – ar) EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência a saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Água; • Recipiente próprio estéril; • Saco plástico; • Etiqueta; • Luvas de procedimento; • Caneta; • Papel toalha; PROCEDIMENTO: 1. Higienizar as mãos e calçar luva de procedimento; 2. Identificar o frasco, colocando o nome do paciente e a data da coleta; 3. Explicar o procedimento e sua finalidade ao paciente; 4. Pedir ao paciente que lave as mãos e higienize a cavidade oral com água (sem utilizar creme dental ou solução antisséptica para gargarejo). Caso o paciente use próteses dentarias, ele deverá retirá-las antes de higienizar a cavidade oral; 5. Entregar o recipiente ao paciente e instruir o paciente a inspirar
  47. 47. 47 profundamente, reter o ar por alguns instantes e expirar. Após repetir esses procedimentos três vezes, tossir; 6. Imediatamente após o ato da tosse produtiva, o paciente deverá abrir o pote e expectorar secreção dentro dele, sem encostar os lábios no pote, ou tocar a parte interna com os dedos, pois há o risco de contaminação da amostra; 7. Logo após, fechar o frasco, rosqueando firmemente a tampa; 8. Repetir esse procedimento quantas vezes for necessário ate que o volume de 10 ml seja atingido; 9. Colocar o pote dentro de um saco plástico; 10.Retirar as luvas, lavar as mãos e anotar o procedimento; 11.Solicitar o paciente a lavar as mãos após o procedimento; 12.Encaminhar ao laboratório; 13.Orientar ao paciente quanto a importância da coleta da segunda amostra, quando indicado (para baciloscopias), para investigação diagnóstica e reforce a necessidade de coletar de 5 a 10 ml de escarro; 14.Entregar ao paciente o pote coletor devidamente identificado, com a marca de 5 a 10 ml, sinalizado e também um saco plástico transparente onde o pote devera ser devolvido no dia seguinte;
  48. 48. 48 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 25 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ACOLHIMENTO NA UNIDADE BÀSICA DE SAÚDE (COM OU SEM ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA - ESF) EXECUTANTE: Todos os profissionais da equipe. ÁREA: Assistência à Saúde OBJETIVO: Acolher o usuário com escuta ativa, visando atender suas necessidades básicas. PASSOS: • Utilizar uma escuta ampliada do motivo da procura ao serviço, levando em consideração o contexto em que o usuário está inserido; • Observar, reconhecer e descrever sinais e sintomas ao nível de sua qualificação; • Comunicar ao enfermeiro ou médico quando o motivo for uma queixa, sinal ou sintoma para que, junto com a equipe responsável, o atendimento seja direcionado no sentido de responder as necessidades humanas básicas afetadas; • Referenciar o paciente à equipe responsável por ele (quando em UBS com ESF) • Agendar retornos a partir de solicitação da equipe de saúde e/ou de acordo com o atendimento programático (programas de saúde). • Responder às demandas de vigilância à saúde e encaminhar queixas ou denúncias de cunho ambiental/social às instâncias pertinentes Departamento de Vigilância à Saúde e realizar as orientações de saneamento. CABE AO ENFERMEIRO DA UBS: Supervisionar o acolhimento realizado pelos profissionais da equipe; Receber os pacientes que procura o serviço com queixa, sinal ou sintoma, realizar acolhimento e, quando necessário, consulta de enfermagem, assim como proceder aos encaminhamentos necessários.
  49. 49. 49 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 26 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 AGENDAMENTO DE CONSULTAS EXECUTANTE: Recepcionista. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Agendar consultas de demanda espontânea na UBS. PASSOS: • Abrir a UBS no horário determinado. • Acolher os usuários que aguardam na fila, tratando-os com serenidade e respeito. • Agendar as consultas conforme as vagas. • Encaminhar ao acolhimento os usuários que relatarem sinais e sintomas para avaliação. • Preencher novos prontuários para usuários em primeira consulta. • Localizar prontuários de usuários já existentes e encaminhar ao consultório. • Consultas serão agendadas por horário, respeitando o horário de intervalo entre as mesmas. • Comunicar ao usuário que deverá chegar à Unidade com 15 minutos de antecedência, sendo que após este tempo sua consulta estará cancelada e outro usuário poderá ser encaixado em seu lugar. OBSERVAÇÃO: Agendamento de consultas de demanda programada nas UBS: As consultas de demanda programada referem-se aos procedimentos programáticos da Saúde Coletiva relativos à Saúde da Mulher, Adulto e Criança. Estas deverão ser agendadas de acordo com os respectivos protocolos estabelecidos pela SMS.
  50. 50. 50 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 27 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ORGANIZAÇÃO DOS CONSULTÓRIOS DE GINECOLOGIA EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de organização e funcionamento dos consultórios ginecológicos. PASSOS: • Organizar a sala; • Solicitar ao auxiliar de serviços gerais que realize diariamente limpeza concorrente e semanalmente limpeza terminal; • Lavar e organizar as bandejas em uso, diariamente; • Trocar as almotolias, previamente limpas identificadas e datadas, semanalmente colocando novas soluções. As almotolias devem ser preenchidas 30% do volume, ou de acordo com a demanda da unidade; • Verificar a data de validade de materiais esterilizados; • Checar o funcionamento dos equipamentos da sala: colposcópio, foco de luz, Doppler, eletrocautério, balança e comunicar ao coordenador da unidade, se necessário. • Repor materiais (soluções, instrumentais, etc) e impressos próprios e específicos; • Manter arquivos organizados; • Marcar em livro próprio as biópsias encaminhadas e recebidas; • Registrar em livro próprio toda coleta de citologia oncótica realizada e resultado recebido; • Arquivar (pasta ou livro) as fichas de inserção de dispositivo intra-uterino (DIU) na sala.
  51. 51. 51 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 28 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ORGANIZAÇÃO DOS CONSULTÓRIOS GERAIS EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de organização e funcionamento dos consultórios gerais. PASSOS: • Organizar a sala; • Checar o funcionamento dos equipamentos da sala: balança, negatoscópio e comunicar ao coordenador da unidade em caso de necessidades de reparo / manutenção; • Realizar a desinfecção de espéculos de ostoscópios; • Trocar almotolias semanalmente; • Repor materiais e impressos próprios e específicos.
