Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
MUNDO NÁUTICO: METEOROLOGIA E AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS PARA TRAVESSIAS

R$ 14,00 · Ano 07 · nº 33 · 2012 · www.perfilnautic...
Nova Intermarine 65.

Beleza e conforto com 4 cabines.

Dealers Oficiais
sP Marine - www.spmarine.com.br
angra dos reis, r...
O tamanho dos barcos que navegam
no Brasil está cada vez maior, isso requer
mais investimentos à beira-mar

O

mercado de ...
Índice

Índice

Canal
16
18
158
160
164
176
184
188
190
192
194

Leitor
News
Construtor
Náutico
Decor
Estilo
Esporte
Plane...
Fabiola Bonatto

| 38o | 4oo | 421 | 45o | 5oo | 56o | 62o |

Cést La Vie!

Linha Lagoon 2012

Lagoon: O número 1 no mundo...
Canal News

Canal Esporte
Canal News
Dieter Gust (CEO Beneteau), Carla Demaria (CEO Global Marketing), Marcos Soares
(CEO ...
Raimundo Nascimento, o recordista

Recorde
em solitário

Jorge Nasseh, palestras técnicas sobre náutica

No dia 14 de abri...
Encravada nas belas montanhas da Serra da Mantiqueira, a cidade
mineira de Gonçalves é uma ótima dica de viagem nesta époc...
ESPECIAL

LONDRES 2012

Olimpíadas, história
e tradição náutica
A realização dos Jogos Olímpicos de 2012 revelam
memórias ...
LONDRES 2012

tarde, teria sido adaptada para a navegação a vela.
Nada mais premonitório do que o pontapé inicial dos
trab...
ESPECIAL

LONDRES 2012
atletas (353 homens e 197 mulheres), divididos em 14
modalidades, entre os dias 28 de julho e 4 de ...
ESPECIAL

LONDRES 2012

de 2010 e a estrutura foi a única aberta do público antes
mesmo do começo dos Jogos — que se diver...
ESPECIAL

LONDRES 2012
gestão do tráfico foi implantado, eliminando as rotundas
e instalando uma complexa rede de sinais “...
ESPECIAL

LONDRES 2012

Nos intervalos das competições
o problema é saber o que fazer
pelo excesso de programas e
atrações...
ESPECIAL

LONDRES 2012

Pubs e restaurantes com boa comida e boa bebida

Hardys Cottage, exemplo de casas históricas ingle...
ESPECIAL

LONDRES 2012
“home sweet home”. Uma embarcação de época
pode custar até 300 mil libras esterlinas. Uma nova
sai ...
LONDRES 2012

Embarcados,
brasileiros em
busca do ouro
Nossas equipes de vela, canoagem e remo vão para as raias
olímpicas...
ESPECIAL

LONDRES 2012

Jorge Zarif (Finn)

Robert Scheidt e Bruno Prada (Star)

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (470 F)...
ESPECIAL

LONDRES 2012
seus feitos mais importantes estão um título mundial
conquistado em Portugal (2007) e o tricampeona...
ESPECIAL

LONDRES 2012

com 20 anos e Ronilson com 21 – está em constante
evolução e promete fazer bonito em Londres. Dent...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO

Vida
em alto
luxo

Gilles MARTIN-RAGET

O Brasil entrou para ficar
no mercado de iates de luxo.
Co...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO

Em primeiro lugar, não existe uma regra para definir
o que é um iate de luxo, nem mesmo o tamanho....
CAPA VIDA EM ALTO LUXO

Os iates de luxo
Offshore

Nos anos 80, elas dominavam um mercado de lanchas
no qual o luxo das em...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO
externas mais esportivas e uma elegância própria.
Hoje, com os modelos com teto solar e portas de v...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO

os principais estaleiros brasileiros já têm padrão
internacional de construção. E vários dos grand...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO
Pé-de-galinha X Z-drive

Os grandes iates normalmente possuem propulsão
em eixo pé-de-galinha ou Z-...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO
Tudo que um iate de luxo precisa ter

E
O

R

T

Y

U

{
I

P

e

Q

}

W

t

r

y

Layout

Apesar ...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO

C

M

Y

CM

MY

Estrutura das marinas brasileiras precisa melhorar para receber grandes iates

CY...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO

Grandes
iates no
Brasil

Selecionamos 12 embarcações
de 60 a 80 pés disponíveis no
mercado brasile...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO PRESTIGE 60 S

Charme francês desembarca no Brasil

Uma versão
ainda melhor

A Prestige 60, vencedo...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO PRESTIGE 60 S

questão estética, com linhas elegantes, agressivas,
painéis de vidro e um grande arc...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO SCHAEFER 620

O primeiro modelo da Schaefer Yachts acima de 60 pés

Paixão pela
inovação

A Schaefe...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO SCHAEFER 620
com a mais moderna tecnologia garantem o controle
total da navegação. No flybridge, o ...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO ALTAMAR 66

Uma argentina que não veio a turismo

Feita
para durar

A Altamar 66 combina robustez
c...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO ALTAMAR 66
conta com assento, icemaker, ducha de água quente e
água fria e acesso à cabine do marin...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO CRANCHI 66

Cranchi 66, a maior embarcação do estaleiro

Tradição de
cinco gerações
A Cranchi 66 é ...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO CRANCHI 66
estratégico, no piso inferior, com comunicação com
o salão. Vem toda equipada, inclusive...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO SESSA C 68

Casco dourado e visual agressivo

La dolce vita
contemporânea

A C 68 da Sessa Marine t...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO SESSA C 68
camas de solteiro. No centro, encontra-se a suíte
do proprietário, que também ilustra be...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO FERRETTI 700

Linhas simples, agressivas e grandes janelas

Maior e
mais luxuosa
A Ferretti 700 é u...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO FERRETTI 700

sofá em meia-lua com uma vista para o mar. A madeira
utilizada é a teca, o que agrega...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO SEGUE 72

Um barco que permite viagens de grande autonomia

Requinte artesanal
e alta tecnologia
A ...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO SEGUE 72

com tampo de vidro e espaço para oito cadeiras. Mais à
frente, a cozinha com todos os rec...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO INTERMARINE 75

Projetada pelo renomado yacht designer brasileiro Luiz de Basto

Gigante
nacional
I...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO INTERMARINE 75
vidro que permite iluminação natural. Uma porta na
lateral do salão dá acesso ao pas...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO MONTE CARLO 76

A primeira preocupação do projeto foi a questão da funcionalidade

clássico
e funci...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO MONTE CARLO 76

nos grandes navios de luxo. No deque principal, os
ambientes são discretamente inte...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO AZIMUT 78

Linhas sinuosas tornam o barco extremamente bonito

Estilo, interior
e conceito
A Azimut...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO AZIMUT 78

pessoas e um bar multifuncional. A partir da entrada,
através de uma porta de vidro, o s...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO PRINCESS 78

Design e tecnologia de ponta

Beleza impressionante,
perfil elegante
A Princess 78 reú...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO PRINCESS 78

e dispõe de uma divisória automática que pode ser
aberta ou fechada para maior privaci...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO ASTONDOA 80 GLX

Equilíbrio entre o trabalho artesanal e a tecnologia de ponta

Alto luxo e
fino ac...
CAPA VIDA EM ALTO LUXO ASTONDOA 80 GLX

A embarcação segue todo o padrão da
Germansicher Lloyd, e as áreas mais críticas d...
PERFIL

114  PERFILNÁUTICO
114  PERFILNÁUTICO

Nesta edição a Perfil Náutico destaca o perfil
de quatro embarcações e do e...
PERFIL

OCEANIS 45
www.beneteau.com.br

Tradição
francesa
Beleza e sofisticada elegância a toda prova
Por Amanda Kasecker
...
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Revista Perfil Náutico ed 33
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Revista Perfil Náutico ed 33

2,568 views

Published on

Edição 33 Revista Perfil Náutico

Published in: Marketing
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Revista Perfil Náutico ed 33

