Composição Química - RESUMO

8,133 views

Published on

Resumo de composição química.

Published in: Education
1 Comment
12 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
8,133
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
125
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
12
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Composição Química - RESUMO

  1. 2. 75 - 85 10 - 15 3 1 1 1 Sais Vitaminas
  2. 4. <ul><li>- Espécie </li></ul><ul><li>- Idade </li></ul><ul><li>- Atividade metabólica </li></ul>Água-viva 98% Homem 75% Recém-nascido 80% Idoso 60% Encéfalo 90% Osso 50%
  3. 5. O H H + + 105° Ligação covalente Dipolo Neutra
  4. 6. + Pontes de Hidrogênio
  5. 7. Cada molécula pode fazer até 4 pontes de Hidrogênio As pontes de Hidrogênio são dinâmicas Fluidez
  6. 8. <ul><li> 1 - Coesão </li></ul><ul><li>Resulta das pontes de hidrogênio </li></ul><ul><li> 2 - Adesão </li></ul><ul><li>Atração por outras substâncias polares </li></ul>
  7. 9. <ul><li>3 - Capilaridade </li></ul>Resulta da coesão e adesão
  8. 10. Maior coesão
  9. 13. <ul><li>5 - Alto calor específico </li></ul>Dificuldade para aquecer e resfriar Termorregulação
  10. 14. <ul><li>6 - Poder de dissolução sobre substâncias polares </li></ul>Solvente universal? Hidrofílicas
  11. 15. NaCl
  12. 16. Na + Cl -
  13. 17. Na + Na + Cl - Cl - Na + Cl -
  14. 19. <ul><li>Íons </li></ul><ul><li>Moléculas </li></ul>Carbonato e fosfato de cálcio Cátions e ânions
  15. 20. Sódio - Principal cátion extracelular - Equilíbrio hídrico - Impulso nervoso e contração muscular Potássio - Principal cátion intracelular - Equilíbrio hídrico - Impulso nervoso e contração muscular Magnésio - Contração muscular - Componente da clorofila
  16. 21. Cálcio - Formação dos ossos e dentes - Coagulação sanguínea - Impulso nervoso e contração muscular Ferro - Componente da hemoglobina e da mioglobina - Respiração celular - Citocromos
  17. 22. Cobre - Componente de enzimas do metabolismo da hemoglobina - Respiração celular Cromo - Respiração celular Zinco Manganês - Ativação de diversas enzimas
  18. 23. Cloreto - Principal ânion extracelular - Equilíbrio hídrico - Digestão (HCl) Fosfato - Formação dos ossos e dentes - Compõe o ATP, DNA e RNA Iodeto - Composição dos hormônios tireoidianos
  19. 24. Enxofre (Sulfato) - Componente de aminoácidos Bicarbonato - Manutenção do pH Flúoreto - Manutenção da estrutura dos ossos e esmalte dos dentes
  20. 26. <ul><li>- Atuam em pequena dose </li></ul><ul><li>- Não são produzidas pelo organismo </li></ul><ul><li>- Atuam como co-enzimas </li></ul>
  21. 27. <ul><li>Vitaminas hidrossolúveis </li></ul><ul><li>- C e Complexo B </li></ul><ul><li>Vitaminas lipossolúveis </li></ul><ul><li>- K, D, E e A </li></ul>
  22. 28. <ul><li>- Avitaminoses </li></ul><ul><li>- Hipovitaminoses </li></ul><ul><li>- Hipervitaminoses </li></ul>
  23. 29. Vitamina Fonte Deficiência B1 Tiamina Carnes, legumes, cereais integrais e verduras Beriberi, doenças cardíacas e mentais B2 Riboflavina Carnes, cereais integrais, ovos, leite e verduras Fissuras na pele B3 Niacina Nozes, carnes, cereais integrais e fígado Pelagra Dermatite, diarréia demência
  24. 30. Vitamina Fonte Deficiência B6 Piridoxina Carnes, fígado verduras, leite e cereais integrais Distúrbios na pele musculares e nervosos (convulsões) B12 Cobalamina Carnes,ovos e fígado Anemia perniciosa (sem distúrbios nervosos) Folato Vegetais verdes, cereais integrais e flora intestinal Anemia C Frutas cítricas Escorbuto Lesões em epitélios e ossos
  25. 31. A vitamina D é sintetizada na pele sob a ação da luz solar Vitamina Fonte Deficiência A Retinol Gema de ovo, leite, fígado, óleo de fígado de bacalhau, vegetais amarelos e alaranjados Cegueira noturna e pele seca e áspera D Calciferol Deidricolesterol Leite, gema de ovo e vegetais oleosos Raquitismo e enfraquecimento ósseo
