Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

America latina

2,096 views

Published on

América Latina

Published in: Education
  • Be the first to comment

America latina

  1. 1. América Latina Professora Christie 8º ano
  2. 2. Capítulo 8
  3. 3. É um continente localizado nos hemisférios norte, sul e ocidental, situando-se entre os oceanos Pacífico e Antártico. A sua área de 42.459.000 km² torna-a o segundo maior continente do mundo, ficando atrás apenas da Ásia. É o continente com maior extensão no sentido norte-sul, sendo o único a ocupar todas as faixas climáticas do planeta, uma vez que é cortado pela Linha do Equador e também pelos dois trópicos (Câncer e Capricórnio). A América
  4. 4. Tipos de Colonização Com a entrada dos Europeus na América, dois processos de colonização foram desencadeados. • O primeiro foi chamado de colônias de povoamento, onde o objetivo era desenvolver a terra com habitação, criando formas de comércio e ampliando as estruturas básicas da colônia (criação de escolas, hospitais, etc). • O segundo caso são as colônias de exploração, nas quais a metrópole tem como interesse apenas explorar os recursos naturais da colônia para enriquecer e levar todo lucro a seu país de origem. Neste caso não há preocupação com a terra colonizada.
  5. 5. Divisões regionais da América • Em termos de divisão regional, há várias maneiras de classificar e agrupar os países americanos. As duas formas mais utilizadas obedecem à posição geográfica (física) e às composições etnolinguísticas (socioeconômica) • .
  6. 6. Divisão Física • Nesta divisão, o continente é dividido em América do Norte, Central e do Sul. Isso porque, na verdade, ele é formado por duas grandes massas de terras unidas por um istmo (porção continental mais estreita). Essas massas continentais são as Américas do Norte e do Sul, enquanto a pequena porção de terras e ilhas compõem a América Central.
  7. 7. Divisão sociocultural Nessa divisão, há uma separação entre América Anglo-Saxônica e América Latina. Essa divisão, no entanto, não se circunscreve apenas em relação ao idioma e às etnias, pois, na América do Norte, há povos que falam idiomas derivados do latim, como o Francês e o Espanhol, enquanto na América Latina existem alguns países em que o inglês é uma das línguas oficiais adotadas. E isso sem falar nas centenas de idiomas de origem nativa, como o guarani, o amairá e muitos outros. O que se pode dizer com toda a certeza é que a América Anglo-Saxônica é composta por países desenvolvidos (Canadá e Estados Unidos) e a América Latina é composta por países subdesenvolvidos e emergentes (o México, toda a América Central e a América do Sul).
  8. 8. Aspectos Físicos - clima • Em virtude de sua elevada distância latitudinal, há uma grande variedade de climas, com a presença de pelo menos dez tipos climáticos, que vão desde o Polar, no extremo norte, ao semiárido no Nordeste do Brasil e na região fronteiriça do México com os Estados Unidos. Há também climas de Montanha, Mediterrâneo, Temperados, Tropicais, Subtropicais, Equatoriais e muitos outros.
  9. 9. Você consegue identificar o clima descrito no climograma ao lado? Onde o encontramos?
  10. 10. Qual dos tipos de chuva predomina no clima equatorial?
  11. 11. Relevo
  12. 12. A Cordilheira dos Andes é resultado do movimento das placas tectónicas, nomeadamente da placa de Nazca e da placa Sul-Americana. No limite destas duas placas encontra-se uma zona de subducção, que leva a que a crosta oceânica seja empurrada contra a crosta continental. A placa sul-americana move-se para Oeste, o que faz com que a placa de Nazca se mova para debaixo dela. O resultado deste choque levou ao enrugamento da superfície continental, formando as cadeias montanhosas. Veja o vídeo: https://www.youtube.com/ watch?v=jSEWL49VvjE
  13. 13. Vegetação
  14. 14. Bacias Hidrográficas
  15. 15. Capítulo 9
  16. 16. Desde sua chegada ao continente americano, os europeus promoveram um intenso processo de exploração das riquezas naturais existentes no território. Ao estabelecer suas colônias de exploração, portugueses, espanhóis, holandeses, ingleses e franceses as transformaram em áreas fornecedoras de matérias-primas, principalmente de recursos minerais e de gêneros agrícolas tropicais, para a Europa. Mineração: marcas do passado colonial.
  17. 17. • A subordinação colonial aos interesses metropolitanos impediu a expansão do mercado interno, bloqueando o desenvolvimento das colônias. O tipo de colonização praticado por Portugal e Espanha impedia o desenvolvimento das áreas coloniais e favorecia o enriquecimento das metrópoles. • A transferência de ouro e prata das colônias para a metrópole espanhola foi gigantesca. Isso também ocorreu na colônia portuguesa, sobretudo com o ouro descoberto no século XVIII na região de Minas Gerais.