  1. 1. MUNDO NÁUTICO: METEOROLOGIA E AS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS PARA TRAVESSIAS R$ 14,00 · Ano 07 · nº 33 · 2012 · www.perfilnautico.com.br 12 Grandes IATEs VIDA EM ALTO LUXO OS PRAZERES DE NAVEGAR COM ESTILO E COM O MÁXIMO DE CONFORTO LONDRES 2012 PERFIL ESTALEIRO SCHAEFER YACHTS, EXEMPLO NACIONAL DE QUALIDADE Olimpíadas, história e tradição náutica E MAIS! NA SEÇÃO PERFIL, 4 EMBARCAÇÕES BENETEAU OCEANIS 45 CORAL 28 KEY LARGO 27 E 28 SINGULAR 280
  2. 2. Nova Intermarine 65. Beleza e conforto com 4 cabines. Dealers Oficiais sP Marine - www.spmarine.com.br angra dos reis, rJ: (24) 3361.2527 - Balneário camboriú, sc: (47) 3361.6139 curitiba, Pr: (41) 3233.3636 - Guarujá, sP: (13) 3305.1500 / 3305.1594 são Paulo, sP: (11) 3581.4646 - caraguatatuba, sP: (12) 3887.1786 salvador, Ba: (71) 3321.8653 interyachts - www.interyachts.com.br angra dos reis, rJ: (24) 3377.4785 - curitiba, Pr: (41) 9973.5462 florianópolis, sc: (48) 4141.2151 - Guarujá, sP: (13) 3354.5861 são Paulo, sP: (11) 3071.2252 - rio de Janeiro, rJ: (21) 3282.5225 Nova LiNha iNtermariNe www.intermarine.com.br
  3. 3. O tamanho dos barcos que navegam no Brasil está cada vez maior, isso requer mais investimentos à beira-mar O mercado de iates de luxo no Brasil ainda é um território pouco explorado. Com a aproximação da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, essa realidade pode tomar novos ares. A realização de dois dos maiores eventos do planeta e uma economia que respira em um universo de crise mundial criam a expectativa de que veremos melhorias na infraestrutura navegável, novas marinas e outros desenvolvimentos à beira-mar. O Brasil tem a chance de cativar o mundo, especialmente o de uma classe social que tem dinheiro para gastar. Se no segmento de construção de iates já vemos despontar talentos, a estrutura para receber turistas em barcos de todos os tamanhos, com recursos navegáveis de segurança e conforto, ainda precisa melhorar muito. Não são poucos os brasileiros proprietários ou com cacife para comprar um grande iate de luxo. Muitos deles, no entanto, preferem manter suas embarcações longe da costa brasileira, por discrição ou por praticidade. Mas é visível que os barcos que navegam por aqui estão crescendo e muitas novidades estão à disposição de privilegiados afortunados. Nesta edição da Perfil Náutico selecionamos 12 iates de luxo entre 60 e 80 pés para você conhecer e, se for o caso, agendar um test drive e passar o próximo verão no barco dos sonhos. Na reportagem de capa, você fica sabendo de tudo sobre o que um verdadeiro iate de luxo deve ter. Na seção Perfil destacamos quatro embarcações: o veleiro da Beneteau Oceanis 45; a Singular 280, barco de estreia da Singular Boats; a Key Largo 27 e a 28 da Sessa Marine e a Coral 28, cabinada e de proa aberta. Nossa reportagem especial é sobre Londres, onde fomos conhecer os preparativos para esportes náuticos da Olimpíada e descobrimos que a tradição náutica inglesa revela interessantes segredos históricos. Nosso mergulho dessa vez foi em Cuba, uma ilha fascinante e cheia de mistério. S Revisão João Batista Ribeiro Marcelo Buda 12  PERFILNÁUTICO É TEMPO DE VIVER Colaboram nesta Edição Angelo Sfair, Antonio Alonso Junior, Amanda Kasecker, Guilherme Aquino, Jorge Nasseh, Kadu Pinheiro, Luiz Alfredo Malucelli, Ricardo Amatucci, Thaís Zago Edição de Arte e Projeto Gráfico Eduardo Zuchowski Impressão e Acabamento Gráfica Capital Distribuição Exclusiva FC Comercial Distribuidora Ltda. Central de Publicidade Comercial (41) 3331-8300 comercial@perfilnautico.com.br José “Juca” Kolling (41) 8446-5341 jose.juca@grupocanal.com.br Rua Jorge Cury Brahim, 712, Pilarzinho, 82.110-040, Curitiba – PR. Fone (41) 3331-8300 Fax (41) 3331-8305 Revista Perfil Náutico Rádio Mix Curitiba - 91,3 MHz 91 Rock Web www.91rock.com.br Artigos assinados não representam necessariamente a opinião da revista. As imagens sem créditos foram fornecidas para divulgação. Revista Perfil Náutico, ano 7, n° 33, é uma publicação da Editora Canal/mid, divisão de mídia do Grupo CANAL/com.Todos os direitos reservados. Fale com a gente Redação redacao@perfilnautico.com.br Boa leitura e bons ventos C44 Depto. de Jornalismo Editor e jornalista responsável Marcelo Fabiani (Buda) — DRT-PR/ 6633 marcelo.buda@grupocanal.com.br Canal Técnico Envie sua pergunta para canaltecnico@perfilnautico.com.br Assinatura assinatura@perfilnautico.com.br Perfil Náutico na Internet www.perfilnautico.com.br SESSA MARINE BRASIL - São José SC - brasil@sessamarine.com CBORGES BOATS: MANAUS – www.cborges.com.br – sessamanaus@hotmail.com – (92) 8112 6029 REGATTA YACHTS: BAHIA · MINAS GERAIS · SÃO PAULO · RIO DE JANEIRO – www.regattayachts.com.br – sessa@regattayachts.com.br – (11) 5538 3434 SC YACHTS: PARANÁ · SANTA CATARINA · RIO GRANDE DO SUL – www.scmarine.com.br – scmarine@scmarine.com.br – (48) 3222 0052 VILLA NÁUTICA: BRASÍLIA · GOIÁS - www.villanautica.com.br - atendimento@villanautica.com.br - (61) 3223 0201 (62) 3225 8576 PERFILNÁUTICO  Linha Yacht C68 - C54 - F54 - C48 - F45 - C44 | Linha Cruiser C40 - C36 | Linha Key Largo KL36 - KL30 - KL28 Sole - KL27 13  crédits photo : Arnaud Childeric – Kalice, création graphique : Grandes iates em águas brasileiras Conselho Diretor Aldo Alfredo Malucelli aldo@grupocanal.com.br Carlos Alberto Gomes carlos@grupocanal.com.br José “Juca” Kolling jose.juca@grupocanal.com.br Luiz Alfredo Malucelli luiz@grupocanal.com.br WWW.SESSAMARINE.COM.BR Editorial
  4. 4. Índice Índice Canal 16 18 158 160 164 176 184 188 190 192 194 Leitor News Construtor Náutico Decor Estilo Esporte Planeta Água Gourmet Cultura Click Especial 24 40 Londres 2012 Já começou a contagem regressiva para a Olimpíada de Londres. Os locais de todas as competições já estão definidos. Aqui você fica sabendo como estão os preparativos para os esportes na água, numa região de muita história e tradição náutica Canoagem, remo e vela O Brasil estará muito bem representado em Londres nos esportes náuticos. Confira o perfil dos atletas que já garantiram presença nos Jogos Nesta Edição 154 Mundo Náutico Meteorologia: clima, vento e ondas merecem atenção especial de quem vai navegar 168 Mergulho em Cuba Um giro por terra, descobrindo picos fantásticos 178 Volvo Ocean Race Regata de volta ao mundo passa pelo Brasil e deixa legado em Itajaí (SC) 14  PERFILNÁUTICO 48 Capa Vida em alto luxo Grandes iates, verdadeiras casas sobre águas, ganham novos consumidores em potencial no Brasil. Selecionamos 12 embarcações, de 60 a 80 pés Perfil 116 Oceanis 45 Veleiro da Beneteau tem linhas leves e clássicas e acabamento impecável 124 Singular 280 Um barco para a família, com cabine de proa para até quatro pessoas no pernoite 130 Key Largo 27 e 28 Lançamento simultâneo no Brasil e na Europa, com versão exclusiva para os brasileiros 138 Coral 28 Com proa aberta, cabine e banheiro, agradável em passeios e pernoites 144 Estaleiro Schaefer Às vésperas de completar 20 anos, Schaefer Yachts é sinônimo de luxo e sofisticação PERFILNÁUTICO  15 
  5. 5. Fabiola Bonatto | 38o | 4oo | 421 | 45o | 5oo | 56o | 62o | Cést La Vie! Linha Lagoon 2012 Lagoon: O número 1 no mundo em catamarãs, oferece 7 modelos com interior minuciosamente projetado pela Nauta Yachts Design (Itália). Projeto de casco por Van Peteghem e Lauriot Prévost. Conforto, performance e muita qualidade de vida no mar você encontra na Linha Lagoon no Brasil e em mais de 70 distribuidores ao redor do mundo. Canal do Leitor Especial Que viagem fantástica por Galápagos! Esta matéria uniu duas paixões de nossa família: a natureza e o stand up paddle. Esperamos algum dia ver de perto as belezas deste Parque Nacional, quem sabe até praticando SUP! Perfil Gosto muito da seleção de barcos das seções “Perfil”. Sempre muito eclética e plural. Na última edição, em especial, achei muito interessante o perfil do bote inflável. É incrível como a tecnologia está mudando o setor náutico. Alessandro Majewski Perfil Náutico A revista Perfil Náutico me surpreende com suas imagens. Por ser uma pessoa apaixonada por fotografia, levo em consideração os veículos que priorizam o seu uso. Na última edição, adorei as fotos da matéria da VOR. Parabéns! Suelen Barbosa A Perfil Náutico está mais bonita a cada edição. Particularmente, gostei demais da “nova cara”. Está mais fácil e mais gostosa de ler. E o conteúdo nem se fala, continua excelente! Lagoon 560 Canal Esporte Canal do Leitor Galápagos Fernando Sbais Clássicos Rolex Veleiros Os veleiros são a minha grande paixão e por isso adorei a última edição da revista. Realmente não há como explicar a sensação de estar velejando: é algo que está no DNA. Jorge Colatuso Volvo Ocean Race -Itajaí O Antonio Carlos Pereira passou no estande da Perfil Náutico durante a Volvo Ocean Race, em Itajaí (SC), e nos mandou essa foto tirada na regata dos Clássicos Rolex (disputada em Punta del Este, na Argentina) em janeiro deste ano. Obrigado por compartilhar esse momento conosco, Antonio Carlos! Itajaí e todo o estado de Santa Catarina estão muito orgulhosos por sediar uma etapa da maior regata de volta ao mundo. Adoramos a cobertura e a presença da Perfil Náutico nos momentos que precederam e durante o evento. Cesar Merida Fale Conosco Para falar com a Perfil Náutico, mande e-mail para: redação@perfilnautico.com.br ou canaltecnico@perfilnautico.com.br. As mensagens devem ser enviadas à redação e à equipe técnica com identificação do autor, endereço e telefone. Em virtude do espaço disponível, os textos podem ser resumidos ou editados. A revista reserva-se o direito de publicar ou não as colaborações. 16  PERFILNÁUTICO Distribuidor exclusivo no Brasil Tel.(21) 3154.9999 www.sailingims.com.br PERFILNÁUTICO  17 
  6. 6. Canal News Canal Esporte Canal News Dieter Gust (CEO Beneteau), Carla Demaria (CEO Global Marketing), Marcos Soares (CEO Beneteau Brasil), e Sérgio Cabral (governador do Rio de Janeiro) Beneteau inagura fábrica em Angra O grupo francês Beneteau inaugurou sua primeira fábrica no Brasil, na Marina Verolme, em Angra dos Reis. A escolha do local também se deve ao incentivo à indústria naval do estado do Rio concedido pelo governador Sérgio Cabral. Com planta de 10 mil m², terá capacidade anual de produção de 50 barcos. Toda a tecnologia de ponta utilizada nas fábricas da Beneteau na França será transferida e aplicada na fabricação dos modelos brasileiros. A cerimônia de inauguração contou com a presença de convidados, autoridades e executivos do Grupo Beneteau, que vieram ao Brasil especialmente para a ocasião. Os primeiros modelos a serem produzidos na fábrica brasileira serão a Flyer Gran Turismo 33 e a 38, com customizações específicas desenvolvidas especialmente para atender ao nosso mercado, como por exemplo a plataforma de popa 40% maior. De acordo com Marcos Soares, representante da marca há 17 anos e atual CEO da Beneteau Brasil, em 2013 o estaleiro Beneteau passará a produzir um terceiro modelo e dará início à construção de uma segunda fábrica nos moldes franceses, com 50 mil m² de área e capacidade 10 vezes maior. Com isso, o custo de produção para exportação no Brasil ficará tão ou mais competitivo que o europeu. j Kalmar 30 anos O Estaleiro Kalmar, com sede em Itajaí, Santa Catarina, completa 30 anos de história no mercado de marcenaria naval em 2012. Fundado por Erik e Lars Kreuger, em 14 de outubro de 1982, o estaleiro sempre teve a madeira como sua principal matéria-prima. À época, a empresa foi criada com a intenção de criar, construir, reformar e restaurar embarcações. O nome refere-se a um condado sueco e homenageia as origens da família. Atualmente, quem está no comando do Estaleiro Kalmar é Lorena Kreuger (foto), filha de Lars. www.kalmar.com.br 18  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  19 
  7. 7. Raimundo Nascimento, o recordista Recorde em solitário Jorge Nasseh, palestras técnicas sobre náutica No dia 14 de abril, durante o Rio Boat Show, Jorge Nasseh (engenheirochefe da Barracuda e vice-presidente da Acobar) reuniu duas outras referências da área para montar uma rodada de palestras técnicas sobre náutica. Esta foi apenas a primeira apresentação do Ciclo de Palestras “Tudo Sobre Barcos”. O evento, que aborda temas variados como as normas da ABNT na construção náutica ou a escolha de um motor ideal, será apresentado mais vezes durante o ano. As palestras fazem parte do calendário de Curso e Captação da Acobar. Para mais informações: marketing@barracudacomposite.com.br Terceiro Cruzeiro Hidrovia Tietê-Paraná A realização da terceira edição do Cruzeiro pela Hidrovia Tietê-Paraná foi anunciada, no dia 29 de março, pelo vice-presidente da ABVC, Paulo Fax. A novidade deste ano é a divisão em duas etapas. A primeira, com início em 7 de julho, tem como ponto de partida o Clube de Campo Água Nova, em São Manoel. A previsão de chegada é 26 de julho. A largada para a segunda perna deve acontecer no dia 28, partindo de Pereira Barreto com destino a Três Lagoas. O cruzeiro é aberto a todos em embarcações a vela e a motor entre 16 e 32 pés. Inscrições e mais detalhes no e-mail: abvcinterior@terra.com.br 20  PERFILNÁUTICO Canal News Canal News Canal Esporte Ciclo de Palestras Tudo Sobre Barcos Campeã do 1º Rally Náutico Rio Boat Show - Categoria Principal Graduados. O velejador Raimundo Nascimento, de 62 anos, completou a circumnavegação em solitário em tempo recorde e tornou-se o homem mais velho a conseguir esta façanha. A jornada durou 10 meses e cinco dias, sendo a média deste tipo de viagem de dois anos. A façanha foi realizada no veleiro Caroll e teve seu desfecho no dia 28 de fevereiro, no Iate Clube do Rio de Janeiro. O maior susto da viagem se deu no Oceano Índico, nas proximidades da Indonésia, quando o veleiro foi abordado por piratas encapuzados. Neste episódio, o experiente lobo do mar discretamente ligou os motores e conseguiu escapar ileso. Mudanças na Arrais A partir de julho, as mudanças para conseguir a Arrais começam a valer. As principais alterações são a exigência de provas práticas para conseguir a Carteira de Habilitação Amador (CHA) e a criação da carteira de Motonauta, para poder pilotar jet ski. As novas regras foram criadas para suprir uma grande falha do sistema, já que era possível conseguir uma carteira de habilitação amadora sem ao menos ter entrado em uma embarcação. Você pode conferir as especificações para cada tipo de carteira em: www.dpc.mar.mil.br/portarias/ PORT2011/port263_11.pdf j VIVA NOVAS SENSAÇÕES EM ALTO MAR. Saiba mais informações sobre a versatilidade, qualidade, conforto e segurança dos barcos TRITON. Revendas autorizadas em todo o Brasil. www.tritonboats.com.br PERFILNÁUTICO  21 