  52. 52. 52 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 29 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 SALA DE CURATIVO EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de organização e funcionamento das salas de curativo. PASSOS: • Organizar a sala; • Realizar limpeza concorrente (com água e sabão nas superfícies e após realizar desinfecção com àlcool a 70%) no início de cada plantão; • Solicitar a auxiliar de serviços gerais que realize diariamente limpeza concorrente e semanalmente limpeza terminal; • Trocar as almotolias semanalmente colocando novas soluções, previamente limpos identificados e datados. As almotolias devem ser preenchidas com 30% do volume ou de acordo com demanda da unidade; • Verificar a data de validade de materiais esterilizados; • Repor materiais necessários, conforme a rotina da unidade; • Realizar os curativos conforme prescrição médica; • Executar rotina de troca de curativo (conforme orientação do manual de normas técnicas).
  53. 53. 53 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 30 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 RETIRADA DE PONTOS EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Proporcionar conforto ao paciente; facilitar a cicatrização. MATERIAS: • Uma pinça Kelly; • Gazes esterilizadas; • Soro fisiológicoa 0,9%, • Tesoura de íris ou lâmina de bisturi esterilizada; PROCEDIMENTO: 1. Explicar o procedimento ao paciente; 2. Higienizar as mãos; 3. Umedecer os pontos com soro fisiológico 0.9% e secar; 4. Segurar a extremidade do fio com a pinça kelly e com a tesoura ou lâmina de bisturi, cortar a parte inferior do nó mais próxima da pele; 5. Colocar uma gaze próxima à incisão para depositar os pontos retirados, 6. Após o procedimento, fazer a limpeza local com técnica asséptica. OBSERVAÇÕES: Observar data da retirada (do sétimo ao décimo dia de pós operatório); Retirar apenas com prescrição médica; Em caso de sinais flogísticos nos pontos cirúrgicos, encaminhar o paciente para consulta médica.
  54. 54. 54 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 30 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 VERIFICAÇÃO DA GLICEMIA CAPILAR EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Verificar a taxa de glicemia do usuário com segurança para o paciente e para o profissional. MATERIAIS: • Equipamento de Proteção Individual: luvas de procedimento e jaleco; • Cuba rim ou bandeja; • Glicosímetro; • Fitas reagentes para glicose, específica ao aparelho utilizado no momento; • Lancetas e/ou agulha 13X4,5 estéreis • Caneta e papel ou prescrição do paciente, para anotação do resultado encontrado; • Gaze ou algodão umedecida com álcool 70%; • Caixa de coletor de material perfurocortante; PROCEDIMENTO: 1. Higienizar as mãos,(POP 003); 2. Separar o material necessário em uma bandeja ou cuba rim; 3. Orientar o paciente ou acompanhante sobre o procedimento; 4. Calçar as luvas de procedimento; 5. Ligar o aparelho e posicionar a fita e o glicosímetro de modo a facilitar a deposição da gota de sangue no local adequado; 6. Segurar a lanceta sem tampa ou agulha e fazer uma leve pressão na ponta
  55. 55. 55 do dedo escolhido de modo a favorecer o seu enchimento capilar; 7. Com a outra mão, limpar a área com algodão umedecido com álcool 70% e esperar secar. (O álcool pode se misturar com sangue e alterar o resultado do teste); 8. Com a lanceta ou agulha, fazer uma punção na ponta do dedo escolhido, preferencialmente na lateral do dedo, onde a dor é minimizada; 9. Lancetar o dedo e obter uma gota suficiente para preencher o campo reagente; 10.Pressionar o local da punção com algodão seco enquanto aguarda o tempo necessário para o resultado do exame; 11.Informar o resultado obtido ao usuário ou acompanhante: 12.Guardar o glicosímetro, desprezar a fita reagente e a lanceta na caixa específica para material perfurocortante; 13.Higienizar as mãos (POP 003), e realizar a anotação de enfermagem, incluindo o local de aplicação, data e hora, assinar e carimbar. 14.Registrar procedimento em planilha de produção. 15. Manter ambiente de trabalho limpo e organizado.
  56. 56. 56 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 32 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 SALA DE INALAÇAO EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de organização e funcionamento das salas de inalação. PASSOS: • Organizar a sala; • Realizar desinfecção com álcool a 70% no início de cada plantão; • Solicitar ao auxiliar de serviços gerais que realize diariamente limpeza concorrente e semanalmente limpeza terminal; • Checar o funcionamento do compressor, ou do nebulizador e se necessário e comunicar ao coordenador da unidade caso necessite reparo; • Preparar material necessário para o plantão, trocar o soro fisiológico utilizado no procedimento a cada 24 horas; • Executar os procedimentos conforme prescrição médica e/ ou do enfermeiro, anotando no verso na própria receita com letra legível a data, horário, nome e COREN, preenchendo boletim de produção; • Realizar desinfecção. • Manter a sala limpa, organizada e abastecida, verificando diariamente a validade dos medicamentos; • Ao final do expediente retirar os extensores e proceder a limpeza e desinfecção conforme rotina das mascaras de inalação, desprezar o hipoclorito de sódio e lavar a caixa; • Anotar a validade do hipoclorito.
