Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017

Croacia Tumlare Tour 2017

  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Croácia Bosnia & Hercegovina Montenegro Eslovenia 2017

  1. 1. CROÁCIA & ESLOVÊNIA BÓSNIA & HERZEGOVI NA SÉRVIA & MONTENEG RO Novas repúblicas oriundas da antiga Iuguslávia no Leste Europeu Guia de Turismo :Mauro Friedrich Atualizado em Janeiro 2017
  2. 2. ROTEIRO ENCANTADORA CROÁCIA 2017 (TUMLARE TURISMO)  Dia 1- SAB – Vôo BRASIL/ EUROPA  Dia 2 – DOM– EUROPA/ Zagreb (Chegada à Croácia)  Dia 3 – SEG – Zagreb (capital da Croácia) – Parque Nacional Plitvice/ Almoço incluso no parque/ Retorno a Zagreb  Dia 4 – TER – Zagreb (city-tour)/ Slavonic Brod (fronteira HR/B&H) / Saravejo (Bósnia e Herzegovina).  Dia 5 – QUA – Sarajevo – Tour na cidade  Dia 6 – QUI – Sarajevo/ Mostar (Herzegovina)/ Pociteli/ Medjugorie/ Neum (B&H)/ Dubrovnick (Croácia)  Dia 7 – SEX – Dubrovnick - Tour na cidade.  Dia 8 – SAB – Dubrovnick/ Baía de Kotor/ Budva (Montenegro)/ retorno a Dubrovnick.  Dia 9 – DOM – Dubrovnick/ DERVENICK-SUCURAJ(Ferry-boat)/ Ilha de Hvar  Dia 10 – SEG – Ilha de Hvar (DIA LIVRE)  Dia 11 – TER - Ilha de Hvar/ Ferry boat / Split/ Trogir/ Zadar/ Opatija  Dia 12 – QUA – Split/ Trogir/ Zadar/ Opatija  Dia 13 – QUI - Opatija/ Postojna (Eslovênia)/ Ljubliana (Eslovênia).  Dia 14 – SEX – Ljubliana/ Lago Bled/ Ljubliana  Dia 15 – SAB – Manhã livre em Ljubliana/ Zagreb  Dia 16 – DOM – ZAGREB / Vôo ao Brasil com conexão.  Dia 17 – SEG - CHEGADA AO BRASIL 17 DIAS & 14 PERNOITES Zagreb = 2 + 1 Sarajevo = 2 Dubrovnick = 3 Hvar = 2 Opatija = 1 Ljubliana = 2
  3. 3. GRUPO IM TURISMO  AIR FRANCE 443 03 JUN GIG 1540 CDG 0750 04 JUN  AIR FRANCE 1560 04 JUN CDG 1220 ZAG 1415  KLM 3080 18 JUN ZAG 0825 AMS 1030 (CROATIA AIRLINES)  KLM 705 18 JUN MAS 1250 GIG 1935  O VÔO CHEGARÁ AO RIO DE JANEIRO NO MESMO DIA DA PARTIDA DE ZAGREB. O TOUR TERÁ 16 DIAS NO TOTAL.
  4. 4. O MEDITERRÂNEO NO PERÍODO DE ROMA ANTIGA O Império Romano ocupou as terras ao redor do Mar Mediterrâneo, chamado pelos antigos romanos de “Mare Nostrum” (Nosso Mar).
  5. 5. O antigo Império Romano ocupou os territórios do atual Leste Europeu e deixou marcas de sua cultura e de sua religião, a católica romana (croata) e a católica ortodoxa (sérvia). Os povos eslavos, considerados pelos antigos romanos como “escravos” têm sua origem, na região do Leste Europeu (provavelmente na atual Polônia), e ao longo dos séculos viveram sangrentas batalhas para afirmarem suas identidades e sobrevivência étnicas.
  6. 6. A EXPANSÃO DO IMPÉRIO OTOMANO NA EUROPA De século 12 (Idade Média) ao século 20 (Tempos atuais)
  7. 7. O IMPÉRIO OTOMANO E O ORIENTE PRÓXIMO Os turcos otomanos expandiram seus territórios na Idade Média, alcançando o Leste Europeu e deixando traços inedeléveis de sua cultura e da religião muçulmana ao longo de 5 séculos de ocupação, que só terminou em 1918 ao final da I Guerra Mundial. Nesta época, o Leste Europeu era chamado de “Oriente Próximo”.
  8. 8. O REINO DA IOGUSLÁVIA DO PÓS A 1 GUERRA MUNDIAL (1914-1918) A II GUERRA MUNDIAL (1939 – 1945) Os povos eslavos do sul organizam o seu reino, que irá se transformar numa federação de nações governadas pelo regime socialista soviético.
  9. 9. PAÍSES ATUAIS DA ANTIGA IOGUSLÁVIA País Sigla Capital Moeda Euro 1 = Eslovênia SLO Liubjana Euro Euro 1,00 Croácia HR Zagreb Kuna (HRK) ou (Kn) HRK 7,27 Bosnia e Herzegovina BH Sarajevo Marco Conversível Bósnio (BAM) BAM 1.95 Macedônia MK Skopje Dinar Macedônico (MKD) MKD 62,20 Sérvia SRB Belgrado Dinar Sérvio (RSD) RSD 99,00 Kosovo KS Pristina Euro Euro 1,00 Montenegro MNE Podgorica Euro Euro 1,00
  10. 10. A (EXTINTA) IUGUSLÁVIA  Os atuais países do Leste Europeu foram inicialmente resultado direto da divisão territorial do Império Austro-Húngaro, após sua derrota na I Guerra Mundial em 1918.  Unidos territorialmente até 1918, cada um destes novos países tinha sua etnia, cultura, língua e religião. Assim mesmo foram unificados num só país, denominado Reino da Ioguslávia (termo que significa: “terra dos eslavos do sul”).  1918 a 1929 – Após a I Guerra Mundial, o país recém criado tinha o nome de reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos.  1929 a 1941- O Rei Alexandre mudou o nome do país para Reino da Ioguslávia, até ter ser território ionvadido pelas tropas nazistas alemães em 1941.  1945 e 1991 – Após o término da II Guerra Mundial, assim como outros países do Leste Europeu, o reino foi ocupado por tropas soviéticas russas e tornou-se um estado socialista, passando a chamar-se República Socialista da Ioguslávia.  1992 – Quatro dos seis estados que compunham a federação separam-se da Ioguslávia, formando países independentes: Eslovênia, Croácia, , Macedônia e Bosnia e Herzegovina.  2003 – Os dois estados remanescentes, Sérvia e Montenegro, continuaram como Ioguslávia até este ano, e depois aboliram o nome Ioguslávia adotando o nome de Sérvia e Montenegro, porém com muita instabilidade política.  3/6/2006 - Após um referendum popular, a República de Montenegro opta por separar-se da Sérvia, formando um país independente. A Sérvia passa a ser território independente também.  17/2/2008 – A província do Kosovo, na Sérvia, cuja maioria da população é de origem albanesa, declarou-se unilateralmente também uma Província Autônoma do Kosovo (criando um novo país), cuja capital é Pristina. Estado não oficialmente reconhecido pela atual Sérvia.  Nos últimos 92 anos de sua história, a região viveu 46 anos sob o regime comunista da antiga União Soviética, e nos últimos 18 anos se sub-dividiu em novos 7 países de regime capitalista.  Sem esquecer que o estopim da I Guerra Mundial deu-se em Saravejo (capital da atual da Bósnia) em 1914 com o atentado contra a vida di Arqui- duque Francisco Ferdinando, filho do imperador Francisco José I, da Áustria.  O processo foi bastante difícil com muitos conflitos e beligerância entre eles, que ao longo da história caracterizou as lutas dos povos na região dos Balcâs. Josip Broz Tito, nascido croata, foi militar e presidente da Ioguslávia de 1956 a 1980, desenvolvendo uma política socialista e comunista independente de Moscou. Morreu em 1980 em Ljubliana, atual Eslovênia
  11. 11. PAÍSES DO LESTE EUROPEU (ANTIGO BLOCO COMUNISTA APÓS A II GUERRA MUNDIAL – 1945 A 1989) A II Grande Guerra Mundial moldou as fronteiras sociais e políticas da maioria dos países do Leste Europeu (marcado em laranja), que também foram sendo modificadas a partir de 1989 até 2008 acompanhando o processo de “queda do sistema socialista soviético”. É a parte da Europa que ainda se estabiliza politcamente.
  12. 12. PAÍSES DO LESTE EUROPEU (ANTIGO BLOCO COMUNISTA APÓS A II GUERRA MUNDIAL – 1945 A 1989)
  13. 13. Embaixada do Brasil em Zagreb (Croácia) Trg Nikole Šubića Zrinskog,10/I, 10.000 - Zagreb  Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.  Telefones:  Geral: +385 (1) 400 2250  Setor Consular: +385 (1) 400 2253/2254  Setor de Administração: +385 (1) 400 2251/2252  Setor Cultural: +385 (1) 400 2254  Setor Comercial: +385 (1) 400 2256/2250 Fax: +385 (1) 400 2266  E-mails:  Geral: info@brazilembassy.hr  Setor Consular: consular@brazilembassy.hr  Setor de Administração: administration@brazilembassy.hr  Setor Cultural: cultural@brazilembassy.hr  Setor Comercial: comercial@brazilembassy.hr Embaixadas e Consulados do Brasil (NA REGIÃO DA ANTIGA IOGUSLÁVIA)
  14. 14. Embaixada do Brasil em Liubliana (Eslovênia)   Horário de funcionamento:  de segunda à sexta-feira das 09:00 às 17:00 horas. Endereço da Embaixada do Brasil em Liubliana: Kongresni trg 3 1º  andar – Embaixada/ 2º. Andar - Consulado 1000 Ljubljana – Slovenia Tel.: + 386 1 244 2400 Fax: + 386 1 244 2420 e-mail da embaixada: mail@brazil.si Assuntos consulares: consular@brazil.si   Embaixadas e Consulados do Brasil (NA REGIÃO DA ANTIGA IOGUSLÁVIA)
  15. 15. EMBAIXADAS E CONSULADOS DO BRASIL (NA REGIÃO DA ANTIGA IOGUSLÁVIA) Embaixada em Belgrado (Sérvia) Ambasada Brazila FUSO HORÁRIO: +4 (em relação ao Brasil) Endereço: Ul. KRUNSKA, 14 11000 - BELGRADE SERBIA Contatos: (00381 11) 323 97 81 / 323 97 82 / 323 97 83 (Geral) (00381) 65 323 9781 (Plantão Diplomático) (00381) 65 323 9787 (Plantão Consular) (0038111) 323-0653 (Fax) brasbelg@eunet.rs www.ambasadabrazila.org.rs
  16. 16. CROÁCIA O PAÍS QUE INVENTOU A GRAVATA Terra natal de Marco Pólo e Nicolau Tesla
  17. 17. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA (HR) População: 4,8 milhões de habitantes (114º. Posição entre os países do mundo), sendo 57% de população vivendo em centros urbanos. Cerca de 89,6% são de origem croata (que vivem na região há 13 séculos), e 87,8% são católicos. Cerca de 99% falam o idioma oficial do país; o Servo- Croata, que se escreve com o alfabeto latino. Expectativa de vida média da população é de 75,7 anos. Área Territorial: 56.542 km2 (126º. Maior país do mundo em área territorial) Capital: Zagreb (973 mil habitantes) e a maior cidade do país. Moeda nacional: Kuna (HRK) ou localmente representado por (Kn) que sub- divide-se em 100 Lipas. Euro 1 = HRK 7,50 (abril 2015) O nome Croácia é a forma aportuguesada da palavra francêsa Croate, que deriva do eslavônico Horvat, que significa: “povos das montanhas”. Hidrografia: os dois rios principais do país são Drava e Sava, que contornam o interior do país e sã o alfuentes do rio Danúbio. Fuso Horário: de março a outubro + 5 horas em relação ao Horário de Brasília. A Constituição da Croácia data de 22/12/1990, tendo sido admitida na Onu como nação independente em 15/01/1992. É país membro da Comunidade Européia desde 1/07/2013. Seu sistema de governo é misto entre o parlamentarismo e o presidencialismo.
  18. 18. CROÁCIA – A MOEDA NACIONAL É KUNA  Embora já seja um estado membro da União Européia, a Croácia ainda não abandonou a sua moeda nacional; a Kuna (símbolo local = KL), cujo valor médio da taxa cambial é de Euros 1 = KL 7,50.  Kuna, em idioma croata, significa o nome do animal arminho (uma espécie de pequena raposa), cuja pele era usada como moeda de troca na época medieval. O mesmo nome foi adotado para a moeda local.