  8. 8. Encravada nas belas montanhas da Serra da Mantiqueira, a cidade mineira de Gonçalves é uma ótima dica de viagem nesta época do ano. A região é ideal para quem gosta de curtir o gostoso clima de montanha. A cidade tem arrancado elogios de quem a escolhe para desfrutar da tranquilidade junto à natureza. Artesãos e chefs renomados também escolheram Gonçalves como fonte de inspiração para seus dotes. A cidade oferece pousadas charmosas, ótimos restaurantes e lojas de artesanato. Caminhada, cavalgada, off-road e rapel são alguns dos bons programas para os turistas que visitam Gonçalves. Para saber mais entre em contato com a Família Muller: www.familiamuller.com.br Cume da Pedra Bonita em Gonçalves Canal News Turismo no iPhone O Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) inovou ao desenvolver uma forma inédita de promover o turismo. O Instituto criou uma ferramenta para visualizar no aparelho iPhone os principais atrativos turísticos do Brasil. A ação tem foco na Copa do Mundo de 2014 e contempla as atrações turísticas das cidades-sede. O aplicativo proporciona ao turista uma visão do país em 360°, permitindo uma interação com as imagens, a escolha do direcionamento da câmera e imagens panorâmicas. Os vídeos em 360° podem ser acessados no www.braziltour.com/360. S Navegar é puro prazer. LANÇAMENTO : NC11 540 dias pelo mundo Já imaginou uma nova forma de aproveitar o prazer de estar no mar ? Desfrute de cada momento de liberdade. Viva sensações mais fortes e mais intensas. Compartilhe emoções. Navegue Jeanneau ! The Route Maker é um ambicioso projeto idealizado pelo turismólogo Felipe Gamba – em parceria com a publicitária Ana Moreno – que prevê uma viagem com ampla programação. No roteiro, quase 50 países visitados em uma viagem de 540 dias de duração. A ideia de Gamba é aliar sua paixão por viagens e a cultura e a história de outros povos, identificando questões sociais e ambientais. Até agora o projeto já visitou mais de 20 países, e você pode conferir o acervo de fotos em: www.theroutemaker.com. A odisseia deve terminar em outubro próximo. 22  PERFILNÁUTICO - © Roldan - Jeanneau Canal News Canal Esporte Viajando com a Família Muller NOVIDADE : NC9 - NC11 www.jeanneau.com MD-BALLY MARDIESEL Iate Clube do Rio de Janeiro Tel. +55 (21) 2543 1131 jorgebally@md-bally.com.br www.md-bally.com.br LE’MON GROUP DO BRASIL Iate Clube de Santos Tel. +55 (11) 7308 7549 brasil@le-mon-group.com www.le-mon-group.com PERFILNÁUTICO  23 
  9. 9. ESPECIAL LONDRES 2012 Olimpíadas, história e tradição náutica A realização dos Jogos Olímpicos de 2012 revelam memórias escondidas de Londres e o capricho nas obras de infraestrutura para as disputas dos esportes náuticos Por Guilherme Aquino 24  PERFILNÁUTICO Weymouth, no condado de Dorset, local de disputa dos barcos a vela A descoberta de um antigo barco do começo do século 19 durante as escavações do Parque Olímpico de Londres estende uma vela de piedade sobre os demais esportes da Olimpíada. Antes da chegada das ferrovias e das rodovias, os leitos dos rios eram usados como estradas fluviais pelos homens para o deslocamento de pessoas e mercadorias. Ao longo do tempo, o curso do Rio Lea, ou Lee, na região nordeste de Londres, foi alterado para abrir caminho ao progresso. Em suas águas abrigadas, próximas ao estuário do grande Tâmisa, parte do rio virou terra firme, com pedaços valiosos do seu curso histórico soterrados para sempre. Mais de cem anos depois, a carcaça quase inteira do barco, com 5 metros de comprimento e 110 centímetros de largura, deixaria a lama do velho canal Pudding Mills e emergiria para “testemunhar” uma época. Um exame acurado demonstraria que a embarcação fora concebida para o transporte a remo entre um navio maior e o trapiche mais perto e, mais j PERFILNÁUTICO  25 
  10. 10. LONDRES 2012 tarde, teria sido adaptada para a navegação a vela. Nada mais premonitório do que o pontapé inicial dos trabalhos de infraestrutura da Olimpíada ter sido dado por ou em um barco – a remo e a vela – “naufragado” no tempo e no espaço, submerso no lodo da história. Jogos náuticos O pontapé inicial dos trabalhos de infraestrutura da Olimpíada foi por um ou em um barco – a remo e a vela estudaram os filhos do príncipe Charles. Em 1960, devido aos problemas dos treinos no “congestionado” Rio Tâmisa, agravados com as fortes correntes e as grandes variações de larguras, eles decidiram investir no quintal de casa. O sonho tornou-se realidade apenas em 2006, a tempo para hospedar o Campeonato Mundial de Remo. O batismo de fogo deu credibilidade para o local se tornar um dos palcos dos Jogos Olímpicos de Londres. j AMBRA CRAIGHERO A área de localização do velho barco fica nas imediações do canteiro de obras do estádio olímpico. Dos lugares previstos para os esportes náuticos, uma das regiões mais próximas ao achado arqueológico é a de Eton Dorney, nas vizinhanças do Castelo de Windsor, 25 milhas a leste de Londres. As competições de remo e canoagem de velocidade vão acontecer no lago de Dorney, dentro de um parque ambiental com 400 acres de área. A disputa olímpica coroa o sonho dos instrutores de remo do Eton College, uma das mais prestigiosas universidades privadas do Reino Unido e onde AMBRA CRAIGHERO ESPECIAL Dorset respira maresia e vela desde os tempos mais remotos 26  PERFILNÁUTICO Pequeno porto em Swanage, vizinha a Weymouth (foto menor) e centro histórico de Plymount PERFILNÁUTICO  27 
  11. 11. ESPECIAL LONDRES 2012 atletas (353 homens e 197 mulheres), divididos em 14 modalidades, entre os dias 28 de julho e 4 de agosto. Na canoagem veloz, que estreia a prova de 200 metros nesta Olimpíada, estão atletas do calibre de Tim Brabants, Andrew Daniels e Rachel Cawthorn, na ponta dos 248 canoístas que disputarão 12 provas. Já entre os nomes de ponta do remo estão os ingleses Zac Purchase, medalha de ouro em Pequim, Stephen Rowbotham, que na Olimpíada de 2008 levou a medalha de bronze, junto com Matt Wells, além de Fran Houghton e a escocesa Katherine Grainger. O remo vitorioso no Reino Unido é uma questão de honra. A Inglaterra é o único país a ter vencido medalhas de ouro em todas as olimpíadas desde 1984. O herói nacional olímpico é sir Steve Redgrave, com cinco medalhas de ouro em cinco Jogos consecutivos (entre Los Angeles e Sidney), mas que desta vez vai assistir a tudo do alto de um camarote sobre o lago de Dorney. O uso de fertilizantes nos campos das redondezas foi limitado para aumentar a qualidade da água Corredeiras perfeitas Não muito distante dali, a 30 quilômetros ao norte do Parque Olímpico, em Broxbourne, Hertfordshire, as escavadeiras, os guindastes, os caminhões e os operários tiveram muito mais trabalho. Praticamente a partir do zero, desde junho de 2009, começou a ganhar forma o White Water Canoe Centre para as competições de canoagem slalom. O fim das obras foi em dezembro j Em Broxbourne, a 30 quilômetros do Parque Olímpico, acontecem a disputas de canoagem slalom Canoas, caiaques e barcos a remo E para fazer as honras da casa, num esporte que celebra uma das maiores rivalidades históricas do mundo – aquela entre os remadores de Oxford e os de Cambridge, nascida em 1829 –, os organizadores não deixaram escapar nenhum detalhe. O uso de fertilizantes nos campos das redondezas foi limitado para aumentar a qualidade da água. O lago principal tem 2.200 metros de extensão, 200 mais do que o mínimo exigido pela Fédération des Sociétés d’Aviron (FISA), a autoridade mundial do remo. Ele tem 8 raias, com 13,5 metros de largura cada uma e a parte mais rasa mede 3,5 metros de profundidade, suficiente para o descolamento das lanchas de apoio. As obras de incremento das estruturas já existentes – duas pontes, 28  PERFILNÁUTICO uma no começo e outra a 600 metros – começaram em outubro de 2009 e contaram com a construção de uma ponte que liga a zona de competição, na linha final, com a área de aquecimento, e de outra para permitir aos atletas chegarem ao ponto de partida das provas de canoagem de velocidade e remo da Paraolimpíada, na altura da marca dos 1.400 metros. Tudo ficou pronto em abril de 2010 e está à disposição para 20 mil espectadores, além de outros dez mil espalhados pelas margens. Eles irão assistir às competições de 550 O White Water Canoe Centre começou a ser construído em junho de 2009 PERFILNÁUTICO  29 
  12. 12. ESPECIAL LONDRES 2012 de 2010 e a estrutura foi a única aberta do público antes mesmo do começo dos Jogos — que se diverte fazendo “rafting” —, tornando-se herança comum antes mesmo da abertura do inventário com o fim da Olimpíada. As corredeiras custaram 31 milhões de libras esterlinas. Elas não deixam nada a desejar aos rios que se formam com o degelo nas montanhas dos Alpes na Europa ou àqueles nas Montanhas Rochosas, dos Estados Unidos. Dois cursos de água foram realizados: um de competição, com 300 metros de extensão e um desnível de ponta a ponta de 5,5 metros, e outro menor para aquecimento, com 160 metros. Dez mil metros quadrados de lago artificial inundados graças aos lençóis subterrâneos que alimentam as quatro bombas com quatro toneladas cada uma e vazão de 15 metros cúbicos de água por segundo. É como encher uma piscina de 25 metros a cada 30 segundos. A transparência das águas e a espuma branca provocada pelos obstáculos reproduzem o mundo selvagem dentro da segurança de um gigantesco tanque sinuoso, repleto de pedras falsas de concreto. Todo o espaço ocupa uma área de 10 hectares, o equivalente a 25 campos de futebol. Foram importados 240 toneladas de material para criar, do nada, paisagens, rede de As corredeiras custaram 31 milhões de libras esterlinas. Elas não deixam nada a desejar ao rios que se formam com o degelo dos Alpes na Europa trilhas e passagens para o público, além de instalações para vestiários, restaurantes, cafeterias e escritórios. Tudo vai ser usado pelos futuros 70 mil visitantes anuais que deverão caçar as emoções onde os 82 atletas olímpicos amargarão derrotas e celebrarão sucessos, em apenas quatro dias de competição, diante de 12 mil espectadores diários. Ali, eles podem ficar de olho em alguns atletas de ponta como o eslovaco Michal Martikan, seu arquirrival, o francês Tony Estanguet, além do escocês David Florence e da britânica Lizzie Neave. Eles são capazes de domar canoas e caiaques em condições extremas e costumam levar para casa as medalhas em jogo. Portland Sailing Academy em Weymouth, cenário das competições de vela e o velejador inglês Ben Ainslie Vela Canoagem e remos são esportes muito praticados na Inglaterra 30  PERFILNÁUTICO Mas a menina dos olhos de águas salgadas dos Jogos de Londres fica a 180 quilômetros ao sul da capital britânica. O local da disputa dos barcos a vela é em Weymouth Bay em Portland Harbour, no município de Dorset, na região de Wessex. A praia como arquibancada natural e dois telões gigantes para exibir os detalhes das disputas vão garantir um belo espetáculo, num dos melhores lugares do planeta para o mundo da vela, com pouca amplitude das marés, ventos constantes e águas abrigadas. Ali, 380 atletas irão disputar 10 modalidades (29 de julho a 11 de agosto), enquanto que na Paraolimpíada vão ser 80 competidores em três eventos (entre dias 1º e 6 de setembro). O coração das disputas é a Weymouth and Portland National Sailing Academy (WPNSA). A primeira vila olímpica dos Jogos de Londres a ficar pronta foi a de Osprey Quai, com capacidade para cerca de 400 velejadores. Assim como as instalações de infraestrutura, ela foi aberta em novembro de 2008. De lá para cá, o cenário da famosa Jurassic Cost foi palco de inúmeras competições nacionais e internacionais. Dorset “respira” maresia e vela desde os tempos mais remotos. Mas ficou meio à deriva quando, em 1999, a frota da Real Marinha Britânica levantou as âncoras do histórico porto de Portland. Depois de 150 anos de atividades, principalmente durante as duas Grandes Guerras, a base naval fechou e quase fez naufragar a j PERFILNÁUTICO  31 
