Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA                          APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO            ...
diga respeito, presencialmente ou por solicitação escrita ao CCPFC, nos termos dos artigos 27º e 28º da Lei nº 10/91 de 19...
4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS  DIDÁCTICOS   Com esta acção, a desenvolver à distâ...
5. CONTEÚDOS DA ACÇÃO                  (Práticas Pedagógicas e Didácticas em exclusivo, quando a acção de formação decorre...
6. METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA ACÇÃO   6.1.   Passos Metodológicos    A acção terá uma estrutura modular em que três mód...
7. APROVAÇÃO DO ÓRGÃO DE GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DA ESCOLA:  Data: da Modalidade do Projecto) (Art. 7º, RJFCP)  (Caso ___/_...
10. FORMA DE AVALIAÇÃO DA ACÇÃO   Critérios a utilizar:   a) Pelos formandos      Resposta a um inquérito elaborado para o...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação de conteúdos (corrigida)

2,185 views

Published on

Published in: Education, Technology

An2 b - trabalho colaborativo com as ferramentas google - edição e publicação de conteúdos (corrigida)

  1. 1. CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO An2-B NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC2 N.º ________ 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Trabalho Colaborativo com as Ferramentas Google: Edição e Publicação de Conteúdos 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO A formação contínua constitui um processo dinâmico de aquisição e de aperfeiçoamento de competências humanas, técnicas e científicas requeridas pelo exercício de uma profissão exigente e altamente qualificada. Pretende-se, com esta acção de formação promover o desenvolvimento curricular, a integração transdisciplinar das TIC, a elaboração de recursos educativos digitais e a sua aplicação no processo de ensino/aprendizagem, de forma a fomentar o desenvolvimento de mais e melhor ensino e aprendizagem. Salientamos a oportunidade da aplicação destas ferramentas, por exemplo, ao nível da Área Projecto, Cursos EFA e nos diversificados Projectos de Turma. Pretende-se, assim, uma evolução das actuais práticas pedagógicas no sentido de as adaptar a uma realidade distinta que se caracteriza pela necessidade de informação relevante e fiável susceptível de se tornar útil aos seus destinatários. Os meios de comunicação a adoptar procurarão assegurar a necessária organização da informação e caracterizará o sentido de oportunidade com que será disponibilizada. Perspectivam-se repercussões nos modos de aprendizagem dos alunos e nos modos de formação dos professores. Em termos práticos, pretende-se apoiar os docentes a: • Criar materiais didácticos em formato digital; • Organizar e partilhar a informação; • Criar condições de auto-formação. Ainda um factor a considerar que está na base da concepção desta Oficina de Formação em regime de e-learning, é o facto de ultrapassada em escala significativa a fase da aquisição de competências básicas em TIC por parte de muitos professores, haver necessidade de redireccionar a formação contínua em quatro grandes linhas de acção: 1. Desenvolver a aplicação das competências básicas adquiridas na produção de materiais educativos;Os dados recolhidos são processados automaticamente, destinando-se à gestão automática de certificados e envio de correspondência. O preenchimento doscampos é obrigatório pelo que a falta ou inexactidão das respostas implica o arquivamento do processo. Os interessados poderão aceder à informação que lhes
  2. 2. diga respeito, presencialmente ou por solicitação escrita ao CCPFC, nos termos dos artigos 27º e 28º da Lei nº 10/91 de 19 de Fevereiro. Entidade responsável pelagestão da informação: CCPFC - Rua Nossa Senhora do Leite, nº 7-3º - 4701 - 902 Braga. 2. Modernizar os processos e os meios envolvidos na formação contínua dos professores explorando as potencialidades que as TIC oferecem (nomeadamente no que se refere à Internet), desenvolvendo a sua utilização como ferramenta para a actividade docente e adequando a formação às novas exigências da “sociedade da informação e do conhecimento”; 3. Facultar ao máximo o acesso à formação contínua e promove-la enquanto garante da qualificação dos docentes no sentido de uma melhoria significativa das suas competências e do seu desempenho; 4. Rentabilizar os recursos materiais e humanos envolvidos na formação, reduzindo os custos evitando deslocações e a afectação de salas e equipamentos. Finalmente, salienta-se que esta acção tal como foi concebida encontra-se em perfeita sintonia com as grandes linhas orientadoras da actividade futura do Centro de Formação de Escolas do Concelho de Almada. Essas Linhas orientadoras apontam para o ensino à distância como forma de alargar e adaptar as ofertas e respostas formativas às necessidades dos diversos públicos alvo, em particular os professores e educadores. 3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 3.1. Equipa que propõe (caso dos Projectos e Círculos de Estudos) (Art. 12º-3 RJFCP) (Art.33º c) RJFCP) 3.1.1 Número de proponentes: __________ 3.1.2 Escola(s) a que pertence(m): _____________________________________ _________________________________________________________________ 3.1.3 Ciclos/Grupos de docência a que pertencem os proponentes: __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 3.2. Destinatários da modalidade: (caso de Estágio ou Oficina de Formação) Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário
  3. 3. 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS Com esta acção, a desenvolver à distância em regime semi-presencial, pretende-se: • Estimulo a estratégias pedagógicas promotoras de metodologias inovadoras; • Adopção de práticas que levem ao envolvimento dos alunos em trabalho prático com TIC; • Produção, utilização e avaliação de recursos educativos digitais potenciadores da construção do conhecimento; • Mudança de práticas, com a integração de ferramentas de comunicação e interacção à distância, no processo de ensino e aprendizagem; • Prolongamento dos momentos de aprendizagem no tempo e no espaço, fomentando a disponibilização on-line de recursos educativos; • Desenvolvimento de projectos/actividades que potenciem a utilização das TIC em contextos inter e transdisciplinares; • Promoção de momentos de reflexão decorrentes da prática lectiva; A acção decorrerá à distância, com suporte na plataforma de e-learning Tei@ (Tecnologia Educativa, Inovação e Aprendizagem) desenvolvida pelo Centro de Formação de Escolas do Concelho de Almada e disponível em www.teia.almadaforma.org. Os formandos terão acesso, mediante login a uma área de trabalho específica em que estarão publicados todos os materiais produzidos pelos formadores e pelos formandos. Promover-se-á junto dos formandos a atitude pró-activa de, autonomamente, estes virem a produzir e a publicar materiais educativos da sua autoria, utilizando as técnicas propostas e desenvolvidas em tutoriais disponíveis na área de trabalho desta Oficina de Formação. Com vista a incentivar a interacção entre formandos e formadores, a manter um vínculo de relação interpessoal e a assegurar um acompanhamento próximo do trabalho desenvolvido, a acção terá três sessões presenciais de frequência obrigatória as quais perfazem um total de 9 horas. As restantes 21 horas, são de trabalho acompanhado a distância (online), compreendendo a realização de actividades propostas nos tutoriais e a publicação dos respectivos produtos na plataforma Tei@.
  4. 4. 5. CONTEÚDOS DA ACÇÃO (Práticas Pedagógicas e Didácticas em exclusivo, quando a acção de formação decorre na modalidade de Estágio ou Oficina de Formação) Regime Conteúdos Duração • Apresentação do grupo de trabalho • Objectivos e desenvolvimento do curso 1ª SessãoMódulo 1 • Procedimentos organizativos. Normas de funcionamento da plataforma Tei@ Presencial 3 horas • Planificação do Projecto de Trabalho • Criação ou edição de uma conta Google; • Fundamentos do trabalho colaborativo: metodologias e avaliação. • Trabalhar com o Google Docs: o Processador de Texto Trabalho autónomo o Folha de CálculoMódulo 2 3 horas on-line o Apresentações Electrónicas o Formulários • Partilha de documentos • Trabalhar com o Google Sites: Page Creator: o Criar uma nova página o Escolher o layout ou plano de página Trabalho autónomoMódulo 3 on-line o Escolher o estilo de página 3 horas o Editar páginas o Inserir imagens o Criar um links (hiperligações) • Trabalhar com o Google Sites: Page Creator: Trabalho autónomo o Publicar as páginasMódulo 4 on-lin o Administrar o sítio o Acrescentar gadgets às páginas • Aplicação dos conhecimentos adquiridos na preparação do projecto SessãoMódulo 5 Presencial • Contextos de utilização das ferramentas 3 horas • Fases de desenvolvimento de um projecto que envolva trabalho colaborativo • Utilização do Blogger: Trabalho autónomo o Criar um BlogMódulo 6 3 horas on-line o Escrever no blog o Visualização do blog? • Utilização do Blogger: Trabalho autónomo o Apagar ou emendar um texto que já tenha sido publicadoMódulo 7 3 horas on-line o O Sistema de Comentários o Inserir Imagens no blogMódulo 8 Trabalho autónomo • Gestão de Projectos com o Google Calendar 3 horas on-lineMódulo 9 Trabalho autónomo • Google Picasa: 3 horas on-line o Localizar, editar e partilhar fotografias 3ª Sessão • Apresentação dos trabalhos realizados em Formato DigitalMódulo 10 3 horas Presencial • Avaliação da acção