  26. 32. A vitamina A em excesso predispõe cefaléia, náuseas, tumores e teratogênese A vitamina D em excesso predispõe calcificações anômalas Vitamina Fonte Deficiência E Tocoferol Cereais integrais, gema de ovo, óleos vegetais e verduras Esterilidade nos machos e aborto (Em animais) K Vegetais e flora intestinal Distúrbios hemorrágicos
  27. 33. <ul><li>As vitaminas A, C e E possuem atividade anti-oxidante </li></ul>
  28. 35. <ul><li>Carboidratos </li></ul><ul><li>Hidratos de carbono </li></ul><ul><li>Açúcares </li></ul><ul><li>Sacarídeos </li></ul>
  29. 36. <ul><li>1 - Monossacarídeos </li></ul>Glicídios simples n pode variar de 3 a 7 (CH 2 O) n
  30. 37. <ul><li>Se: </li></ul><ul><li>n = 3 </li></ul><ul><li>n = 4 </li></ul><ul><li>n = 5 </li></ul><ul><li>n = 6 </li></ul><ul><li>n = 7 </li></ul>Triose Tetrose Pentose Hexose Heptose
  31. 38. <ul><li>Pentoses - C 5 H 10 O 5 </li></ul><ul><li>Hexoses - C 6 H 12 O 6 </li></ul>Ribose Desoxirribose Glicose Frutose Galactose
  32. 39. Glicose Fonte preferencial de energia para as células O HOCH 2 OH OH OH OH H H H H H H C OH H C OH H C OH H C OH OH C H COH H
  33. 40. Frutose H C OH H C OH OH C H H C OH C O H H O H H OH OH H OH HOCH 2 CH 2 OH
  34. 41. Ribose Desoxirribose O H H H H OH O H OH HOCH 2 O H H H H OH H OH HOCH 2
  35. 42. <ul><li>Maltose </li></ul><ul><li>Sacarose </li></ul><ul><li>Lactose </li></ul>Glicose Glicose Glicose Glicose Frutose Galactoseose União de dois monossacarídeos
  36. 43. União de mais de dez monossacarídeos Glicogênio Amido Celulose
  37. 44. <ul><li>Amido </li></ul>Amilose Amilopectina Reserva energética dos vegetais Armazenado nas raízes e frutos
  38. 45. <ul><li>Glicogênio </li></ul>Reserva energética dos animais Armazenado no fígado e músculos
  39. 46. <ul><li>Celulose </li></ul>Constituinte da parede celular das células vegetais
  40. 47. <ul><li>Quitina </li></ul>Polissacarídeo nitrogenado Exoesqueleto dos artrópodos
  41. 49. <ul><li>Substâncias apolares </li></ul><ul><li>- Insolúveis em água </li></ul><ul><li>- Solúveis em solventes orgânicos </li></ul>- Álcool - Benzeno - Éter - Clorofórmio
  42. 51. <ul><li>Composição </li></ul><ul><li>Álcool – Glicerol </li></ul><ul><li>Ácidos graxos </li></ul>Gorduras e óleos Lipídios simples
  43. 52. Glicerol H C OH H C OH H C OH H H H C H H C H H C H C H OH O H C H Ácido graxo 14 a 24 C
  44. 53. Ácido graxo saturado H C H C H H C H C H OH O H C H C H H C H H C H C H OH O H C H H C H H C H Ácido graxo insaturado
  45. 54. Glicerol H C H H C H H C H C H OH O H C H Ácido graxo H C OH H C OH H C OH H H
  46. 55. Glicerol H C H H C H H C H C H OH O H C H Ácido graxo H C O H H C OH H C OH H H
  47. 56. Glicerol H C H H C H H C H C H O H C H Ácido graxo H C O H C OH H C OH H H H 2 O
  48. 57. Glicerol C H C O H C OH H C OH H H O Ácido graxo Lipídio
  49. 58. Triglicerídeo C H C O H C O H C O H H O C O C O
  50. 59. Óleo e gordura são reservas energéticas Gordura Óleo Ácidos graxos saturados Ácidos graxos insaturados Sólida ou pastosa Líquida Origem animal Origem vegetal Panículo adiposo Sementes
  51. 60. <ul><li>Composição </li></ul><ul><li>Álcool de cadeia longa </li></ul><ul><li>Ácidos graxos </li></ul>Ceras Impermeabilização de superfícies Lipídios simples
  52. 61. Cabeça polar Caudas apolares Hidrofílica Hidrofóbica Molécula anfipática
  53. 62. Membrana plasmática Bicamada lipídica
  54. 63. <ul><li>Estrutura </li></ul><ul><li> </li></ul>Ciclopentanopenitrofenantreno Região polar Região apolar OH CH 3 CH 3
  55. 64. Colesterol É o principal esteróide OH CH 3 CH 3 CH 2 CH 2 CH 2 CH 2 CH 2 CH 2 CH 2 CH
  56. 65. Testosterona OH CH 3 CH 3 CH 3
  57. 66. Estrogênio OH CH 3 CH 3 OH
  58. 67. Progesterona OH CH 3 CH 3 C CH 3 O
  59. 68. Vitamina D OH CH 3 CH 2 CH 2 CH 2 CH 2 CH 2 CH 2 CH 2 CH CH 2