  13. 13. ESPECIAL LONDRES 2012 gestão do tráfico foi implantado, eliminando as rotundas e instalando uma complexa rede de sinais “inteligentes” de trânsito. Resumo da ópera: tudo pronto para receber cerca até 60 mil pessoas por dia, entre as datas de 29 de julho e 11 de agosto. As regatas vão ocorrer sempre entre meio-dia e seis da tarde, hora local. Tradição e medalhas AMBRA CRAIGHERO A Inglaterra é a nação com mais medalhas na vela em olimpíadas desde os Jogos de Sidney, na Austrália. E é o tricampeão olímpico, o velejador Ben Ainslie, velho conhecido de Robert Scheidt, nos tempos de Laser — o brasileiro venceu em Atlanta e a revanche chegou em Sidney —, quem lidera o grupo que vai navegar em casa. Ele vai defender o título da classe Finn, conquistado em Atenas e confirmado em Pequim. Enquanto o conterrâneo Paul Goodison deve travar uma batalha com o australiano Tom Slingsby na classe Laser, as espanholas Tara Pacheco e Berta Betanzos são as favoritas para a classe feminina 470, a experiente italiana Alessandra Sensini ruma no windsurf, junto com a inglesa Blanca Manchon, e a holandesa Marit Bouwmeester e a belga Evin van Acker, ambas aguerridas adversárias, concorrem no Laser Radial. O norueguês Einvind Mellby, da classe Star, deve dar trabalho a Robert Scheidt e Bruno Prada. No barco 470, os americanos Mathew Belcher e Malcolm Page são os velejadores de ponta, assim como o polonês Piotr Myzska é na RS:X masculina. No ranking mundial da classe 49er aparece a dupla de australianos Nico Delle-Karht e Nikolaus Resch. j Velejador em Plymouth, sul da Inglaterra, imagem comum na região A Inglaterra é a nação com mais medalhas na vela em olimpíadas desde os Jogos de Sidney economia local. O mesmo ocorreu com a base aérea naval e a zona de manutenção de helicópteros. A crise virou oportunidade A base naval foi comprada pela Portland Harbour Authority Limited e transformada num porto comercial, usado por cruzeiros e iates. No lugar dos helicópteros de guerra surgiu a academia de vela e uma marina adjacente, Osprey Quai, que deu origem ao atual parque náutico olímpico. Os 32  PERFILNÁUTICO velhos estabelecimentos de armas submarinas viraram um hotel de 10 milhões de libras. E, para completar, as antigas instalações de manutenção dos helicópteros foram retomadas para as atividades do estaleiro Sunseeker, fabricante de iates. Este ícone da construção naval britânica jogou o “ferro” do seu quartel general em Poole Harbour, em Dorset. Os investimentos também contemplaram os acessos rodoviários a Dorset. Uma nova estrada foi construída ao custo de 90 milhões de libras. Um moderno sistema de West Bay, ponto turístico inglês com boa infraestrutura para quem chega de barco PERFILNÁUTICO  33 
  14. 14. ESPECIAL LONDRES 2012 Nos intervalos das competições o problema é saber o que fazer pelo excesso de programas e atrações em todo o Reino Unido Tropa de apoio Na água, o comitê organizador vai usar 85 botes rígidos e infláveis como barcos de apoio e com motores Suzuki. Deste total, 64 foram comprados da Ribcraft Ltd., baseada em Yeovil, Somerset, o resto foi adquirido de segunda mão da estrutura administrativa da America’s Cup. E da Ilha de Wight, em Cowes, ali perto, chegará um catamarã South, de 11 metros, construído pelo estaleiro South Boats Special Projects Ltd. Ele vai ser usado como uma das cinco embarcações dos Comitês de Regatas e depois será doado para a Royal Yatch Association. A frota oficial completa tem 150 barcos, sendo 30 fornecidos pelo Royal Yacht Association depois de “arrecadá-los”, através de um concurso, nos clubes de vela espalhados pelo país, além de 19 “charters” com lanchas matriculadas em Weymouth e Portland. Cada proprietário vai ter direito a 23 dias de aluguel. Com a Suzuki, baseada em território britânico, em Milton j AMBRA CRAIGHERO AMBRA CRAIGHERO Além das medalhas, a turma da vela está de olho nos milionários e prestigiosos “convites” para a America’s Cup. Por exemplo, o espanhol Xabier Fernández Gaztañaga, medalhista de ouro em Pequim na classe 49er, e vencedor do título de melhor velejador de 2011 da ISAF, está navegando na Volvo Ocean Race e poderá fazer parte da equipe italiana Luna Rossa. E o australiano Tom Slingsby, líder mundial de Laser e já engajado como tático de Oracle desde o ano passado, não vê a hora de subir no catamarã AC 72 com a medalha de ouro no peito. A colorida cidadezinha de pescadores de Swanage e Cambridge, na altura do prestigioso King’s College 34  PERFILNÁUTICO Durdle Door é uma arco formado nas pedras perto de Lulworth, em Dorset PERFILNÁUTICO  35 
  15. 15. ESPECIAL LONDRES 2012 Pubs e restaurantes com boa comida e boa bebida Hardys Cottage, exemplo de casas históricas inglesas Keynes, Buckinghamshire, o comitê olímpico fechou o fornecimento de até 90 motores para equipar os botes infláveis. Os estaleiros ingleses, membros da British Marine Federation, localizados nas regiões sudeste e sudoeste da Inglaterra, venceram a maioria das licitações públicas dando grande força e sinal de competitividade internacional fora das raias olímpicas. Todos estes barcos vão dar suporte às provas de vela, remo, canoagem, triatlon e natação em águas abertas. Turismo Nos intervalos das competições o problema é saber o que fazer pelo excesso de programas e atrações em todo o Reino Unido, incluindo a cidade de Belfast (uma das sedes do torneio de futebol), na Irlanda, com o grande museu Titanic, recém-inaugurado, em 36  PERFILNÁUTICO homenagem aos cem anos do célebre naufrágio. Mas, em águas mais próximas, alguns roteiros podem ser traçados em Weymouth, Portland, Dorset e Londres vistos do mar, nos dois primeiros casos, e do Rio Tâmisa, com a sua rede de canais, no segundo. O primeiro banho de mar célebre na Inglaterra, naufrágios à parte, foi em Weymouth, em 1789. Ali, o rei Jorge III mergulhou nas ondas abrindo um caminho nas espumas e nas areias. Seus passos continuam sendo seguidos até hoje pelos súditos de Vossa Majestade. O local é um dos balneários mais frequentados pelos ingleses. Esta cidadezinha fica a cerca de duas horas de trem de Londres, ou melhor, a cerca de 60 libras esterlinas de distância. Ela abriga uma densa rede de pubs, restaurantes de frutos do mar e de “cottages” (antigas residências populares com tetos de palha e transformadas em pousadas). Bem ao lado está Portland, ligada a terra firme por uma língua de areia, da praia Chesil. Dela se extrai ainda um calcário usado na construção de prédios importantes como o British Museum. A região de Wessex — palco das regatas olímpicas — vai além de Dorset, Weymouth e Portland. Ali estão a famosa Jurassic Cost — uma área de enorme interesse arqueológico e com uma grande descoberta de fósseis pré-históricos — e, no interior, as enigmáticas pedras Stone Hedge. Na costa sul, Poole e Bournemouth são outras duas agradáveis cidadezinhas quase grudadas uma na outra. Enquanto a vitalidade da primeira gira em torno do porto velho, hoje ocupado, em parte, pelo estaleiro naval de Sunseeker, a segunda tem na sua extensa orla, com cerca de 10 quilômetros, o seu grande cartão-postal. E, um pouco mais ao leste, está o distrito de Christchurch, com uma imensa reserva natural onde fazem escala obrigatória os pássaros migratórios. Do alto das suas colinas se pode avistar j Alguns roteiros podem ser traçados em Weymouth, Portland, Dorset e Londres vistos do mar, nos dois primeiros casos, e do Rio Tâmisa, com sua rede de canais, no segundo PERFILNÁUTICO  37 
  16. 16. ESPECIAL LONDRES 2012 “home sweet home”. Uma embarcação de época pode custar até 300 mil libras esterlinas. Uma nova sai um pouco mais barata, algo em torno dos 100 mil, mais a taxa anual de sete mil para atracar a balsa, no caso de Little Venice. O clima bucólico dado pela decoração das balsas – com plantas apoiadas no teto e no deque e bicicletas regado pelo tempo das marés e não pelo relógio de pulso. São 64 quilômetros de canais fluviais que abraçam, por exemplo, o bairro de Little Venice, perto da estação do mêtro de Warwick Avenue. Ali é o ponto de encontro do Regent’s Canal – que é a porta de entrada para as Docklands e para a marina de Limehouse – e o Grand Union Canal – a estrada fluvial que leva à cidade de Birmingham, 220 km ao norte, e que ao sul conduz a Brentford Lock, em meio a uma natureza selvagem. Ao longo da rede de canais existe uma Londres silenciosa, calma, distante da pressa urbana da city e das frenéticas Trafalgar Square ou Oxford Street. Muitos habitantes escolheram as balsas como casas. A “chata” usada no passado para o transporte de carvão para as velhas usinas termoelétricas hoje é um penduradas nas bordas – e o uso delas lembra que a Inglaterra é uma ilha permeada de rios. Existem balsas para todos os gostos e necessidades: a balsa-livraria, a balsa-cinema (ocasionalmente), a balsa-restaurante, a balsa-pousada. Se duvidar, para o prazer dos amantes do mar, é possível curtir a cidade quase sem colocar os pés em terra firme. j Em Londres uma boa opção é subir num trem e 55 minutos depois descer em Cambridge para fazer um minicruzeiro de duas ou quatro horas AMBRA CRAIGHERO a famosa Ilha de Wight. Uma descida mais ao sul da Inglaterra e se chega a Plymouth, famosa e histórica cidade portuária, ponto de partida do corsário Francis Drake, em 1577. O patrimônio naval do Reino Unido está concentrado nesta cidade, às margens do estuário dos Rios Plym e Tamar. Em Londres, uma boa opção para quem for assistir ao remo e à canoagem é subir num trem e, 55 minutos depois, descer em Cambridge para fazer um minicruzeiro de duas ou quatro horas pelos rios da zona. Ou, para quem quiser ficar na área metropolitana da cidade, basta “embarcar” no chamado “London Ring”, um anel de água que inclui um trecho do Tâmisa e no qual podem ser admiradas antigas mansões de arquitetura vitoriana, apreciar monumentos e um estilo de vida Típico vilarejo de pescadores da costa sul da Inglaterra 38  PERFILNÁUTICO Farol Harbour, em Weymouth PERFILNÁUTICO  39 
  17. 17. LONDRES 2012 Embarcados, brasileiros em busca do ouro Nossas equipes de vela, canoagem e remo vão para as raias olímpicas com reais chances de conquistar medalhas S MATHIAS CAPIZZANO ESPECIAL empre que começa a disputa dos Jogos Olímpicos, grandes esperanças de medalhas para o Brasil estão voltadas para as disputas na água. Motivos para isso não faltam: das medalhas conquistadas pelo país em toda a história, cerca de 20% são da vela. Se considerar apenas as de ouro, o número é ainda mais surpreendente. Das 20 medalhas douradas brasileiras, seis são de velejadores – o que representa 30% do total. Na vela, em Londres, nove atletas representarão o Brasil em sete classes: Star, 470F, Finn, Laser, Laser Radial, RS:X-F e RS:X-M. “A perspectiva é de disputar a Medal Race em quatro classes, com a conquista de uma ou duas medalhas”, diz Cláudio Biekarck, coordenador técnico da Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM). O número de brasileiros na vela ainda pode aumentar. Vagas olímpicas nas classes 49er e 470-M serão definidas em campeonatos mundiais realizados em maio. Ainda na água, o país terá a representação de atletas embarcados em outros dois esportes. Na Canoagem, Erlon de Souza e Ronilson Oliveira disputarão na C2 1000 m de Canoagem Velocidade. Já Ana Sátila Vargas representa o Brasil na K1 de Canoagem Slalom. Ana, que em março completou 16 anos de idade, deve ser uma das mais jovens atletas em Londres. “Passamos por um período de troca de gerações. É uma grande satisfação termos conquistado estas vagas, já que o nosso planejamento está voltado para Rio-2016”, explica Iran Schleder, da coordenação de comunicação da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa). No remo, a experiência falou mais alto. Quatro atletas carimbaram seus passaportes para Londres, entre eles Fabiana Beltrame, que disputará sua terceira olimpíada. Outro atleta experiente é Anderson Nocetti, que vai aos Jogos Olímpicos pela quarta vez. j Por Angelo Sfair 40  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  41 
  18. 18. ESPECIAL LONDRES 2012 Jorge Zarif (Finn) Robert Scheidt e Bruno Prada (Star) Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (470 F) Perfil dos atletas brasileiros Entres os brasileiros que vão entrar na água na Olimpíada de Londres os atletas, da vela são os que mais têm chances de medalhas, mas canoístas e remadores buscam um lugar no pódio VELA A vela durante muito tempo foi chamada de iatismo como esporte olímpico disputado desde 1900. A competição envolve barcos movidos unicamente com a força do vento e habilidade dos atletas. As provas são formadas por uma série de regatas que valem pontos. Vence a competição quem somar o menor número de pontos perdidos ao final da série de regatas. 42  PERFILNÁUTICO Nove atletas brasileiros estão classificados para Londres 2012, em sete categorias diferentes. Robert Scheidt e Bruno Prada competem em dupla na classe Star, assim como Fernanda Oliveira e Ana Barbachan na (470 F). Scheidt e Prada são líderes da classe Star no ranking da Federação Internacional de Vela (ISAF), e as maiores esperanças brasileiras para conquistar um ouro olímpico. Scheidt, com 39 anos, busca a sua quarta medalha olímpica. Seu proeiro, Bruno Prada, Bruno Fontes (Laser) vai a Londres pensando em conquistar seu primeiro ouro olímpico. A dupla, que compete junto há quase dez anos, ficou com a prata em Pequim (2008); na frente deles ficaram os britânicos Iain Percy e Andrew Simpson. As gaúchas Fernanda Oliveira e Ana Barbachan foram as últimas brasileiras a garantirem vaga para Londres. A dupla que representaria o Brasil só foi definida no Troféu Princesa Sofia, disputado em Palma de Maiorca, na Espanha. Essa será a quarta Olimpíada disputada por Fernanda. Em Pequim, então ao lado de Isabel Swan, tornou-se a primeira brasileira a conquistar uma medalha olímpica na vela. Jorge Zarif, na classe Finn, é o mais jovem velejador brasileiro classificado para os Jogos Olímpicos de Londres. Aos 19 anos, Jorginho conquistou no campeonato mundial de Perth, na Austrália, a última das 18 vagas da classe Finn. De olho nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, o jovem atleta quer ganhar experiência e buscar um lugar no top 10. Bruno Fontes é campeão brasileiro da classe Laser e vem colecionando grandes resultados em campeonatos internacionais. O catarinense é o atual quarto colocado da Laser no ranking da ISAF e tem tudo para brigar por uma medalha em Londres. Em 2012, Bruno Fontes já conquistou duas pratas – na Rolex Miami OCR e no Sul-Americano, além da décima colocação no Troféu Princesa Sofia. j NOVE ATLETAS BRASILEIROS DA VELA ESTÃO CLASSIFICADOS PARA LONDRES 2012, EM SETE CATEGORIAS DIFERENTES PERFILNÁUTICO  43 