  57. 57. 57 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 33 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA ENDOVENOSA EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Ampola, frasco ou frasco-ampola conforme a medicação prescrita; • Seringa 5, 10 ou 20 ml; • Agulha 25x6, 25x7ou 25x8; • Algodão embebido em álcool a 70%; • Dispositivos para punção endovenosa: Jelco ou Scalp, calibre de acordo com a idade e características do paciente; • Garrote; • Luvas de procedimento; • Esparadrapo; • Soro ou água destilada para diluição, conforme prescrição médica; PROCEDIMENTO: 1. Conferir a prescrição observando a data da prescrição, nome do paciente, medicação, dose, horário, via de administração e apresentação; 2. Explicar o procedimento ao paciente; 3. Selecionar a ampola, observando nome, validade, alteração de cor e presença de resíduos; 4. Escolher seringa de acordo com o volume a ser administrado; 5. Lavar as mãos; 6. Fazer assepsia nas ampolas com auxílio do algodão e álcool 70%;
  58. 58. 58 7. Abrir a seringa e conectar a agulha 25x6, 25x7 ou 25x8; 8. Aspirar à medicação e preparar a solução a ser administrada; 9. Calçar as luvas; 10.Selecionar veia de grande calibre para punção, garrotear o braço do paciente; 11.Realizar anti-sepsia do local escolhido de baixo para cima; 12.Adaptar a seringa a conexão (no caso de Jelco, realiza-se a adaptação após a punção); no caso de scalp preencher a agulha e tubo plástico com a solução prescrita antes de puncionar a veia para evitar a infusão de ar; 13.Realizar a punção venosa e testar a permeabilidade da via; 14.Soltar o garrote; 15.Administrar a medicação lentamente, observando o retorno venoso, o paciente e as reações apresentadas. 16.Retirar a seringa e pressionar o algodão no local da punção; 17.Descartar o material, tendo o cuidado de a seringa ser descartada na caixa coletora de material perfuro cortante; 18.Higienizar as mãos ( POP 003); 19.Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar; 20.Registrar procedimento em planilha de produção. 21.Manter ambiente em ordem.
  59. 59. 59 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 34 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA INALATÓRIA EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem MATERIAIS: • Copo nebulizador. • Máscara. • Medicação prescrita. PROCEDIMENTO: 1. Higienizar as mãos; (POP003) 2. Preparar a medicação prescrita no copo nebulizador, observando a dose, via, nome paciente, data. 3. Explicar o procedimento ao cliente, deixando-o sentado ou em semi-fowler, 4. Conectar a mangueira ao copo de nebulização acoplada ao fluxômetro de ar comprimido/oxigênio, ou ao aparelho de nebulização. 5. No caso de ar comprimido/oxigênio, regular o fluxo (5 a 10 litros/ min). 6. Conectar a máscara ao rosto do cliente de modo a encobrir o nariz e a boca, orientar o paciente a manter respiração nasal durante a inalação do medicamento. 7. Ao término, oferecer papel toalha para o paciente secar a umidade do rosto. 8. Colocar copo e máscara de nebulização para lavagem e desinfecção. 9. Higienizar as mãos. 10.Anotar, assinar e carimbar em prontuário e na receita médica do paciente. 11.Anotar na planilha de produção. 12. Manter ambiente de trabalho limpo e organizado.
  60. 60. 60 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 35 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA INTRADÉRMICA EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Seringa descartável de 1 ml; • Agulhas de 13 x 4,5 ou 13X3,8 (tuberculina); • Medicamento prescrito; • Algodão; • Álcool a 70%. PROCEDIMENTO: 1. Conferir a prescrição, observando a data da prescrição, nome do paciente, medicação, concentração, dose, horário, via de administração e apresentação; 2. Explicar o procedimento ao paciente; 3. Higienizar as mãos; (POP003) 4. Realizar a antissepsia do frasco e/ou ampola com álcool a 70%; 5. Limpar o local com algodão seco. Se o local estiver sujo, solicitar ao paciente lavar com água e sabão; 6. Identificar a área de aplicação, 7. Segurar a seringa com a mão dominante quase paralela ao local de aplicação, introduzir o bisel da agulha, voltado para cima, seguindo um ângulo de 15º; 8. Injetar o líquido, e observar a formação de uma pápula de aspecto esbranquiçado e poroso (tipo casca de laranja), com bordas bem nítidas e
  61. 61. 61 delimitadas, desaparecendo posteriormente. 9. Retirar a agulha e não massagear a pele; 10.Devolver o material para o local adequado, desprezar a seringa com agulha no coletor de material perfurocortante, 11.Lavar as mãos e realizar a anotação de enfermagem, incluindo o local de aplicação, data e hora, assinar e carimbar. 12.Registrar procedimento em planilha de produção. 13.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado.
  62. 62. 62 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO: POP: 35 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA INTRAMUSCULAR (IM) EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Seringa – conforme volume a ser injetado (máximo 5 ml.). • Agulha – comprimento/ calibre compatível com a massa muscular e solubilidade do líquido a ser injetado. • Algodão. • Álcool 70%. • Bandeja. • Medicação prescrita. PROCEDIMENTO: 1. Checar prescrição medicamentosa (data, dose, via nome paciente); 2. Higienizar as mãos, (POP 003); 3. Preparar injeção, conforme técnica já descrita; 4. Orientar o paciente sobre o procedimento; 5. Escolher local da administração, a musculatura deve ser suficientemente grande para absorver o medicamento (máximo 3 ml para deltoide e 5 ml para glúteo e coxas.); 6. Fazer antissepsia da pele com algodão/ álcool; 7. Firmar o músculo, utilizando o dedo indicador e o polegar; 8. Introduzir a agulha com ângulo adequado à escolha do músculo; 9. Aspirar observando se atingiu algum vaso sanguíneo (caso aconteça, retirar agulha do local, desprezar todo material e reiniciar o procedimento);
  63. 63. 63 10.Injetar o líquido lentamente; 11.Retirar a seringa/agulha em movimento único e firme; 12.Fazer leve compressão no local; 13.Desprezar o material perfuro-cortante em recipiente apropriado (caixa resíduo perfuro-cortante); 14.Higienizar as mãos, (POP 003); 15.Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar; 16.Realizar anotações em planilhas de produção. 17.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado. OBSERVAÇÕES: LOCAIS DE APLICAÇÃO: • O local apropriado para aplicação da injeção intramuscular é fundamental para uma administração segura. • Na seleção do local deve-se considerar o seguinte: • Distância em relação a vasos e nervos importantes; • Musculatura suficientemente grande para absorver o medicamento; • Espessura do tecido adiposo; • Idade do paciente; • Irritabilidade da droga; • Atividade do paciente. DORSOGLÚTEA (DG): Colocar o paciente em decúbito ventral ou lateral, com os pés voltados para dentro, para um bom relaxamento. A posição de pé é contraindicada, pois há completa contração dos músculos glúteos, mas, quando for necessário, pedir para o paciente ficar com os pés virados para dentro, pois ajudará no relaxamento; Localizar o músculo grande glúteo e traçar uma cruz imaginária, a partir da espinha ilíaca póstero-superior até o trocânter do fêmur; Administrar a injeção no quadrante superior externo da cruz imaginária; Indicada para adolescentes e adultos com bom desenvolvimento muscular e excepcionalmente em crianças com mais de 2 anos, com no mínimo 1 ano de deambulação.