  60. 69. <ul><li>O colesterol regula a fluidez da membrana plasmática nos eucariotos </li></ul>Colesterol
  61. 70. <ul><li>O colesterol é precursor: </li></ul><ul><li>de hormônios </li></ul>de vitamina D dos sais biliares
  62. 71. <ul><li>Panículo adiposo Isolamento térmico </li></ul><ul><li>Isolamento elétrico </li></ul>Bainha de mielina Gordura
  63. 73. Proteína Aminoácidos Monômero Polímero
  64. 74. Amina Carboxila Radical Existe 20 aminoácidos diferentes NH 2 C C R H OH O
  65. 75. <ul><li>Naturais </li></ul><ul><li>O organismo pode produzir </li></ul><ul><li>Essenciais </li></ul><ul><li>Só pode ser obtido na dieta </li></ul>Para os vegeteis todos os aminoácidos são naturais
  66. 76. N C C NH 2 C C R H OH O R H OH O H H
  67. 77. NH 2 C C R H OH O N C C R H OH O H H
  68. 78. NH 2 C C R H O N C C R H OH O H 2 O H
  69. 79. NH 2 C C R H O N C C R H OH O H 2 O H Ligação peptídica
  70. 80. <ul><li>Estrutura primária </li></ul>Gli Cis Val Pro Tir Lis Arg Lis Ala Sequência linear de aminoácidos Determinada pela sequência de nucleotídeos do DNA
  71. 81. Quantidade Tipos Sequência De aminoácidos
  72. 82. <ul><li>Estrutura secundária </li></ul><ul><li>É a estrutura primária em hélice </li></ul>α - hélice
  73. 83. α hélice Pontes de hidrogênio
  74. 84. <ul><li>Estrutura secundária </li></ul>β - pregueada
  75. 85. <ul><li>Estrutura terciária </li></ul><ul><li>É a estrutura secundária enovelada </li></ul>
  76. 86. S S Pontes de hidrogênio Pontes dissufeto A estrutura terciária depende da estrutura primária, logo do DNA
  77. 87. <ul><li>Estrutura terciária </li></ul>
  78. 88. <ul><li>Estrutura quaternária </li></ul><ul><li>União de duas ou mais proteínas em estrutura terciária </li></ul>
  79. 89. <ul><li>Estrutura quaternária </li></ul>Hemoglobina
  80. 90. Proteínas iguais Sequências iguais Formas iguais Funções iguais A forma da proteína determina a sua função
  81. 91. <ul><li>Modificação na forma e função de uma proteína </li></ul>Alterações do pH Temperatura superior a 42°C 44°C A desnaturação pode ser reversível ou não
  82. 92. <ul><li>1- Função estrutural </li></ul><ul><li>2- Função enzimática </li></ul><ul><li>3- Função hormonal </li></ul><ul><li>4- Função imunológica </li></ul>
  83. 94. Energia Tempo Reagentes Produtos Energia de ativação As reações biológicas são lentas e pouco espontâneas As reações biológicas devem ser rápidas sem elevação de temperatura
  84. 95. Catalisadores biológicos Reações mais rápidas Temperatura estável Diminui a energia de ativação
  85. 96. Energia Tempo Reagentes Produtos Energia de ativação sem enzima Reação enzimática
  86. 97. <ul><li>1 - Natureza protéica </li></ul><ul><li>2 - São específicas </li></ul>Forma relacionada com a função Substratos específicos
  87. 98. Enzima Substrato Centro ativo
  88. 99. <ul><li>3 - Atua em quantidades pequenas </li></ul><ul><li>4 - Não são consumidas na reação </li></ul>Não alteram o equilíbrio da reação
  89. 100. <ul><li>5 - Atua em reações reversíveis </li></ul>Amido Maltose Amilase
  90. 101. <ul><li>Modelo chave-fechadura </li></ul>Enzima Substrato Complexo Enzima-substrato Enzima Produtos
  91. 102. 44°C A desnaturação pode ser reversível ou não
  92. 103. <ul><li>Concentração do substrato </li></ul><ul><li>Temperatura </li></ul><ul><li>Variação de pH </li></ul>
  93. 104. Velocidade da reação Concentração de substrato Ponto de saturação
  94. 105. Velocidade da reação °C Ótimo de temperatura 36 42
  95. 106. Velocidade da reação 0 1 2 3 4 5 6 7 8,5 9 10 Ótimo de pH pH Ótimo de pH Pepsina Tripsina
  96. 107. <ul><li>Simples </li></ul><ul><li>Holoenzimas </li></ul>Apenas aminoácidos Possui um co-fator
  97. 108. Apoenzima Centro ativo Cofator Sem o co-fator a holoenzima não funciona Sendo uma molécula orgânica, o co-fator é denominado coenzima

×