  5. 5. 6. METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA ACÇÃO 6.1. Passos Metodológicos A acção terá uma estrutura modular em que três módulos são presenciais e de frequência obrigatória e sete são realizados com acompanhamento a distância. As sessões presenciais estão distribuídas no início, no meio e no final da acção. As sessões presenciais e as acompanhadas à distância serão fundamentalmente teórico-práticas. Na primeira sessão, presencial, serão desenvolvidas competências na utilização da plataforma de e-learning que suporta a realização do curso à distância e será definida a calendarização para a publicação dos trabalhos online. Será ainda feita urna primeira abordagem ao projecto de trabalho que cada formando deverá desenvolver individualmente e apresentar no final da acção. Sessões acompanhadas a distância desenvolver-se-ão em torno de tutoriais e cada sessão conterá um guião de actividade cujo trabalho resultante deve ser publicado pelos formandos na área de trabalho da acção (plataforma Tei@). A tutoria dos formandos (acompanhamento à distância) far-se-á em regime de comunicação assíncrona, através de correio electrónico, fóruns e serviços de mensagens instantâneas na Internet. Os formandos poderão (e deverão) estabelecer entre si contactos para esclarecimento de dúvidas e troca de experiências no mesmo regime de comunicação assíncrona. Do ponto de vista metodológico pretende-se fazer uma formação, o mais individualizada possível, tendo sempre em conta a heterogeneidade dos formandos do ponto de vista de conhecimentos informáticos. Nesta acção tentar-se-á fazer da formação um meio activo de busca de conhecimentos, através da prática, cabendo ao formador, essencialmente, o papel de apoio. Deste modo, serão os formandos a construir o seu conhecimento numa postura autónoma, mas constantemente apoiados pelo formador. Serão, no entanto, proporcionados, por parte do formador, momentos teóricos que servirão de base à reflexão sobre o trabalho produzido e experimentado. Construir-se-ão saberes adequáveis ao nível de ensino de cada formando, os quais serão enquadrados em contexto lectivo. Para além das sessões presenciais e online, os formandos desenvolverão 30 horas de trabalho autónomo distribuídas pelas actividades propostas nos respectivos guiões e pelo desenvolvimento do projecto de trabalho final. 6.2. Calendarização 6.2.1. Período de realização da acção durante o mesmo ano escolar: Entre os meses de Março e Julho 6.2.2. Número de sessões previstas por mês: 4 6.2.3. Número total de horas previstas por cada tipo de sessões: Sessões presenciais conjuntas: 3 sessões (9 horas) Sessões de trabalho acompanhado a distância: 7 sessões (21 horas) Sessões de trabalho autónomo: 30 horas
  6. 6. 7. APROVAÇÃO DO ÓRGÃO DE GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO DA ESCOLA: Data: da Modalidade do Projecto) (Art. 7º, RJFCP) (Caso ___/___/___ Cargo: _______________________________________________________________ Assinatura: _____________________________________________________________________________________8. CONSULTOR CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO OU ESPECIALISTA NA MATÉRIA (Art.25º-A,2 c) RJFCP) Nome: ______________________________________________________________________________________ (Modalidade de Projecto e Ciclo de Estudos) delegação de competências do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (Art. 37º f) RJFCP) SIM NÃO Nº de acreditação do consultor9. REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS Avaliação quantitativa dos formandos, na escala de 1 a 10 valores, nos termos do nº 3 do artigo 13º do RJFCP e da carta circular – 3/2007, de Setembro de 2007, do CCPFC. A avaliação será, igualmente, expressa em termos qualitativos em conformidade com a escala que a seguir se insere: Excelente — de 9 a 10 valores; Muito bom — de 8 a 8,9 valores; Bom — de 6,5 a 7,9 valores; Regular — de 5 a 6,4 valores; Insuficiente — de 1 a 4,9 valores. Será objecto de avaliação o trabalho desenvolvido nas sessões presenciais de e- learning e no trabalho autónomo: Sessões presenciais e de e-learning: • Assiduidade: frequência mínima de 2/3 da carga horária total • Nível de participação e qualidade da intervenção nas sessões; • Apresentação clara das ideias e resultados das pesquisas; • Problematização das situações em análise; • Realização das tarefas propostas em cada sessão. Sessões não presenciais (trabalho autónomo): • Regularidade do trabalho desenvolvido (demonstrado pela apresentação periódica dos resultados das actividades desenvolvidas); • Qualidade do trabalho final e nível de aplicabilidade em situação de sala de aula; • Relatório final do formando, incluindo aplicação em sala de aula; • Portfolio individual do formando.
  7. 7. 10. FORMA DE AVALIAÇÃO DA ACÇÃO Critérios a utilizar: a) Pelos formandos Resposta a um inquérito elaborado para o efeito centrado em: • Tema /Conteúdo; • Metodologias; • Dimensão Relacional; • Eficácia da Acção. b) Pelo formador Através da elaboração de um relatório crítico de incidência: • Nas respostas dos formandos ao inquérito avaliativo; • Na análise das actividades desenvolvidas. c) Pela entidade formadora Elaboração de um relatório analítico com base nos instrumentos avaliativos produzidos pelos formandos e pelo formador.11. BIBLIOGRAFIA FUNDAMENTAL • Urbano, Magno - Google Guia de Consulta Rápida, FCA • Querido, Paulo, Blogs – Centro Atlântico.PT • Google, 2006 – Centro Atlântico.PT Data ____ / ____ / ____ Assinatura ______________________________________

×