Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila densa submontana na região sul do Brasil

434 views

Published on

Enderlei Dec; Denise M. D. S. Mouga; Manuel Warkentin; Andressa K. G. dos Santos; Juliane V. da Silva
http://label-univille.blogspot.com.br/2013/09/diversidade-de-abelhas-nativas.html

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
434
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
155
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila densa submontana na região sul do Brasil

  1. 1. Diversidade de abelhas nativas (Hymenoptera, Apidae) em floresta ombrófila densa submontana na região sul do Brasil Enderlei Dec¹; Denise M. D. S. Mouga¹; Manuel Warkentin¹; Andressa K. G. dos Santos¹; Juliane V. da Silva¹ ¹ UNIVILLE - Universidade da Região de Joinville, Campus Bom Retiro, CEP:89219-710, Joinville, Santa Catarina, label@univille.br Para se investigar a riqueza de abelhas nativas em espécies endêmicas, raras ou não assinaladas para Santa Catarina (SC), objetivou-se realizar um levantamento no Parque Ecológico Prefeito Rolf Colin, unidade de conservação (UC) em Joinville/ SC (26º28”84.90’ S, 48º84”52.15’ W). O esforço de captura entre jan. e mai./2012 somou 100 horas. As plantas forrageadas foram colhidas e identificadas. Para as abelhas, foram utilizadas: redes entomológicas (172 espécimes, 22 morfoespécies), pratos armadilha (102 espécimes, gêneros Dialictus e Ceratina); isca de cheiro eugenol (Euglossa anectans (16), Eulaema cingulata (1) e Neocorynura dilutipes (1)). Foram amostradas 351 abelhas, de 27 táxons, 3 subfamílias, que em riqueza/ abundância (%) são: Apinae (51,8/ 41,3), Halictinae (33,4/ 53,3) e Megachilinae (14,8/ 5,4). A espécie exótica de abelha Apis mellifera só foi observada em secreções de cochonilhas em janeiro e maio, representando 7% do total avaliado. Sphagneticola trilobata (Asteraceae) foi a planta mais visitada (47%), atraindo 11 morfoespécies de Apidae, sendo Augochlora sp. (52%) e Megachile nudiventris (12%) as mais levantadas. Foram registradas abelhas em espécies vegetais importantes para a fauna: Bombus brasiliensis em Psychotria suterella (Rubiaceae), cujos frutos são intensamente consumidos por aves assim como Plebeia droryana, Augochloropsis sp. 01 e N. dilutipes em Euterpe edulis e Geonoma gamiova (Arecaceae), palmeiras nativas da Mata Atlântica e ameaçadas de extinção. Begonia campos-portoana (Begoniaceae), planta exclusiva das encostas da serra do mar e restrita ao norte de SC, foi visitada por Ariphanarthra palpalis. Megachile cachoeirensis, Eulaema cingulata e N. dilutipes, abelhas não assinaladas para SC, foram coletadas. A interação abelhas silvestres - plantas nativas/ endêmicas, a consequência em termos de dispersão de sementes além da baixa abundância de A. mellifera, denotam a importância da UC para a manutenção da biodiversidade local. Palavras chave: polinizadores; apifauna; interação abelha-planta

×