  64. 64. 64 VENTROGLÚTEA (VG): 1. Paciente pode estar em decúbito sentado lateral, ventral ou dorsal. 2. Colocar a mão esquerda no quadril direito do paciente. 3. Localizar com a falange distal do dedo indicador a espinha ilíaca ântero-superior direita. 4. Estender o dedo médio ao longo da crista ilíaca. 5. Espalmar a mão sobre a base do grande trocânter do fêmur e formar com o indicador em triângulo. 6. Indicada para crianças acima de 03 anos, pacientes magros, idosos ou caquéticos. FACE VASTO LATERAL DA COXA: 1. Colocar o paciente em decúbito dorsal, lateral ou sentado. 2. Traçar um retângulo delimitado pela linha média na anterior da coxa, na frente da perna e na linha média lateral da coxa do lado da perna, 12-15 cm do grande trocânter do fêmur e de 9-12 cm acima do joelho, numa faixa de 7-10 cm de largura. 3. Indicado para lactantes e crianças acima de 1 mês, e adultos que possuem prótese no glúteo; DELTÓIDE: 1. Paciente poderá ficar sentado ou decúbito lateral. 2. Localizar músculo deltoide que fica 2 ou 3 dedos abaixo do acrômio. Traçar um triângulo imaginário com a base voltada para cima e administrar a medicação no centro do triângulo imaginário. ESCOLHA CORRETA DO ÂNGULO: - Vasto lateral da coxa – ângulo 45 em direção podálica; - Deltoide – ângulo 90º. - Ventroglúteo – angulação dirigida ligeiramente à crista ilíaca. - Dorso glúteo – ângulo 90º.
  65. 65. 65 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 37 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA OCULAR EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Colírio ou pomada oftalmológica. • Gaze. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: APRESENTAÇÃO: COLÍRIO 1. Checar prescrição (data, nome do paciente, dose, apresentação,). 2. Separar medicação prescrita. 3. Lavar as mãos. 4. Orientar o paciente quanto ao procedimento, solicitando que incline a cabeça para trás. 5. Afastar a pálpebra inferior com o auxílio da gaze, apoiando a mão na face do paciente. 6. Pedir para o paciente olhar para cima e pingar a medicação no centro da membrana conjuntiva. 7. Orientar o paciente a fechar a pálpebra. 8. Higienizar as mãos, (POP 003); 9. Anotar data, nome, horário de execução do procedimento. 10. Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar. 11. Anotar na planilha de produção.
  66. 66. 66 12. Manter ambiente de trabalho limpo e organizado. APRESENTAÇÃO: POMADA Com o auxílio da gaze, afastar a pálpebra inferior, apoiando a mão na face do paciente e colocar com o próprio tubo a pomada. Pedir para o paciente fechar os olhos. Proceder a leve fricção sobre a pálpebra inferior
  67. 67. 67 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 38 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ADMINISTRAÇÃO MEDICAMENTOS VIA ORAL EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Copo descartável/ graduado. • Medicação. • Conta gotas. • Bandeja. PROCEDIMENTO: 1. Checar prescrição: data, nome do paciente, medicação, dose, via de administração e apresentação. 2. Lavar as mãos. 3. Separar a medicação evitando tocar as mãos nos comprimidos. Usar a própria tampa do frasco ou gaze para auxiliar. 4. Em caso de líquido – agitar o frasco e colocar a dose prescrita com auxílio do copo graduado, ou conta gotas. 5. Explicar o procedimento ao paciente. 6. Oferecer a medicação. 7. Certificar-se que o medicamento foi deglutido. 8. Higienizar as mãos, (POP 003); 9. Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar. 10.Anotar na planilha de produção. 11.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado.
  68. 68. 68 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 39 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS VIA SUBCUTÂNEA (SC) EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Seringa de 1 ou 3 ml; • Agulha 13x 4,5; • Álcool 70%; • Algodão; • Bandeja PROCEDIMENTO: 1. Conferir prescrição médica, observando a data da prescrição, nome do paciente, medicação, concentração, dose, horário, via de administração e apresentação; 2. Orientar o paciente sobre o procedimento; 3. Higienizar as mãos, (POP 003); 4. Realizar a antissepsia do frasco e/ou ampola com álcool a 70%; 5. Escolher o local da administração; 6. Fazer antissepsia da pele com algodão com álcool 70%, de baixo para cima; 7. Pinçar com o dedo polegar e indicador o local da administração; 8. Introduzir a agulha com o bisel voltado para cima num ângulo de 90º; 9. Aspirar, observando se atingiu algum vaso sanguíneo (não aspire anticoagulante); 10.Injetar o líquido lentamente;
  69. 69. 69 11.Retirar a seringa/agulha num movimento único e firme; 12.Fazer leve compreensão no local com algodão; 13.Desprezar material perfurocortante em recipiente apropriado 14.Higienizar as mãos, (POP 003); 15.Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar; 16.Anotar na planilha de produção. 17.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado. OBSERVAÇÃO: Na administração de insulina não realizar massagem após aplicação, para evitar a absorção rápida. Locais de aplicação: - Região deltoide no terço proximal. - Face superior externa do braço. - Parede abdominal; - Face anterior da coxa.
