A história oficial do basquete

16,106 views

Published on

história do basquetebol

Published in: Technology, Education
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
16,106
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
50
Actions
Shares
0
Downloads
173
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A história oficial do basquete

  1. 1. A História Oficial do BasqueteEm 1891, o longo e rigoroso inverno de Massachussets tornava impossível a prática deesportes ao ar livre. As poucas opções de atividades físicas em locais fechados se restringiam aentediantes aulas de ginástica, que pouco estimulavam aos alunos. Foi então que LutherHalsey Gullick, diretor do Springfield College, colégio internacional da Associação Cristã deMoços (ACM), convocou o professor canadense James Naismith, de 30 anos, e confiou-lhe umamissão: pensar em algum tipo de jogo sem violência que estimulasse seus alunos durante oinverno, mas que pudesse também ser praticado no verão em áreas abertas. Depois dealgumas reuniões com outros professores de educação física da região, James Naismith chegoua pensar em desistir da missão. Mas seu espírito empreendedor o impedia. Refletindobastante, chegou à conclusão de que o jogo deveria ter um alvo fixo, com algum grau dedificuldade. Sem dúvida, deveria ser jogado com uma bola, maior que a de futebol, quequicasse com regularidade. Mas o jogo não poderia ser tão agressivo quanto o futebolamericano, para evitar conflitos entre os alunos, e deveria ter um sentido coletivo. Havia umoutro problema: se a bola fosse jogada com os pés, a possibilidade de choque ainda existiria.Naismith decidiu então que o jogo deveria ser jogado com as mãos, mas a bola não poderiaficar retida por muito tempo e nem ser batida com o punho fechado, para evitar socosacidentais nas disputas de lances.A preocupação seguinte do professor era quanto ao alvo que deveria ser atingido pela bola.Imaginou primeiramente colocá-lo no chão, mas já havia outros esportes assim, como ohóquei e o futebol. A solução surgiu como um relâmpago: o alvo deveria ficar a 3,5m de altura,onde imaginava que nenhum jogador da defesa seria capaz de parar a bola que fossearremessada para o alvo. Tamanha altura também dava um certo grau de dificuldade ao jogo,como Naismith desejava desde o início.Mas qual seria o melhor local para fixar o alvo? Como ele seria? Encontrando o zelador docolégio, Naismith perguntou se ele não dispunha de duas caixas com abertura de cerca de 8polegadas quadradas (45,72 cm). O zelador foi ao depósito e voltou trazendo dois velhoscestos de pêssego. Com um martelo e alguns pregos, Naismith prendeu os cestos na partesuperior de duas pilastras, que ele pensava ter mais de 3,0m, uma em cada lado do ginásio.Mediu a altura. Exatos 3,05m, altura esta que permanece até hoje. Nascia a cesta de basquete.James Naismith escreveu rapidamente as primeiras regras do esporte, contendo 13 itens. Elasestavam tão claras em sua cabeça que foram colocadas no papel em menos de uma hora. Ocriativo professor levou as regras para a aula, afixando-as num dos quadros de aviso doginásio. Comunicou a seus alunos que tinha um novo jogo e se pôs a explicar as instruções eorganizar as equipes.Havia 18 alunos na aula. Naismith selecionou dois capitães (Eugene Libby e Duncan Patton) epediu-lhes que escolhesse os lados da quadra e seus companheiros de equipe. Escolheu doisdos jogadores mais altos e jogou a bola para o alto. Era o início do primeiro jogo de basquete.Curioso, no entanto, é que nem Naismith nem seus alunos tomaram o cuidado de registraresta data, de modo que não se pode afirmar com precisão em que dia o primeiro jogo debasquete foi realizado. Sabe-se apenas que foi em dezembro de 1891, pouco antes do Natal.Como esperado, o primeiro jogo foi marcado por muitas faltas, que eram punidas colocando-se seu autor na linha lateral da quadra até que a próxima cesta fosse feita. Outra limitaçãodizia respeito à própria cesta: a cada vez que um arremesso era convertido, um jogador tinhaque subir até a cesta para apanhar a bola. A solução encontrada, alguns meses depois, foi
