Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A Paz é Dourada - Apresentação e Ficha Técnica

1,775 views

Published on

http://www.apazedourada.com.br

Published in: Travel, Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

A Paz é Dourada - Apresentação e Ficha Técnica

  1. 1. A Paz é Dourada - Apresentação e Ficha Técnica Apresentação "Não sei de mais elevada política do que essa; da aproximação dos espíritos na América Latina. No dia em que nos conhecermos bem e as nossas inteligências se entrelaçarem, não haverá surpresas políticas que nos precipitem na guerra, no obscurantismo, na miséria. Pensamos demasiadamente em inglês, francês ou alemão. Vivemos em pleno colonato espiritual. As nossas elites estão cegas aos quadros reais das nossas vidas." Euclides da Cunha O longa metragem A PAZ É DOURADA é um filme inspirado na vida e obra do escritor Euclides da Cunha, autor de Os Sertões, livro sobre a guerra de Canudos ocorrida no final do século XIX no interior da Bahia, que se tornou um clássico da literatura em português. O filme destaca os pensamentos pacifistas e ecológicos de Euclides com proposta clara de participação positiva no movimento internacional pela Cultura da Paz e do entendimento entre os povos. Iniciado em 1986 com as primeiras cenas rodadas em 35mm na cidade de São José do Rio Pardo, no interior de São Paulo, onde Euclides escreveu Os Sertões, o filme A PAZ É DOURADA somente pode ser concluído em 2007, através da mudança na proposta do roteiro, concebido inicialmente para ser um filme 100% ficção. O próprio processo de sua realização foi então incorporado ao filme tornando-se um dos fios condutores da narrativa. Euclides, consagrado pelo sucesso de Os Sertões, foi convidado pelo Barão do Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores do Brasil, para chefiar uma expedição ao Alto Rio Purus, no Acre com o objetivo de demarcar nossas fronteiras amazônicas e evitar uma guerra com o Peru por causa da borracha. As aventuras no 'inferno verde' proporcionaram a Euclides a antevisão de um novo livro: 'Um Paraíso Perdido', que ele não conseguiu concluir. No dia 15 de agosto de 1909 morreu num duelo com Dilermando, amante de sua mulher Ana. Ficha Técnica Título do filme: A Paz é Dourada Diretor: Noilton Nunes Produção: Imagine Filmes Co-produção: Estudio 260 - Chediak Arte & Comunicação Centro Técnico Audiovisual do Ministério da Cultura Lei do Audiovisual - Ancine - MINC Bradesco - Leite de Rosas Sinopse (em português) Era uma vez um menino chamado Euclides que vivia na Fazenda Saudade. Era uma vez o sonho de um filme de ficção inspirado na vida e obra desse menino que cresceu poeta, militar, engenheiro, jornalista e escritor: Euclides da Cunha, autor de “Os Sertões”, épico sobre a guerra de Canudos que aconteceu no interior da Bahia, no final do Século XIX. Em 1904, à convite do Barão do Rio Branco, Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Euclides parte para a Amazônia, chefiando uma expedição com o objetivo de evitar uma guerra com o Peru, por causa da borracha. O filme destaca Euclides como um mensageiro da Paz e do entendimento entre os povos. Sinopse (em inglês) Once upon a time there was a boy named Euclides who lived on a farm known as Fazenda Saudade. Once upon a time there was the dream of a feature film inspired by the life and wor of this boy who grew to be a poet, military man, engineer, journalist and writer: Euclides da Cunha, author of Rebellion in the Backlands (Os Sertões), an epic based on the Canudos War (1897) which took place in the interior of the state of Bahia. In 1904, the Brazilian Minister of Foreign Affairs, Baron of Rio Branco, sends Euclides da Cunha as head of an expedition to the Amazon Basin, hoping to alleviate tensions in the area where disputes with Peru over areas of rubber tapping threatens to lead to war. This film highlights Euclides as a veritable messenger of peace and understanding amongst nations.
  2. 2. A Paz é Dourada - Apresentação e Ficha Técnica Empresa Produtora IMAGINE ARTE CULTURA E PAZ LTDA – IMAGINE FILMES E-mail: solpedrosol@hotmail.com Contato do Diretor Nome: NOILTON NUNES E-mail: noiltonnunes@hotmail.com Filmografia Noilton Nunes - 1968 - Neblina – premiado no Festival do Jornal do Brasil que acontecia no Cinema Paissandu, no Rio de Janeiro. Em 1978 ganhou a Jornada da Bahia e representou o Brasil no Festival de Oberhausen na Alemanha, com o curta Leucemia, considerado o Filme da Anistia e Melhor Curta do ano pela Federação de Cine Clubes. Em 1982 co-dirigiu com José Celso Martinez Correa, o longa O Rei da Vela, ganhador de 3 Kikios no Festival de Gramado 83 e selecionado para o Festival de Berlin 84. Suas últimas obras: Você já abriu os olhos? – documentário gravado no Parque do Xingu durante ritual do Kuarup de Orlando Vilas Boas – A Batalha da Ancinav – documentário sobre o processo de criação da nova Lei do Cinema Brasileiro, O Trem no Brasil – Ontem – Hoje – imagine Amanhã – Era uma vez um índio Carijó e A Paz é Dourada, todos voltados pra a cultura da Paz e do entendimento. Elenco e Ficha Técnica Ator Principal/Actor in a Leading Roll: Breno Moroni Atriz Principal/Actress in a Leading Roll: Katja Alemann Ator Coadjuvante/Actor in a Supporting Roll: Quim Negro e Evandro Teixeira Atriz Coadjuvante/Actress in a Supporting Roll: Dilma Lóes Participação especial: Grande Otelo Roteiro/Screenplay: Noilton Nunes Produção: Maria das Graças Sena - Sérgio Péo - Quelita Moreno - Luiz Fernando Sampaio - Jesus Chediak - Luiz Antonio Chacra Narração: Leila Richers e Ronaldo Rosas Fotografia/Photography: Nélio Ferreira – Pedro Sol - Noilton Nunes Montagem/Film Editing: Daniel Bona – Pedro Sol - Renato Vallone Som/Sound Editing: Daniel Bona - Renato Vallone Direção de Arte/Art Direction: Régis Monteiro Cenografia: Paulo Chada Figurino/Costume Design: Jurema Moisés Trilha sonora/Soundtrack: Noilton Nunes Música original/Original Soundtrack: David Tygel Assessoria de Imprensa: Andrea Barreto Resumo Biográfico do Diretor: Noilton Nunes, nasceu nos Campos dos Goytacazes em 8 de janeiro de 1947. É roteirista, fotógrafo, montador e diretor de mais de 30 curtas e documentários. Como produtor realizou os longas Ladrões de Cinema de Fernando Campos e Na Boca do Mundo de Antônio Pitanga com Norma Bengell. Noilton foi presidente da ABD – Associação Brasileira de Documentaristas - criador dos projetos O Cineasta do Mês e Que filme é esse? e é professor de cinema.

×