  19. 19. ESPECIAL LONDRES 2012 seus feitos mais importantes estão um título mundial conquistado em Portugal (2007) e o tricampeonato no Pan-Americano (Santo Domingo – 2003, Rio de Janeiro – 2007 e Guadalajara – 2011). Três atletas brasileiros da canoagem estarão em Londres. Erlon de Souza e Ronilson Oliveira fazem dupla na Canoagem Velocidade C2 M 1000 m e Ana Sátila Vargas compete na Canoagem Slalom K1 F. A canoagem velocidade é praticada em rios ou lagos de águas calmas com 9 raias demarcadas nas distâncias de 1.000, 500 e 200 metros. Iniciam-se com eliminatórias que classificam os barcos semi-finalistas e finalistas. Está presente nos Jogos Olímpicos desde Berlim, 1936. As classes de embarcações são padronizadas pelas regras da Federação Internacional de Canoagem. A canoa para duas pessoas na classe C2 tem o comprimento máximo de 6,50 m e o peso mínimo de 20 kg. Já a canoagem slalom é praticada em percursos de 250 e 300 metros. Os canoístas devem passar por 18 a 25 portas, com o menor número de erros possível e num menor espaço de tempo. Entrou como modalidade olímpica em 1992. Depois de dois anos de parceria nos treinos e competições, Erlon de Souza e Ronilson Oliveira já estão com a vaga assegurada para os Jogos Olímpicos de Londres. A dupla ficou com a prata no C2 1000 m no Pan-Americano de Guadalajara e herdou a vaga olímpica dos cubanos – que venceram a prova, mas já tinham conquistado a vaga. A jovem dupla – Erlon j Kissya Cataldo (Skiff F) Anderson Nocetti (Skiff M) CANOAGEM Adriana Kostiw (Laser Radial) Ricardo Winicki (RS:X M) Com vaga assegurada desde fevereiro, Adriana Kostiw é a representante do Brasil na classe Laser Radial. Atrapalhada por uma forte gripe, a velejadora paulista não teve como medir forças com suas concorrentes diretas no Troféu Princesa Sofia. A atleta de 38 anos faz sua preparação em Ilhabela, litoral norte ROBERT SCHEIDT E BRUNO PRADA SÃO AS MAIORES ESPERANÇAS BRASILEIRAS PARA CONQUISTAR UM OURO OLÍMPICO 44  PERFILNÁUTICO Patrícia Freitas (RS:X F) de São Paulo. Antes da Olimpíada, porém, Adriana ainda irá encarar uma série de competições na Europa, incluindo a Semana Olímpica da França, válida como Etapa da Copa do Mundo de Vela. Segunda atleta mais jovem da Equipe Brasileira, Patrícia Freitas da classe RS:X F, mais conhecida como windsurfe, vem há tempos colecionando resultados expressivos. Com apenas 22 anos, vai para a sua segunda olimpíada. Em Pequim, a carioca levou sua prancha à 18ª colocação. Medalha de ouro no Pan de Guadalajara de 2011, Patrícia disputa o Mundial de RS:X da Espanha, visando um top 10 em Londres. O representante brasileiro da RS:X M é Ricardo Winicki, o Bimba, um dos velejadores mais experientes da equipe brasileira. Bimba iniciou-se no windsurf com 11 anos e agora, aos 31, já coleciona uma porção de títulos internacionais. Dentre Fabiana Beltrame e Luana Bartholo (Double Skiff F | Peso-leve) PERFILNÁUTICO  45 
  20. 20. ESPECIAL LONDRES 2012 com 20 anos e Ronilson com 21 – está em constante evolução e promete fazer bonito em Londres. Dentre suas recentes conquistas, destacam-se a prata no Pan de Guadalajara (2011) e o bronze na Copa do Mundo de Canoagem Velocidade, disputada na Alemanha (2010). Se a juventude da dupla de canoagem velocidade já é inusitada, não há adjetivos para a façanha de Ana Sátila Vargas. Poucos dias antes de completar seu 16º aniversário a jovem canoísta garantiu a vaga depois de vencer o Pan-Americano de Canoagem Slalom, disputado em março. A comemoração aconteceu na sua cidade, Primavera do Leste (MT), com direito a festa e desfile em carro aberto. Apesar da pouca idade, Ana mudou-se para Foz do Iguaçu (PR), onde cumpre uma rotina diária de treinos puxados, que devem intensificar-se ainda mais com a proximidade dos Jogos de Londres. Ana Sátila Vargas (Canoagem Slalom K1 F) Erlon de Souza e Ronilson Oliveira (Canoagem Velocidade C2 M 1000 m) 46  PERFILNÁUTICO REMO O remo é um esporte praticado em barcos estreitos com um, dois, quatro ou oito remadores. Os atletas sentam-se com as costas voltadas para a direção do movimento, usando os remos para mover o barco o mais depressa possível. Os barcos com oito atletas possuem um timoneiro, que conduz o barco e comanda a tripulação. Nos outros barcos, um remador conduz a embarcação controlando uma quilha através de um pedal. O esporte faz parte dos Jogos Olímpicos desde 1896 e a prova feminina foi introduzida em 1976. Atualmente, as mulheres competem em seis das 14 provas que valem medalha. A meta da Confederação Brasileira de Remo (CBR) para Londres não é muito ambiciosa: ter atletas em finais “B”, que garantem presença nas disputas de sétimo a 12º lugar. São 4 remadores brasileiros, em três classes diferentes. A vaga olímpica da dupla Fabiana Beltrame e Luana Bartholo na classe Double Skiff F - Peso-leve, foi conquistada com apenas um mês de treino. Em janeiro, Fabiana ainda estava sem parceira, mas superando a falta de entrosamento a dupla com Luana deu certo na conquista da vaga com um segundo lugar no Pré-Olímpico de Tigres, na Argentina. Será a terceira Olimpíada de Fabiana, que esteve em Atenas (2004) e Pequim (2008). Na Grécia, a remadora de 29 anos tornou-se a primeira remadora brasileira a disputar os Jogos Olímpicos. Fabiana também marcou seu nome na história do esporte em 2011, quando se tornou a primeira campeã mundial do Brasil no remo. Kissya Cataldo da classe Skiff F também carimbou seu passaporte para Londres no PréOlímpico de Tigres. Na ocasião, a atleta conseguiu um quinto lugar na final do Skiff, conquistando a última vaga da competição. Para poder representar o Brasil nos Jogos Olímpicos, Kissya foi persistente. A remadora havia tentado a classificação em 2004 e 2008, e agora busca representar bem o país na sua primeira participação nos Jogos. Veterano em Jogos Olímpicos, Anderson Nocetti da classe Skiff M será o primeiro remador brasileiro a participar de quatro olimpíadas seguidas. O atleta de 38 anos é o mais experiente da equipe brasileira. No seu currículo, Nocetti carrega duas medalhas de prata em Pan-Americanos e três ouros em Sul-Americanos. Em Olimpíadas, seu melhor desempenho foi um 13º em Atenas (2004). S PERFILNÁUTICO  47 
  21. 21. CAPA VIDA EM ALTO LUXO Vida em alto luxo Gilles MARTIN-RAGET O Brasil entrou para ficar no mercado de iates de luxo. Com ou sem crise, os brasileiros estão entre os consumidores mais disputados do mundo por estaleiros estrangeiros e nacionais Por Antonio Alonso Jr. 48   PERFILNÁUTICO 48 PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  PERFILNÁUTICO  49   49
  22. 22. CAPA VIDA EM ALTO LUXO Em primeiro lugar, não existe uma regra para definir o que é um iate de luxo, nem mesmo o tamanho. O maior iate de luxo do mundo atualmente é o Eclipse, do bilionário russo Roman Abramovich, com 558 pés de comprimento e valor estimado em meio bilhão de dólares. Tanto no tamanho, como no preço, o Eclipse poderia ser confundido com um navio. Mas o interior, com seus 15 quartos exclusivos, projetados e decorados para acomodar convidados e parceiros de negócios, revela que o Eclipse é muito mais do que um navio, é um iate de luxo. No Brasil, o tamanho médio dos iates cresceu bastante nos últimos anos, mas são raros os que passam dos 80 pés. Uma das principais explicações está na falta de marinas capazes de receber essas grandes embarcações. É por esse motivo também que raramente vemos por aqui os grandes iates estrangeiros, enquanto é possível encontrar dezenas deles às vezes nas menores ilhas do Caribe. Além do tamanho médio, o Brasil cresceu também muito na qualidade de construção. Antes dos anos 90, luxo já foi sinônimo de velocidade para o mercado j Desde cedo o homem descobriu que, além do mar, os barcos também exercem fascínio sobre os homens Os grandes iates passam a ser mais comuns em águas brasileiras (Sessa C 68) H á milênios, o mar exerce fascínio sobre os homens. Essa paixão levou nossos antepassados a povoar continentes, descobrir novas terras e a ganhar e perder guerras. No meio do caminho, a humanidade construía barcos. Alguns serviam para 50  PERFILNÁUTICO pesca, outros para exploração, comércio e outros ainda serviam apenas para a aventura. Mas desde cedo o homem descobriu que, além do mar, os barcos também exercem fascínio sobre os homens. Nas próximas páginas, você vai conhecer mais de perto o mundo dos iates de luxo do mercado brasileiro. São lanchas de 60 a 80 pés, de fabricantes nacionais e importados, mas que foram construídas para acomodar, receber e – muito importante – impressionar. Além do poder aquisitivo, a mentalidade do brasileiro está mudando (Intermarine 75) PERFILNÁUTICO  51 
  23. 23. CAPA VIDA EM ALTO LUXO Os iates de luxo Offshore Nos anos 80, elas dominavam um mercado de lanchas no qual o luxo das embarcações era medido pelo número de cavalos nos motores. Hoje, estão restritas a alguns apaixonados, como Eike Batista, que chegou a ser campeão norte-americano de velocidade. Trawlers Pouca gente sabe, mas o Brasil tem uma tradição na construção dessas embarcações grandes, de casco deslocante, com autonomia suficiente para cruzar oceanos. A MCP Yachts, no Guarujá, é uma das maiores exportadoras de barcos de recreio do país. É lá também que está sendo feito o maior iate já construído no Brasil, com 145 pés. Com flybridge A ponte de comando superior, ou segundo comando, não é invenção brasileira, mas poderia. Nós fomos responsáveis por mudanças importantes no aproveitamento das áreas externas dos iates de luxo. Nosso fly não é uma opção tímida de comando ao ar livre, é a área social mais importante do barco. Por isso não se surpreenda ao encontrar ali, além do comando, churrasqueira, geladeira, solário, espreguiçadeiras, sofás e – porque não? – uma banheira de hidromassagem. Isso é Brasil. Open As lanchas open, como as da linha Atlantis da Azimut, têm um público fiel. Sem flybridge, elas têm linhas j No caso das embarcações de luxo, a diferença está nos detalhes (Intermarine 75) Acabamento, decoração e conforto são tão importantes quanto um casco bem construído brasileiro. As lanchas offshore, com muito motor e pouco conforto eram vistas como as Ferraris dos mares. Mas, na década de 90, Ferretti e Intermarine começaram a produzir no Brasil lanchas cabinadas de qualidade internacional e com isso dominaram o novo mercado de luxo. Foi em meados dos anos 2000 que o estaleiro catarinense Schaefer Yachts lançou uma 50 pés 100% brasileira e de qualidade supreendente, que marcou sua guinada para o segmento de luxo. Hoje o Brasil é capaz de produzir embarcações até melhores 52  PERFILNÁUTICO que muitas das estrangeiras que chegam por aqui. Mas ainda temos um longo caminho a percorrer. No caso das embarcações de luxo, a diferença realmente está nos detalhes. Para atender um mercado consumidor cada vez mais exigente, nossos melhores estaleiros já aprenderam que acabamento, decoração e conforto são tão importantes quanto um casco bem construído. Melhor do que isso, a paixão do brasileiro pelo mar e pelo sol já é incorporada pelos projetistas que querem fazer sucesso por aqui. O público brasileiro adora o flybridge, o andar de cima do barco (Azimut 78) PERFILNÁUTICO  53 
  24. 24. CAPA VIDA EM ALTO LUXO externas mais esportivas e uma elegância própria. Hoje, com os modelos com teto solar e portas de vidro delizantes na entrada pela popa, o estilo open abrange uma variedade de versões. Na prática, ficou mais difícil dizer se a mesa de jantar está no conforto do cockpit ou na comodidade do ar livre. Na dúvida, as open ficam com as duas coisas. Quanto maior, melhor Apesar das dificuldades de infraestrutura, o Brasil também tem seus megaiates. Eike Batista, Roberto Carlos e Nelson Piquet são exemplos famosos. Eike tem uma Pershing 115, o rei tem um Falcon 115 e Nelson Cada embarcação de luxo é única e chega a ser impossível enquadrar todas em uma mesma categoria Piquet tem um motor-sail de 211 pés, totalmente personalizado ao gosto do cliente. Nesse universo, cada embarcação é única e chega a ser impossível enquadrar todas em uma mesma categoria. Nada mais justo. Afinal, quem tem um megaiate procura exatamente fugir das categorias. Hoje é possível encontrar iates de luxo que navegam com velocidade (Prestige 60 S) Por dentro dos iates de luxo P erfil Náutico traz nesta edição uma verdadeira seleção de iates de luxo disponíveis no mercado brasileiro. Para você saber melhor como avaliar as características de cada um, nós separamos um roteiro do que todo iate de luxo deve ter. Casco deslocante X casco planante Barcos de grande porte permitem a personalização pelo proprietário (Princess 78) 54  PERFILNÁUTICO Os trawlers, e muitos dos maiores iates, possuem casco deslocante. Estas embarcações normalmente possuem uma autonomia muito maior e uma velocidade menor do que lanchas de casco planante. Diz-se que uma lancha atingiu o planeio quando ela levanta a proa da água e navega apoiada sobre a parte final do casco. Quem prefere uma navegação mais esportiva, vai sempre escolher um casco planante. Agora, para o proprietário que escolhe por conforto sem limitações, com heliponto, piscina e piso de mármore, a opção obrigatória é o casco deslocante, muito mais adequado a grandes tonelagens. Luxo X velocidade Hoje em dia, este já é quase um falso dilema. Quase. Os materiais e as técnicas de construção dos cascos evoluíram muito e podem ser feitos barcos resistentes, modernos e mais leves. Ou seja, é possível encontrar iates de luxo que navegam confortavelmente j PERFILNÁUTICO  55 
