Plantas medicinais nativas e exóticas

2,986 views

Published on

Plantas Medicinais Nativas e Exóticas
Promover o conhecimento multidisciplinar para uma melhor compreensão da ciência das plantas medicinais. Este material é resultante de uma pesquisa onde foi feito levantamento de artigos na área de Etnobotânica em língua portuguesa e espanhola além de plantas exóticas mais utilizadas no Brasil.

Published in: Education
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
  • por favor, eu preciso saber o que o livro diz sobre a Tabebuia heptaphylla e a T. impetinosa, familia Bignoneaceae!!!
    Eu não tenho tempo e dinheiro para comprar o livro, pode me ajudar?
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
2,986
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
37
Actions
Shares
0
Downloads
60
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Plantas medicinais nativas e exóticas

  1. 1. XApresentação Bem vindo ao CD ROM Plantas Medicinais Nativa e Exóticas Famílias Botânicas O objetivo deste CD é promover o conhecimento multidisciplinar necessário para Autor uma melhor compreensão da ciência das Anexos plantas medicinais. Este material é resultante de uma pesquisa onde foi feito levantamento de artigos na área de Etnobotânica em língua portuguesa e espanhola além de plantas exóticas mais utilizadas no Brasil. A apresentação das espécies é através de famílias botânicas, que inclui os nomes comum e científico. Para iniciar a navegação utilize os links ao lado e boa leitura.
  2. 2. XAutor Sobre o Autor Marcelo Rigotti Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1997) e mestrado em Entomologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2005). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Biologia Vegetal e Entomologia, atuando principalmente nos seguintes temas: plantas medicinais, plantas daninhas, silvicultura, fisiologia vegetal, educação ambiental, agroecologia, entomologia, biologia da conservação, controle biológico de pragas e doenças e fitopatologia. Desenvolveu pesquisa no doutorado pela UNESP – Botucatu, na área de fitoquímica, genética de populações e biologia molecular da planta Baccharis dracunculifolia. Professor convocado para as disciplinas de Fitopatologia e Microbiologia Agrícola (Agronomia) na unidade de Aquidauana, Sistemática Vegetal e Melhoramento Genético (Tecnologia em Horticultura) na unidade de Ivinhema, Zoologia (Tecnologia em Agroecologia) na unidade de Glória de Dourados, Tecnologia Pós Colheita de Cereais em Naviraí (Tecnologia em Alimentos) da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Instrutor do curso Técnico em Alimentos (SENAI - Dourados MS).
  3. 3. X AnexosLivro Plantas Medicinais Nativas e Exóticas em PDFBiociência On Line Marcelo Rigotti, MEIEngenheiro Agrônomo e Fitoterapeuta (filiado ao Sinte)Rua Ponta Porã • 2407Dourados, MS 79825-080Fones (67) 3421-4869 • (67) 8112-9799Site www.curaplantas.com.brSite www.biocienciaonline.netE-mail rigottims@gmail.com
  4. 4. Famílias Botânicas XAcanthaceae Asclepiadaceae CannabidaceaeAgavaceae Asteraceae CapparaceaeAizoaceae Balsaminaceae CapparidaceaeAlismataceae Berberidaceae CaprifoliaceaeAmaranthaceae Betulaceae CaricaceaeAmaryllidaceae Bignoniaceae CaryocaraceaeAnacardiaceae Bixaceae CaryophyllaceaeAnnonaceae Boraginaceae CecropiaceaeApiaceae Brassicaceae CelastraceaeApocynaceae Bromeliaceae CephalotaxaceaeAquifoliaceae Buddlejaceae ChenopodiaceaeAraceae Burseraceae ChrysobalanaceaeAraliaceae Buxaceae ClusiaceaeAraucariaceae Cactaceae CochlospermaceaeArecaceae Caesalpinaceae CombretaceaeAristolochiaceae Campanulaceae Commelinaceae
  5. 5. XConvolvulaceae Euphorbiaceae LecythidaceaeCostaceae Erytroxylaceae LiliaceaeCrassulaceae Faboideae LinaceaeCucurbitaceae Flacourtiaceae LoasaceaeCupressaceae Gentianaceae LoganiaceaeCunoniaceae Geraniaceae LoranthaceaeCycadaceae Gingkoaceae LycopodiaceaeCyperaceae Humiriaceae LythraceaeDennstaedtiaceae Hypericaceae MalpighiaceaeDicksoniaceae Icacinaceae MalvaceaeDioscoreaceae Illiciaceae MelastomataceaeDilleniaceae Iridaceae MeliaceaeDryopteridaceae Isoetaceae MenispermaceaeEbenaceae Juglandaceae MimosoideaeEquisetaceae Lamiaceae MonimiaceaeEricaceae Lauraceae Moraceae