  19. 19. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA HISTÓRICO DO PAÍS Séculos IV a III AC – o território era ocupado por povos Celtas, que o chamavam de Noricum. Século I AC até o Século V DC – o território passa a ser ocupado pelos antigos Romanos. Século VI – Chegam os primeiros povos eslavos e criam o ducado de Carantania (atual, Carinthia, na Áustria atual). 965 ao século XI – O Duque Tomislav torna-se o primeiro rei dos Croatas, num território que ia do Rio Drava ao Mar Adriático. Iniciou uma dinastia de reis croatas´que durou até o século XI, quando o país passou a ser governado por reis Húngaros. 1389 - Início da expansão territorial turca na região dos Balcãs, com a Batalha do Kosovo, que marcou a derrota dos sérvios e o passo inicial dos turcos otomanos para a conquista dos Balcãs. Idade Média - O país passa ao controle do Império Austro-Híngaro. 1521 -1566 – O Sultão Solimão I, o Magnífico, ocupou e consolidou as antigas conquistas com suas tropas turcas otomanas que passaram a ocupar grande parte dos Balcãs e países do atual Leste Europeu, ampliando ainda mais o já imenso império Turco Otomano no continente europeu.  A região da Croácia passou a ser a área de divisão entre os turcos otomanos islâmicos (a região sul da Croácia) e os europeus e croatas católicos (na região norte do país).  Séculos XX e XXI  1918 - 1929 - Torna-se reino independente dos Croatas, Sérvios e Eslovenos.  1929 – 1941 – O rei Alexandre I muda o nome para reino da Ioguslávia (“terra dos eslavos do sul”)  1941 a 1945 - Região é tomada e ocupada por tropas nazistas alemães.  1945 – 1991 – Ocupação pelas tropas soviéticas e implantação do regime socialista: República Socialista da Ioguslávia.  1990 a 1992 - Quatro dos 6 estados se tornam independentes da Ioguslávia, com a Croácia entre eles.  1991 a 1995 – Militares sérvios iniciam uma guerra contra a Croácia, alegando proteger minorias sérvias no país. A Croácia, quase sem armas, vence o poderoso exército ioguslavo e recupera territórios sem a ajuda externa de outras potências.  1998 – A Croácia recupera o território da Eslavônia Oriental, após pressões diplomáticas internacionais.  1/07/2013 – Ingressa como país membro da EU.
  20. 20. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA 5 Regiões da Croácia O mapa do país tem o formato de uma ferradura, pois seu território foi demarcado em função de etnias croatas que viviam nestas regiões há quase 13 séculos. NO INTERIOR DO PAÍS Eslavônia – Zagreb – NO LITORAL DO MAR ADRIÁTICO Istria - Kvarner – Dalmatia -
  21. 21. CROÁCIA – REGIÃO DE ZAGREB Território central do país
  22. 22. ZAGREB – A CAPITAL DA CROÁCIA  A capital está localizada no centro do país, num território entre o vale do rio Sava e as montanhas.
  23. 23. Centro da cidade Aeroporto de Zagreb
  24. 24. ZAGREB – PARTE ALTA DA CIDADE ÁREA MEDIEVAL
  25. 25. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Capital da Croácia desde 1557  Altitude: 120 metros acima do nível do mar  População: 973 mil habitantes (92% de croatas).  1094 – Fundação da cidade às margens do rio Sava pelo rei húngaro Ladislau I, quando criou uma diocese no Monte Kaptol. No monte vizinho, Gradec, surgiu outra comunidade independente.  1242 – Os Mongóis ocupam os dois montes da cidade, mas logo depois da saída dos Mongóis outro rei húngaro, Bela IV, proclama a cidade de Gradec como reino autônomo, como forma de atrair artesãos estrangeiros para a cidade, que competia com o Monte Kaptol.  Século XVI - As duas comunidade uniram-se formando a atual cidade de Zagreb.  Durante o período de dominação Austro- húngara, quando imperava a língua alemã, a cidade recebeu o nome de AGRAM, e em italiano como ZAGABRIA.  O centro histórico da cidade está na parte alta dos 2 montes, que é ligada à parte baixa por uma teleférico.  Zagreb está geograficamente localizado no centro do país, assim como é um importante eixo de ligação rodoviária no Leste Europeu para a Europa Mediterrânea.  Os principais pontos turísticos estão num raio de 1 km do centro. Zagreb “a Viena dos Balcâs” O arquiteto vienense Hermam Bollé (foto) foi quem construiu os principais edifiícios de Zagreb, o que lhe valeu o apelido de “Viena dos Balcãs”, dada o estilo arquitetônico semelhante à capital da Áustria.
  26. 26. Parte Alta Parte Baixa Parte Baixa Pós- II Guerra
  27. 27. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Próximo à catedral, está o complexo barroco do Palácio Arcebispal, também conhecido como Kaptol (originado do latim – Capitulum – grupo de regras eclesiáticas), na parte alta da cidade.  É uma das mais antigas construções (de 1094) que ainda resiste na cidade, feito na época do rei Ladislau que fundou o Bispado de Zagreb A catedral próxima data de 1217.  A fortificação que existe nas proximidades foi construída com o objetivo de deter a invasão da cidade pelos turcos otomanos a partir de 1469. Zagreb Palácio Arcebispal
  28. 28. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Uma das mais famosas construções da cidade, com suas torres de 104 e 105 metros de altura, em estilo gótico, data do século XV, mas a igreja original já exisitia desde o século XIII., e seu aspecto atual data do século XX.  A igreja tem 3 nomes oficiais e foi atingida por um grande terremoto em 1880, quando o prédio da nave central desmoronou.  O rei sérvio Estevão III Brankovic era cego, mas governou a Sérvia por algum tempo na Idade Média, tendo sido destronado em 8/4/1458 pelos reis húngaro Mathias I e bósnio Estevão Tomas. Depois de falecer, passou a ser venerado como santo pela Igreja Ortodoxa Sérvia. Zagreb Catedral de Assunção da Virgem Maria Catedral de São Estevão Katedrala
  29. 29. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Torre fortificada erguida em estilo romanesco no século XIII, para melhorar a defesa dos portais da cidade baixa, de onde se dispara diariamente, desde 1877, um tiro de canhão, para anunciar à cidade o horário do meio-dia (e funciona como o aferidor dos relógios da cidade).  Um teleférico permite a ligação entre a cidade alta e a cidade baixa, com bonita vista da cidade (valor do ingresso por viagem é 4 kunas por passageiro).  Ingressos para subida na torre = Kn10 (10 cunas)  Na Idade Média, era a principal torre de defesa, e seu sino também anunciava à cidade a ocorrência de incêndios, tempestades e outros perigos que fossem chegar ao local, alertando a sua população. Zagreb Torre Lotrscak
  30. 30. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Construída em estilo barroco, seu interior é pintado em cor de rosa, que representa a santa.  A obra foi feita no século XVII por ordem dos padres Jesuítas.  Santa Catarina viveu no século IV, em Alexandria, no Egito, mas tornou-se uma das santas mártires mais veneradas pela Igreja Ortodoxa , e na Igreja católica é uma das consagradas santas. Zagreb Igreja de Santa Catarina
  31. 31. MUSEU DAS RELAÇÕES PARTIDAS Criado em 2006 e aberto em 2010, por um casal de artistas plásticos que romperam seu relacionamento amoroso em 2003, objetiva mostrar aspectos das relações “quebradas” entre as pessoas. Desde Julho de 2016, tem uma filial em Hollywood, CA, USA. O museu é privado e aberto 7 dias por semana.
  32. 32.  Construída no século XIII e reconstruída no século XIV, em, estilo romanesco tem 3 naves em estilo gótico.  É considerado um dos cartões postais da cidade pois o telhado da catedral , de 1499, apresenta através de desenhos em suas telhas as formas dos símbolos do brasão de armas de Zagreb e da Croácia (o reino unido da Croácia, Eslavônia e Dalmácia (as principais regiões que forma o pequeno país.)  O pórtico sul data do século XIV com 15 figuras esculpidas pelos artistas da família Parler, em 11 nichos, representando no alto São José, Santa Maria e o menino Jesus, São Marcos, o Leão e os 12 apóstolos. Este é considerado o pórtico gótico mais valioso do sul do Leste Europeu.  O prédio da igreja, assim como outros no país, sofreram muitos danos devido a história de antigos conflitos que existiram na região. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Zagreb Igreja de São Marcos
  33. 33. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Construída em 1962, em estilo moderno, para servir de residência oficial do então presidente ioguslávo Josef Tito, e passou a ser 30 anos depois, (em 1992), a residência oficial do presidente da Croácia, quando o país tornou-se idependente.  Os passos da troca da guarda palaciana foram criados e ensaiados por um bailarino profissional, e o cerimonial introduzido após a Independência da Croácia, mas a as autoridades locais “garantem” que a cerimônia da troca da guarda é “antiga tradição no país”. Zagreb Palácio Presidencial Vila Zagorje
  34. 34. PRAÇA BAN JELACIC (ARQUITETURA AUSTRÍACA) Estátua equestre de Ban Jelacic
  35. 35. MUSEU DE BELAS ARTES MIMARA
  36. 36. TEATRO NACIONAL EM ZAGREB
  37. 37. FONTE DO TEATRO NACIONAL - ZAGREB
  38. 38. CEMITÉRIO MIROGOJ - ZAGREB
  39. 39. O “TRAM” DE ZAGREB
  40. 40. PRINCIPAIS LINHAS DO “TRAM” DE ZAGREB
  41. 41. HOTEL ESPLANADE - ZAGREB
  42. 42. ESTAÇÃO FERROVIÁRIA CENTRAL DE ZAGREB (ORIENT EXPRESS)
  43. 43. PRAÇA DO REI TOMISLAV
  44. 44. PRAÇA DO REI TOMISL AV
  45. 45. HOTEL SHERATON ZAGREB
  46. 46. CROÁCIA – REGIÃO DO KVARNER Região das montanhas e florestas do país
  47. 47. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA PARQUE NACIONAL PLITVICE O platô de Plitvice está entre uma cadeia de montanhas com picos de 1.280 a 1.640 metros de altitude, nas proximidades à fronteira com a Bósnia –Herzegovínia, e abrange um complexo de 16 lagos naturais (sendo 12 lagos superiores e 4 lagos inferiores), entre altitudes de 503 a 636 metros, cobrindo uma área total de 8 quilômetros quadrados e formando 92 cachoeiras naturais de impressionante beleza pela cor de suas águas. Os lagos são naturalmente separados entre si por barreiras de rochas travertinas (que se formam por ação de algas e bactérias e crescem em média 1 cm por ano). As águas dos lagos apresentam variadas colorações, do verde claro ao azul celeste. A região é um verdadeiro paraíso natural e ao longo da história foi habitada por várias civilizações, mas o primeiro hotel de turismo da região só foi aberto em 1896. Em 1949, o governo comunista da Ioguslávia nacionalizou os lagos, tranformando a área em parque nacional, e 30 anos depois a Unesco declarou Plitvice como Patrimônio Mundial da Humanidade. Apesar de tudo, nos conflitos militares servo-croatas de 1991, foram instalados campos minados no parque (e algumas cidades na região ainda são consideradas áreas de grande risco de explosão de minas até hoje). A Croácia retomou a região em 1995, mas somente em 1998 a maioria dos campos minados foram varridos, e em 2000 a área do parque foi ampliada para mais de 102 km2.
  48. 48. PARQUE NACIONAL PLITVICE
  49. 49. PARQUE NACIONAL DE PLITVICE
  50. 50. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Mapa dos lagos do Parque Nacional de Plitvice
  51. 51. CROÁCIA – REGIÃO DA ESLAVÔNIA A região dos campos agrícolas croatas
  52. 52. CROÁCIA – REGIÃO DA ESLAVÔNIA  A região da Eslavônia (uma das 5 mais importantes regiões Croatas) tem 12.556 KM2 de área territorial (cerca de 22% do território da Croácia) e 18% da população do país reside na região (806 mil habitantes). Devido aos vales dos rios Drava, Sava e Danúbio, a região concentra cerca de 45% das terras de produção agrícola do país.  No começo da Idade Média, os povos eslavos chegaram à região e passaram a chamar-se de Eslavônios. A partir de 1536, os turcos otomanos se expandiram para a região da Eslavônia e foram crescendo até 1547, quando foi estabelecida uma fronteira entre os território dos Habsburg (Império Austro-Húnagaro) e os Turcos Otomanos. Os turcos otomanos só deixaram a região em 1687, porém não abandonaram os territórios croatas que hoje formam a ByH. Para compensar a fuga da população croata para as regiões austríacas, os Habsburg se valeram para atrair a população ortodoxa (que é a maioria da Sérvia). A região era vista pelo Império Austro-Húngaro como sua fronteira militar com o Império Turco Otomano.  Devido a esse encontro de culturas, a Eslavônia guarda traços culturais de todas estas etnias, incluindo os húngaros, pois a região também faz fronteira com a Hungria. Em 1881, a região passou a fazer parte da Croácia.