  25. 25. CAPA VIDA EM ALTO LUXO os principais estaleiros brasileiros já têm padrão internacional de construção. E vários dos grandes fabricantes internacionais estão instalando suas fábricas por aqui. Não importa qual seja sua escolha, pesquise onde você poderá encontrar apoio e assistência no caso de avarias ou falha na embarcação. Materiais, decoração e iluminação Foi-se o tempo em que barco só tinha couro, borracha e fibra de vidro. Os grandes estaleiros têm departamentos específicos de decoração, que trabalham com tecidos náuticos, materiais resistentes à umidade e madeiras nobres. A iluminação é uma das chaves para manter os ambientes arejados e com sensação de espaço. Por isso é tão comum vermos grandes janelas nas laterais dos iates mais modernos. Elas inundam as cabines com luz e, em alguns casos, presenteiam os hóspedes com vistas exclusivas do exterior. E o melhor: preservando sempre a privacidade dentro do barco. Fuja das cabines sem vigias ou janelas. Em pouco tempo, o espaço começa a parecer claustrofóbico, o que não combina nada com uma embarcação de luxo. Repare também na claridade dos ambientes. Os decoradores gostam bastante de materiais claros, para valorizar os espaços e a iluminação, mas também apostam nos detalhes escuros (como madeira wenge) para dar maior personalidade aos ambientes. Normalmente, esta combinação claro-escuro funciona muito bem. j O tamanho e conforto do banheiro podem ser decisivos na hora da compra (Azimut 78) Os grandes estaleiros têm departamentos específicos de decoração, que trabalham com materiais nobres acima da barreira dos 30 ou 35 nós. Algumas open chegam a passar dos 40. Para alguns, luxo significa levar uma bibioteca pessoal a bordo ou ter pisos e paredes de mármore carrara nos banheiros. Nesses casos, o peso extra significa também menos nós na velocidade final. Leve sua família, o capitão de sua confiança e teste a estabilidade do barco parado e navegando. Iates mais volumosos e pesados tendem a ser mais estáveis, mas isso depende muito do centro de gravidade da embarcação. Como é impossível definir uma regra universal, abuse do test drive. Conforto de navegação X giroscópio Importados X nacionais A verdade é dura. Não há luxo que resista a 15 convidados passando mal a bordo. Você nunca conhece o quão confortável seu iate é até navegar com ele. O test drive é essencial na hora da compra. 56  PERFILNÁUTICO A crise internacional praticamente colocou o mercado brasileiro de ponta-cabeça. Há pouco tempo, antes do aumento dos impostos sobre as importadas, elas chegaram a ser até mais baratas que as lanchas nacionais. Para felicidade do consumidor brasileiro, Tendência na utilização de materiais claros para valorizar os espaços e a iluminação (Azimut 78) PERFILNÁUTICO  57 
  26. 26. CAPA VIDA EM ALTO LUXO Pé-de-galinha X Z-drive Os grandes iates normalmente possuem propulsão em eixo pé-de-galinha ou Z-drive. Isso porque na V-drive o peso dos motores fica muito concentrado na parte traseira da embarcação, o que atrapalharia toda a distribuição de cargas a bordo. A transmissão pé-de-galinha é a mais simples possível, com um eixo saindo diretamente do motor até o hélice. É uma opção eficiente e barata. Já as rabetas azimutais Z-drive IPS e Zeus oferecem uma revolução em termos de manobrabilidade e facilidade de docagem. Como contrapartida, a diferença de preço é enorme. Mesmo para quem está disposto a comprar um iate de luxo. Além do preço dos equipamentos, o próprio casco da embarcação precisa ser construído especialmente para receber as rabetas azimutais. Você nunca sabe quão confortável é um iate até navegar com ele Para quem navega, a possibilidade do uso de joysticks para comandar o barco transforma em brincadeira de criança manobras que antes eram motivo de estresse, principalmente na docagem a na saída das marinas. Além disso, as rabetas azimutais têm um maior ângulo de giro sob o casco, o que permite maior manobrabilidade com o barco em movimento. Painel de instrumentos exige habilidade do comandante (Monte Carlo 76) Os capitães dos iates de luxo são os melhores profissionais disponíveis no mercado Eletrônicos O test drive é essencial na hora da compra (Cranchi 66) 58  PERFILNÁUTICO O painel de instrumentos de um iate de luxo muitas vezes pode lembrar o de um avião. Além do tradicional chartplotter, com as cartas náuticas eletrônicas, do radar, sonda e GPS, há dezenas de relógios analógicos ou digitais acompanhando os sistemas do barco. Algumas lanchas possuem câmeras em diversos ambientes, que podem ser acompanhadas tanto do comando como remotamente, do escritório do proprietário, por exemplo. Quando a lancha tem flybridge, esses relógios e telas são replicados também no comando da ponte. Não sem motivo, os capitães dos iates de luxo estão são os melhores profissionais disponíveis no mercado. E ganham bem para isso. Descuidos na leitura de equipamentos básicos, como radar e sonda já provocaram prejuízos enormes para proprietários. j PERFILNÁUTICO  59 
  27. 27. CAPA VIDA EM ALTO LUXO Tudo que um iate de luxo precisa ter E O R T Y U { I P e Q } W t r y Layout Apesar de todas as diferenças entre os tipos de iates de luxo, a maioria segue um padrão de layout com um grande salão no cockpit e as cabines no convés inferior. R T Y U Q Flybridge Convés principal Plataforma de popa As brasileiras são tipicamente grandes. Melhor se forem hidráulicas, descendo até o nível da água para criar uma praia particular ou para embarcar o jet ou bote de apoio. Chuveiro de água doce é item praticamente obrigatório. { Solário de proa Normalmente é uma região menos movimentada e com um pouco mais de privacidade do que a praça de popa. Não deve ser usado com o barco em movimento. Materiais precisam ser confortáveis sem acumular água. Praça de popa Outro espaço social concorrido quando o barco está parado. As mais modernas têm espaço gourmet, churrasqueira, geladeira e – claro – uma espaçosa mesa de jantar ao ar livre. Salão principal O ambiente deve ser muito bem iluminado com a luz natural do para-brisas e das janelas laterais. Portas de correr são ótimas para fundir (ou separar) o ambiente interno com a praça de popa, valorizando ainda mais o que cada um tem de melhor. I W Sofás e solários Espaços de relaxamento devem ser amplos e de materiais confortáveis. Cozinha/bar Deve ser completa e ter equipamentos à mão. Preferencialmente, fica perto da mesa de jantar ou dinete. O E Hardtop É a melhor opção para proteger o fly do sol e da chuva mantendo o clima de ambiente ao ar livre. Mesa de jantar/dinete Não pode atrapalhar o fluxo de passageiros pelo barco. Deve ser espaçosa o suficiente para acomodar sem aperto tantas pessoas quantas couberem em camas a bordo. e q Suíte com entrada exclusiva é um diferencial, assim como box espaçoso. Fique atento à iluminação, normalmente proporcionada por uma gaiuta logo acima da cama de casal e por vigias nas laterais. As cabines maiores têm também closet e um sofá ao lado da cama. Comando Os instrumentos e botões devem ficar ao alcance do comandante. A visão do capitão não pode ser atrapalhada pelas vigas do para-brisas. Preferencialmente, a visão precisa ser ampla não só nas laterais, mas também à ré, para as manobras de docagem. É por ele que embarcamos nos iates e onde fica o salão de visitas mais frequentado de bordo. O segundo comando de um iate com flybridge é o espaço mais disputado a bordo durante os passeios aqui no Brasil. 60  PERFILNÁUTICO P w Esta é a parte mais íntima do barco. Aqui ficam os quartos, banheiros, mas também a casa das máquinas. Conforto, iluminação e silêncio são fundamentais. q w Cabines dos hóspedes Pode ser uma ou mais, com camas de solteiro ou casal. Normalmente localizadas à meia-nau, elas acomodam os filhos da família ou convidados. É comum (mas não desejável) que essas cabines tenham o pé-direito menor e que compartilhem o banheiro com outras áreas do barco. r } e Suíte máster Localizada à ré, logo à frente da casa de máquinas, normalmente ocupa toda a boca do barco, tem a maior cama, closet, armários e também a melhor visão, com grandes janelas nos dois bordos. t Cozinha Muitos iates têm uma cozinha mais completa no convés inferior, enquanto a do convés principal funciona mais como um bar. Ela deve ser completa, mas compacta, com armários cujas portas e gavetas não se abram com o movimento do barco. Casa de máquinas Além de ser espaçosa para receber motores, geradores e ser montada com uma disposição que permita a manutenção sem contorcionismos, ela precisa estar muito bem vedada acusticamente. y Cabine do marinheiro Em grandes iates, é essencial ter um espaço privado para o capitão. Além do conforto (que inclui decoração, isolamento térmico e acústico), é importante que ela tenha um acesso independente, que não passe pelo cockpit, preservando a privacidade de todos a bordo. j Convés inferior Cabine vip Localizada na proa, a cabine vip deve ter pé-direito alto, suficiente para os hóspedes ficarem em pé sem se curvar. PERFILNÁUTICO  61 
  28. 28. CAPA VIDA EM ALTO LUXO C M Y CM MY Estrutura das marinas brasileiras precisa melhorar para receber grandes iates CY CMY K Marinas e roteiros O Brasil é famoso internacionalmente pela falta de infraestrutura de marinas para grandes iates. Brokers e estaleiros sabem que esse é um dos principais entraves à venda de iates de luxo no Brasil. Hugo da Silva Pereira Nunes foi diretor durante 25 anos da Marina Bracuhy, em Angra dos Reis. Hoje ele é consultor na área e uma das pessoas que melhor conhecem o problema no país. “Nossa estrutura é muito precária fora do eixo Rio-SP, e a situação deve continuar assim nos próximos anos”. Hugo Nunes cita a Bahia Marina, em Salvador, e a Tedesco, em Balneário Camboriú, como duas raras exceções. “Mesmo no estado de São Paulo, a situação é complicada. Tirando talvez a Marinas Nacionais, que mesmo assim tem um espaço apertado, o que você tem são poitas e iate clubes.” A infraestrutura náutica brasileira concentra-se em 62  PERFILNÁUTICO Angra dos Reis, com Bracuhy, Verolme e o Novo Frade. Mesmo na cidade do Rio de Janeiro, a Marina da Glória, que está em reforma, é o único oásis. “O problema não é só encontrar vagas abrigadas. Isso os iate clubes podem fornecer. Uma marina vai muito além da vaga, têm assistência técnica de motores, de reparos em casco, lojas de assessórios, energia elétrica, água, tratamento de esgoto, restaurante...” Para Hugo Nunes, há dois entraves grandes à solução do problema das marinas. O primeiro é a necessidade de maior união entre os empreendedores do setor, que hoje são muito poucos. Em segundo, falta uma flexibilização das leis ambientais que, segundo eles, não são claras. Enquanto essa discussão não avança, o Brasil vai cada vez mais encarando um gargalo de desenvolvimento num setor da economia que outros países levam mais a sério do que nós. S PERFILNÁUTICO  63 
  29. 29. CAPA VIDA EM ALTO LUXO Grandes iates no Brasil Selecionamos 12 embarcações de 60 a 80 pés disponíveis no mercado brasileiro N Por Angelo Sfair e Marcelo Buda as próximas páginas você vai conhecer um pouco de cada uma delas, suas principais características e inovações. São barcos nacionais e estrangeiros que têm pelo menos uma coisa em comum: o prazer extremo da vida a bordo com o máximo de conforto e alto luxo. 64  PERFILNÁUTICO PERFILNÁUTICO  65 
  30. 30. CAPA VIDA EM ALTO LUXO PRESTIGE 60 S Charme francês desembarca no Brasil Uma versão ainda melhor A Prestige 60, vencedora do prêmio “European Boat of the Year 2010”, originou a versão 60 S, ainda mais tecnológica e confortável 66  PERFILNÁUTICO O interior foi projetado para o máximo conforto, tendência que segue para o flybridge A Prestige Motor Yachts é uma marca de iates desenvolvida pela Jeanneau. A fórmula imaginada foi a de combinar o estilo elegante, as linhas alongadas e o excelente desempenho. A Prestige 60 S, ao mesmo tempo, oferece todos os confortos de um flybridge, para verdadeiramente levar a vida pelo mar. O barco é originário da Prestige 60, que recebeu melhorias no design, na decoração interna, na forma e no acabamento. A 60 S tem seu design assinado por Vittorio Garroni e representa bem o nome Prestige, que já está no mercado há duas décadas. O seu interior foi projetado para conseguir o máximo de conforto a bordo. E a iluminação interna é excelente em função das grandes janelas laterais, que permitem a entrada da luz natural. A cozinha, estrategicamente posicionada no centro do deque, serve com facilidade tanto o salão principal quanto o cockpit. Já as cabines são confortáveis, com destaque para o acabamento cuidadoso. Na suíte máster, o sofá tem vista para o mar. O flybridge segue as mesmas características de design do restante, combinando perfeitamente na j PERFILNÁUTICO  67 
  31. 31. CAPA VIDA EM ALTO LUXO PRESTIGE 60 S questão estética, com linhas elegantes, agressivas, painéis de vidro e um grande arco de sustentação. Há também opção para instalação da popa hidráulica, que cria mais uma área externa de lazer. Um ponto estético que chama bastante a atenção é o guarda-mancebo, bastante alto e agressivo. O design do casco – assinado por Michael Peters – também é bastante poderoso. A Prestige 60 S conta com dois motores de 700 HP da Volvo Penta, com sistema IPS 900. A velocidade ideal para cruzeiro é de 18 nós; já a velocidade máxima chega à casa dos 30 nós.j O andar de cima da Prestige 60 S é especialmente bonito 68  PERFILNÁUTICO Originária da Prestige 60, a versão 60 S recebeu melhorias em design, decoração e acabamento Comando principal e do flybridge. Internamente, iluminação natural abundante PERFILNÁUTICO  69 
  32. 32. CAPA VIDA EM ALTO LUXO SCHAEFER 620 O primeiro modelo da Schaefer Yachts acima de 60 pés Paixão pela inovação A Schaefer 620 é um projeto estratégico, parceria entre Schaefer Yachts e Pininfarina 70  PERFILNÁUTICO Sofisticação nos grandes espaços e nos pequenos detalhes O mercado náutico nacional nunca esteve tão interessante, para brasileiros e estrangeiros. Muito se deve à estabilidade econômica e ao potencial navegável do país, mas também a quem se interessa pelo assunto há muito tempo. O estaleiro catarinense Schaefer Yachts completa 20 anos de atividades nesse segmento. Em uma evolução consciente, em 2011 entrou definitivamente na categoria dos fabricantes de grandes iates de luxo e colhe frutos cultivados com extremo profissionalismo. A Schaefer 620 é, até agora, o grande projeto do estaleiro, o primeiro modelo acima de 60 pés. Foi totalmente concebido e produzido no país, um marco para a indústria náutica nacional. Como todo grande iate de luxo, espaço, conforto e tecnologia de última geração não faltam. A sofisticação está nos grandes espaços internos e nos pequenos detalhes. A área social, integrada à plataforma móvel da popa, abriga um salão principal em dois níveis, ampla sala de estar e cozinha gourmet totalmente equipada. O cockpit é amplo e confortável e computadores de bordo j PERFILNÁUTICO  71 
