Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Modelo Abuhab de Cobrança

Modelo Abuhab de Cobrança Automática de IBS - Uma excelente contribuição para o Brasil que ficará mais simples e efetivo com uma nova realidade nos tributos, junto com a reforma tributária (PEC n° 110-2019) para destravar o Brasil, retomar o crescimento sustentado e a inclusão social.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Modelo Abuhab de Cobrança

  1. 1. Modelo Abuhab de Cobrança Automática de IBS
  2. 2. O idealizador – Miguel Abuhab Miguel Abuhab é engenheiro mecânico formado pelo ITA. 2 Miguel Abuhab Fundador da Datasul, empresa de software de ERP, tendo implementado sistemas fiscais em mais de 4.000 empresas. Fundador da Neogrid, empresa de tecnologia que fornece soluções para a cadeia de suprimentos, informações bancárias, mercantis e fiscais (SPED), que integram o Sistema Tributário Brasileiro.
  3. 3. Objetivo 3 FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO CRESCIMENTO DA ECONOMIA IGUALDADE SOCIAL
  4. 4. Teoria das Restrições 4 Numa análise convencional, procuramos resolver os problemas um a um... ... fazemos uma análise holística de todas as causas e efeitos indesejáveis. ...porém, usando a Teoria das Restrições...
  5. 5. Restrição Lógica 5 ... quando lidamos isoladamente com cada efeito indesejável, estamos lidando com sintomas e não com as causas reais. Enquanto as causas reais permanecerem intocadas, os efeitos indesejáveis não desaparecerão e novos serão criados. Para melhorar o todo não precisamos melhorar tudo...
  6. 6. Otimo Local x Otimo Global Nós aprendemos a definir nosso espaço e fazer dele nosso Ótimo Local Todo Ótimo Local pode gerar efeitos indesejáveis fora do seu espaço Muitos Ótimos Locais ou Um Unico Ótimo Global
  7. 7. Otimo Local x Otimo Global Na busca da sobrevivência as empresas, associações, municípios, estados irão sempre procurar o seu ótimo local com base nas regras vigentes Conflitos O ÓTIMO GLOBAL não é a soma de muitos ÓTIMOS LOCAIS
  8. 8. Muitas regras de negócio foram criadas quando tínhamos restrições tecnológicas. Porém, uma vez eliminadas estas restrições, as regras continuaram as mesmas. É tudo que fazemos, não sabemos porque fazemos, mas continuamos fazendo. As ortodoxias tem origem nas restrições tecnológicas. 8 Ortodoxia
  9. 9. Ortodoxia - exemplo Regra de negócio dos Hotéis CHECK-IN 12H CHECK-OUT 12H 9
  10. 10. Ortodoxia Mercadorias Impostos Dinheiro Passado Futuro Impostos
  11. 11. 11 Por que mudar?
  12. 12. BAIXO CRESCIMENTO DA ECONOMIA DESIGUALDADE SOCIAL AUMENTO DA ALÍQUOTA DOS IMPOSTOS REDUÇÃO DA ARRECADAÇÃO DÍVIDA ATIVA BAIXA GERAÇÃO DE EMPREGOS RENÚNCIAS / BENEFÍCIOS FISCAIS ALTO CUSTO DE ARRECADAÇÃO ALTO CUSTO BUROCRÁTICO AUTUAÇÕES CONTENCIOSO NA JUSTIÇA BAIXA COMPETITIVIDA DE NA EXPORTAÇÃO AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES ENQUADRAMENTO INDEVIDO NO SIMPLES REFIS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA FISCALIZAÇÃO BAIXA COMPETITIVIDA DE NO MERCADO INTERNO ALTA CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE PRODUTOS ESSENCIAIS INFORMALIDADE INADIMPLÊNCIA SONEGAÇÃO Efeitos Indesejáveis – Por que Mudar?
  13. 13. Simplificar é reduzir o número de pontos de contato para impactar todo um sistema. Teoria das Restrições 13 A complexidade de um sistema é medida pelo número de pontos que se deve tocar para impactar todo o sistema. SISTEMA A SISTEMA B
  14. 14. Processo mercantil 14 Varejo Manufatura MERCADORIAS Sistema Simples Sistema Complexo Industria DINHEIRO MERCADORIAS DINHEIRO
  15. 15. 15 O que mudar?