  53. 53. ESLAVÔNIA – O CELEIRO DA CROÁCIA
  54. 54. CROÁCIA – TRECHO RODOVIÁRIO DE ZAGREB A SARAJEVO, VIA ESLAVÔNIA (1)
  55. 55. CROÁCIA – TRECHO RODOVIÁRIO DE ZAGREB A SARAJEVO, VIA ESLAVÔNIA (2)
  56. 56. CROÁCIA – SLAVONSKI BROD  Cidade de Slavonski Brod – É a sexta maior cidade da Croácia e a segunda maior da região da Eslavônia, com população estimada em 110 mil habitantes (1º - Zagreb; 2º. Split; 3º. Rijeka; 4º. Osijek (maior cidade da Eslavônia); 5º. Zadar). Está a 197 Km de Zagreb (cerca de 2,30 hs de viagem rodoviária) e a 93 metros de altitude acima do nível do mar. Localização na região agrícola da Eslavônia, mas a cidade tem forte reputação industrial na Europa na área de produção de metais e metalurgia pesada. É importante centro comercial e está na rota natural que liga a Europa Central à Ásia Menor (atual Turquia). É parte integrante do corredor rodoviário da rota E 73, auto-pista que liga a Europa de Norte a Sul, permitindo o acesso à Hungria, Sérvia e ByH. Porto fluvial no Rio Sava.  Há registros de que a região já era habitada há 8 mil anos passados. Na Antiguidade, os Romanos (que conquistaram a região no ano 35 AC) nomearam a cidade como Marsonia. Os croatas aqui chegaram no século VII. No período do governo Austro-Húngaro, passou a chamar-se Brood (em alemão). E depois de 1934, mudou o nome para Brod na Savi (que significava “passagem ou vau sobre o rio Sava”). Em Croata moderno, Brod significa atualmente “navio ou embarcação”.  Outro ponto turístico de destaque na cidade é o Mosteiro Franciscano e sua histórica biblioteca, que data de 1694 e a atual igreja começou a ser construída em 12/08/1723 em estilo barroco. O mosteiro é fortificado (como se costumava construir na época), e os franciscanos já haviam chegada à região desde o século XIII.
  57. 57. CROÁCIA – SLAVONSKI BROD  FORTALEZA DE SLAVONSKI BROD - A fortaleza de SlavonskI Brod foi construída em estilo barroco entre 1715 a 1780, numa área completamente plana de 33 hectares às margens do rio Sava. O príncipe Eugene de Savoy (grande herói militar e general do Império Austro-Húngaro, que dominava a região na época) criou um sistema de defesa dos territórios do império na primeira metade do século XVIII, e mandou construir a fortaleza em formato de estrela, baseado no sistema de defesa Vauban (do General francês Sebastién Le Prestes Vauban, arquiteto militar que construiu 12 fortificações no mesmo estilo na França no começo do século XVIII), criando 3 áreas de barreiras de defesa através de fossos e muralhas.  Na época da construção da fortaleza, a Bósnia e Herzegovina era uma província da Turquia (e a região era chamada até 1918 de Oriente Próximo). As tropas do império muçulmano turco já haviam conquistado, desde o século XV, muitos dos territórios europeus e chegaram até mesmo a ocupar Viena (a capital da atual Áustria e do então Império Austro- Húngaro).
  58. 58. CROÁCIA – SLAVONSK BROD  Na região havia escassa mão de obra, e o governo do Império Austro- Húngaro construiu a fortaleza na base de “trabalhos forçados dos camponeses”. Cerca de 634 trabalhadores e 53 carroças puxadas a cavalo trabalharam diariamente na construção. Quando pronta, a fortaleza poderia abrigar 4 mil soldados de infantaria do Império Austro-Húngaro e 150 canhões. Eram necessários 10 de preparação e 46 dias consecutivos de ataques das tropas inimigas para se ocupar e conquistar a fortaleza. Para maior garantia dos militares, o Império Austro-Húngaro proibia a construção de casas ou edifícios na cidade feitos de material resistente (tijolos ou pedras). Em caso de ataque dos turcos, a idéia era destruir completamente a cidade de Brod. Graças a esta medida, a cidade de Brod só tinha até o século XVIII casas de madeira, que poderiam ser facilmente derrubadas em caso de ataques.  Nesta época, a concepção militar de ataque às fortalezas se dava através de escavação de trincheiras para que as tropas militares pudessem se aproximar da fortificação. As três linhas de fossos de água que circundam a fortaleza visavam dificultar ao máximo esta tarefa.  A tecnologia militar evoluiu de tal forma no final do século XVIII que a fortaleza jamais entrou em combate e tornou-se hoje num museu e monumento do Patrimônio da Humanidade. Em ocasiões especiais, pode-se assistir a apresentações de atores com os trajes militares dos Hussardos (militares húngaros da época)
  59. 59. SLAVONSKI BROD BANHADA PELO RIO SAVA
  60. 60. CROÁCIA – SLAVONSKI BROD
  61. 61. POSTO FRONTEIRIÇO ENTRE CROÁCIA E BÓSNIA HERCEGOVINA  A fronteira entre os dois países é demarcada pelo leito do rio Sava, que banha a cidade de Slavonic Brod.  A pequena ilha no meio do rio, por onde passa a ponte internacional já pertence ao território da ByH.  O posto fronteiriço da ByH está localizado na margem oposta do rio Sava em relação à histórica fortaleza de Slavonic Brod.
  62. 62. CROÁCIA – REGIÃO DA ISTRIA Território croata mais próximo da Itália
  63. 63. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  A cidade balneária no Mar Adriático, banhada pela baía de Kvarner e localizada na península da Istria surgiu em 1844 com a construção da luxuosa vila Angiolina (foto abaixo) de Higino Scarpa, e já conta com mais de 160 anos de tradição de turismo de alto luxo e para a nobreza européia.  Foi local preferido de veraneio para os monarcas do império Austro-Húngaro, e muitas de suas belas residências tem o estilo austríaco.  Opatija está 200 km de Zagreb e dispõe de 25km de praias do litoral do Mar Adriático, aos pés das montanhas Ucka (que tem 1.396 metros de altitude). Opatija (Istria) Abazzia (nome em italiano)
  64. 64. OPATIJA
  65. 65. MARINA DE OPATIJA
  66. 66. JARDINS PÚBLICOS DA VILA ANGIOLINA
  67. 67. JARDINS DOS ANTIGOS PALACETES DE OPATIJA
  68. 68. ARQUITETURA DOS HOTÉIS TRADICIONAIS DE OPATIJA
  69. 69. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  A cidade balneária no Mar Adriático, banhada pela baía de Kvarner e localizada na península da Istria, Pula é visitada por grupos de turismo desde 1828, e em 1832 foi visitada pelo imperador austríaco, Feridnando I.  A primeira praia para banhos de mar públicos abriu na cidade em 1885.  Pula é a maior cidade da Ístria e tem 58 mil habitantes, dos quais 72% de oprigem croata, mas devido as características culturais da cidade são bilíngues, e falam italiano, alemão e inglês.  Na Antiguidade, Pula foi o centro administrativo romano da província romana da Ístria. O famoso anfiteatro, chamado de Arena, foi mandado construiur no século I pelo imperador romano Vespasiano, assim como o portal e o fórum. Pula (Istria) Arena Romana
  70. 70. CROÁCIA – REGIÃO DA DALMÁCIA Antiga província costeira dos Romanos
  71. 71. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  A maior região costeira da Croácia junto ao Mar Adriático (dentro do Mar Mediterrâneo) recebe o nome de Dalmácia.  Ocupa uma faixa de terra de 50Km (em média) entre o mar e as montanhas, afinando-se ao sul.  É sub-dividida em 4 sub-regiões, cujas capitais são: Zadar, Sibenick. Split e Dubrovnick. Makarska e Trogir são também cidades de grande importância turística na costa dálmata.  Devido as correntes marinhas e aos ventos, as praias da Croácia são bem mais limpas e com águas mais quentes que o lado do litoral italiano.  O litoral é entrecortado por baías e 1.185 ilhas (sendo 47 delas habitadas), com grande movimento de turistas durante o verão europeu.  Ano 165 AC – os antigos romanos iniciam a ocupação da Iliria, formando a província romana de Iliricum  Ano 156 AC – os dalmácios são atacados pela primeira vez por um exército romano e forçados a pagar tributos à Roma.  Ano 10 DC - o imperador romano César Augusto divide a província romana de Iliricum em 2, criando a província de Panonia (ao norte) e Dalmácia (ao sul). Desta forma Roma conseguiu a completa submissão do povo, e a cultura latina iria se propagar pela região. Dalmácia O litoral de praias de águas azuis
  72. 72. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Montanhas de Velebit Uma das mais altas montanhas da Croácia, sendo o pico VAGASNKI o ponto culminante com 1.757 metros de altitude, tendo 145 km2 de área e abriga 2 parques nacionais: PAKLENICA e SJEVERNI. A região é quase que inabitada e inacessível. Foi aberto em 1930 um caminho entre as montanhas para permitir o acesso de equipes de exploração científica, porque na região estão as mais amplas e profundas cavernas da Croácia. Estas montanhas são sempre retratadas em manifestações folclóricas croatas e são consideradas símbolos nacionais. Estas montanhas formam uma verdadeira barreira natural, percorrendo a costa da Dalmácia, o que serviu como “muro de proteção” contra os ataques dos turcos otomanos nos tempos medievais.
  73. 73. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Dalmácia Makarska (Riviera)  População: 13 mil habitantes  Distâncias: a 60km de Split e a 140 km de Dubrovnick  Makarska originou-se de antigas colônias gregas e romanas que surgiram na costa Dálmata, banhadas pelas águas do mar Adriático, ao pé da montanha Biokovo e no delta do rio Neretva. Como centro turístico, iniciou-se em 1914 com a construção do Hotel Osejava.  Sua mais notável construção histórica é a Catedral de São Marcos, na praça central, que data do século XVII.  Atualmente, a cidade é um concorrido balneário turístico de classe média, com um grande parque e uma praia coberta por árvores e muitas tendas de vendas de souvenirs. Sua ruas próximas à praia são bem estreitas, antigas e de trânsito limitado a pedestres. Há inúmeros condomínios de apartamentos de temporada e pequenas hospedarias.  A clareza das águas (de cor azul turquesa) é o principal atrativo das praias do mar Adriático, no litoral croata.
  74. 74. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Dalmácia Makarska (Riviera)
  75. 75. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Dalmácia ILHA DE HVAR Hvar é considerada a ilha mais “badalada” do turismo Croata. É considerada a “Mikonos da Croácia” e sua vida noturna de bares, boates e restaurantes é bastante frequentada por turistas e milionários do mundo inteiro.
  76. 76. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Dalmácia (Ilha de Brac) O Cabo de Ouro (Zlatni Rata)  Uma das praias mais fotografadas da Croácia, muda de forma conforme os ventos.  Localiza-se numa península no meio da Ilha de Brac no canal entre esta ilha e a ilha de Hvar.
  77. 77. CROÁCIA – ILHA DE HVAR
  78. 78. CROÁCIA – ILHA DE HVAR  Chegamos a Ilha de Hvar pelo ferry-boat que liga o porto de Drivenick (no continente) ao Porto de Sucuraj (na ilustração acima, é a cidade da extrema direita, no fim da ilha). A viagem dura cerca de 40 minutos de travessia.  De Sucuraj a cidade de Hvar (localizada na extremidade esquerda da ilustração acima) serão um trajeto rodoviário de 77 km de extensão, percorrido em estradas asfaltadas mas bem estreitas. O ônibus leva cerca de 2 horas de viagem para percorrer este trajeto.  A ilha é montanhosa e foi habitada pelos gregos antigos, que deram início a fundação da vila de Hvar e praticamente dividiram as terras em pequenos lotes para serem áreas de produção agrícola. Nem mesmo a modernidade mudou isso na ilha, onde podemos vera os lotes demarcados por pequenos muros de pedras da região.
  79. 79. DE DUBROVNICK À ILHA DE HVAR E SPLIT
  80. 80. HVAR – CAMPOS DE LAVANDA  A Croácia é famosa pela qualidade de sua lavanda, flor que é cultivada em campos da Ilha de Hvar. A flor é usada como insumo básico de essências aromáticas e medicinais desde a Antiguidade.