  18. 18. • Ainda hoje, a mineração possui grande peso na economia de vários países da América Latina, como Venezuela, Equador, Peru, Chile e Bolívia . • A manutenção da divisão internacional do trabalho, em vários países da América Latina desde a colonização, caracteriza-os como fornecedores de matérias-primas para as nações que são o centro do sistema capitalista de produção.
  19. 19. Os contrastes existentes no espaço agrário da América Latina refletem-se em sua produção agropecuária. Essa situação constitui um dos principais entraves ao desenvolvimento do setor agrícola latino-americano. • As pequenas e médias propriedades respondem por uma parcela significativa de produtos, como milho, feijão, batata, que são destinados ao mercado interno. • O incentivo que as grandes propriedades recebem dos governos deve-se, muitas vezes, à pressão de grupos internacionais originários de países desenvolvidos, interessados em suprir seus mercados consumidores.
  20. 20. • Nos latifúndios monocultores é alta a produtividade , que são destinados ao mercado externo. Em alguns países da América Latina, a criação de gado de corte, principalmente bovino, também é destinada à exportação. • As pequenas e médias propriedades respondem por uma parcela significativa de produtos destinados à alimentação básica da população, e também por uma pequena parcela da produção pecuária. Porém, a produtividade é baixa nessas propriedades, pois elas não conseguem se modernizar em razão da falta de apoio financeiro e assistência técnica. • Na América Latina é necessário uma política agrícola de incentivos aos pequenos proprietários que produzem para o mercado interno de cada país, assim como ocorre com os grandes proprietários que produzem para o mercado externo.
  21. 21. Concentração Fundiária No período colonial, a ocupação territorial latino-americano ocorreu, basicamente, mediante a formação de imensas propriedades rurais, tanto para a criação de gado como para o cultivo de lavouras monoculturas de exportação. Portanto, a atual concentração fundiária na América Latina teve origem, basicamente, no sistema de produção colonial. . No Brasil há muita gente com pouca ou nenhuma terra e pouca gente com muita terra (latifundiários). Atualmente, grande parte das terras brasileiras se encontra nas mãos de uma minoria de famílias, o que promove o surgimento de uma enorme quantidade de trabalhadores desprovidos de terras para cultivar o seu sustento e de sua família. Grande parte das terras brasileiras se encontra nas mãos de uma minoria de famílias, o que promove o surgimento de uma enorme quantidade de trabalhadores desprovidos de terras para cultivar o seu sustento e de sua família. Uma solução provável para o problema da concentração fundiária é uma reforma agrária.
  22. 22. As colônias dos países da América Latina nas mãos das metrópoles europeias, tornaram-se áreas fornecedoras de matérias primas. Desse modo, as metrópoles restringiam a liberdade da população local centralizando o poder. A metrópole só queria benefícios para si própria, por isso não se importava com as condições de suas colônias e sim o que ela tinha a oferecer. Atualmente a política agrícola que beneficia os latifundiários vem ainda mais a concentração de terras, pois os pequenos proprietários acabam vendendo as suas propriedades por cauda das dificuldades financeiras que encontram para produzir e sobreviver.
  23. 23. • O espaço latino-americano tem uma intensa concentração fundiária: muitas pequenas propriedades que apresentam reduzidos níveis tecnológicos e empregam técnicas tradicionais de cultivo e criação, convivem com grandes latifúndios monocultores que ocupam enormes áreas. Estes investem cada vez mais em implementos agrícolas e assistência técnica.
  24. 24. Monoculturas de exportação • Desde o período colonial, vastas áreas da América Latina foram transformadas em plantation: grandes propriedades monocultoras, voltadas para a produção de gêneros tropicais destinados ao mercado externo e com a utilização da escravidão negra. • Essas particularidades do processo colonial latino-americano determinaram os traços principais dos problemas fundiários desta parte do continente: a formação de grandes latifúndios ao lado de grande contingente de trabalhadores rurais que não tem acesso à terra. • Nas últimas décadas a modernização do setor agrícola contribuiu para agravar a concentração de terras. Deslocou a população do campo para as cidades, em busca de emprego para recomeçar uma nova vida. Tanto uma opção como outra contribuíram para agravar os problemas sociais de países como o Brasil.
  25. 25. Concentração Fundiária
