Organização de eventos esportivos: Marketing e Jornalismo

15,583 views

Published on

Oficina apresentada por Basileu Rodrigo Tavares na Semana de Comunicação do CES em maio de 2011 que trata sobre a comunicação na organização de eventos esportivos.

Published in: Entertainment & Humor
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
15,583
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
368
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Organização de eventos esportivos: Marketing e Jornalismo

  1. 1. Organização de Eventos Esportivos: Marketing e Jornalismo Basileu Rodrigo Tavares
  2. 2. Eu, o intrometido <ul><li>Formação </li></ul><ul><li>Primeiros eventos – Academia de Comércio </li></ul><ul><li>Faculdade de Comunicação – Atlética-UFJF </li></ul><ul><li>Jogos Universitários de Juiz de Fora </li></ul><ul><li>Phormar Formaturas e Eventos </li></ul><ul><li>Wadson Ribeiro </li></ul><ul><li>Elaboração de projetos – DUO e AUJE </li></ul>
  3. 3. Organização de Eventos Esportivos <ul><li>Teoria ou prática </li></ul><ul><li>O diferencial do profissional de comunicação – ver como evento e não somente como competição esportiva </li></ul><ul><li>Quem pode fazer? </li></ul><ul><li>Imprescindível saber administrar </li></ul><ul><ul><ul><li>Planejamento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Organização </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Direção </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Controle </li></ul></ul></ul><ul><li>Empreendedorismo </li></ul><ul><ul><ul><li>É preciso ter técnica, criatividade, bom senso, dedicação, comprometimento, visão e acompanhamento </li></ul></ul></ul>
  4. 4. História dos eventos esportivos <ul><li>A fonte clássica de referência – Jogos Olímpicos – Foram 1170 anos de Jogos, que começaram em 776 a.C e só terminaram no ano 393 d.C, quando a Grécia foi conquistada pelos Romanos; </li></ul><ul><li>O esporte, quando conceituado como empreendimento, é produto de séculos de história. Gestores de todos os tempos buscaram maneiras de fazer do esporte uma atração para as massas: </li></ul><ul><ul><ul><li>Egito – Lutas (1.850 a.C) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Roma – Coliseu (1.500 a.C) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Irlanda – Arremesso peso (1.160 a.C) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>China – Arco (530 a.C) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pérsia – Pólo (651) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Japão – Sumô (754) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inglaterra – Críquete (1520) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>França – Tênis (1635) </li></ul></ul></ul>
  5. 5. Tipologia de eventos esportivos <ul><li>Olimpíadas – evento suis generis – ao mesmo tempo gênero e espécie (tipo) de evento, dado o seu caráter singular. Competição que reúne várias modalidades esportivas e consome alguns dias na realização das diversas categorias. Tem periodicidade própria (na origem é das mais antigas); </li></ul><ul><li>Campeonato – evento em que os concorrentes se enfrentam pelo menos uma vez e tem uma duração relativamente longa. Recomendável quando há disponibilidade de tempo e de recursos; </li></ul><ul><li>Torneio – competição de caráter eliminatório, que é realizada em um curto espaço de tempo. Dificilmente ocorre o confronto entre todos os participantes. Recomendável quando se tem pouco tempo e um grande número de participantes; </li></ul>
  6. 6. Tipologia de eventos esportivos <ul><li>Taça ou Copa - uma variável dos torneios ou campeonatos; com exceção dos eventos mais tradicionais (como a Copa do Mundo de Futebol), normalmente é utilizada para prestar algum tipo de homenagem ou promover algum patrocinador, associando sua marca ou produto ao nome do evento; </li></ul><ul><li>Festival – atividade esportiva participativa e informal. Visa a integração e a promoção da modalidade, além de motivar os participantes e familiares; </li></ul><ul><li>Gincana – evento recreativo que conta com diversas estações criativas e/ou objetivos a serem atingidos. Voltada para o lazer; </li></ul><ul><li>Desafios – atividade normalmente individual, que tem os processos de escala como referência. </li></ul><ul><li>Exibição – evento de performance individual ou coletiva, em que são valorizadas as destrezas do(s) participante(s), sem finalidade competitiva. </li></ul>
  7. 7. Os Jogos Universitários de Juiz de Fora – JUJF <ul><li>História; </li></ul><ul><li>Resgate; </li></ul><ul><li>O JUJF Moderno; </li></ul><ul><li>Iniciativa pública e privada; </li></ul><ul><li>Reconhecimento da CBDU; </li></ul><ul><li>Plano gestor de três anos – retomada, expansão e confirmação; </li></ul><ul><li>Desafios. </li></ul>
