Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Rochas ornamentais

8,073 views

Published on

trabalho de estudo de materiais empregados na arquitetura e design de interiores

Published in: Engineering
  • Be the first to comment

Rochas ornamentais

  1. 1. A formação das rochas ornamentais é muito lenta. Levam milhões de anos para serem formados, e a medida que são extraídos do solo, suas reservas vão diminuindo e poderá um dia acabar definitivamente. Para que os minerais não venham faltar algum dia é necessário evitar desperdícios e também é necessário descobrir outros materiais, ou outras formas alternativas para substituir os minerais que ainda existem.
  2. 2. Tipos de Rochas Ornamentais
  3. 3. MÁRMORE
  4. 4. GRANITO
  5. 5. ARDÓSIA
  6. 6. GNAISSE
  7. 7. USO, ADEQUAÇÃO E APLICAÇÃO DE ROCHAS ORNAMENTAIS.
  8. 8. Mármore, Granito, ardósia, gnaisse e outras rochas ornamentais são materiais de revestimentos muito duráveis. Porem, se não forem corretamente instalados ou receberem cuidados apropriados, apresentarão problemas que certamente encurtarão sua vida útil e comprometerão a qualidade do revestimento e da obra.
  9. 9. Onde o granito e o mármore pode ser utilizado?
  10. 10. •Pisos e Paredes  Granito aplicado no piso (à esquerda) e na parede (à direita).
  11. 11. Exemplo do granito como soleira, dividindo ambientes. As próximas duas imagens exibem sua utilização como piso
  12. 12. •Áreas externas: nas fachadas é necessário que sejam menos porosos (mais impermeáveis), com menor granulação, como os verdes e os avermelhados. Em piscinas e áreas molhadas devem receber acabamento apicoado para evitar acidentes;
  13. 13. Bancadas e pias: possui boa resistência a riscos, mas deve-se cuidar para que facas, por exemplo, não marquem o granito. Evite que a água fique parada sobre o tampo, o que pode causar manchas devido à infiltração
  14. 14. Uma forma pratica para diferenciar o Mármore do Granito é pegar um prego tentar arranhar a pedra, se arranhar ele é um mármore e se não conseguir riscar a pedra ele é um granito
  15. 15. Por motivos de durabilidade, sugerimos o: Granitos: Para revestimentos de pisos e escadas de alto trafego, pias, balcões, lavatórios para uso intenso ou para uso residêncial, revestimentos para fachadas, bordas para banheiras, lareiras, soleiras, rodapés, peitoris, bancadas em geral, revestimento para fornos e aparadouros. (utilizados mais em lojas, shopping, banheiros públicos, restaurantes e outros. Aonde o fluxo de pessoas são maiores)
  16. 16. Mármores: Revestimentos de pisos e escadas, soleiras e peitoris (residencial e sem exposição ao tempo), lavatórios para uso residencial, bordas de banheira, aparadouros, revestimento para lareiras, rodapés, mesas e revestimento de paredes internas, de baixo trafego (residêncial).
  17. 17. Observação: O mármore deve ser utilizado preferêncialmente em ambientes internos. Isto, porque o material sofre com a ação do tempo (possui sensibilidade à chuva ácida) e da poluição. Outro ambiente a ser evitado é a cozinha: por ser poroso, absorve gordura. Além do mais, não tendo resistência contra ácido, pode adquirir manchas e perda de brilho com produtos como vinagre, limão ou materiais de limpeza pesados. Neste caso, evite os mármores mais porosos, que correm o risco de manchar-se com a umidade, apesar da impermeabilização. Se ainda tiver dúvidas quanto às suas aplicações, lembre-se que o mármore é menos resistente à riscos, mais macio e poroso. O granito, mais pesado e mais resistente.
  18. 18. MANUTENÇÃO       Devido às suas características naturais, todo  mármore e granito sofre desgaste com o uso e está  sujeito a alterações em sua aparência decorrentes do  uso, contato com o meio, agressão sofrida por  agentes externos e manutenção.       Tais desgastes e alterações na aparência são  inevitáveis, porém uma correta manutenção ajuda a  prolongar a beleza natural da pedra. As sugestões  que damos não evitam que a pedra mude sua  aparência devido ao tempo e ao uso, mas ajudam a  minimizar tais efeitos.  
  19. 19. CUIDADOS NA PRIMEIRA LIMPEZA      Assim que um produto é instalado, podem ficar na pedra  respingos da massa utilizada em sua fixação. Se isto ocorrer,  estes podem ser facilmente removidos com o uso de uma lã  de aço, com muito cuidado para não arranhar a pedra.  Lembramos que a lã de aço só deve ser usada na pedra seca,  e após seu uso todos os restos desta devem ser  completamente removidos antes de continuar a limpeza.  Cuidado ao usar lã de aço, seus restos devem ser  imediatamente retirados, pois em contato com a água podem  oxidar e manchar a pedra.
  20. 20. DICAS DE LIMPEZA      Os mármores e os granitos por normalmente ter a  face polida é de fácil limpeza, se a sujeira for fina  como por exemplo a poeira do dia-a-dia pode-se ser  removida por um pano macio umedecido, se as  partículas forem maiores recomenda-se usar antes  uma vassoura macia.      Se for necessário lavar utilizar somente água diluída  em shampo/detergente de pedra ou  sabão/detergente de ph neutro.  
  21. 21. IMPORTANTE: 01- Jamais use na limpeza de mármores e granitos produtos  abrasivos ou com princípio ativo forte, tais como sapólio,  água sanitária, amoníaco, hipocloreto de sódio, soda cáustica,  querosene ou ácidos (ácidos citrícos como de limões por  exemplo). Eles podem danificar permanentemente a sua  pedra.      02 -Pela natureza porosa das pedras, mármores e granitos  estão sujeitos a manchas. Cuidado com refrigerantes, óleos  em geral, vinho, ferrugem, produtos com corantes fortes, pois  podem manchar sua pedra até de forma irreversível.      03-Pisos de Mármores e Granitos devem ser limpos assim que  possivel pois a areia que esta no chão pode vir a arranhar o  material com o trafego de pessoas.

×