  33. 33. CAPA VIDA EM ALTO LUXO SCHAEFER 620 com a mais moderna tecnologia garantem o controle total da navegação. No flybridge, o design privilegia ainda mais o espaço trazendo o máximo de conforto e ergonomia tanto para a área de comando quanto para a área de solário. A Schaefer 620 leva até 16 pessoas durante o dia (mais um marinheiro e um auxiliar) e seis para pernoite. São três suítes, uma máster à meia-nau com escritório, uma vip e uma com duas camas de solteiro. O interior da lancha conta com sistema de sete aparelhos de ar-condicionado, quatro TVs de LED, uma delas com tecnologia 3D e sistema de som com home theater. A opção de design de interior assinada pela Pininfarina, um dos mais conceituados estúdios de design do mundo, é de encher os olhos. O resultado é um iate ainda mais luxuoso e com visual futurista, A SCHAEFER Yachts entrou na categoria dos fabricantes de grandes iates de luxo que une a experiência adquirida por duas conceitudas empresas: Schaefer Yachts e Pininfarina, que reuniram ideias inovadoras, design arrojado e tecnologia de ponta em uma versão exclusiva da Schaefer 620. j O interior da lancha conta com sistema de sete aparelhos de ar-condicionado 72  PERFILNÁUTICO Opção de design interior assinada pelo estúdio Pininfarina PERFILNÁUTICO  73 
  34. 34. CAPA VIDA EM ALTO LUXO ALTAMAR 66 Uma argentina que não veio a turismo Feita para durar A Altamar 66 combina robustez com ambientes amplos e agradáveis por longos e longos anos 74  PERFILNÁUTICO Salão repleto de luz proveniente das janelas laterais e do para-brisa O estaleiro argentino Altamar é mais uma novidade que desembarca em águas brasileiras, de olho em um novo público que procura cada vez mais embarcações luxuosas com conforto para toda a família. A Altamar 66 tem um estilo clássico e robusto, construído de acordo com as mais exigentes normas internacionais. O projeto saiu das pranchetas de Gino Gandino para um rigoroso processo de construção, com formas exteriores proporcionais e um perfil aerodinâmico que resulta na mais confortável navegabilidade, qualidades que conquistaram mercados da comunidade europeia e de Dubai. Para os brasileiros, é um iate com grandes atrativos, muito espaço ao ar livre, comodidade interna de finíssimo acabamento. Pilotar a lancha a partir do flybridge é muito agradável. O assento duplo de comando permite excelente visibilidade. O ambiente é integrado com uma área que dispõe de solário, sofá para seis pessoas, mesa de fibra de vidro e bancada com pia, grill e icemaker. Descendo para o cockpit, a escada leva à plataforma de popa, ambas revestidas com teca. A área da popa j PERFILNÁUTICO  75 
  35. 35. CAPA VIDA EM ALTO LUXO ALTAMAR 66 conta com assento, icemaker, ducha de água quente e água fria e acesso à cabine do marinheiro, que possui duas camas e banheiro. Uma porta de correr em aço inox e vidro faz a divisão com o salão, repleto de luz natural proveniente das janelas laterais e do parabrisa. Conta com sofá e duas poltronas, mesa de centro trabalhada em madeira e vidro, mobiliário lateral com armários e dinete em L com mesa em madeira, ao lado da cozinha, completa e bem equipada. Completando a área do salão, o posto de comando principal, com recursos tecnológicos avançados. As cabines da Altamar 66 são aconchegantes, quatro no total. A suíte máster tem poltrona lateral, mesa de cabeceira, penteadeira, guarda-roupa e armário. No banheiro, uma escotilha lateral com janela panorâmica. Perfil aerodinâmico proporciona navegação confortável 76  PERFILNÁUTICO Estilo clássico e robusto, construído de acordo com as mais exigentes normas internacionais A suíte vip tem guarda-roupa, penteadeira e escotilha lateral. Nas outras duas cabines, duas camas de solteiro em uma e dois beliches em outra. j Na suíte máster, uma poltrona lateral: no banheiro, escotilha com janela panorâmica PERFILNÁUTICO  77 
  36. 36. CAPA VIDA EM ALTO LUXO CRANCHI 66 Cranchi 66, a maior embarcação do estaleiro Tradição de cinco gerações A Cranchi 66 é um barco de estilo incofundível, moderno e com uma lista enorme de equipamentos de série 78  PERFILNÁUTICO Plataforma de popa e salão principal com conforto invejável O Cantiere Nautico Cranchi tem uma história de quase 150 anos. O estaleiro italiano é conhecido por sua clientela fiel. O proprietário de um barco Cranchi, normalmente, só o troca por uma Chanchi maior. Para manter essa fidelidade e ao mesmo tempo buscar uma nova fatia de mercado, incluindo o Brasil nos planos, a Cranchi 66, ou Sixty 6 Fly na denominação oficial, é a maior embarcação do estaleiro. Pela plataforma de popa se chega à primeira área de entretenimento, o cockpit, dotada de um confortável solário integrado a um sofá com mesa de madeira. O interior tem um padrão de conforto invejável, com um sofá e uma mesa em frente a um móvel que esconde uma TV e funciona também com área de bufê. Uma segunda área de estar, com sofá e mesa, fica mais à frente, perto do posto de comando. Um grande espaço onde quatro pessoas podem desfrutar de uma refeição sem aglomeração. A cozinha tem seu espaço j PERFILNÁUTICO  79 
  37. 37. CAPA VIDA EM ALTO LUXO CRANCHI 66 estratégico, no piso inferior, com comunicação com o salão. Vem toda equipada, inclusive com louças, talheres e panelas para os apreciadores da boa culinária. Para acomodação são três amplas cabines. A suíte vip fica na proa e a do proprietário no centro da embarcação, ocupando toda a largura do barco e recebendo iluminação natural das grandes janelas laterais. Na popa outra suíte destinada a acomodar até dois tripulantes para pernoite confortavelmente. Merece atenção especial o flybridge da Cranchi 66, um dos maiores da sua categoria, item importante para o gosto do brasileiro. O espaço do piloto fica totalmente integrado ao solário à frente e há um sofá em U com mesa de madeira ao lado. Mais atrás, bar e cozinha ao ar livre, churrasqueira, geladeira e boa área de circulação. A suíte vip fica na proa da embarcação 80  PERFILNÁUTICO Três amplas cabines e cozinha muito bem colocada no piso inferior A Cranchi 66 mistura o estilo europeu com grande atenção aos detalhes. A lista de equipamentos é notável, um iate construído com padrões elevados. j Cozinha no andar de baixo, em comunicação com o salão. Suíte na popa com duas camas de solteiro. Banheiro na suíte do proprietário PERFILNÁUTICO  81 
  38. 38. CAPA VIDA EM ALTO LUXO SESSA C 68 Casco dourado e visual agressivo La dolce vita contemporânea A C 68 da Sessa Marine tem estilo único e personalidade própria. Moderna, com um toque de nostalgia 82  PERFILNÁUTICO Conforto total nas áreas externas C apricho. Essa seria uma boa expressão para definir as embarcações da Sessa Marine em uma só palavra. O estaleiro italiano recentemente chegou ao Brasil e já comemora sucesso de vendas. Sua maior estrela, a C 68, é inspirada em clássicos carros esportivos. O casco dourado da C 68 chama a atenção logo à primeira vista. Parece ter sido esculpido e o efeito é bastante atraente. A partir do interior, a embarcação é deslumbrante. Todo espaço foi concebido com a proposta de um ambiente doméstico e familiar, sem sacrificar a sensação náutica. Uma atmosfera inovadora com janelas laterais do salão que vão até o chão. Olhando sua lateral, dá a impressão de que elas continuam descendo até o casco, já que as janelas do camarote do proprietário estão exatamente na mesma direção. Para iluminar totalmente o salão, uma área de vidro no teto e um teto solar retrátil. No pavimento inferior a C 68 conta com acomodações para seis pessoas. Na proa, localiza-se o camarote vip, seguido de uma suíte com duas j PERFILNÁUTICO  83 
  39. 39. CAPA VIDA EM ALTO LUXO SESSA C 68 camas de solteiro. No centro, encontra-se a suíte do proprietário, que também ilustra bem a proposta deste iate. A luz é elemento fundamental. O quarto e o banheiro estão em um espaço único, separados por uma grande parede de vidro, um ambiente extremamente agradável, um orgulho para qualquer proprietário. A harmonia entre os ambientes convida para a vida a bordo. A C 68 foi projetada para que se possa aproveitar a maior parte do tempo possível ao lado da família e dos amigos. No exterior, tudo foi concebido para proporcionar bem-estar e momentos relaxantes. A praça de popa é ampla, com acesso prático para banhos de mar. As características mais marcantes da C68 são as soluções inovadoras, a distribuição de espaço, a escolha e a utilização de materiais. Um barco A harmonia entre os ambientes convida para a vida a bordo 84  PERFILNÁUTICO Todo espaço foi concebido com a proposta de um ambiente doméstico e familiar com design contemporâneo, desde a concepção à decoração, com uma abordagem de vida em família. As viagens de vários dias pelo mar serão com as melhores condições de conforto. j Janelas laterais que vão até o chão. Quarto e banheiro em um espaço único, separados por uma grande parede de vidro PERFILNÁUTICO  85 
  40. 40. CAPA VIDA EM ALTO LUXO FERRETTI 700 Linhas simples, agressivas e grandes janelas Maior e mais luxuosa A Ferretti 700 é uma das grandes apostas da Ferretti em 2012 86  PERFILNÁUTICO Espaço e conforto em um design contemporâneo A s lanchas com mais de 60 pés da Ferretti prometem ser a sensação do verão desse ano. A aposta nesse segmento se deve muito ao sucesso do modelo 530 no ano passado. A partir daí o grupo identificou no brasileiro a tendência de trocar sua embarcação por uma maior, mais espaçosa e com muito mais luxo. Enquadrando-se neste modelo, a Ferretti 700 tem como características mais vibrantes seu espaço e seu conforto, distribuídos em um barco com design contemporâneo. Comparando com seu antecessor – o modelo 680 –, nota-se uma evolução bastante grande, sobretudo no design. Do lado de fora se vê um barco com linhas mais simples e agressivas, combinadas com grandes janelas. Na popa, o banco traseiro dobrável cria mais uma área de lazer, onde se pode aproveitar o sol e ainda permanecer em contato com o mar. Já nas áreas internas, percebe-se uma atenção especial aos detalhes das cabines. No total, são quatro: duas cabines para hóspedes, uma cabine vip – que conta com banheiro próprio – e a suíte máster, que possui um j PERFILNÁUTICO  87 
  41. 41. CAPA VIDA EM ALTO LUXO FERRETTI 700 sofá em meia-lua com uma vista para o mar. A madeira utilizada é a teca, o que agrega beleza e durabilidade. Otimização do espaço é uma preocupação presente no projeto da Ferretti 700. A lancha recebe com conforto até 20 pessoas, distribuídas em seus ambientes – deque inferior, deque principal e flybridge. Este último é confortável e possui um sofá em semicírculo para aproveitar melhor o espaço. A lancha, que tem mais de 21 metros de comprimento total e deslocamento superior a 47 toneladas, é equipada com motor V12. Seus 1.360 HP levam a Ferretti a uma velocidade de cruzeiro de 31 nós, podendo chegar à máxima de 35 nós. j Cabine vip com banheiro individual 88  PERFILNÁUTICO Otimização do espaço é uma preocupação presente no projeto da Ferretti 700 Janelas permitem visualização permanente do lado de fora PERFILNÁUTICO  89 
  42. 42. CAPA VIDA EM ALTO LUXO SEGUE 72 Um barco que permite viagens de grande autonomia Requinte artesanal e alta tecnologia A Segue 72 foi concebida para uma vida plena a bordo, com estilo de vanguarda e muita personalidade 90  PERFILNÁUTICO Plataforma de popa pode comportar até dois jet skis A Segue Yachts é referência na indústria náutica argentina no segmento de grandes iates, mas seus adeptos estão espalhados pelo mundo, em países da Europa e nos Estados Unidos, além do Brasil, que, como mercado promissor, revela consumidores. A Segue 72 é um barco que permite viagens de grande autonomia e tem tudo para conquistar os brasileiros. Adaptado para o nosso clima, pode ser personalizado de acordo com as necessidades do proprietário. Espaço não falta na Segue 72. A plataforma de popa pode comportar até dois jet skis, tem uma mesa de madeira com oito cadeiras e permite circulação confortável para banho de sol e de mar. Uma porta de correr de aço inoxidável e vidro dá entrada ao salão de grandes dimensões, com decoração em estilo sóbrio e elegante, combinando com os materiais utilizados e diferentes texturas e cores. Janelas laterais e um grande para-brisa proporcionam iluminação natural. O interior é dividido em dois níveis e conta com sofá para até dez pessoas e mesa j PERFILNÁUTICO  91 
  43. 43. CAPA VIDA EM ALTO LUXO SEGUE 72 com tampo de vidro e espaço para oito cadeiras. Mais à frente, a cozinha com todos os recursos para uma boa gastronomia. O posto de comando, sutilmente integrado, permite invejável visibilidade, importante para travessias de inverno ou com adversidades meteorológicas. No nível inferior ficam as quatro cabines. São quatro cabines, duas suítes de casal, uma com duas camas de solteiro e outra com beliche. Há ainda um banheiro social. Na popa, atrás da casa das máquinas, fica a dependência dos marinheiros, com duas camas individuais. O mesmo padrão de luxo e conforto interno da Segue 72 se estende ao flybridge, que comporta até dez pessoas e conta com um sofá em U de seis lugares, Interior dividido em dois níveis 92  PERFILNÁUTICO Adaptada para o nosso clima, podendo ser personalizada de acordo com as necessidades do proprietário mesa de madeira e solário. O móvel de cozinha tem pia, grill e igloo embutido. Para completar... uma fabulosa jacuzzi para relaxamento total. j Ambientes bem planejados garantem privacidade PERFILNÁUTICO  93 