  2. 2. cortar a base do cesto, o que permitiria a rápida continuação do jogo.Após a aprovação da diretoria do Springfield College, a primeira partida oficial do esporterecém-criado foi realizada no ginásio Armory Hill, no dia 11 de março de 1892, em que osalunos venceram os professores pelo placar de 5 a 1, na presença de cerca de 200 pessoas.A primeira bola de basquete foi feita pela A. C. Spalding & Brothers, de Chicopee Falls(Massachussets) ainda em 1891, e seu diâmetro era ligeiramente maior que o de uma bola defutebol.As primeiras cestas sem fundo foram desenhadas por Lew Allen, de Connecticut, em 1892, econsistiam em cilindros de madeira com borda de metal. No ano seguinte, a NarragansetMachine & Co. teve a idéia de fazer um anel metálico com uma rede nele pendurada, quetinha o fundo amarrado com uma corda mas poderia ser aberta simplesmente puxando estaúltima. Logo depois, tal corda foi abolida e a bola passou a cair livremente após a conversãodos arremessos. Em 1895, as tabelas foram oficialmente introduzidas.Naismith não poderia imaginar a extensão do sucesso alcançado pelo esporte que inventara.Seu momento de glória veio quando o basquete foi incluído nos Jogos Olímpicos de Berlim, em1936, e ele lançou ao alto a bola que iniciou o primeiro jogo de basquete nas Olimpíadas.Atualmente, o esporte é praticado por mais de 300 milhões de pessoas no mundo inteiro, nosmais de 170 países filiados à FIBA.As primeiras regras1 - A bola pode ser arremessada em qualquer direção com uma ou com ambas as mãos;2 - A bola pode ser tapeada para qualquer direção com uma ou com ambas as mãos (nuncausando os punhos);3 - Um jogador não pode correr com a bola. O jogador deve arremessá-la do ponto onde pegá-la. Exceção será feita ao jogador que receba a bola quando estiver correndo a uma boavelocidade;4 - A bola deve ser segura nas mãos ou entre as mãos. Os braços ou corpo não podem serusados para tal propósito;5 - Não será permitido sob hipótese alguma puxar, empurrar, segurar ou derrubar umadversário. A primeira infração desta regra contará como uma falta, a segunda desqualificará ojogador até que nova cesta seja convertida e, se houver intenção evidente de machucar ojogador pelo resto do jogo, não será permitida a substituição do infrator.6 - Uma falta consiste em bater na bola com o punho ou numa violação das regras 3, 4 e 5.7 - Se um dos lados fizer três faltas consecutivas, será marcado um ponto a mais para oadversário (Consecutivo significa sem que o adversário faça falta neste intervalo entre faltas).8 - Um ponto é marcado quando a bola é arremessada ou tapeada para dentro da cesta e lápermanece, não sendo permitido que nenhum defensor toque na cesta. Se a bola estiver naborda e um adversário move a cesta, o ponto será marcado para o lado que arremessou.9 - Quando a bola sai da quadra, deve ser jogada de volta à quadra pelo jogador que primeiro atocou. Em caso de disputa, o fiscal deve jogá-la diretamente de volta à quadra. O arremesso dabola de volta à quadra é permitido do tempo máximo de 5 segundos. Se demorar mais do queisto, a bola passará para o adversário. Se algum dos lados insistir em retardar o jogo, o fiscalpoderá marcar uma falta contra ele.Primeiro livro de regras.10 - O fiscal deve ser o juiz dos jogadores e deverá observar as faltas e avisar ao árbitro quandotrês faltas consecutivas forem marcadas. Ele deve ter o poder de desqualificar jogadores, de
  3. 3. acordo com a regra 5.11 - O árbitro deve ser o juiz da bola e deve decidir quando a bola está em jogo, a que ladopertence sua posse e deve controlar o tempo. Deve decidir quando um ponto foi marcado econtrolar os pontos já marcados, além dos poderes normalmente utilizados por um árbitro.12 - O tempo de jogo deve ser de dois meio-tempos de 15 minutos cada, com 5 minutos dedescanso entre eles.13 - A equipe que marcar mais pontos dentro deste tempo será declarada vencedora. Em casode empate, o jogo pode, mediante acordo entre os capitães, ser continuado até que outroponto seja marcado. Cesta é o nome comum que se dá ao encestar (fazer a bola passar por esse aro) eentão marcam-se pontos, dependendo do local e das circunstâncias da cesta: se for cestadentro do garrafão (nome comum dado à Area Restritiva) obtém-se dois pontos, se forfora da linha dos 3 metros obtém-se 3 pontos, se for lance livre após uma falta a