  70. 70. 70 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 40 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 CATETERISMO VESICAL DE ALÍVIO EXECUTANTE: Enfermeiro. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Luvas estéreis; • Sonda uretral estéril descartável de calibre adequado ao paciente; • PVPI tópico; • Compressas de gaze estéril; • Bandeja de materiais estéreis para cateterismo (cuba rim, campo fenestrado, pinça Cherron); • Lençol; • Frasco para coleta de urina se necessário; • Lidocaína geléia • Luva de procedimento. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: PACIENTE DO SEXO FEMININO 1. Posicionar a paciente confortavelmente. 2. Higienizar as mãos, (POP 003); 3.Abrir a bandeja de cateterismo usando a técnica asséptica. Colocar o recipiente para os resíduos em local acessível. 4. Colocar a paciente em posição de decúbito dorsal com os joelhos flexionados, os pés sobre o leito mantendo os joelhos afastados. 5. Calçar as luvas estéreis;
  71. 71. 71 6. Separar, com uma das mãos, os pequenos lábios de modo que o meato uretral seja visualizado; mantendo-os afastados até que o cateterismo termine. 7. Realizar antissepsia da região perineal com PVPI tópico e gaze estéril com movimentos únicos. 8. Evitar contaminar a superfície da sonda, lubrificando com a lidocaína gel 9. Introduzir a sonda na uretra e realizar o esvaziamento da bexiga totalmente ou coletar a urina caso seja para exame laboratorial. 10.Remover a sonda suavemente, quando a urina parar de fluir. 11.Secar a área, deixar a paciente confortável. 12.Lavar as mãos. 13.Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar; 14.Anotar na planilha de produção. 15.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado. PACIENTE DO SEXO MASCULINO 1. Lubrificar bem a sonda com lubrificante ou anestésico tópico prescrito. 2. Realizar a assepsia com PVPI tópico e gaze estéril em movimentos únicos da base do pênis até o púbis, e após da base do pênis até raiz da coxa, bilateralmente. 3. Após, da glande até a base, e por último em movimentos circulares sobre o meato, de dentro para fora. 4. Introduzir a sonda na uretra e realizar o esvaziamento da bexiga totalmente ou coletar a urina caso seja para exame laboratorial. 5. Remover a sonda suavemente, quando a urina parar de fluir. 6. Secar a área, deixar a paciente confortável. 7. Higienizar as mãos, (POP 003); 8. Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar; 9. Anotar na planilha de produção. 10.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado.
  72. 72. 72 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 41 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 CATETERISMO VESICAL DE DEMORA EXECUTANTE: Enfermeiro. ÁREA: Assistência à Saúde OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Luvas estéreis; • Sonda folley estéril descartável; • PVPI tópico; • Compressas de gaze estéril; • Lidocaína gel; • Coletor de urina de sistema fechado; • Bandeja de materiais estéreis para cateterismo (cuba rim, pinça cheron); • Seringa de 20 ml; • Água destilada – ampola; • Campo fenestrado; • Lençol. DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: PACIENTE DO SEXO FEMININO 1. Higienizar as mãos, (POP 003); 2. Reúna o material na bandeja e leve para o quarto do paciente. 3. Oriente o paciente sobre o cuidado a ser realizado. 4. Promova a privacidade do paciente colocando o biombo e fechando as portas e janelas. 5. Posicionar a lixeira.
  73. 73. 73 6. Posicione o paciente em decúbito dorsal. 7. Calce as luvas de procedimento. 8. Separar, com uma das mãos, os pequenos lábios de modo que o meato uretral seja visualizado; mantendo-os afastados, até que o cateterismo termine. 9. Realizar antissepsia da região perineal com PVPI tópico e gaze estéril com movimentos únicos: Horizontalmente, do meato até monte de Vênus. A seguir, verticalmente do meato até final da comissura labial posterior, inicialmente sobre grandes lábios, após entre grandes e pequenos lábios e, por último, em movimentos circulares sobre o meato, de dentro para fora. 10.Retire o material de higiene íntima. 11.Retire as luvas de procedimento. 12.Abra o material de cateterismo sobre o leito, entre as pernas do paciente e com técnica estéril sobre o campo. 13.Calce as luvas estéreis. 14.Certifique-se do bom funcionamento do Cuff (balonete). 15.Separar, com uma das mãos, os pequenos lábios de modo que o meato uretral seja visualizado; mantendo-os afastados, até que o cateterismo termine. 16.Lubrificar bem a sonda com lubrificante ou anestésico tópico prescrito. 17.Introduzir a sonda pré-conectada a um coletor de drenagem de sistema fechado, bem lubrificada por 5 a 7 cm no meato uretral, utilizando técnica asséptica estrita. 18.Tracionar suavemente a sonda até sentir até sentir resistência. 19.Insuflar o balonete com água destilada (aproximadamente 10 ml), certificando-se de que a sonda está drenando adequadamente. 20.Fixar a sonda de demora, prendendo-a juntamente com o equipo de drenagem na coxa. 21.Higienizar Secar a área e proporcionar conforto a paciente; 22.Higienizar as mãos, (POP 003); 23.Anotar data, nome, horário de execução do procedimento. 24.Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar. 25.Anotar na planilha de produção. 26.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado
  74. 74. 74 PACIENTE DO SEXO MASCULINO 1. Higienizar as mãos, (POP 003); 2. Reúna o material na bandeja e leve para o quarto do paciente. 3. Oriente o paciente sobre o cuidado a ser realizado. 4. Promova a privacidade do paciente colocando o biombo e fechando as portas e janelas. 5. Posicionar a lixeira. 6. Posicione o paciente em decúbito dorsal. 7. Calce as luvas de procedimento. 8. Lubrificar bem a sonda com lubrificante ou anestésico tópico prescrito. 9. Realizar a antissepsia com PVPI tópico e gaze estéril em movimentos únicos da base do pênis até o púbis, e após da base do pênis até raiz da coxa, bilateralmente. Após, da glande até a base, e por último em movimentos circulares sobre o meato, de dentro para fora. 10.Introduzir a sonda dentro da uretra quase até sua bifurcação, até que a urina flua. 11.Quando a resistência é sentida no esfíncter externo, aumentar discretamente a tração do pênis e aplicar pressão suave e contínua sobre a sonda. Pedir para que o paciente faça força (como se estivesse urinando), para ajudar a relaxar o esfíncter. 12.Insuflar balonete com água destilada (aproximadamente 10 ml); 13.Fixar a sonda de demora, prendendo-a abaixo do umbigo na vertical; 14.Secar a área e proporcionar conforto ao paciente; 15.Higienizar as mãos, (POP 003); 16.Anotar data, nome, horário de execução do procedimento. 17.Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar. 18.Anotar na planilha de produção. 19.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado OBSERVAÇÃO: Trocar a sonda de demora e a bolsa coletora a cada 15 dias ou quando necessário após avaliação médica.