  8. 8. Etapas da organização esportiva <ul><li>Planejamento (pesquisa) </li></ul><ul><li>Pré-evento (organização) </li></ul><ul><li>Desenvolvimento (execução) </li></ul><ul><li>Pós-Evento (avaliação) </li></ul>
  9. 9. Planejamento esportivo – CALENDÁRIO <ul><li>Critérios relacionados ao sucesso do evento: período do ano, data específica, horário, frequência, duração e intensidade; </li></ul><ul><li>Riscos ou oportunidades? </li></ul><ul><ul><ul><li>coincidir com eventos cívicos ou religiosos, locais, regionais ou nacionais; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>coincidir com outros eventos similares; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>coincidir com outros eventos de grande porte; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>coincidir com a grade de programação dos meios de comunicação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>não desafiar hábitos, costumes e práticas locais. </li></ul></ul></ul>
  10. 10. Planejamento esportivo – LOCAL <ul><li>Localização e estrutura são fundamentais; </li></ul><ul><li>Possibilidades: arenas, estádios, ginásios, quadras, piscinas, pistas, parques, ruas; </li></ul><ul><li>Pontos a se levar em conta: </li></ul><ul><ul><ul><li>Objetivos e porte do evento; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Condições econômicas dos participantes; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Facilidades de acesso; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Condições turísticas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Condições de hospedagem; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Concentração local dos participantes; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Custo x benefício. </li></ul></ul></ul>
  11. 11. Planejamento esportivo – PÚBLICO <ul><li>Definição do público-alvo a partir do mercado. Qual segmento será focado? Pesquisa deve se basear em critérios: geográfico, demográfico, comportamental, psicográfico (fatores psicológicos, sociológicos e antropológicos, assim como benefícios desejados, auto-imagem e estilo de vida, que vislumbram identificar como o mercado é segmentado para tomar decisões particulares sobre um produto, pessoa, ideologia); </li></ul><ul><li>Os eventos esportivos têm como característica alcançar vários tipos de segmentos interessados e potenciais formadores de opinião, como : organizações (acionistas, fornecedores e revendedores), lideranças comunitárias, governo e políticos, associações e sindicatos, veículos de comunicação, funcionários. </li></ul>
  12. 12. Planejamento esportivo – PÚBLICO <ul><li>Uma das técnicas que ajuda na hora do sucesso de um evento é a você saber do seu target primário se ele gosta da proposta do evento. Se ele não gostar, quem irá competir? </li></ul>
  13. 13. Planejamento esportivo – REGULAMENTO <ul><li>Fundamental para uma competição justa, organizada e dinâmica. Deve observar as seguintes características: </li></ul><ul><ul><ul><li>Objetividade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Precisão </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Clareza </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Abrangência </li></ul></ul></ul>
  14. 14. Planejamento esportivo – REGULAMENTO <ul><li>Estrutura básica de um regulamento: </li></ul><ul><ul><li>Histórico ou justificativa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Descrição da competição </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Objetivo; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Participantes; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Categorias; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Programa; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Direção (do evento); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Datas, locais e horários; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fases e sistemas de disputa; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Inscrições </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Data e local; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Número de inscritos por modalidade; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Especificações para cada modalidade; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Condições para inscrição; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Valor da inscrição; </li></ul></ul></ul>