  81. 81. HVAR – CATEDRAL DE SAN LORENZO
  82. 82. HVAR – VISTA DA FORTALEZA DE HVAR
  83. 83. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  População: 193 mil habitantes (95% de croatas)  É a segunda maior cidade da Croácia.  Origem do topônimo: em grego, Aspalathos; em Latim, Spalatum e em italiano Spalato. É o nome de uma flor amarela típica da região onde localiza-se a cidade, que em croata é Split.  Split está localizada numa pequena península na margem oriental do mar Adriático, na base dos montes Kozjak e Mosor.  Dalmácia Split
  84. 84. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  antes do ano 305 DC - Colônia grega que era os primórdios da futura cidade de Split.  284 a 305 DC - Imperador romano Caio Aurélio Valério Diocleciano governou o império e ficou conhecido pelas reformas políticas e econômicas que implantou (elevou os impostos e admitiu a escravidão para homens livres romanos) e pela implacável perseguição aos cristãos. Em 295, manda construir um palácio em Split, para que estivesse pronto em 305 quando se “aposentaria” do poder. Ele nascera na cidade próxima a Split, Salona, atual Solin  639 – Os primeiros cidadãos de Split era refugiados da cidade de Salona (que era a capital da província romana da Dalmácia), que havia sido destruída pelos ávaros. Eles passaram a ocupar as ruínas do palácio de mais de 300 anos de existência, convertendo-o num pequeno vilarejo. Ao longo dos séculos, a comunidade de Split cresceu e passou a ocupar as áreas em torno do antigo palácio (que até hoje é considerado o centro da cidade, e ainda habitado.  Split foi governada por Roma, pelo Império Bizantino e posteriormente pela nobreza croata e húngara.  1420 a 1797 – Governada pela República de Veneza.  1797 a 1806 – Governada pelo Império Austro-Húngaro.  1806 a 1813 – Sob o controle das forças de Napoleão.  1813 a 1918 – Novamente governada pelos austro-húngaros.  1918 a 1929 – Tornou-se parte do reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos  1929 a 1941 - O país mudou de nome para Ioguslávia, e Rijeka e Zadar passaram a ser território da Itália. Split torrna-se no mais importante porto do país.  Abril 1941 a Setembro 1943 – A Itália invade o país, e Split é anexada ao território italiano quando foi liberada pelos membros da resistência (partisans; patriotas), e em seguida ocupada pelos alemães.  26/10/ 1944 - Finalmente libertada, Split foi até o final da II Guera Mundial a capital provisória da Croácia.  1945 a 1990 – A população da cidade triplicou e expandiu-se por toda a península. Dalmácia Split
  85. 85. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Palácio de Diocleciano - tem o seu lado sul de fronte ao mar, com muralhas de 170 a 200 metros de extensão, e altura entre 15 a 20 metros. Todo o complexo do edíficio ocupa 38 mil metros quadrados de área. Construído entre os anos 295 e 305 DC pelo imperador romano, Caio Diocleciano, tinha como propósito ser o castelo que serviria de residência após sua aposentadoria.  Suas ruínas foram ocupadas 300 anos depois, a partir de 639, dando origem a atual centro histórico de Split. Dalmácia Split – Palácio Diocleciano São 4 vias principais na cidade, ligando às antigas portas palacianas: Porta de Ouro, Porta de Prata (frente -mar), Porta de Ferro e Porta de Bronze.
  86. 86. PALÁCIO DIOCLESIANO EM SPLIT, CROÁCIA
  87. 87. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Dalmácia Split – Palácio Diocleciano Imperador Diocleciano (foto à esquerda), nasceu em Salona (então a capital da Dalmácia), e governou Roma e seus territórios por 21 anos e foi um dos grandes reformadores do Império Romano antigo. Criou as bases do Império Bizantino ( o lado oriental do Império Romano). Implantou a língua latina como idioma administrativo nas regiões de língua grega do Oriente. Incentivou o culto aos deuses pagãos, sendo também implacável perseguidor dos primeiros cristãos. Seu governo foi uma era de mátrires para a religião católica. Morto em 1/5/305, em Split, seu mausoléo em formato octogonal (foto ao lado) está no centro antigo da cidade e tornou-se numa catedral católica séculos depois.
  88. 88. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  População: 10 mil habitantes  Distâncias: 30 minutos da cidade de Split e 3h30m de Zagreb.  Ano 380 AC – Os gregos fundam a cidade na pequena ilha, mas é tomada pelos romanos.  1977 – Inscrita como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, pelos seus 2.300 anos de tradição urbana e pelo seu complexo de construções em estilo românico-gótico (o mais bem preservado do Adriático e da Europa). Um pequeno canal separa o centro antigo da cidade do continente.  O centro medieval de Trogir tem um castelo e é cercado por muralhas com torre.  Catedral de São Lourenço – construção mais grandiosa da cidade, cujo pórtico de Santo Ivan é obra prima de Radovan – o mais expressivo trabalho escultório em estilo românico-gótico da Croácia. A torre do sine tem 47 metros de altura e permite uma bela vista da cidade fortificada.  O centro histórico tem cerca de 10 igrejas construídas a partir do século XIII. Ao sul, encontramos a Ilha de Ciovo.  Igreja de Santa Bárbara (do século IX)  Igreja de São Sebastião – com a torre do relógio. Dalmácia Ilha de Trogir
  89. 89. TROGIR, CROÁCIA
  90. 90. FORTE EM TROGIR E A RIVIERA DA CIDADE
  91. 91. A RIVIERA DE TROGIR
  92. 92. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Fortalezas Venezianas – São cinco as que guardam a cidade de Sibenik: Santana (da Idade Média, localizada a 70 metros de altitude); São João (a mais alta de todas, a 125 metros de altitude) Subcvac e Santo Ivan (ambas a 115 metros de altitude e datam do século XVI) e São Nicolau (de 1540 a 1547, considerado o forte naval mais resistente do lado croata do mar Adriático).  Palácio Foscolo - ( de 1650 em estilo gótico) integra-se ao mosteiro dos Franciscanos (do século XVI) e à catedral de São Lourenço – Sto .Lovro. Sua biblioteca de incunábulos (livros medievais escritos ou copiados em pergaminhos por monges, geralmente de temática religiosa) é uma das mais valiosas da Europa e no adro do palácio há pinturas renascentistas e barrocas.  Catedral de São Lourenço - extraordinário exemplo da arquitetura medieval feita pelos monges franciscanos. A torre do sino data de 1785.  Catedral de São Jacó - Sua construção foi decidida em 1298, quando Sibenik tornou-se uma diocese, mas os trabalhos de construção começaram em 1431 e terminaram em 1536 ( duraram exatos 105 anos). Tem 3 corredores paralelos (naves) e sua parte mais alta atinge a altura interna de 32 metros. Na primeira fase de construção, ali estiveram importantes mestres italianos. Sua técnica de construção é bem singular e única na Europa, pois o desenho da forma externa repete-se no volume interior da igreja, literalmente. Dalmácia Sibenik
  93. 93. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Sibenik (pronuncia-se Chibenique)  População: 55 mil habitantes (2007)  Está no meio do caminho entre os 70km das cidades de Zadar e Split.  Localiza-se na Dalmácia Central, onde o rio Krka deságua no Mar Adriático.  1066 – Foi citada por este nome pela primeira vez como sede do trono do rei croata Petar Kresimir IV. Castrum Sibenik (ou Castelo de Sibenick) é considerada a mais antiga das cidades croatas da costa do mar Adriático.  Século XV – Construção da Catedral de São Jacó, (foto) em estilo veneziano, e atualmente é o maior tesouro arquitetônico da cidade.  1412 a 1797 - fez parte da república Veneziana.  1797 a 1918 – passou para o domínio do Império Austro-Húngaro.  1918 – 1945 – integrou a Ioguslávia, sendo ocupada por forças facistas italianas e nazistas alemãs na II Guerra Mundial. Dalmácia Sibenik
  94. 94. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Zadar (em italiano, Zara)  População: 72 mil habitantes (93% de croatas)  Como a maioria das cidades costeiras da Croácia, Zadar sofreu influências e ataques de comerciantes da República de Veneza (que foi na Idade Média o grande centro de comércio naval do Mar Mediterrâneo). Dalmácia Zadar Aspectos do centro da cidade antiga e da Porta Terraferma (a direita) e da Igreja de São Donato (à esquerda)
  95. 95. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Dalmácia Makarska (Riviera)
  96. 96. CURIOSIDADES DA DALMÁCIA Personalidades e fatos que fizeram a fama da região
  97. 97. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Gravata – Os soldados mercenários croatas do século XVII , incorporados ás forças do Rei francês luis XIV, tinham o nome de KROATA-KRAVATA e lutavam junto com as tropas francesas nas batalhas da “Guerra dos 30 anos” (1618 a 1648). Tinham o costume de amarrar no pescoço um pedaço de tecido colorido, com um nó em forma especial. Os soldados croatas usavam o acessório na indumentária como um distintivo militar de tecido rústico, enquanto os oficiais superiores o usavam de tecido de seda ou algodão. Este costume acabou chegando a Paris e virou moda, criando o costume do uso da GRAVATA na indumentária européia em geral. O próprio Rei Luiz XIV ordenou que seu alfaiate particular criasse um modelo para ele, e incorporasse aos trajes reais., e como ele os demais nobres da corte acompanharam a novidade da moda. O nome veio da palavra francêsa CRAVATE, e em espanhol é CORBATA, embora os ingleses prefiram chamá-la simplesmente de TIE ( nó). A gravata é o souvenir-símbolo da Croácia, onde o turismo é uma das atividades econômicas mais importantes. O rei francês Luis XIV e uma gravata primitiva em 1667., inspirada na criação Croata. É o acessório masculino símbolo da formalidade.
  98. 98. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  MARCO PÓLO – o croata  Nascido na Ilha de Korcula, atual território da Croácia, mas em 15 de setembro de 1254 (data de seu nascimento) a ilha estava sob o domínio da República de Veneza. Faleceu em Veneza em 9 de janeiro de 1324. Muitos historiadores não sabem ao certo o local do seu nascimento, e o atribuem como Veneziano, de Veneza.  Marco Pólo (aos dezessete anos de idade), seu pai e seu tio foram um dos primeiros mercadores europeus a percorrer a Rota da Seda, a partir de 1272, numa viagem que começou num porto da Armênia, em direção ao Oriente.  Ele percorreu 24.140 km em 24 anos de viagem, onde acumuluou uma grande fortuna, depois de viver muitas aventuras e comandar tropas militares. Retornou à Veneza em 1295 muito rico.  Tendo sifo feito prisioneiro ao atacar a cidade de Gênova, Marco Pólo escreveu um livro contando suas aventuras, que foi traduzido para o Latim em 1315.  Graças às suas histórias, a Europa pode conhecer melhor a cultura e aspectos da vida no Oriente, que na época era inexplorado.
  99. 99. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Os cães da raça Dálmata são orignários da região da Dalmácia, área costeira da Croácia.  Foram os antigos romanos , durante sua ocupação da Dalmácia, que passaram a usar o animal como cão de caça e de guarda (têm excelente faro) e acabaram difundindo a raça em todo mundo, e que hoje são considerados excelentes cães de companhia e caseiros.  Quando filhotes, sua pelagem é quase toda branca, e as manchas negras surgem com o amadurecimento do animal.
  100. 100. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  O multi-milionário norte-americano e “Rei das Lanternas”, Antony Maglica (fotos), nasceu em Nova Iorque mas passou a maior parte de sua infância, durante os anos 1930, na cidade de Sibenik, onde praticamente “esqueceu” a língua inglesa natal e passou a falar o idioma local servo-croata. Seuas pais eram croatas, e fugiram da Depressão dos EUA dos anos 1930 retornando ao país de origem e levando o pequeno Tony. É considerado como uma celebridade da Croácia.  Em 1950, já adulto, ele retornou aos EUA e fundou a empresa Mag Instruments em 1955 na cidade de Los Angeles, na Califórnia. Na época, ele falava pouquíssimas palavras em inglês e começou seus negócios com apenas USD 125 no caixa ( o único dinheiro que ele possuía).  Ele ficou riquíssimo com a invenção da lanterna Maglite e suas vendas no mundo inteiro, produto de grande resistência e qualidade, que passou a ser usada como equipamento obrigatório das forças policiais de todo os EUA.  Sua empresa de governança familiar, com sua companheira Claire desde 1975, degringolou em batalhas judiciais a respeito da sucessão da diretoria entre membros da família. Claire processou Tony e pediu na justiça americana indenização de USD 200 milhões, mas ganhou apenas USD 84 milhões em 1994. Dalmácia Sibenik Antony Maglica, o rei das lanternas – o milionário dos EUA é croata por acaso.
  101. 101. CROÁCIA – REGIÃO DE DUBROVNICK Históricamente, era parte da antiga Dalmácia, e tornou-se uma República Marinha com o nome italiano de Ragusa.