  75. 75. 75 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 42 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 CAUTERIZAÇÃO CICATRIZ UMBILICAL EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAL: • Álcool 70%; • Bastão de nitrato de prata; • Papel alumínio; • Óleo de amêndoa ou similar; • Luvas de procedimentos; • Haste de algodão flexível; • Gaze. PROCEDIMENTO: 1. Receber o cliente na sala de procedimento. 2. Orientar a mãe ou responsável quanto ao procedimento. 3. Higienizar as mãos, (POP 003); 4. Calçar as luvas. 5. Realizar limpeza da cicatriz umbilical, com haste de algodão embebida em álcool 70%. 6. Proteger a pele ao redor da cicatriz umbilical com óleo. 7.Abrir a cicatriz umbilical, a fim de visualizar o granuloma. 8. Inserir o bastão de Nitrato de prata sobre o granuloma da cicatriz umbilical. 9. Solicitar à mãe que vista a bebê. 10.Higienizar as mãos.
  76. 76. 76 11.Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar; 12.Registrar o procedimento em planilha de produção. 13.Manter ambiente de trabalho limpo e organizado
  77. 77. 77 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 43 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 COLETA DE EXAME CITOLÓGICO CERVICO-VAGINAL (PAPANICOLAU) EXECUTANTE: Enfermeiros e médicos. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de saúde da mulher. MATERIAIS: • Espéculos tamanhos “P”, “M” ou “G”, • Lâmina com uma extremidade fosca; • Espátula de Ayres; • Escova cervical; • Par de luvas para procedimento; • Formulário de requisição do exame citopatológico; • Fita adesiva para identificação dos frascos; • Lápis – para identificação da lâmina; • Fixador apropriado; • Recipiente para acondicionamento das lâminas (porta lâminas); • Lençol descartável para a maca; • Foco; • Schiller; • Acido acético; • Pinça Cherron; • Gazes; • Camisola para a paciente. PROCEDIMENTO: 1. Recepcionar a paciente com atenção; 2. Realizar anamnese: perguntar a data da ultima menstruação; se faz uso de
  78. 78. 78 métodos anticoncepcionais, se utilizou lubrificantes, espermicidas, medicamentos vaginais, realizou exames intravaginais ou teve relações sexuais com preservativos nas 48 horas anteriores; quando foi realizado o ultimo exame citopatológico; ocorrência de exames citopatológicos anormais, investigações e/ou tratamentos; sangramentos vaginais pós coito ou anormais; história obstétrica; antecedentes familiares; 3. Preencher os dados nos formulários para requisição de exame citopatológico do colo uterino; 4. Orientar a paciente quanto ao procedimento: explicar o propósito do exame e as etapas do procedimento; 5. Identificar a lâmina na extremidade fosca, com lápis grafite, colocando as iniciais do nome da mulher e seu número de registro na unidade; identificar a parte externa do frasco em fita crepe, colocando o nome da paciente, número da lâmina, data da coleta e nome da unidade de saúde onde foi realizada a coleta; 6. Oferecer avental à paciente e encaminhá-la ao banheiro/local reservado solicitando-a que retire a peça íntima e esvazie a bexiga; 7. Higienizar as mãos com água e sabão e secá-las com papel toalha, antes e após o atendimento; 8. Solicitar que ela deite na mesa ginecológica, auxiliando-a a posicionar-se adequadamente para o exame; 9. Cobri-la com o lençol; 10.Posicionar o foco de luz; 11.Calçar as luvas de procedimento; 12.Examinar a região vulvar, prestando atenção a distribuição dos pelos, a integridade do clitóris, do meato uretral, dos grandes e pequenos lábios, a presença de secreções vaginais, de sinais de inflamação, de veias varicosas, e outras lesões como úlceras, fissuras, verrugas e tumorações; 13.Escolher o espéculo do tamanho adequado de acordo com as características perineais e vaginais da mulher a ser examinada. Não deve ser usado lubrificante, mas em casos selecionados, principalmente em mulheres idosas, com vagina extremamente atróficas, recomenda-se molhar o especulo com soro fisiológico; 14.Orientar à paciente a manter a musculatura relaxada para facilitar a introdução do espéculo;
  79. 79. 79 15.Introduzir o espéculo, na posição horizontal, de modo que o colo do útero fique exposto completamente; 16.Se ao visualizar o colo, houver grande quantidade de muco ou secreção, seque- o delicadamente com uma gaze utilizando a pinça Cherron, sem esfregar, para não perder a qualidade do material a ser coletado; 17.Proceder a coleta da ectocérvice, utilizando a espátula de Ayres, do lado que apresenta reentrância. Encaixar a ponta mais longa da espátula no orifício externo do colo, apoiando-a firmemente, fazendo uma raspagem em movimento rotativo de 360°em torno de todo o orifício cervic al, para que toda a superfície do colo seja raspada e representada na lâmina; 18.Estender o material ectocervical na lâmina dispondo-o no sentido vertical, ocupando 2/3 da parte transparente da lâmina, de cima para baixo, garantindo uma amostra uniforme; 19.Proceder à coleta endocervical, utilizando a escova endocervical. Recolher o material introduzindo a escova endocervical e fazer um movimento giratório de 360º, percorrendo todo o contorno do orifício cervical; 20.Estender o material, ocupando o 1/3 da lâmina, rolando em posição horizontal; 21.Borrifar a lâmina, que deve estar em posição horizontal imediatamente após a coleta, com o spray fixador a uma distancia de 20 cm; 22.Colocar o esfregaço no frasco porta-lâmina já identificado; 23.Realizar a limpeza do colo uterino, utilizando pinça de Cherron e compressa de gaze embebida em ácido acético 2-5%, com finalidade de fazer outra inspeção de toda nova junção escamocolunar, detectar e avaliar áreas atípicas, ou anormais da zona de transformação, observando o efeito do acetobranqueamento; 24.Realizar teste de Schiller, utilizando pinça Cherron com gaze embebida na solução de Lugol, passando a mesma sobre toda a superfície do colo uterino; 25.Realizar a leitura do Teste de Schiller. Em condições normais, há a coloração de toda superfície do colo uterino de castanho escuro ou quase preto. Em casos indicativos de possíveis lesões do colo uterino, não há coloração em regiões do colo; 26.Fechar o espéculo retirando-o delicadamente, evitando beliscar a mulher; 27.Descartar o espéculo; 28.Retirar as luvas;