  15. 15. Planejamento esportivo – REGULAMENTO <ul><li>Estrutura básica de um regulamento (cont.): </li></ul><ul><ul><li>Normas disciplinares </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Arbitragem; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Penalidades; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Recursos; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Premiação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Direitos dos participantes; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Relação de prêmios; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Disposições gerais </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cerimônia de abertura e encerramento; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Atividades especiais. </li></ul></ul></ul>
  16. 16. Etapas da organização <ul><li>O Lead esportivo </li></ul><ul><ul><li>O que: qual ação vai ser desenvolvida? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quem: quem será o responsável pela sua implantação? Qual o público-alvo (target primário e secundário)? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quando: quando a ação será realizada (calendário)? </li></ul></ul><ul><ul><li>Como: como a ação vai ser implementada (passos da ação)? Quais modalidades? Qual a premiação? </li></ul></ul><ul><ul><li>Onde: onde a ação será desenvolvida? Qual a abrangência? </li></ul></ul><ul><ul><li>Por que: quais objetivos? por que foi definida esta solução (resultado esperado)? Por que pode dar certo? </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto: quanto será gasto? </li></ul></ul>
  17. 17. Etapas da organização – análise de viabilidade <ul><li>Pesquisa de mercado é necessária para se saber o panorama macro e micro ambiental do mercado em que se está operando; </li></ul><ul><li>Ênfase deve ser principalmente sobre: </li></ul><ul><ul><ul><li>Proposta temática do evento (ideal); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Definição de data e local mais adequados; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Perfil dos participantes potenciais. </li></ul></ul></ul>
  18. 18. Etapas da organização – análise de viabilidade <ul><li>Para avaliar a viabilidade do evento, um dos principais métodos adotados é a análise SWOT – Strenghts (forças), Weaknesses (fraquezas), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças) </li></ul><ul><li>Sun Tzu, autor de “A Arte da Guerra”, em um de seus principais conselhos, fala: “Concentre-se nos pontos fortes, reconheça as fraquezas, agarre as oportunidades e proteja-se contra as ameaças”. </li></ul>
  19. 19. Análise SWOT
  20. 20. Levantamento de recursos <ul><li>Técnicos e desportivos; </li></ul><ul><li>Recursos materiais – material de expediente e secretaria, de participante, gráfico, para a imprensa, sonorização e iluminação; </li></ul><ul><li>Infraestrutura; </li></ul><ul><li>Recursos humanos; </li></ul>
  21. 21. Organograma de um evento esportivo Direção Técnica Secretaria Geral Coordenadores de modalidades Coordenadores de arbitragem Supervisor geral dos boletins técn. Direção Operacional Comissão Científica; Comissão de Comunicação e Marketing* Comissão de Cerimônias e Eventos Culturais* Comissão de Segurança Comissão de Voluntários Comissão Médica Comissão de Transporte Comissão de Hospedagem e Alimentação Comissão Disciplinar Coordenação Geral Coordenador Geral Comissão de Honra Comitê Organizador Coordenação Geral Comissão de Finanças Assessoria de Imprensa* Assessoria Jurídica Comissão de Controle
  22. 22. Comitê de Comunicação e Marketing <ul><li>Elaborar as estratégias e o plano de comunicação; </li></ul><ul><li>Estabelecer a programação visual da competição bem como cuidar da imagem e das marcas envolvidas com o evento; </li></ul><ul><li>Estabelecer contatos pessoais com patrocinadores e convidados; </li></ul><ul><li>Escolha adequada de meios de divulgação; </li></ul><ul><li>Estabelecer relações comerciais com os patrocinadores, apoiadores e provedores; </li></ul><ul><li>Coordenação das assessorias de imprensa e relações públicas; </li></ul><ul><li>Produção de cartazes, mala direta, mailing; </li></ul><ul><li>Construção de site; </li></ul><ul><li>Perfis nas mídias sociais; </li></ul><ul><li>Supervisionar o merchandising do evento. </li></ul>
  23. 23. E a verba? <ul><li>Vender – o mais difícil – a primeira edição então...; </li></ul><ul><li>Trabalho aliado do Comitê de Comunicação e Marketing com o Comercial do evento (Comercial interno x Agentes Comerciais); </li></ul><ul><li>Leis de Incentivo ao Esporte; </li></ul><ul><li>Como ir ao mercado?; </li></ul><ul><li>Desenvolver: </li></ul><ul><ul><ul><li>Prospecções de mercado; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Elaboração de propostas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Formalização de contratos; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Delineamento de parcerias . </li></ul></ul></ul>