  102. 102. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA Dalmácia Dubrovnick (Ragusa, em italiano) Área: 143 km2 População: 123 ,5 mil habitantes (88% de croatas) – 3ª. Maior cidade croata. Origem do Nome: Dubrava (em croata, significa madeira de carvalho, que era muito abundante na região). Dubrovnick também surgiu de antigas colônias gregas e romanas, mas tornou- se importante porto comercial, durante a Idade Média sob a administração da República de Veneza. Atualmente, é o mais importante balneário croata, também chamada de “A Pérola do Adriático” e inscrita pela Unesco como Patrimônio Mundial da Humanidade. O centro antigo de Dubrovnick é cercado por muralhas antigas, com ruas estreitas, sendo algumas em áreas em acentuado aclive. Antigo porto da cidade é ainda usado por pequenas embarcações
  103. 103. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Histórico  Século VII – Duas comunidades que ali existiam, Laus e Dubrava (originada de imigrantes eslavos da vila de Cavtat – antiga cidade romana ao sul de Dubrovnick), unem- se formando a cidade de Ragusa, ficando sob a administração do Império Bizantino (província oriental do Império Romano).  1205 a 1358 - Ragusa passa a ser admiinistrada pela República de Veneza.  Século XII - é feito o aterro da parte pantanosa da cidade, unificando as 2 partes da cidade e criando a famosa Placa (a principal praça da cidade, também chamada de Strandum), que atravessa toda a parte amuralhada da cidade. Atualmente, é a principal rua plana do centro antigo de Dubrovnick.  1358 – o Tratado de Zadar transfere a jurisidição de Ragusa para a coroa húngara,.  Século XIV a 1808 – Torna-se República de Ragusa, uma das repúblicas maritimas italianas.  Séculos XV e XVI - atinge grande progresso comercial e político. É o seu apogeu entre as repúblicas maritimas italianas. Cresce igualmente as atividades de pirataria, uma das maiores fontes de lucros no mar Mediterrâneo.  1808 a 1815 - Guerras Napoleônicas apoderam-se dos territórios de Ragusa, incluindo-as nas províncias de Iliria, da França.  1815 a 1918 – Após a derrota de Napoleão, o Tratado de Viena coloca Dubrovnick sob jurisidição do Império Austro-Húngaro.  1918 a abril de 1941 – Com a dissolução do Império Austro-Húngaro, a cidade passa a fazer parte do Reino dos Servo-Croatas e Eslovenos. Em 1929, torna-se parte do reino da Ioguslávia, e em 1941 é ocupada por tropas nazistas alemãs.  1944 – 1945 – Libertada pelos patriotas da Resistência, passa a integrar a 2ª. Ioguslávia.  1991 - Após uma sangrenta guerra com as forças sérvias, que bombardearam a cidade, passou a ser adminsitrada pelo governo da Croácia. Dalmácia Dubrovnick (Ragusa, em italiano)
  104. 104. hotels marina Public beach Airport Hospital Parking Car ferry Nudist beach Gas station Pharmacy A atual cidade de Dubrovnick é bem maior do que a histórica cidade fortificada de Dubrovnick, que é considerada hoje como “Distrito Histórico”. Na região de Lapad e Babin Kuk estão concentrados os grandes hotéis “resort” da cidade. O aeroporto de Dubrovnick fica a 16 km do centro da cidade em direção ao Sul, na estrada que conecta-se com a fronteira de Montenegro.
  105. 105. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Portão Pile – Entrada principal para a cidade antiga, entre muralhas. Dalmácia Dubrovnick – Pile Portal
  106. 106. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  É a principal fonte de água da cidade, nos tempos antigos. Está localizada na parte interior das muralhas, próximo ao portal de Pile (a principal das 3 entradas da fortaleza da cidade). O local ainda hoje é ponto de referência para os turistas, por que está numa das extremidades da praça Placa (ou Strandum). A água é potável, embora haja muitos pombos voando e pousando sobre ela. O reservatório de água abobadado foi construído em cima da fonte em 1438. Dalmácia Dubrovnick – Fonte Onófrio
  107. 107. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Oficialmente é chamada de praça, mas Placa assemelha- se a uma larga avenida, entre prédios espremidos em ruas muito estreitas. Foi uma área pantanosa aterrada no século XII, o que deu origem a esta área plana e ampla.  É a principal via de acesso dentro da cidade antiga entre as muralhas. Parte das ruas, à esquerda, são de terreno em aclive, e o lado direito, são ruas em terrenos planos. Dalmácia Dubrovnick – Placa (ou Strandum)
  108. 108. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Como porto comercial no mar mediterrâneo, durante a Idade Média, a cidade construiu a sua volta imensas e resistentes muralhas de pedra, para porteger-se contra ataques de piratas e outros invasores que poderiam vir pelo mar.  O ataque por terra é mais improvável, pois a cidade é encravada no litoral no sopé de altas montanhas, e de dificil acesso por terra. Dalmácia Dubrovnick – Muralhas da cidade
  109. 109. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  As ruas estreitas do centro antigo de Dubrovnick, além de amenizar com suas sombras, o forte calor da costa do Adriático, era também um fator de proteção contra ataques de piratas à cidade.  O modo de construir casas em ruas como se fossem labirintos já era adotado pelos gregos antigos, mas todas as ruas se entrecruzavam com a praça Placa.  Hoje, além de residências ainda ocupadas, as ruas estão cheias de lojinhas, bares e restaurantes que fazem a alegria de quem visita a cidade. Dalmácia Dubrovnick – Ruas estreitas
  110. 110. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  As muitas riquezas trazidas pelos comerciantes até o porto da cidade permitiram que fossem construídos suntuosos prédios, com estilo arquitetônico entre o gótico e o renascentista (muito usado nas construções em Veneza, na mesma época). Dalmácia Dubrovnick – A arquitetura
  111. 111. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Um dos principais marcos da arquitetura mista entre o gótico e o estilo renascentista veneziano na cidade de Dubrovnick, o Palácio Sponza data de 1516.  O prédio foi originariamente a sede da Aduana da cidade, onde os mercadores do porto pagavam seus tributos. Era o centro das rotas comerciais que cruzavam a cidade.  Numa de suas alas, funcionou a casa da moeda da República de Ragusa.  A partir do século XVI tornou-se centro cultural.  O prédio saiu sem danos e avarias durante o terremoto de 1667. Dalmácia Dubrovnick – Palácio Sponza
  112. 112. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  Pontos turísticos:  Convento de São Francisco – construído nos séculos XIV e XV, no começo da Placa (praça), abrigando a 3ª. mais antiga farmácia do mundo ( de 1317), que ainda funciona até hoje. Foi um dos mais ricos conventos de religiosos franciscanos na Europa, e também bastante danificado durante o terremoto de 1667, tendo sido reconstruído.  Convento dos Dominicanos – (século XIV)  Torre do Relógio (século XV)  Igreja de São Brás (patrono da cidade) Dalmácia Dubrovnick –
  113. 113. CROÁCIA REPUBLIKA HRVASTKA  As origens da cidade datam do século VI AC, quando os gregos ali estabeleceram a cidade de Epidauros (nome também de uma cidade grega na península do Peloponeso, onde existe o famoso teatro do mesmo nome). É também chamada de Ragusa vecchia (ou antiga Dubrovnick).  O atual nome croata de Cavtat, tem origem na língua latina (os romanos também passaram por aqui na Antiguidade), que signfica Civitas Vetus, ou em português “Cidade antiga”. Seus antigos habitantes refugiados fundaram a vila de Dubrovnick no século VI, quando atacados pelos ávaros e pelos eslavos.  Muitos turistas confundem os Epidauros, e em Cavtat só existe um hotel da Iberostar com este nome na cidade.  A cidade está a apenas 30 minutos ao sul de Dubrovnick, e a 3 km antes do aeroporto de Ciplivic (aeroporto que atende a Dubrovnick).  Passeios na região são recomendados pela manhã ou após as 17 horas, devido ao calor e ao sol de verão. A paisagem vista do alto da montanha (na estrada de acesso) permite ver a Dubrovnick num ângulo Dalmácia Cavtat (sul de Dubrovnick) Passeio opcional a partir de Dubrovnick a pequena vila de Cavtat é um porto e pequeno centro comercial turístico
  114. 114. ESLOVÊNIA Um país com paisagens de “contos de fadas”!
  115. 115. ESLOVÊNIA (SLO)  População: 2 milhões de habitantes (2008) (sendo 83% de eslovenos e 57% de católicos)  Educação: Alfabetização de 99% da população.  Área territorial: 20 mil km2  Capital: Ljubliana (em português, Liubliana).  Idioma oficial: Esloveno  Moeda: Euro (desde 1/1/2007)  Dos antigos países do Leste Europeu, a Eslovênia é a que está mais próxima dos padrões dos países da Europa Ocidental, e é membro da Comunidade Européia.  Séculos IV e III AC - Na Antiguidade, o território do país foi ocupado pelos povos Celtas, e tinha o nome de Noricum.  Século I AC – a região passa ser ocupada pelo Império Romano e assim permanace até o século V (DC), quando ocorre a queda e a divisão do império, e a região passa a pertencer ao Império Romano do Ocidente.  Século VI – a região passa a ser ocupada por povos eslavos, que fundam o primeiro estado eslavo – o ducado de Caratania (atual, Carinthia), dando origem ao país atual Eslovênia.  Idade Média até 1918 – O país esteve sob a jusridição do Império Austro Húngaro, e após a I Guerra Mundial muitas fronteiras européias foram alteradas, e a Eslovênia passou a integrar a antiga Ioguslávia.  1945 a1990 - A Eslovênia era parte da República Socialista e Federativa da Ioguslávia (sob regime comunista), separando-se dela em 1990, e adotando o regime capitalista.  25/06/1991 – A Eslovênia decreta sua independência, reconhecida pelos demais países no ano seguinte.  1/05/2004 – A Eslovênia passa a integrar a Comunidade Européia  1/1/2007 – O país adota o Euro como moeda nacional, substituindo o antigo TOLAR (originado do Taller, antiga moeda germânica que circulou pelos países europeus na Idade Média e deu origem ao atual Dolar dos EUA – ao menos no nome).
  116. 116. ESLOVÊNIA (SLO)  Apesar de ter um território de apenas 20 mil km2, existem 193 municípios, dos quais apenas 11 têm status de cidades.  Há municípios oficialmente bilíngues: italiano- eslovenos e húngaros- eslovenos.  Regiões do país:  Os Alpes  Área Dinárica  A planície da Panónia  Litoral Mediterrâneo
  117. 117. ESLOVÊNIA (SLO)  O pequeno país tem uma costa no Golfo de Trieste, espremida entre a Itália e a Croácia.  O ponto culminante do país é o monte Triglav (foto) (com 2.864 metros de altitude) e a altitude média do país é de 557 metros acima do nível do mar.  FLORESTAS - Cerca de 62,8% (2005) da área territorial da Eslovênia é coberta por florestas. É o 3º. país da Europa com maior área florestal, depois da Finlândia e da Suécia.
  118. 118. ESLOVÊNIA (SLO)  Capital do país  Altitude: 298 metros acima do nível do mar  População: 488 mil (a maior cidade do país)  Área territorial: 275 km2  Banhada pelos rios Ljubljanica e Sava.  Origem do nome: Há 4 versões:  A) Originado de uma antiga cidade eslava: Laburus.  B) Origem latina, em função das cheias do rio “aluviana”.  C) Origem alemã; Laubach (Pântano).  D) Origem eslava; Luba (amado)
  119. 119. ESLOVÊNIA (SLO)  A região da cidade era passagem obrigatória entre a Europa e os Balcãs, há mais de 5 mil anos.  Séculos I AC a V DC - o atual terrotório da cidade era a província romana de Emona.  1511 – Primeiro grande terremoto a destruir a cidade, que depois foi reconstruída.  1809 a 1813 – Sob a ocupação das tropas francesas de Napoleão, Ljubliana torna-se a capital da província anexada à França da Istria, cujos territórios extendiam-se até a cidade de Dubrovnick. O fato curioso é que Napoleão era detestado por quase todos os reis da Europa (pois ele os venceu em batalhas durante o período de guerras napoleônicas). A cidade de Ljubliana é a uma das poucas na Europa a ter um obelisco em homenagem ao Imperador francês, que criou condições de expansão da cidade e de sua importância econômica na época.  1849 a 1857 – Período da construção da ferrovia entre Viena e Trieste, que ligou Ljubliana ao resto do mundo, gerando grande desenvolvimento para a cidade.  1895 – Segundo grande terremoto que mais uma vez arrasou a cidade e provocou a sua reconstrução.