cestaequivale a 1 ponto. As equipes devem fazer pontos sempre do mesmo lado - é o meio-campo de ataque - e defender a cesta oposta - no meio-campo de defesa. Obviamente aequipa que defende tenta impedir a equipe que ataca de fazer cesta, através damarcação, da interceptação de passes ou até mesmo do bloqueio (toco) ao lançamento.Os jogadores penduram-se no aro com a bola para fazer espetáculo(enterrar). Noentanto, contatos físicos mais fortes são punidos como falta. Se o jogador fizer cincofaltas terá que ser substituído e não poderá voltar ao jogo. A partir da quarta faltacoletiva de uma equipe, a equipe adversária tem o direito a lances livres toda a vez quesofrer falta. As faltas efetuam-se da seguinte maneira: se um jogador faz falta aoatacante e este encesta, os 2 pontos contam-se e esse jogador tem direito a 1 lance livre(se não acertar os outros jogadores irão tentar apanhar a bola - rebote). Se a falta forcometida e o atacante não conseguir encestar terá direito a 2 ou 3 lances livres,dependendo do local onde foi cometida a falta.Atualmente o basquete internacional encontra-se organizado pela FIBA - FederaçãoInternacional de Basquetebol. As suas determinações valem para todos os países onde obasquete é jogado, exceto para a liga profissional de basquete dos EUA, a NBA, quemantém regras próprias, um pouco diferentes das regras internacionais. A expectativa éque as duas entidades se aproximem cada vez mais seus regulamentos.Para jogos regulamentados pela FIBA, o tempo de jogo oficial é de 40 minutos,divididos em quatro períodos iguais de 10 minutos cada. Entre o 2º e 3º períodos, háintervalo de 15 minutos, e invertem-se as quadras de ataque e defesa das equipes; logo,cada equipe defende em dois períodos cada cesta. Ao contrário dos outros desportoscoletivos, não há sorteio para definir-se de quem é a posse de bola no começo do jogo: abola é lançada ao ar por um árbitro, e um jogador de cada equipe (normalmente o maisalto) posiciona-se para saltar e tentar passar a bola a um companheiro.
  4. 4. Jogador com a posse da bola.Não é permitido sair dos limites da quadra, e nos jogos oficiais também não é permitidoque o jogador leve a bola para a quadra de ataque e retorne para a quadra de defesa(retorno). Além disso há também uma limitação de tempo (24 segundos) para executaruma jogada, e a proibição de que o atleta salte e retorne ao chão (com os 2 pés aomesmo tempo) com a posse de bola, sem executar lançamento ou passe. As faltas sãocobradas da lateral de quadra, assim como as demais violações; no entanto, caso umaequipa cometa mais de 4 faltas num período, as faltas do adversário passam a sercobrados na forma de lance livre: o jogador se posiciona numa linha a 4,60 metros dacesta e lança sem a marcação dos rivais. O lance livre também é cobrado quando umjogador sofre falta no momento em que está tentando encestar - independentemente donúmero total de faltas da equipa adversário.Além da NBA, que é considerada uma liga muito emocionante e espectacular, oprincipal torneio de clubes de basquete é a Euroliga. Se, por um lado a NBA conta comos jogadores de maior poder defensivo e de força, a Euroliga conta com jogadores maiscerebrais e técnicos. Já entre as seleções, os torneio mais importantes são o Mundial daFIBA e os Jogos Olímpicos.O basquetebol em cadeira de rodas é uma modalidade bastante conhecida entre osdesportos para pessoas com necessidades especiais.O Mini Basquetebol é a forma de disputa do deporto para crianças com menos de 12anos. Foi desenvolvido como uma forma divertida de se descobrir o basquete. Algumasregras são diferentes do basquetebol tradicional. A altura da cesta (do aro até o solo) éde 2,60m. O tempo de jogo recomendado pela FIBA é de 2 (dois) períodos de 20minutos, no entanto, alguns Estados criam adaptações a esta regra visando um maiordesenvolvimento do jogo.[editar] Objetivo do jogo