  26. 26. A Reforma Agrária • A reforma agrária não é apenas um processo de distribuição de terras. O seu sucesso depende de apoio técnico e financeiro aos novos pequenos proprietários que por ela são beneficiados. • Os trabalhadores assentados precisam de ferramentas, sementes e dinheiro para a instalação das edificações necessárias a uma pequena propriedade e de uma pequena residência. Assentamentos muito distantes dos centros de comercialização dependem sistemas de transporte e armazenagem, para serem viáveis. • Os pequenos agricultores precisam de um sistema especial de crédito agrícola que permita investimentos na propriedade e na produção e de assessoria técnica, essenciais para que o acesso à propriedade esteja vinculado ao progresso social. • Portanto o custo da reforma agrária não está restrito ao pagamento das terras desapropriadas a serem transferidas ao trabalhador sem terra. A reforma agrária depende de um sistema de apoio ao pequeno proprietário para que com o tempo ele possa caminhar sobre suas próprias pernas.
  27. 27. EZLN Integrantes do Exército Zapatista de Libertação Nacional: unidos pelas questões políticas e sociais mexicanas Grupos que reivindicam a reforma agrária em países da América Latina MST
  28. 28. Capítulo 10
  29. 29. OS FATORES DO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO DA AMÉRICALATINA •Desenvolvimento da atividade industrial, a exploração do ocorrido em países como Brasil, México, Argentina, que gerou muitos postos de trabalho nas fábricas, no comércio e nos setores de serviços, atraindo mão-de-obra para as cidades. •As modernizações do campo. Difíceis condições de vida no campo e a maior possibilidade de trabalho nas áreas urbanas fez com que milhares de postos de trabalhos se extinguissem levando os camponeses a irem buscar trabalho nas cidades. •Além disso, a urbanização dos países latino-americanos deve-se, também, ao próprio crescimento natural da população urbana. A América Latina é a mais urbanizada das regiões subdesenvolvidas, pois sua taxa média de urbanização encontra-se em torno de 80%, bem maior que a da Ásia e a África, de 40%.
  30. 30. A URBANIZAÇÃO EXCLUDENTE A urbanização na América Latina foi excludente, ou seja, uma grande parte da população não teve acesso à moradia adequada e nem aos serviços urbanos mais essenciais, como saneamento básico, segurança e coleta de lixo, formou-se uma nítida desigualdade social no meio urbano. Desse modo, apresentam-se, de um lado, as áreas dotadas de ampla infraestrutura e melhores serviços e os bairros mais carentes. Os exemplos que podemos citar são os barracos de favela, no Haiti e os camelôs vendendo objetos usados, em Santiago, no Chile.
  31. 31. A Economia Latino Americana • A economia dos países da América Latina tem suas principais atividades produtoras voltadas para o setor primário, que corresponde à produção de produtos agropecuários, extração vegetal, animal e mineral. • Após a Segunda Guerra Mundial países como Brasil, México, Argentina tiveram que se industrializar, pois os países que os abasteciam de mercadorias industrializadas estavam em processo de reconstrução devido à guerra, então, não tendo quem produzisse, tiveram que conduzir sua auto sustentação, essa é conhecida como industrialização por substituição de importação. • Outra característica dos países latinos é a industrialização tardia que veio a ocorrer apenas no século XX, tendo em vista que a Revolução Industrial teve início no final do século XVIII início do XIX, totalizando quase 100 anos de atraso e, por último, a grande dependência financeira em relação aos países ricos.
  32. 32. Descontraindo...
  33. 33. As multinacionais na economia latino-americana As multinacionais dominam vários ramos industriais, como automobilístico, alimentício, siderúrgico, metalúrgico e eletroeletrônico. Esse processo favoreceu o não surgimento de empresas genuinamente nacionais. Os países latinos possuem, em sua grande maioria, dívidas contraídas no processo de descolonização, os referidos encontram dificuldades em pagar tais dívidas, principalmente porque são produtores primários. As multinacionais ingressaram na América Latina a partir do século XX, devido às condições favoráveis, como mão-de-obra (farto número de trabalhadores e baixos salários), matéria prima (concentração de recursos naturais e leis ambientais não rigorosas), mercado consumidor (países populosos com milhões de pessoas propícias a consumir) e isenção de impostos (os países dão incentivos fiscais para a instalação de uma empresa).
  34. 34. A crise econômica e o modelo neoliberal • A maioria dos países latinos sempre conviveu com inflação, que corresponde a aumentos constantes nos produtos e taxas de juros bastante elevadas. Na década de 80 não houve nenhuma expectativa de melhora, independente do seguimento, por isso ficou conhecida como a década perdida. O FMI (Fundo Monetário Internacional) se apresenta frequentemente fornecendo empréstimos e elevando mais ainda o grau de dependência, o aumento do desemprego, o crescimento da pobreza e elevação no custo de vida. Resumindo, as questões apontadas são realidades comuns a todos os países latinos que tiveram parecidas bases históricas de colonização de exploração que refletem na realidade atual, os países são diferentes, porém os problemas são basicamente os mesmos.

×