  16. 16. Árvore da Realidade Atual O que mudar? 16
  17. 17. Causas Raízes BAIXO CRESCIMENTO DA ECONOMIA DESIGUALDADE SOCIAL AUMENTO DA ALÍQUOTA DOS IMPOSTOS REDUÇÃO DA ARRECADAÇÃO DÍVIDA ATIVA BAIXA GERAÇÃO DE EMPREGOS RENÚNCIAS / BENEFÍCIOS FISCAIS ALTO CUSTO DE ARRECADAÇÃO ALTO CUSTO BUROCRÁTICO AUTUAÇÕES CONTENCIOSO NA JUSTIÇA BAIXA COMPETITIVIDA DE NA EXPORTAÇÃO AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES ENQUADRAMENTO INDEVIDO NO SIMPLES REFIS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA FISCALIZAÇÃO BAIXA COMPETITIVIDA DE NO MERCADO INTERNO ALTA CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE PRODUTOS ESSENCIAIS INFORMALIDADE INADIMPLÊNCIA SONEGAÇÃO IMPOSTOS CUMULATIVOS AUTONOMIA LEGISLATIVA TRIBUTÁRIA DOS ENTES FEDERADOS ALTA CARGA TRIBUTÁRIA NA BASE CONSUMO TRANSAÇÕES BANCÁRIAS NÃO TÊM SUPORTE CONTÁBIL RECOLHIMENTO É INICIATIVA DO CONTRIBUINTE IMPOSTO É DECLARATÓRIO Efeitos Indesejáveis
  18. 18. Para o que mudar? 18 Para o que mudar?
  19. 19. Eliminando as Causas Raízes Para o que mudar? 19
  20. 20. IMPOSTOS CUMULATIVOS AUTONOMIA LEGISLATIVA TRIBUTÁRIA DOS ENTES FEDERADOS ALTA CARGA TRIBUTÁRIA NA BASE CONSUMO TRANSAÇÕES BANCÁRIAS NÃO TÊM SUPORTE CONTÁBIL RECOLHIMENTO É INICIATIVA DO CONTRIBUINTE IMPOSTO É DECLARATÓRIO BAIXO CRESCIMENTO DA ECONOMIA DESIGUALDADE SOCIAL AUMENTO DA ALÍQUOTA DOS IMPOSTOS REDUÇÃO DA ARRECADAÇÃO DÍVIDA ATIVA BAIXA GERAÇÃO DE EMPREGOS RENÚNCIAS / BENEFÍCIOS FISCAIS ALTO CUSTO DE ARRECADAÇÃO ALTO CUSTO BUROCRÁTICO AUTUAÇÕES CONTENCIOSO NA JUSTIÇA BAIXA COMPETITIVIDA DE NA EXPORTAÇÃO AUMENTO NAS IMPORTAÇÕES ENQUADRAMENTO INDEVIDO NO SIMPLES REFIS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA FISCALIZAÇÃO BAIXA COMPETITIVIDA DE NO MERCADO INTERNO ALTA CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE PRODUTOS ESSENCIAIS INFORMALIDADE INADIMPLÊNCIA SONEGAÇÃO IMPOSTOS NÃO CUMULATIVOS UNIFICAÇÃO LEGISLATIVA TRIBUTÁRIA DA BASE DE CONSUMO CARGA TRIBUTÁRIA ADEQUADA NA BASE CONSUMO TRANSAÇÕES BANCÁRIAS PASSAM A TER SUPORTE CONTÁBIL RECOLHIMENTO É AUTOMÁTICO PELO SISTEMA BANCÁRIO IMPOSTO É CALCULADO DO PELO ESTADO
  21. 21. Árvore da Realidade Futura Para o que mudar? 21
  22. 22. CRESCIMENTO DA ECONOMIA IGUALDADE SOCIAL REDUÇÃO DA ALÍQUOTA DOS IMPOSTOS AUMENTO DA ARRECADAÇÃO REDUÇÃO DA DÍVIDA ATIVA AUMENTO NA GERAÇÃO DE EMPREGOS BENEFÍCIOS FISCAIS PELO ORÇAMENTO BAIXO CUSTO DE ARRECADAÇÃO BAIXO CUSTO BUROCRÁTICO REDUÇÃO DAS AUTUAÇÕES REDUÇÃO DO CONTENCIOSO NA JUSTIÇA EXPORTAÇÃO DE MANUFATURADOS REDUÇÃO DAS IMPORTAÇÕES CORRETO ENQUADRAMENTO NO SIMPLES ELIMINAÇÃO DO REFIS ELIMINA AS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS ELIMINA A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REDUÇÃO NA FISCALIZAÇÃO COMPETITIVIDA DE NO MERCADO INTERNO BAIXA CARGA TRIBUTÁRIA SOBRE ALIMENTOS E REMÉDIOS REDUÇÃO DA INFORMALIDADE ELIMINA INADIMPLÊNCIA REDUÇÃO DA SONEGAÇÃO IMPOSTOS NÃO CUMULATIVOS UNIFICAÇÃO LEGISLATIVA TRIBUTÁRIA DA BASE DE CONSUMO CARGA TRIBUTÁRIA ADEQUADA NA BASE CONSUMO TRANSAÇÕES BANCÁRIAS PASSAM A TER SUPORTE CONTÁBIL RECOLHIMENTO É AUTOMÁTICO PELO SISTEMA BANCÁRIO IMPOSTO É CALCULADO DO PELO ESTADO
  23. 23. Como Provocar a Mudança? 23 Como provocar a mudança?