  5. 5. Uma bola de basquetebolO objetivo do jogo é introduzir a bola no cesto da equipe adversária (marcando pontos)e, simultaneamente, evitar que esta seja introduzida no próprio cesto, respeitando asregras do jogo. A equipe que obtiver mais pontos no fim do jogo, vence.A competição é dirigida por: • Três árbitros – têm como função assegurarem o cumprimento das regras do jogo. • Um marcador e o seu auxiliar – têm como funções o preenchimento do boletim de jogo, onde registram os pontos marcados, as faltas pessoais e técnicas, etc. • O cronometrista – verifica o tempo de jogo e os descontos de tempo • Um operador de vinte e quatro segundos – controla os 24 segundos que cada equipe dispõe para a execução de uma jogada.[editar] PosiçõesSão usadas, geralmente, no basquete, três posições: alas, pivôs e armador. Na maioriadas equipas temos dois alas, dois pivôs e um armador. Armador ou base é como océrebro da equipa. Planeja as jogadas e geralmente começa com a bola. Alas ouextremos jogam pelos cantos. A função do ala muda bastante. Ele pode ajudar o base,ou fazer muitos cestos. Pivôs ou postes são, na maioria das vezes, os mais altos. Com asua altura, pegam muitos rebotes, fazem muitos afundaços (enterradas) e bandejas, e nadefesa ajudam muito com os tocos.[editar] Regulamento (FIBA)
  6. 6. Diagrama das dimensões de uma quadra oficialDiagrama das dimensões de uma tabela oficial • Equipe - Existem duas equipes que são compostas por 5 jogadores cada (em jogo), mais 7 reservas. • Início do jogo – O Jogo começa com o lançamento da bola ao ar, pelo árbitro, entre dois jogadores adversários no círculo central e esta só pode ser tocada quando atingir o ponto mais alto. A equipe que não ganhou a posse de bola fica com a seta a seu favor. • Duração do jogo – Quatro períodos de 10 minutos de tempo útil cada, com um intervalo de meio tempo entre o segundo e o terceiro período com uma duração
  7. 7. de 15 minutos, e com intervalos de dois minutos entre o primeiro e o segundo período e entre o terceiro e o quarto período. O cronómetro só avança quando a bola se encontra em jogo, isto é, sempre que o árbitro interrompe o jogo, o tempo é parado de imediato.• Reposição da bola em jogo - Depois da marcação de uma falta, o jogo recomeça por um lançamento fora das linhas laterais, excepto no caso de lances livres. Após a marcação de ponto, o jogo prossegue com um passe realizado atrás da linha do campo da equipa que defende.• Como jogar a bola - A bola é sempre jogada com as mãos. Não é permitido andar com a bola nas mãos ou provocar o contacto da bola com os pés ou pernas. Também não é permitido driblar com as duas mãos ao mesmo tempo.• Pontuação - Um cesto é válido quando a bola entra pelo aro, por cima. Um cesto de campo vale 2 pontos, a não ser que tenha sido conseguido para além da linha dos 3 pontos, situada a 6,15m (valendo, portanto, 3 pontos); um cesto de lance livre vale 1 ponto.• Empate – Os jogos não podem terminar empatados. O desempate processa-se através de períodos suplementares de 5 minutos.• Resultado – O jogo é ganho pela equipa que marcar maior número de pontos no tempo regulamentar.• Lançamento livre – Na execução, os vários jogadores, ocupam os respectivos espaços ao longo da linha de marcação, não podem deixar os seus lugares até que a bola saia das mãos do executante do lance livre (A6); não podem tocar a bola na sua trajectória para o cesto, até que esta toque no aro.• Penalizações de faltas pessoais – Se a falta for cometida sobre um jogador que não está em acto de lançamento, a falta será cobrada por forma de uma reposição de bola lateral, desde que a equipa(e) não tenha cometido mais do que 4 (quatro) faltas coletivas durante o período, caso contrário é concedido ao jogador que sofreu a falta o direito a dois lances livres. Se a falta for cometida sobre um jogador no acto de lançamento, o cesto conta e deve, ainda, ser concedido um lance livre. No caso do lançamento não tiver resultado cesto, o lançador irá executar o(s) lance(s) livres correspondentes às penalidades (2 ou 3 lances livres, conforme se trate de uma tentativa de lançamento de 2 ou 3 pontos).• Regra dos 5 segundos - Um jogador não pode ter a bola em sua posse (sem driblar) por mais de 5 segundos.• Regra dos 3 segundos - Um jogador não pode permanecer mais de 3 segundos dentro da área restritiva (garrafão) do adversário, enquanto a sua equipa esteja na posse da bola.• Regra dos 8 segundos - Quando uma equipa ganha a posse da bola na sua zona de defesa, deve, dentro de 8 segundos, fazer com que a bola chegue à zona de ataque.