  44. 44. CAPA VIDA EM ALTO LUXO INTERMARINE 75 Projetada pelo renomado yacht designer brasileiro Luiz de Basto Gigante nacional Intermarine 75, para navegantes exigentes e de extremo bom gosto 94  PERFILNÁUTICO Conforto na áreas internas e espaços generosos ao ar livre N o ano passado a Intermarine lançou uma linha surpreendente. Novos modelos que confirmaram a posição do estaleiro brasileiro entre os gigantes do mercado, e que fazem frente aos estrangeiros que desembarcam a cada dia, de olho no mercado nacional. A Intermarine 75, projetada por Luiz de Basto e seu estúdio de renome mundial, traz como diferencial a experiência internacional aliada ao conhecimento do gosto do consumidor brasileiro. A lancha foi concebida para quem busca o máximo de conforto nas áreas internas, mas não abre mão dos espaços de convívio ao ar livre. As janelas são, em boa parte, responsáveis por dar um tom marcante, agressivo e sofisticado ao mesmo tempo. Por dentro, o salão é dividido entre sala de estar, sala de jantar, cozinha e posto de comando. A área foi composta para oito pessoas com grande conforto, tem sofá em U e um sofá adicional, mesa de centro, cozinha à esquerda e mesa de jantar à direita. No posto de comando, duas confortáveis poltronas e teto de j PERFILNÁUTICO  95 
  45. 45. CAPA VIDA EM ALTO LUXO INTERMARINE 75 vidro que permite iluminação natural. Uma porta na lateral do salão dá acesso ao passadiço. No deque inferior, quatro suítes espaçosas e arejadas. A suíte máster à meia-nau possui cama queen size e closet. A suíte vip fica na proa, também com cama queen size. As outras duas suítes de hóspedes possuem duas camas de solteiro cada. A área da tripulação recebeu atenção especial. Acessada pela popa, tem duas cabines para quatro marinheiros, com sofá, mesa, cozinha, lavanderia e banheiro. Nos ambientes externos, a Intermarine 75 é um convite para momentos especiais. A plataforma de popa é enorme, com 2,10 metros de comprimento, equipada com lift hidráulico para bote ou jet ski, tem espaço de sobra para pia e churrasqueira. Na praça de popa, sofá, mesa, icemaker, cooler e, na proa, um bom solário. Suíte máster à meia-nau com closet 96  PERFILNÁUTICO A Intermarine 75 é um dos modelos que confirmam o estaleiro entre os gigantes do mercado nacional O flybridge é um lugar especial, com o barco em movimento ou não. O posto de comando tem duas poltronas ao lado de um amplo solário. Atrás, um sofá em U com mesa e outro solário, num ambiente integrado com pia, geladeira e churrasqueira. j Closet e banheiro da suíte máster e detalhe da suíte vip PERFILNÁUTICO  97 
  46. 46. CAPA VIDA EM ALTO LUXO MONTE CARLO 76 A primeira preocupação do projeto foi a questão da funcionalidade clássico e funcional A Monte Carlo 76 é um barco diferente, com personalidade própria e design premiado 98  PERFILNÁUTICO Personalidade forte e conceito de estilo diferente A Monte Carlo Yachts, divisão da Beneteau, foi criada com o objetivo de unir o estilo clássico italiano com o know-how industrial do grupo francês. Sendo assim, suas embarcações buscam valorizar a tradição, mas agregam ao projeto o melhor da tecnologia. Criada do zero, a Monte Carlo 76, ou MCY 76 — lançada para a América Latina no Rio Boat Show 2012 —, é um iate premiado. Além de diversos prêmios na área, o projeto da MCY 76 também foi indicado para o Compasso d’Oro, a premiação mais importante do design no mundo. A primeira preocupação do projeto foi a questão da funcionalidade. E sem dúvidas a MCY 76 é um iate que tem excelente navegabilidade. A embarcação tem personalidade forte e é diferente do conceito de estilo que se firmou na última década. Não se encontram, por exemplo, as janelas panorâmicas retangulares, inspiradas na aerodinâmica do automobilismo. Na proa alta e cônica, bem como no suporte da popa do flybridge, predomina o estilo clássico, presente j PERFILNÁUTICO  99 
  47. 47. CAPA VIDA EM ALTO LUXO MONTE CARLO 76 nos grandes navios de luxo. No deque principal, os ambientes são discretamente interligados, passando a sensação de um espaço ainda maior. No salão, o sofá em formato de U cria um clima mais intimista. O layout é bem flexível, podendo o comprador escolher entre duas possibilidades de layout do deque. O proprietário também pode escolher entre três ou quatro cabines. Mesmo na versão com mais cabines, a suíte máster conta com um grande sofá e banheiro privativo confortável. Os mais de 23 metros de comprimento e 46 toneladas de deslocamento da MCY 76 são movidos por Suíte máster com grande sofá e banheiro privativo confortável 100  PERFILNÁUTICO O projeto da MCY 76 foi indicado aos mais importantes prêmios de design do mundo 2 motores V8 de 1.200 HP ou 2 motores V12 de 1.400 HP. A velocidade de cruzeiro é de 27 nós, podendo chegar à velocidade máxima de 31 nós. j Comando principal, solário de proa com direito a duas mesas e flybridge luxuoso PERFILNÁUTICO  101 
  48. 48. CAPA VIDA EM ALTO LUXO AZIMUT 78 Linhas sinuosas tornam o barco extremamente bonito Estilo, interior e conceito A Azimut 78 reune todas as características exigidas para um grande iate de luxo 102  PERFILNÁUTICO Amplo solário da proa. Na praça de popa, espaço para mesa com oito cadeiras D iversas áreas de convívio externas, conforto e privacidade em ambientes internos são exemplos do equilíbrio perfeito do projeto da Azimut 78. Muita iluminação natural e uma decoração bem planejada completam o requinte envolto em linhas sinuosas, que tornam o barco extremamente bonito. Começando por cima, o flybridge possui três áreas de convívio interligadas, mas separadas e independentes. A primeira, em direção à popa, estende-se em um solário com direito a banheira de hidromassagem; a segunda, no centro, consiste em uma mesa de jantar para oito pessoas e um bar, protegidos por um teto rígido; e a terceira é o posto de comando, muito bem equipado, com assento para duas pessoas, ao lado de uma outra área de bronzear. Soluções inteligentes podem ser vistas também no andar de baixo, logo na “porta de entrada” da Azimut 78. Uma plataforma de elevação – que pode suportar até 500 kg, é um verdadeiro convite para o prazer: leva até um sofá em forma de C, uma mesa para oito j PERFILNÁUTICO  103 
  49. 49. CAPA VIDA EM ALTO LUXO AZIMUT 78 pessoas e um bar multifuncional. A partir da entrada, através de uma porta de vidro, o salão principal, a área íntima da embarcação onde são recebidos os melhores convidados. O salão, muito bem dividido em zonas com diferentes utilizações e níveis de privacidade, acomoda facilmente oito pessoas, asssim como a sala de jantar, em frente à cozinha, que pode ser ocultada por um anteparo de vidro transparente que eletronicamente se converte em uma superfície espelhada. A privacidade é extrema na Azimut 78, garantida por uma porta que liga a cozinha ao convés. Nenhuma movimentação irá perturbar o descanso de quem prefere relaxar em uma das suítes protegidas acusticamente – quatro no total, mais uma para a tripulação. As cabines e intalações no convés inferior O flybridge possui três áreas de convívio interligadas 104  PERFILNÁUTICO Muita iluminação natural e decoração planejada com requinte da Azimut 78 são exemplos do conforto que esta categoria de barco deve apresentar. Detalhes que fazem da Azimut 78 um exclusivo iate de luxo. j O salão é dividido em zonas diferentes e as suítes protegidas acusticamente PERFILNÁUTICO  105 
  50. 50. CAPA VIDA EM ALTO LUXO PRINCESS 78 Design e tecnologia de ponta Beleza impressionante, perfil elegante A Princess 78 reúne luxo e requinte por todos os cantos que se olhe e, mais importante, até onde não se pode ver 106  PERFILNÁUTICO Dinete, mesa de jantar e circulação na área externa A Princess Yachts é consagrada por incorporar design e tecnologia de ponta em seus produtos. A qualidade de navegação também é considerada de suma importância e coloca o estaleiro inglês entre os grandes fabricantes de iates do mundo. A Princess 78 apresenta um desempenho eficiente aliado a um perfil elegante. Possui casco em V, numa engenharia de redução de peso para alcançar velocidade mais alta e menor consumo de combustível. A plataforma de popa submergível e um guindaste de alta capacidade são instalados para o acondicionamento de um bote ou jet ski. O flybridge tem área para uma jacuzzi opcional e, se requerido, pode ser equipado com uma capota rígida com teto solar elétrico. A área de estar do andar de cima é aconchegante, com um grande sofá e uma mesa, além do solário. Junto ao posto de comando, poltronas confortáveis dos dois lados. O salão acomoda perfeitamente oitos pessoas nos sofás ou na mesa de jantar. A cozinha está integrada j PERFILNÁUTICO  107 
  51. 51. CAPA VIDA EM ALTO LUXO PRINCESS 78 e dispõe de uma divisória automática que pode ser aberta ou fechada para maior privacidade. Mais à frente, ao lado do posto de comando, uma dinete com mesa e a melhor visibilidade do mar junto ao comandante. No andar de baixo estão as amplas acomodações: quatro suítes. Uma máster, ocupando todo o vão à meia-nau, e três suítes de hóspedes, duas com camas de casal e outra com duas camas de solteiro. Camas com berços deslizantes, controladas eletricamente, podem ser instaladas, como uma opção para a suíte de solteiros. A privacidade é garantida. O barco possui acessos laterais, tanto para o posto de comando como para o alojamento dos marinheiros – com duas camas, cozinha e banheiro, além de uma área útil que pode ser utilizada para armazenamentos alternativos. A qualidade de navegação é considerada de suma importância, e coloca o estaleiro inglês entre os grandes do mundo Ideias inovadoras e uma bela combinação de linhas graciosas, tecnologia avançada, acomodações sofisticadas colocam a Princess 78 na classe dos grandes iates de luxo. j A cozinha pode ser fechada eletronicamente, criando espaço independente do salão 108  PERFILNÁUTICO A suíte máster ocupa todo o vão à meia-nau e conta com poltronas e mesa, além de uma penteadeira PERFILNÁUTICO  109 
  52. 52. CAPA VIDA EM ALTO LUXO ASTONDOA 80 GLX Equilíbrio entre o trabalho artesanal e a tecnologia de ponta Alto luxo e fino acabamento A Astondoa 80 GLX, com lançamento previsto para 2013, é o atual modelo 76 GLX, comercializado no mercado europeu 110  PERFILNÁUTICO Flybridge com direito a banheira de hidromassagem e uma área de lazer completa O modelo destaca-se por sua construção única, equilibrando o trabalho artesanal com alta tecnologia. O projeto busca o melhor aproveitamento de espaço, uma boa luminosidade interna e ergonomia na construção. Tudo isso, é claro, com alto luxo e um fino acabamento, com uma preocupação especial para cada detalhe. As cabines são confortáveis e têm um acabamento muito refinado. São quatro cabines, sendo duas suítes, que ao todo comportam dez pessoas para pernoite. O salão principal é enorme e aproveita muito bem os espaços. São dois ambientes, que contam com dois sofás, mesa de centro e mesa de jantar. O flybridge é um dos grandes destaques da 80 GLX. O diferencial fica por conta da banheira de hidromassagem com água doce, que transforma o fly em uma área de lazer ainda mais completa. A popa hidráulica é outro ponto de destaque, podendo ser aproveitada com familiares ou amigos. Detentora de uma construção sólida, a Astondoa 80 GLX tem um reforço extra em toda a sua estrutura. j PERFILNÁUTICO  111 
  53. 53. CAPA VIDA EM ALTO LUXO ASTONDOA 80 GLX A embarcação segue todo o padrão da Germansicher Lloyd, e as áreas mais críticas do casco são feitas de carbono para obter o melhor desempenho. A madeira laminada é revestida com gelcoat, assim como as superfícies exteriores do casco. Além disso, todos os elementos mecânicos têm um sistema de proteção galvânica, protegendo as estruturas metálicas da corrosão. A motorização alcança 1.550 HP, levando este superiate a uma velocidade máxima de 33 nós. S O salão principal é enorme e aproveita muito bem os espaços 112  PERFILNÁUTICO Alto luxo, fino acabamento e preocupação especial para cada detalhe São quatro cabines, sendo duas suítes PERFILNÁUTICO  113 
  54. 54. PERFIL 114  PERFILNÁUTICO 114  PERFILNÁUTICO Nesta edição a Perfil Náutico destaca o perfil de quatro embarcações e do estaleiro catarinense Schaefer Yachts. Você vai conhecer a beleza sofisticada e a elegância do veleiro Oceanis 45 da Beneteau; a Singular 280, uma lancha compacta, mas espaçosa; a Key Largo 27 e a 28 da Sessa Marine, para diversão em dias ensolarados; e a Coral 28, ao mesmo tempo cabinada e de proa aberta. j PERFILNÁUTICO  115 
  55. 55. PERFIL OCEANIS 45 www.beneteau.com.br Tradição francesa Beleza e sofisticada elegância a toda prova Por Amanda Kasecker 116  PERFILNÁUTICO L Em menos de seis meses de lançamento o Oceanis 45 foi eleito o Barco do Ano na Europa inhas leves e clássicas, acabamento impecável e a certeza de que o mar, definitivamente, pode ser não a segunda, mas a primeira casa dos apaixonados pela vida a bordo. Essa é a principal e inesquecível impressão que fica para quem conhece o veleiro Oceanis 45, do estaleiro francês Beneteau. Não à toa, em menos de seis meses do seu lançamento na cidade francesa de Cannes, já foi eleito o Barco do Ano na Europa. A premiação (European Sailboat of the Year) é considerada o “Oscar da Indústria de Vela” e foi dada na Alemanha por jornalistas especializados de diversos países europeus, que escolheram o Oceanis 45 como um dos barcos mais inovadores em sua categoria. Cartão de visitas Logo no acesso, uma delicada plataforma elétrica e retrátil, com acabamento de madeira nobre, facilita o embarque, o desembarque e mesmo os banhos com um simples toque no comando. Ainda no cockpit, uma ampla – e confortável – área de convivência é apresentada aos visitantes, cercada pela praticidade e proteção de uma grande targa, com duas geladeiras j PERFILNÁUTICO  117 

×