  24. 24. Como provocar a mudança Cobranças bancárias de empresas contribuintes:  Nos boletos de cobrança ou transferências bancárias, deverão constar o numero da Nota Fiscal e o valor do imposto a ser recolhido;  Somente após confirmado o recebimento do imposto referente a cada Nota Fiscal, é que será gerado um crédito financeiro para o contribuinte;  Diariamente pela liquidação do boleto será creditado ao contribuinte o valor liquido de impostos;  Em D+2 Será feito o credito financeiro aos contribuintes e ao governo. 24
  25. 25. Boleto bancário com vínculo fiscal 25 R$120,00 R$20,00 R$100,00
  26. 26. Como provocar a mudança Para cobranças por meio de pagamentos:  O imposto será calculado pelos sistemas de ponto de venda de cada estabelecimento;  Será destacado na transação o valor do imposto;  Os sistemas de meios de pagamento farão depósitos ao CNPJ emitente já liquido de impostos;  Os tributos referente as vendas à dinheiro serão recolhidas como atualmente, com base na escrituração fiscal. 26
  27. 27. Como provocar a mudança 27 NF-e Cálculo dos créditos de impostos Extratos Bancários Conta Impostos Créditos de impostos Demonstrativos Contábeis União Estados, Municípios e Contribuintes Comitê Gestor Notas Fiscais Pendentes de Pagamento Fiscalização
  28. 28. Como provocar a mudança Comitê Gestor  Será o órgão que irá apurar, conferir e controlar os impostos em todas as esferas. Caso o Governo Federal possua um IBS específico, terá seu próprio comitê gestor;  O Sistema do comitê gestor receberá diariamente das SEFAZ as NFEs, e do sistema bancário as transações de liquidação dos impostos;  A apuração passa a ser feita diariamente e transferida para os cofres da União, Estados e Municípios;  O sistema do Comitê Gestor disponibilizará informações eletrônicas sobre as movimentações da conta de impostos para cada contribuinte, permitindo automatizar a contabilização. 28
  29. 29. Governo Apuração e Recolhimento 29 Exemplo: IBS: 20% Insumos Manufatura R$100 Varejo R$200 Consumidor R$400 R$20 R$20 R$40 R$40 R$80
  30. 30. Concluindo 30
  31. 31. ... simplificando o sistema tributário. Concluindo 31 Milhões de pontos de contato Teremos reduzido os números pontos de contato... dezenas de pontos de contato.
  32. 32. Eliminado o Conflito 32 Fomentar o desenvolvimento econômico Podemos Podemos Para Para Garantir a arrecadação do Estado Garantir a competitividade das empresas Simplificar o Sistema Tributário
  33. 33. Concluindo... O imposto é calculado pelo Estado 33 O recolhimento é automático pelo sistema bancário Transações bancárias passam a ter suporte contábil Crédito Financeiro das etapas anteriores Carga tributária adequada na base consumo Unificação legislativa tributária da base de consumo
  34. 34. OBRIGADO! 34 WWW.MIGUELABUHAB.COM Miguel Abuhab e Luiz Carlos Hauly WWW.HAULY.COM.BR

×