  8. 8. • Regra dos 24 segundos - Quando uma equipe está de posse da bola, dispõe de 24 segundos para a lançar ao cesto do adversário.• Bola presa – Considera-se bola presa quando dois ou mais jogadores (um de cada equipa pelo menos) tiverem uma ou ambas as mãos sobre a bola, ficando esta presa. A posse de bola será da equipa que tiver a seta a seu favor.• Transição de campo – Um jogador cuja equipa está na posse de bola, na sua zona de ataque, não pode provocar a ida da bola para a sua zona de defesa (retorno).• Dribles - Quando se dribla pode-se executar o n.º de passos que pretender. O jogador não pode bater a bola com as duas mãos simultaneamente, nem efectuar dois dribles consecutivos (bater a bola, agarrá-la com as duas mãos e voltar a batê-la).• Passos – O jogador não pode executar mais de dois passos com a bola na mão.• Faltas pessoais – É uma falta que envolve contacto com o adversário, e que consiste nos seguintes parâmetros: Obstrução, Carregar, Marcar pela retaguarda, Deter, Segurar, Uso ilegal das mãos, Empurrar.• Falta anti-desportiva – Falta pessoal que, no entender do árbitro, foi cometida intencionalmente, com objectivo de prejudicar a equipa adversária.• Falta técnica – Falta cometida por um jogador sem envolver contacto pessoal com o adversário, como, por exemplo, contestação das decisões do árbitro, usando gestos, atitudes ou vocabulário ofensivo, ou mesmo quando não levantar imediatamente o braço quando solicitado pelo árbitro, após lhe ser assinalada falta.• Falta da equipa – Se uma equipa cometer num período, um total de quatro faltas, para todas as outras faltas pessoais sofrerá a penalização de dois lançamentos livres.• Número de faltas – Um jogador que cometer cinco faltas está desqualificado da partida.• Altura do aro - A altura do aro até o solo é de 3,05 metros.
  9. 9. Fundamentos do BasqueteQuais os principais fundamentos do basquete?Os principais são: passe, drible, arremesso, lance-livre e rebote.PASSE•Passe de peito - Trazendo já bola junto ao peito, com o peso do corpo na perna coordenandomovimento dos braços com os pulso, a bola à frente do corpo, lançá-la com as mãos nadireção do movimento.•Passe picado - É idêntico ao passe de peito, com a diferença de que a bola toque no chãoantes de chegar às mãos do jogador que vai recebê-la. v Passe por cima da cabeça - Elevando abola acima da cabeça com ambos os braços, lançá-la com um forte movimento dos pulsos, sembaixar os braços.•Passe de gancho - A bola é segura pela mão que vai lançá-la bem junto ao punho, dedosespalhados na bola. Com um passo atrás ou para o lado, dar um solto com um giro no arsimultâneo ao lançamento da bola através de um movimento circundante do braço.•Passe de ombro - A bola é segura com ambas as mãos, com os dedos apontados para cima.Os cotovelos devem ser flexionados, a bola se manterá junto ao corpo com o ombro alto e aexecução do passe deverá ser feita pela extensão do braço, cotovelo e punho.DRIBLE•Corpo abaixado, cabeça elevada, joelhos flexionadas, impulsionar a bola com a flexão dopulso.ARREMESSO•Bandeja - É um arremesso em movimento que pode ser feito com passe ou driblando. Emambos, o jogador tem direito a dois tempos rítmicos, ou seja, ao receber a bola ou interrompero drible o jogador define o pé de apoio (1º tempo rítmico), tendo direito ao segundo temporítmico com mais um passo. No entanto, a bola deverá ser lançada à cesta antes que o jogadortoque o solo.