  24. 24. Acabou. E aí? Pós-evento <ul><li>Uma das características mais interessantes dos eventos esportivos é a possibilidade do patrocinador, sua marca ou seu produto tornarem-se partes integrantes da experiência, da identificação e das emoções vividas pelos torcedores e atletas, fazendo com que os patrocinadores/parceiros dividam da mesma avaliação do evento; </li></ul><ul><li>Fundamental que os organizadores consagrem tempo e esforços à tarefa de consolidação final do evento, promovendo atividades de encerramento das ações desenvolvidas. Ex.: Cerimônia de Encerramento. </li></ul>
  25. 25. Acabou. E aí? Pós-evento <ul><li>Elaboração de relatórios: </li></ul><ul><ul><li>Relatório Geral: Pesquisa inicial; Memorial do projeto; Membros do comitê organizador; Patrocínios e convênios; Relação de participantes; Regulamento; Locais das competições e demais atividades; Tabela de jogos e resultados; Relação de vencedores e premiados; Classificação final; Estimativa de público; Registro de cerimonial e apresentações artísticas; Material gráfico e outros formatos de divulgação; Prestação de contas; Custo estimado e final; Bens adquiridos; Cronograma e execução; Ofícios e cartas de agradecimento; Clipping (eletrônico e impresso); Pesquisas de avaliação (satisfação, recall); </li></ul></ul><ul><ul><li>Prestação de Contas: Entradas e saídas; Saldo bancário; Contas a receber; Contas a pagar; Notas fiscais; Tributos; Resumo financeiro (balanço); </li></ul></ul><ul><ul><li>Cartas de Agradecimento: Autoridades; Participantes Organização de Eventos Esportivos; Colaboradores (equipes de trabalho); Prestadores de serviço; Patrocinadores, apoiadores e demais parceiros; Imprensa. </li></ul></ul>
  26. 26. Avaliação de Qualidade <ul><li>Reuniões Técnicas pós-evento internas e externas – críticas e sugestões; </li></ul><ul><li>Pesquisas internas apenas não retratam fielmente o retorno do evento; </li></ul><ul><li>Ouvir o cliente mostra que tem uma voz ativa no mercado; </li></ul><ul><li>Ferramenta para estimular a melhoria do evento. </li></ul>
  27. 27. Referências bibliográficas <ul><li>MARIN, Edward Robinson; LOPES, Evandro Luís; PIZZINATTO, Nadia Kassouf. Segmentação psicográfica de consumidores de produtos de marca própria:Uma aplicação da escala VALS no varejo paulistano. Universidade de São Paulo. Ago.2008. Disponível em: <http://www.ead.fea.usp.br/semead/11semead/resultado/trabalhosPDF/670.pdf>. Acesso em: 27 abr. 2011. </li></ul><ul><li>MENDES, Ricardo. Organização de Eventos. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Campus Porto Seguro, mar.2009. Disponível em: <http://www.portoseguro.cefetba.br/doc_professores/educacao_fisica_ricardo/2%C2%BA%20Ano/Apostila%20-%20Eventos%20Esportivos%20-%202o.%20ano.pdf>. Acesso em: 25 abr. 2011. </li></ul><ul><li>NÓBREGA, Renato Garcia. Organização de Eventos Esportivos. In: AZEVÊDO, Paulo Henrique. Terminologia da organização de eventos esportivos. Universidade de Brasília. Disponível em: <http://vsites.unb.br/fef/downloads/paulo-henrique/linguagem_esportiva-ph.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2011 </li></ul><ul><li>POIT, Davi Rodrigues. Organização de Eventos Esportivos. São Paulo: Phorte Editora, 2005. </li></ul><ul><li>REZENDE, José Ricardo. Manual Completo da Lei de Incentivo ao Esporte. São Paulo: All Print Editora, 2008. </li></ul>
  28. 28. Oficina <ul><li>Montagem de um evento a partir do Lead Esportivo </li></ul><ul><ul><ul><li>O que: qual ação vai ser desenvolvida? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quem: quem será o responsável pela sua implantação? Qual o público-alvo (target primário e secundário)? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quando: quando a ação será realizada (calendário)? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Como: como a ação vai ser implementada (passos da ação)? Quais modalidades? Qual a premiação? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Onde: onde a ação será desenvolvida? Qual a abrangência? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Por que: quais objetivos? por que foi definida esta solução (resultado esperado)? Por que pode dar certo? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quanto: quanto será gasto? </li></ul></ul></ul>
  29. 29. Basileu Rodrigo Tavares [email_address] twitter.com/basileutavares facebook.com.br/zileutavares msn: basilajf@hotmail.com

×