Cinema

1,723 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,723
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
72
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cinema

  1. 1. Cinema
  2. 4. Columbia
  3. 5. Daguerre
  4. 6. <ul><li>Em 1872, um milionário americano fez uma aposta. Ele garantiu que, quando o cavalo galopa, há um momento em que ele fica com as 4 patas no ar. O fotógrafo inglês Muybridge decidiu fazer uma demonstração.  Colocou lado a lado 24 câmeras fotográficas presas por fios que, ao serem tocados pelas patas do cavalo, acionam as máquinas tirando 24 fotos que registram todos os movimentos do galope. Ele provou assim que, de fato, há um momento em que as 4 patas não tocam o chão.  </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  5. 7. Muybridge
  6. 9. Cinematógrafo
  7. 11. Edson: Kinetoscópio
  8. 12. Chegada à gare: Lumière
  9. 14. Cinema Mudo <ul><li>França: Films D’Art (Pathé, Linder, Chaplin – depois: Abel Gance ( Napoleão – 1927) </li></ul><ul><li>Inglaterra: escola de Brighton (Smith, Williamson , Collins) </li></ul><ul><li>Estados Unidos (Cine do Oeste: Assalto e roubo de um trem – Edwin Porter/ Griffith </li></ul><ul><li>Alemanha: Expressionismo – Gabinete Dr. Calligari (R. Wiene)/ Metropolis (Fritz Lang) </li></ul><ul><li>União Soviética: Vertov/ Pudovkin/Eisenstein </li></ul><ul><li>Espanha: Surrealismo / Salvador Dali e Buñuel (O cão andaluz) </li></ul>
  10. 15. Brasil <ul><li>1896 – primeiros aparelhos de projeção chegam ao Rio de Janeiro: animatographo, cineographo, vidamotographo, biographo, vitascopio e cinematographo. </li></ul><ul><li>1898 – primeiras filmagens: Paschoal e Afonso Segreto – Baia da Guanabara </li></ul><ul><li>1908- primeira ficção: Nhô Anastacio chegou de viagem – de Júlio Ferraz (15 min) </li></ul>
  11. 16. Nascido em San Martino de Cileno, na Itália, Afonso Segreto foi o primeiro cinegrafista e diretor de cinema do Brasil, para onde veio em 1897, trazendo &quot;vistas cinematográficas&quot; de seu país exibidas por seu irmão, Paschoal Segreto, no Salão de Novidades de Paris, no Rio de Janeiro. A 19 de junho de 1898, de regresso de uma viagem à Itália, onde fora buscar equipamentos de filmagem e novas vistas, registrou as primeiras imagens do Brasil em movimento: tomadas das fortalezas e de navios de guerra na baía do Rio, feitas a bordo do navio francês Brésil. Em seu segundo registro cinematográfico, enfocou as comemorações do terceiro aniversário de morte do marechal Floriano Peixoto, a 29 de junho do mesmo ano. O desembarque do presidente Prudente de Morais e sua comitiva no Arsenal da Marinha, seis dias depois, foi o tema de sua terceira vista carioca. Sempre para a Empresa Paschoal Segreto, colheu flagrantes históricos, políticos e paisagísticos da antiga capital do País até os primeiros anos do século XX, onde teria ensinado os rudimentos da técnica cinematográfica a diversos profissionais. Depois de uma temporada em São Paulo, à frente de um ateliê fotográfico, retornou à Itália, onde morreu quase anonimamente. Afonso Segreto por Sérgio Augusto
  12. 17. <ul><li>“ Não somos europeus nem americanos do norte, mas destituídos de cultura original, nada nos é estrangeiro, pois tudo o é. A penosa construção de nós mesmos se desenvolve na dialética rarefeita entre o não ser e o ser outro. O filme brasileiro participa do mecanismo e o altera através de nossa incompetência criativa em copiar” </li></ul><ul><li>Paulo Emílio Sales Gomes em Cinema: Trajetória no subdesenvolvimento . São Paulo, Paz e Terra, 1996 </li></ul>
  13. 18. Lumière X Meliès
  14. 20. <ul><li>Irmãos Lumière: </li></ul><ul><li>Luz do dia </li></ul><ul><li>Planos longos – sem corte </li></ul><ul><li>Nenhuma montagem </li></ul><ul><li>Curtos: 60-70 secs. </li></ul><ul><li>Cenas do dia-a-dia </li></ul><ul><li>Planos externos – locações à luz do sol) </li></ul><ul><li>Sem atores / pessoas em situações cotidianas </li></ul><ul><li>Poucos ou nenhum movimento de câmera </li></ul><ul><li>Filmes exibidos como excentricidade </li></ul><ul><li>Primeira exibição pública: 28 de dezembro de 1895 </li></ul><ul><li>George Meliès: </li></ul><ul><li>Não editava planos </li></ul><ul><li>Planos longos </li></ul><ul><li>Sem movimentos de câmera </li></ul><ul><li>Filmes exibidos como excentricidade </li></ul><ul><li>Histórias faladas com tramas reais </li></ul><ul><li>Cenários fabricados </li></ul><ul><li>Atores, acrobatas e mágicos </li></ul><ul><li>Efeitos especiais (pequenos truques) </li></ul><ul><li>Coloridos à mão </li></ul>
  15. 21. Com Lumière e Méliès estava inaugurado, como diz Georges Sadoul, um duelo antitético que não mais iria abandonar o cinema. Foi através deles que o cinema trouxe as evoluções como a montagem, o som, a direção de atores, a planificação, a escolha e a realização do argumento, os cenários, a luz, enfim, todos os elementos da linguagem cinematográfica.   
  16. 22. David Griffith <ul><li>O nascimento de uma nação (1914) </li></ul><ul><li>Intolerância (1915) </li></ul><ul><li>Filmes em seqüência </li></ul><ul><li>Ações em paralelo </li></ul><ul><li>Mudava ângulo da câmera </li></ul><ul><li>Flash-backs </li></ul><ul><li>Montagem: emocionar </li></ul><ul><li>Voltar </li></ul>
  17. 23. Expressionismo: Caligari Voltar
  18. 24. Cão Andaluz - 1928 Voltar

×