  10. 10. •Com uma das mãos - Partindo da posição fundamental, com o peso do corpo na perna dafrente, bola na altura do peito, o jogador flexionará as pernas simultaneamente à elevação dabola acima da cabeça. O arremesso termina com a extensão completa do braço, pulsoflexionado e com o último contato da bola através das pontas dos três dedos médios da mão.•Jump, com drible e parada - Driblando em direção à cesta, parando numa posição deequilíbrio, flexionara as pernas, saltar elevando a bola acima e à frente da cabeça com ambasas mãos, executar o arremesso apenas com uma das mãos.•Gancho - O jogador de posse da bola, dribla em direção à cesta mantendo seu corpo entre abola e o adversário. Para, olha para a cesta, salta girando o corpo no ar com o lançamento dabola em movimento circundante do braço, caindo de frente para a cesta.LANCE-LIVRE•É igual ao arremesso com uma das mãos, efetuado da linha do lance-livre, sem marcação etendo cinco segundos para a execução. É importante que o jogador mantenha o peso do corpona perna da frente, concentre-se e bloqueie a respiração antes do arremesso.REBOTE•Partindo da posição de guarda, o jogador da defesa procura através de um trabalho depernas evitar que o adversário tome a sua frente para o rebote. É importante, durante olançamento da bola, que o defensor não olhe para a trajetória da bola, e sim o jogador queesteja marcando. 1º caso: Quando o adversário correr para o rebote pelo lado da perna de trásdo defensor, basta a este fazer o giro na perna de trás. 2º caso: Quando o movimento para acesta for feito pelo lado da perna da frente, o defensor efetuará dois movimentos de giro. Oprimeiro pela perna da frente e o segundo igual ao 1º caso.Postado por professor paulo às 23:45
  11. 11. Perguntas respondidasMostre-me outra »Como faço para dar treino de basquete para meninas iniciantes ?Como treinar tudo, passe, defesa, ataque, arremeço tudo ???Elas não sabem nada :S • 1 mês atrásDenuncie by MiqueiasMembro desde: 24 de Fevereiro de 2008Total de pontos: 6135 (Nível 5)Marca:Contribuindo em: Basquete Olimpíadas Handebol • Adicionar amigo(a) • BloquearMelhor resposta - Escolhida por votação
  12. 12. Primeiro explica isso e ajuda elas a praticar:1. Bloqueio de ReboteFundamento do basquetebol que consiste em impedir que a equipe adversária recupere aposse de bola após o arremesso, bloqueando-a virando de costas para o adversário eprotegendo a bola e assim, depois, recuperar a bola.1.1. ExercíciosNa defesa e ataque: 2 filas, onde uma pessoa protege a bola que permanece ao solo e a outrafinta e pega a bola, indo para outro lado da quadra para fazer a cesta, o jogador defensor iráacompanhá-lo e fazer a defesa.Defesa: 1 ou 2 duplas, onde uma dupla defende e a outra espera a bola quicar no solo e, logoapós, tentar pegar a bola com a dupla defensora defendendo-a.2. Sistema OfensivoOs sistemas ofensivos de ataque são: movimentações táticas coletivas, que tem como objetivoprincipal obtenção da cesta. Para isso o ataque deve obedecer a certos princípios que tornarãomais fácil a tarefa dos atacantes. Inicialmente é importante definir os nomes e funções dasposições que o atleta pode desempenhar no ataque. Existem três posições que sãodistribuídas em funções das características físicas e técnicas dos atacantes: armador, ala oulateral e pivô.2.1. ArmadorComo característica física este atacante normalmente é o menor e o mais rápido da equipe,tecnicamente deve passar e driblar. O tipo de arremesso mais utilizado pelo armador é o salto(jump) de longa distância em função da região em que atua na quadra o armador deve ter umaboa visão de jogo sabendo decidir o momento exato de passar a um companheiro, arremessarou