  120. 120. ESLOVÊNIA (SLO)  Ponte do Dragão em Ljuibliana (foto acima) – é uma das principais pontes da cidade e é guardada por 4 estátuas de Dragão, um símbolo da cidade.  Está localizada próxima à praça do mercado.  Outras pontes sobre o rio Ljublianica:  Trnovo – feita pelo arquiteto Jose Plecnick, e a única do mundo construída com 4 árvores plantadas sobre ela.  Ponte dos Sapateiros.  Três pontes (foto abaixo)
  121. 121. ESLOVÊNIA (SLO) Castelo de Ljubliana – construído no século XII no alto da montanha da cidade, serviu como fortificação e defesa da cidade contra ataques de diversos povos durante a Idade Média. Comprado em 1905 pela Prefeitura, que deu início a sua restauração, é agora um museu e centro de eventos culturais e exposições. Em seu interior há a Capela de São Jorge (foto ao lado), construída em 1489, tendo sido decorada durante a Idade Média em estilo barroco.
  122. 122. ESLOVÊNIA (SLO)  Universidade de Ljubliana (Departamento de Matemática) – O moderno prédio (foto à direita) data de 2004 a 2006, mas o primeiro prédio da universidade (ainda existente) foi o antigo prédio do Palácio Ducal de 1898 a 1906 (foto à esquerda). A Universidade tem 41 institutos e cerca de 50 mil estudantes.
  123. 123. ESLOVÊNIA (SLO)  Biblioteca Nacional e Universitária de Ljubliana - foi construída entre 1936 e 1941, segundo projeto do famoso arquiteto local Joze Plecnick, que também foi professor da mesma universidade a partir de 1921 até a sua morte em 1957. Em seu acervo, a biblioteca guarda documentos medievais e incunábulos (livros feitos por monges copistas em pergaminhos) de inestimável valor histórico.
  124. 124. ESLOVÊNIA (SLO)  TRÊS PONTES - projeto e obra do arquiteto nativo da cidade Joze Plecnick (1872 – 1957) (foto de seu busto na Universidade de Ljubliana) sobre o rio Ljubljanica, próximo à área central da cidade.  Suas obras e concepções aruitetônicas inovadoras no sécuilo XX forma aplicads em diversas construções em Ljubliana e em Praga (onde também trabalhou).
  125. 125. ESLOVÊNIA (SLO)  Catedral de São Nicolau – data do século XIII, tendo sido construída em estilo Romanesco, mas o atual prédio já é o 3º. E adota o estilo barroco. Os 2 prédios anteriores foram destruídos por incêndios em 1361 e 1469 e por demolição em 1700).  O patrono, São Nicolau, é considerado o protetor dos marinheiros e dos pescadores. Os afrescos em estilo barroco do pintor italiano Giulio Quaglio (1688-1751) foram feitos no teto (foto acima) entre 1703 a 1706 e 1721 a 1723, e contam a vida do santo.
  126. 126. ESLOVÊNIA (SLO)  Fonte de Robba – Representa os 3 principais rios Carniolanos (Sava, Lubljanica e Krka), sendo o mais conhecido monumento barroco do país. Está na praça Mestni, Ljubliana, e foi esculpido entre 1743 e 1751 pelo escultor e arquiteto veneziano Francesco Robba (1698-1757), que inspirou-se em monumentais fontes romanas para fazer esta obra. Robba trabalhou na cidade quase a vida inteira, e este foi seu último trabalho aqui. Empobrecido, mudou-se para Zagreb, na atual Croácia.
  127. 127. ESLOVÊNIA (SLO)  Palácio da Filarmônica Eslovena - o prédio data de 1891, tendo sido construído no mesmo local onde existiu o Teatro Provincial.  Esta localizado na Praça do Congresso, também construída em estilo barroco numa homenagem ao Congresso da Santa Aliança de 1821.  É a sede de uma das mais antigas orquestras filarmônicas do mundo, pois a da Eslovênia foi estabelecida em 1701.
  128. 128. ESLOVÊNIA (SLO)  Monastério Franciscano (Igreja da Anunciação) - construída entre 1646 a 1660 em estilo barroco, substituiu um prédio mais antigo no mesmo local. Seu altar barroco é obra de Francesco Robba, mas os antigos afrescos do teto não resistiram aos impactos do terremoto de 1895, e foram substituídos por novas obras do pintor impressionista esloveno Materj Sterner. Ao lado da igreja, o monastério franciscano fundado em 1233, cuja biblioteca dispõe de mais de 70 mil livros, incluindo incunábulos e manuscritos medievais.  A igreja e o monastério estão logo depois das 3 Pontes na Praça Preseren.
  129. 129. ESLOVÊNIA – LAGO BLED O maior lado país
  130. 130.  A ilha do lago Bled é considerado um cartão postal do turismo da Eslovênia, tendo a Igreja de Nossa Senhora de Asunção Peregrina, onde os visitantes podem tocar seus sinos como sinal de boa sorte. Para se chegar lá é necessário subir 99 degraus de uma escadaria, tradição mantida pelos noivos que carregam as noivas nos braços, subindo as escadas, mas elas devem permanecer em silêncio., conforme diz a lenda para manter os casamentos duradouros. Em 2011, pela 4ª. Vez, o lago será sede do Campeonato Mundial de Remo. ESLOVÊNI A (SLO)
  131. 131.  Bled está localizado a 50 km da capital do país, Ljubliana, e próxima à fronteira da Áustria e da Itália, sendo local de turismo muito freqüentado durante o verão europeu. ESLOVÊNIA (SLO)
  132. 132. ESLOVÊNIA (SLO)  Lago Bled e Parque Nacional Triglav - são duas das mais belas atrações naturais do país, localizados a cerca de 50km da capital, Ljubliana. O lago é formado por águas que se derreteram do glaciar Bohinj, formando uma massa de água com 2.120 metros de comprimento, 1.380 metros de largura e em média de 30 metros de profundidade, e uma ilha natural no centro. Suas águas vêm também de poucas fontes locais, pois não é abastecido por grandes rios.  O Parque Nacional Triglav (cujo monte do mesmo nome, com 2.864 metros de altitude, é o ponto culminante do país), completa a paisagem. Há também a garganta do Vintgar (foto acima) e a cachoeira de Iglica – Cachoeira da Agulha (foto ao centro), com quedas de água de 18 metros de altura.
  133. 133. ESLOVÊNIA (SLO)  O Lago Bled é também um centro de turismo e lazer, com vila e grande número de hotéis e locais de comércio, e o Cassino de Bled (aberto somente para maiores de idade). A região oferece diversificados programas de lazer, desde festividades (como casamentos ou lua de mel – foto acima), realizadas no mais antigo castelo do país, o Castelo de Bled data de 1004, localizado no cimo da montanha. O Grande Hotel Toplice (foto ao centro) é o 5 estrelas da região, e conta com piscina de água naturalmente aquecida a 23 graus Centígrados..  A cidade está a 501 metros de altitude e o castelo a 604 metros de altitude, com clima sub-alpino, no Alpes Julianos. A população de Bled é de 5 mil habitantes, e seus hotéis somam o total de 4 mil leitos.
  134. 134. ESLOVÊNIA – CAVERNAS DE POSTOJNA As maiores grutas naturais do mundo
  135. 135. ESLOVÊNIA (SLO)  Cavernas de Postjona.  É um dos maiores complexos de cavernas naturais da Europa (e do mundo) com cerca de 20 Km de extensão (sendo 5,3 km abertos à visitação pública), criadas pela erosão das águas do rio Pivka, e descobertas em 1818.  Ponto turístico da Eslovênia desde 1819 já foi visitado por mais de 31 milhões de turistas, desde então.  Há no interior das cavernas uma ferrovia construída desde 1872 com trens inicialmente empurrados pelos guias das cavernas (trenzinhos levam os visitantes ao interior das cavernas, mas desde 1945 são puxados por máquinas elétricas – estação de embarque na foto) e há linhas de iluminação elétrica instaladas desde 1884 (antes mesmo de haver luz elétrica na capital do país).  A temperatura média no interior das cavernas oscila entre 8 e 10 graus centígrados, e uma visita guiada pelas cavernas dura cerca de 1,30 hs.  No período de Natal e Reveillón são realizadas encenações do texto bíblico que apresenta o nascimento de Jesus Cristo, usando as cavernas como cenário. Postjona está a cerca de 1 hora de viagem rodoviária da capital, Ljubliana, mas o passeio impressiona pela beleza do lugar
  136. 136. ESLOVÊNIA (SLO)  Postjona - Uma das maiores cavernas naturais é chamada de Sala de Concertos, devido a sua excelente acústica, e é usada para apresentações de orquestras e musicistas. Tem capacidade para abrigar 10 mil espectadores.
  137. 137. ESLOVÊNIA (SLO)  Postjona é, sem dúvida, o maior complexo de cavernas profundas com acesso público em todo mundo.  Olm ou Proteus (foto no detalhe) – O curioso amfíbio cego que tem seu habitat nos lagos internos das imensas cavernas obscuras. Seu corpo é branco (cuja pele parece com a humana), mas os sentidos do olfato e ouvidos são muito apurados, o que lhe permite vive em ambiente tão inóspito para outros animais. São considerados símbolos do patrimônio ambiental da Eslovênia.
  138. 138. ESLOVÊNIA (SLO)  Postjona – o trenzinho permite levar centenas de visitantes até os trechos mais profundos das cavernas, e na estação final, o passeio prossegue a pé por trilhas sinalizadas e acompanhados por guias locais fazendo comentários em inglês, francês, italiano, espanhol, alemão , japonês e esloveno. Ao final, retorna-se à estação para a viagem de volta à superfície, no mesmo trenzinho.
  139. 139. BÓSNIA E HERCEGOVINA Reduto da ocupação turca na Europa nos séculos 14 e 15.
  140. 140. BÓSNIA & HERZEGOVINA  População: 3,9 milhões de habitantes (44% bósnios (dos quais 90% são muçulmanos), 31% de sérvios (dos quais 99% são cristãos ortodoxos); 17% de croatas (dos quais 88% são católicos romanos) e 6% de ioguslavos (filhos de casamentos mistos).  Idiomas oficiais: Bósnio, croata e sérvio  Área territorial: 51 mil km2  Moeda: Marco conversível da Bósnia (BAM)  Euro 1 = BAM 1,95 (abril 2010)  É formado pela Federação da Bósnia e Herzegovina e pela República da Srpska, sendo governada por uma democracia parlamentar.  Capital: Sarajevo  O país está nos Balcãs ocidentais , e a regiião de Herzegovinia-Neretva é a parte do pequeno litoral costeiro do pais, onde está a cidade de Neum, o único porto maritímo do pequeno país.  Por estrada rodoviária, é preciso cruzar cerca de 10 km do território litorâneo da ByH na viagem entre Split e Dubrovnick, duas cidades croatas. Há um projeto de ponte rodoviária entre parte da península croata e o trecho continental da Dalmácia, para permitir o acesso rodoviário entre as 2 cidades sem sair do território da Croácia, evitando cruzar
  141. 141. BYH – O MARCO BÓSNIO  A moeda corrente na Federação Bósnia é o Marco Bósnio Conversível ( símbolo KM).  A taxa de câmbio é fixada pelo governo e está em Euros 1 = KM 1,95  Para efeitos práticos, nas contas do cotidiano, os turistas dividem os preços em KM por 2, para obter o resultado em Euro e ter idéia do valor de mercadorias e serviços.  Para os turistas estrangeiros, o custo de vida na ByH é bem abaixo dos padrões de outros países europeus.  Nas lojas turísticas de Sarajevo, Mostar e Medjgorie, Euros ou US Doláres, ou Kunas são aceitos.
  142. 142. BÓSNIA & HERZEGOVINA  Histórico  Século VII – a região do atual país foi tomada por sérvios, croatas, húngaros, venezianos e bizantinos.  Século XII – Governado pela monarquia do Reino dos húngaros.  1463 – Invadido pelos turcos otomanos, torna-se uma província da Turquia, que inicia o processo de islamização de sua população.  Séculos XVI e XVII - A Bosnia é ponto estratégico e foco de conflitos entre o Império Austro-Húngaro e Veneza.  1877 a 1878 – Guerra Russo-Turca, leva a ByH a ser anexada ao Império Austro-Húngaro a partir de 1908.  1914 – O arquiduque Francisco Fernando, futuro sucessor do Imperador Austro-Húngaro, viisita Saravejo é sofre um atentado, sendo assassinado por um jovem nacionalista sérvio. O episódio foi a gota dágua em conflitos já existentes entre as nações, e deu início as hostilidades da I Guerra Mundial.  1918 – Ao final da I Guerra, o país passa a fazer parte do Reino dos sérvios, croatas e eslovenos.  1946 – Os dois territórios passam a ser parte da República Socialista e Federativa da Ioguslávia, sob o coman do de Josip Tito.  1989 – 1990 – o colapso do sistema comunista mergulha todo Leste Europeu numa onda de nacionalismo extremo. A Croácia se separa da federação, mas os bósnios não querem separar-se da Ioguslávia, então controlada pela Sérvia.  1992 – Guerras civis irrompem entre as populações de diversas etnias do país. A ByH separa-se da Ioguslávia em Março de 1992.  1995 – É assinado o acordo de Dayton, mas tropas da ONU permanecem no país para manter a paz. O cargo de presidente da ByH passa a ser exercido por 3 presidentes (um bósnio, um servo e um croata), cada um ocupando por 2 vezes o período de 8 meses consecutvios de um mandato total de 4 anos.