  80. 80. 80 29.Auxiliar a paciente a descer da mesa ginecológica e orientá-la a troca de roupa; 30.Higienizar as mãos; 31.Orientar a paciente a buscar o resultado do exame conforme a rotina da unidade de saúde; 32.Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar; 33.Acondicionar os porta-lâminas, juntamente com o formulário de requisição do exame, para transportá-las; 34.Enviar as lâminas ao setor de epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde; OBSERVAÇÕES: O espéculo de tamanho pequeno deve ser utilizado em mulheres muito jovens, que não tiveram parto vaginal, menopausadas e em mulheres muito magras. O espéculo de tamanho grande pode ser indicado para as mulheres multíparas para as obesas. Condições intermediárias ou em caso de dúvida, use o de tamanho médio. Caso esteja apresentando dificuldade para visualização do colo, sugira que a paciente tussa. Se não conseguir visualizar o colo peça auxílio ao médico. Não estar menstruada, preferencialmente aguardar o 5º dia após menstruação; A presença de pequeno sangramento de origem não menstrual, não é impeditivo para coleta, principalmente nas mulheres após menopausa. Não usar creme vaginal nem submeter-se a exames intravaginais (ultrassonografia) por dois dias antes do exame. Em paciente virgem, a coleta deverá ser realizada pelo profissional médico; Em gestante ou na suspeita de gravidez, não realizar coleta de material endocervical; Caso identifique alterações (nódulos, verrugas, pólipos, etc.) na vulva ou vagina, solicite a presença do médico. Nos casos de mulheres que tenham sofrido histerectomia com manutenção do colo uterino a coleta deve ser realizada como de hábito, inclusive com a escova endocervical. Nos casos em que houve a retirada total do colo a coleta pode ser feita no fundo da vagina (fundo cego). O orifício externo do colo uterino das mulheres que nunca tiveram parto vaginal é puntiforme e das que já tiveram é em fenda transversa. A visualização de um colo com aspecto tumoral é uma indicação de encaminhamento
  81. 81. 81 direto a colposcopia, mesmo na vigência de um resultado citopatológico negativo para malignidade.
  82. 82. 82 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 44 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 COLETA DE TESTE DO PEZINHO (PKU) EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAL: • Luvas de procedimento, • Álcool a 70%, • Gaze estéril ou algodão, • Lanceta BD azul, fornecida pelo NUPAD para uso exclusivo no teste do pezinho, • Papel filtro; • Suporte para secagem; • Envelope específico para a coleta, • Caixa de perfuro cortante; • Livro de registros PROCEDIMENTO: 1. Recepcionar a família, orientando-a sobre o exame; 2. Preencher os formulários: livro de registros e envelope de coleta, checando todas as informações com a família, todos os campos do envelope devem ser preenchidos com letra maiúscula utilizando caneta esferográfica azul ou preta em casos de primeira amostra, para amostras subsequentes ou novas amostras da mesma criança, utilizar caneta esferográfica vermelha e no campo da etiqueta e Higienizar screver o mesmo código (NUPAD) da primeira amostra. 3. Higienizar as mãos e calçar as luvas de procedimento;
  83. 83. 83 4. Posicionar a criança, solicitando que o familiar segure a criança na posição de “arroto” (vertical), ou inclinada, na posição de “mamada”; 5. Escolher uma das áreas laterais da região plantar do calcanhar; 6. Realizar a antissepsia com algodão ou gaze estéril levemente umedecida com álcool 70% no calcanhar escolhido para a coleta, aguardar normalmente sua secagem; 7. Pegar a lanceta BD azul e girar a extremidade para retirar o lacre; 8. Envolver o pé e o tornozelo da criança com o dedo indicador e polegar, deixando exposta apenas a área do calcanhar a ser puncionada; 9. Posicionar a lanceta perpendicularmente ao local da punção e pressionar firmemente contra a pele da criança; 10.Remover a primeira gota de sangue com uma gaze estéril ou algodão seco; 11.Aguardar sempre a formação de uma grande gota, para então aproximar o papel filtro da mesma, encostando-a no meio da área delimitada, não forçar o contato da pele do calcanhar com o papel filtro; 12.Depositar as gotas de sangue no papel filtro, repetir o procedimento até preencher os cinco círculos, se a mancha no papel filtro ficar pequena, uma segunda gota pode ser colocada imediatamente no centro desta mancha, não ultrapasse duas gotas por mancha; 13.Após a coleta, pedir ao responsável para colocar a criança deitada (no colo ou na maca), e elevar o pé que foi puncionado. Fazer uma compressão leve no local da punção com algodão ou gaze estéril seco ate que o sangramento cesse (hemostasia). 14.Desprezar a lanceta na caixa para perfuro cortante; 15.Colocar a amostra para a secagem no suporte de secagem em posição horizontal por no mínimo de 3 horas, em local limpo e arejado; 16.Higienizar as mãos; 17.Pregar na caderneta de vacina da criança o código do NUPAD referente ao exame; 18.Registrar o procedimento em planilha de produção; 19.Manter a sala em ordem. 20.Após secagem, reunir as amostras em seus respectivos envelopes identificados e coloca-las no Envelope Carta Resposta enviar para Secretaria de Saúde – Setor Epidemiologia .