infiltrar.2.2. Lateral ou AlaEm relação a qualidade física, é um jogador de estatura média para alta e não deve ser muitolento. A característica principal para a posição é um bom arremesso de meia distância. Olateral deve ter uma boa noção de rebote, pois, normalmente participa de ambos.2.3. PivôO pivô deve ser alto e forte por atuar numa região próxima a cesta onde normalmente adefesa e o ataque devem concentrar muita atenção. Em termos técnicos é uma posição queexige um bom trabalho de pernas [fintas e giros, a utilização de arremessos de curta distância
  13. 13. e boa noção de posicionamento de rebote (tanto ofensivo como defensivo)].2.4. Exercícios práticos (Ofensivo)= Cone = Aluno = Corrida de frente = Corrida diagonal= Driblando com direita = Driblando com esquerda = Arremesso(Bandeja)O aluno executará o exercício sempre driblando a bola, com corrida de frente; corrida diagonalpara esquerda, driblando com mão esquerda e protegendo com mão direita; corrida diagonalpara direita, driblando com mão direita e protegendo com mão esquerda; Arremesso(Bandeja).1 = passar ao lado do cone 2 = passar a bola por trás 3 = trocar de mão4 = passar a bola por entre as pernasO aluno executará o exercício semelhante ao anterior, exceto em cada cone vai fazer umcontrole de bola diferente, de acordo com a numeração.O aluno vai driblando a bola, em linha reta até a linha de 3 pontos, segurar a bola com as duasmão e executar o arremesso (jump), pegar a bola e entrega-la a outro aluno da coluna. Apóstodos terem executado o exercício, irão trocar de posições.3. Sistema Defensivo3.1. Sistema de Defesa Individual (S.D.I.)Ficar entre o atacante e a cesta (costas para a cesta, peito para o atacante);Se o atacante estiver com posse de bola, manter a distância de um braço;Se o atacante estiver sem a bola, afastar até a posição em que consiga visualizar ao mesmotempo quem está com a bola e quem marca;Tentar levar o atacante para o seu lado de menor habilidade;Tentar levar o atacante para as laterais da quadra onde sua atuação será limitada.3.1.1. Tipos de Defesa Individual
  14. 14. Sistema de Defesa Individual Simples;Sistema de Defesa Individual com Ajuda;Sistema de Defesa Individual com Visão Orientada;Sistema de Defesa Individual com Flutuação;Sistema de Defesa Individual com Antecipação;Sistema de Defesa Individual com Troca de Marcação.3.1.2. Sistema de Defesa Individual SimplesComo o próprio nome já diz é a defesa elementar. O atleta deve se posicionar de costas para atabela e frente para quem vai atacar, olhando somente para seu marcador e o acompanhandoaonde for.3.1.3. Sistema de Defesa Individual com AjudaO jogador que estiver mais próximo do lado em que for cortado fará a ajuda se posicionandona frente do atacante impedindo a sua passagem, o atleta que for cortado retornará a suamarcação o mais rápido possível. Quem fez a ajuda, após a recuperação do companheirovoltará a sua marcação original. (há um corte do lado e o lateral vai ajudar e retornar a suaposição).3.1.4. Sistema de Defesa Individual com Visão OrientadaExceto o marcador do atacante com bola, todos os outros se posicionarão de forma queconsigam enxergar ao mesmo tempo quem marca e quem está com a bola, sem perder aposição tabela/marcador.3.1.5. Sistema de Defesa Individual com FlutuaçãoOs marcadores do lado contrário onde está a bola, se deslocarão para uma linha imaginária naárea restritiva impedindo as penetrações.3.1.6. Sistema de Defesa Individual com AntecipaçãoOs marcadores posicionados a um passe de distância se colocará de uma forma que consigaroubar o passe. A antecipação e feita com ½ corpo a frente, a palma da mão mais próxima dabola na linha do passe e o olhar para a bola.