  6. 6. XMoringaceae Passifloraceae RanunculaceaeMusaceae Pedaliaceae RhanmaceaeMyristicaceae Phytolaccaceae RosaceaeMyrtaceae Pinaceae RubiaceaeMyrsinaceae Piperaceae RutaceaeNyctaginaceae Plantaginaceae SalicaceaeNymphaeaceae Plumbaginaceae SantalaceaeOenotheraceae = Onagraceae Poaceae SapindaceaeOlacaceae Polygalaceae SapotaceaeOleaceae Polypodiaceae SaxifragaceaeOpiliaceae Polygonaceae SchizaeaceaeOrchidaceae Pontederiaceae ScrophulariaceaeOxalidaceae Portulacaceae SelaginellaceaePalmae Pteridaceae SimaroubaceaePapaveraceae Punicaceae SolanaceaePapilioaceae Primulaceae Sterculiaceae
  7. 7. XStyracaceae VochysiaceaeSymplocaceae WinteraceaeTaxaceae ZamiaceaeTheaceae ZingiberaceaeThymelaeaceaeThyphaceaeTiliaceaeTropaeolaceaeTurneraceaeUlmaceaeUrticaceaeValerianaceaeVelloziaceaeVerbenaceaeViolaceaeVitaceae
  8. 8. XACANTHACEAEAndrographis paniculata (Burm.f.) Wall. ex Nees Andrografis.Dicliptera cf. imminuta Rizzini Dicliptera.Justicia pectoralis Jacq. Chambá-falso.Justicia pectoralis var. stenophylla Melhoral.Justicia plectrantus Abre caminho.Ruellia geminiflora H.B.K. Ipecacuanha-de-flor-roxa.Ruellia tuberosa L. Falsa-ipeca. 9
  9. 9. XACANTHACEAEAndrographis paniculata (Burm.f.) Wall. ex NeesAndrografisUsado contra o câncer e para aumentar a imunidade dascélulas. Usado como um tônico amargo e febrifugo.Dicliptera cf. imminuta RizziniDiclipteraA planta é usada contra hemorróidas. 10
  10. 10. XACANTHACEAEJusticia pectoralis var. stenophyllaMelhoral Analgésica, antiinflamatória, broncodilatadora, sedante nervoso, peitoral, expectorante, febrífuga, béquica, cicatriza nte, afrodisíaca, anti- reumática, catamenial, adstringente, anti-hemorrágica das vias urinárias e tranqüilizante. Relaxante da musculatura lisa e atividade antibacteriana. Indicada para gastralgias, cortes e catarros brônquicos, gota, enfermidades do fígado, infecções das vias respiratórias, dermatites, feridas, aftas, insônia e afecções nervosas. Toxicologia: em altas doses é alucinógeno.Justicia plectrantusAbre caminhoAs folhas na forma de banho são utilizadas para tratar dorde cabeça.Ruellia geminiflora H.B.K.Ipecacuanha-de-flor-roxaA raiz tem propriedade vomitiva.Ruellia tuberosa L.Falsa-ipecaA raiz é purgativa e emética, as folhas são sudoríferas efebrífugas. 11
  11. 11. XAGAVACEAEAgave americana L. Agave 12
  12. 12. XAGAVACEAEAgave americana L.AgaveAnalgésica, antiinflamatória, broncodilatadora, sedantenervoso, peitoral, expectorante, febrífuga, béquica, cicatrizante, afrodisíaca, anti-reumática, catamenial, adstringente, anti-hemorrágica dasvias urinárias e tranqüilizante. Relaxante da musculatura lisae atividade antibacteriana. Indicada para gastralgias, cortese catarros brônquicos, gota, enfermidades dofígado, infecções das viasrespiratórias, dermatites, feridas, aftas, insônia e afecçõesnervosas. Toxicologia: em altas doses é alucinógeno. 13
  13. 13. XAIZOACEAESesuvium portulacastrum L. Beldroega-da-praia.Tetragonia tetragonoides Kuntze (Pall.) Espinafre. 14
  14. 14. XAIZOACEAESesuvium portulacastrum L.Beldroega-da-praiaPlanta comestível e antiescorbútica. 15
  15. 15. XAIZOACEAESesuvium portulacastrum L.Beldroega-da-praiaTetragonia tetragonoides Kuntze(Pall.) Espinafre. Diabete, colesterol, tônico, diurético, laxante, oxidante, cardiotônico, remineralizante, calmante eemoliente. Indicada para casos de anemias e pressão arterialalta. Decocto é bom fortificante para osconvalescentes, também auxilia bastante a digestão. 16
  16. 16. XALISMATACEAEAlisma plantago-aquatica L. Alisma.Echinodorus grandiflorus Micheli (Cham. & Schltdl.) Chapéu-de-couro.Echinodorus macrophyllus (Kunth) Mich. Chapéu-de-couro. 17
  17. 17. XALISMATACEAEAlisma plantago-aquatica L.Alisma As folhas secas podem ser usadas como diurética ediaforetica. Têm sido usados para ajudar a tratar cálculosrenais, cistite, disenteria e epilepsia. As raízes tem sidousados para curar hidrofobia. 18
  18. 18. XALISMATACEAEEchinodorus grandiflorus Micheli (Cham. &Schltdl.) Chapéu-de-couro Atua no intestino delgado produzindo um efeitolaxativo, que está na dependência de sua ação comoestimulante da bílis. Por sua ação sobre os rins e fígado agemelhorando os quadros reumáticos. Pelo aumento no fluxourinário e sua ação na filtração glomerular estimula aeliminação de ácido úrico. Possui ainda açãoenergética, diurética, depurativa, anti-reumática, laxativa, hepática, colagoga, antiinflamatória eadstringente. É indicado para reumatismo, afecçõescutâneas, doenças renais e das vias urinárias e problemas dofígado. 19
  19. 19. XALISMATACEAEEchinodorus macrophyllus (Kunth) Mich.Chapéu-de-couroO rizoma é prescrito contra hidrofobia, a parte aérea éadstringente, usada para tratarartrite, reumatismo, sífilis, dermatoses e problemas dofígado, dor de garganta e ulceras crônicas. 20

×