  84. 84. 84 OBSERVAÇÕES: - Não realizar coleta em salas frias e/ ou com ar refrigerado. - Não há necessidade de jejum da criança. - Iniciar a coleta somente após checar se todos os dados foram preenchidos corretamente. - Manter o calcanhar do RN sempre abaixo do nível do coração facilita o fluxo. - A punção é exclusivamente nas laterais da região plantar, no calcanhar, para não correr o risco de atingir o osso. - Durante a coleta, deixar o sangue fluir naturalmente, de maneira homogênea, impregnando os dois lados do papel filtro. - Caso não obtenha uma mancha adequada de sangue, aguardar a formação de uma nova gota, colocando-a próxima a primeira gota. - Nunca preencha os espaços vazios com pequenas gotas para completar a área total, pois proporciona sobreposição do sangue e interfere no exame. - Caso necessário faça uma nova punção para obter a gota adequada, que deverá ser próximo da primeira, nunca no mesmo local, ou puncionar o outro lado do mesmo pé utilizando uma nova lanceta; - A secagem da amostra deve ser realizada com os cartões na horizontal, nunca as expondo ao sol. - Após secas, as amostras devem ser acondicionadas em um único envelope, e estes colocados dentro de caixa (isopor ou plástica), que devem permanecer na parte inferior da geladeira (no máximo por 3 dias) até que sejam enviadas à SMS.
  85. 85. 85 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 45 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 CURATIVO EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Estabelecer rotinas de execução de procedimentos de enfermagem. MATERIAIS: • Pacote de curativo (pinça Kelly, pinça dente de rato, pinça anatômica e ou pinça mosquito). • Soro fisiológico (0,9%),. • Agulha 40/12 ou 25/8. • Seringa 20 ml. • Gaze, • Luva de procedimento ou estéril se necessário. • Cuba estéril ou bacia inox; • Cobertura ou produto tópico prescrito (cremes, pomadas, hidrocolóides, etc.). • Esparadrapo, fita adesiva e "micropore" ou similar. • Faixa crepom de 8 ou 15cm (atadura). • Tesoura (Mayo e Iris). • Cabo de bisturi e lâmina de bisturi. • Espátula de madeira; PROCEDIMENTO: 1. Receber o paciente de maneira cordial. 2. Explicar o procedimento a ser realizado. 3. Manter o paciente em posição confortável. 4. Manter a postura correta durante o curativo.
  86. 86. 86 5. Higienizar as mãos. 6. Preparar o material para a realização do curativo. 7. Avaliar a ferida e realizar o curativo utilizando técnica segundo a classificação da ferida: LESÕES FECHADAS: INCISÃO SIMPLES: • Remover a cobertura anterior com a pinça dente de rato, desprezando-a na cuba ou bacia inox; • Montar a pinça Kelly com gaze, auxiliada pela pinça anatômica ou espátula; • Umedecer a gaze com soro fisiológico. • Proceder a limpeza da incisão de dentro para fora, sem voltar ao início da lesão. • Secar a incisão de cima para baixo. • Ocluir com gaze, ou outro curativo prescrito. • Fixar com micropore. • Trocar o curativo a cada 24 horas ou sempre que estiver saturado (úmido). • Manter a incisão aberta se estiver limpa e seca no período de 24 a 48 horas após o procedimento cirúrgico. • Incisão com pontos subtotais: • Remover a cobertura anterior. • Lavar todos os pontos subtotais, introduzindo soro fisiológico no interior de cada ponto, com auxílio de seringa e agulha, colocando gaze do lado oposto para reter a solução. • Proceder a limpeza como descrita para lesões simples. • Proteger a área central com gaze seca ou chumaço. • Fixar com micropore. • Manter o curativo ocluído enquanto houver exsudação. • Realizar troca a cada 24 horas ou sempre que estiver saturado. LESÕES ABERTAS: • Remover a cobertura anterior, de forma não traumática, e desprezar em bacia
  87. 87. 87 inox; • Irrigar abundantemente com soro fisiológico, quando a cobertura primária estiver aderida; • Realizar a limpeza com técnica adequada (asséptica ou limpa); • Manter o leito da ferida úmido; Manter a área ao redor da ferida sempre seca, evitando a maceração e facilitando a fixação da cobertura; • Aplicar cobertura prescrita; • Colocar gaze de contato úmida e gaze de cobertura seca; • Ocluir com adesivo ou atadura; • Higienizar as mãos, (POP 003); • Realizar anotação de enfermagem, assinar e carimbar; • Registrar o procedimento em planilha de produção. • Manter ambiente de trabalho limpo e organizado OBSERVAÇÕES: A prescrição do curativo é privativo do enfermeiro e do médico. A limpeza de feridas com tecido de granulação deve ser preferencialmente feita através de irrigação com jato de soro fisiológico morno, com seringa de 20 ml e agulha 40x12 ou 25x8, ou ainda frasco de soro perfurado de diferentes maneiras. Proteger sempre as úlceras com gazes, compressas, antes de aplicar uma atadura. Não apertar demais a atadura, devido ao risco de gangrena, por falta de circulação. Iniciar o enfaixamento sempre, no sentido distal para o proximal para evitar garroteamento do membro. Observar sinais e sintomas de restrição circulatória: palidez, eritema, cianose, formigamento, insensibilidade ou dor, edema e esfriamento da área enfaixada. Trocar o curativo com gaze a cada 24 horas ou quando estiver úmido, sujo ou solto. A recomendação atual, para realização do curativo consiste em manter a ferida limpa, úmida e coberta, exceto incisões fechadas e locais de inserção de cateteres e introdutores e fixadores externos.
  88. 88. 88 PREFEITURA MUNICIPAL DE PARACATU – MG PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO NÚMERO POP: 46 DATA DA VALIDAÇÃO: 01/07/2015 DATA DA REVISÃO: 01/07/2017 REALIZAÇÃO DE TRIAGEM PRÉ-NATAL – EXAME DE TOXOPLASMOSE EXECUTANTE: Equipe de enfermagem. ÁREA: Assistência à Saúde. OBJETIVO: Diagnóstico de toxoplasmose em gestantes. MATERIAL: • Luvas de procedimento, • Álcool a 70%, • Gaze estéril ou algodão, • Lanceta BD rosa, fornecida pelo NUPAD para uso exclusivo no teste do pezinho, • Papel filtro; • Suporte para secagem; • Envelope específico para a coleta, • Caixa de perfuro cortante; • Livro de registros. PROCEDIMENTO: 1. Recepcionar a gestante, orientando-a sobre o exame; 2. Preencher os formulários: livro de registros e envelope de coleta, checando todas as informações, todos os campos do envelope devem ser preenchidos

×