  143. 143. BYH - SARAJEVO A capital da Federação Bósnia
  144. 144. BÓSNIA & HERZEGOVINA  SARAJEVO – Capital  População: 300 mil habitantes (77% de bósnios, 12% de sérvios, e 7,5% de croatas)  Área territorial: 141 km 2  Localizada na planície de Sarajevo (a 500 metros de altitude) , cercada por montanhas,  Economia: turismo e indústrias de transformação  1461 – Fundada pelos turcos otomanos.  Séculos XVI e XVII – Sarajevo era uma das mais importantes cidades dos Balcãs, e a segunda mais importante para os turcos otomanos, depois de Istambul (que era então a capital da Turquia)  1878 – Saravejo é ocupada pelo Império Austro-Húngaro, o que permitiu a cidade a chegar aos padrões das cidaddes européias da era industrial.  28/06/1914 – O arquiduque Francisco Ferdinando e sua esposa são assassinados num atentado cometido por um estudante, quando os dois faziam uma visita oficial à cidade. O arquiduque era sobrinho do Imperador Austro- Húngaro Francisco José, herdeiro e sucessor no trono de uma das mais poderosas nações européias. O épisódio serviu de pretexto político para o início dos combates entre as nações européias envolvidas na I Guerra Mundial, que só terminou 4 anos mais tarde, em 1918, com a dissolução do Império Austro-Húngaro, e completa reforma das fronteiras e das forças políticas na região.  1945 – Após a II Guerra Mundial, a cidade tornou-se importante centro industrial da antiga Ioguslávia.  1992 a 1995 – As forças militares da Sérvia e servio bósnios iniciam uma guerrilha interna que dura 3 anos e destrói a maior parte da cidade. Ao cessar as hostilidades, muitas das áreas destruídas foram reconstruídas.  2003 – Muitas áreas da cidade foram recuperadas, porém ainda há ruínas no centro da cidade.
  145. 145. BÓSNIA & HERZEGOVINA  O TIRO QUE MUDOU A HISTÓRIA - O atentado do estudante e militante nacionalista sérvio Gravillo Princip (foto à esquerda) contra o Arquiduque Francisco Ferdinando (foto à direita) e sua esposa, em 28/06/1914, durante a visita oficial do casal à cidade de Sarajevo, foi o episódio histórico mais conhecido em todo mundo que ocorreu na cidade e na Bósnia. Este crime foi o pretexto político que o Império Austro-Húngaro usou para dar início à I Guerra Mundial, que durou de 1914 a 1918. A Bósnia-Herzegovinia havia sido incorporada como província do Império Austro-Hungaro em 1908 (mas já estava sendo administrada pelo mesmo império desde 1878).  Os movimentos nacionalistas dos países incorporados pelo império queriam a independência nacional, pois as nações que formavam o Império eram de origens diferentes, religiões diferentes, e línguas diferentes. Os Austro- Húngaros impunham seu poder, o seu idioma (o alemão) às populações locais. Os conflitos eram inevitáveis.
  146. 146. BÓSNIA & HERZEGOVINA  Sarajevo reflete em seu prédios a mescla de culturas, religiões e costumes. O antigo e o moderno convivem nos mesmos espaços. O templo orotodoxo e a mesquita muçulmana são uma constante na paisagem.  Em passado recente, os conflitos étnicos sangrentos manchavam a imagem do país, que hoje adota uma postura mais civilizada e pacífica para resolver suas questões internas.
  147. 147. BÓSNIA & HERZEGOVINA  O prédio da Biblioteca Nacional da Universaidade de Sarajevo (construído em 1896) foi recuperado a partir de 2007, após ter sofrido incêndios durante os conflitos étnicos de 1992 a 1995.
  148. 148. BÓSNIA & HERZEGOVINA  O Estádio Olímpico de Kosovo, em Sarajevo, (aberto em 1947 e reformado em 1984) ou também chamado de Asim Ferhatovic Hase (foi rebatizado em julho de 1984) foi usado em fevereiro de 1984 como sede de abertura dos jogos olímpicos de inverno (foto acima), que foram realizados na Ioguslávia (nome do país na época, da qual a ByH faziam parte). Tem capacidade para 37.500 espectadores sentados, mas pode acomodar 50 mil pessoas se forem ocupados a área dos campos para concertos musicais.
  149. 149. BYH – REGIÃO DA HERCEGOVINA Mostar, a capital da Hercegovina
  150. 150. BÓSNIA & HERZEGOVINA  Mostar – é a maior e mais importante cidade da Herzegovina ( tem 128 mil habitantes e é a 5a. Maior cidade de todo o país), sendo banhada pelo rio Neretva.  Sua famosa ponte (a Ponte antiga ou Stari Most) sobre o rio, construída na época das ocupações otomanas, ( construída pelos turcos de1558 a 1566 com 21 metros de altura sobre o nínel de água e 28 metros de comprimento) e daí veio o nome da cidade: Mostari (são os mantenedores da ponte). Era o símbolo do local onde o Ocidente fazia fronteira com o Oriente.  A cidade foi o centro adminsitrativo dos turcos otomanos na Herzegovina no século XVI. Durante as guerras com a Croatas e Bósnios entre 1991 e 1995, a cidade foi bastante destruída por bombardeios e ataques de tropas.  A ponte foi incluida em 2004 como patrimônio da Humanidade da Unesco, sendo reconstruída em 2008, assim como seu centro histórico foi reconstruído e preservado.
  151. 151. AS RUAS DE MOSTAR, A FRONTEIRA DO ORIENTE PRÓXIMO E A EUROPA
  152. 152. MOSTAR, A FRONTEIRA DA EUROPA COM O ORIENTE PRÓXIMO Ponte de Mostar O lado europeuO lado “turco” e oriental
  153. 153. MOSTAR, BANHADA PELO RIO NERETVA
  154. 154. BÓSNIA & HERZEGOVINA  Mostar – Na Idade Média, Mostar era formada por 2 vilas, uma de cada lado do rio Neretva: Nebjosa grad (cuja fortaleza data de 1444) e Cimski grad (cuja fortaleza data de 1443). Em 1452, um senhor feudal local, apossou-se dos 2 fortes. Em 1468, os turcos otomanos ocupam a região e tomam as 2 vilas também.  Os turcos otomanos passaram a urbanizar a área com a construção de mesquitas e áreas comerciais, sem maiores planejamentos de suas ruas. Já no século XVI a cidade pasou a ser o centro administrativo otomano para a região da Herzegovina.  Em 1878, Mostar passou a fazer parte do Império Austro-Húngaro., e a partir de 1939 era parte da Croácia, tornando-se também, além de centro turístico, numa cidade industrial, com a construção de inúmeras represas hidrelétricas no leito do rio Neretva, no período em que a região fez parte da Federação Socialista da Ioguslávia.  Os conflitos étnicos entre croatas (católicos) e bósnios (islâmicos) intensificaram-se nos primeiros cinco anos da década de 1990, o que lveou a destruição de inúmeros monumentos da cidade (muitos dos quais foram recuperados atualmente). Antigo mapa medieval de Mostar e a Mesquita de Koski Mehmed que data de 1617, ao lado do Mercado de Tepa (foto abaixo)
  155. 155. POCITELI, FORTIFICAÇÃO TURCA
  156. 156. POCITELI ÀS MARGENS DO RIO NERETVA  Pociteli era uma fortificação turca e uma vila para controle da navegação no leito do rio Neretva, uma das principais rotas de caravanas entre o oriente e o ocidente na Idade Média.
  157. 157. BÓSNIA & HERZEGOVINA  MEDUGORJE – pequena vila ao sul da ByH (na época ainda era Ioguslávia), onde desde 24 e 25 de junho de 1981 registram-se “aparições” de Nossa Senhora a 6 pessoas (na época, ainda crianças), a quem são passadas revelações místicas e religiosas. As apararições continuram diárias para 4 deles (em qualquer lugar que estivessem).  O local tornou-se desde então em ponto de peregrinos como é a cidade de Fátima em Portugal.. Mais de 20 milhões de peregrinos já visitaram o pequeno vilarejo em quase 20 anos.  Como em Fátima, Nossa Senhora apareceu a 3 crianças, e confiou-lhes 3 mensagens secretas (Os três segredos de Fátima), como se fossem profecias sobre eventos futuros que ocorreriam no mundo.  Em Medugorje, a aparição de Nossa Senhora aos 6 jovens a partir de 1981, resultou no anúncio de 10 mensagens secretas, igualmente proféticas.  A pequena vila agrícola é um enclave de pequena poplução católica, num pequeno país de população majoritariamente islâmica, e que em passado recente viveu conflitos bélicos de grande extensão.
  158. 158. IGREJA PAROQUIAL DE SÃO TIAGO APÓSTOLO (1969) COM CAPELA DE N.S. DE MEDUGORJE
  159. 159. GRANDE ALTAR EXTERNO DA IGREJA DE SÃO TIAGO APÓSTOLO
  160. 160. LOCAL NAS MONTANHAS DAS APARIÇÕES DA VIRGEM EM 1981
  161. 161. LOCAL DA APARIÇÃO É CERCA DE 2,5 KM DA IGREJA DE SÃO TIAGO APÓSTOLO Local da aparição Igreja Cruzeiro (1930)
  162. 162. O CRUCIFIXO NO JARDIM DA VIA CRUCIS
  163. 163. ESTAÇÕES DA VIA CRUCIS
  164. 164. LOJINHAS DE SOUVENIRS RELIGIOSOS
  165. 165. SÉRVIA Antigo centro do poder Ioguslavo
  166. 166. SÉRVIA  População: 9,4 milhões de habitantes (ano 2000), excluindo a Provincia do Kosovo (65% composta por sérvios de religião católica ortodoxa sérvia, e cerca de 18% de muçulmanos  Idioma oficial: sérvio (escrito em alfabeto cirilico)  Moeda: Dinar sérvio (RSD) desde 25/10/2006 após a separação de Montenegro.  Euro 1 = RSD 99 (abr.2010)  Área territorial: 88 mil km2 (não tem litoral)  Capital: Belgrado (com 1,6 milhões de habitantes)  29 AC – O atual território da Sérvia era a província romana da Mésia desde a Antiguidade.  Século VII – O povo sérvio, eslavos vindos da Galícia (na Europa Central) invade a Mésia e ocupa a região.  875 DC - Os sérvios se diferenciam dos croatas (católicos romanos) por que adotaram a religião ortodoxa da Igreja de Bizâncio e o alfabeto cirílico.  Século XIII – A igreja Ortodoxa da Sérvia ganha autonomia com São Sava como seu arcebispo. Durante a Idade Média o país teve um curto apogeu.  1549 a 1804 – O turcos otomanos invadem e ocupam a Sérvia (e lá permaneceram por quase 5 séculos), e apesar das 3 invasões do Império Austro-Húngaro e numerosas rebeliões os turcos permaneceram no controle do país. Nesta época há o processo de islamização de muitos sérvios. Estes novos muçulmanos passaram a ser chamados de Bósnios, por viverem na região da Bósnia.  1817 a 1918 – Foi principado independente do Império Austro-Húngaro e depois reino independente até o final da I Guerra Mundial. No século XX houve a tentativa de criar a Grande Sérvia, reunindo os países dos Balcãs.  1918 a 2003 – Foi reino e depois república da Ioguslávia.  2003 – Passou a chamar-se Sérvia e Montenegero, dois estados que eram independentes até 1918 e que depois passaram a integrar o reino da Ioguslávia e mais tarde a república da Ioguslávia. Como Sérvio e Montenegro o país só existiu por 3 anos.  2006 – Com a independência de Montenegro, passou a chamar-se Sérvia  17/2/2008 – A província do Kosovo se auto-proclama independente da Sérvia.
  167. 167. SÉRVIA  A Sérvia e Montenegro foram as duas últimas repúblicas a deixarem à federação da Ioguslávia em 2003.  Montenegro tornou-se país independente da Sérvia em 2006.  Já o Kosovo, que era província da Sérvia, se auto- proclamou independente em 2008.
  168. 168. SÉRVIA  Belgrado, a capital do país, é a principal cidade do pequeno país, que luta para conseguir melhorar seus índices econômicos, após tantos anos de conflitos bélicos e étnicos religiosos.  Como país independente de Montenegro desde 2006, tenta buscar sua identidade entre os mais novos países europeus, porém com larga história.