  15. 15. 3.1.7. Sistema de Defesa com Troca de MarcaçãoA troca de marcação é utilizada quando o ataque usa o corta luz como manobra ofensiva. Atroca de marcação não deve ser feita por atletas com grande diferença de estatura pois haverámomentânea desvantagem.3.2. Exercícios práticos (S.D.I - Simples)= Cone = Aluno = Corrida de Frente= Corrida lateral = Corrida Diagonal para trásOs alunos executarão o exercício sem a bola, ficando um de frente para outro (em duplas),fazendo a corrida de frente, corrida lateral, corrida em diagonal para trás, e no final retornarãoà coluna. Após todos executarem, trocar o lado; ou fazer dos dois lados da quadra.Os alunos executarão o exercício com bola, em dupla, onde, um irá driblando a bola e outrodefendendo, fazendo corrida em diagonal (direita e esquerda) até o meio da quadra, onde,também, irão trocar de posições.Os alunos executarão o exercício sem bola, em dupla, um de frente para outro, fazendocorrida de frente até a metade da quadra, após passarem esse ponto irão fazer corrida nadiagonal. Após todos terem executado pode-se trocar de lado da quadra.3.3. Vantagens e desvantagens da Defesa IndividualVantagens:Define responsabilidades;Exige do defensor a correta execução dos fundamentos individuais da defesa;Desenvolver a tensão e velocidade do movimento;Propicia o equilíbrio físico e técnico entre defensores e atacantes;E adaptável a qualquer tipo de ataque;Dificulta passe e arremesso de curta e longa distância.Desvantagens:Facilita a penetração das cestas devido a marcação mais próxima;
  16. 16. Facilita os movimentos de corta luz;Pode provocar um grande número de faltas pessoais;Dificulta o rebote defensivo pois os defensores não tem posição definida em função da nãodefinição das posições dos defensores já que estas serão determinadas pelas posições dosatacantes.4. Sistema de Defesa por Zona4.1. Defesa por Zona 1-3-1O número 1 e 5 fazem o mesmo trabalho, sempre do lado que está a bola;O número 2 e 4 fazem o trabalho de "gangorra", quando o 2 marca, o 4 vai para seu limite, evice-versa.4.2. Defesa por Zona 1-2-2O número 1 não pode ser o menor jogador, porque ele fica debaixo da cesta, sobe e desce nalinha da bola;Os números 2 e 3 marcam toda a lateral;Os números 4 e 5 dividem o garrafão marcando quase sempre que individualmente, além deavisar sempre que um atacante for ultrapassar a sua área.4.3. Defesa por Zona 2-1-2Os números 1 e 2, trabalham em conjunto, se a bola estiver com o atacante na lateral do no 1,o 2 vai até o limite no começo do garrafão, e vice-versa; se o atacante estiver no começo dogarrafão (armador), ambos irão fazer a marcação;Os números 1 e 4, também trabalham em conjunto, se o atacante estiver mais próximo dogarrafão (pivô) o 4 irá marcar e o 1 irá ajudar;Números 2 e 5, idem nos 1 e 4;Os números 3, 4 e 5 tem que avisar quando o atacante passar na sua área, acompanhando-oaté o limite da mesma, e outro defensor irá buscar o atacante no limite de sua área;geralmente o atacante faz movimentação de triangulação.
  17. 17. 5. Contra AtaqueEm uma partida de basquetebol são diversas as oportunidades em que uma equipe passa dasituação de defesa para a de ataque. Quando isso acontece, a primeira iniciativa dessa equipeé a de atacar de forma rápida e organizada, de tal maneira que a defesa adversária sejasurpreendida e não tenha tempo de se posicionar corretamente.Esta ação de tentar o arremesso rapidamente é de forma organizada surpreendendo a equipeadversária chama-se contra ataque.5.1. Características e Situações para o Contra AtaquePara que se caracterize a situação de contra ataque é necessário que haja superioridadenumérica entre o ataque para a defesa.Para se chegar a tal superioridade numérica, o contra ataque precisa ser veloz e organizado.Portanto velocidade, organização e superioridade numérica são as características do contra-ataque.5.2. Situações que originam o Contra AtaqueRebote defensivo;Lateral na quadra defensiva;Bola ao alto no círculo defensivo;Fundo bola;Interceptação de um passe;Roubada ou recuperação de bola;

×