  169. 169. SÉRVIA  Belgrado (Београд / Beograd em sérvio) é a capital , maior cidade da Sérvia , e o principal centro econômico, político e cultural do país.  A cidade fica entre dois cursos d'água internacionais, na confluência dos rios Danúbio e Sava, no norte da Sérvia, onde a planície da Panônia se limita com a região da península balcânica. Com uma população de 1.689.000 habitantes (estimativa oficial de 2006), Belgrado é a maior cidade no território da ex-Iugoslávia, a segunda maior cidade sobre o rio Danúbio, bem como a quarta maior do Sudeste da Europa, após Istambul, Atenas e Bucareste. Uma das cidades mais antigas da Europa, com uma história continuamente documentada por 7.000 anos, Belgrado foi o berço da cultura pré-histórica mais importante da Europa, a cultura Vinča.  Na Antigüidade, cidade foi alcançada pelos gregos, fundada e nomeada pelos celtas como Cidade Branca, nome que ainda ostenta, depois colonizada pelos romanos e definitivamente ocupada por sérvios brancos a partir da década de 600. Belgrado tem o status de unidade territorial autônoma dentro da Sérvia, com o seu próprio governo. O seu território é dividido em 17 municípios, cada um com sua própria câmara municipal. O distrito abrange 3,6% do território da Sérvia e 24% da população do país vive na cidade. Belgrado
  170. 170. KOSOVO Um território em busca de sua autonomia e independência política
  171. 171. PROVÍNCIA AUTÔNOMA DO KOSOVO  A província autônoma do Kosovo e Metohija é formada por uma antiga região da Sérvia, denominada de Dardânia na Antiguidade, e tema a maioria de sua população formada por Albaneses (95% dos habitantes) e cerca de 5% da população são de sérvios.  Século XV – Conquista do Kosovo pelos turcos otomanos inicia processo de islamização do povo, trazendo os albaneses (de onde originaram a maioria da população da província) que lhe lhe eram mais confiáveis do que os eslavos sérvios (cristãos ortodoxos).  1913 – A Sérvia conquista Kosovo, iniciando a rivalidade nacionalista entre sérvios e kosovares  1946 - A província do Kosovo passa a ser uma região administrativa da Ioguslávia.  24/03/1999 – A Otan atacou a Ioguslávia, dando início a Guerra do Kosovo.  10/06/1999 – Encerra-se o conflito, e a ONU e a Otan assumem a administração de Kosovo, onde os albaneses reinvindicam a separação dos estados.  17/02/2008 – Após inúmeros conflitos étnicos com os sérvios, e o fracasso de negociações internacionais, a Província do Kosovo se auto-proclamou “estado independente” da Sérvia (da qual fazia parte), adotando o nome de “República do Kosovo”. O governo da nova república do Kosovo foi reconhecido como legítimo pelos EUA, Canadá, Áustria, França e Alemanha, Croácia (entre outros), mas a Rússia e a Espanha, China, Israel e até mesmo o Brasil (entre outros países ) não o reconhecem como país indpendente , mas uma região da Sérvia.  População: 2,1 milhões de habitantes em 2007 (95% de albaneses islâmicos)  Religião: islâmica (80% da população albansesa), 3% de albaneses católicos romanos e uma minoria de sérvio ortodoxos.  O território do Kosovo é coberto por templos religiosos ortodoxos sérvios, sendo considerado uma região sagrada para os sérvios ortodoxos.  Idiomas oficiais: albanês, sérvio e turco  Área territorial: 11 mil km2  Pristina – capital  Moeda - Euro ( o dinar sérvio é usado nos enclaves sérvios de Kosovo do Norte)  Sistema de governo – República parlamentarista aind não reconhecida por todos os países.
  172. 172. PROVÍNCIA AUTÔNOMA DO KOSOVO A província do Kosovo como país independente desde 2008 não tem o reconhecimento de muitos países, inclusive o Brasil. Os conflitos étnicos, culturais e religiosos são o fator principal de não se conseguir integrar à Sérvia. Os EUA o apoiam, mas a Rússia também não o reconhece como país.
  173. 173. PROVÍNCIA AUTÔNOMA DO KOSOVO  As rivalidades étnicas entres os albaneses cosovares (islâmicos) e os sérvios (católicos ortodoxos) são históricas e praticamente irreconciliáveis (não há tolerância entre um grupo e outro, que não se aceitam nem como vizin hos).  O pequeno país tem uma longa história de sérios conflitos, e busca em sua independência uma forma de sobrevivência de sua cultura e tradições.  É uma enclave da “discórdia” em plena Europa moderna, resultado dos antigos e históricos confliitos entre católicos ortodoxos e islâmicos do Império Turco Otomano. Pristina é a capital do pequeno país, cujo território tem inúmeros templos ortodoxos (reinvindicado pelos sérvios) e por mesquitas (usadas pelos albaneses irlâmicos). Para a política dos EUA, o Kosovo como estado independente é parte da solução dos conflitos étnicos da região. Já para a Rússia, o exemplo separatista do Kosovo pode gerar o mesmo sentimento em outras antigas repúblicas soviéticas, criando c ondições de novas revoltas nacionalistas na Europa.
  174. 174. PROVÍNCIA AUTÔNOMA DO KOSOVO  Para os sérvios ortodoxos, o Kosovo é considerado como local sagrado (como é Jerusalém para os cristãos, os judeus e até mesmo para os islamitas), pois a província tem diversas igrejas e monastérios da Igreja Ortodoxa Sérvia, oriunda do antigo Império Bizantino, que nem mesmo as invasões do Império Otomano no século XV conseguiram eliminar.  Os sérvios são minoria na população do Kosovo, mas durante a existência da Ioguslávia eram a principal força política, e impuseram aos albaneses islamitas (a maioria da população do Kosovo) uma implacável guerra étnica. A Batalha do Kosovo, travada em 1389 (na Idade Média) marcou a derrota do Príncipe Lazar (sérvio) contra as tropas do Império Otomano, o que forçou o seu povo a um longo avassalamento e prestação do serviço militar aos vencedores. Os Turcos Otomanos preferiram trazer para a região os albaneses islamitas, que lhe eram mais confiáveis do que os sérvios. A origem dos conflitos étnicos históricos provocou inúmeras guerras ao longo dos séculos, e nem mesmo na era moderna tais questões sociais e políticas foram totalmente superadas. A autonomia do Kosovo, considerada pela Sérvia como uma “rebelião separatista”, é para alguns países a única saída política para o impasse étnico que ali existe.
  175. 175. MONTENEGRO País de lindas montanhas e praias
  176. 176. MONTENEGRO  A República de Montenegro tornou-se independente da Sérvia em 3/06/2006, sendo também um pequeno país nos Balcãs.  População: 684 mil habitantes (43% de montenegrinos, 32% de sérvios, 25% de bósnios, albaneses, croatas e ciganos).  Idiomas oficiais: sérvio (60% da população) e montengerino (22% da população).  Área territorial: 13 mil km2  Capital: Podgorica ( o nome data de 1326, sendo construída na confluência de 5 rios.  Moeda nacional: Euro desde 2006, mas usava o Marco Alemão desde 1996  1878 - O Tratado de Berlim reconhece a independência do Principado de Montenegro face a hegemoniao do poder dos turcos otomanos na região desde o século XV.  1910 a 1918 – O príncipe Nicolau I de Montenegro - foto acima - se autoproclamou rei do país ( o primeiro e único rei que o país teve), que só existiu por 8 anos. Terminada a I Guerra Mundial, o país passou a integrar o Renio dos Sérvios, dos Croatas e Eslovenos.  1929 – Passou a integrar parte do Reino da Ioguslávia.  1944 – Libertação do território, Montengero passa a ser uma das 6 repúblicas que formam a República Socialista da Ioguslávia.  1992 – Quatro das repúblicas ioguslavas se tornaram independentes. Sérvia e Montenegro são as duas últimas remanescentes da Ioguslávia.  1996 – A Sérvia isolou-se de Montenegro, que passa a ter economia própria e adota como moeda o Marco alemão, em substituição ao dinar sérvio..  2003 – A Ioguslávia desaparece do mapa, criando o país Sérvia e Monetenegro, que dura apenas 3 anos.  2006 – Montenegro separa-se da Sérvia e adota o Euro como moeda nacional, sem tornar-se uma nação da Comunidade Européia.
  177. 177. MONTENEGRO USA O EURO COMO MOEDA NACIONAL  Montenegro não é um país membro da União Européia, embora anseie entrar no bloco europeu, mas sua atividade econômica é bem pequena em relação a outros países do bloco.  Em 1996, devido ao isolamento político e econômico com a Sérvia, Montenegro adotou como moeda corrente em substituição ao Dinar Sérvio o Marco Alemão, que desapareceu com a implantação do Euro como moeda na Alemanha.  Montenegro é um dos poucos países do mundo que adota o Euro como moeda nacional, sem ser um país membro da União Européia.
  178. 178. MONTENEGR O
  179. 179. MONTENEGRO  Boca Kotorska ou de Cattaro é a bonito fjord na Baía de Cattaro (no mar Adriático) na cidade de Koto, considerada como uma das mais bonitas do país.  Nas ilhas próximas, temos a de Nossa Senhora das Pedras (artificial) e a de São Nicolau (natural) com igrejas datadas do século XVI
  180. 180. BAÍA DE KOTOR Cidade de Kotor Travessia em ferry- boat
  181. 181. ILHA DE NOSSA SENHORA DAS ROCHAS, BAÍA DE KOTOR
  182. 182. BAÍA DE KOTOR
  183. 183. MONTENEG RO  KOTOR é uma das cidades mais visitadas pelos turistas que visitam Montenegro. O turismo é uma das mais importantes fontes de riquezas do país, considerado um dos preferidos para o lazer no Leste Europeu. Suas cadeias de montanhas nos Balcãs e belas florestas são atrativos famosos no pequeno país. Suas antiga muralhas de pedras estendem-se por 4,5km a 20 metros de altura, com 15 metros de largura..
  184. 184. PRAÇA DO RELÓGIO - KOTOR
  185. 185. PRAÇA DO RELÓGIO - KOTOR
  186. 186. PALÁCIOS VENEZIANOS EM KOTOR
  187. 187. CATEDRAL DE KOTOR
  188. 188. MURALHAS DE KOTOR
  189. 189. JARDINS DAS MURALHAS DE KOTOR
  190. 190. TRILHA DAS MURALHAS DE KOTOR
  191. 191. MURALHAS DE BUDVA
  192. 192. BUDVA – CIDADE HISTÓRICA E TURÍSTICA
  193. 193. BUDVA
  194. 194. MONTENEGRO  A Igreja de pedra em Budva, cidade litorânea do mar Adritárico, que mantêm antigas tradições da igreja católica ortodoxa sérvia.  Budva tem um litoral com 21 km de extensão e 17 praias.
  195. 195. MONTENEGRO  Sveti Stefan, uma antiga vila de pescadores na costa do mar Adriático construída no século XV, em Budva, tornou- se a partir de 1960 um hotel resort de alto luxo, e centro de lazer do país, graças a dois famosos pintores locais: Lubarda e Milonovic
  196. 196. MONTENEGR O  Stari Bar (com as ruínas de antigos castelos) é um belo exemplo do grande número de montanhas do país.  As montanhas de Montenegro têm em média mais de 2 mil metros de altitude, sendo das mais altas na Europa.  O pico Bobotov Kuk, nas montanhas do Dormitor, atinge 2.523 metros de altitude, sendo o ponto culminante do país.
  197. 197. MACEDÔNIA Onde o Oriente encontra o Ocidente.
  198. 198. MACEDÔNIA ( REPÚBLICA DA...)  População: 2,070 milhões de habitantes (67% de eslavos macedônicos, 21% de albaneses, 4,5% de turcos e 2,5% de sérvios). A minoria albanesa se queixa de ser descriminada pela maioria dos macedônicos.  Idioma oficial: Macedônico (língua eslava muito parecida com o búlgaro)  Religiião: Há a Igreja Greco-Católica ou Igreja Bizantina da Macedônia, onde os rituais são os mesmos da igreja bizantina ortodoxa, mas aceita a autoridade do Papa em Roma, chefe do catolicismo romano, desde 1918, quando houve uma cisão noa Igreja Ortodoxa local. É uma igreja sui generis dentro da Ortodoxia.  Moeda: Dinar Macedônico (MKD)  Euro 1 = MKD 61,20 (abr. 2010)  Capital: Skopje
  199. 199. MACEDÔNIA ( REPÚBLICA DA...)  A república da Macedonia não tem litoral , e seu território tem 3 grandes lagos.  Geralmente, o turista confunde a região com a Macedonia grega, que está na Grécia, país vizinho.

×